segunda-feira, 22 de fevereiro de 2016

"Totalmente Demais" faz ótima abordagem sobre a homofobia e destaca o talento de Pablo Sanábio

A atual novela das sete segue convidativa e com uma audiência excelente. A trama caiu mesmo no gosto do público e vem fazendo um merecido sucesso. Entre os muitos acertos do folhetim de Rosane Svartman e Paulo Halm, está a boa condução da história, que sempre se renova através dos dramas dos personagens, embora a comicidade, no geral, esteja presente o tempo todo. Mas, em meio aos bons desdobramentos do enredo, os autores conseguiram surpreender recentemente com uma ótima abordagem de um tema sério: a homofobia.


Através do divertido Max (Pablo Sanábio), a intolerância, que infelizmente continua forte na sociedade brasileira, foi exposta de uma forma clara, refletindo o que costuma ocorrer na vida de vários homossexuais. A situação não foi inserida gratuitamente com o único objetivo de ser uma 'mera panfletagem', pelo contrário: o momento humilhante sofrido pelo personagem estava dentro do contexto e ainda serviu para expor um lado frágil de um rapaz aparentemente seguro de si.

O melhor amigo de Lu (Juliane Trevisol) sempre protagonizou cenas hilárias na trama e é um dos melhores coadjuvantes do folhetim das sete. São inúmeras pérolas proferidas por ele e o personagem é querido por todos.
Braço direito de Arthur (Fábio Assunção), Max tem se dedicado em ajudá-lo a transformar Eliza (Marina Ruy Barbosa) em uma mulher refinada. Até então, o booker funcionava com um dos muitos alívios cômicos de "Totalmente Demais", cumprindo sua 'missão' com o máximo de competência possível.

Mas, no capítulo do último sábado (20/02), os autores mergulharam o personagem na questão da homofobia, intolerância que o mesmo ainda não havia sofrido, pois costuma fazer parte do meio da moda, onde esse tipo de preconceito não se faz muito presente. Após um longo tempo sem ninguém, Max gostou de um outro homem e os dois saíram da boate conversando amigavelmente pela rua. O empregado de Arthur até sugeriu que eles dessem as mãos, mas o companheiro se recusou por medo de retaliações. Não por acaso, logo depois, um rapaz jogou uma pedra em Max.

O personagem não se intimidou e enfrentou o agressor, que estava acompanhado de uma turma de playboys. Os homofóbicos partiram para cima de Max e o espancaram no meio da rua. A cena foi forte e bem realista, conseguindo, inclusive, driblar a "Classificação Indicativa" do horário, que não deixa de ser uma censura disfarçada. Toda a sequência expôs a crueldade de pessoas que não respeitam a orientação de outra e como a vítima ficou impotente diante do ataque.

Pablo Sanábio, que já vem dando um show desde a estreia da novela, brilhou na sua primeira cena pesada e passou com brilhantismo todo o desespero de Max. Até porque o personagem não ficou apenas ferido fisicamente, uma vez que a sua dignidade também foi 'espancada'. A sequência em que ele pergunta a Rafael (Daniel Rocha) ---- o fotógrafo o salvou dos marginais ---- a razão de não poder sair de mãos dadas como todo mundo foi emocionante. O ator mostrou que é tão competente em momentos dramáticos quanto sempre foi nos cômicos.

O texto dos autores e dos colaboradores também merece menção: " - Eu me enganei. Achei que o mundo todo era seguro para pessoas como eu. O que aconteceu hoje me fez lembrar que tem muita intolerância, muito preconceito e muito ódio. Por que não aceitam o meu amor? Por que não posso andar de mãos dadas como todo mundo? Eu não posso ter medo de andar na rua. Eu tenho direito de ser feliz também." Esse desabafo do personagem serviu para conscientizar e tocar o telespectador.

O intérprete, aliás, está vivendo o seu melhor momento na televisão. É o seu papel de maior destaque até então. Ele tem vários trabalhos no teatro e vem fazendo pequenas participações na TV desde 2007, quando esteve no "Sítio do Pica-Pau Amarelo". Em 2011, fez parte do elenco do remake de "O Astro, onde interpretou o Pablo, parceiro do cabeleireiro Cleiton (Frank Menezes) --- no último capítulo fez até um show vestido de Carmem Miranda. Também integrou o time de "O Rebu", primoroso remake de 2014, onde deu vida ao malandro Kiko; e esteve na série "Questão de Família", no GNT, em 2015 ---- interpretando o sério Joaquim, braço direito do juiz Pedro (Eduardo Moscovis).

Agora, Pablo Sanábio vem se destacando merecidamente em "Totalmente Demais" na pele do afetado Max, que já protagonizou várias cenas impagáveis na novela e emocionou quando seu personagem foi agredido. A abordagem sobre a homofobia foi muito bem explorada por Rosane Svartman e Paulo Halm ---- que já haviam abordado outro tema importante em "Malhação Sonhos" (o câncer de mama) com competência ----, e toda a dramática situação vivida pelo amigo de Lu serviu para evidenciar ainda mais o talento do ator.

28 comentários:

Anônimo disse...

De pleno acordo.Muito importante essa abordagem.

Quércia disse...

Parabéns pela crítica e para os autores.

Ana Carolina disse...

Eu nem estava esperando por esse tipo de cena e me choquei com a veracidade. Pertinente e merecida a sua crítica.Os autores estão de parabéns e o Pablo também.

Yasmin disse...

Foi muito bacana essa abordagem na novela e foi até mais forte do que já vimos em outras novelas. Adorei.

Bárbara Almeida disse...

A cena foi ótima, sem dúvida a abordagem que eles fizeram foi maravilhosa! A melhor até agora na tv.

Beijos, Love is Colorful

Fernanda disse...

Novela das sete mostrando que pode sim ser engraçada, mas também pode tocar em temas sérios com propriedade. To amando essa novela e queria que demorasse mais pra acabar.

Felisberto N. Junior disse...

Olá, Sérgio, bom dia,...bela "análise", realmente foi brilhante a abordagem e até em um horário não muito convencional para a teledramaturgia...apesar do Brasil ser um país miscigenado, na prática, ainda existem muitos casos de discriminação e intolerância. E pior , de forma sutil e dissimulada. E cada vez mais ouvimos ou vemos que homossexuais assumidos - ou tentam assumir, "as mãos dadas na trama"- foram agredidos e até mesmo assassinados por pessoas homofóbicas; claro que o Estado ainda negligencia as suas responsabilidades, mas, nada mudará enquanto, não aceitarmos a diversidade e as desigualdades sociais... Pablo Sanábio, para mim que não o conhecia, uma grata surpresa, vem se destacando e convencendo, aliando , agora, o seu momento dramático em meio à muitos momentos hilários..
Agradeço pelo carinho,feliz semana, abraços!.

Karen disse...

O Pablo nunca teve tanto destaque na televisão como tá tendo agora.Ele me emocionou nessa cena depois de ter me feito dar tantas gargalhadas na novela.

Jô Turquezza disse...

É a vida! Assim agem os intolerantes a tudo!
Abordagem do assunto super bem feita (autor e ator).
Chega a doer na nossa própria pele, a homofobia e outras tantas situações de intolerância às pessoas, por qualquer motivo.
Gostaria que o AMOR vencesse sempre .......
blgojoturquezzamundial.
Matéria compartilhada no meu Facebook.

Adriana Helena disse...

Olá Sérgio, como vai amigo?
Estou de volta das férias da blogosfera e muito emocionada em rever o o cantinho de cada um dos amigos que confesso: já fazem parte de mim, não importa o tempo ou a distância, estão sempre comigo e você é um deles querido!!

Cheguei em um texto magnífico: a abordagem da homofobia! Por acaso, no sábado, eu vi a cena e fiquei muito emocionada com o sofrimento do personagem brilhantemente interpretado por Pablo!
Como o mundo é cruel e a abordagem dos autores foi ótima para expor em um horário considerado ainda leve, um dos tumores da sociedade que é o preconceito e a homofobia!
Excelente análise amigo e não por acaso que a novela é um sucesso, pois tem ingredientes capazes de mostrar aos telespectadores que o mundo não é só um conto de fadas não é mesmo?

Um grande beijo e mais uma vez, parabéns, pela excelente abordagem!

MARILENE disse...

Sérgio, as cenas que destacou foram brilhantes. Nossa, emocionaram! Não imaginava que haveria essa abordagem na novela e me surpreendi. O sofrimento dele, como mencionou, não foi apenas físico. Isso faz com que as pessoas reflitam sobre a irracionalidade do preconceito. Bela postagem! Bjs.

Vera Lúcia disse...


Olá Sérgio,

A cena da homofobia foi mesmo chocante e o ator Pablo Sanábio a interpretou com muito talento. Gosto da atuação dele como Max. É divertido.
O texto dos autores para a ocasião da cena homofóbica foi mesmo tocante.
Continuo assistindo e gostando da novela.
Sua análise está para lá de perfeita. Parabéns!

Abraço.

Vanessa disse...

Sérgio, meu querido, voltei a me empolgar com novelas por causa de "Totalmente Demais" e cá estou no seu blog para comentá-la. Olha que não costumo curtir novelas das sete, mas esta me pegou. É do tipo que você naõ espera muito e, quando menos percebe, não sai de frente da TV. rs

Entre tantas qualidades, "TD+" também é capaz de nos fazer refletir e emocionar. A cena do Max, um resumo do que acontece em tantos lugares deste País, foi chocante!! Não só o ato, mas o pós, na agência. Me emocionei com a situaçaõ e com a interpretação do Pablo. Aliás, que ator!!!

Beijão,
Vanessa

Anônimo disse...

Pura panfletagem que destoou da trama e do personagem, ao contrário do que você disse e não justificou em nenhum momento. Só puxou saco

Sérgio Santos disse...

Obrigado, anonimo.

Sérgio Santos disse...

Valeu, Quércia.

Sérgio Santos disse...

Foi mt bom mesmo, Ana.

Sérgio Santos disse...

Tb curti, Yasmin.

Sérgio Santos disse...

Foi bacana mesmo, Bárbara.

Sérgio Santos disse...

Exato, Fernanda.

Sérgio Santos disse...

Excelente comentário, Felis!

Sérgio Santos disse...

Nunca mesmo,Karen.

Sérgio Santos disse...

Que bom que gostou, Jo.

Sérgio Santos disse...

Bem vinda de volta, Adriana. E obrigado pelo carinho de sempre.

Sérgio Santos disse...

Pois é, Marilene. Foi surpreendente.

Sérgio Santos disse...

Tb continuo, Vera. A novela é uma delícia.

Sérgio Santos disse...

Até que enfim tu veio no meu blog, Vanessa. Acho que tinha mais de um ano que vc não aparecia. E que bom que tá vendo a novela. É mt boa, né? bjão

Sérgio Santos disse...
Este comentário foi removido pelo autor.