sexta-feira, 7 de dezembro de 2012

Tony Ramos e Irene Ravache mostram em Guerra dos Sexos que atores veteranos também merecem ser protagonistas

Na primeira versão de "Guerra dos Sexos", o casal protagonista era representado por Paulo Autran e Fernanda Montenegro. A novela fez um imenso sucesso e até hoje todos se lembram da clássica cena em que um joga comida no outro, em pleno café da manhã, numa sequência de mais puro pastelão. Os atores ficaram marcados e deram um show na pele de Otávio e Charlô. Ao escrever o remake de sua própria obra, Silvio de Abreu não pensou duas vezes e escalou dois atores de peso para viver a dupla que tanto teve repercussão no passado: Tony Ramos e Irene Ravache.


O autor acertou em cheio ao escolher esses dois veteranos de tanto talento para protagonizar a novela das sete. Os dois atores já participaram de várias produções do próprio Silvio e sempre costumam ser lembrados por ele. Aliás, a última novela em que os dois marcaram presença foi a ótima "Passione", onde Tony viveu o enganado Totó e Irene deu vida a uma perua hilária, a inesquecível Clô. Agora, em "Guerra dos Sexos", ambos têm brilhado na pele dos sobrinhos do casal de 1983 e a parceria está sendo muito bem-sucedida.

Tony Ramos está impagável e totalmente à vontade no papel. Otávio é um quase-vilão e suas leves maldades costumam descambar para o riso, principalmente através dos trejeitos e na forma de falar do personagem. O ator deu um tom farsesco ao tipo e acertou em cheio. Já Irene Ravache não fica atrás na pele da Combuqueta, ou melhor, Charlô. A empresária é
resolvida e amiga de todas as horas, ou seja, cativante e carismática. Sua dobradinha com Glória Pires (Roberta) é um dos pontos altos da história, além, claro, das sequências que protagoniza ao lado de Marilu Bueno (Olívia), Luana Piovani (Vânia) e Mariana Ximenes (Juliana).

Tony e Irene são profissionais que têm muitas coisas em comum. A simplicidade é uma delas, além da simpatia com que costumam tratar a todos da imprensa. Outro ponto em comum é a facilidade de ir do drama à comédia sem nenhum esforço. A atriz já mostrou essa façanha em vários outros trabalhos, mas ainda não teve chance na comédia das sete, ao contrário de Tony, que pôde mostrar sua faceta dramática quando Otávio acha que Charlô está à beira da morte. Foi emocionante ver o sujeito durão e machista cair no choro, ao desabafar com seu motorista (Nando - Reynaldo Gianecchini) a respeito do amor que sente pela 'rival'.

É muito prazeroso ver dois grandes atores como esses protagonizando uma novela, ao mesmo tempo que é de se lamentar constatar que os profissionais mais velhos já perderam há tempos o espaço de protagonistas. Em 99% dos casos o casal central de uma novela é interpretado por atores jovens, enquanto que os veteranos, muitas vezes, são meras 'escadas'. Silvio de Abreu é um dos poucos autores que valoriza os atores mais experientes e sempre faz questão de colocá-los em papéis centrais. Em "Passione", por exemplo, sua mais recente obra, Fernanda Montenegro era a protagonista, a milionária Bete Gouveia. Mas esse é apenas um caso, basta observar que em todas as suas novelas essa regra se mantém.

Tony Ramos e Irene Ravache, com a grande ajuda do autor, estão provando e enfatizando  para todos os autores da Globo que atores veteranos podem, sim, protagonizar uma novela. Os telespectadores estão podendo admirar e aplaudir o talento desses dois veteranos e resta torcer para que esse caso não fique apenas em "Guerra dos Sexos" ou nas tramas do Silvio de Abreu. Os 'mais experientes' ainda continuam na ativa, prontos para agarrar as oportunidades que surgirem e, por que não, protagonizar uma telenovela.

37 comentários:

Thallys Bruno Almeida disse...

Bem, Sérgio, em uma novela aquém das minhas expectativas, pode-se reconhecer que os dois são um acerto do autor. Tony Ramos e Irene Ravache estão mesmo impecáveis, sendo que nas dobradinhas ela tenha mais sorte (Mariana e Glória perfeitas, Luana surpreendendo, Marilu impagável). No caso dele, os melhores momentos são com o Gianecchini, que finalmente acertou o tom e agora convence como o motorista atrapalhado mas gente boa.

No mais, ainda acho Guerra mediana. Assisto por causa de alguns atores talentosos, mas se eu perder algum capítulo não perderei nada muito importante. Não é mais o desastre que eu classificava pouco tempo atrás, mas se saísse do ar agora nem faria muita falta não. Mas torço que melhore ainda mais. Abçs!

Carlos disse...

O problema é a trama. Talento os dois tem, disso não tenho dúvida, mas nessa novela parece que eles estão vários tons acima. Ok que só vi a cena do golfe (patético aaquela bola dando trocentos giros) e a da guerra de comida, só que nessas já deu pra perceber o caminho que eles vão ter durante a novela. Gosto da comédia natural, sutil até, não exagerada, o que já me afasta dessa novela que é completamente pastelão. Fico na curiosidade de rever a 1 versão só pra saber se era boba desse jeito.

Mas concordo que deve haver um destaque a veteranos que, de uma forma geral são superiores aos mais jovens e não digo isso pelos anos em trabalho e fãs/admiradores conquistados, mas pq ultimamente a busca por rostos bonitos está muito escancarado. Isso sempre teve, só ver os ícones de beleza de hollywood de 50 anos atrás, ou até daqui mesmo. O problema, é que hoje a parte do talento na soma "talento+beleza" está faltando.

Abraço

Sérgio Santos disse...

Oi Thallys. Acho que a novela melhorou muito, mas concordo que ainda não é ótima. Porém, o destaque que o autor sempre dá aos veteranos sempre me motiva a prestigiar suas obras e agora não é diferente. Ainda há o triângulo amoroso (roberta/Nando/Juliana) que tem tido mais destaque. Abração!

Sérgio Santos disse...

Oi Carlos. Olha, não vejo problema no tom deles. É normal alguns atores ficarem um tom acima na novela das sete e nesse caso os personagens pedem isso. Há outros núcleos, digamos, mais naturalistas.

As cenas da dupla são sempre boas e o talento deles é absurdo. Concordo que ultimamente a beleza sempre se sobrepõe ao talento o que é uma lástima. Nada contra os jovens atores, porque há muita gente talentosa também e gratas revelações, mas os veteranos merecem continuar tendo o espaço merecido e protagonizando novelas também. Abração!

Sérgio Santos disse...

PS: amanhã eu respondo todos os comentários no post anterior, sem falta.

Thairys Moreno disse...

Olá Sérgio! Faz um tempo que não apareço por aqui, mas é sempre bom ler os seus artigos e comentários, gosto da sua atenção aos detalhes, a sua visão realista e crítica, mas sem deixar de dar o mérito á quem de fato o merece. E assim é o caso de Tony Ramos e Irene Ravache, sem sombra de dúvidas, os atores veteranos, estão dando um verdadeiro show de interpretação como os protagonistas da novela das sete, tá sendo gostoso e divertido de ver os dois se engalfinhando em cada disputa e discussão hilária, claro que a novela ainda tem lá seus pontos fracos, acho que é de longe o melhor trabalho de Sílvio de Abreu, mas a novela está sim muito divertida, e os protagonistas estão de parabéns. Tenha um ótimo final de semana. Beijos.

Felisberto Junior disse...


Olá!
Sérgio
Tudo bem?
...concordo plenamente quando vc disse que ambos conseguem sair de um papel dramático para a comédia ou vice versa com grande talento, e show de interpretação..
Eu gosto mais e muito do Tony Ramos. Acompanho sempre!
Obrigado!
Ótima sexta feira!
Abraços
ClicAki Blog(IN)FELIZ

Patricia Galis disse...

A novela esta melhorando cada vez mais, agora dizer o que desses dois????
Maravilhosos...

Kellen Bittencourt disse...

Amigo embora eu não consiga dar risada de nenhuma cena desta novela, como eu dava na versão anterior, (considerando que eu tinha 12 anos kkk) os dois estão muito bem, e acho que ela merecia ser protagonista de uma novela, não sei se já tinha sido, não me lembro, mas sem duvida são grandes talentos! Abraçosss

Elvira Akchourin do Nascimento disse...

Tony e Irene são ótimos mesmo, Sérgio, e proporcionam algumas cenas divertidas. "Guerra dos Sexos" está melhorando, mas ainda a considero regular.

EDER RIBEIRO disse...

Sérgio, das poucas vezes q assisti a novela, eu me ralhei de rir dos dois. Tem uma cena q o Tony se intala com uma zeitona e ele faz um biquinho segurando a azeitona. Essa cena está impagável. Abçs.

Smareis disse...

Sérgio são dois atores maravilhosos, eu sou fã deles.
Estão dando um schow de interpretação.
A novela Lado a Lado também parece que esta melhorando.Ontem li que o SBT esta ganhando no horário dela.
Adorei a postagem!

Deixo um grande abraços!
Ótimo fim de semana!

Clique-Refletindo com a Smareis

Carlos disse...

Kellen, Irene fez Éramos Seis, que nem mencionei, que até hoje acho uma das mais belas novelas já feitas pela tv brasileira. Por isso mesmo não consigo ver Guerra dos Sexos. Não lembro da Irene no humor, mas o Tony já mostrou competência várias vezes nessa área, mas infelizmente, parece que o diretor gosta do "Tony se eu fosse Ramos". Claro que na versão macho kkkkk. Lá o tom caricato era válido, aqui acho estranho. Mas como disse, nem vou aprofundar pq nem vi 1/2 % dessa novela.

Abraço

Milene Lima disse...

Estou mesmo carente de novela boa, não consigo me empolgar com essa, embora consiga assistir sem maiores sacrifícios.

Já gosto mais do Nando. Já torço por ele e a Juliana, são fofos juntos.

Mas, quem não viu a outra versão, compreende essa competição desenfreada do Otávio e da Charlô, que são sobrinhos dos outros Otávio e Charlô, que por sua vez não tinham irmãos? Doideira, né? Obra aberta. Deixa quieto.

Beijos, Sérgio.

Sissym disse...

Sergio,

Eu me lembro da versão anterior e que gostava muito dela. Quanto a esta nada posso dizer, visto que nunca tive tempo de assistir. Contudo, tenho certeza que se depender destes 2 incriveis atores, tudo sempre vai estar bem.

Bjs

Vera Lúcia disse...


Olá Sérgio,

Tony Ramos e Irene Ravache são grandes intérpretes e estão muito bem afinados na trama. Gosto muito da dupla. Concordo que atores veteranos deveriam ser mais lembrados para protagonizarem novelas, pois cativam e envolvem pela competência e show de interpretação.

Beijo.

BIA disse...

Verdade Sérgio, o autor fez a escolha certa, é a química dos atores em cena é que faz uma grande produção.
Achei bem importante a sua opinião sobre o significado de esperteza, você falou exatamente como é no BRASIL e o quanto a conscientização de cada um é significativo para mudarmos esta mentalidade. Obrigada!!!
Bjs :)

Marcos Mariano disse...

Sou muito fã do trabalho do Tony Ramos e sinceramente em uma época onde o talento esta sendo substituído por um par de bundas e bíceps bem trabalhados Guerra dos Sexos merece ser aplaudida por dar esse espaço aos grandes nomes da nossa teledramaturgia.

Abraços

Sérgio Santos disse...

Oi Thairyz, há quanto tempo! Obrigado pelo carinho! Olha, Tony e Irene são sempre merecedores de elogios e fico muito feliz em vê-los protagonizando uma obra. A novela é gostosa de assistir mesmo, embora não seja incrível. Beijos.

Sérgio Santos disse...

Oi Felisberto, obrigado. Será que existe alguém que não goste do Tony Ramos? Até hoje não conheço. Abraços.

Sérgio Santos disse...

Oi Patrícia, concordo que a novela esteja melhorando. Aliás, essa é uma opinião quase geral de quem assiste. Beijos.

Sérgio Santos disse...

Oi Kellen. Como bem disse o Carlos, ela protagonizou Éramos Seis que era uma novela fantástica mesmo e a melhor produção do SBT. Beijos.

Sérgio Santos disse...

Oi Elvira. Difícil não gostar desses dois. A novela tá melhor mesmo, mas sem dúvida ainda não está ótima. Beijos.

Sérgio Santos disse...

Oi Eder, essa cena foi ótima mesmo. Mas a melhor do Tony, na minha opinião, é quando ele pega um carro e sai desgovernado pela rua porque não sabe dirigir. rs Abraços.

Sérgio Santos disse...

Oi Smareis, obrigado pelo comentário. Os dois atores não ótimos mesmo. Olha, discordo que Lado a Lado esteja melhorando porque sempre a achei impecável. Não soube dessa notícia do Sbt estar ganhando, não, e acho que não procede. Beijosss!

Sérgio Santos disse...

Carlos, a Irene fez humor em Passione, com a perua Clô, que era casada com o personagem do Francisco Cuoco. Abraços.

Sérgio Santos disse...

Oi Milene. Antes você odiava, agora já assiste sem maiores sacrifícios e tem gostado do Nando com a Juliana. Estamos progredindo. rsrs

Olha, o Silvio de Abreu usou esse recurso para dar liberdade aos atores e assim não os 'obrigar' a copiar o que Fernanda Montenegro e Paulo Autran fizeram. Aí a ideia de serem sobrinhos. Beijão.

Sérgio Santos disse...

Oi Sissym. Pois é, Tony e Irene sempre foram admirados e agora podem protagonizar uma trama, o que é ótimo. Beijos.

Sérgio Santos disse...

Oi Vera, obrigado pelo comentário. Eles estão muito bem mesmo e a presença desses veteranos enriquece qualquer obra. Beijos!

Sérgio Santos disse...

Oi Bia. Os dois têm um entrosamento perfeito e dá gosto de assisti-los. E,sim infelizmente hoje em dia esperteza virou sinônimo de canalhice. Beijos.

Sérgio Santos disse...

Oi Marcos. Sem dúvida esse fato não deixa de ser mais um ponto positivo de Guerra dos Sexos. Abraços.

Marcos Pereira disse...

Olá Sérgio!
Investir nesses dois atores é certeza de sucesso! Claro que é uma questão de gosto, prefiro novelas mais despretensiosas como essa, mais humorísticas, eu quase não assisto novela, mas minha mãe é noveleira fanática! Ai num tem jeito, acabo vendo alguma coisa..
Creio que é isso que falta, além de outras coisas, na novela salve o jorge, o casal principal de arrancada!
abração

JÍU WAY WENTZ disse...

Olá, Sérgio!!

AMEI AMEI AMEI o post! Fiquei imensamente feliz de saber sua opinião, estou em total acordo.
Irene e Tony fazem parte da nata da teledramaturgia brasileira, são incríveis em tudo que fazem. Só quis assistir a esse remake por causa dos dois.
Muitas vezes fico refletindo em como o Tony some dentro do personagem, apesar de que esse tipo de comédia não é exatamente o ramo dele. Já a Irene... Nos primeiros capítulos fiquei preocupada de ela atuar mais como uma louca do que tudo. Mas ela encontrou o rumo certo para interpretar a Charlô, e tem feito com maestria. Fora que continu belíssima; avaliando o contexto de vida, idade, etc., é a mais bela do time feminino. Tenho o maior orgulho de ser fã inveterada dela.

O que me chateia é que, mesmo sendo os protagonistas, não são vistos e considerados como tal, principalmente pela idade. Creio que todos puderam perceber que Irene, por exemplo,continua sedutora e magnífica, e dá conta de cenas mais intensas nas tramas. Mas enfim, já estou imensamente feliz!

Sérgio Santos disse...

Oi Marcos, obrigado pelo comentário. Os dois sempre foram sinal de talento e isso nunca mudou. Bacana vê-los protagonizando uma novela. Sua mãe é noveleira? Quase todas são! rs abraços!

Sérgio Santos disse...

Oi Jíu! Que bom te ver por aqui! Sempre nos falamos pelo Twitter e hoje falaremos pelo blog também. Sim, também sou fã dos dois e dá gosto vê-los em cena.

Você tem razão, por preconceito muita gente se nega a enxergá-los como protagonista. Aliás, em Passione algumas pessoas insistiam em dizer que a Fernanda Montenegro não era a protagonista e sim a Carolina Dieckmann. Não, não era. Foi uma apenas uma quase-mocinha que não deu certo.

Já li alguns, poucos, comentários dizendo que o casal protagonista de Guerra dos Sexos é o Gianecchini e a Mariana Ximenes. Acho os dois ótimos, assim como os personagens, mas, não, eles não são os protagonistas. Irene e Tony sim. Beijão.

Barbie Californiana disse...

Sérgio, de fato eles são excelentes atores, não há papel que eles não brilhem... beijos e lindo restinho de domingo.

Sérgio Santos disse...

Oi Barbie! Boa semana pra você! bj