quinta-feira, 21 de abril de 2016

"Sangue Bom" e "Totalmente Demais" têm algo em comum: a complexidade de Amora e Carolina

Nada é mais rico para um ator do que um personagem complexo. E para o enredo também. Um perfil que tem momentos de vilania e outros de fragilidade emocional enriquece a história, destacando o talento do intérprete e a boa construção do roteiro. É bem mais interessante não poder classificar um tipo como vilão ou mocinho. Mas o texto não é sobre Romero (Alexandre Nero), da recém-terminada "A Regra do Jogo". E, sim, sobre a similaridade de dois papéis ambíguos fascinantes, presentes em duas novelas das sete ótimas: a Amora Campana, de "Sangue Bom", e a Carolina Castilho, de "Totalmente Demais".


A personagem da excelente novela escrita por Maria Adelaide Amaral e Vincent Villari, em 2013, era uma it-girl arrogante, que teve uma infância difícil até ser adotada pela esnobe Bárbara Ellen (Giulia Gam). Amora Campana (Sophie Charlotte) acabou 'moldada' pela mãe e virou uma mulher influente no mundo da moda, aparentemente forte, e que não media as consequências para alcançar seus objetivos, passando por cima de qualquer um. Sua grande fragilidade era seu imenso amor, desde criança, por Bento (Marco Pigossi), um sujeito que era exatamente o seu oposto ---- humilde e avesso à fama.

Já Carolina Castilho (Juliana Paes) é de origem pobre e nasceu no subúrbio. Mas, foi crescendo até virar a editora da redação da revista "Totalmente Demais", uma das mais influentes do mercado. Se transformou em uma mulher refinada e poderosa, que trata seus funcionários com extrema rigidez e transborda arrogância por onde passa.
No entanto, seu ponto fraco é o amor que sente por Arthur (Fábio Assunção), um galanteador nato, responsável pela agência de modelos Excalibur. Ele é o único que consegue deixá-la fora do eixo, expondo o lado humano e passional da influente e aparentemente fria empresária ---- que, inclusive, sonha em ser mãe e nunca parou de pensar nesse assunto.

Carolina tem a mesma vilania que Amora tinha. A it-girl não pensava duas vezes antes de armar contra quem viesse atrapalhar o seu caminho, como toda boa vilã faz. Foram várias situações que expuseram as falhas de caráter da personagem defendida com brilhantismo por Sophie Charlotte, que era um dos grandes destaques da novela das sete. O mesmo acontece atualmente com o perfil interpretado com maestria por Juliana Paes. Desde que fez a aposta com Arthur em cima da transformação feita em Eliza (Marina Ruy Barbosa), a empresária não mede esforços para armar contra a garota que venceu o famigerado concurso da sua revista.

E ela usava qualquer artifício para prejudicar a menina ao longo da competição, inclusive se aproveitando de Cassandra (Juliana Paiva), uma inimiga declarada da ex-vendedora de flores, com o intuito de denegrir a imagem da concorrente. Houve até uma tentativa de doping, mas que não funcionou como se imaginava. O real objetivo da empresária era ganhar a aposta, não só para expor a sua superioridade, como também para ficar com a Excalibur, já que ambos colocaram em jogo seus maiores bens ---- no caso dela pedindo demissão e virando subordinada de Arthur. Os dois já fizeram inúmeras apostas, que sempre apimentaram a relação, mas essa foi a mais arriscada para ambos.

Entretanto, a disputa acabou virando um objeto de vingança depois que Carolina percebeu que seu grande amor se encantou por Eliza ---- a 'criatura' que havia criado, como no clássico "Pigmalião". A constatação deixou ainda mais em evidência o seu lado passional, em contraponto ao conjunto aparentemente centrado que ela demonstra ter em sua vida diante de todos. A mulher ferida ficou ainda mais cega de raiva, aumentando o interesse em destruir a mocinha, levando junto Arthur. A toda poderosa, inclusive, só consegue mostrar quem é de verdade quando está com o melhor amigo e braço direito Pietro (Marat Descartes) e desabafando com a irmã Dorinha (Samantha Schmutz). Durante esses momentos ela se mostra frágil e insegura.

Aliás, a relação de Carolina com a irmã evidencia ainda mais a sua semelhança com Amora. A cena em que ela cantou para Dorinha ---- que estava em coma após uma cirurgia plástica feita em uma clínica ilegal ----, por exemplo, relembrou a sequência mais tocante de "Sangue Bom": quando a it-girl cantou para Simone (Andreia Horta) "Alfazema", de Cídia Luize, no leito de morte da irmã. Carol ainda passou um tempo cuidando dos dois sobrinhos, provocando novamente outra comparação com a outra personagem, que passou a cuidar dos sobrinhos após o falecimento de Simone. A única diferença nesse caso é que Dorinha não morreu e logo se recuperou.

Juliana Paes está vivendo um grande momento na pele de uma personagem que esbanja complexidade. Observando de forma superficial, pode-se constatar que Carolina é uma pessoa ambiciosa, arrogante e de péssimo caráter. Porém, é quando se olha o todo do papel que fica claro o quão dúbia, tão poderosa e tão vulnerável é essa mulher. A diretora da revista "Totalmente Demais" na verdade sempre teve medo de expor seus sentimentos por Arthur por considerar isso uma fraqueza e o mesmo vale para ele, que é bem parecido com ela. A atriz está muito bem e é possível afirmar com tranquilidade que essa é a sua melhor personagem da carreira e a mais rica dramaticamente. A escalação de Rosane Svartman e Paulo Halm foi precisa.

O mesmo vale para a escolha de Maria Adelaide Amaral e Vincent Villari em "Sangue Bom". A Amora foi o perfil mais rico da carreira de Sophie Charlotte ----- 'praticamente empatada' com a Duda, da primorosa "O Rebu" ---- e a atriz deu um show do primeiro ao último capítulo de novela. A personagem estava longe de ser uma mocinha, assim como não podia ser classificada como uma mera vilã. Tanto que o processo de humanização da it-girl se evidenciou quando a sua irmã Simone voltou, após anos separadas, expondo para o telespectador todo o passado cruel da protagonista e o quanto ela amava aquela irmã, apesar das mágoas da vida.

Já atualmente, em "Totalmente Demais", Carolina ---- que voltou ao posto de diretora da revista, após ter ido ao fundo do poço quando perdeu a aposta para Arthur ---- armou mais uma vez para Eliza, fazendo Rafael (Daniel Rocha) se aproximar da garota com o intuito de provocar ciúmes em Arthur e acabar com o relacionamento deles. A vilania, o sofrimento e suas angústias estão sempre em constante 'revezamento'. É um perfil com muitas falhas de caráter, repleto de nuances interessantíssimas.

A similaridade entre essas duas ricas personagens se mostra clara e a feliz coincidência é o fato das duas novelas em questão serem merecedoras de vários elogios, além das intérpretes escolhidas terem talento de sobra. Amora Campana e Carolina Castilho são perfis engrandecedores para qualquer atriz e os elogios que Sophie Charlotte ganhou na época de "Sangue Bom" podem ser aplicados a Juliana Paes em "Totalmente Demais". Nada melhor para um folhetim do que tipos que transbordam complexidades, evitando qualquer tipo de maniqueísmo.

58 comentários:

Melina disse...

Sérgio, querido, finalmente chegou!!!! Nem acredito. Estou há tanto tempo esperando esse texto e vc só enrolando. rsrsrsrs Adorei!!!! Que análise maravilhosa e comparativo exemplar. As duas personagens se parecem muito mesmo e são fascinantes. Como amamos a Amora, hem! Que saudades dos nossos debates sobre a riqueza daquela personagem tão bem defendida pela Sophie Charlotte. E agora vemos a Carolina seguir uma linha parecida, só que mais madura. Os autores estão conduzindo muito bem essa vilã que não é vilã e eu torço muito para ela ficar com Arthur. A cena em que ela canta pra Dorinha no hospital foi realmente quase igual ao delicado e mais lindo momento de Sangue Bom quando Amora canta Alfazema pra Simone. Nossa, adorei!!!1 Parabéns por mais um texto maravilhoso!!!! Um beijo!

Ernane disse...

De fato, se parecem muito. E estou impressionado com sua memória. E mesmo já percebendo essas similaridades eu não imaginei que cera tão parecidas assim.Deve ser por isso que amo as duas.

Paula disse...

Outra coisa em comum: as duas são maravilhosas!

Valentina disse...

Adorei esse comparativo.Que boa surpresa esse post.Não esperava.Amei a Amora e amo a Carolina.Os seres limitados que não sabem ver complexidade e querem tudo mastigadinho entre bem e mal nunca entenderão a riqueza desses perfis. Sophie deu um show na época e agora Juliana Paes não faz por menos.

Felisberto N. Junior disse...

Olá, Sérgio, verdade, impressiona a quantidade de detalhes que você lembra para fazer sempre uma análise perfeita, e mais ainda de forma comparativa! E tanto Amora como Carolina- belas e talentosas Sophie e Juliana- tem diversas similaridades em suas "personalidades" e fato verossímil, isso faz com que simplesmente possamos ampliar a nossa consciência em direção a uma maior aceitação da dualidade natural do viver, ou seja, a dualidade sempre esteve presente no ser huma­no, desde o momento em que ele desenvolveu a capacidade de discernir, pena que elas tem um lado que causam danos para ou­trem, faz parte!Obrigado pelo carinho,belos dias,abraços!

William O. disse...

Que interessante comparação, Sérgio. Eu nem havia me dado conta de tantas semelhanças. E concordo com tudo, principalmente com o talento das atrizes.

Anônimo disse...

TU É FODA, SÉRGIO. PERFEITO TEXTO!

Pâmela disse...

Duas grandes atrizes com personagens maravilhosas. Sem querer ser injusta com o resto do elenco, Juliana pra mim é o maior destaque de Totalmente assim como Sophie de SB. A única diferença é que eu preferia mil vezes que a Amora tivesse ficado sozinha no final da trama e o Bento com a Malu porque eram bem parecidos, já em Totalmente sou "Carthur" shippper assumida <3

Pâmela disse...

Sérgio só mais uma coisa, se você me permitir. Tenho acompanhado Laços de Família no VIVA assidualmente (como já disse minha preferida do Maneco) e com esse post lembrei de outra personagem que se encaixa nesse perfil: Íris, a peste defendida com maestria pela Deborah Secco. Me corrija se eu estiver errada: Ao mesmo tempo que ela passava por cima de TUDO pra ter o Pedro e odiava a Camila, ela amava verdadeiramente o pai e realmente amou Helena, tanto que a cara de decepção dela quando descobre o envolvimento dela com Pedro foi de chocar e me deu pena. Digamos também que o amor dela pelo Pedro era verdadeiro apesar dela ir pelos caminhos tortos. Foi realmente amiga da Cinthian (outra decepção pra ela). E bem no finalzinho tentou salvar a vida da Camila com doação de sangue. Enfim , Íris também foi um tipo interessantíssimo e completamente dúbio assim como Amora e Carolina.

Anônimo disse...

O melhor, Sérgio, é ver aquele babaca que vivia enchendo o saco aqui na época falando que a personagem era péssima só porque odiava a Sophie Charlotte pagando a língua e agora elogiando a Carol pq ama a Juliana Paes. A máscara da "imparcialidade" dele foi pro saco.Hipócrita! Texto maravilhoso o seu!

Andressa Mattos M. disse...

Sérgio, saudades daquela época de Sangue Bom da gente elaborando mil teses sobre a riqueza da Amora. E a comparação com Carolina é precisa e tem tudo a ver. Aliás, as arlizas refletem as Benlu da novela anterior. Quem "shippa" o Arthur com Eliza, um casal mt sem graça, acha Carol uma canalha e pronto assim como acontecia com quem shippava Bento e Malu que classificava Amora como uma vilã cruel e fim. Que texto bom o seu. Li até duas vezes se interessa saber.

Bia Hain disse...

Olá, Sérgio, interessante análise! Eu sou suspeita em falar, gosto das duas atrizes, e vejo especialmente o quanto nesses anos a Sophie cresceu como atriz. Confesso que não "botava fé" quando ela estreou com o papel insosso de Malhação. Abraços!

Ed Taborda Assunção disse...

Ótimo texto Sérgio, inclusive eu tinha pensado num texto sobre isso já faz tempo. As personagens são ótimas e lendo seu texto me deu foi saudade de Sangue Bom.
Abraços

Lulu on the sky disse...

Olá, Sérgio!
Tanto Amora quanto Carolina foram tão bem interpretadas que a gente pega raiva das atrizes.
quer participar do Lulu Entrevista?
Big beijos
Lulu on the sky

Anita disse...

Falando em "Totalmente Demais", eu acabei de saber que os autores já preparam uma nova novela para a Globo. Sendo assim, nós podemos esperar:
A: a realização de um teste de DNA (ou até dois) para a confirmação da paternidade de alguém (vê se aprende Laura!)
B: Uma garota que todos pensam que é louca, mas que enxerga o que nem eles conseguem ver.
C: Uma garota feminista que não aceita a posição em que a sociedade colocou a mulher.
D: Eu poderia continuar até "Z", mas até na canção da Xuxa tem letra faltando.
Se você respondeu "D", parabéns, você acertou e acabou de ganhar meu respeito (não que isso vá mudar sua vida, mas é o que temos para hoje)!

porlapazyporlavida lc disse...

Zamenzito,estou de voltaaaa! Meu Deus, como eu amava Amora Campna. Shippava muito ela e Beno. Ainda bem que o final subentendido deixou claro que no futuro eles voltariam a ter alguma coisa. É impressionante as similaridades das cenas vividas pelas personagens. Porém, confesso que, apensar de gostar de Carolina, não consigo amá-la como eu amava Amorinho. Beijos, Zamenzito. Feliz feriado! Até apróxima!

Anônimo disse...

Xiii, e lá vai outra vez o babador da Amora, das atrizes teens, do Walcyr, etc. O cara nunca se conformou que uma boa parte odiou Amora, tanto que essa novela terminou com um misero olhar dela com o mocinho. Hora de virar a pagina rapaz, bola pra frente, vamos. E outra, essa Eta mundo bom é ruim demais, não tem um casal que preste aí, situações repetitivas que cansam, a Savalla como sempre gritando. Só fã mesmo pra gostar de uma novela dessa

Vinícius disse...

O babaca do Thallys agora comenta como "anônimo" pq não tem coragem mais de expor o boçal que é. hahahahahahahaha Mas é tão burro que nem sabe como disfarçar e deixa evidente todos os seus vícios de escrita. hahahaha que trouxa. Veja o comentário a cima como é do tonto, Sérgio.

Vinícius disse...

Ah, Sérgio, vi hoje que esse babaca continua falando mal de vc pelas costas lá no Twitter, viu. A obsessão continua.

Fernanda disse...

Um post nostalgia e ao mesmo tempo atual por causa da novela que está no ar. Adorei o comparativo e todos os pontos que vc abordou delas, Sérgio. E é uma pena que ainda tenha gente que não consiga enxergar a riqueza dessas personagens, preferindo apenas taxá-las de canalhas sem coração.Estão muito longe de ser. E as atrizes são ótimas e lindas!

Melina disse...

Vinícius, só a Amora diva pra tirar esse incoerente compulsivo da cova e ainda é cagão porque agora nem o nome mais usa porque sabe que passa vergonha sempre.E pior que ele ama imita o Sérgio em tudo, até na escrita. NUNCA SERÁ!

Anônimo disse...

Esse Thallys e a FaClubeNathaliaDill vivem falando mal do Zamenza pelas costas no twitter, e ainda ficam no site da Kogut postando horrores sobre Eta Mundo Bom, como se a gente não fosse notar que são eles quem ficam postando lá, nem conseguem disfarçar, falam mal mas sempre estão atento aos acontecimentos da novela, vai entender esses dois.

Anônimo disse...

Só queria uma antagonista a altura pra Amora, porque ela deixava a Giane (ótima Isabelle Drummond, porém o personagem não ajudava) e a Malu no chinelo. Acho que foi a personagem de novela que mais torci e não me arrependo em nada. Fora o casal Benmora (ou Amorento, rs?) que era o mais shippável, na minha opinião, claro! Amei SB, obrigado VV e MAA (apesar dela odiar a Amora, ficou óbvio em diversas entrevistas e até cenas usando alguns personagens, se não fosse o Villari pra defender a Amora estariamos ferrados, kk). #TeamAmora <3

Sobre TD+ não posso falar muito, pois acompanhei pouco, mas tenho uma relação de amor e ódio com a Carolina, em alguns momentos gosto, em outros nem tanto. Porém, ela é mesmo bem parecida com a Amora em diversos aspectos. Porém, minha torcida não é por ela e nem por Eliza, quem me conquistou foi uma personagem secundária: A Débora interpretada pela Olivia Torres.

Luciano disse...

Tirando o título cafona, foi uma matéria tão boa quanto as personagens.

Anônimo disse...

eu ás vezes gostava da amora mas outras vezes não gostava, acho que a atriz imprimiu muito pro lado da vilania, tanto que uma parte odiava a amora e outra parte gostava. Mas não acho justo ficarem criticando o pessoal que odiava a personagem, se ate mesmo a autora maria adelaide disse várias vezes que também odiava a personagem quando assistia os capitulo da novela, por que a gente também não pode odiar? acho que se dependesse da autora, amora não teria um final feliz

MARILENE disse...

Sérgio, você é brilhante em suas avaliações. Não perde detalhes de grande importância na análise de interpretações e de momentos especiais das novelas. Eu não gostava da Amora e aplaudo mais Carolina Castilho (rss). Mas não torço para que se dê bem. Bjs.

Sérgio Santos disse...

Pois é, Melina, o que eu prometo eu cumpro. Demorou, mas saiu. Estava justamente esperando o momento dessa nova armação da Carolina. As duas personagens se parecem muito, embora tenham contextos diferentes. E as duas fascinam pela complexidade e grandes interpretações. As duas novelas também são ótimas, o que ajuda bastante. E amamos Amora mesmo. Época boa aquela dos nossos debates. bjs

Sérgio Santos disse...

Tb amo as duas Ernane. abçs

Sérgio Santos disse...

Verdade, Paula.

Sérgio Santos disse...

Perfeito comentário, Valentina!

Sérgio Santos disse...

É exatamente isso, Felis. Exatamente! abçs

Sérgio Santos disse...

Mt obrigado, William!

Sérgio Santos disse...

Valeu, anonimo.

Sérgio Santos disse...

Pamela, ótimas personagens e atrizes mesmo. E claro que permito. Ótima a sua comparação com Íris. Realmente ela também se encaixa nisso. Era era muito cruel e fria com a mãe e insuportável na obsessão com o Pedro, mas amava a Helena verdadeiramente e se indignou pela irmã ao ver Camila e Edu flertando descaradamente. E depois ainda sentiu a dor da perda da mãe assassinada brutalmente. É um tipo riquíssimo e foi o melhor papel da Deborah. bjs

Sérgio Santos disse...

Ah, elogia a Carol, né? Nem sabia disso. Mas nem me surpreendo pq sei que se a Carol fosse feita pela Sophie ele acharia uma cretina, canalha, etc... Ele msm admitiu na época que se Amora fosse feita por outra atriz (acho que disse a Marquezine, não lembro bem), ele gostaria...

Sérgio Santos disse...

Saudades msm, Andressa. E seu comentário ainda fez um outro comparativo perfeito. É isso mesmo. bjs

Sérgio Santos disse...

Obrigado, Bia. =) bjs

Sérgio Santos disse...

Lulu, se vc quiser topo sim. bjssss

Sérgio Santos disse...

E eu já fico ansioso pela próxima deles, Anita. bjs

Sérgio Santos disse...

Bom te ver de volta, porlapazyporlavida lc! Eu tb amava Amora e torci mt por ela e Bento. Ele só deixava de ser insuportável, aliás, quando estava feliz com ela. E o final deles foi perfeito. Entendo que vc não ame Carol igual. Amora foi única msm. rs bjs

Sérgio Santos disse...

Vc que tem que virar a página, "anonimo", pq já se passaram 3 anos e sua amargura e seus chiliques continuam. Nada mudou, pelo visto. Um olhar que valeu o encerramento da novela que primou pela sensibilidade e delicadeza da cena. E vc tem todo o direito que odiar Eta Mundo Bom!, mas são vários casais bons, ótimas atuações e trama envolvente. O autor voltou pro horário das seis justamente para fazer tudo o que ele já tinha feito na faixa, não sei se vc tem a capacidade para entender. O objetivo é justamente esse. E Savalla está maravilhosa, com um ótimo destaque, ainda fazendo mais um tipo diferente dado pelo autor. Depois de duas peruas vilãs em Chocolate com Pimenta e Morde & Assopra, uma ricaça amargurada em Alma Gemea, uma mulher pobre e íntegra em Caras & Bocas,e uma ex-chacrete popular em Amor à Vida, veio uma caipira xucra e ranzinza na atual novela. E tem gente com a cara de pau de dizer que é repetição. Onde???? Enfim, pode continuar odiando a novela. Cada um com seu gosto. E ela segue com imenso sucesso.

Sérgio Santos disse...

Vou te contratar, Hein, Vinícius. Vc é bom em desmascaramentos. rsrsrs

Sérgio Santos disse...

Que bom que curtiu, Fernanda. =) bjsss

Sérgio Santos disse...

Obrigado pela defesa de sempre, Melina. bjs

Sérgio Santos disse...

Continuam falando mal de mim, Anonimo? Eu hein. Essa obsessão dá um pouco de medo. Mas, paciência. Tô nem aí. Esse povo me ama já que não tira meu nome da boca, ou melhor, da escrita. rs abçs

Sérgio Santos disse...

Anonimo, é Amorento. rsrsrs Eu tb amei mt Amora e não me arrependo. Apesar da MAA ter odiado a Amora, não acho que o Vincent tenha sido o único responsável pelo encerramento da personagem. Até pq a autora ama a Sophie e sempre a escala para seus trabalhos. Quem sabe ela não entra no meio de A Lei do Amor, quando acabar a licença maternidade. E a Amora era o foco central da novela já que sem ela não havia enredo. Eu gostava da Giane e ela nem era rival da Amora, elas só brigavam quando se viam. Rival era a mala da Malu msm. E Fernanda e Sophie tinham bons embates. A Carol é um tipo tão ambíguo quanto e eu amo também. abçs.

Sérgio Santos disse...

Obrigado pelo elogio, Luciano. Eu acho...

Sérgio Santos disse...

Mas odiar é totalmente aceitável, anonimo. A questão era classificá-la como uma mera canalha, se fazendo de cego pra toda a sua ambiguidade e o lado humano. Assim como a Carolina atualmente. Mas deteste um personagem é perfeitamente aceitável até pq não existe unanimidade. Gosto é gosto. Normal.

Sérgio Santos disse...

Mt obrigado, Marilene! rs Mas eu torço sim. bjssss

Sérgio Santos disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Raquel disse...

Respeito sua opinião, Sérgio, mas Carolina e Amora estão para mim no exato oposto do espectro de amor e ódio a personagens. Odiei a Amora e adoro a Carolina.

Primeiro pelo fato de que a Carolina não tem mimimi como tinha a Amora. Não tem essa de: "ah, eu não sou malvada, eu faço isso pq morei na rua e tive uma infância pobrezzzzzzzzzzzz". Essa auto-justificativa mata pra mim qualquer personagem. Matou a Amora, matou o Miguel em Sete Vidas e tá matando o Arthur agora.

Todo mundo sabe que a Carolina veio de baixo e teve que lutar muito para conseguir o que quis. Mas ela é megera e se assume megera, não fica usando o passado como justificativa. Ou sequer o amor pelo Arthur. A primeira vez que ela vai falar alguma coisa nesse sentido é quando for humilhada por Arthur, há 3 semanas do fim da novela.

Depois, Amora cometeu muito mais crimes que Carolina. As "armações" da Amora eram mais graves e prejudicaram muito mais gente em Sanguem Bom. Bento, Malu, Fabinho, Giane e Maurício, Irene, Plínio e metade do resto do elenco de Sangue Bom passaram boa parte da novela sofrendo na mão da "doce" Amora. Prejudicar mesmo a Carolina prejudicou a Eliza, o Arthur e o Germano (ao contar da paternidade da Eliza a Lili).

Finalmente, Carol faz, Carol paga! Ela já tomou tanto na cabeça nessa novela que dá pena. Amora se deu bem a novela inteira, só se "redimindo" nas duas últimas semanas.

Na minha opinião, a única coisa em comum entre as duas é que ficaram responsáveis por movimentar as suas respectivas tramas. Mas Carol é mil vezes mais interessante do que a aguada da Amora.

Bruna disse...

Texto maravilhoso, Sérgio. Eu concordo com tudo e ainda acrescento uma semelhança que vc se esqueceu de citar: a rivalidade entre Carolina e a jornalista mau caráter Lorena é a mesma coisa da rivalidade da Amora e da jornalista mau caráter Lara Keller.

Bruna disse...

E mais, Sérgio, Carol parece a mãe verdadeira da Amora. Adoro isso! Pena que ela não fizeram parte de uma mesma novela.

Elvira Akchourin do Nascimento disse...

Parabéns pela boa análise e comparação, Sérgio. Amora e Carolina têm personalidades controvertidas e despertam uma gama de sentimentos no público. E ganharam boas intérpretes.

Sérgio Santos disse...

Faltou a Leila, Raquel. E a Amora não se dava bem a novela inteira não,ela se ferrava muito que nem a Carol. Mas eu também respeito sua opinião.

Sérgio Santos disse...

É verdade, Bruna. Faltou essa outra semelhança que eu não citei. Ótima lembrança!

Sérgio Santos disse...

Ah, Bruna, pensa pelo lado bom: as duas novelas foram maravilhosas. bj

Sérgio Santos disse...

Mt obrigado, Elvira. Fico feliz que tenha gostado e concordo com vc. bjs