segunda-feira, 17 de agosto de 2015

"Criança Esperança" completou 30 anos e acertou com as mudanças no formato

Depois das reformulações em seus telejornais (deixando todos menos formais) e na mudança no "Zorra Total" (que agora é apenas "Zorra" e não há mais nos quadros os tradicionais bordões), a Globo também resolveu mudar o formato do "Criança Esperança", exibido no último sábado (15/08). O esquema de doações da campanha da emissora, em parceria com a UNESCO, seguiu o mesmo; entretanto, a atração sofreu algumas alterações, que deixaram o conjunto bem melhor.


O projeto completou 30 anos em 2015 apresentando algo bem mais 'intimista'. O tradicional show gravado em uma grande Arena foi extinto, assim como os números musicais cheios de coreografias. O programa foi ao vivo e exibido no próprio Projac (complexo de estúdios da Globo), em um cenário não muito grande, com a presença de uma pequena plateia. Apresentada por Leandra Leal, Lázaro Ramos, Flávio Canto e Dira Paes, a atração teve uma imensa bancada, repleta de atores e atrizes da emissora, que iam atendendo as ligações dos telespectadores.

Esta mudança (que na verdade não deixou de ser uma espécie de 'volta às origens', pois anos atrás o formato não se resumia apenas em shows grandiosos, sempre gravados) deixou o programa bem mais agradável de se acompanhar. Os apresentadores interagiam o tempo todo com os demais artistas, que estavam na bancada atendendo os doadores, e foram exibidas matérias mostrando para onde vai o dinheiro arrecadado.
Também exibiram uma bela homenagem a uma professora que fez a diferença na vida de muita gente, incluindo a de Lázaro Ramos.

Outro acerto desta nova 'dinâmica' ---- além do tempo ter diminuído ---- foi a utilização dos atores da própria emissora em números musicais. A apresentação da banda formada por Letícia Colin, Otaviano Costa, Thiago Fragoso, Thiago Martins e Dudu Azevedo ficou bem interessante e a atriz emocionou quando cantou "Brincar de Viver", acompanhada de Otaviano no piano. Porém, cantores também fizeram parte da atração, como Paula Fernandes, Alcione, Valeska Popozuda, Zezé Di Camargo e Luciano, Anitta, Arlindo Cruz, Gilberto Gil, entre outros.

Aliás, as lindíssimas "Monte Castelo" e "Pais & Filhos" (Legião Urbana) foram cantadas por Paula e a dupla Henrique e Juliano, com o acompanhamento de Thiago Martins e Thiago Fragoso, promovendo um grande coro, enquanto os apresentadores estimulavam as doações. Foi um bonito momento e emocionou os presentes. A escolha destas clássicas músicas, tocadas por uma das bandas mais emblemáticas do país, também combinou perfeitamente com o clima da atração.

A homenagem feita a Renato Aragão foi outro ponto que merece menção. Uma mensagem ---- "Mainha me ensinou que, nessa vida a gente tem que ter fé, e pai disse que a gente tem que sonhar. Eu vou fazer tudo isso e quando acharem que eu cansei, cansei nada. Arrego não, eu sou cabra da peste. Eu sou Didi Mocó. Eu sou Renato Aragão." ---- foi lida pelo grande Tony Ramos e o criador deste longevo projeto foi merecidamente valorizado, após muitas especulações a respeito da sua participação no programa ---- chegaram a divulgar que Didi nem seria chamado.

E a programação da Globo, vale ressaltar, ficou totalmente voltada para o projeto, assim como havia ocorrido no ano passado. Todos os programas foram temáticos e várias entradas ao vivo foram feitas para mostrar a bancada dos artistas recebendo telefonemas. Uma situação curiosa deste ano, inclusive, foi a presença de vários personagens marcantes atendendo as ligações. Dona Armênia (Aracy Balabanian), Sinhozinho Malta (Lima Duarte), Nilo (José de Abreu), Professora Juliana (Bruna Linzmeyer), Mirna (Fernanda Souza), Herculano Quintanilha (Francisco Cuoco), entre outros, foram os escolhidos para a missão.

A edição de 30 anos do "Criança Esperança" --- que terminou com mais de R$ 16 milhões arrecadados e foi dirigida por Rafael Dragaud --- se mostrou um acerto e ficou clara a intenção de mesclar a essência do programa (vista no fim dos anos 80 e início dos anos 90, quando os shows em Arenas e Ginásios grandiosos ainda não tinham virado 'tradição') com o "Teleton", do SBT. A intenção funcionou e conseguiram aproximar a campanha do público, deixando de lado aquelas longas apresentações, muitas vezes maçantes. A campanha comemorou muito bem o trigésimo ano.

35 comentários:

✿ chica disse...

Gosto desse evento, contribuo há séculos , mas não consegui assistir no sábado! abração.,chica

Anônimo disse...

Achei esse formato bem melhor e menos cansativo. Já estava na hora de acabar com aquele Show da Virada como você bem disse no Twitter.

Leandro disse...

Não achei ótimo mas melhor do que era ficou, não há como negar. Pelo menos tentaram melhorar.

Fábia disse...

Eu curti e ficou muito mais assistível curto. Aqueles shows gravados eram um porre. Até a musiquinha de doação ficou menos irritante.

Anônimo disse...

Esse cara fica enfurnado em casa em pleno sábado a noite assistindo aquele show de horrores fantasiado de assistenciali$mo, de que planeta veio esse Sergio?

William O. disse...

Só vi um trecho mas senti essa mudança e achei melhor. Não aguentava mais aqueles mesmos shows daquela mesma gente. Nem dava vontade de doar.

Rafaella disse...

Melhorar melhorou, mas eu fico cansada com esses programas. Mas o foco nem é isso e sim ajudar as crianças, então tudo bem. Seu texto ficou muito bom.

Anônimo disse...

Ajudem os orfanatos de sua cidade, doar dinheiro por telefone que vai pra mãos sabe-se lá de quem é muita ingenuidade. Se a globo tivesse interesse de ajudar mesmo pegava a fortuna que fatura nos paredões do big bosta e doava, pra onde vai todo aquele dinheiro? E não venha com essa de que a globo não precisa desviar dinheiro porque já é rica e blá, blá porque se fosse assim políticos que já ganham altos salários não continuariam roubando, os milionários da Petrobrás não desviariam dinheiro e assim por diante. O ser humano quanto mais tem mais quer, tem gente que acha que a globo é o céu, que lá só tem gente honesta e santo. Ah se soubessem o que eu sei...

Heitor disse...

Concordo, a melhora ficou evidente.

Anônimo disse...

Concordo com o texto. E eu acho engraçado os haters que se preocupam com a sua vida, Sérgio, e vivem aqui no seu blog lendo os posts. É amor isso.

Gabriel disse...

Poxa realmente ficou mt melhor.Aquele formato de antes,gravado,com aquele shows sem graça,não dava mais credibilidade ao projeto. Mostrar realmente com exemplos como o projeto beneficia as crianças,assim como faz o teleton do sbt,para mim foi o melhor diferencial,e essa maior participação dos artistas da casa faz grande diferença. Tomara q eles mantenham o formato nos próximos anos.

Raylan disse...

Ficou muito parecido com o Teleton, inclusive uma grande empresa doando um cheque de grande valor (ou sempre teve isso no Criança Esperança?)

Clau disse...

Oi Sérgio, bom dia :)
Não assisti, mas lendo agora sua opinião,
creio que o programa foi um acerto mesmo.
Aquelas apresentações sempre me cansavam...
Tomara que esta dinâmica se repita no próximo ano.
Beijos!

Anônimo disse...

Preguiça dessas pessoas que se julgam superiores ou mais inteligentes pq dizem, sem provas, que a Globo desvia dinheiro desse projeto. Deveriam se informar mais para não falar tanta merda.

Anônimo disse...

Querido, na globo trabalham seres humanos que erram como em todo lugar. POR QUANTAS MÃOS PASSA ESSA FORTUNA TODA ARRECADADA? Independente de ser na globo, na record, na band, no sbt...

Anônimo disse...

Se você falar com um crente da igreja universal que o dinheiro do dizimo é desviado ele vai dar a mesma resposta desses fanáticos da globo. Odeio fanatismo e ignorância. Querem ajudar? Não deem dinheiro a NINGUEM, muito menos por telefone. Quantos orfanatos ai na sua cidade precisam de alimentos, roupas, etc? É mais inteligente, mais honesto e mais transparente não acha?

luiz claudio disse...

Quem tem mais idade como eu se lembra daquele escândalo da LBV(legião da boa vontade), mostravam as obras de caridade feitas com uma parte do dinheiro que arrecadavam por telefone mas a outra parte era desviada escandalosamente. Concordo que temos de ter bastante cautela com essas campanhas, estamos no brasil.

Anônimo disse...

Os dízimos são para os pastores que compram mansões, carros importados e constroem TEMPLOS DE SALOMÃO. Quem dá dá porque é burro e não tenho pena. Esse bando de idiotas fanáticos crentes que acham que conseguirão vaga no céu dando o pouco que tem para canalhas cujas igrejas NEM IMPOSTOS PAGAM não merece preocupação. Burrice não tem cura. Já esses projetos ajudam várias instituições e vários jovens que foram agraciados ganham novas oportunidades. Alguns tão até na Globo trabalham nas produções. O Criança Esperança e o Teleton são iniciativas válidas em um país onde quem tem a obrigação de fazer não faz, esse governo de bosta.

Cc disse...

DAR DINHEIRO POR TELEFONE? NÃO!

Filha do Rei disse...

Aplaudo que se atreve a mudar, mesmo com o risco de não ser aceito e foi o que aconteceu com o programa " Criança Esperança". Gostei da simplicidade do programa, mais perto do público de casa.Parabéns a quem teve este atrevimento :)

Sérgio Santos disse...

Bjs, Chica.

Sérgio Santos disse...

Pois é, anonimo.

Sérgio Santos disse...

Pelo menos, Leandro.

Sérgio Santos disse...

É verdade, Fábia. rs

Sérgio Santos disse...

Aqueles shows gravados eram péssimos, William. Parecia Show da Virada fora de época.

Sérgio Santos disse...

Pois é, Rafaella, tem isso.

Sérgio Santos disse...

Claro, anonimo, doar pra que se a Globo gasta fortunas em novelas e etc. Ela deveria doar tudo e ir à falência. Brilhante argumento. E todas as instituições ajudadas são uma fraude, é tudo dinheiro vindo do céu.

Sérgio Santos disse...

Obrigado, Heitor.

Sérgio Santos disse...

Claro que é amor, anonimo, não tenho dúvida.

Sérgio Santos disse...

Exatamente, Gabriel, acertaram nisso tb. O conjunto ficou mt mais agradável.

Sérgio Santos disse...

Olha Raylan, acho que no CE nunca teve isso de cheque não. Tb achei igual ao Teleton.

Sérgio Santos disse...

Tomara, Clau. bjs

Sérgio Santos disse...

Dá preguiça mesmo, anonimo.

Sérgio Santos disse...

Eu não tenho tanta idade, Luiz, e lembro desse escândalo. Meu pai ajudava, inclusive. Mas basta raciocinar para ver que projetos ligados a emissoras de tv são mostrados e de fácil comprovação, afinal, basta ir a algum lugar beneficiado.

Sérgio Santos disse...

Parabéns msmo, Cléu. bjs