sexta-feira, 21 de agosto de 2015

O merecido sucesso de "Verdades Secretas"

A novela das onze estreou no começo de junho e terminará no fim de setembro. Terá apenas quatro meses, mais ou menos a média de uma trama desta faixa. Ou seja, já passou da metade. E é impressionante como Walcyr Carrasco está inspirado. A história segue apresentando uma sucessão de acontecimentos e vários ganchos primorosos, que despertam ainda mais a vontade de continuar acompanhando os desdobramentos. A audiência, por sua vez, tem correspondido e a produção está fazendo um sucesso incontestável ---- até agora a média geral é de 19 pontos, a mesma de "O Astro", um ponto a mais que "Gabriela" e quatro a mais que "Saramandaia" e "O Rebu".


Até agora a novela não perdeu o ritmo e vem apresentando uma agilidade invejável, ainda mais se for levado em consideração que a história tem poucos personagens, o que implica em menos tramas paralelas para 'desviar a atenção'. Tudo está, direta ou indiretamente, ligado ao enredo central, envolvendo o triângulo Alex (Rodrigo Lombardi), Arlete/Angel (Camila Queiroz) e Carolina (Drica Moraes). E os perfis são repletos de dubiedades, onde todos têm um telhado de vidro, o que deixa o enredo instigante e destaca o elenco, muito bem escalado.

A fixação doentia que Alex tem por Angel está piorando a cada dia, o que eleva a adrenalina da novela. E desde que o empresário se casou com Carolina, há um clima de tensão maior em torno da trama, causando a impressão de que existe uma panela de pressão prestes a explodir a qualquer momento.
O casamento também funcionou para evidenciar um lado até então desconhecido da protagonista, vivida por Camila Queiroz, a grata revelação do folhetim. Ela não é tão íntegra quanto aparentava ser e, mesmo após várias fugas, transou com o agora padrasto na cozinha de casa, enquanto sua mãe estava no quarto.

Esta cena, aliás, proporcionou uma inquietude tenebrosa, uma vez que Carolina parecia sentir algo estranho no ar e quase flagrou o marido com a filha. A interpretação de Drica Moraes, inclusive, foi arrasadora. O cerco vai se fechando e a tragédia está a cada dia mais próxima, o que vem deixando o enredo de Walcyr viciante. Não é exagero afirmar que há uma ansiedade para os próximos acontecimentos e não dá para sentir o tempo passar enquanto o capítulo está no ar. Isso só ocorre, obviamente, porque a história funciona e prende o telespectador, como toda boa ficção deve fazer.

Outro triângulo que provoca o público é o formado por Fanny (Marieta Severo), Anthony (Reynaldo Gianecchini) e Giovanna (Agatha Moreira). A dona da agência, que 'utiliza' várias modelos no 'Book Rosa' --- termo que virou moda, caindo na boca do público ---, é completamente dependente do michê e trava um batalha de ironias com sua rival, bem mais jovem. Já o modelo decadente se aproveita das duas e só mostra sentir um carinho verdadeiro pela mãe, a alcoólatra decadente Fábia, vivida magistralmente por Eva Wilma. E a garota é uma rebelde que busca um afeto verdadeiro, sem medir as consequências dos seus atos. Toda esta trama é riquíssima e exibe três figuras que apresentam várias falhas de caráter, ao mesmo tempo que expõem a fragilidade (ou o ponto fraco) de cada um.

A degradação de Larissa (Grazi Massafera), em virtude das drogas, é mais um atrativo da novela. A modelo foi afundando e sua instabilidade pôde ser vista assim que apareceu na história. Agora, viciada em crack (após ter usado muita cocaína), a ex-modelo passou a frequentar a Cracolândia --- cenas que primam pela qualidade da direção de Mauro Mendonça Filho --- e seu estado deplorável assusta. Grazi está totalmente entregue e vive seu melhor momento na carreira. A personagem ainda é explorada pela inescrupulosa mãe, que é a cafetina da própria filha.

Mas o roteiro também tem espaço para o humor, apesar de ser repleto de situações dramáticas. E a comicidade da dupla formada por Visky (Rainer Cadete) e Lourdeca (Dida Camero) funciona perfeitamente. Os dois trabalham na agência de Fanny e trocam inúmeras ofensas ao longo do dia. Entretanto, um encontrou no outro o seu ponto de apoio, nascendo assim uma afinidade inusitada, que reflete até em algumas transas. Os atores estão em plena sintonia e proporcionam uma certa leveza em meio a tantas cenas pesadas.

É preciso citar ainda o ótimo núcleo da escola, que expõe de forma extremamente real o que ocorre em vários colégios, como o bullying em cima de Eziel (Felipe Hintze), chamado de gordo e humilhado o tempo todo. Agora o rapaz vem recebendo o apoio de Nina (Bella Piero), menina que fazia parte do grupo 'opressor', mas passou a gostar dele. Patrícia (Mariana Molina), Guilherme (Gabriel Leone) e Darlene (Bel Kutner) são outros bons perfis que compõem esta trama e os atores convencem em cena, assim como os já citados.

Hilda (Ana Lucia Torre), Pia (Guilhermina Guinle), Osvaldo (Genésio de Barros) e Everaldo (Mouhamed Harfouch) também se sobressaem na trama, valorizando os intérpretes. E uma outra qualidade da novela é que a produção honra seu título. Todos os personagens têm suas verdades secretas. Inclusive estes. A avó de Angel, por exemplo, tem uma doença terminal e esconde da filha e da neta. A mãe de Giovanna fez recentemente um aborto (só para não perder a pensão do ex-marido) e o médico que a operou foi justamente o até então ilibado Dr. Everaldo. Ou seja, não existe 'livro aberto' nesta história. Há sempre páginas bem escondidas.

E a trilha sonora ajuda a contar todo o enredo com louvor. A seleção de músicas é maravilhosa, tanto internacional quanto nacional. "Criança" (Marina Lima), "Prumo" (Tulipa Ruiz), "Cego para as cores" (Pato Fu), "Pequena Morte" (Pitty), "Angel" (Massive Attack) --- tema de abertura ---, "A Letter To Elise" (The Cure), "Golden Hours" (Barbara Ohana), "Sentimental" (Los Hermanos), "The Last Day ft. Skylar Grey" (Moby) e "Rational Culture" (Tim Maia) são apenas algumas que compõem esta excepcional 'playlist' (lista de canções).

"Verdades Secretas" tem feito um merecido sucesso e a novela escrita por Walcyr Carrasco (autor que é praticamente uma fábrica de fazer folhetim), dirigida primorosamente por Mauro Mendonça Filho, consegue apresentar uma sucessão de temas pesados sem provocar qualquer tipo de rejeição. Isso porque a história é bem construída, os conflitos atrativos, os personagens complexos e a trama envolvente. O conjunto funciona perfeitamente, horando ainda o horário mais tardio, propício para enredos fortes. Que siga assim até o último capítulo.

54 comentários:

Ernane disse...

Textaço! Merecido mesmo, é a melhor novela da Globo atualmente. As outras não chegam nem perto. Não dá pra perder um dia.

Anônimo disse...

QUEM DIRIA QUE UM DIA UMA NOVELA DA GLOBO DESSE 19 PONTOS E FOSSE CONSIDERADA SUCESSO. AH JÁ SEI AS DESCULPAS: META, HORARIO...

Anônimo disse...

Sucesso mesmo, não perco nunca. Minha mãe é viciada também.

Camila disse...

Amei o texto, Sérgio. Anônimo, a novela é exibida depois das 23h. Vc é imbecil ou se faz de retardado????

Anônimo disse...

Em 1990 a globo colocou no ar a novela Araponga as 23 hs pra concorrer com Pantanal. Começou mal mas com o fim da novela da Manchete a novela engrenou. Media final de 48 pontos. Hoje uma novela dá 19 e a globo comemora.

William O. disse...

Um capítulo melhor que o outro, o autor está inspirado mesmo. Impressionante. E é uma fábrica de sucessos, por isso que a Globo ama tanto ele.

Rafaella disse...

Concordo em gênero, número e grau. E nem tinha visto as chamadas antes de estrear, comecei a ver sem pretensão alguma. Me viciei. Trama maravilhosa.

Andressa Mattos M. disse...

Sérgio, que novela boa! Os capítulos são viciantes e o elenco é maravilhoso, sem aquelas figuras que ficam emendando uma novela na outra, cansando a imagem. Todo mundo é ambíguo mesmo e tem telhado de vidro. As relações são bem entrelaçadas e a história muito bem desenvolvida. Mais um sucesso pra lista do Walcyr. Ótimo texto!

Italo disse...

Concordo com cada linha, Sérgio. E o outro comentarista tá comparando audiência com ARAPONGA! kkkkkkkkkkk Vamos comparar também com os 100 pontos que davam antigamente para dizer que tudo agora é fracasso!

gente boa disse...

Gente os tempos mudaram a medição de audiência tmb n tem como comparar audiência de antigamente com a de agora vamo melhorar povão!!

luiz claudio disse...

A Globo era soberana até a década de 80, nos anos 90 começou a mostrar que não era tão imbatível assim apesar de ainda conseguir índices altíssimos com suas novelas. Mas ultimamente a Globo perde pra outros canais em vários horários, o único produto que ainda não a faz perder a liderança são justamente as novelas(mas com audiência muito abaixo do que a Globo almeja), o jornalismo, e a programação do horário nobre de forma geral. Durante o dia a Globo pena pra competir com canais como sbt e Record, e perde em vários horários. Sobre Verdades Secretas eu acho boa sim, mas não me prende tanto, mas ainda assim é de longe melhor que as demais novelas da grade. Babilonia é simplesmente inassistivel, I love Paraisópolis é descartável e a das 6 nunca assisti pois tem outros programas de canais fechados nesse horário que eu gosto.

Carlos disse...

Lí um texto esses dias na internet apontando exatamente o problema que eu percebo em VS e nas novelas do Walcyr Carrasco em geral que é o texto extremamente pobre. Os diálogos são óbvios e cheios de didatismo. Parece que foram escritos pela mulher do Silvio Santos ou um principiante qualquer. O mesmo problema de Amor a Vida que tinha uma trama ágil porém os diálogos eram risíveis de ruins. O critico também percebeu algo que eu percebi, comparando o Walcyr com o Maneco. O primeiro sabe criar tramas mas não sabe escrever diálogos, enquanto o segundo cria textos riquíssimos mas não sabe tramar. Uma novela escrita pelos dois seria perfeita, um criaria as historias e o outro escreveria o texto.
Uma das cenas de VS era assim, umas senhoras conversavam num restaurante, o texto era exatamente esse:
-meu sonho é viajar pra um resort, que é um hotel a beira da praia.
-mas você tem avião?
-tenho.
É ou não é constrangedor?

Melina disse...

Sérgio, querido, essa novela é uma maravilha. Concordo com cada parágrafo bem escrito do seu texto e o Walcyr é a galinha dos ovos de ouro da Globo. Só escreve sucessos. Verdades Secretas é um novelão e faz jus ao horário das 23 horas. Estou encantada com a agilidade, a trama, o elenco, os personagens, o texto, a direção, a trilha, tudo. Não temos defeitos para apontas. E que presente ver Drica Moraes em um grande papel. Essa Camila então é um achado, que revelação. Grazi está absolutamente perfeita como uma drogada. Marieta de volta às novelas é lindo e que coisa boa ver Ana Lucia Torre em cena. Amei o texto. Um beijo.

Rita Sperchi disse...

Bom dia de domingo Serginho querido
vim deixar um abraço, com meu carinho de sempre
ouço falar mas não assisto
Volto outra hora pra deixar minha opinião

Bjusss
Rita

Lulu on the sky disse...

Não acompanho a novela Sérgio. Costumo acordar cedo e a novela passa muito tarde
Big Beijos
Lulu on the Sky

Bia Hain disse...

Olá, Sérgio, como vai? Apesar de não ser noveleira de carteirinha acho interessante a trama, diferente do usual. Rodrigo Lombardi está arrasando, assim como a Drica Moraes, a Grazi... pena que gosto de finais felizes e não é o que vislumbro para a trama, rsrsrs. Abraços!

Elvira Akchourin do Nascimento disse...

"Verdades Secretas" realmente foi fundo na sua proposta de denunciar o que está por trás do mundo glamuroso da moda. Nesse sentido, as personagens que mais chamaram minha atenção foram as de Marieta Severo,como a fria,calculista, mas também apaixonada Fanny, e de Grazi Massafera, do esplendor à decadência de Larissa. Quanto ao romance de Angel e Alex, tendo Carolina no meio,acho simplesmente imoral. Também gostei das atuações de Guilhermina Guinle, Agatha Moreira, Reynaldo Gianecchini, Drica Moraes. Camila Queiroz foi uma grata revelação. Rodrigo Lombardi repetiu papeis e expressões fisionômicas anteriores. Walcyr Carrasco mostrou o quanto é versátil. Muito boa a direção de Mauro Mendonça Filho.

Ricardo disse...

A novela é muito bem feita mesmo e a maioria do elenco está ótimo. Gosto muito do triangulo Anthony - Fanny e Giovanna. Atuações impecáveis. Giane ganhou um ótimo personagem.

Anônimo disse...

Eu sempre DETESTEI Walcyr Carrasco. Pra mim um dos piores textos que existem. O cara só conseguia sucessos por causa do tom exagerado dos personagens e do texto de fácil digestão. Se colocarmos em comparação com o outro atual dono da Globo, João Emanuel Carneiro, Walcyr é um novelista bem simplório.

Mas essa novela de agora mostrou, ainda que o texto continue ruim, uma melhora considerável. A novela é mais crível, mais densa, e a fórmula de pouco tempo no ar e menos personagens deveria ser obrigação, deixa tudo mais palatável. Espero que ele continue assim, quem sabe eu não passe a gostar dele mais.

Ramon Siqueira disse...

Na década de 80 onde tínhamos picos de 80 pontos no ibope pois não existia TV por assinatura, internet e gente chata pra caramba enchendo o saco fazendo comparação. Haters, sejam menos ok!

Maria Lúcia Gromann disse...

Morrendo com esses fakes retardados dizendo que a ''Globo comemora 19 pontos''...Se fazem mesmo. A novela é ótima e é um estouro. Bem melhor que Amor a Vida que não gostei, Sérgio.

Anônimo disse...

MELHOR NOVELA DE 2015!!!!!!!!!!!!

Sérgio Santos disse...

Primeiramente, desculpe a todos a demora em responder. E obrigado, Ernane.

Sérgio Santos disse...

É ótima mesmo, anonimo.

Sérgio Santos disse...

Mt obrigado, Camila.

Sérgio Santos disse...

Exato, William, o Walcyr é uma fábrica de novelas e de sucessos. A Globo ama pq ele dá audiência. Novelão.

Sérgio Santos disse...

Maravilhosa msm, Rafaella.

Sérgio Santos disse...

Mt bom o comentário, Andressa, é verdade. E obrigado.

Sérgio Santos disse...

É cada uma, né, Italo... rs abçs

Sérgio Santos disse...

É claro que não, gente boa. Mas isso é mais pra dizer que tudo agora é lixo e que tudo de antigamente era bom e blá blá blá...

Sérgio Santos disse...

Luiz, VS é uma novela excelente. Babilônia foi uma tragédia de ruim, I love Paraisópolis é chata e anda em círculos e a das seis é mt boa.

Sérgio Santos disse...

Não acho constrangedor, Carlos, e mt menos um texto pobre. E acho a novela primorosa. De nada adianta um texto rebuscado e uma trama péssima. E juntar autores nunca deu certo, vide a parceria da Glória com o Aguinaldo que nunca mais se repetiu e foi um fiasco. Ou então a do Gilberto com Aguinaldo e Leonor em Vale Tudo onde as pessoas só valorizam o Gilberto e ignoram os outros dois que foram tão responsáveis quanto pelo sucesso.

Sérgio Santos disse...

E eu assino embaixo do seu comentário, Melina. Penso exatamente igual .bjs

Sérgio Santos disse...

Bjs, Rita.

Sérgio Santos disse...

Ok, Lulu. bjs

Sérgio Santos disse...

Com certeza não, Bia. O final será trágico. rs bjão

Sérgio Santos disse...

Concordo plenamente, Elvira.

Sérgio Santos disse...

Ganhou mesmo, Ricardo.

Sérgio Santos disse...

Eu sempre fui fã do Walcyr, anonimo, e mais esse sucesso não me surpreende.

Sérgio Santos disse...

Verdade, Ramon.

Sérgio Santos disse...

Eu amei Amor à Vida, Maria, mas respeito vc não ter gostado. E essa é boa demais msm. Sim, haters terão sempre. bjs

Sérgio Santos disse...

Concordo, anonimo. Essa e Sete Vidas.

Isabela disse...

Melhor novela do ar e melhor novela do ano. Walcyr não sabe o que é fracasso.

Sérgio Santos disse...

É verdade, Isabela.

jumper disse...

A novela já está deixando saudades!! . Nessa novela, não existiu vítimas, muito menos a Angel.... A vida não foi fácil pra ela, assim como não é fácil para milhões de pessoas, pena que diante disso ela foi se afundando em escolhas erradas e em mentiras cada vez mais sérias. Mesmo antes do Alex se envolver com Carolina, ela já não era a Angel do primeiro capítulo, não era a Letinha que muitos achavam que era, inclusive sua mãe. A Angel nunca assumia de frente a consequência de suas ações, sempre tentava culpar alguém ou forças externas pelos seus erros.
Houve mais do que a admissão de um caso extraconjugal. Houve a admissão de um amor. O que fica evidente quando Angel salva Alex de ser morto pela Carolina, porém ela não sabia que o tinha escolhido em detrimento da mãe (ainda que o tenha feito inconscientemente naquele momento). Angel não suporta a culpa pela morte de Carolina, o que provoca uma cisão em sua personalidade que a lança na insanidade (a "Letinha" não existe mais)....
Só que diante da dor e da culpa que ela sentiu pela morte da mãe, não tinha como continuar juntos ...
E mesmo apaixonada por ele e não seria feliz sem Alex, ela o mata, em nome da mãe, como forma de reparar a escolha inconsciente e inconsequente que culminou no suicídio de Carolina, passando a carregar a morte das pessoas com as quais ela amava (Carolina e Alex) pois justificava a morte dele ao amor que dizia sentir por Carolina, mais uma vez tentando justificar suas más atitudes (a Angel não existe mais).
Na minha opinião, a Angel jamais se recuperaria psicologicamente dos fatos que ocorreram em sua vida, tornando-se incapaz de ser feliz definitivamente, seja pela culpa, seja pela morte das pessoas que ela realmente amava (o amante e a mãe), de forma a viver em um eterno vazio existencial. Simplesmente tornou-se uma pessoa, fria , calculista, vazia, a ponto matá-lo friamente, como se afundando ele no mar e limpando todo o sangue do barco, ela estivesse limpando o sangue da mãe. Pena que mesmo se ela limpasse um titanic de sangue, ela jamais se livrará da culpa que lhe cabe pela morte da mãe, sem falar no amor que sentia pelo alex, a quem matou. No fim, tornou-se psicopata, sim, afinal, quem em condições psicológicas normais, mataria com toda aquela frieza, faria toda aquela encenação pra polícia, conseguiria viver com o peso de duas mortes (que ela amava de verdade, alex e carolina) nas costas, sem contar na cara macabra dela ao sair da igreja, demonstrando nenhum remorso, nenhuma culpa.O mais coerente é que com esse peso na consciência, ela se matasse tbm, mas não, continuou a viver como se nada tivesse acontecido, vendendo a imagem da menina pura, feliz, um verdadeiro anjo, mas que por trás disso tudo, existe totalmente o oposto, ''lobo em pele de cordeiro''. Mesmo que ela tente, nunca será feliz, uma hora a vida cobrará seu preço, e por fim, na última cena, no helicóptero, ela diz ao Gui que está feliz, mas ao virar o rosto, sua expressão é totalmente sombria, sem nenhum traço de felicidade!! Quem não percebe que o Guilherme deu droga para Angel e praticamente a estuprou? Não se iluda: nunca vai ser feliz de verdade pois se casou com alguém que não amava de verdade. Viver com quem a gente não ama, com certeza é um ótimo castigo...A novela terminou com muitas verdades continuando bem secretas!
Mostrar menos

Anônimo disse...

nos últimos anos, a emissora se preocupa muito mais com a embalagem de seus produtos do que com seus conteúdos e histórias. Com exceção de Felizes para Sempre? e Os Experientes, feitos pela produtora O2, a maioria dos produtos globais primam pela qualidade técnica, mas falham nas tramas: ora são simples demais, ora são mal contadas. Verdades Secretas é o espelho da Globo: prioriza a produção em detrimento do conteúdo.

Izabel Ramos disse...

Acho que uma obra de ficção não precisa ter verossimilhança (compromisso em ser parecida com a "vida real"), precisa ser cativante e entreter, e isso o autor, diretor e elenco conseguiram alcançar muito bem. Mas se para você é imprescindível que tudo numa trama seja também plausível eu lhe digo que basta acompanhar os noticiários e você constatará que na "vida real" ocorrem coisas muito mais absurdas e inacreditáveis do que essas que você questionou, como filhos que matam pais, pedofilia, assassinatos em série, etc. Vejo muitas pessoas dizendo que essa novela deve virar o espelho das próximas novelas da Globo, que foi ótima e sem deméritos, perfeita.

Izabel Ramos disse...

Mas não é bem assim que penso:
Primeiro, que muito do sucesso da novela foram seus temas polêmicos e mostrados de maneira crua, coisa que não poderia ser mostrado, nem mesmo na novela das 9 horas.
Segundo, alguns diálogos eram sofríveis e pobres, alguns textos muito rasos e vergonhosos... Exageros e didatismos foram comuns, além de situações absurdas — mas, quem disse que elas não acontecem?
Então ainda há bastante o que melhorar, mas de uma maneira geral a novela tinha uma história instigante, suspense sempre pontuando e temas fortes. Bons atores (alguns mal utilizados), fotografia, ritmo acelerado e o principal, não tinha muitos personagens e também não haviam divisões de núcleo, como acontece nas novelas tradicionais, não havia o clássico núcleo de humor, por exemplo. Novela com muito personagem, acaba não dando chance para trazer boas histórias para metade deles...
Roteiro ousado, direção primorosa, bons diálogos, excelentes interpretações e fotografia inspirada. Todas essas qualidades têm dado à novela das onze da TV Globo, “Verdades Secretas”, bons índices de audiência. Entre tantos pontos positivos, porém, é preciso destacar um extremamente negativo: a falta de equilíbrio. Decidido a mergulhar no submundo das agências de modelo e o ambiente de super luxo que as cerca, o autor Walcyr Carrasco exagerou. Entre os personagens principais, não há um sequer que tenha vida minimamente prosaica, trivial. Todos são decadentes, caóticos, sem escrúpulos. Para piorar, chantagens entre pais e filhos, estupros, uso pesado de drogas e outras violências são mostradas com um hiper-realismo digno do cinema americano. O autor consegue a proeza de surpreender a cada capítulo e boa parte dos telespectadores segue diariamente a novela atraída por sua coragem. Querem saber até onde Walcyr e a Globo são capazes de ir. Quebrar essas barreiras televisivas seria algo bastante saudável se o mundo de “Verdades Secretas” não fosse tão over. Não existe ali ninguém que tome sua cervejinha, que pare para jogar bola, que tenha um romance equilibrado. Todos parecem à beira do precipício. Mesmo o autor especialista nas perversões humanas, Nelson Rodrigues, temperava suas histórias com humor, com momentos corriqueiros, com simpáticas banalidades. A vida como ela é, enfim: boa e má. Os personagens da novela global não dão espaço para bondades, parecem dar razão àqueles comentários geralmente feitos por taxistas ou por rancorosos frequentadores de filas de banco: “Ninguém presta nesse mundo”. Num momento em que a vida real anda tão pesada, obras de ficção assim podem ter sobre alguns telespectadores o efeito de aprofundar a desesperança. É claro que a liberdade do autor tem que ser total e o criador não deve se limitar por esses parâmetros. Não está, porém, livre de críticas. Mesmo sendo sucesso no Ibope.
Verdades Secretas terminou como começou: um texto fraco, vazio, desalmado. A ideia de que todos os nossos problemas podem ser solucionados com poder, dinheiro e crimes foi uma constante em toda a trama. Não há nada mais mentiroso do que isso. Na ficção como na vida tudo está a serviço de um propósito, mas não na mente de Walcyr Carrasco. Uma pena; dramaturgia zero para uma produção irretocável, defendida por grandes atores em atuações brilhantes!

Izabel Ramos disse...

Novela que prendeu o público graças a interpretações muito boas e enredo que veio crescendo. Não. Gosto dessas putarias, acho chato, mas nessa novela cabia, não eram putarias só por audiência, faziam parte do contexto. E outra coisa, apesar de ser ficção, os puritanos metem o pau, mas diariamente vemos isso todo na vida real, mãe mata filha para ficar c o marido dela, mulher manda matar o marido, filha mata os pais e por aí vai.
Verdades Secretas é um exemplo de que o público ainda gosta de novelas — um sucesso, mesmo em um horário tardio — e que tem mais paciência, tempo e disponibilidade para acompanhar 64 capítulos do que 170. Ainda assim, terminada a trama, acredito que seria muito mais eficiente se fosse uma série. E com, pelo menos, duas temporadas.
Poderia virar série. Não a continuação da história, mas na mesma climatização e estilo de direção artística, com outras histórias nesse estilo. O nome "Verdades Secretas" é bem amplo, dá abertura para muita coisa.
Concordo que o final foi incoerente e chegou a agredir os mais atentos, mas afirmo que Carrasco entrega exatamente aquilo que a Globo, que não está interessada em qualidade, mas em quantidade (de audiência) espera dele...Entretenimento que pode ser bem escrito. Não justifica o lixo de final apresentado

Izabel Ramos disse...

Meu caro, não se engane, os meios de comunicação são, inegavelmente, formadores de opinião e paulatinamente passam a mensagem de que tudo pode, que tudo é normal; imagine a formação de um jovem de 14, 15 ou 16 anos vendo isso tudo, então desculpe, é só observar o comportamento da sociedade, alunos batendo em professores, pessoas matando por nada, filhos que não respeitam seus pais e por ai afora!
Num momento em que a vida real anda tão pesada, obras de ficção assim podem ter sobre alguns telespectadores o efeito de aprofundar a desesperança. É claro que a liberdade do autor tem que sertotal e o criador não deve se limitar por esses parâmetros. Não está, porém, livre de críticas. Mesmo sendo sucesso no Ibope.
"Sete Vidas" e "Além do Tempo" engrandeceram Os folhetins apresentaram qualidade de sobra e tramas muito bem escritas, dirigidas e escaladas, honrando a boa audiência conquistada...reunindo um conjunto que qualquer novelista sonha em ter: qualidade, capricho, trama bem escrita, bons dramas, elenco escalado com competência, ótima direção e desenvolvimento competente

Izabel Ramos disse...

Além de que, o trio encabeçado por ela, Alex e Carolina, a sua mãe, foi polêmico até o final, com o trágico suicídio da mulher após o fatídico flagra. Contudo, se se esperava um desfecho moralista… Angel matou Alex, e conseguiu ainda um final ao lado de Gui. o final de ANGEL, que na verdade de anjo não tem nada, quando ela matou alex quase não acreditei, e depois fez aquele teatro todo para a polícia... o casamento, que cena foi aquela, ela desfilando, com aquele olhar, que até a FANNY, ficou sem chão, com a cabeça erguida sendo superior a todos... traiu a mãe, matou o amante e casou com a cara mais sórdida...uma assassina sem remorso.mas casar com o gui, que foi comparsa da giovanna na armação que levou a mãe se assassinar. quem casar com um cara que ajudou no suicidio da propria mãe? erro feito walcir

Rinzler HD disse...

o autor, mais uma vez, inspirou-se nas séries americanas para criar a trama principal. A série da vez foi ‘Mildred Pierce’, produzida em 2011 pela HBO, com Kate Winslet no papel que, aqui no Brasil, seria de Deborah Secco.

A personagem é uma mulher casada com um homem que a maltrata, uma mulher malcuidada, envelhecida precocemente, que, depois de abandonada pelo marido, terá que lutar sozinha para criar os filhos. Uma típica heroína, que, depois de ser deixada, começa a trabalhar, monta um negócio, fica rica, muda completamente de vida, recupera a beleza perdida, descobre o amor e a sexualidade quando se apaixona e passa a viver uma tórrida relação com um playboy rico e bonito.

Mas tudo desmorona quando ela descobre que o amante a está traindo com a própria filha, uma jovem mimada, geniosa, egoísta e linda, que transforma a vida da mãe em um inferno. A atriz que fará a filha ainda não foi escolhida, mas a Globo procura uma atriz maior de idade, mas que pareça ter 16 anos. Idade é importante, porque a atriz terá várias cenas de sexo.

A diferença entre a novela de Walcyr e o seriado é que, na série, a filha egoísta se transforma em cantora de ópera e, na novela, a ideia é que ela se torne uma modelo…

Rinzler HD disse...

o autor, mais uma vez, inspirou-se nas séries americanas para criar a trama principal. A série da vez foi ‘Mildred Pierce’, produzida em 2011 pela HBO, com Kate Winslet no papel que, aqui no Brasil, seria de Deborah Secco.

A personagem é uma mulher casada com um homem que a maltrata, uma mulher malcuidada, envelhecida precocemente, que, depois de abandonada pelo marido, terá que lutar sozinha para criar os filhos. Uma típica heroína, que, depois de ser deixada, começa a trabalhar, monta um negócio, fica rica, muda completamente de vida, recupera a beleza perdida, descobre o amor e a sexualidade quando se apaixona e passa a viver uma tórrida relação com um playboy rico e bonito.

Mas tudo desmorona quando ela descobre que o amante a está traindo com a própria filha, uma jovem mimada, geniosa, egoísta e linda, que transforma a vida da mãe em um inferno. A atriz que fará a filha ainda não foi escolhida, mas a Globo procura uma atriz maior de idade, mas que pareça ter 16 anos. Idade é importante, porque a atriz terá várias cenas de sexo.

A diferença entre a novela de Walcyr e o seriado é que, na série, a filha egoísta se transforma em cantora de ópera e, na novela, a ideia é que ela se torne uma modelo…

Rinzler HD disse...

Verdades Secretas força a barra no erotismo e em situações absurdas Walcyr Carrasco é um autor que vem de uma novela irregular, que foi Amor à Vida. Estava indo até bem em Verdades Secretas, apesar de umas forçadas de mão aqui e ali. Mas agora, a coisa parece ter descambado totalmente para o erotismo pesado, além de situações muito exageradas.

As situações eróticas já vinham forte desde o início da novela, inclusive com várias "participações especiais" do traseiro de Rodrigo Lombardi. Agora, Alex (Lombardi) aparece casado com a mãe de Angel (Camila Queiroz), a modelo por quem ele se apaixonou e que acabou virando garota de programa para ajudar a família. Só por aí o negócio já é um tanto quanto forçado. Colocar o empresário para se casar com a suburbana Carolina (Drica Moraes) para ficar próximo a Angel é um exagero. Tudo bem que é novela, que tem situações absurdas mesmo, mas tem de haver um certo limite para o absurdo. Caso contrário a brincadeira desanda.

Fora isso, ainda há o fato de que agora Angel trairá a própria mãe com seu padrasto. Pera lá, né?! Carrasco já criou em sua carreira de autor algumas situações fora do comum, mas colocar a filha para transar com o padrasto já é um daqueles devaneios sem sentido. Não vou nem entrar na discussão se acontece ou não na vida real (sim, acontece), mas num caso como esse é um disparate. Pense num megaempresário superpoderoso e cheio da grana. Ele se apaixona por uma garota qualquer e que ele pode ter outras 359 iguais se quiser. Daí, o negócio desanda e, para ficar próximo a ela, ele se casa com a mãe da moça. E ainda trai a esposa com a filha.

A impressão que dá é que a cada novela nova que surge os autores têm de criar histórias cada vez mais absurdas para conseguir chamar a atenção do público. Fico imaginando o que virá a seguir. Dá até um medinho.