sexta-feira, 12 de junho de 2015

Os vencedores da 17ª edição do "Prêmio Contigo"

A décima-sétima edição do "Prêmio Contigo!" de Televisão aconteceu nesta segunda-feira (dia 8), no Copacabana Pallace (Rio de Janeiro),e  mais uma vez encerrando a leva de premiações referentes ao ano de 2014, ainda que muitas produções de 2015 tenham sido inseridas na lista de indicados. A festa contou com a presença de vários artistas e ainda homenageou os 50 anos da Rede globo e a grande Glória Pires, que se emocionou com o merecido reconhecimento à sua longeva carreira televisiva. A justiça prevaleceu na maioria das categorias, embora algumas vitórias (mesmo já esperadas) tenham decepcionado.


Apresentada pela extraordinária Fernanda Montenegro e pelo talentoso Mateus Solano, a premiação começou com um divertido momento da respeitada atriz dando um selinho em Mateus, que protagonizou em 2014 o histórico beijo de "Amor à Vida" com Thiago Fragoso. A dama do teatro e da televisão ainda brincou dizendo que eles deram o primeiro beijo gay do "Prêmio Contigo!" ----- curiosamente, o ator no ano passado esteve em uma história de sucesso e fez parte de um casal homossexual de extrema aceitação, ao contrário do que ocorre atualmente com Fernanda em "Babilônia".

A primeira categoria foi de Melhor Atriz Coadjuvante e a vencedora foi Marina Ruy Barbosa, pela Maria Isis, de "Império". Ela concorreu com Andreia Horta ("Império"), Giovanna Lancellotti ("Alto Astral"), Adriana Birolli ("Império"), Emanuelle Araújo ("Malhação") e Camila Morgado ("O Rebu"). Marina convenceu na trama e mereceu o prêmio, mas as concorrentes também mereciam, principalmente Andreia.
Luís Miranda foi o vencedor da segunda categoria: a de Melhor Ator Coadjuvante, em virtude do seu ótimo desempenho na pele da Dorothy Benson, um dos poucos acertos da fracassada "Geração Brasil". Ele concorreu com Aílton Graça ("Império"), Carmo Dalla Vechia ("Império"), Guilherme Leicam ("Alto Astral"), Paulo Betti ("Império") e Paulo Vilhena ("Império"). Sua vitória foi justa e só poderia ser tirada por Aílton.

O carismático JP Rufino ganhou como Melhor Ator Infantil e mereceu, uma vez que o menino brilhou em "Alto Astral" vivendo o médium Azeitona. Depois de ser a grande revelação de "Além do Horizonte", o garoto mostrou que chegou para ficar. Ele concorreu com Adriano Alves ("Império"), Caio Manhente ("Boogie Oogie"), Cássio Ramos ("Vitória"), Diego Kropotoff ("Vitória") e Gabriel Palhares ("Geração Brasil").
A talentosa Giovanna Rispoli faturou o troféu de Melhor Atriz Infantil e também fez jus ao prêmio, afinal, a pestinha Cláudia foi um acerto da fraca "Boogie Oogie". Ela concorreu com Bianca Vedovato ("Malhação"), Kiria Malheiros ("Império"), Nathalia Costa ("Alto Astral"), Letícia Pedro ("Vitória") e Victoria Diniz ("Vitória").

A quinta categoria foi de Revelação e Viviane Araújo saiu vencedora pela sua elogiada participação em "Império", vivendo a manicure Naná. Justo reconhecimento, porém, depois de tantos momentos dramáticos fortes e muito bem interpretados em "Malhação", a Isabella Santoni merecia o troféu. Além das duas, concorreram os também merecedores Rafael Vitti ("Malhação"), Conrado Caputo ("Alto Astral"), Bianca Muller ("O Rebu") e Bel Kowarik ("O Rebu").
Já a sexta categoria foi Melhor Atriz de Série/Minissérie, cuja vencedora foi Paolla Oliveira, pelo seu grande trabalho em "Felizes para sempre?". Embora seus atributos físicos tenham ficado em evidência, a atriz mostrou nesta produção a ótima atriz que é. Ela disputou com as talentosas Adriana Esteves ("Felizes para sempre?"), Cássia Kis Magro ("Felizes para sempre?"), Cássia Linhares ("Conselho Tutelar"), Maria Fernanda Cândido ("Felizes para sempre?") e Débora Falabella ("Dupla Identidade").

Bruno Gagliasso foi o vencedor da categoria Melhor Ator de Série/Minissérie em virtude do seu aplaudido desempenho em "Dupla Identidade", onde viveu o psicopata Edu. Ele concorreu com Cosme dos Santos ("Sexos & as Negas"), Dan Stulbach ("Segunda Dama"), Enrique Diaz ("Felizes para sempre?"), João Miguel ("Felizes para sempre?") e Petrônio Contijo ("Conselho Tutelar"). Bruno ainda foi eleito o Destaque do Ano por meio de uma votação entre os presentes --- novidade desta edição ----, que o elegeram. O ator também fez questão de fazer um protesto contra a censura da arte e o retrocesso da TV, mergulhando na polêmica envolvendo "Babilônia", que sofreu várias modificações em seu enredo.

A impecável "Sessão de Terapia" foi a vitoriosa na categoria Melhor Série ou Minissérie em canais fechados. Selton Mello, que dirigiu brilhantemente as três temporadas no GNT, recebeu o merecido troféu e é uma lástima que a produção não tenha uma quarta temporada em 2015. A série concorreu com a também ótima "3 Teresas" (GNT), além de "As Canalhas" (GNT), "Amor Veríssimo" (GNT), "Na Mira do Crime" (FX) e "Vai que Cola" (Multishow).

Já a Melhor Série ou Minissérie em canais abertos foi "Felizes para sempre?", trama que foi ao ar em duas semanas no início do ano na Globo. Escrita por Euclydes Marinho e dirigida por Fernando Meirelles, a atrativa história mesclou bem política, podridão e sensualidade, fazendo jus ao prêmio recebido. A microssérie concorreu com "Dupla Identidade" (Globo), "Conselho Tutelar" (Record), "Sexo & as Negas" (Globo), "Segunda Dama" (Globo) e "Plano Alto" (Record).

Alexandre Nero levou o troféu de Melhor Ator e mais uma vez mereceu, afinal, o comendador José Alfredo de Medeiros, de "Império", foi um grande personagem e proporcionou para o intérprete inúmeras boas cenas. Ele concorreu com o maravilhoso Tony Ramos (que deu um show em "O Rebu", sendo outro merecedor), Arthur Aguiar ("Malhação"), Daniel de Oliveira ("O Rebu"), Lázaro Ramos ("Geração Brasil") e Bruno Ferrari ("Vitória").
E, claro, a parceira de Nero também foi agraciada com um prêmio, no caso o de Melhor Atriz. Lília Cabral foi a vencedora da categoria e a vitória honrou a sua grandiosa interpretação na pele da complexa Maria Marta, que foi o grande destaque de "Império" ao lado de Zé Alfredo. Ela concorreu com Cláudia Abreu ("Geração Brasil"), Bianca Bin ("Boogie Oogie"), Cláudia Raia ("Alto Astral"), Leandra Leal ("Império") e Patrícia Pillar (que brilhou em "O Rebu").

O prêmio de Melhor Direção foi para o genial José Luiz Villamarim, que mais uma vez mostrou sua extrema competência em "O Rebu", depois de grandes direções em "O Canto da Sereia" e "Amores Roubados". Este troféu, além de valorizar o talento deste diretor, ainda serviu para honrar a extrema qualidade do remake que foi ao ar às 23h, em 2014. O vencedor concorreu com Denise Saraceni, Maria de Médicis e Natalia Grimberg ("Geração Brasil"); André Felipe Binder, Pedro Vasconcelos e Rogério Gomes ("Império"); Edgar Miranda ("Vitória"); Fred Mayrink e Jorge Fernando ("Alto Astral") e Luiz Henrique Rios ("Malhação").

Já Aguinaldo Silva ganhou o prêmio de Melhor Autor. Porém, esta vitória (embora esperada) não foi justa. George Moura e Sérgio Gondenberg eram bem mais merecedores pelo impecável e instigante remake de "O Rebu", além de Rosane Svartman e Paulo Halm, que conseguiram escrever uma temporada deliciosa de "Malhação". Estes autores ainda concorreram com Filipe Miguez e Izabel de Oliveira ("Geração Brasil"), e Daniel Ortiz ("Alto Astral") ---- que também seria um bom vencedor, pois sua história das sete foi muito agradável.
E "Império" faturou na categoria Melhor Novela, o que foi mais uma injustiça da noite. A trama teve uma boa audiência, mas foi apenas uma obra regular. O núcleo central forte foi seu maior acerto, ao contrário dos vários paralelos ruins. E o troféu para o melhor folhetim estaria em melhores mãos se fosse dado para "O Rebu", que também concorreu com "Malhação", "Vitória", "Boogie Oogie" e "Alto Astral".

O "Prêmio Contigo!" de Televisão mais uma vez foi um belo espetáculo e fez justiça na maioria das categorias, mesmo com algumas vitórias questionáveis. Foi o fechamento das premiações referentes ao ano de 2014 e agora é aguardar a 18ª edição em 2016, premiando os destaques de 2015. E a linda novela "Sete Vidas", de Lícia Manzo, merece estar entre as mais valorizadas. Aguardemos.

38 comentários:

Quércia N. disse...

Concordei com as vitórias de O Rebu na direção, de Felizes para sempre, Sessão de Terapia, Lilia Cabral e Alexandre Nero. O resto eu achei um absurdo.

Fernanda disse...

Eu também espero, Sérgio, que na edição do ano que vem Sete Vidas seja lembrada como merece. Essa novela é um primor. E outra que estou gostando é Verdades Secretas. Bem interessante. Quanto a esses vencedores, só gostei mesmo da direção de O Rebu e de ator infantil, do resto eu discordo. Beijo.

Felisberto N. Junior disse...

Olá, Sérgio,bom dia... só aqui soube os vencedores da 17ª edição do "Prêmio Contigo"...justa homenagem à grande Glória Pires...não acompanhei todas as produções e indicados, então nem sei dizer se foram justas ou não, fico com sua análise e inclusive , concordo com ti, sobre a Melhor Novela,mas, é claro que mesmo como injustiça da noite,quase todo ano é assim, se um folhetim do horário nobre e maior visibilidade,portanto, estiver concorrendo, e mesmo com outras melhores, Quase, sempre levará, minha opinião...lindíssima Paolla e talentosa mesma...
Agradeço pelo carinho, belos dias,abraços!

Felisberto N. Junior disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Anônimo disse...

JP Rufino, José Luiz Villamarim, Alexandre nero, Lilia Cabral e Paolla Oliveira foram merecedores. Sessão de Terapia também mereceu e muito. Mas o resto...

Ulisses disse...

Gostei das suas observações sobre os vencedores e concordo com os comentários dos colegas acima.

Gustavo disse...

Já nem lembrava que ainda teria esse prêmio pra fechar o ano passado. E os comentaristas já falaram tudo o que eu queria. E sue texto ficou bem completo, Sérgio.

Anônimo disse...

Olá Sérgio, acompanho seus comentários e suas observações sobre os programas televisivos e o acho sensato, sem aquelas emoções que geralmente os fãs tem...enfim, concordo em quase 100% com o que você disse, principalmente que O Rebu deveria ter tido maior reconhecimento, pois Império só se destacou mesmo pelas interpretações esplendorosas de seus protagonistas, o enredo meio que patinou durante um tempo; também acho que a Andrea Horta deveria ter tido uma sorte melhor, sua personagem exigiu muito mais dela, pois sofreu transformações durante a trama, já a Marina, a princípio achava a atuação dela meio engessada, sem vida; mas no decorrer da trama ela foi ganhando mais destaque e pude observar seu crescimento, mas ainda assim não consigo enxergar onde ela se saiu melhor que a Andreia Horta, enfim com esta ressalva concordo com as demais premiações.

Anônimo disse...

Tirando O Rebu, achei tudo um lixo! E acho bom mesmo Sete Vidas ser valorizada ano que vem!

Henrique disse...

Gostei de me inteirar porque esse ano eu nem lembrava que teria e nem vi divulgação. Concordo sobre melhor ator, atriz, direção, ator infantil, série de canal pago e série de canal aberto. Ator de série e atriz de série também.O resto não.

Rita Sperchi disse...

Bom dia de sábado de sol Serginho querido, olha adoro vir aqui e ver como andam as coisas, porque meu tempo ultimamente tem sido tão corrido, mas adoro saber tudo o que vc posta ficamos por dentro parabéns mais uma vez

Abraços com carinho!

└──●► *Rita!!

Lulu on the sky disse...

Algumas categorias eu discordo dos vencedores. Por exemplo, a Camila Morgado no Rebu foi muito melhor do que a Marina Ruy Barbosa.
Blog de cara nova!
Big Beijos
Lulu on the Sky

MARILENE disse...

Sergio, só através de você fico sabendo o resultado dessas premiações. Confio em sua avaliação, já que nem todos os programas eu vejo. Acredito que sempre existem injustiças nas escolhas, mas a maioria corresponde à opinião popular. Bjs.

Vera Lúcia disse...


Olá Sérgio,

Fiquei até meio 'zureta' aqui tentando localizar na memória tanta informação-rsrs. Estou sabendo agora, através de sua postagem, acerca dos vencedores dessa edição do 'Prêmio Contigo'. Não tenho argumentos para opinar, já que não acompanhei todos os trabalhos, mas suas críticas me pareceram muito oportunas diante do que tive oportunidade de acompanhar.
Parabéns pela excelente exposição.

Ótimo final de semana.

Abraço.

F Silva disse...

Algo a comentar...

Estes tipos de Premiação do melhor em cada categoria é sempre algo muito relativo por causa da forma e dos critérios que são utilizados. Eu daria mais credibilidade aos tipos de premiação onde os perfis são analisados por profissionais de cada arte que entendem bem do assunto. Veja que a Viviane Araújo saiu vencedora do prêmio, mas a Isabella Santoni ganhou um elogio da grande dama do teatro brasileiro, dona Fernanda Montenegro. Tem prêmio melhor?

Bom, se o prêmio está relacionado com os trabalhos realizados em 2014, eu me lembro que fizermos nossa eleição dos melhores do ano em dezembro e queria repetir minha lista:
- Osmar Prado(Meu Pedacinho...) melhor ator de novela e Patrícia Pillar(O Rebu) melhor atriz;
- Reynaldo Gianecchini(Em Família) ator coadjuvante e Heloísa Perissé(Boogie Oogie) melhor atriz;
- Irandhir Santos e Paula Barbosa, ambos de Meu Pedacinho, ator e atriz revelação;
- Bruno Gagliasso(Dupla Identidade) e Cássia Kiss(Amores Roubados) ator e atriz de série.

É uma pena o Luiz Fernando Carvalho não ter concorrido, pela excelente e inovadora direção de Meu Pedacinho de Chão. Daria o prêmio a ele. Mas o prêmio dado a Villamarim foi justo, mais pelas excelentes séries "O Canto da Sereia" e "Amores Roubados" do que pelo "O Rebu".

Eu queria apenas discordar que George Moura e Gondenberg eram mais merecedores, eles revisitaram uma obra antiga em "O Rebu", foi bom, mas houve falhas. Falhas por falhas ainda fico com Aguinaldo Silva, que é um autor que sempre consegue segurar ou erguer o ibope caído do horário. As vezes ele desagrada os críticos de plantão mas suas historias e personagens são sucesso entre o público e com Império não foi diferente. Apesar das falhas, muito bem discorridas aqui no "De Olho nos Detalhes" durante sua exibição, a saga do comendador foi, de fato, o melhor folhetim apresentado no ano passado.

Estamos em junho de 2015 e "Sete Vidas" é o melhor folhetim apresentado até agora e acho difícil alguém superá-la. Porém vem por aí João Emanuel Carneiro com "A Regra do Jogo" e o elenco promete. Elizabeth Jim pode apresentar uma boa história com um folhetim de época "Além do Tempo" e Rosane Svartman e Paulo Halm que serão os responsáveis pela próxima novela das sete, que promete, haja vista o agradável e elétrico roteiro da atual temporada de Malhação.

um grande abraço Sérgio e até logo...

Elvira Akchourin do Nascimento disse...

Concordo com suas observações, Sérgio. E espero que, na premiação do próximo ano, Sete Vidas receba o destaque que merece. Ela é a melhor novela no ar atualmente.

Anônimo disse...

Já foi comentado mil vezes que esses prêmios e "aquilo" é a mesma coisa. As pessoas que escolhem esses indicados só pega a rede globo em sua casa, coitado. Só quero ver ano que vem com o sucesso de Dez Mandamentos e o fiasco histórico dessa novelinha das 9 da globo se ainda assim vão ter a cara de pau de ignorar a primeira e dar prêmios a segunda, aff...

Clau disse...

Oi Sérgio, boa tarde!
Se vc escreveu que algumas vitórias desse prêmio,
decepcionaram e são questionáveis,
então eu acredito, afinal,
raramente consigo acompanhar alguma produção televisiva.
Bjs!

Ed Taborda Assunção disse...

Gostei de quase todas as premiações. A Marina Ruy Barbosa é uma boa atriz mesmo, mas vivia uma personagem tão apagada que eu preferia que a Andreia ganhasse, mesmo a Maria Clara sendo um papel meio ridículo por mudar de personalidade a gosto do autor, era mais interessante e a atuação dela era melhor. Ator codjuvante eu preferia o Ailton Graça, talvez por que não assisti nenhum capítulo daquele troço de Geração Brasil. JP Rufino e Giovanna Rispoli foram merecedores, assim como Viviane Araújo e Paolla Oliveira. Bruno Gagliasso e Felizes para Sempre também, assim como o Zé Luis Villamarim. Embora eu ainda prefira o LFC. Alexandre Nero e Lília Cabral eram os maiores merecedores, mas Aguinaldo Silva e Império não por que eu achei bem mais ou menos. E por mais incrível que seja, com essa Babilônia horrenda, eu sinto é falta da história do Comendador...
Abraços

Sérgio Santos disse...

Entendi, Quércia. O Rebu mereceu mt. bjsss

Sérgio Santos disse...

Tomara que seja, né, Fernanda. E tb estou adorando Verdades Secretas. bj

Sérgio Santos disse...

Mt obrigado pelo comentário, Felis. Abraço!

Sérgio Santos disse...

Tb gostei de todos esses, anonimo.

Sérgio Santos disse...

Obrigado, Ulisses.

Sérgio Santos disse...

Valeu, Gustavo!

Sérgio Santos disse...

Tb acho que Andreia Horta foi melhor, anonimo, e O Rebu merecia bem mais reconhecimento, mas ao menos o APCA reconheceu. E obrigado pelas palavras. Abraço!

Sérgio Santos disse...

Sete Vidas merece ser valorizada, anonimo. Aliás, Licia Manzo ganhou como Melhor Autora no Prêmio Contigo na época de A Vida da Gente.

Sérgio Santos disse...

Que bom que informei, Henrique. rs Abçs

Sérgio Santos disse...

Ah, Rita, obrigado. =) bjs

Sérgio Santos disse...

Camila foi maravilhosa mesmo, Lulu! Aliás, saudades de O Rebu. bjsss

Sérgio Santos disse...

É verdade, Marilene. Mas nesse caso foram jurados mesmo, os finalistas é que foi votação popular. bjs

Sérgio Santos disse...

Não fique zureta, Vera. hahaha E obrigado pelo carinho de sempre. bjs

Sérgio Santos disse...

Oi F Silva, mais um ótimo comentário. É verdade, é tudo relativo e nesse caso (não tenho 100% de certeza) acho que foram os jornalistas da revista que escolheram os vencedores. O público selecionou os finalistas, acho eu. Mas Isabella mereceu mt msm aquele elogio da Fernandona. E eu acho que O Rebu não teve falha alguma, achei impecável. Por isso mesmo achei justo que eles ganhassem. Ainda que tivesse tido algum erro (o que não vi), não se compara ao festival de equívocos de Império, que fez sucesso, teve um bom enredo central, mas pecou em todo o resto. E Sete Vidas é mt maravilhosa, pena que está no fim. Torço para receber o valor que merece, embora ache complicado. Abçs!

Sérgio Santos disse...

Tb torço pra isso, Elvira. Merece e muito.

Sérgio Santos disse...

Anonimo, Contigo não tem ligação alguma com a Globo, não custa lembrar.

Sérgio Santos disse...

Obrigado, Clau. =)

Sérgio Santos disse...

Eu sinto falta de Amor à Vida, Ed. E gostei do teu comentário e das observações. Abraço!

Sérgio Santos disse...
Este comentário foi removido pelo autor.