quinta-feira, 19 de abril de 2012

O talento de Adriana Esteves

Somente pelas chamadas de "Avenida Brasil", antes mesmo da novela estrear, já dava para perceber que Carminha seria a melhor personagem da carreira de Adriana Esteves. Ao mesmo tempo, a atriz mostrava o quanto havia se entregue ao personagem e que a vilã seria muito marcante. Dito e feito. Assim que a trama de João Emanuel Carneiro estreou, vimos o quanto que Adriana iria brilhar ao longo dessa forte história.


Revelada no "Domingão do Faustão", Adriana sempre mostrou competência em seus trabalhos. Apesar de não ter acompanhado o início de sua carreira, vi muitos vídeos de seus trabalhos e é admirável o seu talento. Estreou em "Top Model" (1989), viveu sua primeira protagonista em "Pedra Sobre Pedra" (1992) e viveu sua pior crise quando foi escalada para o elenco de "Renascer" (1993), onde viveu a espevitada Mariana. Massacrada pela crítica, ficou muito abalada e pensou em desistir da carreira. Chegou a aceitar o papel de Babalu ("Quatro por Quatro" - 1994), mas logo após algumas gravações desistiu --- pois enfrentava uma forte depressão em virtude das pesadas críticas sofridas em sua última novela --- e foi substituíta por Letícia Spiller.

Após um período de aproximadamente dois anos, Adriana voltou à televisão. Participou
 de uma minissérie (Decadência - 1995), e passou um período no SBT, até retornar à Globo, onde permaneceu até hoje. Ainda na época, participou da novela "A Indomada" (1997), mas foi no ano seguinte que a atriz teve um imenso destaque vivendo a vilã Sandrinha em "Torre de Babel" (de Silvio de Abreu). A arrogante piriguete (termo inexistente na época) tinha constantes conflitos com o pai (Clementino - Tony Ramos) e a atriz teve um excelente desempenho. Para culminar, foi a própria menina que explodiu o Shopping (Tropical Tower), mistério só revelado no último capítulo. Na época, a atriz ganhou o Troféu Imprensa, Troféu Domingão e o Prêmio APCA de Melhor atriz. Mais do que merecidos.

Em 2000, Adriana protagonizou a ótima "O Cravo e a Rosa", sucesso de Walcyr Carrasco, e fez uma engraçadíssima parceria com Eduardo Moscovis (o Petruchio), vivendo a temperamental Catarina. O casal conquistou o público e suas cenas sempre rendiam bons momentos e grandes atuações. Depois de mais esse sucesso, a atriz participou de outras tramas ("Coração de Estudante", "Kubanacan", "Senhora do Destino" - era a Nazaré, vivida posterimente por Renata Sorrah, na primeira fase, "A Lua me Disse") até surpreender a todos ao mostrar que também sabia fazer rir em "Toma Lá Dá Cá". Como se esquecer da hilária Celinha e seus tiques nervosos? Adriana provou que é uma atriz completa.

A minissérie "Dalva e Herivelto - Uma canção de Amor" foi mais um presente recebido pela atriz, dessa vez das mãos de Maria Adelaide Amaral, a autora. Dalva de Oliveira foi lindamente interpretada por Adriana, que emocionou a todos com o drama vivido pela grande cantora. Foi premiada, mais uma vez, pelo seu trabalho. Justíssimo.

A Júlia de "Morde & Assopra" também foi muito bem defendida por ela. Essa paleontóloga, criada por Walcyr Carrasco, era a protagonista da trama e divertia com suas brigas com Abner (Marcos Pasquim), ao mesmo tempo que emocionava através da sua amizade com Dulce (Cássia Kiss Magro). A cena em que a faxineira conta para sua amiga que irá morrer foi a mais tocante da novela e Adriana deu um show, assim como Cássia, claro.

Agora é como Carminha, seu melhor papel, que Adriana Esteves está nos presenteando com seu talento. Com certeza será uma vilã que nunca cairá no esquecimento, pois, além de ser um papel muito bem escrito, está sendo brilhantemente vivido por essa grande atriz. Parabéns, Adriana! E por favor, nunca pare de atuar. O público agradece.

20 comentários:

Sissym disse...

Eu sou fã desta artista, ela consegue ser comica, tragi-comica, dramatica, boazinha, vilã... tem algo nela especial.

Até hoje lamento as criticas que ela sofreu, mas a mídia é assim mesmo, coloca para cima, poe para baixo tambem!

Beijos

Sérgio Santos disse...

Sissym, obrigado pelo comentário. Também sou fã da Adriana e lamento as críticas injustas que ela recebeu. Ainda bem que depois ela só foi elogiada e muito merecidamente. Beijos.

Thallys Bruno disse...

Lembro bem da Adriana em A Indomada, onde fazia par com o José Mayer. Se não me engano, foi ali que ela começou a ganhar o respeito da crítica, antes da consagração definitiva como Sandrinha (Torre de Babel).

Na comédia, então, ela se garante demais. Adorava a Catarina (O Cravo & A Rosa) e principalmente a Celinha (Toma Lá Dá Cá). O quarteto principal do TLDC era fantástico, embora os melhores personagens mesmo fossem Copélia, Dona Álvara e Seu Ladir. O papel em Dalva e Herivelto foi impactante e mostrou uma faceta dramática maravilhosa dela.

Gostei da Júlia de Morde & Assopra, mas não está entre as minhas personagens preferidas (na própria novela, a Dulce, as Naomis e a dona Salomé me chamavam muito mais atenção). Agora, com a Carminha, acredito que esse papel é o melhor da carreira da Adriana. E enfim precisávamos de uma vilã de verdade na faixa das 21h. Merecido artigo.

PS: Esttava reparando numa coisa: até pouco tempo atrás, a novela das seis era melhor que a das 7 e 9 (Cordel-M&A-Insensato) e (AVDG-Aquele Beijo-FE). Agora, a situação se inverteu. Enquanto AVBR e Cheias de Charme agradam, Amor Eterno Amor se arrasta.

Massoterapeuta no rio de janeiro disse...

Sérgio ,
Sem dúvida uma belíssima atriz .
De um talento comprovado .
Gosto muito de seus trabalhos .
abs
Francisco

Valéria Braz disse...

Sempre gostei demais dela... ela tem um quê de moleca que empresta em todos os personagens,sejam bons ou maus, que dá uma vida especial a eles....
Beijo no coração

Brenda disse...

Lembro bem da Catarina, como eu me diverti com ela!!!
Já vi o Leão Lobo falando que no começo da carreira ela não era boa atriz mas melhorou muito com o tempo, que sirva de inspiração para as outras atrizes.
Realmente no twitter todos falam que esse é o papel da vida dela, penso que vai ser tão inesquecível quanto a Nararé Tedesco, uma vilã terrível mas que no fundo eu gostava.

Patricia Galis disse...

Sempre gostei dela, é uma pessoa que não vemos falar nada de escândalo, ainda bem que continuou a carreira, é maravilhosa. Essa novela com certeza vai marcar a carreira dela.
Fico feliz que tudo tenha voltado ao normal, acho que é problema da plataforma blogger mesmo.

Bia Hain disse...

Oi, Sérgio, acho que a Adriana arrasa principalmente dos papéis de vilã, como o atual. Um abraço!

Sérgio Santos disse...

Thallys, vc tem razão. Ela era par do Zé Mayer mesmo. Adriana se mostrou uma atriz completa. Catarina e Sandrinha foram ótimas! Celinha idem. E é verdade: agora as situações se inverteram. Agora as tramas das sete e das nove estão melhores que a das seis. Abração.

PS: Vc falou comigo pelo Twitter ontem? Pensei que fosse vc, mas qd fui responder havia sumido.

Sérgio Santos disse...

Francisco, obrigado pelo comentário. Também admiro muito a Adriana.! Abraço!

Sérgio Santos disse...

Valéria, concordo com você. Ela tem uma energia muito boa e isso é transferido para suas personagens. Beijos e obrigado pelo comentário.

Sérgio Santos disse...

Brenda, a Catarina é inesquecível, né? Aquela novela foi ótima e Adriana esteve impecável. Carminha é a melhor e mais marcante personagem mesmo. Foi um presente e tanto. Beijos!

Sérgio Santos disse...

Patrica, é verdade. Ela sempre foi muito discreta e raramente se expõe desnecessariamente. Carminha marcará a carreira dela.

Pois é. Creio que foi um erro mesmo, mas novamente agradeço sua ajuda! Beijos.

Sérgio Santos disse...

Oi, Bia! Sem dúvida. As vilãs que ela interpretou em Torre de Babel e Coração de Estudante também foram muito bem defendidas por ela! Beijão!

Thallys Bruno disse...

Era eu mesmo. Mas nem sei se vou ficar no twitter, acho que não. Mas de qualquer forma, estarei sempre por aqui, pois gostei muito do blog. Abraço!

Sérgio Santos disse...

Thallys, fico feliz! Abração!

Samanta Sammy disse...

Olá Sérgio, como vai ?

Adorei sua iniciativa de trazer informações sobre a maravilhosa Adriana Esteves e no final ainda nos inspirar com este incentivo a uma bela profissional !
Eu particularmente amei todas as atuações dela que acompanhei, e fico imaginando quantos não passam por esta situação de desânimo e tristeza ao ver que seu esforço não foi reconhecido, ao ler críticas injustas, etc, realmente deve ser muito difícil passar por isso, a admiro ainda mais por não ter largado a arte que ama e faz tão bem ! Que bom !
Sou fã desta linda !! :)

Grande abraço e boa semana !

Sérgio Santos disse...

Oi, Samanta. Obrigado! É verdade, Adriana é um talento e sua coragem em encarar o 'terremoto' que sofreu no início de sua carreira foi admirável. Também sou fã dela. Beijão e ótima semana pra você!

Elvira Akchourin do Nascimento disse...

Adriana Esteves convence muito no papel de Carminha. Alessandra Negrini tinha sido cotada inicialmente para o papel, ela é talentosa e linda e merece uma personagem à altura do talento.
Voltando a Adriana, parece que as críticas à sua atuação em "Renascer" fizeram-na se aprimorar no talento e buscar novos desafios. Ela convence tanto no drama quanto na comédia.
Seus melhores papeis foram em "O Cravo e a Rosa", "Torre de Babel", "Decadência", "Dalva & Herivelto" e agora ela parece se superar em "Avenida Brasil".

Sérgio Santos disse...

Obrigado pelo comentário, Elvira. Acredito que Alessandra também iria dar show na personagem. Ela se sai bem nas vilãs. Mas Adriana está espetacular. Que cenas boas ela tem feito. O sequestro da Carminha a fez brilhar ainda mais. Beijos.