domingo, 30 de dezembro de 2012

Retrospectiva 2012: os destaques do ano

Após selecionar o que tivemos de pior na televisão, nada mais justo do que apresentar o que esse meio de comunicação teve de melhor em 2012. E, ainda bem, o telespectador foi presenteado com excelentes produções ao longo do ano que está terminando. O Brasil congelou e aplaudiu várias séries e novelas que fizeram sucesso merecidamente. Assim como ocorreu na lista dos piores do ano, não houve votação popular e esse que vos escreve foi o responsável pela seleção. Então, vamos ao que interessa.




Avenida Brasil: As chamadas iniciais já anunciavam a estreia de uma produção que tinha tudo para dar certo. E deu. João Emanuel Carneiro escalou um grande elenco e conseguiu contar uma excelente história de vingança onde mocinha e vilã se enfrentavam usando as mesmas armas. O país parou para ver Nina, Carminha e toda a turma do Divino. Ágil, recheada de suspense e cenas tensas, a novela caiu na boca do povo e atingiu uma repercussão que há tempos não se via. A direção foi outro ponto positivo, assim como o fato de todos os atores poderem se destacar, uma vez que o elenco não era tão numeroso. A trama ainda lançou expressões que caíram na boca do povo: "Oi Oi Oi", "É tudo culpa da Rita", "Eu quero vê tu me chamar de amendoim" e "Me serve, vadia" foram alguns bordões que marcaram. A novela deixou saudades e foi o grande fenômeno de 2012.


Cheias de Charme: A novela dos estreantes Filipe Miguez e Izabel de Oliveira foi um sucesso. Colorida e alegre, a trama misturou música e dramaturgia de uma forma genial. Com um bom elenco principal, a história das Empreguetes e a rivalidade com a hilária e espalhafatosa Chayene agradou logo de cara. Não demorou muito para que os hits cantados na história estourassem também na vida real. Os autores ainda foram muito felizes ao utilizar a internet como uma aliada. Exibir o clipe das protagonistas primeiramente no site da novela, para só depois colocarem na trama, foi uma sacada de mestre. Apesar da longa barriga que
começou a aparecer na metade da história, se estendendo até o fim, Cheias de Charme foi uma grata surpresa de 2012.


Dercy de Verdade: A microssérie de Maria Adelaide Amaral foi uma grande produção exibida no início do ano. A autora contou a história de Dercy Gonçalves e o público aplaudiu de pé esse belíssimo trabalho. Heloísa Périssé e Fafy Siqueira representaram magnificamente a clássica senhora que tinha muito mais a ensinar do que meros palavrões. Pena que a vida de Dercy foi contada em apenas quatro capítulos. Merecia, pelo menos, o dobro disso.


O Brado Retumbante: De Euclydes Marinho, essa série foi sem a menor dúvida a melhor microssérie do ano de 2012. Sendo contada como uma história ficcional, ficou clara a intenção de mostrar ao grande público a podridão que ocorre na política e todos os conflitos enfrentados pelo personagem central; um homem 100% honesto que acabou virando presidente de uma forma totalmente inesperada. Domingos Montagner e grande elenco protagonizaram cenas memoráveis e a microssérie merecia uma segunda temporada.


A Vida da Gente: A trama da estreante Lícia Manzo terminou no início do ano e emocionou os telespectadores. Não houve quem não se envolvesse com os dramas de Ana e Manu. Marjorie Estiano e Fernanda Vasconcellos, assim como todo o elenco, se destacaram e protagonizaram sequências fortes e muito dramáticas. Sem dúvida, o grande Manoel Carlos já tem uma discípula. Lícia Manzo sabe retratar problemas familiares de uma forma muito verossímil e conquista o público pela sensibilidade de seu texto.


Rei Davi: A minissérie bíblica da Record foi um grande sucesso e alcançou a liderança várias vezes. Particularmente não me agradou, inclusive a interpretação teatral de vários atores, no entanto, merece estar na seleção de melhores do ano pela boa repercussão alcançada. Pena que a Record não soube a hora de parar e reprisou a produção inúmeras vezes, a utilizando como tapa-buraco da programação.



Carrossel: O SBT acertou em cheio ao produzir esse remake. A emissora acabou descobrindo, da melhor forma possível, que existia um público infantil que não tinha nada para assistir na tevê aberta à noite. Resultado, a novelinha conquistou todas as crianças e faz um sucesso imenso. Vice-líder com folga, a produção foi a principal responsável pela elevação do SBT nos índices de audiência, ameaçando a vice-liderança da Record na média geral. Em 2013, Silvio Santos continuará apostando nesse público e exibirá o remake de "Chiquititas" para substituir seu atual sucesso.


Na Moral: Após anos de muita especulação, finalmente Pedro Bial ganhou seu tão esperado programa. E o resultado foi o melhor possível. O jornalista e apresentador do BBB, agora pode mostrar seu lado mais ácido e mordaz em uma atração que sempre procura debater assuntos relevantes e polêmicos. Apesar das falhas iniciais de edição, o programa acabou acertando o tom aos poucos e terminou a primeira temporada com gostinho de quero mais. Só é de se lamentar a curta duração. Os temas abordados são sempre úteis e mereciam ser mais aprofundados. Devido ao sucesso, terá uma segunda temporada em 2013.



Como aproveitar o fim do mundo: Alexandre Machado e Fernanda Young voltaram a apresentar ao telespectador o que eles têm de melhor: a acidez no humor. A série escrita por ambos soube abordar de uma forma criativa e engraçada o tal fim dos tempos previsto pelo calendário Maia. Danton Mello e Alinne Moraes mostraram que também são bons na comédia e fizeram uma grande dupla. O último episódio ainda conseguiu emocionar o público.


Atriz revelação (1): Cacau Protásio
Ela começou como mera figurante. Mal tinha falas. Mas aos poucos foi mostrando do que era capaz e foi virando uma das personagens mais queridas de Avenida Brasil. Cacau Protásio divertiu todo mundo ao viver a invejosa e hilária Zezé, empregada e braço direito da Carminha. Seu momento mais engraçado foi quando Zezé canta "Eu quero ver tu me chamar de amendoim" e é flagrada por Tufão e Leleco. É uma atriz que veio pra ficar. (Cláudia Missura, a Janaína, também merece ser lembrada pelo ótimo trabalho apresentado)



Atriz Revelação (2): Titina Medeiros
Esse ano foi definitivamente o das empregadas. Socorro foi uma das personagens mais atrapalhadas de Cheias de Charme. A puxa-saco número um de Chayene provocou muitos risos no telespectador e sua dobradinha com Cláudia Abreu deu mais do que certo. Mesmo sendo traiçoeira, a personagem não conseguia despertar antipatia no telespectador, só carinho.


Melhor Atriz Coadjuvante (1): Vera Holtz
Foi impressionante a entrega da atriz ao viver a sofrida Mãe Lucinda. Vera deu tudo de si e foi um dos muitos destaques de Avenida Brasil. Absolutamente todas as cenas protagonizadas pela mãe do lixão eram fortes e Vera Holtz foi extraordinária. As sequências ao lado de Débora Falabella, José de Abreu e Adriana Esteves eram as mais pesadas e Vera esteve fantástica do início ao fim.



Melhor Atriz Coadjuvante (2): Isis Valverde
Ela virou a grande sensação do momento. Foi, sem dúvida, a melhor periguete de toda a história das novelas. Suellen foi vivida brilhantemente pela atriz, que protagonizou ótimas cenas ao lado de Daniel Rocha, o Roni. Sua personagem em Avenida Brasil tinha tudo para despertar antipatia, pois além de vulgar era arrogante. Porém, acabou virando a queridinha dos telespectadores. Isis Valverde soube aproveitar o potencial do papel e deu show.





Melhor Ator Coadjuvante (1): José de Abreu
Nilo era um monstro que maltratava criancinhas. Era a representação do horror no início de Avenida Brasil. Entretanto, aos poucos, o público foi percebendo que o personagem não era tão mau e que tinha sofrido muito na vida, assim como quase todos os personagens da novela. José de Abreu sempre foi um grande ator, mas se superou nesse papel. Nilo e sua risadinha clássica (hi hi hi) jamais serão esquecidos e o papel já rendeu ao ator vários prêmios. Com certeza outros troféus ainda virão.




Melhor Ator Coadjuvante (2): Juliano Cazarré
Adauto foi um outro personagem excelente de Avenida Brasil. Juliano Cazarré soube criar um tipo ingênuo e burro, sem ficar caricato ou exagerado. O jogador de futebol que ficou traumatizado pelo apelido de 'Chupetinha' se destacou tanto na novela que acabou sendo o responsável pela cena final do último capítulo. Entre tantas cenas hilárias, a melhor foi a que o coitado joga comida no vidro de um restaurante chique, dando o maior vexame. Impossível segurar o riso ao ver essa sequência.


Melhor Ator Coadjuvante (3): Marcos Caruso
Leleco foi outro tipo que caiu no gosto popular. Um sujeito malandro e que sabe ser responsável quando quer. O pai do Tufão protagonizou cenas engraçadas ao lado de Muricy (Eliane Giardini), ao mesmo tempo que emocionava quando estava com o filho. Marcos Caruso mais uma vez mostrou sua genialidade ao interpretar um personagem diferente de tudo o que ele já tinha feito. Obs: Juca de Oliveira merece uma menção honrosa pelo grande trabalho feito em Avenida Brasil. O frio Santiago não poderia ter sido vivido por outro ator.




Melhor Atriz Mirim (1): Mel Maia
Ela encantou assim que surgiu na telinha. A pequena Rita despertou o carinho do público logo no início de Avenida Brasil. Afinal, perder o pai, ser maltratada pela madrasta e abandonada em um lixão é muito sofrimento para qualquer ser humano. A menina ainda emocionou nas sequências com  o seu primeiro e único amor, o Batata, vivido pelo igualmente talentoso Bernardo Simões. Mel Maia mostrou que terá um futuro brilhante pela frente e suas cenas com Adriana Esteves impressionaram. Essa menina é incrível.



Melhor Atriz Mirim (2): Ana Karolina Lannes
Avenida Brasil foi uma novela de muitos acertos, inclusive na escalação do elenco infantil da trama. Ana convenceu na pele da sofrida Agatha e emocionava nas cenas em que sua personagem era constantemente humilhada por Carminha, sua própria mãe. A menina já fez outras novelas na Globo, mas agora viveu um papel que ficará marcado em sua carreira.




Melhor Ator (1): Murilo Benício
Tufão tinha tudo para não dar certo. Era um tipo bobo e que poderia ser facilmente rejeitado pelo público diante de tamanha ingenuidade. Porém, Murilo Benício imprimiu tanta verdade no personagem, que o rei do Divino acabou se transformando em um tipo querido da novela. O ex-jogador apresentava uma pureza bonita de se ver e ainda protagonizava cenas engraçadas ao lado daquela família de barraqueiros. Sem dúvida foi o melhor trabalho do ator.



Melhor Ator (2): Marcello Novaes
Após ficar estigmatizado pelos tipos cômicos, Marcello ganhou um presentão de João Emanuel Carneiro. Max não foi só o principal aliado de Carminha, foi também um personagem de vida triste e que nunca soube o que era ter uma família de verdade. Marcello Novaes conseguiu mostrar para todo o Brasil que também é capaz de viver um tipo dramático e convenceu na pele do vilão. A cena em que Max desmaia após ingerir uma bebida 'batizada' por Carminha foi uma das mais fortes e ricas da novela.


Melhor Atriz (1): Adriana Esteves
Claro que ela vai ganhar absolutamente todos os prêmios possíveis. Carminha foi a grande sensação de Avenida Brasil e Adriana Esteves foi esplêndida na composição da vilã. Suas cenas com Débora Falabella eram fantásticas e todas as brigas entre Nina e Carminha eram marcantes. Adriana mostrou que essa novela seria dela logo no primeiro capítulo. E realmente foi. Carmen Lúcia já entrou para a galeria de grande vilãs da teledramaturgia.



Melhor Atriz (2): Débora Falabella
Como bem disse Adriana Esteves ao receber o Prêmio Extra, não existiria Carminha sem Nina. A mocinha nada politicamente correta de Avenida Brasil foi muito bem interpretada por Débora Falabella. A protagonista enfrentava situações tensas durante quase toda a trama e a atriz soube dar o tom exato para essa personagem extremamente complexa. Se muitas vezes as mocinhas são esquecidas quando se encerra uma novela, com toda a certeza, quando o público lembrar de Avenida Brasil lembrará de Nina.


Melhor Atriz (3): Cláudia Abreu
"Amadinhos de Chay, cadê meu chêro?" Assim que disse essa frase, Chayene mostrou ao público que sua vilã seria hilária e marcante. Dito e feito. A cantora brega foi um grande destaque de Cheias de Charme e Cláudia Abreu não poderia ter voltado às novelas em melhor estilo. Após anos afastada, a atriz matou as saudades com uma personagem apaixonante. Chayene e sua cafonice ficarão na memória do público. A cantora que nunca se dava bem e que terminou sua vida fazendo show para crianças, ficará marcada como uma das vilãs mais divertidas da teledramaturgia.



Melhor Atriz (4): Marjorie Estiano
Apesar de Lado a Lado ter começado logo depois da metade do ano, pode-se dizer que Marjorie já merece entrar na lista das melhores de 2012. Laura é uma mocinha forte e que não se abala com o preconceito da sociedade. Marjorie Estiano mais uma vez comprova seu talento e já protagonizou diversas cenas marcantes. Outra atriz que merece uma menção honrosa é Patrícia Pillar, que conseguiu fazer uma vilã totalmente diferente da inesquecível Flora, de A Favorita.




Melhor Autor: João Emanuel Carneiro
Após escrever sucessos como "Da Cor do Pecado", "Cobras & Lagartos", "A Favorita" e a excelente série "A Cura", João Emanuel Carneiro escreveu o maior fenômeno de 2012: Avenida Brasil. Uma novela que apresentou um novo ritmo ao telespectador. Uma história recheada de suspense e ganchos que deixavam o público sem fôlego. Uma rivalidade que deixou todos vidrados diante da tevê para ver os embates entre Nina e Carminha. Uma trama que jamais será esquecida.




Destaques Teens: Juliana Paiva e Alice Wegmann
Fatinha e Lia são as melhores personagens da nova temporada de Malhação. Juliana e Alice estão ótimas e têm merecido cada elogio recebido. Apesar de já terem feito outras novelas, com certeza após esse trabalho os autores passarão a vê-las com outros olhos.





Boa Surpresa (1): The Voice Brasil
Sem dúvida a melhor estreia do ano. O reality musical da Globo foi um sucesso de público e crítica. Apresentado por Thiago Leifert, a atração teve um imensa repercussão e já tem garantida sua segunda temporada em 2013.




Boa Surpresa (2): Sessão de Terapia
Uma série que já fez sucesso em vários países, finalmente foi adaptada no Brasil. E muito bem adaptada. A direção de Selton Mello foi primorosa e o elenco muito bem escalado. Foi fascinante acompanhar os dilemas e os conflitos de Théo e seus pacientes. ZéCarlos Machado estava precisando de um personagem como esse há tempos. A segunda temporada já está garantida na grade do canal pago GNT.


Boa Surpresa (3): José Wilker e Laura Cardoso em "Gabriela"
Esses grandes atores deram um banho de atuação na adaptação de Walcyr Carrasco da obra de Jorge Amado. Coronel Jesuíno e Dona Dorotéia foram os grandes destaques do remake. Curiosamente, o Coronel pouco é citado no livro e a velha que odeia quenga foi criada pelo autor. Ou seja, os personagens que mais despertaram atenção do público eram justamente os que não estavam na obra do escritor. José Wilker e Laura Cardoso brilharam e foram presenteados por Walcyr com grandes papéis.


Boa Surpresa (4): Vigésima temporada de Malhação
Após apresentar uma fase caótica e de péssimo gosto, Malhação finalmente voltou aos velhos tempos. Escrita por Rosane Svartman e Glória Barreto, a atual temporada retrata com fidelidade a adolescência e é a cara do mundo jovem. Os atores foram muito bem escolhidos e os conflitos amorosos ajudam a movimentar a história.




Boa Surpresa (5): Lado a Lado
A Globo tem acertado em cheio ao investir em novos autores. Após talentos como João Emanuel Carneiro, Filipe Miguez, Izabel de Oliveira e Lícia Manzo serem revelados, a emissora apresentou ao público mais dois profissionais promissores: João Ximenes Braga e Cláudia Lage. Os autores criaram uma linda trama e ainda inseriram importantes contextos históricos que nunca tinham sido abordados em novelas. Lado a Lado pode não estar tendo uma boa audiência, mas sem dúvida é uma novela primorosa.

Boa Surpresa (6): Empreguetes
Taís Araújo, Leandra Leal e Isabelle Drummond ganharam divertidas personagens que conquistaram o público. As atrizes foram ótimas. Penha, Rosário e Cida popularizaram o termo 'empreguetes', que acabou entrando no vocabulário brasileiro. Vida de Empreguete foi um hit que tocou até nas rádios e o vídeo-clipe foi um dos mais assistidos do ano na internet. O sucesso foi tanto que elas foram parar até no especial do Roberto Carlos.


Boa Surpresa (7): Drica Moraes e Reynaldo Gianecchini
Totalmente recuperados, após vencerem o câncer, Drica e Reynaldo estão dando show no remake de Guerra dos Sexos. Nieta e Nando são personagens que sofreram algumas criticas iniciais, mas depois de algumas semanas já haviam conquistado o público. Os atores foram melhorando a cada capítulo e agora estão totalmente à vontade em seus respectivos papéis. Dá gosto de vê-los em cena.





Boa Surpresa (8): Márvio Lúcio
O Carioca já pode, e deve, ser considerado o melhor humorista do país na atualidade. Sempre fazendo imitações impecáveis, Márvio consegue pegar todos os trejeitos de seus imitados. O integrante do Pânico virou protagonista do humorístico da Band e suas imitações de maior destaque de 2012 foram a do Tufão --- na paródia Avenida Barril ---, a de Glória Perez em Save George e, claro, a do Boris Casoy no Jornal do Bóris. O quadro, aliás, encerrou o ano com chave de ouro com a presença do Bóris original ao lado do Bóris fake. Foi hilário.


Boa Surpresa (9): Tony Ramos e Irene Ravache
Os grandes atores provaram que os veteranos podem, sim, protagonizar uma novela. No remake de Guerra dos Sexos, Tony e Irene têm tido cenas divertidas e estão muito bem como Otávio e Charlô. Paulo Autran e Fernanda Montenegro, protagonistas da primeira versão do sucesso de Silvio de Abreu, estão muito bem representados.


Boa Surpresa (10): Doce de Mãe
O telefilme produzido e dirigido por Jorge Furtado e Ana Luiza Azevedo foi um grande presente para o telespectador. Dona Picucha é uma senhora admirável e Fernanda Montenegro pôde exercer sua veia cômica que há tempos estava adormecida. A produção merece virar série e foi o melhor acerto da programação de fim de ano da Globo.





O ano de 2012 foi muito positivo para o telespectador. O público andou cheio de charme pela Avenida Brasil, viu muita quenga às 23h, acompanhou na moral a vida de Dercy, ouviu um brado em prol da honestidade, ficou lado a lado de uma vovó muito simpática, se encantou com a voz do Brasil, se solidarizou com os pacientes durante muitas sessões de terapia e ainda levou uma vida de empreguete que pegava às sete. Apesar dos equívocos já mencionados anteriormente, a qualidade acabou se sobressaindo. Foram muitas produções merecedoras de elogios e as novelas passaram por um grande momento. Resta torcer para que em 2013 o telespectador seja presenteado com mais produções de qualidade e tenha bem menos conteúdos equivocados e constrangedores. Desfrutar de um entretenimento digno é o mínimo para um público que merece sempre o melhor.

56 comentários:

Thallys Bruno Almeida disse...

Perfeita lista, Sérgio.

Avenida Brasil foi maravilhosa desde o primeiro teaser, literalmente parou o país como poucas, haja visto tamanha repercussão nas redes sociais. E o melhor de tudo é que, ao contrário de A Favorita, ele soube criar boas tramas paralelas (Suellen, Adauto, Leleco) e ajustar as mais fracas (como a do Cadinho).

Cheias de Charme deixava desconfianças porque não dava margem pra meio-termo. Feliz e merecidamente, o sucesso prevaleceu a ponto de Vida de Empreguete tocar nas rádios da vida real. Sobre a barriga, incomodou sim, mas não se estendeu até o fim, a partir do comecinho da penúltima semana (quando a Cida descobriu sobre o Sarmento) foi retomando o ritmo. Ainda assim, nada atrapalhou o megasucesso que conquistou.

Dercy de Verdade permitiu a Heloísa Perissé sair da zona de conforto de seus personagens ao mostrar o lado dramático da pessoa e da mãe Dercy Gonçalves. Tinha que ter mais duração mesmo.

O Brado Retumbante teve uma audiência mais baixa, tanto que em dois episódios perdeu pra Rei Davi em algumas praças, ainda assim foi uma série genial, dotada de um elenco de primeira e de situações perfeitamente reais. E, claro, incomodou alguns setores.

A Vida da Gente em Janeiro e Fevereiro trouxe as cenas mais emocionantes de toda a novela, quando Manu flagra Rodrigo e Ana aos beijos, dá um basta em todas as humilhações de Eva e na famosa briga das irmãs que usou das argumentações das torcidas das protagonistas. O final dividiu opiniões, mas o saldo geral fez Lícia Manzo se consolidar entre as revelações de autoria.

Sua opinião sobre Rei Davi é parecida com a do Stycer (não faz o estilo, mas tem as qualidades). Eu curti muito a série, procurando me livrar de qualquer preconceito contra a emissora. Tanto que foi a única alegria da Record esse ano. Mas inventaram de esgotar o produto com um monte de reprises em forma de resumão e a usaram como produto dessa campanha deplorável movida pelo Macedo nos últimos dois meses.

Carrossel foi o grande terror da Record esse ano. Com o fim de AVBR e CDC, o remake é a única novela atual que pode se chamar de sucesso. Nos últimos capítulos, vejo uma boa melhora em parte do elenco infantil que estava fraca no início.

Quanto ao Na Moral, gostei mais dos primeiros temas, como politicamente correto e privacidade - que causou polêmica entre Pedro Cardoso e o fotógrafo convidado. Alguns outros não me agradaram e o programa parecia corrido demais, mas ainda assim foi bom ver o Bial em uma seara diferente do BBB.

Cacau Protásio e Titina Medeiros foram as principais revelações adultas do ano, divertidíssimas ao extremo. E assim como Cacau tem como cena marcante o amendoim, escolho como cena marcante da Socorro a sabotagem do chá de ferra-guela que deixou Chayenne e ela com voz de Tico e Teco.

Vera Holtz chamou atenção pelo papel difícil que foi Mãe Lucinda. A personagem dona dos principais segredos da trama. Exploradora de crianças, por um lado carinhosa com as mesmas, por outro misteriosa até demais.

Ísis Valverde até dispensa comentários de tão sensual e linda que esteve. Arrasou demais nessa personagem e formou um par ótimo com o Daniel Rocha.

Nilo era uma espécie de oposto da Mãe Lucinda. Enquanto ela aparentava um grande caráter, mas aos poucos mostrava saber demais; ele, por trás da faceta perversa, era um fantoche nas mãos de Nina ou Carminha. Seu senso de humor fazia com que as cenas pesadas ganhassem certa leveza, especialmente o Plantão do Nilão. E só um ator como José de Abreu pra tornar tudo isso crível.

Leleco foi outro personagem marcante. De malandrão no início, a ciumento chato na metade da trama, até ser o primeiro a desconfiar do que Carminha aprontava, um monte de facetas que Marcos Caruso defendeu brilhantemente.

Thallys Bruno Almeida disse...

E Juliano Cazarré, depois do tenso Ismael - capanga de Norma em IC, brilhou de novo agora. Era pérola atrás de pérola, "jorginho com magnésia", "lavábulo", "século xac", "o que é empáfia", "nojo de vumííto". E a cena da revelação do trauma, por mais idiota que pudesse parecer, acabou servindo pra abordar sobre o famoso bullying.

Mel Maia, o que dizer dessa lindinha? Tinha menos idade que as cotadas para o papel, mas no teste encantou tanto JEC/Amora/RW que eles resolveram apostar nela. E o público entendeu bem pq ela tinha conquistado a equipe. Inclusive, acho até que fizeram bem em reservar pra Pequeno Buda (Duca & Thelma). Ela seria a filha da Catarina em Lado a Lado, mas como a personagem mal apareceu, seria desperdício.

Ana Karolina Lannes não deixou por menos e esteve igualmente perfeita no sofrimento de Agatha. Lembro ainda dela em Ciranda de Pedra 2008, onde era filha de Elzinha "biscoito-fino" (Leandra Leal) com um malandro que foi amante dela e, mais tarde, foi adotada pelo Cícero Cassini (Osmar Prado) quando este se casou com Elzinha.

Murilo Benício começou a se destacar como os gêmeos de O Clone. Depois daquele papel patético em América, ele veio numa verdadeira crescente, onde destaco Dodi (A Favorita), Wilson (Força Tarefa), Victor Valentim (TiTiTi) e agora Avenida. Tufão era um total bobão do tipo que poderia irritar fácil, mas seu senso de humor compensava tudo. As cenas onde ele lia os livros indicados por Nina eram bonitas, além de divulgar clássicos da literatura (novela de vez em quando também é cultura, rs). Melhor papel dele.

Max foi a sorte grande do Marcello Novaes. Depois de um vilão fracassado e dois personagens bobos parecidos um com o outro, um vilão de verdade. Curiosamente que foi ele, e não Nina, quem revelou a verdade à família Tufão, mesmo com todas as peças do jogo montadas pela mocinha (e nisso ela tem mérito por ter durante muito tempo conseguido usá-lo a seu favor).

Adriana vai ganhar e merece, foi a atriz do ano. Genial demais, uma vilã perfeita em tudo, do tipo que a gente adorava mesmo odiar. A parceria Adriana-Débora foi genial na amizade da primeira fase e nos conflitos da segunda, como a cena em que Nina é enterrada viva e, depois, surpreende.

Nina não será esquecida facilmente. Débora encarou com louvor esse verdadeiro desafio que era uma mocinha diferente dos mais conhecidos padrões. Um desafio e tanto levando-se em consideração que Carminha foi imensamente popular.

Cláudia Abreu, depois da desvalorização em Três Irmãs, voltou com tudo. Mais linda do que nunca e totalmente hilária, Chayenne foi um verdadeiro presente pra ela e pra nós.

A Laura é uma linda. Doce, encantadora, mas contestadora, de pulso firme. Vejo essa personagem da Marjorie com uma aceitação maior do que a Manuela de AVDG, onde a torcida tava mais dividida entre as duas protagonistas.

JEC merece todos os aplausos por ter superado a si mesmo. Se A Favorita foi genial, Avenida Brasil então foi genial ao quadrado. Se existe um "homem do ano", é ele.

Juliana e Alice são as melhores coisas da Malhação atual. Uma pelo lado sensual e debochado da Fatinha, a outra pela amizade sincera e o estilo da Lia. Gostei da escolha, principalmente porque foge das cartas marcadas típicas de categorias teen em premiações.

Thallys Bruno Almeida disse...

O The Voice Brasil tinha tudo pra dar errado, uma vez que a escolha dos jurados não havia agradado alguns logo de cara e a do Thiago Leifert despertava desconfianças. Mas deu MUITO certo, pela produção e pelo alto nível de seus candidatos. A emissora fez bem em investir em um filão que havia deixado em 2005 (último Fama). E fez sucesso pq investiu pesado no formato, coisa que faltou ao Ídolos da rival Record em sua última temporada.

Não vi tudo de Sessão de Terapia, mas a série valeu por valorizar atores que pouco aparecem na TV e consolidar a versatilidade do Selton Mello.

José Wilker e Laura Cardoso foram os donos de Gabriela 2012. Seus "vou lhe usar" e "jesus maria josé" viraram mania nacional e protagonizaram cenas marcantes, como Jesuíno matando a esposa e sendo julgado e, mais tarde, Doroteia sendo desmascarada e ficando sozinha. Sobre essa de "os personagens que se destacaram não estavam na obra", que eu saiba o Mundinho Falcão e a Gerusa alcançaram um bom destaque até. E estavam no livro.

Malhação conseguiu o que parecia impossível, se renovar e se adaptar ao gosto dos jovens atualmente, basta ver que muitas situações são ligadas ao que acontece hoje (inclusive no facebook da trama, que usa gírias/memes usados muito atualmente no face/twitter).

Quanto aos novos autores, acrescentaria Duca e Thelma, pelo sucesso com O Profeta (adaptação), Cama de Gato e Cordel Encantado. Surgiram depois do JEC e antes da Lícia e de Felipe/Isabel.

Lado a Lado não merece essa baixa audiência, não entendo esse monte de críticas que dizem que parece aula de história. Por acaso o amor de Laura e Edgar é didático? A inveja de Berenice contra Isabel é didática? Se for, me avisem.

Doce de Mãe foi genial, praticamente unanimidade. Dona Picucha é a típica mãe/avó divertida que todos querem ter.

Gostei do texto final misturando os nomes das novelas. Lembro que o Nilson Xavier fez um parecido no ano passado, rs.

WOW, agora que eu vi o quanto eu escrevi aqui, acho que foi o comment mais longo, rsrsrs. Grande abraço e um feliz 2013 pra vc e todos os leitores do blog!

BIA disse...

FELIZ ANO NOVO SÉRGIO!!! Que 2013 seja um ano repleto de realizações e alegrias!!!
Parabéns pela retrospectiva!!!
Bjs :)

Robson disse...

Você esqueceu de CAOFDM...

Rafael Barbosa dos Santos disse...

Ual, que lista hein?

Reuniu o que de fato houve de melhor este ano na TV, e deu pra ver que tentou ser bem justo, valorizando todas as produções citadas. Para mim, as melhores coisas, foram sem dúvidas: Avenida Brasil, Cheias de charme e The voice Brasil. Claro tenho meu respeito por obras como: Carrossel, O Brado retumbante, Dercy de verdade, Gabriela, A Vida da Gente, malhação e entre outras produções citadas.
Vamos as discordâncias (rsrs):
Amei AB e CDC de forma igual, e reconheço "Gigante" barriga de Cheias teve, mas acho interessante que ninguém comenta a fase chata e maçante de Avenida Brasil, que não chegou á ser barriga, mas uma enrolação em que tudo girava em círculos, (xinguei bastante nesta época) naquela fase em que Nina tira Carminha de casa e se dá por vingada, e ainda fica naquela frescura de não contar para Tufão a verdade para protege-lo. Esta fase foi a fase em que a trama deu uma boa segurada em sua história, e que coincidentemente ocorreram os famosos furos. Não condeno, pois tamanha a dimensão da qualidade de Avenida Brasil que transcendeu o sucesso, estes erros chegam a ficar pequenos, talvez por isso sejam ignorados.
melhor ator: Murilo Benício e Marcelo Novaes, com menção honrosa para Ricardo Tozzi que se desdobrou com dois personagens "diferentíssimos" e obteve exito.
Melhor atriz: claro o ano foi dela, Adriana Esteves reina absoluta como a melhor atriz este ano,ficava de boca aberta e olhos vidrados ao vê-la atuando, mas também tivemos outras grandes grandes atrizes que se destacaram: Cláudia Abreu (Um acontecimento), Débora Falabella, Marjorie Estiano ( mais por AVDG do que por Lado a lado), e achei que Taís Araújo também merecia ser lembrada, representando as famosas empreguetes, pois foi a mais carismática delas e também pela volta triunfal, como uma espécie de desabafo após o fiasco como "Helena", onde ela compôs de forma impecável sua Penha (Para mim, depois de Adriana, Cláudia e Taís foram as melhores).
melhor atriz revelação: Amei a Cacau Protásio, mas minha preferida sempre será Titina Medeiros, com menção honrosa para Chandelly Brás que mesmo com um papel pequeno, conseguiu se destacar. Ator coadjuvante, com certeza José de Abreu e Marcos Caruso, que foram geniais em suas interpretações, com mensão honrosa para Juliano Cazarré.
Atriz coadjuvante: ninguém supera Vera Holtz que foi a melhor, seguida de Ísis Valverde, Debora Bloch, Malu Galli, Alexandra Richter, Fabíola Nascimento e entre tantas. Atriz mirim, claro tinha que ser a fofa da Mel Maia, seguida da igualmente fofa Ana Carolina Dias.
Do mais, concordo com tudo. Enfim é isso, foi um ano muito bom para a TV Brasileira.
Parabéns pela lista Sérgio.
Abraço, feliz ano novo.

Mônica Monte de Souza disse...

Não tem como discordar dessa lista. Você realmente fez um resumão do que melhor foi visto na TV. E concordo com você de que 2012 foi um ano bom pra televisão. As pessoas vivem descendo a lenha na TV aberta, mas apesar de não conhecer profundamente, sei que no exterior não temos a qualidade que se apresenta aqui. Um abraço e Feliz 2013!!!

Lulu disse...

Mandou super bem Sérgio. Não tem como esquecer Avenida Brasil com Adriana Esteves e Marcelo Novaes brilhando nos papeis de vilões, assim como Débora Falabella como mocinha e a impagável Zezé. Tb gostei de Cheias de Charme com a brilhante atuação de Claudia Abreu. Vi Dercy e Brado Retumbante. Não vejo Carrosel, nem Fim do Mundo, nem Gabriela.
Big Beijos

Elvira Akchourin do Nascimento disse...

Sérgio, esta foi a retrospectiva mais completa que li este ano. Parabéns. Concordo especialmente com os destaques para "Avenida Brasil", "Dercy de Verdade", "O Brado Retumbante", "Rei Davi", "A Vida da Gente", "Lado a Lado", "Malhação", "Cheias de Charme", "Doce de Mãe", "The Voice Brasil", José Wilker e Laura Cardoso, Marjorie Estiano, Alice Wegmann e Juliana Paiva, os atores de "Avenida Brasil" e "Cheias de Charme". Especialmente para João Emanuel Carneiro, que conseguiu mobilizar o público em torno da "sensação do ano".

Thallys Bruno Almeida disse...

Atuaização: gostei do complemento. CAOFDM se tornou minha série preferida da dupla Young-Machado. Alinne arrasou, Danton e Nelson não deixaram por menos.

Sílvio de Abreu acertou ao reservar Drica Moraes e Reynaldo Gianecchini pra sua novela mesmo quando estes ainda estavam se recuperando. E deu certo. Gianecchini acertou o tom e motra que Nando é o único homem de caráter no time masculino da guerra. A escalação de Tony e Irene foi outro acerto.

Márvio Lúcio foi o nome do ano em matéria de humor, o Jornal do Boris foi simplesmente genial, assim como Avenida Barril e a sátira do The Voice.

Agora paro por aqui, rsrs. Grande abç!

Tatiane disse...

Sérgio sua lista está completa e prefeita, parabéns e um ótimo ano novo pra você, ate 2013

Sissym disse...

Se depender de voce, ficarei sempre por dentro de tudo que rola na TV!

Seu blog é DEMAIS de bom!

Eu desejo que todos sejam abençoados por Deus.
Sendo 2013 um ano iluminado.
Novas oportunidades, novos amigos e reencontros.
Saúde, paz, amor e alegria.

Vamos ser um meio para ajudar uns aos outros, usando o poder das palavras.

Permanecendo unidos nesta comunidade incrível do mundo moderno.

Bênçãos.

paulo disse...

Se uma novela cheia de personagens insuportáveis(nucleo Cadinho, nucleo Suélen, etc), cheia de erros e furos(até virou piada), cheia de estorias avulsas que nada tem a ver umas com as outras(novela de verdade tem que ter TRAMA\ligação entre os nucleos), e com uma trilha sonora péssima(mas isso é inevitável com o que temos hoje), se com tudo isso AB é considerada a melhor novela dos ultimos tempos então é porque a coisa tá ruim mesmo. E repercussão em internet até "para nossa alegria" teve, ibope que é bom o de AB foi apenas satisfatório! Mas como eu já disse na globo ultimamente tudo é um "grande sucesso", até novelas fracassadas são anunciadas assim nas chamadas do vale a pena ver de novo. E quer saber, até falar dessa novela já encheu! Quanto ao resto da lista não sei pois não assisti nada, mas faço idéia do que "perdi". Feliz ano novo pessoal!

Carlos disse...

Rafael, discordo dessa parte do seu comentário: "(...)acho interessante que ninguém comenta a fase chata e maçante de Avenida Brasil, que não chegou á ser barriga, mas uma enrolação em que tudo girava em círculos(...)". Nada disso, eu SEMPRE falo dessa fase chata, que os FÃS não consideram barriga, mas apenas uma fase chata. No entanto NADA acontecia de relevante na trama central e nas paralelas menos ainda.

Aliás, as tramas paralelas foram um saco do início ao fim, mas no início, prometiam. Pegarei duas personagens que provam essa teoria: Suellen e Monalisa. A primeira, inesquecível para o público, mais pela sua presença, porque história ela não teve e ficou apagada, nem teve um final digno. A segunda começou prometendo ser o grande amor do Tufão e que iria bater de frente com a Carminha. Apenas promessa, foi ficando apagada. Família Tufão só comia e falava gritando. Queria eu ganhar dinheiro fazendo isso rsrs.

Desculpe, mas essa novela prometia mostrar uma vingança decente e corajosa, e não um simples "me serve, vadia!" que vcs amaram. A cena do enterro teve ótima fotografia, mas um péssimo roteiro com Carminha pedindo a Nina pra pedir desculpas. Se ele queria que a vilã cuspisse na cara da outra, que fizesse de uma forma mais digna, ou que pelo menos, mesmo após essa humilhação, a Nina fosse enterrada como em "Kill Bill" ou "Sepultado Vivo". Medo do público se chocar? Não creio. O núcleo principal era TODO pesado, tanto que tinha gente que acreditava que a novela só ensinava coisa ruim, como se novela tivesse obrigação de ensinar alguém...

Logo, não concordo com essa lista de melhores. Muito ator só está aí por conta de seus núcleos "animadinhos, escandalosos e caricatos". Paciência se gostaram disso.

De bom nessa lista, só Cheias de Charme. O que prometia, foi realizado. Teve barriga? Sim, mas ainda assim, nessa fase, existia o que os autores falavam que iria ter: música, breguice, alegria... Até na pior fase, a novela tinha força. E as interpretações exageradas, eram da trama. Em Cheias, ser caricato fazia parte. Parabéns a essa equipe, por ter feito a melhor novela do ano e uma das melhores das 7.

Abraço

✿ chica disse...

Hoje vim s[ó desejar que 2013 seja lindo, feliz, cheio do que desejares! abração, tuuuuuuuuuuuuuudo de bom!chica

Patricia Galis disse...

Gostei muito de algumas das citações acima apesar de ter visto somente algumas coisas a Claudia Abreu se mostrou uma atriz impecável, gostei das empreguetes..enfim foi um ano bom para certas emissoras.
Muita paz e saúde e que em 2013 continue nos informando tão impecavelmente.

Vera Lúcia disse...


Sérgio,

Parabéns por esta minuciosa e bem colocada retrospectiva. Você mostrou a que veio com o seu interessante blog.
Sua paixão pela televisão é indiscutível, para sorte nossa (seus leitores) que temos a oportunidade de partilhar opiniões e ao mesmo tempo nos atualizar com as novidades do ramo, principalmente aqueles que gostam de TV e não dispõem de tempo para acompanhar as programações.

Adorei estar com você este ano e espero que estejamos novamente juntos em 2013.

Desejo-lhe um Novo Ano pleno de sucesso e de muitas alegrias. Que seus mais profundos sonhos se tornem realidade.

FELIZ ANO NOVO!

Beijo.

Valquiria Novaes disse...

O que mais se destacou foi avenida brasil né, muito embora, eu tenha achado a novela com mais erros do que acertos. Muito boa sua lista, mostra tudo o que a televisão nos trouxe de bom. Vamos esperar ansiosamente o que 2013 nos trará heheeh
Feliz ano novo!
Bjos!
http://amonailart.blogspot.com.br/

Paty Michele disse...

Ei, seu moço, vc mandou bem nas escolhas! Assisti a maioria desses programas e gostei da suas indicações dos atores tbm. Parabéns, seu blog arrebentou em 2012!

Um grande beijo e obrigada pela presença em meu blog durante esse ano.
Feliz 2013!

Jeanne Geyer disse...

Esperança.


Lá bem no alto do décimo segundo andar do Ano
Vive uma louca chamada Esperança
E ela pensa que quando todas as sirenas
Todas as buzinas
Todos os reco-recos tocarem
Atira-se
E
— ó delicioso vôo!
Ela será encontrada miraculosamente incólume na calçada,
Outra vez criança...
E em torno dela indagará o povo:
— Como é teu nome, meninazinha de olhos verdes?
E ela lhes dirá
(É preciso dizer-lhes tudo de novo!)
Ela lhes dirá bem devagarinho, para que não esqueçam:
— O meu nome é ES-PE-RAN-ÇA...


Texto extraído do livro "Nova Antologia Poética", Editora Globo - São Paulo, 1998, pág. 118.
http://franknroll.blogspot.com.br/

Feliz 2013 pra você!

Clau disse...

Oi Sérgio!
Sempre sou redundante,mas seu post tá ótimo.Adorei o final!Vc escreve muito bem.
Pra mim,os melhores de 2012 foram:
The Voice Brasil;e Na Moral.
Tomara que no próximo ano tenhamos boas surpresas,e que as produções qualificadas apareçam.
Bjs e Feliz 2013 cheinho de saúde,e paz.Que seus sonhos se realizem \o/

Ricardo disse...

Gostei mto de cheias de charme e não sou um grande fã de AVBR. Fiquei muito feliz pela volta da Drica Moraes e do Reynaldo Gianecchini em Guerra dos sexos, uma novela que mehora a cada dia.

Demian disse...

Sérgio, sua lista está perfeita, embora tenha sentido falta de Subúrbia... Deveria ter sido citada... No mais, um grande abraço e que 2013 venha repleto de coisas boas para todos nós...

Bruno Marques disse...

Sérgio,concordo com você em alguns pontos,menos aos que se referem a Guerra dos Sexos.Pra mim tudo ali é horrível e até a dupla de protagonistas tá perdida naquele pastelão barato!!!
Achei que faltou Louco por Elas!!!
De resto,concordo com tudo!
Avenida Brasil foi o fenômeno do ano,Cheias de Charme a melhor novela das sete desde Ti Ti Ti (Na minha opinião)e Lado a Lado é maravilhosa!!!
Carrossel foi outro grande fenômeno esse ano,assim como aconteceu em 1991!!
Enfim,espero que tenhamos um grande ano na TV em 2013!!

Sérgio Santos disse...

Thallys, achei ótimo seu comentário longo. Vc comentou cada indicação minha, obrigado pela paciência.

Realmente na última semana, Cheias de Charme recuperou o fôlego, mas a barriga durou muito.

Vi todos os episódios de Sessão de Terapia e valeu muito a pena. Grande série.

Boa lembrança das autoras Duca e Thelma como revelações.

Avenida Brasil além de ter conquistado o país ainda consagrou vários atores, onde muitos deles conseguiram seus melhores papéis na carreira.

Enfim muito bom seu comentário. Abração e Feliz 2013!

Sérgio Santos disse...

Oi Bia, pra você também. Obrigado pelo elogio. Beijos.

Sérgio Santos disse...

Oi Robson. Na verdade esses post me deu um baita trabalho e quando vi eram 4 da manhã. Então resolvi postá-lo logo e deixei os quatro destaques que faltavam para o dia seguinte, entre eles Como Aproveitar o Fim do Mundo. Abraços!

Sérgio Santos disse...

Oi Rafael, pois é deu um trabalhão. Olha, não achei que Avnida Brasil tinha tido barriga. Mas sim uma fase de furos, como: 'não contar nada pro Tufão", "sair de um banco com um milhão em dinheiro vivo" e "não ter fotos guardadas em um CD, pen drive ou arquivo de computador". Mas enrolação eu não vi.

Sobre a Taís Araújo, a citei como boa surpresa nas empreguetes e elogiei o desempenho dela, da Leandra e da Isabelle. Fiz questão de não deixá-la de fora. Só não coloquei como melhor atriz, porque já havia colocado quatro e achei de bom tamanho.

Tentei ser o mais justo possível e, claro, as indicações também tem a ver com meu gosto. No mais, discordarmos bem pouco. Abração.

Sérgio Santos disse...

Oi Mônica, obrigado. E isso é verdade, fala-se muito mal da tevê aberta brasileira, mas se forem ver o que passa nos canais de outros países, irão ver que estamos no lucro. Beijos.

Sérgio Santos disse...

Oi Lulu, muito obrigado. Também não vejo Carrossel, mas faz um baita sucesso. Bjs!

Sérgio Santos disse...

Puxa, Elvira, muito obrigado. Tentei fazer um resumão do que tivemos de melhor na minha opinião. Beijos!

Sérgio Santos disse...

Oi Thallys, pois é, tinha deixado para colocar esses quatro no dia seguinte porque precisava dormir. rs Carioca é um gênio e a série de Fernanda e Alexandre foi muito boa. Já Silvio de Abreu acertou novamente na escalação de quase todo seu elenco e esse quarteto está muito bem. Abraço.

Sérgio Santos disse...

Oi Tatiane, muito obrigado. Tenha um ótimo 2013 você também. Beijos!

Sérgio Santos disse...

Oi Sissym, obrigado pelo carinho! Linda a mensagem. Também te desejo um 2013 repleto de realizações, paz e sucesso. Beijos!!

Sérgio Santos disse...

Paulo, gostei do seu comentário entre parênteses a respeito da trilha sonora. Ainda bem que ao menos você reconhece que isso é o retrato do nosso péssimo cenário atual.

Bem, sobre a audiência e o imenso sucesso que a novela obteve, não vou voltar ao assunto. Todos os sites, revistas e blogs falaram do sucesso da novela, independente de Globo dizer isso no Vídeo Show ou não. Claro que naquele programa tudo é sucesso, segundo eles, e concordo com você. Mas daí a comparar dizendo que tudo foi uma 'invenção' não tem cabimento. A novela alcançou uma repercussão que não era vista há tempos. Abraços e Feliz 2013!

Sérgio Santos disse...

Carlos, mas a questão é que você não achou uma fase chata e maçante, você achou a novela toda assim. É diferente.

E discordo de você. Jura que você acha que muitos dos atores que citei só entraram por causa dos respectivos núcleos? Não os achou bem mesmo?

E também me surpreendi com o fato de você só achar Cheias de Charme merecedora. Não gostou de Dercy de Verdade? O Brado Retumbante? Lado a Lado? Marcos Caruso? José de Abreu? Vera Holtz? Débora Falabella? Marjorie Estiano? Laura Cardoso e Zé Wilker? Enfim... Abraço!

Sérgio Santos disse...

Oi Chica, muito obrigado. É recíproco! Beijos!

Sérgio Santos disse...

Oi Patrícia, obrigado. Cláudia Abreu é uma ótima atriz e sua Chayene foi hilária. Beijos.

Sérgio Santos disse...

Oi Vera, muito obrigado. Amo mesmo televisão e gosto de compartilhar o que penso com os leitores. Fico feliz que goste e claro que vamos continuar juntos em 2013! Beijão e feliz Ano Novo!!!!!

Sérgio Santos disse...

Oi Val! Pois é, vamos esperar 2013! Será que teremos mais coisas boas ou mais coisas péssimas? Só esperando! Beijão e feliz 2013!

Sérgio Santos disse...

Oi moça! Muito obrigado, viu? E eu sempre adorei suas visitas! Beijão e feliz Ano Novo. Tudo de bom!

Sérgio Santos disse...

Oi Jeanne, obrigado pela bonita mensagem. Tá sumida! Tenha um ótimo 2013 você também! bj

Sérgio Santos disse...

Oi Clau, muito obrigado. Também gostei muito do The Voice Brasil e Na Moral. Foram boas surpresas de 2012. Obrigado pelos votos e tenha um lindo 2013! Beijos!

Sérgio Santos disse...

Oi Ricardo, obrigado pelo comentário. Também acho que Guerra dos Sexos melhora a cada dia! Ver Gianecchini e Drica recuperados e dando show na novela é muito bacana! Abraços!

Sérgio Santos disse...

Oi Demian, muito obrigado. Não citei Suburbia porque não gostei da série. Estreou bem, misturando poesia com realidade, mas depois foi exagerando nas apelações e nas desgraças. Claro que respeito ter gostado. Abraços!

Sérgio Santos disse...

Oi Bruno, obrigado! Eu gostava de Guerra dos Sexos, embora nunca a considerasse uma novela incrível; porém, a trama melhorou e na minha concepção está ótima. Não tenho nada contra o pastelão. Abração e tomara que em 2013 tenhamos muitos programas bacanas pra comentar!

Rafael Barbosa dos Santos disse...

Sérgio e Carlos,
Bom eu amei Avenida Brasil como um todo, foi uma novela instigante, ágil e inovadora no que diz respeito a estética e no formato bem próximo dos seriados americanos. Acho que nunca vi uma novela com tamanha entrega do elenco e acho que todos valorizados. Mas continuo dizendo que houve sim, uma parte chata que durou alguns capítulos onde parecia acontecer mil coisas, mas que não alterava em nada a história . Também concordo quanto a vingança, no final quem se vingou mesmo foi Max, por isso perdi meu encanto pela Nina. Ela só torturou a Carminha, mas na hora de finalizar a vingança, não teve coragem. Sem falar nos furos e algumas incoerências neste mesmo período. Mas fora isso a trama foi genial, JEC conseguia nos manter presos com toda a tensão que as cenas passavam, e mesmo que a história não andasse, ele sempre dava um jeito de remexer na trama, que dava essa sensação de agilidade. Por isso acho o sucesso de Avenida Brasil merecido, independente dessas pequenas falhas. Quanto a Cheias de charme concordo absolutamente com tudo, foi uma trama deliciosa do inicio ao fim, e realmente a barriga não a fez perder sua força, e nessa fase chata de AB cheguei a preferir Cheias de Charme, mas prefiro dizer que gostei das duas igualmente rs.

Vanessa disse...

Sérgio, tudo bem?

Puxa, que lista!!! :) Adorei.

Entre as novelas, o meu xodó foi "AVDG". Você sabe, né? Falo sempre dela aqui. rs. Pra mim, não houve o ritmo eletrizante de "AVBR" ou o colorido gostoso de "CDC" que desbancasse a introspectiva "AVDG".

Das séries, gostei muito de "O Brado Retumbante". A ficção dentro da realidade foi uma boa sacada. "Dercy" também foi ótima, mas tão curtinha. A vida da nossa querida Dercy merecia mais uns 100 caps.

Das revelações, fico com Titina Medeiros. A parceria dela com a Cláudia Abreu foi ótima. A Socorro perdeu um pouco a função da metade em diante, mas ainda assim foi uma baita personagem.

Na relação dos coadjuvantes, caberiam Ana Beatriz Nogueira, Gisele Fróes e Nicette Bruno, não? Gostei da seleção, menos da Isis Valverde, mas por questões pessoais mesmo. Essa atriz não me desce. rs

Sempre fui fã do Murilo Benício. E ele teve aí um dos personagens mais difíceis da carreira. Mas me surpreendi, e muito, com o Marcelo Novaes. Sempre o achei apenas mediano.

Entre as atrizes, difícil apontar a melhor. A meu ver, a Débora Falabella e a Marjorie Estiano tiveram nas mãos as personagens mais difíceis. Nina e Manu foram complexas, flertaram muitas vezes com a vilania.

Já a Adriana Esteves e a Cláudia Abreu tiveram personagens mais exuberantes e explosivas. Páreo duríssimo! Pra que escolher só uma delas, né? rs. Ganhamos todos nós com o show do quarteto na nossa TV.

Os grandes "The Voice", "LAL" e "Empreguetes" também deixaram nossa TV mais saborosa. Infelizmente, não assisti ao telefilme da Fernandona, mas só ouvi elogios. Vou ver se o encontro na net. ;)

Beijos, querido!

Um bom 2013 pra nós. ;)

Vanessa disse...

Rafael Barbosa,

Se me permite, vou meter o bedelho. rs.

Olha, acho que toda novela, por mais incrível que seja, passa pela fase chata, a chamada barriga. Sim, "AVBR", por mais que tivesse aquele ritmo de trailer, ficou um tempo sem sair do lugar. E concordo: a vingança da Nina chegou a ser desanimadora. E a Carminha? Qdo teve a chance de eliminar a inimiga, apenas cuspiu na cara da cozinheira.

Sobre "CDC", a novela foi maravilhosa, curti até mais que a aclamada "AVBR". Mas a trama de Felipe Miguez e Izabel Oliveira também sofreu com a barriga depois da ascensão das Empreguetes. Ficou um vai e volta chato. Se naõ me engano, até a audiência caiu no período. Nada, porém, diminui a qualidade da novela.

Até a minha amada "AVDG", que tantas vezes defendo aqui no blog do Sérgio, teve uma barriguinha cansativa. Isso porque era uma novela das seis, bem mais curta que as outras.

A verdade é que a novela fica bem melhor no "Vale a Pena Ver de Novo". Assim, editada, só vemos o que de fato interessa. rs. A dinâmica é outra, as cenas desnecessárias vão para o lixo.

Abraços

Barbie Californiana disse...

Sua retrospectiva ficou ótima, Sérgio! Gostei da boa surpresa 3... beijos e feliz 2013.

Sérgio Santos disse...

Oi Rafael, sim, entendi perfeitamente sua colocação. E as duas novelas, entre erros e acertos, foram muito boas e mereceram o sucesso. Abração.

Sérgio Santos disse...

Oi Vanessa! Sim, fiz questão de mencionar A Vida da Gente, mesmo já tendo destacado a trama na retrospectiva de 2011.

Sem dúvida as três atrizes citadas por você merecem o reconhecimento, mas não as citei porque acho que ficaria gente demais e como mencionei a Laura da Marjorie, ao citar atrizes de AVDG, teria que citar novamente a Marjorie como Manu e ia ficar excessivo.

Tente ver Doce de Mãe, vale MUITO a pena!

Olha, a questão de Avenida Brasil é que o autor sabia disfarçar a barriga e dava a impressão que tinham vários acontecimentos, mesmo sem de fato ter. Acho que aí foi a grande sacada de JEC. Já em CDC não houve disfarce e a barriga ficou nítida e desanimou o público.

Fiz questão de citar como melhor atriz, Cláudia, Débora, Adriana e Marjorie. Aqui no meu blog não quero esquecimentos e injustiças. rsrs Beijão!!!!!!!

Sérgio Santos disse...

Oi Barbie, muito obrigado. Beijos.

Carlos disse...

Nossa, esqueci de Lado a Lado, da Débora Falabella, da Laura Cardoso e do Zé Wilker. Os 3 últimos, atores que defendi no ano passado e que infelizmente não vão receber prêmios graças a essa mania do público de achar que interpretação difícil é na atuação de um vilão. Pena. E a primeira, uma novela que apesar do ritmo mais arrastado, é mto bem produzida.

Quanto a AVBR, eu não a achei toda maçante, mas sim do 2° mês mais ou menos em diante. Ela ficou mto tempo na mansão fazendo nada, só cozinhando e ouvindo atrás da porta. Essa fase achei cansativa, mas ainda acontecia. No entanto as coisas pioraram do capítulo 100 em diante, pq o autor achou interessante priorizar a inteligência da vilã, passando por cima da inteligência do público com aquele papo de fotos. A vilã jamais cogitou que ela teria fotos em um PC ou pendrive, por exemplo. Aí ficou no joguinho de gato e rato, com o bundão do Tufão (belíssima interpretação? Benício já fez mais que isso) acreditando em tudo. O resto da família só sabia comer e gritar e vcs ainda elogiam roteiro? A novela era cheia de "cacos" e vcs ainda consideram ela boa? Vingança que se resumiu a fotinhos e em uma cena de perdão corrida após a vilã ficar boazinha em 1 semana? Ok.

Mas os demais eu realmente dispenso. Tinha esquecido mesmo de Lado a Lado e dos 3 atores. Erro meu.

Abraço

Sérgio Santos disse...

Ah bom, Carlos, por isso mesmo que perguntei. Me lembrava de ler você elogiando esses atores e a novela. Sobre Avenida Brasil, respeito sua opinião. Já sobre os 'cacos', eu considerava um dos muitos acertos da novela. Abraço!

Anônimo disse...

http://achatcialisgenerique.lo.gs/ cialis
http://commandercialisfer.lo.gs/ cialis
http://prezzocialisgenericoit.net/ comprare cialis
http://preciocialisgenericoespana.net/ cialis