quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015

"Celebridade": um sucesso de Gilberto Braga

Exibida entre outubro de 2003 e junho de 2004, "Celebridade" foi um grande sucesso de Gilberto Braga. A trama, com ótimos personagens e grande elenco, agradou e conquistou a audiência. Dirigida por Dennis Carvalho, a novela abordou a busca pela fama, os malefícios que a superexposição pode causar para uma pessoa e o nível de obsessão que alguns têm pelo poder e pelo dinheiro.


Protagonizada por Malu Mader, a história tinha como eixo central a vida da poderosa Maria Clara Diniz, modelo que conheceu o sucesso quando (aparentemente) seu então namorado compôs para ela "Musa do verão", música que estourou em todas as rádios em 1988. E a tragédia que abalou sua vida ----- no dia do seu casamento, o compositor foi assassinado por um boêmio (Ubaldo) que afirmava ter sido o verdadeiro autor da canção ----- não encerrou sua carreira, pelo contrário: a profissão de modelo cedeu lugar para a de empresária. Ela passou a buscar novos talentos e agenciar estrelas, produzindo shows também.

A novela começa de fato quando Laura Prudente da Costa (Cláudia Abreu) inicia um plano para entrar na vida de Maria Clara. Filha da verdadeira "Musa do Verão", a vilã finge ser uma fã da ex-modelo com o intuito de se vingar. Com a ajuda de Marcos (Márcio Garcia), seu namorado e cúmplice, ela consegue trabalhar na empresa da 'rival' e vira amiga íntima da toda poderosa.
Ainda arruma um emprego de motorista para o comparsa. Ao longo da história, a vida da protagonista vai ruindo graças aos golpes da dissimulada 'admiradora', que não mede esforços para atingir seus objetivos.

Cláudia Abreu deu um verdadeiro show na pele desta detestável víbora e sua química com Márcio Garcia foi um dos pontos altos da trama. A 'Cachorra' e o 'Michê' (apelidos 'carinhosos' que os dois canalhas se davam) protagonizaram várias cenas quentes e foram os principais responsáveis pela desgraça na vida de Maria Clara Diniz. Aliás, Malu Mader também se destacou merecidamente na pele da protagonista e honrou o posto.

A empresária tinha uma forte ligação com o milionário Lineu Vasconcelos (Hugo Carvana) ---- que, inclusive, patrocinava vários shows produzidos por ela ----, dono do Grupo Vasconcelos: império da comunicação responsável por várias emissoras de rádio e TV, jornais e revistas, entre elas, a 'Fama', que falava do mundo das celebridades e era dirigida pelo ambicioso Renato Mendes (inspirado Fábio Assunção), jornalista que não primava pela ética. Este personagem foi um dos destaques da história e o vilão ganhou ainda mais contornos quando se aliou a Laura e depois se voltou contra ela assim que percebeu que estava sendo usado.

Outra trama interessante era a de Beatriz (Débora Evelyn), filha de Lineu. Extremamente ciumenta, a mulher morria de medo de perder o marido (Fernando Amorim - Marcos Palmeira) e o casamento ficou ainda mais desgastado depois que Fábio (Bruno Ferrari), um dos filhos, morre em uma corredeira. Inácio (Bruno Gagliasso impecável), que sempre foi preterido pela mãe, passa a ser ainda mais rejeitado e humilhado, pois se sente culpado pelo acidente do irmão, tendo esta culpa aumentada pelo desprezo da progenitora.

Apesar de ter sido repleta de dramas pesados, a história teve seus bons momentos cômicos. Isso porque Darlene e Jaqueline Joy formaram uma dupla impagável. As periguetes (na época nem existia este termo ainda) eram obcecadas pela fama e faziam de tudo para que os fotógrafos notassem a existência delas. As duas manicures ainda protagonizaram um triângulo amoroso com o bombeiro Vladimir (Marcelo Faria). Deborah Secco e Juliana Paes se destacaram e suas respectivas carreiras deram uma boa guinada depois desta novela.

Ana Beatriz Nogueira e Nathalia Timberg também foram responsáveis por boas sequências cômicas. Ana Paula era irmã de Maria Clara e tinha uma inveja imensa da empresária. Já Yolanda era a ambiciosa tia de Renato Mendes. As duas eram trambiqueiras e, embora tivessem toques de vilania, transbordavam um delicioso humor ferino. As atrizes são maravilhosas e aproveitaram a oportunidade dada pelo autor.

A sacoleira Eliete (Isabela Garcia) foi outra personagem que caiu no gosto popular. Confidente de Maria Clara, ela nunca gostou de Laura e sempre tentava alertar a melhor amiga sobre o caráter da sua fiel escudeira. Já o drama de Cristiano Reis (Alexandre Borges) ---- um alcoólatra que lutava contra o vício e tinha a ajuda da namorada Noêmia (Júlia Lemmertz) e do filho Zeca (Bruno Abrahão) ---- emocionou, sendo mais uma atrativa trama paralela da história.

Além de todos os ótimos atores já citados, é preciso citar também Gracindo Jr. (Ubaldo), Nivea Maria (Corina), Daniel Dantas (Ademar), Sérgio Menezes (Bruno), Norma Blum (Hercília), Jairo Mattos (Lourival), Débora Lamm (Vitória), Taumaturgo Ferreira (Nelito), Oswaldo Loureiro (Roberto), Lavínia Vlasak (Tânia), entre tantos outros.

Vale destacar que a cena da surra que Maria Clara deu em Laura no banheiro foi antológica. Foi uma das melhores (senão a melhor) cena de briga já feita em uma novela e a sequência, que deixou a vilã completamente destruída, lavou a alma do telespectador. Outra situação que marcou a trama foi o mistério em torno do assassinato de Lineu. Perto do seu desfecho, o folhetim usou o tradicional recurso do 'Quem matou?' para atiçar a curiosidade do público. No final, a previsibilidade se fez presente com a revelação de que Laura havia matado o empresário.

"Celebridade" foi uma produção merecedora de todo o sucesso que fez. Gilberto Braga estava inspirado e a novela ---- que lamentavelmente marcou o fim da parceria do autor com sua colega Leonor Bassères (ela, que escreveu com ele o fenômeno "Vale Tudo", e era sua colaboradora, faleceu em janeiro de 2004) ---- despertou atenção do primeiro ao último capítulo.

48 comentários:

Raíssa disse...

Essa novela foi boa mesmo e a surra que a Maria Clara deu na Laura foi inesquecível. Só espero que esse Gilberto esteja de volta em Babilônia e não aquele Gilberto de Insensato Coração.

Elvira Akchourin do Nascimento disse...

Sérgio, gosto do estilo do Gilberto Braga. Celebridade foi uma de suas melhores novelas, bem escrita, bem dirigida, bem interpretada. Não esqueço da briga da Maria Clara com a Laura Prudente, no banheiro, do Marcio Garcia (talvez em seu melhor papel na TV), do Fábio Assunção (ótimo), do Bruno Gagliasso (excelente), da Deborah Evelyn....

Anônimo disse...

Esse autor é o mais arrogante de todos os nacionais, mas tem talento pra fazer novelas. Essa Celebridade foi muito boa e gostei de relembrá-la. Insensato foi a pior novela dele junto com O Dodo do Mundo mas foram tropeços que espero que não se repitam.

Arthur Silva disse...

Gostei da novela mas se comparar com Vale Tudo e Paraíso Tropical fica bem aquém. A Laura ser a assassina do Lineu foi broxante e a Maria Clara era uma tonta. Aquele par dela com o Marcos Palmeira foi um fiasco. Mas no geral foi uma novela boa.

Marcos disse...

O ponto alto dessa novela foi Renato Mendes com Laura. O Márcio Garcia de michê também foi bom e coloca a dupla das manicures atiradas. Mas o resto achei cansativo. Aquele Nelito com a obsessão em ser diretor de tv era um saco! E também achei insosso o romance da Maria Clara com o personagem do Marcos Palmeira. Mas Laura cachorra era uma vilã odiosa. Adorava.

Kauê disse...

"Celebridade" foi uma ótima novela do Gilberto Braga, eu particularmente gostei. E relembrando através do seu texto ficou claro que algumas tramas paralelas funcionaram muito bem, diferente do que tem acontecido hoje em dia em algumas produções. Cláudia Abreu foi sensacional, Laura era uma peste e ainda tinha humor e a parceria com o Márcio Garcia e o Fábio Assunção foi mt boa, Malu Mader também merece elogios pelo ótimo desempenho. Sem dúvidas a cena em que Laura apanha da Maria Clara no banheiro é antológica e até hoje é lembrada. Lembro que na época minha familia inteira fez um bolão pra saber quem era o assassino de Lineu Vasconcelos, foi mt engraçado! Espero que o autor, que também foi mt bem sucedido em Paraíso Tropical nos surpreenda em "Babilônia"

Anônimo disse...

Preferi Paraíso Tropical e Força de um desejo mas gostei dessa também. A cena da surra foi a melhor coisa nessa novela. E Cláudia Abreu engoliu a Malu Mader.

Thallys Bruno Almeida disse...

Eu adorei Celebridade de uma forma como poucas novelas me conquistaram. Considero uma daquelas novelas que muito raramente se repetem de tão boas que foram.

Engraçado, eu não achava Maria Paula Diniz uma idiota, como foram a Paula (ParTrop), Marina (InsCor) ou Márcia (Dono do Mundo), eu gostava dela. Quem me irritava mesmo era o Fernando Amorim (Marcos Palmeira).

Laura foi um verdadeiro furacão e foi ali que eu conheci a Cláudia Abreu. Arrasadora, destrutiva, maravilhosa, vilã daquelas de ficar na memória, com uma parceria inesquecível com o Márcio Garcia ao som dos Stones.

Renato Mendes foi outro personagem sensacional, o que me faz opinar que um dos fortes do Gilberto Braga são os vilões masculinos, ele é um dos poucos que ainda apostam atualmente assim, enquanto outros apostam mais na vilania. Um Fábio Assunção impecável.

Saudade da época que a revista Fama teve algumas edições da ficção encartadas na Quem (da vida real).

A Deborah e a Juliana tavam um verdadeiro abuso. Impagáveis, cômicas e abusando da sensualidade. Essas personagens renderam muito sucesso pras duas.

Tanto personagem sensacional, Maria Clara, Darlene, Jaqueline, Zeca, Beatriz, Ana Paula, Yolanda, Eliete, etc.

Sobre a cena da briga, cravo logo: acho a melhor de todas, superando até a original de Água Viva (ou foi Dancin' Days?). Cena épica, daquelas de entrar pra história.

Foi uma novela maravilhosa e fez parte de duas trincas que eu amo muito: a primeira, a trinca maravilhosa de novelas que passava nessa época (Chocolate com Pimenta, Da Cor do Pecado e Celebridade - considerando só o começo de 2004). A outra, a sequência maravilhosa que começou com Mulheres Apaixonadas, veio com Celebridade e depois trouxe Senhora do Destino. Maneco, Giba e Aguinaldo inspiradíssimos.

Celebridade é daquelas novelas que sempre vale a pena relembrar, rever, torcer pra reprisar, torcer pra lançar em DVD. Novelão na mais legítima acepção da palavra.

Correção: quem fazia o Fábio era Theo Becker. O Bruno Ferrari fez a Malhação da mesma época (temporada Vagabanda).

Yasmin disse...

Adorei essa novela e gostei da sua lembrança, Sérgio. Aliás, é sempre bom ler essas suas resenhas sobre novelas mais antigas. Na época vc não tinha blog ainda então a gente merece ler.

paulo disse...

Novelas do Gilberto Braga definitivamente não combinam com os anos 2000(em diante). Todo aquele glamour de novelas dele dos charmosos anos 80 como Vale Tudo, Corpo a Corpo, Agua Viva, Louco Amor e ate O Dono do Mundo que é do comecinho dos 90s foi por agua abaixo nessas novelinhas dele do novo milênio. Essa Celebridade é a menos pior, sem duvida. Aquele casal repeteco de Maria de Fatima e Cesar era muito caricato e forçado. A protagonista era uma chata. O tal do quem matou nessa novela(e todas dele seguintes) foi ridículo! Mas entendo que pra quem não conhece a época de ouro do Gilberto Braga deve achar mesmo essa novela um "must" porque a coisa foi só piorando.

Vera Lúcia disse...



Sem dúvida, Sérgio, uma ótima novela, que tive muito prazer em acompanhar.Já não me lembrava de tantos detalhes-rs.
Valeu a lembrança. O que acontece de bom no meio televisivo merece ser objeto de destaque e de homenagens.

Obrigada pelo carinho.

Felizes dias.

Abraço.

Fernanda disse...

Achei a novela boa, Sérgio, mas nada de fantástica. Laura e Maria Clara protagonizaram bons embates mas pra mim o autor errou ao demorar tanto pra fazer a Maria Clara descobrir sobre a vilã. Ela ficou um tempão sendo uma imbecil e só foi descobrir lá perto do final. Enrolou muito. Já aquele núcleo cômico das manicures eu achava um porre. Gilberto não é bom na comédia e nem em retratar pobres. Erra muito a mão.

Anônimo disse...

A única coisa que a maioria aqui lembra dessa novela é a tal briga no banheiro, bem exagerada por sinal e copiada de outra novela. Celebridade foi uma colcha de retalhos de tudo que o GB já escreveu, e achei tudo bem fraco. Parecia uma parodia de suas novelas clássicas, como já disseram.

Felisberto N. Junior disse...

Olá,Bom dia, Sérgio
outro dia vi uma reportagem em que Deborah Secco e Juliana Paes diziam que se tornaram verdadeiras e grandes amigas , por causa dessa amizade/parceria em Celebridade...ainda me lembro , também e com certeza, da briga no banheiro entre Maria Clara e Laura, o mistério em torno do assassinato de Lineu , a previsibilidade do final e a excepcional atuação de Claudia Abreu... até que essa obsessão pelo dinheiro pode ser menos preocupante pelo fato de que ela domina coisas materiais. Já o poder é mais destrutivo porque se refere ao domínio sobre as pessoas...
Agradeço pelo carinho, belos dias, abraços!

Gabriella disse...

Achei a novela boa, Sérgio. Não me lembrava de alguns detalhes como a trama do Inácio. Mas os pontos altos foram Laura, michê, Renato Mendes e Lineu. Maria Clara era uma idiota deslumbrada e até hoje me lembro daquela cena ridícula dela vendo o Henri Castelli com outra e acreditando na armação. O par com o Palmeira não teve química alguma. Mas a novela fez sucesso.

Gustavo Nogueira disse...

Essa novela foi muito boa mesmo, Sérgio.A Maria Clara era uma mocinha tonta(como quase todas do Gilberto Braga), mas acho ela a menos pior mocinha que ele criou, se comparada com a Paula de Paraíso Tropical e a Marina de Insensato Coração, fora que a Malu Mader teve um ótimo desempenho.Cláudia Abreu se destacou merecidamente como a vilã Laura, que está na lista das maiores das novelas e sua parceria com o Márcio Garcia foi ótima também.Déborah Secco e Juliana Paes fizeram uma boa parceria e estiveram muito bem.O curioso é que o Gilberto tentou repetir o sucesso da personagem da Déborah Secco em Insensato Coração, a personagem era tipo uma cópia da Darlene e da Bebel de Paraíso Tropical, mas não funcionou, eu pelo menos não gostava daquela personagem Natalie Lamour.Foi muito bom relembrar a essa ótima trama, Sérgio.

Gustavo Nogueira disse...

E concordo com os comentaristas que disseram que o par Malu Mader e Marcos Palmeira foi insosso e não teve química alguma, definitivamente o Gilberto Braga não é bom em criar casais protagonistas.

Anônimo disse...

A novela Fera Radical esta no novelão do vídeo show essa semana, a Malu Mader esta no auge da beleza fazendo uma motoqueira analista de sistemas, moderníssimo pra época. Uma menina que sofreu na infância e volta pra se vingar usando outra identidade, muito antes da Rita de Avenida Brasil e sua vingancinha boba. Sempre ouvi falar dessa novela e a trilha dela é maravilhosa, por que não lembrar dessas novelas antigas no seu blog?

Karina disse...

Oi Sérgio
Celebridade marcou minha infância e teve um dos melhores elencos já reunidos,até o Marcos Palmeira estava bem nessa novela, apesar de não ter "quimica" com a Malu (que estava ótima) o próprio Gilberto disse isso uma vez. Impossivel esquecer da parceria da Deborah e da Juliana nessa novela e o Fábio ganhou o melhor personagem da sua carreira estava sem duvida em seu melhor momento na TV. Acho que Celebridade também foi a novela que mais teve "participações especiais" e com razão.

F Silva disse...

Algo a comentar...

Concordo absolutamente. Celebridade é uma novela que podemos chamar de "um grande sucesso".

A trama central bem amarrada aliada a excelentes núcleos paralelos, onde havia um mix de drama e humor aliados a um elenco formidável tornaram essa novela um ótimo entretenimento.

Sérgio, só tenho uma ressalva, essa novela era tão boa que o Gilberto não precisava usar o desgastado e famigerado "Quem matou?", recurso chato que está presente em todas as suas novelas.

Aliás, o único "Quem matou?" em que não houve essa previsibilidade que você citou no post foi no fenômeno "Vale Tudo". Você lembra? A Leila da Cássia Kiss não tinha a intenção de matar a Odete Roitman. Foi uma sequência inteligente, onde, descontrolada pelo ciúmes, Leila atirou pensando que era a provável amante de Marco Aurélio, no caso Maria de Fátima e Odete entrou de "gaiato no navio".

Gostei de cada parágrafo desse post Sérgio. Eu adorei Celebridade.

Um grande abraço...

BIA disse...

Oi Menino do Rio!

Esta novela foi muito legal! Gosto das novelas de Gilberto Braga. Que bom relembrar aqui com seu belo texto!
Ah! Tu viu o Filme Menino do Rio? É bem antigo este filme (quero ver se vejo) e agora vai ter o Menino do Rio 2, quando estrear irei ver com certeza!
Bom fim de semana! :)
Bjs

Anônimo disse...

O Dono do Mundo que esta passando é muito melhor que essa novela, um espetáculo! A Olga Portela da Fernanda Montenegro já vale assistir, mas a trama é muito bem escrita.

luiz claudio disse...

Pra mim a partir de "Celebridade" começou a fase bagaceira do Gilberto Braga.

Anônimo disse...

Nossa, essa novela era muito boa! Lembro até hoje do sucesso que ela fazia na época. A Malu Mader tava ótima mas achava a mocinha dela uma tonta. E o par dela era tão insosso que ninguém nem lembra dele direito. O destaque da novela foi mesmo a Laura e o michê, mas eu também gostava muito do parasita do Renato Mendes. Juliana Paes e Deborah Secco estavam ótimas, tanto que o autor quis recriar a Darlene em Insensato Coração, mas a personagem era muito chata. Esse 'Quem matou?' pra mim foi chato pois estava muito previsível e no fim era o que todos pensavam mesmo. A surra no banheiro é uma cena épica e que pra sempre será lembrada. Até hoje 'recriam' ela em algumas novelas. Foi bom relembrar essa novela lendo o post. Mas achei 'Paraíso Tropical' ainda melhor. Foi a última grande trama do Gilberto. Espero que Babilônia siga o caminho dessas duas. Eu gostei de Insensato Coração, mas pra mim foi a pior novela dele, mesmo ele tendo a audácia de dizer que foi sua melhor novela, acho que pra suavizar o fracasso que foi.
Abraços
Ed

Sérgio Santos disse...

Tb espero, Raíssa. E essa cena da surra foi ótima msm.

Sérgio Santos disse...

Tb acho que esse foi o melhor papel do Márcio Garcia na TV, Elvira. E essa novela foi mt boa, valeu a pena ter acompanhado.

Sérgio Santos disse...

Tb acho que ele é o mais arrogante, anônimo. Até mais que o Aguinaldo, embora considere quase um empate. Mas é um grande autor e essa foi uma de suas melhores novelas.

Sérgio Santos disse...

Arthur, tb acho que a química da Maria Clara com o Fernando era zero. E não gostei da Laura ser a assassina pq a solução ficou pobre. Mas foi uma novela excelente.

Sérgio Santos disse...

Nossa, Marcos, esse Nelito era um saco mesmo e odiava aquela trama dele. Mas a Laura foi uma vilã maravilhosa e o Renato Mendes idem.

Sérgio Santos disse...

Foi mesmo, Kauê. A novela despertou atenção e a cena da surra foi memorável. Tb espero que Babilônia seja boa. E Paraíso Tropical foi excelente. abçs

Sérgio Santos disse...

Anônimo, curiosamente, eu tb prefiro Paraíso Tropical, até pelo final maravilhoso de irmã matando irmão ao mesmo tempo. Força de um desejo tb foi espetacular. Fazendo uma comparação, tb prefiro as duas. E discordo sobre a Malu pq achei ela mt bem. Mas Maria Clara foi feita de imbecil por tempo demais.

Sérgio Santos disse...

A novela foi Água Viva, Thallys. E vc está equivocado, o irmão foi feito pelo Bruno Ferrari sim. O Theo Becker era primo ou irmão do Renato Mendes, galinha e nadador. Não teve nada a ver com a trama do Inácio.

A novela foi mt boa msm e mereceu o sucesso. Os vilões foram excelentes, a trama despertou atenção e os núcleos cômicos funcionaram. Mas o casal protagonista foi péssimo e demoraram demais pra fazer Maria Clara descobrir a Laura. E nessa época a trinca de novelas era ótima de fato.

Sérgio Santos disse...

Mt obrigado, Yasmin! bj

Sérgio Santos disse...

Paulo, eu achei Insensato Coração uma novela péssima. Mas das outras dos anos 2000 em diante eu gostei, incluindo Força de um Desejo e Paraíso Tropical. Torcendo pra Babilônia ser do msm nível pq se for parecida com Insensato será uma tragédia.

Sérgio Santos disse...

Fico feliz que tenha gostado, Vera. bjão!

Sérgio Santos disse...

Entendo, Fernanda. Eu adorava a dupla Darlene e Jaque Joy. Mas a parte do Nelito e do bombeiro eu achava um saco. Concordo que o autor errou ao demorar tanto pra Laura ser desmascarada e Maria Clara ficou um bom tempo sendo tonta msm, mas a partir da virada que culminou na surra tudo melhorou. O Gilberto não é mt bom em núcleo cômico msm não.

Sérgio Santos disse...

Ok, anônimo. Mas não achei a surra exagerada, pelo contrário, achei mt bem feita. E bem melhor que a original que deixou a desejar até msm pelas limitações da época.

Sérgio Santos disse...

É verdade, Felis, elas viraram grandes amigas nessa novela. E foi uma trama mt interessante msm. O autor abordou em o mundo das celebridades e da imprensa que vive desse meio. abçs

Sérgio Santos disse...

Nossa, Gabriella, agora vc puxou da memória msm. Nme lembrava dessa cena com o Henri Castelli mas agora que vc citou lembrei. Ele foi dopado, né? E ela era tonta msm, só ficou atrativa depois da surra.

Sérgio Santos disse...

Foi sim, Gustavo. E o Gilberto não é bom em criar mocinhas msm. O lado bom de Babilônia é que tem o João Ximenes Braga como autor titular tb e ele fez Laura e Edgar em Lado a Lado, ou seja, há esperança nessa. Espero eu. Mas concordo que a Maria Clara foi a menos pior, embora eu prefira a Malu e a Claudia Abreu de mocinhas em Força de um desejo. As duas sofriam mt e era boas personagens.

Concordo que o autor tentou se plagiar com a Natalie em IC e não funcionou. Tb detestava a personagem. E Laura foi um sucesso, a cachorra caiu na boca do povo. Foi uma novela mt boa. abçssss

Sérgio Santos disse...

Gustavo, sim, esse casal protagonista foi um dos mts insossos do autor. Um bom msm foi o da Malu Mader com o Fabio Assunção em Força de um desejo, tinham química de sobra.

Sérgio Santos disse...

Anônimo, eu tenho feito exatamente isso nas quartas. E qualquer dia falo de Fera Radical que foi ótima msm.

Sérgio Santos disse...

Karina, confesso a vc que não me recordo dessas mtas participações especiais, a não ser os artistas que eram agenciados pela Maria Clara. Mas foi uma novela ótima msm e Fabio deu show como Renato, assim como Malu Mader. Mas não achei o Marcos Palmeira bem, não, achei mt fraco. E o casal era péssimo. O Gilberto falou o quê? Que não tinham química? Bjs

Sérgio Santos disse...

Obrigado, F Silva. E foi um grande sucesso msm. As tramas eram mt boas. Mas eu não me incomodo com o quem matou?, não. Aliás, eu gosto mt disso. Mas é uma característica dele msm enfiar isso em toda novela. Só não gostei do desfecho pq além de óbvio, a explicação ficou pobre. Pode ser óbvio, mas precisa ter uma boa situação cercando. O que aconteceu em Paraíso Tropical, por exemplo, com o Olavo dopando a Taís e depois ligando o gás.

Já esse de Vale Tudo foi espetacular. Sacada de mestre que deixou todo mundo boquiaberto. A grande vilã foi assassinada por engano, quem diria. bjs

Sérgio Santos disse...

Oi Bia. Não vi esse filme, não. :( Bjão!

Sérgio Santos disse...

A Fernandona deu show vivendo a Olga, anônimo. Foi um dos acertos da problemática novela.

Sérgio Santos disse...

Eu gostei até Paraíso Tropical, Luiz. Insensato Coração eu achei ruim demais.

Sérgio Santos disse...

Foi mt boa msm, Ed. E é verdade, ninguém se lembra do par da Maria Clara de tão ruim que foi o casal. Eu msm, confesso, precisei pesquisar pq não lembrava. Malu deu show mas a Maria Clara era uma idiota. Só deixou de ser depois que bateu na vilã e passou a ser ativa. Mas a novela já tava na reta final. E o autor tentou repetir a Darlene em IC mas não conseguiu msm, era uma personagem péssima e Deborah não foi bem, ao contrário da boa atuação que teve em Celebridade. E me preocupa o Gilberto achar Insensato sua melhor novela. Eu detestei a trama, só Norma e Tia Neném salvaram. Concordo com vc, Paraíso Tropical foi ainda melhor que Celebridade. abçssss.