sábado, 20 de agosto de 2016

Reprise de "Laços de Família" no Viva comprova que o sucesso da novela é atemporal

Quando o Viva decidiu reprisar "Laços de Família" houve uma grande expectativa em torno da reexibição. Afinal, é um dos maiores sucessos de Manoel Carlos e a novela ainda entrou para a história da teledramaturgia com a cena de Camila (Carolina Dieckmann) raspando os cabelos ao som de Love By Grace, cantada por Lara Fabian. A animação do público com a reprise se refletiu diretamente nos números de audiência, pois não demorou para a trama se firmar como o maior êxito do canal a cabo desde o seu início. E não é difícil observar o porquê. A novela apresentou um conjunto de acertos, onde todos núcleos se destacaram positivamente, havendo ainda enlaces dramáticos muito bem estruturados.


Neste sábado (20/08), foi exibida justamente a emblemática sequência da Camila raspando a cabeça (passou originalmente, inclusive, em 9 de dezembro de 2000, atingindo 53 pontos de audiência). A cena, como já mencionado, é até hoje lembrada e emocionou mais uma vez, despertando uma comoção nas redes sociais. O momento foi um divisor de águas para Carolina Dieckmann e a longa cena não tem sequer uma frase. É totalmente voltada para o sofrimento da filha de Helena (Vera Fisher), que começa aparentemente conformada, até chorar copiosamente à medida que a máquina zero vai avançando em cima de seus cabelos. Ali, inclusive, ficou claro que o choro da atriz se misturou com da personagem.

Toda a construção de Manoel Carlos ficou primorosa, conseguindo algo raro: provocar ódio e compaixão por Camila ao longo da história. A filha da protagonista foi logo odiada assim que começou a demonstrar interesse pelo namorado da mãe, principalmente por causa das inúmeras grosserias lançadas em cima de Helena, além do cinismo em negar seu interesse o quanto podia.
A relação conflituosa despertou um envolvimento arrebatador do público na época, proporcionando grandes cenas para Carolina Dieckmann e Vera Fisher. Deborah Secco foi outro destaque fundamental nesse imbróglio, pois a irônica Íris serviu como uma espécie de 'justiceira' cada vez que provocava Camila, chamando a 'inimiga' de Judas.

E esse folhetinesco drama central fortificou o protagonismo de Helena, expondo a riqueza das nuances da personagem, que alternava fragilidade com uma clara segurança e controle emocional. Foi a Helena mais segura, independente e bem-sucedida do Maneco, sem sombra de dúvidas. Vera Fisher viveu seu melhor momento na carreira e sua atuação foi grandiosa, honrando a confiança do autor. Aliás, a personagem se destaca ainda mais durante esse período de sofrimento de Camila, uma vez que todas as mágoas e situações mal resolvidas são deixadas de lado para sempre, cedendo lugar para o amor incondicional de uma mãe ---- sentimento que nunca acabou, mesmo no auge das brigas, inclusive.

O câncer teve uma dupla função na novela. A traumática doença 'serviu' para Camila amadurecer, implicando automaticamente em uma reaproximação da personagem com o público, e ajudou muito a explicar detalhadamente os passos do tratamento contra essa enfermidade que acomete tantas famílias. Todas as explicações do médico eram bastante didáticas, mas não deixaram a trama cansativa, pelo contrário, despertaram interesse em torno de uma temática considerada tão 'tabu'. Nenhum outra novela tratou tão bem do câncer quanto "Laços de Família", que acabou virando uma referência, obviamente. E a forma como a personagem encarou a situação deixou tudo mais crível, pois momentos de otimismo cediam lugar para instantes de desespero e sofrimento, ou vice-versa. Foi impossível não se envolver ou se identificar de alguma forma com tudo o que estava sendo retratado.

A virada que a descoberta da doença provocou na história inseriu um fôlego a mais, movimentando todos os núcleos, direta ou indiretamente. A principal reviravolta, inclusive, foi em torno do verdadeiro pai de Camila: o machista Pedro (José Mayer). Ninguém sabia até então sobre esse segredo bem guardado por Helena, mas tudo precisou ser esclarecido quando a filha da protagonista se enche de esperança assim que o médico lhe conta que o irmão do mesmo pai e da mesma mãe tem 30% de chances de ser compatível na doação de medula. Só que Fred (Luigi Baricelli) não é herdeiro de Pedro e o resultado dá negativo. A situação complicada ainda expõe a maior prova de amor que Helena podia dar: ela engravida de Pedro, atingindo sua relação com Miguel (Tony Ramos), somente para salvar a vida de Camila. E consegue, pois a bebê Vitória se torna compatível, implicando em uma emocionante cena protagonizada por Vera, José e Carolina.

Embora a novela tenha entrado na fase em que quase tudo gira em torno do câncer da esposa de Edu (Reynaldo Gianecchini), vale mencionar os outros êxitos da trama: o calvário da prostituta Capitu (Giovanna Antonelli irretocável) ---- que virou a mocinha da história, sofrendo com as ameaças de Orlando (Henrique Pagnoncelli) e Maurinho (Luiz Nicolau) e tendo embates com a mimada Clara (Regiane Alves ótima), esposa de Fred, seu grande amor ----; as trapalhadas do galinha Danilo (Alexandre Borges); a arrogância da esnobe Alma (Marieta Severo brilhante) e sua rivalidade com Helena; a relação quente de Pedro e Cintia (Helena Ranaldi); o relacionamento de Miguel com os filhos Paulo (Flávio Silvino) e Ciça (Júlia Feldens); a dificuldade na transa de Viriato (Zé Victor Castiel) e Ivete (Soraya Ravenle); enfim.

"Laços de Família" foi um dos maiores sucessos de Manoel Carlos e do horário nobre da Globo. Exibida originalmente entre junho de 2000 e fevereiro de 2001, a novela já foi reprisada pelo "Vale a Pena Ver de Novo" em 2005, conquistando novamente o telespectador. Agora, com a sua segunda reprise no ar (desde fevereiro de 2016) no Viva, a trama mais uma vez consegue fisgar o público e a exibição da marcante cena de Camila raspando a cabeça comprova que o sucesso e a emoção dessa história são atemporais.

26 comentários:

Hector disse...

É mesmo. Foi a melhor novela do Manoel Carlos que me desculpem os saudosistas de História de Amor.

Vivian disse...

Tu é uma fábrica de bons textos!

Anônimo disse...

Concordo com o texto e o sucesso pela terceira vez é merecido.Novelão.

Zilani Célia disse...

OI SÉRGIO!
NÃO LEMBRAVA MAIS E AGORA LENDO TEU TEXTO REAVIVEI NA MEMÓRIA.
ABRÇS
http://zilanicelia.blogspot.com.br/

Pâmela disse...

Que delícia de texto Sérgio.
Amo Laços de Família como já dito várias vezes de longe a melhor novela do Maneco. Teve defeitos sim, personagens que irriteavam mas nada que abalasse essa magistral história. O mais bacana das novelas do Maneco é que o público desde do início
sabe o que os espera. Todos sabiam que a Camila se envolveria com o namorado
da mãe e que teria leucemia e mesmo assim não deixou de se envolver. Sempre digo que as novelas do Maneco pode ser a história do vizinho do lado de tão realista que é.
Sou grande conhecedora desse universo "Manoelistico" de tanto que já acompanhei as novelas dele, se você me permite gostaria de citar outras coincidências de suas novelas e até curiosidades.

- Nem só de Helenas vivem as novelas do Maneco.Muitos de seus personagens foram tratados pelo doutor Moretti. O fato do médico estar sempre presente nas tramas do autor se dá porque Doutor Moretti foi o médico da família dele. Ou seja cuidou do pai, da mãe e possivelmente dele também, digno de homenagem. Vamos a eles:

O primeiro Doutor Moretti surgiu em A Sucessora, primeira novela do autor na globo exibida entre 78\79 e o doutor Moretti em questão foi o médico de confiança da família "Steen", chefiada pela cruel governanta "Juliana" vivida pela Natália Timberg. Ele foi inclusive peça fundamental para desvendar os segredos daquela "mansão mal assombrada". Foi interpretado pelo ator Francisco Dantas.
Depois o Doutor Moretti voltou a aparecer em História de Amor sendo justamente o protagonista disputado por Helena, Paula e Sheila (José Mayer)
O doutor Moretti de Por Amor foi vivido pelo dublador Castro Gonzaga e era chefe do hospital onde trabalhava César (Marcelo Serrado)
Se não me engano em Laços de Família o doutor Moretti era o médico de Aléssio que morre no início por isso o personagem não torna a aparecer.
Em Mulheres Apaixonadas coube ao ator Serafim Gonzales e além de ser o chefe da clinica onde trabalhava César era casado com a insuportável Marta (de Marly Bueno) e pai de Cláudio (Erik Marmo)
Em Páginas da Vida o Doutor Moretti era Henrique César. Grande amigo de Tide (Tarcísio Meira) responsável pela saúde de Lalinha (Glória Menezes).
Já em Viver a Vida apareceu o último doutor Moretti que tenho notícias. Não me lembro de ter o médico na última novela do autor (Em Família). Foi vivido pelo Lionel Fischer, chefe de Miguel (Mateus Solano) e responsável por dar a notícia fatal a Luciana (Alinne Moraes).

Pâmela disse...

Continuação:

Tony Zé e suas Helenas

Outro ponto em comum entre as novelas de Manoel Carlos. O autor tem uma confiança tremenda em Tony Ramos e José Mayer, tanto que os personagens estão sempre de alguma forma envolvido com a protagonista.

Em Baila Comigo começa a parceria do autor com Tony Ramos. O ator foi responsável por dá vida a gêmeos e ser nada mais nada menos que filho da primeira Helena.
Em Felicidade de 91, Tony Ramos é Álvaro que á Vila Feliz, pacata cidade do interior de Minas por mera culpa de ter sumido com um garoto e acaba conhecendo Helena (Maitê Proença). Helena tem que disputá - lo com Déboora a maluca mãe de Alvinho e primeiro papel da maravilhosa Viviane Pasmanter.
Já em 95 com a primorosa História de Amor também começa a parceria dele com Zé Mayer. O ator teve a honra, como já foi dito de viver um doutor Moretti, no caso, Carlos, o mocinho da história que ganha o amor de Helena.
Curiosamente nenhum dos dois participou de Por Amor, só voltaram a trabalhar com Maneco em Laços. Mayer era o antigo amor de Helena e pai de Camila já Tony foi o amor seguro (Miguel) e um dos pais mais marcantes já criados por Maneco.
Em Mulheres Apaixonadas os dois "duelaram" mais uma vez pelo amor da Helena, aqui Christiane Torloni. Dessa vez, quem levou a melhor foi César (Mayer) já que a protagonista fica com o médico no final.
No trabalho seguinte tivemos apenas Zé Mayer. Ele foi Greg. Casado inicialmente com Helena (Regina Duarte) que o pega no flagra com a amante Carmem (Natália do Valle)

Pâmela disse...

( Continuação 2)

Talvez Tony não tenha participado de Viver a Vida justamente porque fez a novela que a antecedeu (Caminho das Índias) enquanto Zé Mayer viveu o cafajeste Marcos pai de Luciana, Isabel e Mia que acaba por casar com a maior rival da filha mais velha nas passarelas, Helena.
Em Família: Maneco queria que Mayer fosse Ricardo, o amor da Chica, não deu certo e o papel caiu para Herson Capri.
Além dessas parcerias Mayer tb fez a minissérie Presença de Anita onde era casado com Lúcia HELENA rs (Helena Ranaldi).

Helenas e sua prole
As filhas mimadinhas das Helenas já são conhecidas e odiadas pelo público. As únicas novelas que as filhas das Helenas não foram "protagonistas" do ódio de quem assiste:
- A pequena Bia de Felicidade era uma graça. Todo mundo adorava a garotinha. Aqui o público tinha mesmo raiva de Helena por insistir em esconder a paternidade da menina.

Pâmela disse...

- Mulheres Apaixonadas: Helena era mãe adotiva do pequeno Lucas. Não tinha uma filha insuportável. Em compensação tivemos a mimada Marina ( Paloma Duarte) , filha de Sílvia (Natália do Valle) apaixonadissima por Diogo (Rodrigo Santoro) e as insuportáveis Dóris (Regiane Alves) e Paulinha (Roberta Gualda).
- Páginas da Vida: Helena (Regina Duarte) acaba por adotar Clara, também pequena. Então as mimadas ficam a cargo de Alice (mais uma vez Regiane) noiva de Léo que faz de tudo para que ele perca a guarda dos filhos e Sandra (Danielle Winits) faz de tudo pra dar o golpe no filho do patrão da mãe, Jorge (Thiago Lacerda).
Viver a Vida: A Helena de Taís não tinha filhos mas tinha uma irmã que dava trabalho em dobro. E pelo meu entendimento, a relação "mãe e filha conturbada" que geralmente cabe as Helenas, aqui foi entre Luciana (Alinne) e Tereza (Lília Cabral).

Pâmela disse...

(Cont)

Elas preferem as sogras!
Sim, 3 dentre as três "gracinhas" das Helenas puxaram o saco das sogrinhas até não poder mais e geralmente elas eram lobo em pele de cordeiro.

- Em História de Amor Joice (Carla Marins, em seu melhor papel) por diversas vezes deixou a mãe de lado para apoiar a sogra Dalva (Ana Rosa) fútil até não poder mais.
- Acho muito parecida as relações entre Branca (Susana Vieira)\ Eduarda ( Gabriela Duarte) e Alma (Marieta Severo) com Camila (Carolina Dieckmann). As duas sempre colocaram essas mulheres no pedestal e quando mais precisaram foram humilhadas por elas, ainda que sutilmente

Devemos respeito ao Maneco apesar de sua última novela ter sido pífia, critiquei demais Em Família e não me arrependo de nada porque sim, aquela novela foi horrorosa, porém não podemos esquecer das histórias maravilhosas que ele já nos contou.
Desculpa o textão hahahaha, mas fica ai as curiosidades que nem todo mundo sabe ou percebe.

Pâmela disse...

Querido, me desculpe mais uma vez, acontece que me esqueci de alguns pontos do texto que fiz exclusivamente para postar no seu blog quando você citasse algum trabalho do Maneco.

Mimadinhos, sim senhor!
Nem sempre apenas as filhas das Helenas são as mimadinhas.

Em História de Amor Caio (Ângelo Paes Leme, em seu melhor momento tb) era tão insuportável quanto Joice e além de tudo, cafajeste. Metido sem poder ser, adorava bater na namorada e Helena fez muito bem em lhe dar um tabefe na cara. Ele muda sim , mais demora.
Em Por Amor Marcelo (Fábio Assunção, ótimo) era o queridinho de Branca. Mimado pela mãe e machista igual ao pai. Dava espaço pra Laura sim e depois se fazia de vítima pra Eduarda.
Acho que nem preciso falar muito do Edu (Reynaldo Gianecchini, excelente) rs tratado como um adolescente pela tia. Sempre incapaz de resolver seus próprios problemas esperou que Alma e Helena tomassem a decisão do que era melhor pra ele quando Camila se apaixonou, fez bico quando Alma lhe disse umas verdades e ainda mal notou a doença da Camila. Ou seja fraco como médico e como homem rs
CONTINUO...

Pâmela disse...

Ia por o Rodrigo de Mulheres Apaixonadas nessa lista mas ele até que tem uma certa razão de ir contra as atitudes do pai.
Já "Em Família" aconteceu justamente o contrário. Ivan (Vitor Figueiredo) foi muitas vezes mais adulto que os próprios pais.

Amigas de todas as horas.
Toda Helena tem pra si uma confidente que na maioria das vezes sabe de seu segredo

Em Felicidade o que seria de Helena (Maitê Proença) se não fosse a irmã caçula, Lídia (Monique Curi)
História de amor: A Marta (Bia Nunnes) era a melhor amiga da vez! Sempre pronta pra ajudar Helena era a única que sabia que Joice era filha de sua irmã, portanto sua sobrinha.
Em Por Amor o "melhor amigo" e confidente de Helena foi o famoso diário além de César , cúmplice na troca de bebês.
Laços de Família: Yvete (Soraya Ravenle) a única que tinha conhecimento sobre a paternidade de Camila.
Já em Mulheres Apaixonadas, quem esconde de Helena que tem dois filhos é Téo (Tony Ramos), mesmo assim esse segredo é guardado a sete chaves por Lorena (Susana Vieira), irmã do músico.
Em Págimas da Vida, apenas Selma (Elisa Lucinda) sabe que Clara é na verdade filha de Nanda e a neta que Marta (Lília Cabral) rejeitou.
Viver a Vida: Antes de Luciana descobrir que Helena tinha abortado em nome da profissão, só quem tinha esse segredo guardado era Ellen (Dani Suzuki) sua amiga de infância.
CONTINUO....

Pâmela disse...

Pequenos notáveis
Além de ter revelado Reynaldo Gianecchini, Mel Lisboa, Leonardo Miggiorin, Juliana Paes e tantos outros talentos Maneco também o responsável por milhares de carreiras de atores mirins que estão ai até hoje.

De Baila Comigo: Monique Curi, uma menina na época que viria a se tornar parceira do Maneco em vários trabalhos.
Felicidade: Tatyane Goulart, a pequena Bia.
Por Amor: Cecília Dassi
Mulheres Apaixonadas: Bruna Marquezine
Páginas da Vida: Gabriel Kaufmann
Viver a Vida: Klara Castanho

Parceria com o Magnani
O saudoso Umberto Magnani era amigo pessoal e tem uma longa parceria com Maneco. Os dois trabalharam juntos a primeira vez em Felicidade, ele fazia Ataxerxes, o pai de Helena. Em História de Amor ele era o Mauro , casado com Rafaela (Marly Bueno) pai de Carlos, Bruno (Claudio Lins) e Bianca (Maria Ribeiro). Por Amor ele era Antenor pai de César (Marcelo Serrado) a quem Helena devia muitos favores.
Laços de Família, Eládio era o padrasto amigo de Cíntia (Helena Ranaldi) mais uma vez casado com uma personagem da Marly Bueno. Mulheres Apaixonadas ele era Argemiro empregado de Lorena pai de Edwiges (Carol Dieckmann) e Expedito (Rafael Calomeni). Na última novela que ele fez do autor, Páginas da Vida , ele era pai da insuportável Sandra e da doce Telminha (Grazi Massafera)

Anônimo disse...

APENAS PALMAS PARA O SÉRGIO GENTE !

Super concordo com o seu texto, realmente, era tudo muito bem distribuído no folhetim "Laços De Família" um dos maiores sucesso da rede globo... Também gostei muito em seguida da sua nova dramaturgia, vivida por Lília Cabral, Fernanda Vasconcelos, Regina Duarte, Marcos Caruso entre outros atores ... O grandioso Sucesso "Páginas Da Vida" exibida em 2005/2006 quem não se lembra dessa grande trama criada pelo autor global também, onde Banda fica grávida de gêmeos e após uma briga com sua mãe, vem a falecer e em seguida Helena (Regina Duarte) adora Clara que havia nascido com uma doença.... Foi um grande sucesso na época também :)

Anônimo disse...

Baita sucesso do Maneco. E pensar que tem metido a crítico velhote que acha a cena da Camila cafona...

Demmy disse...

Uma curiosidade também, Pamela, da obra de Manoel Carlos (do qual sou estudioso), é a repetição do nome Marta... O nome foi utilizado 8 vezes: Baila Comigo, História de Amor, Laços de Família, Mulheres Apaixonadas, Presença de Anita, Páginas da Vida, Viver a Vida e Em Família... Outros nomes que se repetem bastante (podem conferir): Clara, Sandra, Isabel, Paula, Miguel, Sílvia, Tereza, Rita...
Você citou a ótima parceria com Magnani, mas as atrizes que mais trabalharam com ele foram: Beatriz Lyra (7 vezes: Baila Comigo, Sol de Verão, Novo Amor (na Manchete), Felicidade, História de Amor, Por Amor e Laços de Família) e Marly Bueno (6 vezes: Felicidade, História de Amor, Por Amor, Laços de Família, Mulheres Apaixonadas e Páginas da Vida). Outras que abrilhantaram várias novelas dele: Monique Curi (que vc citou) e Maria Alves (que depois de Baila Comigo, quando interpretou a empregada Conceição, fez mais três novelas dele: Felicidade, História de Amor e Por Amor).
Para encerrar: eu tenho a impressão que Sol de Verão parece uma novela dele meio deixada de lado, sem repercussão, talvez pela protagonista não se chamar Helena (Baila veio antes com a primeira Helena; por que será que em Sol ele não repetiu o nome?) ou talvez pelo falecimento de Jardel Filho no decorrer do trama...

Pâmela disse...

Oi Demmy...
Legais suas curiosidades. Então "Sol de Verão" eu não citei justamente porque o Maneco nem conseguiu terminar de escrever a novela porque o Jardel Filho era amigo pessoal dele. Dai a globo acho que fica meio sem jeito de falar da novela. Outro show do Tony, fazendo um surdo - mudo (Abel)

Ed Taborda Assunção disse...

Novelas como Laços de Família fazem falta no horário nobre, Sérgio. É a melhor novela do Maneco pra mim juntinha com Por Amor e Mulheres Apaixonadas. É a que tem a melhor Helena também. Aliás, a Helena e a Camila são os melhores papéis da Vera e da Carolina.
Abraços

Sérgio Santos disse...

Tb acho, Hector.

Sérgio Santos disse...

Mt obrigado, Vivian!

Sérgio Santos disse...

Novelão msm, anonimo.

Sérgio Santos disse...

Que bom, Zilani. bj

Sérgio Santos disse...

Pâmela, que comentários maravilhosos. Essas suas observações são excelentes e acabaram sendo ótimos complementos pro texto. Obrigado por ter escolhido o meu blog pra postá-los. Adorei demais. Um beijão!!!!!!!

Sérgio Santos disse...

Mt obrigado, anonimo!! =)

Sérgio Santos disse...

Baita sucesso msm, anonimo.

Sérgio Santos disse...

Demmy, adorei as suas outras observações e lembranças!

Sérgio Santos disse...

Helena e Camila foram os melhores momentos de Vera e Carolina mesmo, Ed. Sem sombra de dúvidas. abçsssss