sexta-feira, 6 de março de 2015

Com trama desgastada, "Boogie Oogie" termina sem fôlego e com saldo negativo

Foram praticamente oito meses no ar. Após uma promissora e movimentada estreia, "Boogie Oogie" chegou ao fim nesta sexta-feira (06/03) com um saldo para lá de negativo. A trama de Rui Vilhena ---- autor português (nascido em Moçambique) que estreou seu primeiro folhetim no Brasil ----, dirigida por Ricardo Waddington e Gustavo Fernandez, não teve fôlego para se sustentar por tanto tempo e foi se perdendo à medida que os capítulos passavam.


Os primeiros meses empolgaram. Apesar de alguns absurdos ---- como a vingança fajuta de Suzana (Alessandra Negrini), que só contou que havia trocado os bebês vinte anos depois ----, a novela despertou interesse pelo ritmo ágil e bons ganchos. O enredo em torno de Sandra (Isis Valverde) e Vitória (Bianca Bin), que tiveram suas vidas trocadas na maternidade, conduziu muito bem o início do folhetim. Os conflitos funcionavam e movimentavam a história. A grande virada aconteceu quando as duas protagonistas descobriram o crime da amante de Fernando (Marco Ricca), o que resultou em ótimas cenas.

Entretanto, depois desta revelação, o autor passou a explorar dois temas, que dominaram todos os núcleos: o segredo de Carlota (Giulia Gam) e a identidade do pai de Vitória. Inicialmente, o mistério envolvendo o passado da vilã e o drama da patricinha atraíram a atenção. Mas não por muito tempo. A novela começou a andar em círculos, ficando repetitiva e desgastada.
Os problemas no roteiro ficaram evidentes, principalmente quando ficou claro que não havia mais subterfúgios para provocar algum tipo de movimentação na trama. Tudo passou a girar em torno de um mesmo assunto.

O famigerado segredo virou o protagonista de "Boogie Oogie" e os personagens passaram a viver em função deste enigma. O fato apenas reforçou a falta de conflitos individuais nos núcleos, incluindo até mesmo o casal protagonista ---- já que Sandra e Rafael (Marco Pigossi) ficaram sem função a partir da metade da história, sendo colocados também para investigar o mistério de Carlota. Se o autor tivesse construído boas tramas paralelas, daria tranquilamente para fazer um rodízio de conflitos, destacando cada núcleo e deixando somente para o grande final a abordagem do segredo, evitando assim o desgaste em cima da grande vilã.

Mas, além de toda esta cansativa situação, o conflito em torno do verdadeiro pai de Vitória (outro tema explorado à exaustão) se transformou em algo teoricamente inútil. Depois de meses de enrolação, foi, praticamente, comprovado que Paulo (Caco Ciocler) era o verdadeiro progenitor da patricinha e não Elísio (Daniel Dantas). No entanto, no último mês foi revelado que o marido de Diana (Maria João Bastos) era estéril. Ou seja, os dramas provenientes do resultado do exame, que demorou meses para ser feito, foram nulos.

Outro problema da história foi o não desenvolvimento de várias relações. Vicente (Francisco Cuoco) e Madalena (Betty Faria) tinham tudo para repetir o sucesso do casal de "Pecado Capital", mas o autor escreveu pouquíssimas cenas dos dois juntos. Eles mal contracenaram e ainda terminaram separados. Já a relação de cumplicidade entre Beto (Rodrigo Simas) e Vitória era um dos pontos altos do folhetim, mas a parceria foi aniquilada quando o rapaz se transformou em um capacho da Carlota. A dupla que a patricinha fazia com Dani (Alice Wegmann) funcionava da mesma forma, só que também durou pouco.

E o amor súbito que surgiu entre Inês (ótima Deborah Secco) e Tadeu (Fabrício Boliveira), depois do relacionamento insosso da aeromoça com Beto não ter funcionado, pareceu uma saída de última hora para a personagem, que nunca teve uma função na trama, a não ser ajudar nos planos de Suzana. Mais uma questão que precisa ser citada foi a falta de história do mocinho. Rafael não teve uma vida própria, uma vez que seus dramas se resumiam em ir atrás de Sandra ----- tanto para ajudá-la quanto para impedi-la de tomar alguma atitude.
Vale citar ainda a falta de destaque de ótimas atrizes, como Ana Rosa, Zezé Motta e Christiana Guinle (retirada da história sem necessidade), que não foram valorizadas como mereciam, e a figuração da boate 'Boogie Oogie', que era para ser um dos focos principais da história.

Mas, a novela também teve pontos positivos. Marco Ricca se destacou na pele do canalha Fernando, enquanto Sandra e Rafael formaram um casal protagonista com boa química. Fabíula Nascimento brilhou vivendo sua primeira vilã, a venenosa Cristina, e fez boas cenas. Bianca Bin esteve em seu melhor momento na carreira. Daniel Dantas convenceu interpretando o rígido Elísio e foi bom vê-lo com um tipo que não era bonzinho demais. Foi muito prazeroso assistir Heloísa Périssé dando vida a um tipo totalmente dramático e passivo, bem diferente dos perfis cômicos que a consagraram. Giovanna Rispoli comprovou seu talento com a irônica Cláudia e Osvaldo Mil conseguiu crescer na trama através do seu malandro Homero. Rodrigo Simas se saiu bem com o seu Beto. Giulia Gam também merece elogios, embora Carlota tenha se transformado em uma vilã exagerada demais.
E a maior qualidade do folhetim foi sua trilha sonora: o saudosismo se fez presente com tantas músicas de sucesso dos anos 70 ---- é de se lamentar, apenas, que a década não tenha sido explorada em função do enredo: Ditadura, Emancipação Feminina, Anistia e outros acontecimentos foram ignorados.

Em sua última semana, como não poderia deixar de ser, a novela seguiu voltada para o segredo de Carlota e a revelação do atropelador que eliminava quem estava próximo da descoberta do tal enigma. Mas também houve o esperado julgamento de Suzana, acusada da troca de bebês, entre outros crimes. A picareta foi condenada em regime aberto e terminou ao lado de Fernando, homem que teve a vida arruinada por ela. Já o misterioso passado da vilã foi cheio de furos, além de óbvio: Carlota ficou com as joias verdadeiras que o falecido marido tinha roubado de Carmem Miranda e deixou joias falsas no lugar. O 'tesouro' estava escondido no túmulo de Ivan e foi tirado de lá com a maior facilidade (bastou quebrar a tampa da cova e puxar o saco). O pior que é Agata (o Corvo), a grande diaba da história, ficou com bijuterias por anos e nunca percebeu. Aliás, a 'Corva' era a atropeladora (o que já estava bem evidente), mas ninguém soube. E o que aconteceu com ela? O público também ficou sem resposta.

Pedro (José Loreto inexpressivo) foi um vilão extremamente cansativo e ficou vidrado em Sandra o tempo todo. Ele a sequestrou no último capítulo, porém, não conseguiu fugir. O acerto do desfecho foi a cena em que Vitória salva Sandra, deixando a rivalidade de lado e mostrando que no fundo sempre foi uma pessoa boa. A patricinha, aliás, terminou flertando com Beto, situação que o autor poderia ter desenvolvido bem antes, ao invés de deixá-la atrás do Rafael feito sombra. Na sequência final teve o elenco dançando na boate, que deveria ter sido o principal cenário do folhetim e não foi.

"Boogie Oogie" tinha tudo para ter sido uma ótima novela; entretanto, a falta de consistência da trama, o equívoco no desenvolvimento dos núcleos e a enrolação em torno de um segredo (que na verdade era uma grande obviedade) prejudicaram a obra de Rui Vilhena, que ---- além de desprezada pela crítica ---- amarga a pior média geral do horário das seis. O início da trama ambientada na década de 70 foi promissor, mas o enredo, lamentavelmente, não se sustentou. Resta torcer para que em seu próximo trabalho o autor consiga evitar estas falhas, deixando sua história melhor entrelaçada e com mais conflitos para serem explorados.

82 comentários:

Olímpia Menezes disse...

Parabéns pela crítica. Estava curiosa pra ler. Completa como sempre. Essa novela foi uma das mais fracas do horário e nem parecia da Globo. Se não fosse pelo elenco, eu juro que pensava se tratar de uma novela da Record ou do SBT. Furos, repetições, personagens exagerados, situações forçadas, nossa, foram muitas coisas ruins nessa produção. Um supervisor era vital para o autor. Concordo com vc, teve pontos positivos, como esses citados, mas foram poucas em comparação ao que foi isso. E eu lembro que vc elogiou bastante quando essa novela estreou. Mas já foi tarde!

Anônimo disse...

Nunca vi um último capítulo tão horroroso. Até eu escrevia melhor! E se prepare pq daqui a pouco virá aquela Thallys dando seus ataques e reclamando pq vc não achou essa novela ruim um primor.

Ana Carolina disse...

Ainda bem que acabou pq foi uma novela mt fraca. Concordo com cada vírgula que vc colocou no texto. Tb concordo até com os elogios que fez. Mas o último capítulo conseguiu ser pior que a reta final. Só Vitória salvando Sandra foi bom, o resto...

Anônimo disse...

Faltou de novo vc falar do texto fraco dessa novela. Vc é amigo do autor pra protegê-lo assim?

William O. disse...

Kogut deu zero hoje falando da trama fraquíssima e todos os críticos que conheço detestaram. A novela foi um fracasso mas poderia ao menos ser boa já que isso independe de audiência, mas não foi. Tinha tudo pra ser um novelão mas o autor se perdeu na própria novela que escreveu. Nunca vi tanto ero primário. Se tivesse colaboradores dificilmente tanta coisa passaria. O que houve com a Corva? O segredo foi ridículo. Também achei tosco demais ela romper a cova e pegar os diamantes facilmente. E pq ela só fez isso agora? Não podia ter feito antes? Qual o sentido? Nossa, ruim demais. Me senti um trouxa.

Fernanda disse...

Ah, finalmente! rs Estava no aguardo. Pra variar, impecável. Apontou todas as falhas que não foram poucas, por isso ficou tão grande. Enrolaram tanto pra esse segredo e no final foi uma bobagem sem o menor nexo. E colocar Carmen Miranda na história só deixou tudo mais ridículo. Suzana ficar com o Fernando teve sentido NENHUM. E a Corva é a atropeladora mas ninguém soube, E DAÍ? E o que houve com ela? Ela sabia que as joias eram falsas? Pq uma bandida feito ela não saber não tem nexo algum. Nem pra salvar a Sandra aquele banana do Rafael serve. Pelo menos foi a Vitoria e concordo que foi a única coisa boa desse final. Mas ela com o Beto? OI? Nunca sentiram nada e no finam tiveram tesão. Patético. Vicente ficou com aquela mulher que só chorou a novela toda e a Madalena nada? Ainda bem que Regina Duarte e Lima Duarte recusaram esses personagens que eram pra eles inicialmente. Fizeram muito bem. Enfim, sua crítica ficou tão completa que qualquer coisa que eu escrever soará como repetição e de repetição já basta essa novela. Que venha Sete Vidas! O horário tá precisando!

Alessandra disse...

Fiquei tão irritada com o que o autor fez com a Vitória. Deixou a menina obcecada pelo Rafael a novela toda, fora aquele segredo de merda, e só juntou com Beto na última cena. Custava desenvolver uma trama pra ela? Pq aquela dopai foi idiota já que como você bem disse não serviu pra nada no final das contas. Bianca foi boicotada pra favorecer a Isis Valverde. E a novela foi uma das piores do horário. A última desse nível foi Negócio da China!

Yasmin disse...

Assim como vc, Sérgio, gostei da novela no começo mas depois ela começou a se perder até ficar impossível de ser acompanhada. Não dava mais pra ouvir segredo de Carlota e nem o looping dessa trama que irritava até o mais passivo dos telespectadores. Acabou tarde e nem deveria ter sido esticada. Pioraram o que já estava ruim. Nem vou comentar sobre a revelação do segredo pq meus colegas já reclamaram por mim. GRAÇAS A DEUS ACABOU!

Anônimo disse...

Tô nem aí pra Carlota, quero saber o que aconteceu com o Corvo. Todo mundo soube que ela era a bandida, e aí? Ela fugiu, ela foi presa, continuou tudo igual? O autor ESQUECEU do segredo que ele tanto propagava?

Flávia disse...

Zamenza sendo Zamenza não poderia deixar de falar do Beto, claro! Sei que você queria mais destaque para o personagem, mas o flerte de Beto e Vitoria foi bizarro no último capítulo tanto quanto seria bizarro qualquer desenvolvimento de historia entre os dois antes, como você sugeriu... duas pessoas que sempre se viram como IRMÃOS se interessarem uma pela outra só porque descobriram que não tem laços sanguíneos? Forçado demais

Thallys Bruno Almeida disse...

Discordo em partes. Foi uma novela que teve seus problemas, mas não concordo que tenha terminado com saldo tão negativo assim.

Boogie foi uma trama que, a meu ver, devolveu o prazer de uma história sem frescuras, que me cativasse logo de cara, que mesmo com os problemas que apresentou como a perda de fôlego de janeiro pra cá, me cativou do início ao fim, ainda que alguns capítulos me desanimassem.

Sim, desanimou o segredo de Carlota. Mas, perto de coisas constrangedoras como o segredo de Gerson e o segredo de Naomi, até que passa. Na verdade, ele me desanimou mais pelo arrasto na trama do que pelo segredo em si.

O relacionamento de Inês e Tadeu durou pouco, mas foi bonito e honesto, eu vi bastante verdade entre os dois. Lamentei a saída antecipada de Deborah Secco por causa da preguiça da Globo em buscar uma atriz com imagem mais livre para a nova novela das 23h. A mesma preguiça que inseriu o Alexandre Nero de Império pra Favela Chique.

As duas últimas semanas, faço questão de dizer, me animaram muito mais do que a cansativa reta final de Império. A caçada ao corvo eu gostei bastante, me chamou mais atenção do que o segredo da Carlota. Gostei do final de Fernando e Suzana, afinal um nunca se esqueceu do outro, achei coerente que ficassem juntos.

Isis Valverde confirmou sua maturidade cênica, mostrando-se cada vez mais uma das melhores de sua geração, e me devolveu o prazer de torcer por uma mocinha. Marco Pigossi, apesar do Rafael não ter "acontecido", foi muito bem. Bianca Bin viveu seu melhor momento e sua evolução impressiona. Giulia Gam, Deborah Secco, Betty Faria, Alessandra Negrini, Osvaldo Mil, Marco Ricca, Giovanna Rispoli, Daniel Dantas, Fabiula Nascimento, Heloísa Perissé, tantos brilharam. Até Bruno Garcia melhorou. Só lamento o pouco espaço de Alice Wegmann, Zezé Motta e Ana Rosa (apesar de ela ter sofrido desrespeitos maiores em Fina Estampa).

Sobre as críticas da imprensa especializada e a pior média de audiência da história, isso pra mim não tem importância nenhuma. Audiência nunca interferiu na qualidade da história. Haja visto desastres comprovados como Fina Estampa (39) que tiveram médias altas. Se nem na impecável Lado a Lado a audiência baixa interferiu, não vai ser em Boogie que vai conseguir isso.

Sendo assim, acho sim que Boogie Oogie foi, pra mim, uma boa novela. Não foi nem de longe impecável, mas pra mim, passou longe de ser uma bomba descartável. Considero-a bastante superior às quatro últimas novelas da faixa das 9 e a algumas outras de outros horários, cheias de pretensões, que falharam miseravelmente. Podia ter sido mais curta? Podia. O autor podia cuidar mais em investir em outras histórias pra torná-la ainda mais atrativa? Podia. Porém, pesando prós e contras, para mim o seu saldo é positivo e foi uma novela que me agradou, assim como Joia Rara.

Dito isto, boa sorte a Licia Manzo, equipe e elenco com suas Sete Vidas.

Gabriella disse...

Muito ruim essa novela. Tanto que só teve 3 assuntos: segredo, troca de bebê e paternidade da Vitória. Trama rasa e desenvolvida nas coxas. Esse autor precisa aprender muito ainda.

Vinícius disse...

Perfeita crítica. E pensar que Meu Pedacinho de Chão, tão linda, foi substituída por esse troço. E quem compara Lado a Lado com Boogie Oogie não entende nada de teledramaturgia. Dá pena. O último capítulo foi cheio de falhas e parecia uma paródia de novela do Tá no Ar. Deu vergonha ver aquilo. O autor deveria rever seus conceitos de folhetim.

Daniele H. disse...

Não sei o que me assusta mais: essa novela ter sido aprovada pela Globo pra ir ao ar ou quem gostou. Perfeita sua crítica. De todas que eu li, essa foi a melhor. Apontou tudinho que não funcionou e soube também reconhecer o que deu certo. E assim que tem que ser. E o último capítulo foi uma forçação de barra tão grande que, sendo honesta, acabou sendo digno com tudo o que essa história representou: uma bobagem. E tenho dito. Que venha a Lícia Manzo pra engrandecer essa horário que estava lindo com Meu Pedacinho de Chão e foi destruído por essa Boogie Oogie. Beijo.

Anônimo disse...

Já foi tarde. E pra mim nunca foi boa. A próxima sim promete.

OX disse...

Sérgio, vc sabe que eu achei essa novela péssima desde o começo. Nunca me enganei com a trama porque vi que o autor não tinha a menor condição de sustentá-la. E não teve mesmo. Fiz bem em não ter acompanhado e só dei uma olhada no último capítulo. Fiquei bem constrangido com as cenas que eu vi e lamento pelos atores envolvidos nesse pastiche. Soluções mal feitas, desfechos soltos e furos pra dar e vender. Mereceu o fracasso que teve. Abraço!

Anônimo disse...

No outro post você respondeu sobre o afastamento do repórter da globo que foi ver a chegada da Xuxa na Record e concordou com isso. Você e mais uns dois ou três em mais de cem comentários na pagina da UOL onde li a noticia. A grande maioria chamando a globo de "autoritária", "retrógada", etc. O tal fã não alegou problema de saúde(não sei onde você viu isso), ele simplesmente pediu uma folga alegando motivos pessoais e viajou pra ver a chegada de Xuxa já que foi convidado pela própria Record já que é conhecido nas redes sociais por ter um fã-clube dela, assim como outros também foram. Você sabe que a globo não deixa sequer citar o nome da Record ou qualquer outra emissora lá dentro, alias, já houve o caso também da globo proibir os apresentadores de darem parabéns no ar pra artistas das concorrentes, como aconteceu no aniversario da Ana Hickman com a Ana Maria Braga. RIDICULO!

Gustavo Nogueira disse...

Concordo totalmente com a sua crítica Sérgio e assino embaixo.Boogie Oogie começou muito bem, repleta de agilidade e o saudosismo da década de 70 e a partir da ótima reviravolta da descoberta da troca dos bebês, a trama passou a focar exclusivamente no segredo da Carlota(bem tosco e decepcionante por sinal) e a paternidade da Vitória e acabou se perdendo e andando em círculos.Boogie Oogie entrou para a lista das produções mais fracas da Globo, tendo apenas como mérito o ótimo elenco que brilhou intensamente(com exceção do José Loreto e Bruno Leone) e o ótimo ritmo até a metade.Giulia Gam, Bianca Bin, Isis Valverde, Betty Faria, Oswaldo Mil, Marco Ricca, Fabíula Nascimento, Heloísa Perissé, Daniel Dantas, Giovanna Rispolli, Marco Pigossi, e Alessandra Negrini brilharam.O último capítulo eu assisti e achei bem fraco, tirando alguns poucos bons momentos- como a cena em que a Vitória salva a Sandra e o Rafael fica aliviado(Bianca Bin, Isis Valverde e Marco Pigossi brilharam nessa sequência), mostrando que no fundo é uma boa pessoa, e a cena em que foi insinuado um possível romance entre Beto e Vitória no futuro(Rodrigo Simas e Bianca Bin combinam, bem que poderiam fazer um casal em alguma outra novela), que poderia ter rendido muito mais e ter sido uma linda história de amor caso a Vitória não ficasse o tempo todo obcecada pelo Rafael e ficando a novela inteira tentando reconquistá-lo em vão, como você disse foi mais uma ótima história jogada no lixo.Susana e Fernando terem ficado juntos no final e todo mundo aceitando foi forçado demais.Marco Pigossi teve seu talento desperdiçado com um mocinho insosso e sem história alguma.Outros atores desperdiçados foram Ana Rosa, Zezé Motta, Cacá Amaral, Francisco Cuoco, Sandra Corveloni e Alice Wegman.E que venha Sete Vidas para dar qualidade ao horário das 6!

Anônimo disse...

Eu sempre soube que o segredo da Carlota seria uma bobagem, Sérgio. Isso por que todo personagem que tem segredo sempre é uma besteira, vide o Gerson de Passione e a Naomi de Morde & Assopra com aqueles segredos ridículos. A sensação que eu fiquei quando revelaram o sgredo foi: Era isso o segredo? Zzzz
Mas eu gostei de Boogie Oogie. Aliás, gostava mais dela do que gosto de Império. A novela no início era 1000 vezes melhor, mas quando ela começou a ficar ruim acho que eu já tinha me afeiçoado a ela rs. Vitória era pra ter sido A personagem, mas virou uma cópia da Megan de Flopação Brasil que só servia pra correr atrás do mocinho mesmo sabendo que não tinha chance nenhuma. Rafael era um sem história. Pedro um vilão exagerado. Achei a cena final da Carlota uma mexicanização sem limites, ela andando com uma picareta no cemitério. E no fim a Ágata fugiu sem ninguém descobrir que ela era a atropeladora? Que foi ela que matou a Cristina? Aliás, tava bem óbvio que era ela. Eu amava a Susana e queria que ela ficasse com o Fernando, mas todo mundo ter aceitado eles foi forçado demais. E o que foi aquele flerte da Vitória com o Beto? Tá certo que eles descobriram que não eram irmãos, mas eles sempre se trataram assim e de repente iam sentir atração um pelo outro? Achei forçado e ridículo. Percebeu que a Solange da Priscila Fantin usava sempre a mesma camisa azul? Mas no último capítulo ela tava com uma diferente. E se ferrou. Gostei do par Elísio e Beatriz. Mas aquela história da paternidade do pai da Vitória era chata demais. E o Paulo nem era o pai dela e nem ficou com a Beatriz, então o personagem dele foi só enrolação também. Achei o último capítulo fraco demais. De bom mesmo só a Vitória salvando a Sandra, o resto era bem óbvio. Pra mim o capítulo de segunda feira, com o Corvo sendo desmascarado, foi mil vezes melhor. A novela pode ter sido ruim, mas eu gostava muito. Agora estou ansioso por 7 vidas. Que seja ao estilo de A Vida da gente e não de Em Família. Hoje em dia mesmo sendo de bons autores tenho medo quando uma novela estreia e eu deposito esperanças demais nela...
Ed

Anônimo disse...

Aff, esse zamenza é muito chato hein, concordo que a novela se perdeu nos últimos meses mas voce acha que a Globo permitiria que dois irmaos (eu sei que nao sao irmaos), Beto e Vitoria, criados juntos se envolvessem na novela em pleno horario das 18:00? a Globo com certeza vetaria e olha que ela ja vetou o romance de enteado e madrasta em outra novela das seis, as vezes noto que vc nao sabe raciociniar e se deixa levar muito facil pelas emoçoes? Bom pra alguem q curte BBB e fica endeusando demais essa rapaziada de malhaçao como o rodrigo simas e a juliana paiva, so falta querer que os dois protagonizem uma novela no horario nobre, aff.

Karina disse...

Oi Sergio! Ótima critica =) Boogie Oogie deveria ter sido uma novela das 23hrs já disse isso aqui. Realmente a novela começou incrivel e foi cansando mas como Rui é "cria" de Aguinaldo Silva não duvido que na proxima ele venha com um novelão por ai! Quanto ao elenco Isis Valverde esteve maravilhosa da primeira a ultima cena, Deborah Secco (que eu adoro) mandou muito bem apesar do pouco destaque, Alessandra fez o que pode com uma "vilã" sem sentido, Marco Ricca precisa pegar um personagem bonzinho enquanto o Pigossi precisa pegar um vilãozão pra tirar esse estigma de "mocinho chato" talento pra isso ele tem de sobra! Rodrigo esteve maravilhoso assim como Giovanna Rispolli, Daniel e Fabiula mas pra mim os maiores destaques foram Bianca Bin , Heloisa Perisse e Guiulia Gam que levou essa novela nas costas! Caco Ciocler e Ana Rosa foram mal aproveitados enquanto Zé Loreto foi de uma canastrice sem tamanho, espero que melhore na proxima novela! Que venha sete vidas, to anciosa!

Anônimo disse...

Uma das novelas mais bizarras que eu já vi. Que final tosco e forçado e que novela rasa. Merecia ter dado uns 3 de ibope. Até que deu muito.

Anônimo disse...

Se o autor tivesse colocado Beto com Vitória não teria Sandra e Rafael pra encher o saco. Eles seriam o melhor casal da novela. Mas o autor jogou a trama fora, assim como todas as tramas que essa novela poderia ter. Foi um grande fiasco. E teve gente que disse que Beto com a Inês tinham mais química que Bruno e Fatinha. HAHAHAHAHA O casal foi um fracasso assim como a novela toda. Mas se fosse com a Vitória, tudo seria diferente. (Nanda)

Flávia disse...

Essa novela finalmente acabou, Serginho? É TETRA!!!!!! É TETRA!!!!!! kkkkkkkk Nem falarei nada porque larguei essa coisa logo no começo porque vi que seria uma bela porcaria de novela. Por todas as críticas que li e pelos comentários, noto que fiz muito bem. Que venha Sete Vidas!

Kauê disse...

Concordo com toda a sua crítica Sérgio. Nem vou me estender muito até pq não tem mais o que acrescentar. Esse último capítulo parecia um capitulo qualquer, a única coisa boa foi a Vitoria salvando a Sandra. No fim das contas o segredo de Carlota foi de uma babaquice sem tamanho e um monte de persangens sem desfecho foi ridículo. Concordo com os pontos positivos o elenco citado realmente foi mt bom, só foi uma pena mesmo alguns atores não terem o destaque merecido como é o caso da Zezé Motta que foi apenas figurante de luxo e passou despercebida. A ótima Ana Rosa que é a atriz que mais tem novelas em seu currículo não tem recebido o devido valor. Espero que o autor aprenda com os erros, pq essa foi difícil de engolir.

JrGiam disse...

Tenho uma opinião igual a do Thallys sobre Boogie Oogie. A novela esteve longe de ser impecável e já é a terceira seguida que não emplaca no horário das 6, mas não pode ser considerada ruim. Pra falar dela sem ser injusto, melhor classificá-la com três novelas em uma: a primeira acontece do primeiro capítulo até a metade, a segunda(e mais chata) dali em diante e a terceira ocupou mais ou menos as duas últimas semanas do enredo. Na primeira, o avião do Rafael caiu matando o Alex logo no início, e no mesmo dia, o público ficou sabendo que Vitória e Sandra foram trocadas na maternidade no dia em que nasceram. Dali em diante, a história foi sendo descoberta por todos os personagens, enquanto a disputa das duas protagonistas pelo amor do mocinho foi acontecendo, até chegar aos ouvidos delas. Depois disso, ambas tentavam, cada uma á sua maneira, se aproximar de suas famílias de origem. Famílias essas que possuíam segredos que iam além da troca dos bebês. Pra acrescentar ainda mais mistério á trama, Carlota(que aos poucos se tornou a grande vilã) sumiu sem deixar pistas, em meio a boatos(desmentidos) de que a Giulia Gam teria sido afastada temporariamente após se desentender com o diretor Ricardo Waddington nos bastidores. O capítulo no qual a vilã retornou, acabando com o noivado dos mocinhos, Sandra e Rafael, na mansão dos Fraga, foi ótimo e proporcionou a segunda grande virada na novela. Mas a partir daí, a história passou a andar a passos mais lentos.

Juntar Sandra e Rafael em definitivo já naquele momento foi o primeiro erro. Sempre que o casal principal fica junto logo no meio da novela(ou até antes) a tendência natural é que eles percam espaço e função no enredo, já que as possibilidades de conflito se esgotam(Paloma e Bruno de "Amor á Vida" e Amélia e Franz de "Jóia Rara" foram os exemplos mais recentes). E o casal principal de Boogie Oogie não escapou dessa "sina". Os dois antagonistas, Vitória e Pedro, deveriam ser a pedra no sapato dos mocinhos, mas agiram muito pouco. E esse pouco não acrescentou nada á trama. A ida da Sandra para a mansão dos Fraga e seu envolvimento com o "segredo de Carlota" até chegou a provocar uma pequena crise na relação com Rafael, porque ele não aceitava essa situação. Mas não demorou muito e ele passou a ajudá-la na investigação desse "segredo". E, aos poucos, toda a história se voltou pra esse assunto. Era como se só faltasse isso pra ser resolvido. Ficou bastante cansativo.

Faltando duas semanas pro fim da história, Carlota finalmente revelou uma parte do tal segredo(ela e o falecido marido haviam roubado uma coleção de jóias feitas com exclusividade pra Carmem Miranda). Essa história já havia sido advinhada anteriormente por outros personagens e não empolgou, mas quando a vilã contou isso tudo e deixou a mansão, Boogie Oogie praticamente virou uma nova novela. Ainda faltava uma parte do segredo pra ser esclarecida, só que ninguém na novela sabia disso, portanto a importância dele diminuiu e outras tramas e desdobramentos tomaram conta da novela, que já apresentava fôlego pra um desfecho interessante. Aliás, o último capítulo foi ótimo, pois subverteu vários clichês. A cena em que Vitória salva a vida de Sandra foi a mais emocionante! E a penúltima cena, com Carlota fugindo com resto das jóias, que estavam enterradas no túmulo do Ivan, e dizendo "Que se dane o amor!" foi emblemática, lembrando o destino de megeras como Bia Falcão(Belíssima) e Clara(Passione), que também terminaram impunes das maldades que cometeram. Se Boogie Oogie vai deixar saudades, só o tempo dirá. Mas a trama de Rui Vilhena, mesmo tendo perdido fôlego, cumpriu sua missão no horário das 18h, divertindo e emocionando o público.

Anônimo disse...

Vou te imitar, Sérgio.

Meu Pedacinho de Chão 100000 X 0 Boogie Oogie. FIM

Anônimo disse...

Concordo sobre a crítica. O casal protagonista foi muito lindo, mas a trama como um todo foi fraca. Lamentei que a boa personagem Vitória tenha sido mal aproveitada. Tosco o flerte de Vitória e Beto. Eles sempre tiveram uma relação de irmãos, mesmo não tendo o mesmo sangue.

Maíra disse...

O ultimo capitulo me fez lembrar Sangue Bom (Ah, saudade!), iniciou revelando quem era o personagem misterioso que era mistério na trama e depois seguiu como no primeiro capitulo, quando eu assistia me remetia a novela das sete,rs.
Mas concordo com você as tramas se esvaziaram e eu sempre achei que faltava um melhor desenvolvimento pra Sandra e pro Rafael principalmente que não tinha uma trama própria, no incio até teve, mas depois que se acertou com a Sandra, praticamente ficou a sombra dela, que também ficou sem muita função depois de resolver sua troca na maternidade e se acertar com o Rafa. Isis e Marco foram ótimos, porque eles são ótmos atores, mas os personagens são serão marcantes na suas carreiras.
Acho que o elenco era muito bom, fez muito bem seus personagens, mas nenhum que tenha sido marcante, em minha opinião a novela so valeu a pena para Bianca Bin e Heloisa Perisse, essas sim além de estarem ótimas, brilharam e fizeram de suas personagens algo que marcará em suas carreiras.

Ah! E também concordo com o pessoal sobre um possivel relacionamento amoroso entre Beto e Vitória ser ridiculo. Eles sempre foram irmãos, ainda que de sangue não seja, não teria cabimento se apaixonarem.

Lucas disse...

Olá Sérgio

Boogie Oogie para mim foi uma novela meio paradoxal. Teve um inicio ótimo, com acidente aéreo de tirar o folego. Até a metade, anovela manteve um ritmo muito bom e a trama fluía bem. Mas depois do noivado de Sandra e Rafael, realmente a novela desandou. Não lembrava em nada o novelão que se desenhou no inicio. Tudo ficou girando em torno desse famigerado segredo da Carlota e a tram se perdeu por completo. Mas em sua reta final, com a revelação boba do segredo da Carlota, a novela pareceu que pegou folego e terminou de maneira digna. Aliás a sequência do avião no último capítulo foi espetacular e emocionante. Marco Pigossi brilhou absoluto nessa sequência. Isis e Bianca foram ótimas tb. Boogie Oogie não foi espetacular, mas me divertiu e me fez conhecer uam época que não pude viver. Com relação as atuações, Isis Valverde e Marco Pigossi fizeram um belo casal protagonista, cheio de química e sintoinia. Concordo que eles perderam função e o mocinho na tinha trama própria. Alás, tá na hora de Pigossi pegar um personagem bom porque Bento e Rafael foram péssimos personagens. Bianca Bin brilhou muito com a sua Vitória. Ela deu o tom certo a personagem e fez da Vitória o melhor papel de sua carreira. Essa menina vem evoluindo muito como atriz. Vale destacar as atuações de Fabiula Nascimento, Heloísa Perisée, Alessandra Negrini, Marco Ricca, Daniel Dantas, Giulia Gam. O ponto negativo nas atuações foram José Loreto, Brenno Leone e Rodrigo Simas (desculpe quem gosta dele, mas não o acho nada demais). Tb concordo que não tinha nada ver esse envolvimento entre Vitória e Beto. Eles foram irmãos a novela toda e não faria sentido nenhum. Bom, resumindo: Boogie Oogie foi uma novela mediana, mas que me divertiu em boa parte do tempo.

Bom é isso
Abraços amigo

Anônimo disse...

Gostei de Beto e Vitoria juntos...daria uma linda historia se o autor tivesse aproveitado.. Eles so foram criados juntos, não era irmão de sangue.. Na cena q o Beto devolver a grana ele fala q sempre sentiu q não fazia parti da família... Varias novelas ja teve historia assim.. Descobriam q não era irmãos e acabavam se apaixonando... ou foi criados juntos como irmão... A vida da gente novela das 6 teve Ana e rodrigo..foram criados como irmãos.. a familia foi contra a relaçao... a proxima das 6 eles vao achar q a sao irmãos nao vao conseguir segurar a paixao.. e muitas outras novelas ja abordou esse tema... o q eu nao concordo de irmãos de sangue se envolverem q nem aconteceu na minisserie os maias e na novela viver a vida luciana beijou o irmão sem sabe q era irmão.. Agora se não são irmãos de sangue dá pra escrever um lindo romance.. Nao achei forçado o final de Beto e Vitória nao... eles se apaixonaram viram q nao tinha nada demais ficarem juntos, nao tinha nada q impedia.. A paixão deles veio no momento certo, quando vitória desistiu de vez do rafael e quando Beto não tinha mais ninguem na vida dele.. E na real nenhum irmão trata daquele jeito q Beto trava Vitoria nao... Ser criados juntos, não impedi de surgir um grande amor nao... Ninguem impediu de Dani e Rodrigo ficarem juntos e são primos de primeiro grau, biologicamente isso não pode pq os filhos podem nascer com problemas.. Agora beto e vitoria podem se envolverem ...Essas coisas de sentimento não tem como explicar, ainda mais quando nao tem nada impedindo.. Um dia aquela pessoa é seu melhor amigos, trata como se fosse irmão, no outro dia a chama da paixao cresce e aquela pessoa se torna o homem da sua vida.. Algumas pessoas ta sendo do contra so pq foram criados juntos, se trava como irmão.. mais sentimento muda com tempo... Agora nao vi ninguem sendo do conta no caso da Dani e Rodrigo q corre o mesmo sangue na veia.. sao primos de primeio grau.. isso eu sou do contra quando tem laço de sangue envolvido..

dani disse...

não sei se vc lembra mas o Elisio não foi o primeiro personagem diferente dos bonzinhos que o daniel dantas fez. Ele interpretou o vilão do remake de Ciranda de Pedra e foi muito bem.

F Silva disse...

Algo a comentar...

Gostaria de pontuar apenas sobre alguns tópicos do post. dos quais discordo.

Rodrigo Simas soube diferenciar seu playboy dos outros personagens que fez, porém Beto era um mero coadjuvante que esteve apagado durante boa parte da trama. Com as mudanças no perfil do personagem ele teve a chance de se destacar.

O perfil do velho ranzinza interpretado por Chico Cuoco não combinava em nada com o da divertida Madalena de Betty Faria. A homenagem ao casal poderia ser por um outro viés.

A Inês de Débora Secco tinha a missão de coadjuvar Alessandra Negrine, portanto tinha sua função na trama.

O Rafael de Marco Pigossi teve vida própria. Ele foi noivo de Vitória, ficou traumatizado com o acidente que matou Alex e pensou abandonar a carreira. Se apaixonou por Sandra, superou seus medos e enfrentou obstáculos para viver seu grande amor. Marco Pigossi esteve ótimo.

A trama da enfermeira Márcia está coerente com a história que autor se propôs a contar. O mesmo pode-se dizer de Laura Cardoso, Joana Fomm, Pepita Rodrigues, entre outros. São as chamadas participações especiais.

O que eu achei sem necessidade foi a saída da Débora Secco e da Fabíula Nascimento, para participarem de outras novelas em andamento. Os diretores da Globo possuem um ótimo cast a disposição, não precisam desfalcar elenco de produções no ar.

Não achei a Carlota uma grande vilã. Era apenas uma mulher arrogante, autoritária e que guardava um grande segredo. Todos os atropelamentos eram causados pela pérfida delegada Ágata( o corvo). Mas Giulia Gamm esteve perfeita.

Já a Vitória da Bianca Bin, foi a personagem que movimentou mais a história. Foi ela quem, por longos capítulos infernizou a vida da Carlota, trazendo a tona o seu famigerado segredo. Hora tinha ares de vilã, hora de mocinha. Tumultuou o romance de Rafael e Sandra. Gerou grandes conflitos na trama que envolveu Beatriz, Helísio e Paulo. Bons momentos na relação com o Beto e Daniele e com os irmãos Otávio e Cláudia. Também foi a responsável por desmascarar o corvo na reta final. Foi a personagem que mais se movimentou pelos núcleos da trama. Eu entregaria a Bianca Bin o prêmio de melhor atriz de Boogie Oogie. Como ela trabalhou!

A novela enfrentou a baixa audiência que assola a tv aberta nos últimos anos. As últimas novelas das seis penam para alcançar 20 pontos de média. E olha que são produções caprichadas.

Pra mim terminou com saldo positivo. Apesar de todas as falhas muito bem descritas no post, Boogie Oogie não passou despercebida e foi uma boa opção pra se divertir a seis da tarde.

Um grande abraço...

Marília disse...

Além de todos os pontos muito bem colocados nesse texto, eu acrescento o pior: o segredo da Carlota foi ridículo, mas o mais absurdo de tudo é que NINGUÉM ficou sabendo, só aquela amiga chata. Aliás, NINGUÉM ficou sabendo que o Corvo era o atropelador. NINGUÉM FOI PUNIDO. OK, a realidade brasileira não ajuda, mas custava punir ao menos um vilão? Sandra e Rafael passaram a novela INTEIRA planejando casamento e no final não se casam? Uma novela cheia de clichê tosco como essa foi jogar fora justamente o clichê vital em todo folhetim? RIDÍCULO! JÁ FOI TARDE!

Anônimo disse...

Eu juro que não entendo esse povo. Pelo que li nos comentários a novela era péssima, chata... e mesmo assim assistiam porque dão detalhes, nomes, conhecem a fundo a novela inteira. Gente, vão namorar, passear, viajar, trabalhar, estudar, qualquer coisa quando uma novela ou programa não agradar. Há tanta vida lá fora(sem smartphone), rsrs... E se não quiserem fazer nada disso pelo menos troquem de canal um pouquinho, não tem só a globo não, pessoas lindas!!!

Anônimo disse...

Concordo com vc Zamenza. E sobre Beto e Vitória. Os dois sabem que não são irmãos, sempre tiveram um relacionamento bastante aberto, sincero, um capaz de apoiar o outro quando precisava (sempre achei, desde o começo a relação estranha deles e ficou mais estranha ainda depois q descobriram q não são irmãos...só comparar os outros irmãos na novela, irmão q é irmão sempre tem implicância, briguinha, disputa pela atenção dos pais...). O Rui foi dando sinais na metade p final da novela, ele so não podia colocar diretamente Beto e Vitoria como Casal, primeiro pq a próxima novela das 6 vai abordar esse tema e segundo iria tirar o foco do casal principal, dai ele decidiu deixa no ar como se o beto sentisse interesse pela vitória a mais tempo e a vitoria correndo atras do rafa q nem uma louca, so foi ela para de correr atras do rafa q o beto decidiu investir nela. Pena q o autor não juntou eles antes seria o melhor par da novela.

juliana s disse...

Parabéns Sérgio, seu texto está perfeito.
Boogue oogue, parecia que ia ser boa, só que infelizmente deixou muito a desejar. A trama só falava do maldito segredo de Carlota. E não tinha nenhuma subtrama para da uma aliviada.
Achei que eles deveriam ter explorado o casal Vicente e Madalena, seria bem divertido.
No final, como dizem por ai, a corda arrebentou pro lado mais fraco. O Homero se ferrou, foi da uma de esperto, acabou levando a culpa dos crimes do corvo.
Enfim Boogue oogue, não vai deixar saudade, só estava assistindo por que não tinha nada melhor para fazer. Espero que "Sete Vidas" arrase, nos emocione, nos divirta e que seja um sucesso. Bjsss

Raquel disse...

Fala Sérgio!

Ainda não tive tempo de assistir o último capítulo, mas acho que dificilmente traria algo de diferente para um trama que vem se arrastando a meses. O segredo de Carlota foi uma piada? Mas é claro que foi! Nenhum autor é capaz de tramar um mistério mais interessante do que aqueles que a gente próprio imagina... A coisa acaba ficando boba mesmo; acho que se o autor tivesse revelado antes esse segredo e investido de repente numa fuga da Carlota e uma caçada policial seria mais interessante. Depois, vamo combiná que roubar jóias é bem menos pior do que certas coisas que várias outras pessoas fizeram nessa novela, inclusive a própria Carlota... Aliás, alguém sabe como a Vitória encafifou com o segredo da Carlota? Por que ela começou a achar que a mãe escondia alguma coisa?

Bom, não vi o capítulo e não sei se ficou legal mesmo ou não, mas achei interessante essa história de Beto e Vitória se aproximarem romanticamente. Tá certo que se eles sempre se viram como irmãos a novela toda, e do nada assim se sentirem atraídos um pelo outro ficaria estranho (estou imaginando que esse foi o caso). Mas sempre achei linda a relação de parceria que os dois tinham e Beto sempre foi o único carinha da novela que realmente se importava com Vitória. Se tivessem desenvolvido isso antes e fosse bem-feito, poderia ter sido uma história super-legal. Resolveria meu problema de shipper com essa novela que eu nunca consegui ter um. :P

Sérgio Santos disse...

Obrigado, Olimpia. Pois é, eu elogiei mt no começo mesmo, apesar da novela ter sido duramente criticada logo de início. Mas no começo eu discordava das pedradas, só que depois fui começando a concordar, até que ela se perdeu completamente.

Sérgio Santos disse...

Ele já tinha dado antes, anônimo.

Sérgio Santos disse...

Tb só achei a cena da Vitória com a Sandra boa, Ana. O resto foi brabo...

Sérgio Santos disse...

Proteger, anônimo? Eu critiquei bastante a novela mas não citei o texto pq dificilmente critico texto, cada autor tem o seu. O texto era fraco msm, mas se a trama fosse boa e os personagens com bons conflitos, não veria problema.

Sérgio Santos disse...

A crítica massacrou a novela, William. E é verdade, apesar de fracassada, ela poderia ter sido ao menos boa, pq isso independe de números. Mas não foi msm. O segredo foi ridículo e cheio de furos, o final ficou mt forçado msm .

Sérgio Santos disse...

Que bom que gostou, Fernanda. Pois é, ninguém soube que a Corva era a atropeladora e ela não ter descoberto que as tais joias eram falsas foi um despautério. A vilã mais imbecil que vi. Beto e Vitória sentirem um súbito interesse ficou sem sentido msm ,mas eu sempre apoiei essa relação pq se fosse feita de forma densa, seria o par mais interessante da trama. Mas não foi feito e o final ficou tosco. Sete Vidas está linda. bj

Sérgio Santos disse...

Alessandra, concordo plenamente, só discordo que Bianca tenha sido boicotada pra favorecer Isis.

Sérgio Santos disse...

Pois é, Yasmin, começou tão boa, mas depois se perdeu tanto... Aquele mimimi de segredo tirou a paciência de qlq um.

Sérgio Santos disse...

Pois é, anônimo, por mais incrível que possa parecer, ele esqueceu disso.

Sérgio Santos disse...

Flávia, eu não queria mais destaque não, ele era coadjuvante e pronto. Só acho que foi mal desenvolvido. E não acho que se tivessem mostrado o sentimento surgindo aos poucos ficaria forçado. Forçado ficou da forma feita, do nada , no último capítulo.

Sérgio Santos disse...

Concordo, Gabriella.

Sérgio Santos disse...

Vinícius, realmente não há como comparar Lado a Lado com Boogie Oogie. Em nada. E Meu Pedacinho de Chão foi realmente linda e merecidamente aclamada.

Sérgio Santos disse...

Mt obrigado, Daniele.

Sérgio Santos disse...

Entendo, an\onimo.

Sérgio Santos disse...

Lembro sim, OX. Abçs

Sérgio Santos disse...

Anônimo, meu filho, que seja, pediu folga pra prestigiar uma atração da concorrência. Isso em uma empresa daria demissão. Vc acha que a Casas Bahia não demitiria um funcionário que pediu folga pra dar uma olhada na liquidação da Casa & Vídeo? Por favor, né.

Sérgio Santos disse...

Gustavo, desculpe a demora em responder. Ando sem tempo pq escrevi tanta coisa que tô até desgastado. Mas concordo plenamente com todo o seu comentário, nem acrescentarei mais nada. Entrou pra lista das mais fracas msm e é uma pena pq poderia ter sido um novelão.

Sérgio Santos disse...

Ed, pra ser sincero, eu nem lembro do segredo da Naomi, mas do Gerson eu lembro e não achei tão péssimo assim, até pq o que ele fazia não tinha nada de "bobinho". E o da Carlota foi patético. E realmente, ela ir no cemitério e quebrar a lápide foi tosco demais. Ninguém descobriu o segredo, ninguém soube quem era o atropelador, ou seja, a novela praticamente não teve desfecho. E todo mundo engolir Fernando com Suzana foi bizarro. Mas ok vc ter gostado, gosto cada um tem o seu e não se discute, se respeita.

Sérgio Santos disse...

Anônimo, vc reparou na idiotice que vc escreveu? "A Globo ia deixar dois irmãos (eu sei que não são irmãos)" OI????? Vc msm se contradisse. E ão sei se vc sabe, mas em Sete Vidas tem meio irmãos sentindo atração um pelo outro. Não são irmãos mas até agora acham que são. E daí? E se a relação fosse bem conduzida pelo autor, claro que poderia. E Beto e Vitória formariam um lindo casal. Parece que quem não raciocina é vc.

Sérgio Santos disse...

Oi Karina, obrigado. Olha, eu acho qu msm às 23h não tinha jeito. Da forma que foi escrita, se perderia msm mais curta. Ele deixou mtas fragilidades no roteiro. Mas concordo com o restante do seu comentário.

Sérgio Santos disse...

Foi ruim msm, anônimo.

Sérgio Santos disse...

Bem, Nanda, quem disse que Beto e Inês tinham mais química que Bruno e Fatinha deve ser hater da Juliana pq a afirmação é de um absurdo sem precedentes. E tb acho que Beto er Vitória prometiam mt, pena que não foi desenvolvido.

Sérgio Santos disse...

Acabou, Flávia. rsrs bj

Sérgio Santos disse...

Pois é, Kauê. E concordo com todo o seu comentário. Zezé foi figurante de luxo e Ana mais uma vez foi desvalorizada. Há tempos que a atriz não recebe o valor que merece nas tramas. Ainda assim a trama dela em Fina Estampa teve mais destaque que essa.

Sérgio Santos disse...

Ok, JrGiam, respeito sua opinião, mas discordo de vc. Do primeiro cap até a revelação da troca, a novela foi ótima. Elogiei mt, inclusive. Mas depois começou a se perder e dali em diante foi ficando ruim até ficar péssima. Acho, sinceramente, uma comparação sem cabimento o final da Carlota com o das excelentes Bia Falcão e Clara. Foram vilãs infinitamente mais ricas e complexas, ale´m das novelas terem sido excelentes. O da Carlota, com todo respeito, achei ridículo. Ninguém soube da parte final do segredo, que era uma besteira óbvia e absurda pq uma vilã como Agata saberia que estava com joias falsas, e ela tirou tudo da cova com uma facilidade imensa. Enfim, achei a trama mt equivocada, mas respeito vc ter adorado, sem problemas. Abçsss

Sérgio Santos disse...

Adorei, anônimo.

Sérgio Santos disse...

Obrigado, anônimo.

Sérgio Santos disse...

Nossa, Maíra, que crime vc cometeu, comparar o último capítulo maravilhoso de Sangue Bom com o dessa novela? rsrs Td bem, te perdoo. E sim, as tramas se esvaziaram e várias nem chegaram a ter densidade. Tb achei Marco e Isis mt bem, mas o mocinho dele foi um saco e nem teve trama própria. E concordo, Bianca e Heloísa brilharam mt e mereceram os elogios. Bjs

Sérgio Santos disse...

Oi Lucas! Eu tb adorei o início e ela tava ótima, mas nem acho que se perdeu na metade, começou a se perder depois da revelação da troca, que resultou ótimas cenas, mas depois começou a desandar. Eu acho que a relação de Beto e Vitória tinha tudo pra ser a mais complexa e rica da trama, caso tivesse sido desenvolvida. Mas do jeito que foi, com uma atração surgindo do nada no fim, ficou raso. Tb acho que o Pigossi tá pegando mt tipo chato, mas o Bento ainda tinha uma trama rica, apesar de insuportável. O Rafael era insuportável e nem trama tinha. Abração!

Sérgio Santos disse...

Anonimo, eu sempre apostei em Beto e Vitoria, mas o autor preferiu juntá-lo com a Ines, em um casal insosso. E não teria nada demais msm se a relação deles fosse bem desenvolvida, o que mais tem em ficção é isso, pessoas que criadas como irmãos se apaixonam. Ótimos exemplos vc deu. Mas da forma como foi feita, achei forçado. O momento certo precisava ser no último capítulo? Vitoria não precisava passar a novela toda atrás do Rafael como ficou, isso só esvaziava sua complexidade. Se tivesse desistido lá pelo meio da novela, evitando até aquela bobagem de doença falsa, aí sim ficaria bacana.

Sérgio Santos disse...

Lembro, sim, Dani, o Natércio foi um excelente vilão e brilhantemente vivido pelo ator. Mas foi uma exceção, a maioria que ele pega é passivo bobo.

Sérgio Santos disse...

Sem problemas, F Silva. E vc defendeu seus pontos mt bem. Mas esse trauma do Rafael só durou algumas semanas iniciais, na época, inclusive, que a novela estava ótima. Depois ele passou a viver em função da Sandra. Vitória foi msm a responsável pela grande movmentação da trama. E Carlota era uma vilã que ladrava mas não mordia. Maldade msm foi mandar o Homero atirar na Dani, de resto, ela só gritou e esperneou. Pra mim a novela terminou com um saldo pra lá de negativo, mas respeito sua concepção. O Vicente e a Madalena tinham química mas realmente não combinavam pq o autor errou na condução. Até pq ele começou sendo um velho ranzinza e depois virou um idiota bobo alegre. E aquela personagem da Sandra Corveloni ficou choramingando a novela toda... Enfim... Abraços!

Sérgio Santos disse...

Marilia, interessante seu cometário. Realmente, Sandra e Rafael planejaram casamento a novela inteira e no final não casam? Qd tinha que ter o clichê não teve. E concordo que ao menos um grande vilão deveria ser punido. Todo mundo se dar bem foi dose. E ninguém saber de nada sobre o segredo e o atropelador foi ridiculo.

Sérgio Santos disse...

Obrigado, anônimo. Mas o autor erou ao não focar nessa relação. Ele preferiu juntar Beto com Ines e depois com aquela vilã da Fantin que entrou no final. Prejudicou o personagem. E não veria mal em ter uma trama parecida até pq a tal doença de mentira foi igual a de Alto Astral. Então daria na mesma. E tb acho que seriam um casal lindo.

Sérgio Santos disse...

Mt obrigado, Juliana. =) E concordo com seu comntário! bjssss

Sérgio Santos disse...

Exato, Raquel. A sintonia entre Rodrigo e Bianca era nítida e bastava o autor aproveitar isso. O casal tinha tudo pra funcionar caso tivesse um bom desenvolvimento. Mas não teve. E o final só teve um momento bom, que foi Vitória salvando Sandra. O resto foi dispensável e decepcionante. E vc me pegou, não lembro de onde surgiu esse interesse da Vitoria pelo tal segredo. bj

Raquel disse...

Hum, vi algumas cenas do último capítulo incluindo as que apareceram o Beto e a Vitória pra checar essa tal paixão súbita. Mas eu achei a cena do presente na tarturuga tão inocente... Tipo que poderia significar um monte de coisas.

Vi alguém aí em cima falando de tesão e vc falando de flerte, pensei que tivesse havido pegação, ou no mínimo uma conversa mais clara e/ou maliciosa. Achei xoxo até para um potencial shiper-que-foi-sem-nunca-ter-sido. :P

Teve mais alguma coisa ou foi só isso mesmo?

Flávia disse...

Bom Sérgio

Quem queria um envolvimento de Beto e Vitória é porque queria ver na novela um casal bonito pra shippar, e em assuntos de certos shipps o que menos importa é se está forçado ou não.
Nesse caso ficaria forçado de qualquer maneira, fosse no inicio ou no ultimo capítulo, duas pessoas que mantiveram por 22 anos uma relação totalmente fraterna não iriam mudar o status desse sentimento só porque descobriram que não são filhos dos mesmos pais.A Sandra deixou de ver Elisio e Beatriz como seus pais só porque descobriu que não era filha biológica deles? O mesmo para eles, não deixaram de vê-la como filha. Laços familiares não se rompem assim, do nada!

Raquel disse...

Oi Flávia,

Só um comentário, que eu acho que você tá confundindo laços de sangue com laços familiares. Esses laços familiares que você está falando são laços de carinho, respeito e admiração mútua. E não nascem de uma hora pra outra e não morrem de uma hora pra outra. E esses laços continuaram em Beto e Vitória mesmo depois de descobrirem que não são irmãos de sangue.

Mas eu sempre defendi que amor romântico tem muito a ver com racionalização tanto quanto emoção. Não acho que exista uma trava psicológica e natural obrigatória que não permita atração sexual em ocasião alguma só por conta de criação. Senão como foi que os humanos se reproduziram pra chegar até aqui, né?! Pra mim não funcionaria e provavelmente pra você também não, mas não acho totalmente absurdo duas pessoas como Beto e Vitória em algum momento pensarem: "ah, fulano é legal e é atraente, a gente não é irmão mesmo, porque não?" Novamente, foi assim que a humanidade começou (e continuou durante séculos), porque alguns anos de civilização de repente tornaria isso impossível?

Eu fui criada com meus primos morando praticamente na mesma casa... São como irmãos pra mim, assim como eu penso que acontece com muitas famílias. Acredito aqui que os laços familiares que se criaram são os mesmos que eu teria com um irmão. Mas romance entre primos é aceito muitas vezes de uma boa... Porque romance entre pessoas criadas juntas que descobrem que não são irmãos é algo ridículo? Eu não acho.

Flávia disse...

Raquel,

então vamos supor essas possibilidades,
estaria fugindo do eixo central da historia ;). Não era a historia de duas moças trocadas na maternidade que se tornam rivais ao terem seus caminhos novamente cruzados e os desdobramentos disso?
Tudo bem que para 185 capítulos, houve incompetência do autor no desenvolvimento do triangulo Sandra/Rafael/Vitoria e que o maldito segredo da Carlota tomou mais espaço do que deveria, mas o embate Sandra X Vitoria nunca deixou de existir

Sérgio Santos disse...

Foi só isso msm, Raquel, mas a troca de olhares deixou bem claro um flerte ali. Detestei pq ficou gratuito. Custava desenvolver isso? Não custava. E eu concordo com o seu posicionamento em contraponto ao que a Flávia disse.

Sérgio Santos disse...

Flávia, eu acho que a cumplicidade entre eles sempre foi tão bonita que se surgisse uma atração ali não haveria nada demais e seria riquíssimo pra trama. Melhor que Vitória obcecada pelo Rafael feito uma louca (inventando até uma doença falsa numa situação totalmente estapafúrdia) e Beto tendo seu caráter alterado pra servir de capacho da Carlota com certeza seria.

Flávia disse...

Acho que não vamos concordar mesmo, Sérgio kkkk, prometo que não vou me estender mais! Onde vc vê algo riquíssimo pra trama eu só vejo que perderia a força da rivalidade entre Sandra e Vitoria, faria a historia tomar outro rumo. Acabava-se de vez com o triângulo amoroso (que poderia ter sido melhor desenvolvido, claro) Vitoria nem precisaria ter ido morar na casa de Elisio e Beatriz, né?Sandra e Vitoria, cada uma pro seu lado, e Vitoria super bem resolvida agora poderia ser a protagonista de uma linda historia de amor e não correr o risco de acabar sozinha no final da novela.






Sérgio Santos disse...

Mas não tem problema discordar, Flávia. Mta gente acha que discordar é sinonimo de brigar mas não é. Alguns até vêm aqui e partem pra indiretas infantis e ataques idiotas pq discordam, mas isso é imaturidade. E gosto de debater. Eu acho que seria interessante justamente pq acabaria esse triângulo besta. Rafael passou a desprezar Vitória depois que conheceu Sandra. Aquela fixação dela era tão humilhante e cansativa que acabava com uma personagem que tinha tudo pra ser melhor do que foi. E aquela troca de casas foi de uma imbecilidade tão grande... A patricinha saiu de uma mansão pra um apt de classe média pra fazer birra com Sandra? Sendo que a outra nem tava mais morando com os pais. Não fez o menor sentido. Enfim. bjs