sexta-feira, 19 de junho de 2015

Na pele da íntegra e cativante Esther, Regina Duarte brilha em "Sete Vidas"

Tecer elogios ao primoroso conjunto de "Sete Vidas" implica em cair na repetição. Afinal, a novela de Lícia Manzo coleciona congratulações desde que estreou. As qualidades são inúmeras mesmo e uma delas está no talentoso elenco escalado. São muitos destaques e vários desempenhos excelentes. E entre os grandes nomes presentes neste time, está a maravilhosa Regina Duarte, que não participava de uma novela inteira desde 2011, quando viveu a Clô Hayalla de "O Astro", e está completando 50 anos de televisão em 2015.


A atriz havia sido escalada para "Boogie Oogie", fraca trama anterior, mas recusou o papel, que acabou nas mãos de Betty Faria ---- curiosamente invertendo uma situação clássica do passado, quando assumiu o lugar de Betty para viver a Viúva Porcina em "Roque Santeiro". E Regina pediu para entrar na novela de Lícia porque assistiu a impecável "A Vida da Gente", virando, assim como muitos telespectadores, fã da autora. O pedido, claro, foi prontamente aceito e ela ganhou a Esther, uma mulher de personalidade forte que faz jus ao talento da intérprete.

A personagem teve um longevo relacionamento homossexual (com Vivian) e as duas optaram pela inseminação artificial, onde Esther foi a escolhida para engravidar. Ela acabou engravidando de gêmeos ----- Laila (Maria Eduarda de Carvalho) e Luis (Thiago Rodrigues) ----- e o sêmen utilizado foi o de Miguel (Domingos Montagner), protagonista da história. A sua parceira veio a falecer, deixando a companheira encarregada da criação dos filhos sozinha.
Professora, bem resolvida consigo mesma, conselheira e de bem com a vida, o perfil é um tipo cativante e vem sendo interpretado com maestria pela atriz.

Esther ama muito os filhos e ficou na casa de Luis desde que veio morar no Brasil. Esta situação provocou vários conflitos com Branca (ótima Maria Manoella), sua autoritária nora, que nunca aceitou o fato da sogra ser gay e escondeu isso das crianças o quanto pôde. As duas viviam se alfinetando, proporcionando bons momentos para as intérpretes. A mãe do rapaz ainda ficou muito próxima de Graça, a empregada da família, e iniciou um processo de alfabetização com ela, para o desgosto da dona da casa. E o estopim para o rompimento definitivo daquela relação nada amigável foi justamente o fato da professora ter se proposto a ajudar o filho de Graça, que é mais dotado intelectualmente que o neto.

Regina protagonizou cenas muito boas com Maria Manoella e também com Thiago Rodrigues. Além dos dois, vale citar também o ótimo entrosamento da atriz com Milena Melo (Sofia) e Gabriel Palhares (Luca). Depois, a personagem foi para a casa da outra filha, a desbocada Laila. E claro que esta nova convivência proporcionou mais uma leva de boas sequências, evidenciando a sintonia da eterna namoradinha do Brasil com a talentosa Maria Eduarda de Carvalho. Esther e a filha se parecem muito no excesso de franqueza, ainda que Laila represente este grau de 'sincericídio' mais extremado.

Agora, a personagem tem ficado a cada dia mais próxima de Lúcia (talentosa Juliana Carneiro da Cunha), uma mulher que administra uma escola apropriada para meninos especiais (superdotados) e enfrenta dificuldades financeiras para manter a instituição. As duas se aproximaram muito e viraram grandes confidentes. As sequências protagonizadas por elas, aliás, são sempre repletas de diálogos deliciosos, onde uma sempre tenta apoiar a outra. Mais uma grata parceria desta novela.

É sempre um prazer ver Regina Duarte em cena, ainda por cima vivendo um perfil tão bem construído e repleto de nuances. Mesmo não sendo uma personagem principal, a atriz consegue brilhar, principalmente porque o papel tem importância para o enredo e é valorizado pela autora. Lícia Manzo, aliás, tem um estilo muito semelhante ao de Manoel Carlos, autor que escalou Regina para interpretar nada menos do que três Helenas suas ("História de Amor", "Por Amor", "Páginas da Vida"). Talvez por isso mesmo a atriz tenha tanta facilidade para proferir o texto primoroso da autora com tanta competência.

E depois da exagerada e caricata Clô Hayalla ---- perua que foi brilhantemente vivida por ela, cujo excesso de tons foi proposital ----, é muito bom ver Regina de volta ao naturalismo em uma novela que retratada o cotidiano. Entre o remake de 2011 e a trama atual, a atriz fez uma rápida participação na primeira fase de "Império", na pele da misteriosa Maria Joaquina, mas a personagem também tinha umas cores um pouco fortes. Portanto, esta sua volta na novela das seis foi mais do que bem vinda. A íntegra e cativante Esther, que é um dos muitos perfis brilhantemente construídos em "Sete Vidas", não poderia ter sido de outra intérprete.

37 comentários:

Fernanda disse...

Que prazer tem sido ver Regina de volta e sendo valorizada.Sua crítica é mais do que merecida e adorei ler.Pena que a novela tá acabando...

Anônimo disse...

Regina, nossa eterna namoradinha! Enquanto vc faz esse lindo texto destacando o talento de alguém que merece, a Patrícia Kogut faz um falando de Caio Castro... Que diferença!

Sabrina disse...

Texto maravilhoso! Regina merece elogios sempre e sou apaixonada pela Esther!

Marília disse...

Não acredito que esse primor de novela está acabando enquanto essa Babilônia não acaba nunca. Regina está perfeita como sempre e sou uma admiradora desde Malu Mulher.Esse texto é mais do que merecido e Ester é uma mãe que todo mundo queria ter. Parabéns!

Felisberto N. Junior disse...

Olá, Sérgio...puxa, só alguém "de olho nos detalhes" para saber que a Regina Duarte, não participava de uma novela inteira desde 2011, quando viveu a Clô Hayalla de "O Astro". Com certeza, é sempre um prazer ver Regina Duarte em cena,com seu talento indiscutível, e sendo valorizada, em um papel com importância para o enredo , mesmo não sendo a protagonista...
Agradecido,Bom final de semana, Belos dias, abraços!

Anônimo disse...

É sempre bom ver Regina Duarte na telinha assim como é sempre bom ler um texto elogiando essa atriz.

JrGiam disse...

Desculpa te corrigir, Sérgio, mas acho que o papel que ofereceram á Regina Duarte em Boogie Oogie não foi o da Madalena(que ficou com Betty Faria). Esse papel foi oferecido inicialmente á Joana Fomm, que acabou interpretando a Tia Odete. Regina faria o papel de Augusta, que foi interpretada por Sandra Corveloni. De qualquer forma, é um prazer absoluto ver a eterna Namoradinha do Brasil de novo na TV num papel de destaque, e justamente na melhor novela no ar atualmente!

Flávia disse...

Regina DIVA! Está maravilhosa e merecia esse texto!!!!! AMEI, SÉRGIO!!!!!!! JrGiam, o Sérgio está correto, olha aqui o link http://diversao.terra.com.br/tv/sala-de-tv/blog/2014/06/07/lima-duarte-deixa-novela-por-se-recusar-a-ser-coadjuvante-2/ O Lima Duarte desistiu da novela depois que Regina saiu pq eles formariam o casal de Roque Santeiro. Mas ela fez bem em desistir e ele também porque no final das contas a Betty e o Cuoco nem ficaram juntos no final e mal apareceram naquela novela horrível.

Caio disse...

Como não amar Regina Duarte? Texto impecável!

Melina disse...

Sérgio, querido, estou triste porque essa novela durou muito pouco e já está no fim. Enquanto isso I love Chatice e Babilônia seguem no ar. Mas falando do assunto do post, Regina é uma grande atriz e a Esther foi um presentão. Ela foi bem esperta em ter recusado entrar naquela novela que me recuso a dizer o nome que antecedeu a este primor para entrar em Sete Vidas. Adorei toda a sua resenha. E concordo com o comentarista que disse que a Patrícia Kogut fez um texto sobre aquele canastra do Caio e você fez da Regina. Diferença. Um beijo.

MARILENE disse...

Sergio, Regina Duarte é uma grande atriz. E sua interpretação está, realmente, a merecer elogios. Ponderada, honesta, direta, nos proporciona diálogos interessantes sobre comportamentos e vida. O valor da personagem é inegável. Bjs.

olivia disse...

Sete Vidas é a melhor no ar, bem melhor que esse lixo brega de I Love Paraisópolis e essa sonolência de Babilônia.

Lilly Silva disse...

Eu acho a Regina Duarte uma excelente atriz e nessa novela mais uma vez ela está mostrando todo o seu talento e carisma!!
Beijos

http://simplesmentelilly.blogspot.com.br/

Lisandra disse...

Regina Duarte é uma pessoa encantadora e essa novela ficou ainda mais brilhante com a presença dela no elenco.E já tem gente idiota falando que Esther deixou de ser homossexual por causa dos conservadores, mas isso já estava previsto antes mesmo na novela estrear.

Vera Lúcia disse...


Olá Sérgio,

Regina Duarte é sempre fabulosa em suas interpretações. Lamentavelmente, estou perdendo uma novela que me atraiu desde as suas primeiras chamadas. De vez em quando dá para ver alguns fragmentos, mas não cheguei a ver nenhuma parte com a Regina Duarte em cena. Tudo que sei da novela, até agora, acompanhei por aqui. Não tenho dúvidas de que ela está brilhando novamente com seu atual personagem.

Ótimo final de semana.

Abraço.

Lulu on the sky disse...

Oi Sérgio,
Já falei que essa novela tinha que passar as 9. Texto brilhante, atores ótimos e a direção impecável do Monjardim

Big Beijos
Lulu on the Sky

Sérgio Santos disse...

Pena mesmo, Fernanda. Ficará um vazio... bjs

Sérgio Santos disse...

Anonimo, eu acho que o Caio melhorou msm, mas não a ponto de ganhar uma crítica elogiosa e nem ser considerado um grande ator. Ele de péssimo foi pra regular e só. Mas respeito mt a Kogut e concordo com muitas opiniões dela. Mas tb discordo de outras, faz parte.

Sérgio Santos disse...

Tb sou, Sabrina.

Sérgio Santos disse...

Mt obrigado, Marília. Pois é, essa novela linda tá acabando e aquela novela péssima segue firme... Injusto. Bjs

Sérgio Santos disse...

Obrigado, Felis. Regina é uma atriz maravilhosa e uma pessoa incrível. abçs

Sérgio Santos disse...

Obrigado, anonimo.

Sérgio Santos disse...

JRGiam, eu li em vários locais que ela faria o papel da Betty. A não ser que a Joana tenha sido a segunda escolhida e depois foram pra Betty como terceira. E não acredito que o autor teria coragem de dar para Regina aquela coadjuvante que mal aparecia da Augusta. E Regina está maravilhosa em Sete Vidas. Abraços.

Sérgio Santos disse...

Está maravilhosa mesmo, Flavia. E obrigado. Esse link eu nem tinha visto, mas já tinha lido na época em vários outros lugares sobre isso. Bjs

Sérgio Santos disse...

Não tem como mesmo, Caio. Obrigado.

Sérgio Santos disse...

Obrigado, Melina. Pois é, a saudade já tá batendo da novela, né? Nossa, fará muita falta. E Regina está maravilhosa no papel e está comemorando 50 anos de televisão em grande estilo. Bjsss

Sérgio Santos disse...

Perfeito, Marilene. É isso. Bjs

Sérgio Santos disse...

Olivia, essa novela é maravilhosa mesmo e a melhor.

Sérgio Santos disse...

Verdade, Lilly. bjs

Sérgio Santos disse...

Lisandra, o elenco da novela ficou ainda mais rico com a presença da Regina mesmo e interpretando uma ótima personagem. Bjs

Sérgio Santos disse...

Vera, eu tenho certeza absoluta que vc se encantaria com essa novela. E Regina está maravilhosa, fazendo por merecer todos os elogios. bjs

Sérgio Santos disse...

Tinha mesmo, Lulu. Honraria o horário nobre facilmente. Lícia já pode ser colocada nessa faixa, inclusive. bjs

Jorge Ferlimnet disse...

A Esther é de uma sabedoria incrível e Regina Duarte a interpreta tão bem. Com certeza, a melhor novela atualmente. Abraço!


escritadeiniciante.blogspot.com.br

Jorge Ferlimnet disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Sérgio Santos disse...

Verdade, Jorge! Abraço!

Elvira Akchourin do Nascimento disse...

Regina Duarte está ótima no papel e gosto das cenas dela com o Jonas Bloch, cujos personagens revivem um amor do passado.

Sérgio Santos disse...

Tb tenho curtido essas cenas da Regina com o Jonas,Elvira!