quinta-feira, 17 de setembro de 2015

Encerrando um ciclo vitorioso, "Tapas e Beijos" sai de cena na hora certa

Foram quase cinco anos no ar, levando em consideração os 'períodos de férias da grade', quando não foi exibido. "Tapas & Beijos" estreou em abril de 2011 e chegou ao fim nesta terça-feira (15/09/2015), fechando um vitorioso ciclo. O roteirista Cláudio Paiva, o diretor Maurício Farias e equipe conseguiram produzir um seriado de comédia que emplacou logo no início e conseguiu manter os bons índices ao longo de toda sua trajetória. Entretanto, já estava na hora encerrar a produção.


A história protagonizada por Fátima (Fernanda Torres) e Sueli (Andrea Beltrão) teve um ótimo início e não foi difícil cativar o público. As melhores amigas (que dividiam um apartamento no Méier) sonhavam em se casar, mas nunca encontravam o homem ideal e, para aumentar a frustração compartilhada, ainda trabalhavam em uma loja (localizada em Copacabana) que vendia e alugava vestidos de noiva ---- comandada por Djalma (Otávio Muller). As desventuras da dupla divertiam e a boa sintonia entre as atrizes foi um dos acertos da série.

Ao longo do tempo, os coadjuvantes foram ganhando mais importância na trama, o que contribuiu para o fôlego do enredo. Tipos como Jurandir (Érico Brás), Seu Chalita (Flávio Migliaccio), Armane (Vladimir Brichta), Tavares (Kiko Mascarenhas, que interpretou um Santo Antônio imaginário no primeiro ano), Djalma e Flavinha (Fernanda de Freitas) cresceram, ficando tão atrativos quanto as protagonistas.

E a entrada de Fábio Assunção, interpretando Jorge, o dono da boate "La Conga", foi outro bônus para a história. O envolvimento do personagem com Sueli funcionou muito bem e o fato dele ter uma filha voluntariosa (Bia - Malu Rodrigues) deixou o conjunto ainda melhor.

A relação repleta de brigas entre Fátima e Armane também ficou mais divertida do que era e a série ainda foi ganhando novos personagens, que acabaram entrando para o time fixo com o tempo, como: Tijolo (Orã Figueiredo), Lucilene (Natália Lage), PC (Daniel Boaventura), Sthefanie (Rafael Primot) e Shirley (Analu Prestes). Porém, o roteiro foi se desgastando e se perdendo ao longo das temporadas. Em 2012, por exemplo, priorizaram demais as discussões dos dois casais principais, tornando todas aquelas situações repetitivas. No ano seguinte, tentaram consertar este equívoco, fazendo uma espécie de "volta às origens", aumentando o destaque da dupla Fátima e Sueli, deixando um pouco de lado os respectivos pares.


Já em 2014, na quarta temporada, o enredo passou a focar no desgaste do casamento das protagonistas. As amigas precisaram lidar com os típicos problemas das relações conjugais: Fátima, casada com Armane, e Sueli, casada com Jorge. Elas acabaram se separando, mas tinham constantes recaídas com os maridos, implicando em várias discussões, obviamente. Essa ideia ajudou a movimentar a série, mas não provocou nenhuma grande mudança na sensação de desgaste que o formato já apresentava. Até porque o enredo não permite muitas alterações no rumo da história, é basicamente sempre a mesma narrativa.


A última tentativa de inserir alguma novidade na série ocorreu justamente neste ano, com Fátima e Sueli se aventurando em um novo negócio: a dupla saiu da "Djalma Noivas" e abriu um brechó, que passou a funcionar no mesmo local onde era a loja de Armane. A nova empreitada não deu certo, claro, o que proporcionou um certo frescor para uma trama tão esgotada. Mas, inevitavelmente, todo o conjunto acabava caindo na mesmice. Não havia mesmo mais nada para extrair da série, todas as possibilidades já tinham sido utilizadas.


Por isso mesmo, houve um acerto na decisão de encerrar o ciclo na quinta temporada, exibida em 2015. Os próprios atores quiseram parar (principalmente as protagonistas), até porque muitos tinham o desejo de encarar novos desafios. E as únicas que terão tempo para um descanso de imagem serão Andrea Beltrão e Fernanda Torres. Afinal, Otávio Muller já está em "A Regra do Jogo", Fernanda de Freitas e Kiko Mascarenhas estarão na nova série "Mister Brau" (substituta de "Tapas & Beijos", inclusive), e Orã Figueiredo e Fábio Assunção foram escalados para "Totalmente Demais", próxima novela das sete, escrita por Rosane Svartman e Paulo Halm, com estreia prevista para novembro.


O último episódio foi ótimo e trouxe de volta aquele frescor do início da temporada, mesclando o fechamento do ciclo com nostalgia. Fátima e Sueli se preparavam para casar com homens 'idealizados', mas o plano não foi para frente graças a Djalma, que planejou, junto com Seu Chalita, uma doença grave para que as duas não comparecessem ao casamento. Para culminar, ambas reencontraram Jorge e Armane, tendo a clássica recaída. Uma das ótimas sacadas do final foi a metalinguagem exposta por meio do hilário Tavares, que previa tudo o que ia acontecer, constatando que todos eles estavam dentro de um programa de humor. Sua última cena, inclusive, foi percebendo uma câmera filmando os acontecimentos. Já Djalma e Flavinha ficaram juntos, assim como Jurandir e Bia, além de Tijolo e Sthefanie, que abriram uma nova boate: a "La Tromba".


As protagonistas, como não poderia deixar de ser, ficaram com seus respectivos amados no final, mas enfrentando as confusões de sempre --- a última sequência, com as duas na praia se divertindo, fez uma alusão ao começo da história. E a última sequência, com todos os atores cantando a música tema de abertura junto com Sidney Magal, enquanto a equipe assistia ao 'show', fechou a temporada da melhor forma possível, expondo com propriedade o clima de alegria e descontração que dominou o programa ao longo destes quase cinco anos.


"Tapas & Beijos" teve uma trajetória vitoriosa, onde a audiência sempre correspondeu às expectativas. Todos os personagens caíram no gosto popular e os atores conseguiram se destacar interpretando tipos recheados de comicidade. Entretanto, o desgaste da história já estava atrapalhando a série e esse encerramento era mais do que necessário. A produção cumpriu seu objetivo e é sempre melhor sair de cena deixando uma certa saudade, ao invés de terminar provocando uma sensação de alívio. É preciso saber a hora de parar. E eles souberam.


26 comentários:

Fernanda disse...

Eu até acho que demoraram demais. Era pra ter acabado no ano passado. Concordo com tudo, a trama se perdeu e ficou repetitiva.Mas ao menos não durou tanto quanto A Grande Família, que essa sim não soube parar na hora certa.

William O. disse...

Acabou na hora certa mesmo, não tinha mais como prosseguir. E conseguiram acabar deixando um gosto de quero mais o que já está de bom tamanho.

Anônimo disse...

Eu gostava muito. Sentirei falta.

Letícia disse...

Também acho, não tinha mais o que fazer.E quero ver a Fernanda Torres numa série da Fernanda Young novamente.

Murilo disse...

Já podem acabar com esse Pé na Cova também que já deu o que tinha que dar.E esse Mister Brau parecer ser bem ruim.Verdades Secretas fará falta na faixa.

Andressa Mattos M. disse...

A série começou ótima mas depois se perdeu e nunca mais voltou a ser o que era. Nem achei o último episódio incrível, mas fechou a temporada com dignidade. Pra variar, seu texto está bem detalhado e fez uma boa análise sobre esses quase cinco anos de Tapas E Beijos.

Bell disse...

Demorou para acabar, apesar de um gostar muito.

Um maravilhoso fds pra vc =)

Pedro disse...

Concordo, acabou porque já estava na hora.Souberam parar, ao contrário da grande família que se estendeu além do limite.

Bia Hain disse...

Olá, Sérgio como vai? Concordo que a série saiu do ar na hora certa, mas eu gostava mais nos dois primeiros anos. Depois achei que começaram a se prender muito nas idas e vindas e ficou meio repetitivo. Os atores são excelentes e merecem agora seguir outros caminhos. Abraços!

Vera Lúcia disse...


Olá Sérgio,

Tudo bem com você?

Observo que você continua arrasando com os seus textos.
Não acompanhei todas as temporadas, mas cheguei a assistir vários capítulos de todas, o que me leva a concordar com as suas considerações. Assisti ao último episódio e achei ótima a finalização da série. Também acho que ela foi encerrada no momento certo, caso contrário ficaria desinteressante. Não havia mesmo fôlego para a sua continuação. Penso que toda série deveria terminar enquanto pudesse deixar saudade ou lembranças positivas, como é o caso de "Tapas e Beijos".

Excelente final de semana.

Beijo.

Sissym Mascarenhas disse...




Sergio,

Acabou minhas terças engraçadas de boas gargalhadas. Gostava muito.
Contudo, eu concordo que souberam terminar em bom tempo.
Saudades é para se sentir.

Bjs

Filha do Rei disse...

Ah , vai deixar saudades!! Ri muito com eles, torci muito e hoje aplaudo. Que venham outros e grandes projetos para as gurias. :)
Sérgio, tenhas um grande domingo. Bjs

MARILENE disse...

Sergio, nem todos os episódios foram bons e, com o tempo, o programa cansou. Mas valeu a pena assistir alguns, bem divertidos. Sua abordagem ficou ótima. Bjs.

Sérgio Santos disse...

É verdade, Fernanda, concordo.

Sérgio Santos disse...

Ficou de bom tamanho, William.

Sérgio Santos disse...

Eu não sentirei, anonimo, mas respeito sua opinião.

Sérgio Santos disse...

Seria bacana, Letícia.

Sérgio Santos disse...

VS fará falta mesmo, Murilo.

Sérgio Santos disse...

Mt obrigado, Andressa.

Sérgio Santos disse...

Tb acho que já poderia ter acabado, Bell. bjs

Sérgio Santos disse...

Verdade, Pedro.

Sérgio Santos disse...

Exatamente isso, Bia. bjss

Sérgio Santos disse...

Oi Vera, saudades. Espero que tenha ido bem de viagem! Concordo, tb acho que encerraram bem essa série e o último episódio foi divertido. Obrigado pelo carinho. bjs

Sérgio Santos disse...

Pois é, Sissym, o ciclo se fechou. bjs

Sérgio Santos disse...

Tenha uma ótima semana, Cléu. =) bjão

Sérgio Santos disse...

Concordo plenamente, Marilene. Aliás, já estava cansativo há um bom tempo. bjssss