quinta-feira, 28 de abril de 2016

Segunda temporada de "Os Dez Mandamentos" é bem menos atrativa que a primeira

Entre março e novembro de 2015, a Record exibiu a sua novela de maior sucesso: "Os Dez Mandamentos". O primeiro folhetim bíblico da emissora superou as expectativas até dos mais otimistas e chegou a vencer a Globo algumas vezes, algo impensável. Claro que o imenso êxito fez o canal esticar a trama. Porém, não foi só isso. Antes da produção de "A Terra Prometida", que inicialmente seria a segunda novela bíblica e seguiria a cronologia da passagem da Bíblia, fizeram uma segunda temporada de "Os Dez Mandamentos", que estreou na primeira segunda-feira de abril (04/04).


A nova 'temporada' terá cerca de 60 capítulos e a autora Vivian de Oliveira começou apresentando a história do ponto que havia parado no último capítulo, exibido em novembro do ano passado. Aliás, o grande final da novela foi uma decepção, pois não mostraram a conclusão em torno da saga de Moisés (Guilherme Winter) com os tão falados mandamentos de Deus e era o mínimo que se esperava, após tanta espera --- até mesmo para honrar o título do folhetim. Entretanto, problemas à parte, os desdobramentos foram expostos logo na estreia e já haviam sido mostrados no filme lançado pela Record com o intuito de aproveitar ainda mais o sucesso da novela.

O enredo, agora, mostra a união dos hebreus em busca do objetivo de chegar a Canaã. Não há mais o chamariz das pragas e dos efeitos especiais para atrair o público. Será apenas a história mesmo a responsável pelo interesse do telespectador, que já está acompanhando a saga pelo deserto. E os vilões Ramsés (Sérgio Marone) e Nefertari (Camila Rodrigues) também não fazem mais parte da trama, que continua com a maioria do elenco.
Entretanto, a autora conseguiu 'substituir' alguns dos destaques da outra fase por outros bons personagens que movimentam o roteiro. Vide os reis Balaque (Daniel Alvin) e Elda (Francisca Queiroz).

Afinal, para conseguir chegar a Canaã o povo hebreu precisa atravessar regiões habitadas por reinos inimigos e é a partir desse ponto que Vivian se apoia para a inserção de novos personagens e outras histórias com o intuito de complementar o enredo central da fase anterior. E entre os destaques da segunda temporada está o perigoso Balaão (Leonardo Vieira), um feiticeiro que esbanja maldade e crueldade. O ator está ótimo no papel e tem roubado a cena merecidamente. Quem também está brilhando é Marcela Barrozo na pele da sofrida Betânia, irmã de Zípora (Gisele Itiê). Ela ganhou mais importância no enredo e ainda se vê 'refém' de Balaão, após ter sido obrigada a se casar com o rei Balaque. Tudo porque Betânia quer encontrar a filha que abandonou no passado depois que o feiticeiro --- que é o pai da menina e no passado a obrigou a ofertar a criança em sacrifício ---- contou que o bebê não havia morrido, prometendo encontrá-la caso o casamento fosse realizado.

Vitor Hugo é outro bom nome e que já havia se destacado na temporada anterior com seu vilão Corá, que vive alimentando dúvidas do povo contra Moisés. Além dos citados, claro, não é possível deixar de lado a grande Denise Del Vechio como Joquebede e Larissa Maciel como Miriã. Porém, assim como já era observado em 2015, o elenco segue irregular e as caracterizações muitas vezes soam artificiais, parecendo fantasias. O problema não foi solucionado e o mesmo vale para o ritmo da história. Durante a primeira temporada, houve um abuso de flashbacks e muita enrolação em virtude dos constantes esticamentos da obra. Mas, mesmo a segunda temporada sendo bem mais curta, essa outra questão persiste. Aliás, provoca a impressão de piora.

A história, dirigida por Alexandre Avancini, parece se arrastar e os capítulos não provocam curiosidade em torno do que irá acontecer. Muitos dos personagens que seguem na trama, inclusive, parecem um pouco avulsos, com exceção daqueles que migraram diretamente para os conflitos com os novos perfis que entraram na novela. Ou seja, fazendo um inevitável comparativo, essa segunda temporada tem se mostrado bem menos atrativa que a primeira. Coincidência ou não, os números de audiência vêm refletindo isso. Apesar dos bons índices iniciais (em torno dos 18 pontos), a produção vem apresentando uma queda ao longo das semanas e já chegou aos 12 pontos. Claro que são médias ainda muito boas levando em consideração os parâmetros da Record, entretanto, não deixam de refletir uma certa falta de interesse por essa nova saga de Moisés.

É necessário, ainda, lembrar que a Globo nem vem apresentando um grande produto como concorrente, pois "Velho Chico" tem se mantido em torno dos 29/30 pontos e a sua segunda fase está bem menos interessante e mais problemática que a primeira. Com ritmo arrastado e crise de identidade, a obra de Benedito Ruy Barbosa, escrita pelo neto Bruno Luperi (a autora Edmara Barbosa abandonou o projeto), enfrenta um período de estranhamento do público. Mas nem assim a trama da Record tem conseguido chegar perto da líder, como acontecia no ano passado.

A segunda temporada de "Os Dez Mandamentos" demorou cerca de quatro meses para estrear e a fuga de público foi inevitável. Mas, apesar do amadorismo da emissora, a missão agora é reconquistar a parcela dessa audiência e fazer a transição para "A Terra Prometida", sem previsão de lançamento ainda. Vivian de Oliveira conseguiu inserir alguns bons novos conflitos na segunda parte da saga de Moisés e há alguns bons destaques. Porém, apesar dos acertos mencionados, tem ficado cada vez mais evidente a falta de maiores atrativos na trama, ao menos por enquanto. Resta esperar o que a autora reserva para os próximos meses.

26 comentários:

Liliane disse...

Bem menos atrativa e bem menos audiência.

Anônimo disse...

É menos atrativa pq se mostrou uma barriga da trama anterior com novos personagens que só enchem linguiça. Eu mesmo abandonei.

William O. disse...

Nem sabia que já tinha começado...

Heitor disse...

E a Record mais uma vez mostra o seu amadorismo. Não bastou ter um sucesso com a tosca Mutantes e fracassando miseravelmente depois quando inventou mais duas temporada dessa novela. Agora fez sucesso com Mandamentos e fracassa com a segunda temporada que inventou, fazendo ainda um final sem propósito pra "primeira" temporada". Uma emissora que não sabe lidar com sucesso. Amadora.

Pâmela disse...

Não tinha necessidade de uma segunda temporada por mais que tivesse história e a Record já tinha que ter aprendido isso com Os Mutantes. Quanto ao elenco Guilherme Winter continua ÓTIMO, Leonardo Vieira tem se destacado bastante (adoro ele) e tenho gostado também da Juliana Didone.
Por falar nisso: Você acompanhou a temp Vagabanda na época que passou? Podia fazer um texto sobre ela aqui no seu blog, tem feito bastante suscesso (mais uma vez) passando no VIVA. #FicaaDica

Anônimo disse...

Vc citou mt bem: Velho Chico é fraca, tá dando péssima audiência, e nem assim essa Mandamentos chega perto no Ibope. Record pra variar enfiando os pés pelas mãos.

Kika disse...

Mas a primeira era atrativa??? rs

Anônimo disse...

MUUITO BOM !!! EXCELENTE MESMO. PARABÉNS REDE RECORD !! TOMARA QUE CRESÇA AINDA MAIS !! TIRAR O MONOPÓLIO DA GLOBO É O QUE INTERESSA O RESTO NÃO TEM PRESSA !! ISSO É BOM PRA LIVRE CONCORRÊNCIA E É EXCELENTE PARA O BRASIL PARA QUE AS PESSOAS NÃO SEJAM MAIS MANIPULADAS !! VIVA A DEMOCRACIA !!Exatamente!

Anônimo disse...

Isso é bom não só pra classe artística como atores e atrizes q não ficam só na dependência da Globo q não tem lugar pra todos (é impossível) , como é bom também pra diretores ,redatores ,iluminadores ,contra regras , etc ...É bom ter boas opções de entretenimento na rede aberta, quanto melhor o nível da programação, melhor para a população. Parabéns pelo BELÍSSIMO trabalho esta novela deveria se eternizar pela sua magnitude em mostrar o PODER DO NOSSO DEUS TODO PODEROSO O ÚNICO E ETERNO PARA TODO SEMPRE.

Anônimo disse...

O povo brasileiro adora novela sem conteúdo, ainda mais essa que fala de um conto macabro como VERDADES SECRETAS!Espero q o sucesso se mantenha. Mas é bem claro q a direção perdeu o foco e a novela em relação ao final da primeira trama, sim, ela teria mais ibope que hoje. Mas a comparação é entre os começos da novela, ok? abraços

Paula disse...

O amadorismo dessa emissora é triste. Podiam ter encerrado esse sucesso com chave de ouro, mas resolveram estender e agora dá nisso. E esses adiamentos da tal Escrava Mãe são vergonhosos. Jussara Freire deixou de voltar pra Globo por causa disso.

Sérgio Santos disse...

Verdade, Liliane.

Sérgio Santos disse...

Entendo, anonimo.

Sérgio Santos disse...

Tá tendo bem menos repercussão msm, William.

Sérgio Santos disse...

Foi amadorismo mesmo, Heitor. E vc citou bons exemplos.

Sérgio Santos disse...

Tão me pedindo bastante texto da temporada da Vagabanda, Pamela. Acho que farei sim. E é verdade, não precisava dessa nova temporada. Tb gosto mt do Leonardo Vieira, mas já não gosto da Didone. Acho fraca. Bjs

Sérgio Santos disse...

Pois é, anonimo. E oportunidade não faltaria pq Velho Chico tá mt mal.

Sérgio Santos disse...

Maldade, Kika. rs

Sérgio Santos disse...

Esse papo de manipulação dá sono, anonimo...

Sérgio Santos disse...

Concordo que é importante, anonimo. Mas vale lembrar que os constantes adiamentos de Escrava Mãe fizeram Jussara Freire não voltar pra Globo e Milena Toscano perdeu oportunidade no SBT e na Globo.

Sérgio Santos disse...

Verdades Secretas tinha mt conteúdo, anonimo, e foi um fenômeno merecido.

Sérgio Santos disse...

Concordo plenamente, Paula. bjs

Anônimo disse...

Concordo com tudo no texto, Sérgio. Essa temporada está sendo salva pela Marcela Barroso, e pela atriz Rayana Carvalho que está tocando o público com sua Adira. O resto continua mediano e entediante.

Sérgio Santos disse...

Mt obrigado, anonimo.

Johnatan Machado disse...

Nem fala Sergio, eu acompanhei a primeira temporada sem perder nenhum capítulo, mas essa segunda, eu já abandonei. A enrolação é insuportável, algumas atuações parecem que pioraram (sim, constatei que é possível) e alguns núcleos são completamente dispensáveis. Nos poucos capítulos que eu vi gostei apenas do Simut com a Jerusa, me fizeram rir, mas esse casal secundário infelizmente não segura uma trama. Uma pena, pois com esse desinteresse todo, nem me animo a ver Josué!

Sérgio Santos disse...

Infelizmente, a Record não sabe lidar com o sucesso, Johnatan! abraços!