sábado, 8 de dezembro de 2012

Lado a Lado e A Vida da Gente: quando as semelhanças superam as diferenças

A atual novela das seis da Rede Globo não tem conseguido bons índices de audiência e isso não é novidade para ninguém. "Lado a Lado", apesar da qualidade incontestável e do excelente elenco, vem obtendo uma média geral de 18 pontos, sete pontos abaixo da meta estipulada para o horário. Devido a esse conjunto de fatores, fica impossível não fazer uma comparação com uma outra grande novela, exibida ano passado, e que também enfrentou dificuldades nos números do ibope, apesar de também ter sido uma excelente obra: "A Vida da Gente".


A história de Lícia Manzo foi um sucesso de crítica e todos os telespectadores que a prestigiaram não se arrependeram. A trama tinha um elenco reduzido, onde todos os atores eram valorizados, e um núcleo central muito forte, com duas irmãs que se amavam e se viam separadas por um golpe trágico do destino. Marjorie Estiano (Manu) e Fernanda Vasconcellos (Ana) protagonizaram cenas inesquecíveis, assim como todo o restante do elenco. O texto da autora, que escrevia sua primeira novela solo, era primoroso e elogiado merecidamente. Mas infelizmente a trama não teve uma boa audiência e terminou com 22 pontos de média geral, três abaixo da meta.

Como se pode observar, as semelhanças de "A Vida da Gente" com "Lado a Lado" não são poucas, além, claro, do fato de Marjorie Estiano ter tido papéis centrais nas duas tramas. Assim como Lícia Manzo, João Ximenes Braga e Claudia Lage também são estreantes. Apesar de ter um enredo totalmente diferente, a atual novela das seis também tem um elenco reduzido, onde todos são ótimos atores e têm um destaque merecido. A trama é muito
bem escrita e o texto maravilhoso, além do capricho do figurino e dos cenários de época, retratando parte da história do nosso país. Qualidades que se assemelham muito à obra de 2011, cuja produção também era impecável. Entretanto, apesar de tantos pontos positivos, a história de João e Cláudia não consegue reagir no ibope.

Para o azar das duas produções, ambas estrearam na mesma época fatídica para a audiência: bem próximas do Horário de Verão. "A Vida da Gente" teve seu primeiro capítulo exibido no dia 26 de setembro de 2011, enquanto que "Lado a Lado" estreou no dia 10 de setembro de 2012. Com um sol escaldante do fim de tarde muita gente demora mais para chegar em casa e prefere continuar na rua, o que derruba o ibope de "Malhação", novela das seis e até das sete. E para o azar ainda maior da atual trama das 18h, a mesma foi ao ar na época em que o Horário Político ainda estava em vigor, ou seja, a programação da Globo era adiantada em quase 30 minutos.

Mas é claro que essas explicações não são as únicas plausíveis para explicar o baixo ibope de "Lado a Lado". Os 18 pontos alcançados até agora são ainda menores que os 22 obtidos pela trama de Lícia Manzo ano passado. Ou seja, pode ter havido uma rejeição mesmo à novela --- o que é lamentável em se tratando de uma produção tão bem cuidada ---, que somada ao conjunto de fatores citado acima, acabou sendo fatal para a novela das seis.

Talvez a única diferença, além do conteúdo, claro, entre "A Vida da Gente" e "Lado a Lado" seja a repercussão alcançada. A trama anterior tinha um retorno absurdo do público, que sempre fazia questão de falar da novela na internet e em várias redes sociais, com direito até a brigas entre os defensores de Manu e Ana. Já a atual, apesar de receber elogios de todas as partes, não tem grande repercussão.

A verdade é que Lícia Manzo, João Ximenes Braga e Claudia Lage nunca mereceram esses índices de audiência tão baixos. São autores que terão um futuro brilhante na Globo. "Lado a Lado" é uma novela que merece ser prestigiada e aplaudida todos os dias, assim como "A Vida da Gente" também mereceu. As duas obras comprovam que audiência e qualidade nem sempre caminham juntas. O telespectador que deixou de ver a história de Ana e Manu em 2011 e não está vendo os dramas de Laura e Isabel em 2012, com certeza, não tem ideia do que perdeu e do que está perdendo.

62 comentários:

Felipe disse...

Também lamento demais que A Vida da Gente não tenha alcançado e Lado A Lado não esteja alcançando a audiência desejada.

As duas novelas são bem diferentes. Lado A Lado é uma novela gostosa de parar e assistir, texto, interpretações e parte técnica impecáveis. A parte histórica é um show à parte.
Mas apesar de amar a atual novela, não se compara com o jeito como A Vida da Gente me arrebatou. A novela ganhou todo mundo por mostrar situações do cotidiano com uma sensibilidade extrema, o que fez com que todos mergulhassem (e bem fundo) na história. Como sinto falta da novela e das discussões entre os fãs de Ana e Manu! hahaha

Pra falar a verdade, A Vida da Gente e Lado A Lado foram as únicas novelas que eu acompanhei (ou estou acompanhando, no caso de Lado A Lado) todos os capítulos.

Com certeza duas novelas que me marcaram muito e merecem todos os elogios que recebem.

paulo disse...

Qto a essas novelas não vou nem opinar pois realmente não assisto e não posso opinar mas gostaria apenas de lhe esclarecer, sérgio, que novela não é apenas uma história bonita, figurinos caprichados e elenco esforçado. Novela é TRAMA, é uma sucessão de acontecimentos e núcleos que se entrelaçam. Por isso as novelas atualmente não tem audiencia, são um amontoado de situações e personagens avulsos e nada interessantes. Até a sua queridinha Avenida Brasil era assim, mas essa com muito marketing conseguiu certo ibope. Voce acompanha Que Rei Sou Eu no canal viva? As novelas do Cassiano Gabus Mendes eram sensacionais, e essa então foi um marco, história envolvente com critica social, humor e drama na medida certa, elenco afiadíssimo, e todos os personagens, eu disse TODOS, tem ligação com a trama principal. Não vou nem falar da trilha sonora(internacional principalmente) que nos anos 80 arrasavam, e dessa então... kkkk, estou perdendo tempo, voce´só gosta das coisas atuais né, sergio?

Sérgio Santos disse...

Oi Felipe. A Vida da Gente também me arrebatou. Ainda sinto falta daquela novela e a veracidade com que os temas eram apresentados emocionavam qualquer um.

Sem dúvida são tramas totalmente distintas, mas no texto digo que no aspecto geral elas se assemelham muito mais do que se diferenciam. Lado a Lado e A Vida da Gente mereciam ser sucessos absurdos de audiência. Abraços.

Sérgio Santos disse...

Claro que não, Paulo, mas essas duas têm sim uma trama excelente. As histórias são impecáveis e muito bem amarradas. As trilhas de ambas também são (eram) lindas e de uma qualidade ímpar.
Não vejo Que Rei Sou Eu, mas sei que fez um imenso sucesso. Vi somente alguns capítulos no Viva e concordo com tudo o que você disse sobre a novela. Porém, acho que se fizessem um remake da trama e a atriz escalada para viver a rainha tivesse os mesmos exageros da grande Tereza Raquel, seria muito criticada por isso.

E, não, eu não só gosto de coisas atuais. Se você ouvisse a trilha de Lado a Lado ia queimar a língua porque várias músicas são antigas e outras são lindas. A única exceção é o péssimo Marcelo D2, que até agora não entendi o motivo de sua presença ali. Abraço.

Marcos Pereira disse...

Ola Sérgio!
Realmente lado a lado é uma boa novela de época, ví umas cenas que me interessaram...a outra novela eu achava a melhor de toda a série..
será que as novelas de época entediaram o público? Sabe como é, sempre a mesma época, escravos, baronesas, senhores de terra, abolição...etc..
abraço!

Mônica Monte de Souza disse...

Oi Sergio, uma coisa que sempre converso com meus amigos é que falta um núcleo forte de humor nessas duas novelas. A vida da gente era belíssima, acho que não perdi um capítulo, mas era muito dramática. Já Lado a Lado, apesar do núcleo do teatro, não chega a ser um núcleo de humor e o começo dela foi em tons bem escuros, depois que foi clareando. São duas obras excelentes, mas que na minha opinião foram lançadas em épocas equivocadas. Se A vida da gente tivesse sido trocada por Amor eterno amor, talvez a situação fosse outra porque tramas espíritas têm seu público e o mesmo deveria ter acontecido agora: Flor do Caribe ter sido lançada antes de Lado a Lado.

Thallys Bruno Almeida disse...

Bem, Sérgio, sobre A Vida da Gente, não nego que foi uma novela linda, emocionante, que mesmo com pouco ibope mobilizou grandes torcidas em favor das protagonistas (torci pela Ana por causa de algumas atitudes da Manu que me decepcionaram, embora não fosse fanático-xiita), trouxe uma linda trilha sonora e atuações fantásticas das protagonistas, da Ana Beatriz Nogueira e da Nicette Bruno (inaceitável ver essas duas maravilhosas atrizes fazendo figuração de luxo atualmente). Mas não achei tão impecável por causa do que eu considero uma enrolaçãozinha básica na fase entre o coma e os primeiros conflitos - só depois que eles começaram que a trama me conquistou de verdade; e aquele final totalmente sem lógica nenhuma, um verdadeiro balde de água fria. Teve lá seus defeitos, mas ainda assim foi uma estreia com um pé direito da Lícia Manzo e que não merecia tão pouco.

Sobre Lado a Lado, pra mim se destacam amizade da Laura e da Isabel, o triângulo Laura-Edgar-Catarina, as vilanias da Constância, o contexto histórico (Zé Maria pode até ser chato, mas esteve envolvido em boa parte desse contexto e isso eu considero importante) e também o núcleo do teatro, cada vez mais divertido. Mas confesso que lamento um pouco mais a rejeição a LaL, à qual considero apresentar mais qualidades. Se bem que nos últimos tempos nem tenho visto todo dia.

E não consigo entender como é que Amor Eterno Amor, trama infinitamente inferior a essas duas ótimas, conseguiu mais ibope que elas. Nos tempos atuais, é meio difícil atingir de novo as marcas que Cordel Encantado atingiu (e com muito mérito). Pena, porque Lícia, Cláudia e João Ximenes mereciam mais.

Só espero que Walter Negrão consiga fazer de sua Flor do Caribe mais interessante que Araguaia (apesar da escolha errada dos protagonistas) e consiga ter mais sorte. Abç!

Rita disse...

Serginho bom dia...Bom sou suspeita
a falar pq amo muito novelas de época
tem bom texto, não tem muita bagunça, é suave nas cenas, a até as crianças pode assistir normalmente, gostei de todas e essa é muito boa, ainda mais
com a Marjorie e a Patricia atrizes que adoro, enfim gosto de todos
Um abraço com carinho
Bjuss
Rita!!!!

Valquiria Novaes disse...

Nossa, é uma pena msm, lado a lado é mt boa, as tramas são bem entrelaçadas, as personagens são cativantes! Até a Constância cativa kkkkkkk
Bjos!
http://amonailart.blogspot.com.br/

Vanessa Barbosa. disse...

Nossa, não consigo entender como novelas tão boas assim não vingam.
A vida da gente foi ótima, acompanhei todinha e estou no mesmo caminho com Lado a Lado, que é excelente.
A atual novela das seis é muito melhor do que Salve Jorge e até Guerra dos Sexos... pra falar a verdade é a única que assisto rsrs.
Eu nunca dei muita coisa pela Marjorie, até assistir A vida da Gente, agora tenho certeza de todo talento dela.
Beijos, abraços e um ótimo final de semana.

Jac Bagis disse...

Lado a Lado não me cativou... assisti alguns capítulos, mas nada me levou a assistir diariamente como A vida da gente, inclusive adorei a trama e os caminhos que foram tomados no decorrer da novela.

seguindo o blog, segue o meu?

jacbagis.wordpress.com

Rafael Barbosa dos Santos disse...

Audiência é um troço complicado de entender rs! Eu amava "A vida da gente", primeira novela das seis que acompanhei do inicio ao fim. fiquei fã da Fernanda e Marjorie e sempre que lembro da novela a primeira cena que me vem a cabeça é o embate entre Ana e manu em que as duas falam as verdades que estavam engasgada uma na cara da outra, verdadeiro show e as duas foram barbaras! Avida da gente foi impecável, nos fazia refletir, mexia com os sentimentos e moções de qualquer um, e o elenco no geral passava toda a emoção do texto brilhante da Lícia, a trama tinha o ritmo que o enredo e o estilo da obra pedia, gostei de tudo, até do final que muitos reclamaram, para mim a coerência se fez presente no fim, e foi um dos melhores finais que já vi. definitivamente merecia uma audiência maior, acredito eu que o que afugentou o público, é que muitos não estão acostumados com essa linguagem mas rebuscada, texto refinado e etc, no geral a maioria gosta mesmo é de tramas populares que sempre agradam de cara, além disso muitos reclamavam dizendo que havia muita choradeira, vale de lágrimas, que a trama era angustiante, minha mãe mesmo dizia "Ai essa novela é muito triste" rs, este pode ser um dos fatores que afastaram a audiência. Bom já sobre lado a lado não posso falar muito porque não tenho acompanhado, é uma trama muito bem produzida, bem feitinha, elenco de primeira, e a trama central é forte, já as tramas paralelas eu acho fracas, e também a trama me parece monótona demais. É bonita de se ver, daquelas novelas que enchem os olhos, mas isso não é o suficiente, de vez em quando paro para ver, mas não me sinto estimulado a acompanhar ali diariamente, no meu caso é uma questão de gosto mesmo, não curto muito novelas de época, quanto a maioria acredito que este componente histórico também afaste boa parte do publico. E A vida da gente coo você bem lembrou, teve bastante repercussão, o que não acontece com lado a lado que passa despercebida. Ainda assim acho que lado a lado não merece esses índices tão baixos.

Abraços

Elvira Akchourin do Nascimento disse...

Sérgio, gostei dessa comparação entre as duas novelas, que me agradam muito. Eu as considero "biscoitos finos", um verdadeiro oásis em meio à programação televisiva. Realmente, é uma pena que a audiência deixe a desejar.
Além de Marjorie Estiano (soberba, nas duas novelas), Rafael Cardoso participa de ambas, mas em "Lado a Lado" por ora não atingiu o mesmo bom nível da anterior. Maria Eduarda esteve em ambas, embora sua participação na atual tenha sido mínima.
Só espero que a ótima "Lado a Lado" não seja encurtada, por conta da audiência.

MARILENE disse...

As novelas de época me atraem. Eu as considero ricas, independente dos temas. Os estilos de vida, os preconceitos, as lutas, as personalidades fortes e impulsionadoras de mudanças, despertam grande interesse. Lado a Lado é uma ótima novela. E a vejo com prazer. Bjs.

Mary disse...

obrigada pela visita e pelo comentário amigo.. adorei teu blog também, teus comentários e análises das novelas/personagens são muito bons..

infelizmente estou no time que não assiste às duas novelas que você mencionou, e não por não gostar das tramas, mas pelo horário mesmo, agora com o horário de verão às 18 horas qdo estou em casa estou sempre me "mexendo", raras vezes pronta para ver televisão.. já li ótimos comentários sobre lado a lado, e sempre que posso acompanho pelo menos os resumos, mas a novela infelizmente está complicado.. uma pena novelas tão boas terem tão pouca audiência e serem exibidas em horários tão "ingratos"..

voltarei mais vezes.. gostei bastante do teu blog..

beijos mil e ótimo findi..

Kellen Bittencourt disse...

Olá amigo, eu gosto muito da novela, mas acho que depois de índices tão baixos com uma novela de época elas devem sumir das telinhas um tempo, penso que as pessoas estão se desinteressando por coisas antigas cada vez mais! Abraçosss
Há, nunca tinha me atinado para estas questões de lançar uma novela no verão, realmente agora com vc falando penso que o desafio é ainda maior!

Anônimo disse...

O que chama atenção também é que em outros estados a novela recebe boa audiência, bate a meta ou até vai além e muitas vezes recebe mais que as outras duas da emissora... Se tem algo certo que o autor falou naquela entrevista da Uol foi sobre a audiência...
Na verdade é um conjunto de fatores, mas, apesar dos pequenos erros, agradeço por ter essa boa novela (fazia tempo que não acompanhava uma sem largar de lado tempos depois), mas principalmente por um dos casais principais que, não nego, já comentei em vários sites que por mais que seja uma novela boa, com fatos históricos e de época (que adoro), eles são o motivo maior para eu acompanhar a novela!
Adorei as duas novelas. Pena que novelas que não possuem metade da qualidades das duas recebam mais audiência que elas e uma época de exibição melhor. Mas tudo dito nesse texto realmente ajudou para a audiência. Porém, a novela ainda recebe (ou recebia até pouco tempo) mais acessos nos vídeos da Globo.com do que as outras duas no ar e tem um público que não larga, já que sempre está na casa dos 19, subindo em certos dias ou quando a emissora investe mais nas chamadas e etc...
Sempre assisto e quando não posso acompanho na internet.
Acho que quem não pode, mas gostaria de assistir deveria fazer o mesmo.
Acho também que a Globo deveria investir mais em chamadas, porque já percebi que sobe com elas, ainda mais com os personagens certos e em dias importantes. Mas não, eles perdem tempo focando muito mais nas chamadas da reprise da tarde, ultimamente.
E pensar também que Amor Eterno Amor era péssima e foi ameaçada de ser encurtada no meio da novela, quando ainda não acontecia nada, e mesmo quando aconteceu foi péssima mas levantou a audiência e foi considerada sucesso no fim...
Lado a Lado possui muitas coisas boas que as que estão no ar não tem (e também não recebem boa audiência) e as últimas também não tiveram.
Espero que eles aproveitem o que teve de bom nessa.
Os autores (mais quem escreveu Laura e Edgar pois mostrou saber construir uma linda história de protagonistas e que cativa vários) e Marjorie e Thiago como casal protagonista. Eles estão sendo bem aproveitados juntos e têm a química que muitos não conseguiram nas últimas novelas. Poderiam repetir essa parceria depois de um tempo em horário nobre, já que vivem repetindo casais que não dão certo, poderiam repetir os que dão... Entre outras coisas.
E que lembrem de divulgar melhor novelas que prometem e que acabam pegando tudo isso que foi citado aqui.
Além, claro, de colocarem mais ação no começo e durante toda ela (agora isso melhorou muito). Já é de época, precisa de um certo tempo para tudo (até em novelas atuais mesmo), mas ficar enrolando não dá. Ainda mais agora que encurtaram as novelas.
Queremos aproveitar mais o que tem de bom nelas.
Só espero que os autores diminuam o quanto antes o foco em personagens chatos e dispensáveis, incluindo o núcleo do teatro.
Com bons protagonistas e outros bons personagens, eles ficam focando em outros e não neles. Sem falar no espaço igual para os dois casais principais e não só um (como vinham fazendo nos últimos capítulos com foco só em Isabel e Zé Maria). Podem muito bem conciliar a presença dos quatro. Às vezes eles acabam perdendo capítulos e mais capítulos sem os protagonistas aparecendo mais e ainda mais os melhores deles.
Mas parece que foi só até agora (espero), no começo da segunda fase, que poderia ter sido mais aproveitada, mas pelos resumos parece que vai melhorar, ainda mais com a presença dos melhores! Tirando o foco no núcleo chato do teatro que parece que só aumenta...

Beijos! Lih

Anônimo disse...

Ah, e não comentei que as duas trouxeram ótimas coisas pra mim: tirando várias coisas que adorei nas novelas, o bom também foi que em AVdG parei para prestar atenção mesmo na Marjorie (ainda mais por me identificar com Manu), lembrei de todas as personagens dela e do quanto ela sempre foi bem e só melhorou com o tempo e com LaL se tornou uma das minhas favoritas daqui do Brasil.
Laura é minha preferida das personagens dela.
Marjorie consegue fazer com que muitos se identifiquem com suas personagens (quando são como Manu e Laura), consegue nos envolver com elas, adorar, admirar, emocionar e acreditar nelas. Além da atriz conseguir, principalmente, diferenciar tanto uma personagem da outra, que poderiam confundir por serem tão parecidas em pequenas coisas.

Lih

Vera Alvarenga disse...

Olá Sérgio, quero lhe contar uma coisa...Quase não assisto mais TV e não posso comentar estas novelas pelo mesmo motivo. Contudo, passando por aqui, foi interessante ler os comentários sem considerar, por não conhecer, do que estavam exatamente falando, pois acabei divagando com os títulos...
Não sei se me explico bem..Vou então exemplificar- Ex. de comentários: -"Eu amava a vida da gente!...não nego que foi linda, emocionante..a Vida da gente me arrebatou!..mas era muito dramática!" ..rs..Para quem não assiste as novelas, foi interessante divagar nos significados..rs..
Bem, posso dizer uma coisa concordando com um dos comentários: -" Pena que lado a Lado não tenha tido audiência! Poderia dar uma bela história e ainda talvez emocionar pela trama.." E mais, acho que a vida da gente pode ser realmente emocionante, mas (viver de fato) Lado a Lado, numa versão atual e menos melodramática, requer mais amadurecimento dos que nisto se envolverem. E pode sim, ser um sucesso, mas requer também disponibilidade e comprometimento..rs..Concorda? E, agora uma dúvida:
- Será que tudo aconteceu porque um dos protagonistas só gosta mesmo do que é atual? ..rs....
Abraço e bom final de semana!
Vera Alvarenga.

Vera Alvarenga disse...

Ah! me perdoe as brincadeiras. É que a vida da gente poderia muito bem dar uma novela ( se pudesse assistir alguns capítulos..hehehe..)compreenderia como tantos querem passar para a mais atual e viver lado a lado. Não entendo como não dá ibope!
Vai ver que, no fundo, fora aquela gente que só quer futilidades e desinformação, ainda gostemos de uma boa história que nos arrebate e emocione...mas com certeza, o sofrimento, que fique lá pelas novelas..rs..

Luciana Santa Rita disse...

Oi Sergio,

Tudo bem? obrigada pela visita no Navegando no Cotidiano.

Não gosto muito de novelas, mas quando passo por elas entre as mudanças de canais, fico um tempo e percebo semelhanças e nada de originalidade. Um pena para os talentos que temos.

Abraços,

Lu

Sérgio Santos disse...

Oi Marcos. Pois é, a pergunta fica no ar. Há tempos a Globo não produzia uma novela de época. Uma pena que por causa do fraco desempenho dessa é provável que não volte a produzir tão cedo. Abraços.

Sérgio Santos disse...

Oi Mônica, com certeza a época em que as duas foram lançados foi um grande prejudicial mesmo. Sobre o núcleo cômico, você tem certa razão, mas não acho que seja regra toda novela ter um . Aliás, sou contra esse estigma de obrigatoriedade de núcleos. Gosto de ver tramas que não se apegam a isso. E em Lado a Lado há o núcleo do teatro, que apesar de muita gente detestar, eu adoro. Beijão.

Sérgio Santos disse...

Thallys, obrigado pelo comentário. Olha, concordo com quase tudo, tirando essa enrolaçãozinha de A Vida da Gente citada por você e também sobre isso de o final ter sido 'sem lógica nenhuma'. Acho normal que quem torcia por Ana e Rodrigo tenha se frustrado, mas daí a dizer que não houve lógica não vejo sentido. A própria autora disse que não mexeu na sinopse, ou seja, não mexeu no fim e o sentimento que Manu e Rodrigo sentiam um pelo outro nunca adormeceu. Portanto, haveria lógica tanto se ele ficasse com Ana quanto se ele ficasse com Manu. Mas enfim...

Eu vejo Lado a Lado todos os dias e quando não dá gravo para ver depois. É uma novela primorosa e também lamento essa rejeição. Não vejo mais chances do ibope alavancar, o que é uma pena, mas não diminuirá o mérito dos autores. Abraços.

Sérgio Santos disse...

Oi Rita, também gosto muito de novelas de época. Sempre gostei. Beijos.

Sérgio Santos disse...

Oi Val. É mesmo. Aliás, como não amar Constância? rs Beijos.

Sérgio Santos disse...

Oi Vanessa, então somos dois. Também fui fã de A Vida da Gente e não perco Lado a Lado. Já da Marjorie eu sempre gostei, desde que ela surgiu em Malhação. Beijão.

Sérgio Santos disse...

Oi Jac, obrigado pelo comentário. Estou com um problema para seguir blogs, mas quando resolver sigo sim. Beijos.

Sérgio Santos disse...

Oi Rafael. Também adorei AVDG e essa cena citada por você foi a melhor da novela. Que show elas deram! Também adorei o final e vi toda coerência nele, assim como também considero um dos melhores finais que eu vi. Leve, sem correria e com uma imagem final emocionante.

Lado a Lado é primorosa, mas respeito você não gostar de novelas de época. Tenho um amigo que se recusa a assistir um só capítulo de qualquer obra que seja de época. rs Abraços!

Sérgio Santos disse...

Oi Elvira. Pois é, queria fazer essa comparação há tempos, mas ia adiando porque surgiam outros assuntos. Agora foi. A sua descrição sobre as novelas é ótima: biscoitos finos mesmo. Marjorie está tão bem quanto em AVDG, mas não tenho do que reclamar do Rafael Cardoso. Tenho gostado muito dele também.

Olha, eu espero que a Globo não encurte uma produção tão impecável quanto essa. Seria decepcionante demais. Beijos.

Sérgio Santos disse...

Oi Marilene. Também a vejo com prazer e gosto muito de tramas de época. Com um bom elenco, então, melhor ainda. Beijos.

Sérgio Santos disse...

Oi Mary. Eu que agradeço a gentileza. Que bom que gostou. Sim, o horário da novela é ingrato mesmo, ainda mais em pleno horário de verão. Beijos.

Sérgio Santos disse...

Oi Kellen. Infelizmente também acho que a Globo não produzirá novelas de época tão cedo após Lado a Lado. Acho lamentável. Beijos.

Sérgio Santos disse...

Oi Lih. Seu comentário é excelente. Concordo com absolutamente tudo. Minha única discordância é sobre o núcleo do teatro, porque eu gosto muito. Acho agradável e agora com a inclusão da Isabel ficou ainda melhor. Mas tenho consciência que o núcleo é rejeitado pela maioria dos que assistem.

O casal protagonista é um dos muitos acertos da novela e a química dos atores é incrível. Pena que o Thiago não pôde participar de AVDG, cedendo lugar ao péssimo Eriberto Leão.

Marjorie é uma atriz versátil e talentosa. Sempre se saiu bem em todos os papéis e tenho a Manu como minha preferida. Aliás, se Laura fosse a Manu teria enfrentado a Eva logo no primeiro capítulo. já se Laura fosse Manu teria abaixado a caerça para os desmandos de Constância. Beijão.

Sérgio Santos disse...

*cabeça

Sérgio Santos disse...

Oi Vera! Não tem razão alguma para se desculpar, adorei seu comentário. Você fez ótimas comparações, até lúdicas, sobre os títulos das novelas com as relações humanas. Achei genial mesmo. "A vida da gente tem que ser sempre boa e lado a lado é ainda melhor". Beijos e obrigado pelo comentário.

Sérgio Santos disse...

Oi Luciana, não tem problema algum. Beijos e obrigado pela visita.

Thallys Bruno Almeida disse...

Sérgio, numa resposta acima, acho que vc quis dizer "se Manu fosse Laura, abaixaria a cabeça pra Constância", é isso? Abç!

Vanessa disse...

Sérgio, meu querido, eu já estava pronta para ir dormir, mas vou adiar meu sono por alguns minutos para comentar minha paixão eterna: "AVDG". :)) Aliás, lembro de vc ter falado que estava para escrever sobre essas comparações. Confesso que estava ansiosa desde então. Diante disso, posso me empolgar e escrever demais. Vc aguenta? rs.

Não sei se já comentei com vc antes, mas fazia muito tempo que eu não acompanhava novela. Via um cap aqui, outro ali, mas nada me prendia. Isso até "AVDG"! rs. Foi a partir dela que conheci seu blog e outros mais dedicados a novelas. E tb foi por causa dela que virei super fã da Lícia Manzo e Marjorie Estiano. ;)

Concordo com tudo o que vc enumerou sobre as semelhanças entre “AVDG” e “LAL”: texto primoroso, poucos núcleos, elenco de primeira (o de "LAL" é mais estrelado), trilha sonora gostosa, autores novatos, bela fotografia, enredo atrativo, audiência baixa, horário de verão, além da Marjorie, Rafael Cardoso, Maria Eduarda e Paulo Betti nas mesmas tramas. Acrescento ainda o mote maior: a relação de duas mulheres (Isabel/Laura e Manu/Ana).

Enquanto "AVDG" nos tocava no íntimo, "LAL" nos ensina. E é desde um tema que estudamos na escola, como a Revolta da Vacina, até a existência do divórcio na época. De fato, os autores foram muito felizes ao escolherem um recorte de uma época tão pouco explorada e tão rica ao mesmo tempo.

Mas, a mim, pelo menos, "AVDG" pegou mais de jeito. Talvez pelo estilo poético da Lícia. Talvez por trazer uma história sem vilões, com duas mocinhas que eram irmãs, amigas e 'rivais'. Talvez pelo triângulo completamente intrigante. Talvez por abrir mão de clichês. O que foi o cap final? Não vimos casamento, declaração de amor eterno, ninguém se regenerou, ninguém engravidou... Talvez por misturar filosofia. Talvez por conceder reflexões diárias por meio da Iná e Lourenço. Talvez por mexer com o nosso íntimo, nos colocar em situações tão reais.

Já "LAL" é um novelão mais clássico, que usa de expedientes manjados, como um sonífero no suco do mocinho. E como tem uma herança 'gilbertiana', não duvido que tenhamos um 'quem matou' até o final.

...

Vanessa disse...

...

Como já disse, a minha maior crítica é em relação ao núcleo do teatro, do qual não consigo simpatizar. E não entendo como tem tanto espaço. Muitas vezes, aparecem mais do que os protagonistas! Também não aprecio o casal Isabel/Zé Maria, apesar de gostar dos personagens individualmente. Me incomoda também a atuação da ala jovem da novela. Rafael Cardoso, Klebber Toledo, Daniel Dalcin, Juliane Araújo e Rhaisa Batista são ou estão muito fracos, destoam de todo o elenco. De resto, adoro tudo, mas tudo mesmo! Que novelão! Com certeza, já está no meu top10! E olha que eu NUNCA gostei de novela de época. Só dei uma chance a "LAL" por causa da Marjorie. rs. Mas fui seduzida pela qualidade da trama!

Sobre a repercussão, acho difícil uma novela de época como "LAL" ganhar a boca do povo. Ainda mais o pessoal do Twitter, composto por uma maioria jovem. Convenhamos que se trata de uma trama de história mais pesada, pouco popular. Mas vejo nas redes sociais, blogs, fóruns e sites que a novela sempre é bastante elogiada. E ela tem um bom público fora da TV, a ponto de ter os vídeos sempre na lista dos mais vistos, as notas costumam render muitos cliques na globo.com e derivados.

Em relação à audiência, Sérgio, é difícil entender por que ambas não tiveram números condizentes com a qualidade. Claro que o horário de verão afeta, bem como o político. Alguns apontaram a falta de um núcleo cômico mais forte, como contrapeso ao drama. A mim, confesso, não me incomoda. Na minha opinião, e pode ser um devaneio, "AVDG" e "LAL" eram/são densas demais. Acredito que o público do horário prefira tramas mais leves, que exijam pouca reflexão. Além disso, penso que "LAL" funcionaria melhor a partir de março. Agora, em pleno verão, seria melhor acompanhar as praias de Natal em "Flor do Caribe". De qquer forma, nada diminui a qualidade delas. São aquelas novelas que vão ser lembradas sempre com muito carinho por quem aprecia uma produção de qualidade.

Desculpe pela empolgação. Escrevi demais, eu sei, mas não consigo ser sucinta quando resgato “AVDG”. Pior ainda quando vc instiga que façamos paralelos entre ela e “LAL”. RS.

Vou nessa, querido. Beijão!

Roberta Ribeiro disse...

A vida da gente eu amei muito.
Chorei me emocionei assuntos fortes de familias sempre me tocam.
A vida da Gente é um luxo em tudo.
Horario de verao natal e carnaval prejudicam sempre, no?

Bia Hain disse...

Sérgio, como eu já disse aqui gosto demais dessa novela que mesmo tendo uma trama clássica tem viradas surpreendentes, sem falar do maravilhoso elenco...será mesmo culpa da "síndrome do horário de verão"? Um abraço!

Milene Lima disse...

A Vida da Gente foi mesmo linda e comovente. O que aconteceu com aquelas irmãs causava vontade de colocar as duas no colo dizer "peraí, que tudo vai passar". Lado a Lado é minha novela preferida das últimas, inclusive entre aquela preferência nacional, que eu nem falo mais o nome, porque já foi falado por demais. Gilberto Braga está colaborando numa novela que tem um enredo mais bacaninha do que as suas próprias. As criaturas superando o criador?
Acho o Zé Maria bacana, mas com a Isabel é chato demais. Ainda queria ela com o Albertinho, mas ele não ajuda. O Zé devia ser mais aproveitado na questão das lutas pelos direitos. As cenas do navio foram boas demais. Edgar e Laura, quero chorar sempre que aparece os dois juntos.
Me estendi nas besteirices. Beijo, Sérgio!

Anônimo disse...

lADO A lADO É SENSACIONAL!
aCHO QUE A NOVELA PRECISA MAIS DE MOVIMENTO... HÁ NECESSIDADE DE TRAMAS SEREM REVELADAS, ENQUANTO OUTRAS NOVAS TRAMAS SÃO CRIADAS.
QUEM ASSISTE QUER ADRENALINA, E A NOVELA PERMANECE MO MESMO PONTO DESDE QUE INICIOU.
VAMOS COMEÇAR A REVELAR CERTOS PONTOS, QUE PRECISAM PELOS MENOS SEREM APIMENTADOS.
TODO AUTOR CRIA UMA TRAMA E SÓ REVELA NO ÚLTIMO CAPÍTULO.
NESTE CASO, VAMOS ASSISTIR O PRIMEIRO E O ÚLTIMO CAPÍTULO DE CADA NOVELA, O RESTO É ENCHEÇÃO DE LINGUIÇA.
POIS INCLUSIVE A MAIORIA DAS NOVELAS TERMINAM UMA DROGA.
VAMOS SER CRIATIVOS, REVELANDO PARTE DA TRAMA E CRIANDO UMA NOVA EM CIMA DA QUE JÁ EXISTIA.

Flavia disse...

Olá, Sérgio!

Acompanhei pouco a AVDG, mas mais porque era ambientada por Porto Alegre, minha cidade.

Mas LAL me arrebatou!!! Acho que a proposta de contar a história de nosso país na virada do século XX fantástica!!! Super fiel à realidade, como tem dado aulas de nossa História. Acho bacana os cruzamentos como a literatura, e a obra do MAchado de Assis permite desvelar este Brasil de 1900. Inclusive há uma dissertação de mestrado que fala sobre este RJ do início do século (seus costumes, suas ruas, sua população) nas obras de Machado que penso sempre quando vejo a novela.
Concordo que toda a novela é primorosa, do figurino a trilha sonora.
Mas acho que a edição picada e a demora em os fatos acontecerem cansa o telespectador. O que na minha humilde opinião é contaditória, visto que na contemporaneidade é tudo tão fast. A edição corta cenas, e nos deixa com a sensação de que falta algo pra dar sequencia, de que nos falta alguns elementos. E a história custa a se desenvolver. Por exemplo, em nenhum momento houve desconfiança do caráter de Catarina, personagem de Alessandra Negrini, a não ser pela própria Laura, pois sofre as suas maldades e na última semana de Quequé, mas por outra questão. E ela já está há 1 mês e meio no ar, e na trama se passaram 6 anos. Há na sinopse uma reviravolta causada por Assunção, mas ele é tão apático que mal aparece em cena. E por isto tenho ressalvas aos autores, acho-os morosos.
Acho o casal Laura e Edgar,perfeitos! O público é apaixonado pelos dois. E a Marjorie Estiano tem sido Diva nas suas cenas.
Infelizmente a IBOPE retrata uma realidade de São Paulo. Gostaria de ter informações sobre em outras cidades e capitais.

Um grande abraço,

Patrícia Brasil

EDER RIBEIRO disse...

Sérgio, talvez falta um pouco de leveza na trama. abçs.

Barbie Californiana disse...

Sérgio, eu sou uma das que está perdendo... (risos) Gosto de novelas de época, mas, infelizmente, não consegui acompanhá-la. Bem, ao menos consegui saber um pouquinho da trama por suas excelentes postagens. beijos e tenha um bom começo de semana.

Sérgio Santos disse...

Sim, Thallys, me confundi.

Sérgio Santos disse...

Oi Vanessa! Claro que eu aguento! Sempre gosto quando você se empolga! rs

AVDG também me arrebatou e achei o final lindo, fugindo dos clichês dos casamentos, embora eu não tenha nada contra os mesmos. E nem imaginava que você tinha guardado na memória quando eu disse que faria a comparação. Acabei demorando mais do que o previsto.

Concordo com praticamente tudo o que você colocou. Mas gosto do Rafael Cardoso e também das atrizes que interpretam Esther e Alice. O núcleo do teatro sempre me agradou. Já o Zé Maria eu detesto e também não gosto do casal formado com a Camila.

Enfim, creio que as novelas ficarão sempre na memória de quem gosta de uma produção de qualidade e os atores têm muitos motivos para se orgulhar de ter participado de produções tão boas. Beijão e obrigado pelo carinho!

Sérgio Santos disse...

Oi Roberta. Quem não se emocionava com A Vida da Gente? A novela era linda. Lado a Lado também é ótima.

Sim, costumam atrapalhar muito. E ainda virão as festas de fim de ano, problema também enfrentado por A Vida da Gente. Beijos.

Sérgio Santos disse...

Oi Bia, obrigado. Olha, acho que é apenas um dos fatores, mas não o único. Beijos.

Sérgio Santos disse...

Não se estendeu nada, Milene. Também gostava muito daquelas irmãs e da novela toda. As histórias eram comoventes.

Laura e Edgar formam um lindo casal mesmo e Lado a Lado é ótima. Sim, também acho a trama muito melhor que Insensato Coração, último trabalho de Gilberto Braga. Mas só desse, dos demais ainda o acho superior.

Acho Zé Maria um mala!!! rs Beijão.

Sérgio Santos disse...

Anônimo, obrigado pelo comentário. Mas não acho que Lado a Lado seja lenta. Respeito seu ponto de vista, claro. Abraços.

Sérgio Santos disse...

Oi Patrícia, obrigado pelo comentário. Sim, nos demais estados a audiência é maior do que a obtida em SP e gostaria que fosse considerada uma média geral de todos os estados e não só de Sp, mas é o mercado que interessa para a publicidade.

Olha, não acho a novela lenta, só não a considero rápida demais até porque as tramas de época não costumam ser tão ágeis, como Avenida Brasil ,por exemplo. Mas entendi o que você quis dizer, principalmente sobre Catarina. Também acho que mais gente precisa descobrir logo seu verdadeiro caráter.

Mas que dá gosto de ver essa novela, dá. rs Beijos!!!!

Sérgio Santos disse...

Oi Eder. Nem acho a trama muito pesada, não. Abraços.

Sérgio Santos disse...

Oi Barbie! Que pena! :( Mas obrigado pelo carinho e boa semana! Bj

Fabio Dias disse...

Sérgio
A vida da gente teve uma audiência um pouco abaixo da meta, mas é aceitável pelo período que ela passou.

Agora Lado a Lado é elogiada, mas não é unanimidade, conheço muita gente que não gosta da novela.

Abraço

Sérgio Santos disse...

Oi Fabio, obrigado pelo comentário. Sem dúvida tem gente que não gosta de Lado a Lado, mas os elogios são muitos maiores. Abraços!

Jéssy disse...

Olá, Sérgio adorei seu poste sobre as duas novelas, lindas novelas, verdadeiras obras. Cada uma no seu estilo com a sua historia, mais com atores fantásticos e uma produção rica em detalhes. Esses autores novos vem surpreendendo demais, e vêem mostrando textos muito mais primorosos que os autores consagrados.
Falar de A Vida da Gente é muito difícil, uma novela com uma historia pesada talvez uma das novelas mais fortes que já foi feita, mais real, com temas atuais, mostrando que na vida não existe mocinhos e bandidos, todos cometem erros e isso não os faz vilões, e que nem sempre as pessoas mudam e se regeneram. Não acredito que tenha faltado nada nessa novela para que ela tenha um bom ibope. O problema é que nem sempre o publico ta preparado pra acompanhar historias não tão 'populares'.
Quanto a Lado a Lado, é uma novela que adoro é um pouco mais leve que A Vida da Gente, tem seu lado cómico tem uma trama e grandes atores, é linda e gostosa de assistir e o casal que eu judo ser o principal caiu nas graças do povo, Laura e Edgar é o típico casal romântico que são separados por uma vilã, cliche mais que não fez perder o encanto que os atores conquistaram e a incrível química que tem em cena, impulsivel não se encantar e torcer por eles. Mais ainda acho que falta uma historia que prenda o publico, não tem algo que prenda a gente na TV, que nos faça não querer perder um cap. Adoro a novela e a acompanho, principalmente por ser fã da Marjorie, mais confesso que se não fosse talvez veria com menos frequência, é a melhor novela atualmente no ar, mais ainda falta uma historia mais forte. Além disso é fato que o horário de verão não ajudo nenhuma das duas novelas.

A viajante disse...

Infelizmente o horário me impede de acompanhar a trama. Concordo contigo: as duas novelas citadas são brilhantes, não somente pelo elenco, mas pelas histórias retratadas. Uma pena, mesmo!!! Beijo, querido!

Sérgio Santos disse...

Oi Jéssy! Obrigado pelo comentário. Também não vejo a menor justificativa para A Vida da Gente ter tido um baixo ibope, assim como Lado a Lado merecia números bem maiores. A atual novelas das seis tem muitos clichês, mas como bem disse o Xexeo na coluna dele de hoje, é uma novela que não tem vergonha de ser novela. Beijos.

Sérgio Santos disse...

Oi Ju. Uma pena mesmo, mas pra você fica impossível. Beijos.