quarta-feira, 25 de março de 2015

"Anjo Mau": a elogiada primeira novela de Maria Adelaide Amaral

Exibida entre setembro de 1997 e março de 1998, "Anjo Mau" teve 173 capítulos e foi um excelente remake escrito por Maria Adelaide Amaral, sua primeira novela como autora titular. Adaptação da obra original de Cassiano Gabus Mendes (1976), o folhetim teve supervisão de texto de Silvio de Abreu e foi dirigido por Denise Saraceni e Carlos Manga. A história foi brilhantemente protagonizada por Glória Pires e foi reprisada pela Globo entre agosto de 2003 e janeiro de 2004 no "Vale a Pena Ver de Novo", além de ter sido exibida também pelo Canal Viva entre julho de 2013 e março de 2014.


A história era em torno de uma moça dissimulada e gananciosa, ou seja, um tipo totalmente fora dos padrões da tradicional 'mocinha'. Inconformada com sua vida medíocre, Nice busca ascender socialmente e não mede esforços para atingir seu objetivo. Filha adotiva de Augusto (Cláudio Corrêa e Castro) e Alzira (Regina Dourado), e irmã de Luiz Carlos (Márcio Garcia), a mulher consegue emprego na mansão dos Medeiros, onde seu pai já trabalha como motorista há muitos anos. Ela ganha a vaga de babá do filho de Stella (Maria Madilha) e logo se interessa pelo irmão da patroa, Rodrigo (Kadu Moliterno).

Sonhando em ser a dona daquele casarão, Nice inicia um plano para conquistar o rapaz, sem se importar nas consequências. A babá descobre que a noiva de Rodrigo (a arrogante Paula, vivida por Alessandra Negrini) tem um com o irmão dele (Ricardo - Leonardo Brício) e arma para que o romance seja descoberto.
A estratégia funciona e o ricaço se separa daquela que seria sua futura esposa. Revoltado com a traição, perde a confiança nas mulheres e começa a sair com Nice para se vingar de Paula e também provocar a alta sociedade que o cerca. Mas, depois, se sente culpado por ter usado a empregada.

As armações da protagonista não cessam e são as principais responsáveis por todas as intrigas na família Medeiros. E Nice inicia um novo plano ---- usando, inclusive, seu irmão como arma ---- depois que Rodrigo se interessa pela simpática Lígia (Lavínia Vlasak), com o intuito, obviamente, de separá-los. Mas, por ironia do destino, o que começou como um puro jogo de interesse, vira amor de verdade. A babá realmente se apaixona pelo patrão e passa a ter que lidar com este sentimento. A dissimulada de outrora começa a apresentar um lado humano pouco exposto até então.

Glória Pires angariou merecidos elogios por mais este grande trabalho e a protagonista veio em boa hora, já que a atriz tinha recém-saído de "O Rei do Gado", trama de imenso sucesso, mas que não lhe rendeu um bom momento ----- sua personagem era totalmente apagada e não fez jus ao talento da intérprete. Nice era um tipo ambíguo e controverso, proporcionando para Glória ótimas cenas. Ela, aliás, tinha uma importância imensa para a trama e foi bastante exigida.

Ao longo da trama, o segredo do passado da babá foi revelado: ela na verdade era filha biológica de Alzira. Fruto de um estupro, a mulher abandonou a filha em um orfanato, mas se arrependeu e buscou a criança de volta. A revelação ajudou a explicar a rejeição que a mãe tinha por Nice e destacou o talento dos saudosos Cláudio Corrêa e Castro e Regina Dourado. Esta virada na história também serviu para expor ainda mais os conflitos internos da protagonista.

Além de toda esta trama central atraente, a novela também abordou o racismo através de Cida (Léa Garcia) e Tereza (Luiza Brunet). A filha tinha vergonha da mãe ser negra e a escondia para não 'atrapalhar' o seu casamento com o poderoso Rui Novaes (grande Mauro Mendonça). Outro núcleo atrativo era o protagonizado por Beatriz Segall e Ariclê Perez, que interpretavam as irmãs Clotilde e Elisinha, duas mulheres falidas que davam golpes e não perdiam a pose de 'ricas'. As atrizes fizeram uma ótima dupla e também se destacaram.

Vale elogiar ainda o divertido casal formado por Stella e Tadeu. Maria Padilha e Daniel Dantas divertiram e tiveram uma boa sintonia em cena. Além de todos os já citados, outros atores também brilharam, vide Lília Cabral (a batalhadora costureira Goretti), Jackson Antunes (Frederico), Taís Araújo (Vivian), José Lewgoy (Eduardo), Sérgio Viotti (Américo), Luis Salém (Benny), Ana Beatriz Nogueira (Duda), Ada Chaseliov (Dora), Ivone Rofmann (Geralda), Thelma Reston (Tiana), Maurício Gonçalves (Ivan), Bia Montez (Cibele), entre outros.

"Anjo Mau" foi uma grande novela e o último capítulo do remake ainda contou com a participação de Susana Vieira vivendo a babá do filho de Nice e Rodrigo ----- a atriz foi a intérprete da protagonista na primeira versão, que morreu na história exibida em 1976, ao contrário do que ocorreu no remake, onde a personagem central teve direito a um final feliz. Maria Adelaide Amaral honrou a obra de Cassiano Gabus Mendes e produziu uma nova versão tão bem-sucedida quanto a original. Uma estreia com o pé direito no time de autores titulares da Globo.

54 comentários:

Anônimo disse...

Essa novela foi muito boa! Glória sempre maravilhosa.

Ana Carolina disse...

Eu adorei essa novela, Sérgio. Glória deu um show e lembro da participação da Susana no último capítulo. Como fazem falta Regina Dourado, Claudio Correa e Castro e Ariclê Perez. Ariclê se matou, né? Adorei ter relembrado essa novela.

Anônimo disse...

Quanta parcialidade da sua parte. Quando é uma novela da Globo, você faz críticas quase que instantâneas à estreia e ao último capítulo. Vitória acabou na sexta e os 10 mandamentos estão ai desde segunda e nem um vírgula escrita sobre eles. Sugiro mudar o título e descrição do blog para De olho nos detalhes da Globo!

Elaine disse...

Que saudades dessa novela. E achei melhor que a original. E gostei de terem alterado o final, deixando a Nice viva.

Daniele H. disse...

Adorava essa novela. Não me lembrava de tantos detalhes!

thales Z. disse...

Ele acompanha Babilônia e acompanhou império, portanto nao assistiu vitória, como que ele vai dar opinião em algo que ele nao viu???

Filha do Rei disse...

Sérgio, acompanhei esta novela e sentia amor e às vzs até raiva da Nice :) Maria Padilha e Daniel Dantas foram realmente destaques(hoje os acompanho na novela O Dono do Mundo)
É bom relembrar!!
Bjsss

Anônimo disse...

Amei o post! Remake inesquecível e muito digno do original, além de protagonizado com brilhantismo pela Glória. Uma das minhas novelas favoritas!

Nidja Andrade disse...

Assisti a primeira exibição. Adoreiiii

Anônimo disse...

MAS QUEM ESCREVEU SOBRE O FINAL DE VITÓRIA??? KKKKKKKKK NINGUÉM.

Fernanda disse...

Essa novela marcou mesmo a estreia da Maria Adelaide com o pé direito. Era só colaboradora mas se firmou graças a esse remake. Foi uma novela mt boa mesmo e com cenas fortes, que hoje em dia seriam inaceitáveis no horário das seis. Isso só mostra como retrocedemos. Glória Pires sempre ótima e um elenco de peso com exceção do Cadu Moliterno que é muito ruim.

Vinícius disse...

Remake ótimo da Maria Adelaide e foi mt bom relembrar. Fiquei animado com a ida dela pro horário nobre. Ela merece.

Claudio Aparecido Reis Reis disse...

Foi o último grande personagem de Glória Pires na TV
Aliás, é a minha personagem preferida da carreira longa e bem sucedida de Glória.
Amo essa novela.

Anônimo disse...

Que delícia relembrar essa novela. Não é saudosismo ,mas pq não fazem mais novelas assim? Era tão bom!

Raquel disse...

Fala Sérgio!

Anjo Mal honrou com louvor o horário das seis e se mostrou realmente um ótimo remake. Na época da primeira exibição eu não acompanhei muito porque acompanhava programas da Cultura e do SBT no horário, mas quando passou no vale a pena ver de novo eu pude seguir a trama mais de perto.

Glória era sempre maravilhosa, mas novamente teve que tirar leite de pedra de um par romântico bem marron. Assim como Marcos foi o ponto fraco de Mulheres de Areia, o Rodrigo foi de Anjo Mal. Pra mim o grande destaque foi de Alessandra Negrini vindo do estouro de "A Engraçadinha". Ótima.

Lembro de torcer para a Nice não morrer no final na primeira vez que o remake foi ao ar, mas depois fiquei me perguntando se não abrandaram um pouco cedo demais a personalidade da Nice quando vi pela segunda vez. Talvez o carisma de Glória tenha sido essencial para isso.

E quanto à estreia de MAA em novelas acho que ela mostrou um talento raro pra fazer remakes. Adorei todos os seus remakes e as suas mini-séries. A sua novela original, Sangue Bom, eu achei apenas razoável. Mas com a sucessão de bombas que parecem tomar conta das novelas ultimamente, razoável tá até é muito bom.

E eu sei que tem gente que vive enchendo seu saco por causa da Record, mas dessa vez eu até que tow dando um pouco de razão. Vitória eu sei que passava na hora da novela das 9 da Globo, mas 10 Madamentos passa mais cedo. Achei que pelo menos o primeiro capítulo vc iria prestigiar.

Pedro disse...

Sérgio, vc me disse no Twitter que faria o texto de Os Dez Mandamentos na quinta, ou seja, hoje e fica esse pessoal te enchendo. Mas isso é um bom sinal, é sinal que gostam dos seus textos e opiniões e estão ansiosos para ler. Mas falando dessa novela, foi mt boa mesmo e Anjo Mau foi uma novela marcante. Não vi a primeira versão, mas essa segunda eu fui fã. E tinha muita cena pesada. Hoje em dia não passaria nem a metade. Como o mundo ficou mais chato!

Melina disse...

Sérgio, querido, eu amei essa novela e Glória tava mesmo merecendo a Nice depois daquela personagem horrível dela em O Rei do Gado. E se destacou, claro. Beatriz Segall e Aricle Perez faziam uma dupla tão boa. Até hoje não me conformo com o suicídio da Aricle. A Luiza Brunet era uma robô mas a trama dela do racismo foi bem explorada. E como eu ria com a Maria Padilha e o Daniel Dantas! Um beijo.

Ed Taborda Assunção disse...

A Maria Adelaide Amaral é ótima em reescrever novelas, essa novela era muito boa. A Glória Pires era a dona da novela (como sempre). A Rafaela de O Rei do Gado é muito apagada mesmo. Na época da novela eu odiava a Nice, mas depois comecei a gostar da personagem e torcia pra ela não morrer. O elenco também era muito bom. Bem que podia ser re-reprisada, mas acho difícil nos dias de hoje. MAA é uma ótima autora e até hoje sinto falta da maravilhosa Sangue Bom, a última novela que eu curti pra valer. Espero que ela faça sucesso na sua próxima novela.

Karina disse...

Oi Sérgio!
Que delicia relembrar Anjo Mau. Novela que era das 18hrs mas merecia o horário das 20hrs (hoje 21hrs) a história foi super bem amarradinha e o elenco de primeira. Que saudades do maravilhoso Claudio Correa e Castro ele fez do seu Augusto o "vovô" que qualquer um queria ter enquanto o Mauro Mendonça tava com o demônio no corpo e causou nojo com o sarcasmo do Rui Novaes que convenhamos é bem real. Leonardo Bricio também estava excelente com o playboy (e polemico por causa da cena de estupro) considero um de seus melhores momentos na TV ele deu show tanto com Tais como com Alessandra. Falando nela "Paula" foi considerada pela crítica o seu melhor momento na TV e eu concordo. Cito ainda Lavinia Vlasak com a sua doce Lígia (saudades dela), Beatriz Segall sempre maravilhosa e que Bel Kutner que ficou com a "mocinha tradicional" da história com a sua certinha Helena também considero um de seus melhores papéis fora que ela nunca esteve tão linda Ao contrário de muitos aqui adorei a interpretação do Kadu pro protagonista, achei ele bem seguro em cena. Gloria Pires dispensa qualquer comentário se a Nice sobreviveu nessa versão o mérito é todo dela.

Elvira Akchourin do Nascimento disse...

Gostei muito de Anjo Mau: temática, atuações de Susana Vieira, José Wilker, Luiz Gustavo, Pepita Rodrigues, e do tema musical "Meu Mundo e Nada Mais", do meu ídolo Guilherme Arantes.

Elvira Akchourin do Nascimento disse...

Já me referindo ao remake, achei ótimos os desempenhos de Glória Pires, Kadu Moliterno, Leonardo Brício e Alessandra Negrini. Lembro também do Gabriel Braga Nunes.

Rita Sperchi disse...

Serginho querido que saudade de certos atores que já se foram. Adorei essa novela mas hj recordei de certos detalhes que bom relembrar.parabéns pelo belo post deixo um abraço pra vc


Bjusss com carinho!

└──●► *Rita!!

Kellen Bittencourt ( Trilhamarupiara) disse...

Olá amigo Sérgio, como vão as coisas por aqui?! Lembro bem desta novela, não sou muito fã da Alessandra Negrini mas sou super fã da Glória, acho que foi uma boa novela! Abraçosss

Anônimo disse...

a novela era tão boa que até o Gabriel Braga Nunes se saiu bem hahahaha

Kauê disse...

Lembro de ter assistido a reprise do remake quando foi ao ver no vale a pena ver de novo e adorei a novela. Maria Adelaide Amaral fez uma ótima estreia como autora, a história era bem desenvolvida e o elenco era mt bom.

Gabriel disse...

Não assisti essa novela,mas a Nice segundo o seu texto parecia ser uma protagonista interessantes que foge das mocinhas chatas e cansativas e a Glória Pires merecia esse presente após aquele papel horrível em O Rei do Gado.

Sérgio Santos disse...

Foi msm, anonimo.

Sérgio Santos disse...

Eu tb adorei, Ana. E sim, infelizmente a Aricle se suicidou. Triste demais. bj

Sérgio Santos disse...

Fico feliz que vc goste de ler meus textos e minhas opiniões, anonimo a ponto de reclamar quando não escrevo de alguma novela que vc goste. E eu já escrevi sobre a estreia, fique calmo. E continue sempre de olho nas minhas postagens, agradeço o prestígio.

Sérgio Santos disse...

Tb gostei desse final, Elaine, até pq teve uma dubiedade interessante, com a nova babá dando em cima do patrão, ou seja, reiniciando o ciclo. Ou não.

Sérgio Santos disse...

Que bom que gostou do texto, Daniele.

Sérgio Santos disse...

Thales, eu até vi alguma coisa de Vitória. Escrevi sobre a estreia e fiz um texto sobre a ótima Juliana Silveira. Mas não quis msm escrever sobre o final pq nem tive ânimo pra ver o último cap. abç

Sérgio Santos disse...

Cleu, a Maria Padilha e o Daniel fizeram uma dupla impagável. E a Nice despertava ódio e pena tb. Era uma mistura. Que bom que gostou de relembrar. =) bjs

Sérgio Santos disse...

Obrigado, Anonimo.

Sérgio Santos disse...

Nidja, foi uma grande obra.

Sérgio Santos disse...

Eu realmente não li nada sobre o final de Vitória, anonimo. Acho que só o Daniel Kastro escreveu.

Sérgio Santos disse...

Ótima observação, Fernanda, realmente hoje em dia metade das cenas dessa novela seriam cortadas porque eram mt pesadas. Triste ver como retrocedemos. E Maria Adelaide teve uma ótima estreia msm.

Sérgio Santos disse...

Vinicus, tb fiquei animado. Acho que a novela dela e do Vincent tem tudo pra engrandecer o horário nobre.

Sérgio Santos disse...

Não acho que tenha sido o último grande papel da Glória, Claudio, mas a Nice foi um marco na carreira dela msm.

Sérgio Santos disse...

Foi uma delícia msm, anonimo.

Sérgio Santos disse...

Raquel, é verdade, o Kadu é mt fraco e Glória precisou segurar tudo sozinha. Mas a novela foi excelente e tb achei a Negrini mt bem. E suavizaram mais a Nice mesmo, mas ela continuou sendo um tipo complexo e ambíguo.

Eu achei Sangue Bom maravilhosa e Ti ti ti mediana. Já Anjo Mau foi ótima. E eu já escrevi sobre a estreia de Os Dez Mandamentos. Só quis esperar 3 capítulos pra poder ter uma noção melhor do todo. Apenas isso.

Sérgio Santos disse...

Pois é, Pedro, eu disse e cumpri. Mas considero um elogio mesmo pq é sinal que gostam do que escrevo e querem saber minhas opiniões. E infelizmente é um fato: o politicamente correto afetou diretamente as novelas.

Sérgio Santos disse...

Eu tb amei, Melina. E Ariclê e Beatriz faziam uma dupla boa demais msm. Fiquei chocado com o suicídio da Ariclê na época. Recusei a acreditar. Daniel e Maria divertiam e a novela foi mt boa. Glória merecia mesmo a Nice depois daquela péssima personagem em O Rei do Gado. bjs

Sérgio Santos disse...

Tb sinto mta falta de Sangue Bom, Ed! Como era boa! E Anjo Mau foi ótima. Maria Adelaide é uma grande autora e Glória deu um show. A novela foi reprisada no Viva e no VAPVDN. Quem sabe não reprisam de novo...

Sérgio Santos disse...

Mt bom seu comentário, Karina, fez boas menções aos personagens e Claudio Correa e Castro era gênio. Como faz falta... Eu achei o Kadu fraco, com exceção de algumas cenas de fúria do seu personagem. Mas o elenco era de primeira. bjão!

Sérgio Santos disse...

A original eu não vi, Elvira, mas o remake eu fui fã. Bjssss

Sérgio Santos disse...

Muitas saudades, né, Rita? bjs

Sérgio Santos disse...

Tudo indo, Kellen... =) Bjão!

Sérgio Santos disse...

Achei ele regular, anonimo.

Sérgio Santos disse...

Sem dúvida, Kauê! abçs

Sérgio Santos disse...

Foi mt boa, Gabriel. A Nice era um tipo de transbordava dubiedade. Abçsss

Anônimo disse...

Saudades! Novelão!

Sérgio Santos disse...

Saudades mesmo!

Elaine disse...

Podia reprisar novamente. Foi mt boa.