quinta-feira, 24 de setembro de 2015

"Mister Brau" tem bom início e se mostra uma escolha acertada para substituir "Tapas & Beijos"

Com a complicada missão de ocupar a faixa que foi do sucesso "Tapas & Beijos" ao longo de quase cinco anos, estreou, nesta terça-feira (22/09), "Mister Brau". A série, escrita por Jorge Furtado e dirigida por Maurício Farias (o mesmo da produção anterior), teve um bom início e promete ser recheada de críticas, mescladas com um humor bem debochado. O primeiro episódio foi dinâmico e conseguiu apresentar de forma simples todos os personagens principais.


Lázaro Ramos interpreta o personagem-título e Brau (cujo nome verdadeiro é Bráulio) é um verdadeiro pop star. O ator protagoniza a história ao lado de Taís Araújo, que, além de ser sua esposa na vida real, interpreta Michele Brau, a mulher do astro. O cantor se muda de Madureira para um condomínio de luxo na Barra, Rio de Janeiro, em virtude do sucesso de sua carreira, que lhe proporciona cerca de R$ 14 milhões por mês. Além dele e da esposa, há também uns agregados, como o DJ Lima (Luís Miranda), seu grande parceiro.

A trama começou mostrando o casal na nova mansão e o incômodo que a mudança passou a gerar na vizinhança, principalmente na preconceituosa Andreia (Fernanda de Freitas), casada com o advogado Henrique (George Sauma), que ficou horrorizada com os novos moradores.
Por ironia do destino, aliás, seu marido virou braço-direito do pop star assim que o conheceu, passando a advogar para o grande astro da música. Esse par, inclusive, ainda tem uma divertida empregada, interpretada pela ótima Cláudia Missura: a Catarina.

Além dos personagens mencionados, há também o Antônio Carlos (Daniel Dantas) --- pai de Andreia ---, o Gomes (Kiko Mascarenhas, que assim como Fernanda de Freitas, também emendou depois de "Tapas & Beijos"), a Maria Augusta (Guta Stresser), a Giselle (Ana Terra) --- que diz ter sido a grande inspiração para uma música de imenso sucesso de Brau --- e o Marques (Marcelo Flores), o vigilante do condomínio. O elenco é pequeno e bem selecionado.

O primeiro episódio expôs a relação de Brau com Michele, que além de ser esposa, também é sua dançarina e empresária. Ela é mais cerebral e ele é bem mais deslumbrado, proporcionando uma espécie de equilíbrio de forças, que ainda implica em divertidas situações protagonizadas pelo casal. A série ainda conta, como nem poderia deixar de ser, com muita música, lembrando, inclusive, um pouco a novela "Cheias de Charme", cujo foco principal era o sucesso de três cantoras emergentes. Logo na estreia já foi possível ver Brau fazendo um show e homenageando a mulher com uma canção feita especialmente para ela.

A mistura de ficção e realidade, assim como ocorreu na novela citada na época, pôde ser visto antes da estreia, quando Lázaro, Luís e Taís foram ao "Domingão do Faustão" caracterizados como os personagens, para uma divulgação do programa. E há ainda a preocupação da interatividade, pois há um próprio site 'criado pelo cantor', que fica no GShow, onde consta várias informações 'ditas por ele mesmo'.

A missão de substituir o sucesso "Tapas & Beijos" não é fácil, mas a nova produção mostrou ter potencial de sobra para ocupar a faixa. Além dos personagens carismáticos e da história de fácil compreensão, a série mostra, através de tiradas sarcásticas, vários preconceitos que seguem arraigados na sociedade. O texto de Jorge Furtado é ótimo e toca nas feridas usando o bom humor, sem cair no exagero das 'lições de moral'. E a própria história se coloca de forma despretensiosa, uma vez que não tem nada de novo sendo contado.

"Mister Brau" ---- que estreou com 24 pontos, uma ótima média ---- teve uma estreia bem promissora e já vale mencionar a grande dupla formada por Lázaro Ramos e Taís Araújo. Os atores estão muito bem e os cativantes personagens têm tudo o que é necessário para uma boa popularidade perante o público. A série, se continuar apresentando o que foi visto no primeiro episódio, tem grandes chances de se fixar na grade da Globo por um bom tempo, repetindo a trajetória do seriado anterior.

22 comentários:

Neide Amâncio disse...

Muito boa análise sobre o episódio de estreia de #MisterBrau! Concordo com todas considerações feitas, curti muito o inicio, e também acredito que se continuar com a "pegada" da estreia tem tudo para emplacar.

Sol disse...

Não achei lá essas coisas, mas não é tão ruim quanto Chapa Quente.

Gabriel disse...

Olhando as chamadas achei q ia ser uma vergonha só. Achei q seria mas uma má substituição, assim como foi a troca da grande familia por chapa quente. Mas conferindo a estreia vi q estava bem enganado. Gostei bastante da estreia e acho q tem td para se um sucesso assim como tapas e beijos foi.

Ed Taborda Assunção disse...

Vendo as chamadas eu jurava que ia ser um flop de dar vergonha alheia, mas a estreia foi ótima. Se continuar desse jeito tem tudo pra se concretizar na faixa. Lázaro Ramos e Taís Araújo deram um show e todo o elenco é bom. A história é contada sem grandes dificuldades e isso é muito agradável. Vou continuar acompanhando. Parece que Tapas & Beijos foi bem substituída.

Samara disse...

Gostei da Táis, mas o Lázaro tá sempre caricato!

Anônimo disse...

Foi uma boa surpresa a série.

Olímpia Menezes disse...

Achei a série cheia de esteriótipos e nada engraçada. Fora a repetição do elenco da série anterior.Fernanda de Freitas e Kiko Mascarenhas emendando não dá.Lázaro tá sempre over e essa produção lembra um spinoff de Geração Brasil que foi horrível.

Elisa disse...

Até que foi boa e Tapas e Beijos já tinha que ter acabado.

Bia Hain disse...

OLá, Sérgio, concordo com a Sol, não é tão ruim como Chapa Quente, kkkk! Sério, gosto muito da dupla Lázaro e Thaís, penso que tem tudo para dar certo! Abraços!

MARILENE disse...

Sergio, foi bom ler você, para me inteirar do conteúdo da série (rss). Tenho assistido TV bem menos e séries nunca me atraíram. Espero que a Globo seja feliz com ela. Bjs.

Vera Lúcia disse...


Olá Sérgio,

Vi algumas passagens da estréia, mas casualmente, pois não pretendo acompanhar, apesar de gostar muito da dupla Lázaro Ramos e Taís Araújo.
Espero que seja um sucesso.

Abraço.

Sérgio Santos disse...

Mt obrigado, Neide.

Sérgio Santos disse...

Ah, isso sem dúvida, Sol.

Sérgio Santos disse...

Tb achei uma boa surpresa, Gabriel.

Sérgio Santos disse...

Mt bom seu comentário, Ed. Concordo com tudo.

Sérgio Santos disse...

Nesse caso a caricatura é cabível, Samara, mas entendo.

Sérgio Santos disse...

Verdade, anonimo.

Sérgio Santos disse...

Respeito sua opinião, Olímpia. E a série tem msm mta gente de Geração Brasil, que, concordo, foi péssima.

Sérgio Santos disse...

De acordo, Elisa.

Sérgio Santos disse...

Ok, Bia. rsrs bjssss

Sérgio Santos disse...

Sem problemas, Marilene. bjs

Sérgio Santos disse...

Entendo, Vera. bjs