segunda-feira, 17 de dezembro de 2012

Com uma justa vitória de Ellen Oléria, The Voice Brasil encerra sua primeira edição e se consagra como o melhor reality musical do país

Nesse domingo (16/12), com uma final muito bem produzida e uma merecida vitória de Ellen Oléria, o "The Voice Brasil" apresentou o último programa do ano, encerrando sua primeira edição. Tendo oito cantores na disputa derradeira, onde apenas quatro foram selecionados pelos respectivos técnicos para disputar a votação popular, a atração fez jus ao sucesso alcançado e os telespectadores puderam prestigiar a finalíssima do reality que virou mania nacional. 


A final pode até ter sido previsível para todos os que não acompanham realities, mas os que acompanham sabem que nem sempre o melhor vence e muitas vezes triunfa quem tem fãs mais empenhados. Portanto, a consagração de Ellen Oléria deve ser comemorada. A cantora de Brasília sempre foi superior aos concorrentes. Sua maestria no palco era vista a cada apresentação, a cada programa, a cada fase. E a vitória de Ellen, com 39% dos votos, ainda merece ser aplaudida, uma vez que se trata de uma quebra de preconceitos, ainda tão presentes em nossa sociedade: venceu uma negra, gorda e lésbica. Venceu a melhor voz do programa! As concorrentes eram de peso e também mereciam. Os índices das demais não foram divulgados, mas, segundo consta na comunidade oficial do programa, Ju Moraes teve 30%; Liah 21% e Maria Christina 10%. Ainda falando das finalistas, fica claro que não é só na teledramaturgia que as mulheres estão se sobressaindo, no meio musical também. Na primeira etapa da final, apenas um homem marcava presença, e na segunda parte foram quatro mulheres as escolhidas para disputar o prêmio. 

Entre tantos cantores profissionais que se apresentaram e abrilhantaram o palco do "The Voice Brasil", pode-se dizer que o reality foi um conjunto de acertos. Comprar um formato que faz sucesso em outros países nem sempre é garantia de retorno. Depende da competência de quem adquire. Vide o fracasso do Ídolos na Record, ao contrário do que acontece com o tradicional e bem-sucedido "American Idol" mundo afora. Ao observar o quanto que essa competição musical estava tendo destaque no exterior, Boninho mais uma vez mostra que é o mago dos realities no Brasil e após dirigir várias edições vitoriosas do BBB, emplaca mais um sucesso na emissora. O diretor  soube valorizar o que o reality tinha de melhor, alterou algumas regras para melhorar a dinâmica e ainda acertou ao escolher Thiago Leifert para comandar a atração, tendo a simpática Danielle Suzuki como apoio para entrevistar os cantores. A dupla funcionou muito bem.

O único erro do programa foi o cenário. Apesar de luxuoso, tinha uma iluminação própria para edições noturnas e não vespertinas. Parecia que o palco estava localizado em algum lugar do mundo onde ainda era noite. Já os técnicos despertaram muita desconfiança no início, mas não fizeram feio. Lulu Santos, Carlinhos Brown, Cláudia Leitte e Daniel tiveram sintonia e se saíram bem nessa nova 'aventura'. Entretanto, Lulu se sobressaiu e mostrou muito mais competência na hora de avaliar os candidatos. Foi o único jurado que fez por merecer continuar em 2013.

Não há dúvidas de que o "The Voice Brasil" foi a grande estreia de 2012. O reality se transformou na principal competição musical do país, deixando "Ídolos", "Astros" e "Programa Raul Gil" comendo poeira. A programação dominical estava necessitando urgentemente de qualidade e finalmente o público pôde ver algo que valesse a pena em um domingo à tarde. Devido ao sucesso alcançado,o programa voltará ao ar em julho de 2013, com sua segunda edição. E, pela qualidade mostrada e repercussão atingida, é bem provável que --- ao contrário do finado "Fama" e do "Ídolos", que teve seu cancelamento confirmado pela Record --- o reality ainda ficará muitos anos na programação global. O telespectador agradece. 

50 comentários:

O Vitor viu... disse...

Concordo! O público, desta vez, votou com coerência, prestando atenção na premissa do programa: a melhor voz. Desde o primeiro programa, não tive dúvidas de que Ellen seria "a voz". Amei o programa. Que venha a próxima edição!

Vanessa Barbosa. disse...

The Voice foi uma das melhores coisas de 2012. Durante esses domingos eu me arrepiei com diversas vozes, eu torci, votei e com a certeza de que não ia me arrepender, que não fazia parte de mais um dos joguinhos da Globo, pois entre todos os seus programas, esse foi o mais democrático e cultural.

Ellen merecia demais essa vitória, não só pela voz, mas pela coragem de enfrentar o mundo de peito cheio, de orgulho de assumir suas raízes, suas escolhas, um exemplo de alma.
Tiveram muitas outras vozes que chega a dar dó de ter visto sair, mas garanto que elas já possuem espaço no mercado daqui pra frente, como minha conterranea arretada Ludmilah Anjos que tem uma potencia vocal estupenda, Késia que encanta, Liah que já tem seu público fiel, entre tantos outros.

Agora, que faço dos meus domingos sem The Voice?

paulo disse...

Sergio, não assisti esse programa(pra variar), mas já me acostumei a visitar seu blog e não posso deixar de admirar sua simpatia e educação, é incrivel a maneira como voce responde a todos. Discordo de 99% do que voce gosta na TV mas mesmo assim não deixo de ler seus textos. Descobri por acaso seu blog, ha uns meses atras procurava algo no google e caí aqui, e tambem não sei porque estou dizendo isso, estou feliz hoje, kkkkkkk. Um grande abraço cara.

Sérgio Santos disse...

Oi Vitor! Pois é, dessa vez a justiça foi feita e ganhou a melhor voz. Ellen é um mito. E não acredito que a emissora vá cometer o mesmo erro do Fama, portanto, creio que colocará muitas músicas da artista em suas novelas a ajudando na carreira. Que venha a próxima! Abração!

Sérgio Santos disse...

Oi Vanessa. Apesar de termos visto muitos cantores excelentes, também torcia pela Ellen. Não há como vencê-la, ela é um poço de talento. Fiquei feliz pela ida da Maria Cristina até a final porque tem atitude e representa os cantores de atitude e estilo próprio, tão raros ultimamente.

Pois é, resta esperar a próxima edição! rs Beijos!

Sérgio Santos disse...

Puxa, Paulo, que surpresa. Fico feliz pelo elogio. Sempre faço questão de responder a todos que perdem seu tempo postando comentários aqui. E gosto de interagir com os leitores também.

Imagino que vc deva ser corintiano e por isso tá tão alegre. rs Abração!

Smareis disse...

Sergio não vi esse programa
até o final. Só vi mesmo os dois primeiros domingo, depois parei de ver... Acho que a globo teve muita audiência no horário que era exibido.
Passei pra agradecer pela sua presença no meu espaço nesse ano de 2012.
Ótimo final de Ano, e maravilhoso começar de Novo Ano.
Feliz Natal, e que o Ano Novo seja pleno de realização.

Uma ótima semana!
Grande beijo em teu coração!

Refletindo com a Smareis

Bruno Marques disse...

Sérgio,perfeita a sua crítica!!!
O The Voice foi a grande surpresa desse ano e a vitória da Ellen Oléria foi muito merecida!!!
Espero que ela brilhe muito na vida e que tenha uma carreira longa.E que a Globo dê uma mãozinha colocando uma música sua em alguma novela!!!

Lulu disse...

Sem dúvida. Prova disso é que logo na estreia do programa bombou o twitter, que hoje é uma referência na TV se o programa fará sucesso. Amei a vitória da Ellen Oléria. Merecidíssimo.
Big Beijos

Obs: Obrigada pela visita no dia que celebrei 9 anos de blog.

Rafael Barbosa dos Santos disse...

No primeiro programa já dava pra prever a vitória de Ellen, a voz potente dela que fizeram todos os jurados virar logo no primeiros segundos de sua apresentação, a euforia da platéia, a segurança dela no palco, simpatia, enfim ali ela já garantiu sua vitória, e se tornou a preferida de muitos, inclusive a minha, então estou feliz demais pela vitória dela, mais que merecido, viva Ellen. O programa acertou em tudo, no apresentador, nos técnicos e nos candidatos, o cenário não me incomodou mas realmente poderia ser algo mais pra cima, solar. Na próxima temporada eu não mudaria nada, talvez eu tirasse Daniel como jurado e colocasse alguém mais dinamico e carismático como os outros tres, acho que tirando Daniel, os outros fizeram por merecer continuar no ano que vem, mas Lulu tinha uma visão mais técnica, por isso se saiu melhor (os outros foram mais movidos pelo coração),apesar da vitória ter vindo do time de Brown, que era o melhor. Agora vai ficar um vazio nos domingos, vou ficar aguardando ansiosamente a segunda temporada. Viva o The Voice Brasil.

Carlos disse...

Nem sabia dessa final, fui pego de surpresa quando mudava de canal. A vitória dela já era esperada, só acho que ela e os demais candidatos gritam muito, mas se o público gosta disso, beleza. O horário nunca me agradou. Foi bom pra Globo pq aumentou a audiência, mas assistir após o almoço, que sono. E uma coisa não me agradou nesse final: muita música. Sei que é um reality musical, mas pareceu tudo corrido, com o apresentador falando do próximo candidato e mais música. Os bastidores foram só a Dani Suzuki enchendo linguiça. Poderiam mostrar os ensaios, retrospectiva dos candidatos... Parece que Boninho prefere fazer isso só com BBB e ignorou essa final do The Voice, que após a vitória jogaram confetes e fim. Muito corrido. Tbm achei as músicas da final bem sofríveis, nenhuma marcante. Uma escolhe Taj Mahal a outra come Madona, gostos duvidosos pra uma FINAL.

Agora, boa sorte aos participantes e que eles consigam fugir da maldição dos realities musicais.

Abraço

Vanessa Barbosa. disse...

Sergio, discordo de vc nessa questão da Maria Christina, eu ainda não entendi como ela chegou a final... Ela canta bem a prova disso é que participou do programa, mas não consigo enxergar emoção no que ela canta, acho muito sem sal.
Mas gosto é gosto né, rsrsrs. Para alguns, o jeito dela é muito especial.

Elvira Akchourin do Nascimento disse...

Sérgio, endosso seus elogios à vitória de Ellen Oléria e ao "The Voice Brasil".
Gostei dos shows dos técnicos com alguns candidatos e com Sérgio Mendes. Lamentei que Késia Estácio, uma das melhores, na minha opinião, não tenha ficado entre as quatro finalistas.
Danilo Dyba e Ludmila eram os mais fracos. Talita gritou mais do que cantou. Maria Christina surpreendeu, mas preferi Lyah Soares e Ju Moraes.
Tiago Leifert e Dani Suzuki estiveram ótimos mesmo. Nada tenho a reclamar dos cenários, mas a demora de Carlinhos Brown em escolher o melhor me irritou várias vezes.
Fiquei satisfeita que esta melhor atração das tardes de domingo retornará em julho de 2013.

Silvia Reis disse...

Lindo blog! Sucesso!
Abraço

Barbie Californiana disse...

Poxa, tá todo mundo falando bem desse "TheVoiceBrasil", mas acredita que eu ainda não parei para assistir? hihii
beijos e linda tarde.

Vanessa disse...

Sérgio, querido, vamos comentar o que agora aos domingos? RS.

Sempre curti muito programas desse tipo. Quando criança, adorava “Programa Raul Gil”. Depois, viciei no “Fama”. Confesso que “PopStars”, “Ídolos” e variações nunca me atraíram. SBT e Record não têm o cacife para fazer um reality show musical do tamanho que ele pede. Aliás, o próprio “The Voice Brasil” é bem mais humilde que as franquias americana e inglesa. Está aí, inclusive, uma das minhas críticas. No exterior, o programa tem ares de super produção, as gruas passeiam por todos os cantos do palco.

A iluminação, de fato, destoou do horário do programa. Outro ponto fraco, a meu ver, foi a troca excessiva de horários. Em um domingo, era ás 14h. No outro, ao meio-dia. Isso impactou no ibope. Também não gostei da mudança de regras. Na primeira série pós-Batalha, alguns disputaram a permanência em duplas. O público que escolheu quem deveria ficar. Nessa mesma etapa, realizada no fim de semana seguinte, os candidatos foram colocados em trio. O público salvou um, o técnico outro. Ora, se a etapa é a mesma, que as regras sejam idênticas.

Ainda sobre as regras, não ficou claro, pelo menos pra mim, como foi a escolha da ordem das Batalhas. Houve um sorteio? Afinal, quem ficou por último foi prejudicado pelo término do “Peguei”. Muitas cantoras talentosas, como aquela que dividiu a apresentação de “Não Enche” com a Ludmillah Anjos, não tiveram a chance de serem salvas. A questão dos votos serem abertos antes da apresentação também precisa ser revista. O correto seria no ato em que o cantor estivesse no palco.

Já os jurados, com exceção do Lulu (o melhor de todos no quesito comentário) e do Brown (chato na hora de decidir quem continuar, mas assertivo na maior parte dos comentários e craque para montar o time), Claudia Leitte e Daniel despejaram obviedades, clichês e nada acrescentaram. Curiosamente, montaram também as equipes mais fracas. Muitos do Lulu e Brown teriam sobrevivido por mais tempo se tivessem entrado no time da Claudia Leitte e do Daniel.

Aliás, “The Voice” é um jogo. A própria escolha do Lulu, ao optar pela Maria Christina ao invés da excelente Késia, deflagrou isso. Que os candidatos sejam mais inteligentes e optem pelos jurados ‘menos tarimbados’ na próxima edição. Como já são todos profissionais, talvez ganhar semanas no “The Voice” pese muito mais do que vc ser orientada por um coach melhor. Ficar na mente do grande público, pelo menos por aquelas semanas, é mais lucrativo. Thalita, Danilo, etc, possivelmente não teriam chegado se estivessem com o Brown.

Continua>

Vanessa disse...

>>

Também não consigo gostar do Tiago Leifert. Como moradora de SP, acompanho o trabalho dele há mais tempo que vcs de outras partes, uma vez que ele faz as micagens no “Globo Esporte SP”. Não nego que se trata de um apresentador carismático, mas realmente não curto essa vontade excessiva de fazer rir. O “Globo Esporte SP”, por ex, virou um programa em que é muito mais importante levar um iPod para tocar música do Michael Jackson no treino do Palmeiras do que para falar da crise do clube. Foram muitas as matérias do tipo.

Achei também que o Tiago deveria ser mais imparcial. Em um programa em que a votação popular pesa, não se pode falar que a “Lorena é uma das favoritas do programa”. É o público que precisa ter tal percepção, não o Tiago vender isso. Enaltecer a todo instante um bordão de uma candidata também compromete. Até então, o que era o ‘pah’? Eu, particularmente, preferia uma Angélica, um Zeca Camargo... Mas aí também teria que ver todas as tardes o Leifert no “Globo Esporte SP”. Não sei o que é pior! Rs.

Sobre a vitória da Ellen Oléria, mais do que merecida! Fiquei aliviada ao ver que ganhou a melhor voz, não a candidata mais bonita, a mais magra, a mais carismática ou a de técnico mais popular. Ganhou quem de fato fez a diferença! E isso lá atrás, desde a Audição. Ah, e não é de hoje que as mulheres se sobressaem na música. Os grandes intérpretes da nossa MPB, por ex, são mulheres. Dá para citarmos dezenas das grandes vozes, e vamos perceber que 90% são femininas. Tanto na música qto na dramaturgia é a mulher quem manda! RS.

Agora, quanto ao formato, sempre achei o do “Fama” mais interessante. Até comentei isso com vc uma vez no TT, lembra? Era muito bacana assistir às aulas deles na Academia. Era também uma aula para nós, telespectadores, sobre o mundo musical. O dia a dia mostrava de fato como funciona a vida de um músico, as técnicas para não desafinar, as dificuldades para acertar o tom e decorar a letra, como se portar em cima do palco e que espaço preencher... Até clipe eles gravavam! rs

Bom, “The Voice” foi um acerto em todos os sentidos. Para ele se diferenciar ainda mais em relação aos ‘irmãos’, é preciso que os candidatos vinguem no mercado. Com exceção de Thiaguinho e Roberta Sá, do “Fama”, o pessoal do “Ídolos”, “PopStars”, “Raul Gil” e derivados não teve uma carreira sólida. Estourou, mas não vingou por muito tempo. A própria Globo deu uma mão para Marina Elali, Ivo Pessoa, mas não saiu disso. Que o “The Voice” seja também lembrado por ser um programa em que os cantores aconteceram!

Sorry, me empolguei, mas vc me conhece, né? RS.

Beijão, Sérgio.

Vanessa

Patricia Galis disse...

Gostei do programa mas achava o Fama mais legal, apesar que vamos ser sinceros nenhum dos ganhadores desses tipos de programas fazem sucesso, os que estão por ai na mídia não eram os favoritos, mas espero que tenha mais edições. Essa moça canta muiiito.


Parabéns por estar entre os vencedores da Primeira Edição Xícara de Ouro com certeza as indicações foram merecidas pois seu blog é excelente.

Kellen Bittencourt disse...

Eu adorei o programa embora tenha assistido só a semi final e a final rsrsr, mas fiquei fã da Mira Calado qdo assisti, uma pena ela não ter ido p final, de qualquer forma a ganhadora tem uma bela voz e mereceu tbém, pena que ela não teve tempo p falar no final! Abraçosss

Clau disse...

Oi Sérgio :)
Gostei muito do The Voice,o Thiago arrasou na apresentação,e meu jurado favorito sempre foi o Lulu Santos.
Só não gostava quando Danielle Suzuki,entrava.Sem graça de tudo,na minha opinião nunca acrescentou nada ao programa.
Torci pela Liah,pois tem uma voz doce e não grita.
Mas a Ellen Oléria,é talentosa e tem uma voz bonita.
Bjs!

Adriana Helena disse...

Boa noite meu maravilhoso amigo Sérgio!

Ah,que postagem bela sobre a Final do The Voice! Ainda bem que a Ellen ganhou pois foi primorosa desde a apresentação inicial que tive a oportunidade de ver, até a final, onde cantou duas músicas lindas e deu o seu toque a cada uma delas!
Eu fiquei emocionada com a final, mesmo tendo perdido algumas edições nos domingos anteriores...

Mas ter um programa dominical assim, abalou as tardes de domingo e nos tirou daquela "mesmice" de programas que não aguentamos mais ver..kkkk

Gostei amigo, você como sempre em uma excelente análise dos programas! E A VENCEDORA TEM UM VOZEIRÃO DE ARRASAR CORAÇÕES!!!
Obrigada e uma excelente semana!!!

Marcos Mariano disse...

Por incrível que pareça de todos esses novos programas que tem sido lançado por ai, esse é o primeiro que assisto do inicio ao fim, nenhum reality me prendeu dessa forma. Sou muito ligado em musica até pq trabalho com áudio e componho também. E a qualidade desse programa tanto de produção como de participantes e esse formato desde as audições até o juri me surpreendeu e me encantou.

Confesso que a minha favorita era a Liah Soares pra mim ela é a artista mais completa que passou por aquele palco, mas reconheço o talento Ellen Oléria, até pq ela sempre foi minha segunda opção depois da Liah. Só tenho elogios a esse programa.

Rita disse...

Assisti e fiquei emocionada, apesar de não ser ela a minha favorita, espero que faça sucesso merece muito pois canta divinamente bem...

E vamos concordar com uma coisa, nesse programa tinha e tem né, muitos cantores e cantoras que cantam muitoooooo melhor que os que estão na mídia fazendo sucesso, EU ACHO>>>

Abraços com carinho
Bjuss
Rita!!!!

Sérgio Santos disse...

Oi Smareis. A recíproca é verdadeira. Muito obrigado e desejo o mesmo para você. Beijos.

Sérgio Santos disse...

Oi Bruno, obrigado. Também acho que foi merecido e não creio que a Globo cometerá o mesmo erro do passado. Acredito que irá investir nela. Abraços.

Sérgio Santos disse...

Oi Lulu. É verdade, nós estávamos no Twitter e vimos o quanto que o programa repercutiu. O sucesso é merecido. E parabéns novamente. Bjs!

Sérgio Santos disse...

Oi Rafael. Ellen era superior mesmo e isso ficou explícito desde o início. Que bom que a justiça prevaleceu e a melhor voz realmente triunfou.

Na minha opinião, na segunda temporada deveriam manter o Lulu e colocar Ana Carolina, Rita Lee e Paula Toller como técnicos. Mas é meu gosto pessoal e acredito que todos os quatro continuem. O Daniel foi um jurado totalmente inútil na minha opinião e o Carlinhos irritou a todos com suas piadinhas e enrolações. Até que a Cláudia me surpreendeu. Que venha a segunda temporada para preencher o nosso vazio! Abração.

Sérgio Santos disse...

Oi Carlos. Discordo de você. Não acho que Ellen grite, pelo contrário, ela canta. Suas três adversárias também não se excedem e mereceram estar ali. Só tiraria a Liah e colocaria a Alma Thomas, que Daniel eliminou injustamente.

Porém, sim, muitos candidatos ao longo do programa gritaram muito, inclusive a Thalita, do time da Cláudia Leitte e que infelizmente fiou até a final, mas, ainda bem, foi eliminada na primeira etapa.

Minha única crítica para a final foi o fato de não terem entrevistado a ganhadora e nem terem divulgado as porcentagens dos demais colocados. Não achei corrido, não. Abração.

Sérgio Santos disse...

Oi Vanessa, é verdade, é questão de gosto. Mas eu gostava muito da Maria Christina e acho que ela pode ser uma representante do rock, que anda tão esquecido atualmente.

Eu gosto da Liah, mas a acho inferior a alguns adversários. Beijos! ;)

Sérgio Santos disse...

Ah, Carlos, só mais uma coisa, também não gostei do horário. Preferia à noite, depois do Fantástico. Porém, muita gente reclamaria, alegando que um programa tão bom não poderia ir ao ar tão tarde. E, querendo ou não, deu muita audiência e elevou o nível da grade vespertina. Abrço!

Milene Lima disse...

Vi todos os programas, exceto a estréia. Muito bom, muito bom! Por mim seria uma edição atrás da outra.
Jura que você não riu horrores com o Brown? Além da sua competência, que é óbvia. O Lulu é um clássico, impecável. Desconstruí um pouco do que pensava dele, além de ser um grande artista, um sujeito arrogante... E não é. A Cláudia Leite pode parar de repetir que está arrepiada e também de ficar fazendo piada engraçadinha (é seu aniversário hoje? "por que vc está de parabéns" foi podre). O Daniel, gostei mais do que pensei gostar. Os candidatos, aliás, todos emepebistas convictos, quase nunca o escolhiam, então foram para os times mais fortes e se lascaram mais cedo. Bem feito!
Também não entendo como a Maria Cristina chegou tão longe. Total sem emoção. Pra mim, o Lulu ficou com a finalista mais sem graça, justo ele que tinha um time tão bacana.
A Ellen... que tudo! É não acreditava que ela fosse vencedora num concurso em que o povo era o juiz... O povo gosta do padrão e ela era totalmente fora. Que engano maravilhoso.

Ixi... fui longe. Quero lodo que venha a segunda edição. Beijoooooo...

Sérgio Santos disse...

Oi Elvira. Kesia era ótima mesmo, mas gostei do Lulu ter escolhido a Maria. Sobre o Carlinhos é verdade, ele irritou e MUITAS vezes. Por isso não acho que ele faria falta no programa.

Foi bacana acompanhar esse programa e que venha a segunda edição. Beijos.

Sérgio Santos disse...

Oi Silvia, muito obrigado. Bjs

Sérgio Santos disse...

Olha, Barbie, agora vc só vai poder assistir em 2013, porque a primeira edição terminou. rs Bjs!

Sérgio Santos disse...

Vanessa, sempre gosto quando você se empolga, ou seja, sempre. rs Carlinhos foi competente e escolheu o melhor time mesmo, mas irritava tanto que cansava qualquer um. Concordo que Cláudia e Daniel tiveram os times mais fracos e que pouco acrescentaram com seus comentários, mas ao menos a Cláudia foi simpática e estava à vontade, ao contrário do Daniel que parecia uma múmia.

Sobre o Thiago eu concordo sobre o fato desnecessário de enfatizar o bordão da Ludmillah, mas discordo sobre o restante. Achei ele ótimo e não quis aparecer mais que os jurados e candidatos. Era quase um elenco de apoio. Já o vi apresentando o Globo Esporte em SP (embora seja do RJ) e concordo que lá ele é um saco. Aliás, no Central da Copa ele também irrita muito. Mas no The Voice achei que se encontrou.

Gostei do Ídolos quando estava no SBT e me divertia com o reality. Depois que foi para a Record afundou de vez.

Já o Popstars eu nunca gostei, mas reconheço que conseguiu o que até agora nenhum reality musical alcançou: o sucesso com o Rouge. O grupo foi um fenômeno sem nem precisar pisar na Globo. Isso é raríssimo. O grupo acabou ma\is por uma disputa de egos do que por questões de fracasso.

Sobre o The Voice, também acho que as votações serem abertas antes de todos se apresentarem precisa ser revista. Sobre as batalhas, não foi sorteio. O técnico que escolhia as disputas. Achei normal. Enfim, que venha a segunda edição. Bjão!

Sérgio Santos disse...

Oi Patrícia. Aproveitando o seu comentário e emendando com uma resposta para a Vanessa, eu detestava o Fama. Achava o programa lento, entediante e os jurados também pouco acrescentavam. Não gostei da ideia de vê-los dentro de uma casa ensaiando e os clipes também não me enchiam os olhos.

Acho que agora a Globo não repetirá o mesmo erro anterior. Vamos ver.

Muito obrigado. Confesso que fiquei surpreso porque nem pedi indicação alguma e ,no entanto, o blog foi indicado por várias pessoas. Um gesto carinhoso dos leitores. Beijos!

Sérgio Santos disse...

Oi Kellen, também gostei muito da Mira. Aliás, achei injusta a escolha do Carlinhos pela Ludmillah. A Mira merecia estar mais na final do que ela. Mas ao menos ela cantou com Sérgio Mendes na final e marcou presença. Beijos.

Sérgio Santos disse...

Oi Clau. Também gostei a apresentação do Thiago e achei a participação da Danielle bacana, mas respeito você não ter gostado. Liah é uma boa cantora, mas nunca a achei merecedora do prêmio. Até via outras cantoras do time do Daniel bem mais competentes. Mas muita gente gostava dela. Beijos!

Sérgio Santos disse...

Oi Adriana! Tudo bem? A final fez jus ao sucesso do programa e Ellen é uma merecedora. Ela é daquelas pessoas que você sente vontade de dar um abraço apertado. Ela tem uma voz incrível e atitude no palco, além de ser segura. Enfim, o The Voice levou qualidade aos domingos à tarde! Beijão!!!!

Sérgio Santos disse...

Oi Marcos. Olha, eu acho que todos que acompanharam o The Voice gostaram muito do programa. Porque tem vezes que muitos veem uma atração só pra falar mal. O reality conquistou a todos e fez sucesso. Nada tinha contra Liah, mas acho Ellen superior. Abração!

Sérgio Santos disse...

Oi Rita. Sem dúvidas. Muitos talentos passaram pelo The Voice, desde a primeira fase. Não era um show de calouros, era uma competição entre profissionais. Valeu a pena ver. Beijos!

Thallys Bruno Almeida disse...

Ótimo texto, Sérgio.

A competência do Boninho e o surpreendente desempenho do Tiago Leifert (como não sou de SP, não tenho que aguentar as gracinhas dele, rsrsrs), além da boa sontinoa dos jurados e do alto nível dos candidatos, fez com que o The Voice se sagrasse o grande reality musical de 2012.

Desde a primeira aparição, a Ellen Oléria dava sinais de que seria grande favorita e Carlinhos Brown fez bem em apostar nela. Sua vitória fez jus ao título do programa. Uma candidata que aparentemente contrariava todos os ideais e "regras" de beleza impostas, mas que compensou isso tudo com um carisma impressionante aliado à grande arma que ditava o ritmo do reality: A VOICE. E pelo visto a Globo já quer se ligar pra não repetir os erros do Fama: vai apostar nela e em outros finalistas no BBB 13 (tem dedo do Boninho nisso) e ela vai cantar no réveillon de Copacabana. E é torcer pra vê-la numa das próximas novelas.

Sobre os jurados, Brown mostrou competência na escolha de vários candidatos, sendo seu time comparável ao de Lulu Santos. Mas conta ponto negativo a famosa enrolação que ele fazia na hora dos candidatos. E até Cláudia Leitte foi melhorando ao longo dos programas, deixando Daniel lá pra trás. Só não entendi porque Lulu fez o dueto final com aquele chato do Gabriel Levan, mas deixa pra lá.

Lembro bem do Popstars, cuja versão feminina rendeu MUITO mais frutos que a masculina, numa época em que o SBT ainda era o grande rival global. Toda hora que se ligasse o rádio era aquela ragatanga enchendo o saco. Se bem que éramos felizes e não sabíamos em meio aos de hoje...

O Ídolos do SBT só conseguiu revelar mesmo a Thaeme Marioto (que teve que mudar de estilo pra emplacar) e o da Record, o Chay Suede, que foi pra Rebelde. Desde 2010 o Ídolos decaía e a temporada desse ano, tirando o Faro e colocando o Supla e o Mion (além de jurados como Luiz Calainho e Rick Bonadio terem tido problemas com o Marco Camargo em outras temps), acelerou isso de vez. Tanto que até o Bonadio fez críticas pesadas numa entrevista esse ano. Talvez isso explique a decisão da Record de acabar com o programa principal pra apostar no Got Talent.

Enfim, considero que o The Voice Brasil foi a segunda maior estreia do ano na programação global. Arrisco dizer que na segunda temporada trocarão alguns jurados. Abçs!

Thallys Bruno Almeida disse...

*sintonia / *em meio aos hits de hoje

Sérgio Santos disse...

Oi Milene. Olha, juro. O Carlinhos é muito competente, tanto que teve o melhor time, mas me irritou muito com suas enrolações e piadinhas inoportunas.

Eu gosto da Maria Christina, mas Kesia também é muito boa. O que foi a cara da Ellen quando a anunciaram vencedora? Arregalou aqueles olhões e deu um grito incrível! Aliás, cabe aqui elogiar a atitude da Globo em colocar com todas as letras que Ellen tinha uma namorada. Bacana. Que venha a segunda edição! Beijos!

Elvira Akchourin do Nascimento disse...

Sérgio, lendo alguns comentários acima, lembro que aqui em casa todos gostamos do "Fama", mas achamos o "The Voice Brasil" melhor.

Paty Michele disse...

Achei a vitória mereceida, embora torcesse para outra concorrente. rsrs

Sérgio, vim te parabenizar por estar entre os 20 melhores blogs de 2012 e aproveito para te agradecer pela sua preciosa presença em meu blog durante o ano que se finda.

Um grande abraço e muitas alegrias em 2013.

Sérgio Santos disse...

Oi Thallys. Também não sou de SP, então me livro igualmente. E, sim, venceu a voz e não o marketing ou a aparência. Ellen fará sucesso porque agora acredito que a Globo investirá nela. Com certeza tem o dedo do Boninho na participação dela e de outros no BBB.

Rouge foi um sucesso e eu gostava das músicas. Aliás, comparando com as de hoje, nota-se que eram ainda melhores.... E elas ao menos representavam o pop, que como o rock, também anda em extinção no Brasil. Abraço!

Sérgio Santos disse...

Oi Elvira. Gostou mesmo do Fama? Eu achava muito ruim. Ainda tinha o Toni Garrido que não tinha sintonia alguma com a Angélica. Mas respeito ter gostado. Beijos!

Sérgio Santos disse...

Oi Paty! Você também torcia por outra? rsrs Eu torcia pela Ellen msm.

Muito obrigado e fiquei feliz pelo prêmio, não cogitava isso, sinceramente. Você sempre está aqui me visitando, então o mínimo é eu visitá-la também. E bom casamento, hein? rs bjsssss

Sérgio Santos disse...
Este comentário foi removido pelo autor.