sábado, 9 de março de 2013

Com um último capítulo impecável, Lado a Lado fecha seu ciclo e comprova que audiência não reflete qualidade

Uma das mais belas novelas das seis teve seu ciclo encerrado nessa sexta-feira (08/03). Após meses presenteando o telespectador com uma excelente história e grandiosas atuações, "Lado a Lado" se despediu da telinha deixando uma marca de qualidade e capricho na teledramaturgia, apesar de não ter alcançado a audiência desejada.. A trama de João Ximenes Braga e Cláudia Lage saiu de cena deixando um gostinho de 'quero mais' e já entrou na lista de produções mais caprichadas da televisão.


O último capítulo foi impecável. Patrícia Pillar dominou quase todas as cenas. Foi maravilhoso ver o desempenho admirável dessa grande atriz em todos os momentos da derrocada de Constância. A Baronesa estapeou Catarina (Alessandra Negrini), apanhou de Isabel (Camila Pitanga), foi humilhada pelo marido, desprezada pela filha, desmascarada por Margarida (Bia Seidl) e terminou seus dias sendo despachada por Assunção (Werner Schunemann) para uma chácara. Com um visual digno de pena, a vilã pagou todos os pecados que cometeu ao longo da história.

Marjorie Estiano mais uma vez mostrou o seu já conhecido talento nas sequências em que Laura recusa ajudar sua mãe e quando recebe o prêmio de melhor jornalista na frente de toda a sociedade. Outro momento lindo foi quando Laura e Edgar revogam o divórcio. Aliás, esse casal, além de ter sido um dos mais bonitos da
teledramaturgia, também apresentou uma história totalmente atípica. Se casaram logo nos primeiros capítulos, não se amavam, passaram a se gostar, se apaixonaram, se separaram, voltaram e no final revogaram o divórcio. A anulação de um documento foi o equivalente a um tradicional casório de final de novela. Um desfecho criativo e emocionante.

Como "Lado a Lado" sempre se orgulhou de suas origens folhetinescas, os clichês não poderiam ficar de fora. Como por exemplo o fato de todos os vilões (com exceção de Fernando - Caio Blat) terem sido punidos no final: Catarina e Caniço (Marcelo Mello Jr.) foram presos, Constância ficou sozinha, Bonifácio (Cássio Gabus Mendes) foi humilhado pela esposa e Berenice morreu ao cair de um barranco. Isabel se casando com Zé Maria também fez parte da lista de 'obviedades'. Porém, nem só de tradicionalismos se fez o último capítulo. Albertinho (Rafael Cardoso) se redimiu mas não arrumou um novo amor. Ficou sozinho, ajudando a cuidar do filho Elias. A cena final também fugiu do óbvio. Ao invés de focarem nos casais protagonistas, optaram pela amizade de Laura e Isabel.

O forte laço de amor logo firmado entre as duas mocinhas assim que se conheceram na igreja, quando ambas estavam insatisfeitas por razões diferentes, foi relembrado e intensificado no final do capítulo. Marjorie e Camila emocionaram na linda cena em que as amigas se abraçam e declaram amor uma pela outra. Logo após há um tocante silêncio, para logo entrar a música "Liberdade liberdade abre as asas sobre nós", tema da abertura da trama. A história foi encerrada da melhor forma possível, com direito a um devido reconhecimento do elenco e da produção, com a foto de todos os envolvidos surgindo na tela.

João Ximenes Braga e Cláudia Lage erraram ao não desenvolver alguns conflitos antes da última semana, como o caso do filho de Sandra (Priscila Sol) e o passado de Eulália (Débora Duarte), por exemplo. Também se equivocaram ao transformar Zé Maria num herói acima do bem e do mal, além do par com Isabel não ter dado certo. No entanto, nada chegou a afetar a obra em si e nem os momentos finais da novela. Os acertos foram infinitamente maiores do que os poucos erros.

"Lado a Lado" ficou longe da meta de audiência para o horário, encerrando com uma média geral de 18 pontos. O último capítulo obteve 21. Sem dúvida números muito baixos. Entretanto, ibope não implica em qualidade e a história que retratou o Rio de Janeiro do século XX é a comprovação desse fato. Conteúdos históricos foram inseridos com muita competência em um contexto dramatúrgico, fazendo uma ótima mistura de ficção com realidade. Tramas que nunca haviam sido contatas na teledramaturgia foram apresentadas de uma forma criativa e despretensiosa. E todo esse conjunto ganhou o respaldo de um grande elenco, uma linda trilha sonora, cenários impecáveis, direção acertada e figurinos caprichadíssimos. O público foi presenteado com um produto de imensa qualidade e que não será esquecido e nem apagado da memória de quem prestigiou a obra. A teledramaturgia ficou bem mais rica depois da entrada de João Ximenes Braga e Cláudia Lage. Depois de aplaudir "Lado a Lado", o telespectador só tem uma coisa a dizer para esses talentosos autores: obrigado.

78 comentários:

Thallys Bruno Almeida disse...

E que capítulo, Sérgio. Aliás, um capítulo pra ser chamado de Patrícia Pillar. Constância foi o grande nome do último capítulo. Não teve preço ver a vilã sendo escorraçada por Assunção, Laura, Isabel, Margarida e ainda servindo de empregada do primeiro. Só faltou o "me serve vadia", rs.

Patrícia honrou a escolha de seu nome e nos presenteou com uma composição mais do que brilhante para a baronesa. Não foi à toa que protagonizou alguns dos melhores embates.

Marjorie só cresce a cada papel, cada personagem, se consolida cada vez mais na jovem geração de atrizes, dona de uma naturalidade impressionante. Laura foi uma mocinha belíssima, daquelas mesmo que dá vontade de torcer, independente, doce, nada piegas. Uma atuação maravilhosa demais.

Camila Pitanga, por sua vez, é do tipo da atriz que não precisa mais provar nada pra ninguém. Isabel deixou uma grande contribuição à trama em seus primeiros meses, quando contribuiu com o controverso núcleo do teatro e, especialmente, com o espetáculo de dança e o momento em que ela humilhou as quatro vilãs da trama de uma vez só. E Camila emprestou uma excelente veracidade a tudo isso, e não deixou a peteca cair nem quando Isabel começou a irritar com sua obsessão por Elias.

Thiago Fragoso e Rafael Cardoso dão provas de que nem tudo está perdido na geração de jovens atores masculinos, que é muito mais difícil de revelar quem é bom de verdade em comparação com jovens atrizes. Edgar, um cara íntegro, e Albertinho, inseguro e às vezes calhorda, ambos os atores foram excelentes. Thiago já mostra uma ótima maturidade e Rafael tem tudo pra seguir esse mesmo caminho.

Lázaro Ramos não tem dado muita sorte em se tratando de personagens carismáticos. Se o André de IC foi motivo de piada, o Zé Maria de LaL foi motivo de cansaço. Era de uma irritação extrema transformar o Zé Navalha no herói de tudo, no grande salvador-da-situação.

Em casal romântico, tivemos bons exemplos, como Celinha e Guerra, Mário e Diva, Sandra e Teodoro, Jonas e Alice, mas não teve pra ninguém: Laura e Edgar foram o grande par. A química entre os dois atores era intensa de tal forma que a torcida do público foi imediata e crescente. A canção de Nando Reis só ajudou a abrilhantar. Por outro lado, Isabel e Zé Maria só provaram que Camila e Lázaro são bem melhores separados. Que outros autores não tentem mais colocá-los pra fazer par juntos porque não dá certo. Se bem que a cena do casamento deles foi bonita (e só). Se Isabel vivesse com Albertinho, faria parte do grupo de casais que citei no começo deste parágrafo. Seria uma história muito mais rica.

A cena final entre Isabel e Laura foi belíssima, foi uma coisa linda vê-las relembrando o começo da amizade. E foi uma boa sacada terminar a novela justamente no dia dedicado às mulheres.

A trilha sonora, mesmo incluindo canções contemporâneas, caiu como uma luva, com destaque pra a já citada Sei (Nando Reis), o tema de abertura e também O Mundo é Um Moinho (Beth Carvalho). Uma trilha de qualidade, comparável talvez à de Gabriela 2012, p. ex.

O contexto histórico foi muito bem abordado e não me cansou em nada, não ficou parecendo aula de história, etc. Fiquei feliz de abordarem as duas Revoltas (Vacina e Chibata).

O elenco, então, foi excelente: Caio Blat, Zezeh Barbosa, Milton Gonçalves, Bia Seidl, Cássio Gabus Mendes, Guilherme Piva, Alessandra Negrini, Emílio de Mello, Álamo Facó, Tuca Andrada, Christiana Guinle, Maria Padilha, Débora Duarte, Werner Schunemann, além da maioria dos jovens, como Juliane Araújo, Priscila Sol, George Sauma e André Arteche. Daniel Dalcin começou fraco, mas se saiu bem em algumas de suas últimas cenas. E pra mim, Klebber Toledo é que foi o grande "adereço de cena" (como diria a personagem da Rogéria) de LaL. Era gritante a inexpressividade dele, especialmente nas cenas com a Patrícia.

Thallys Bruno Almeida disse...

Assim como dissemos na época de Avenida Brasil, com Lado a Lado o nível aumentou. E as expectativas pra Flor do Caribe não são nada boas (o triângulo principal não me agrada, alguns coadjuvantes vão repetir os mesmos papéis, poucos atores bons de verdade)... Parece precipitado, mas dá vontade de torcer pra chegarem Duca e Thelma logo de uma vez.

Enfim, apesar do fracasso de audiência, J. X. Braga e Cláudia Lage estão de parabéns pelo belíssimo trabalho apresentado. Além do típico final de capítulo gilberto-braga-style, mostrando trechos de todo o elenco, e também valorizando os autores e diretores. Lado a Lado vai deixar muita saudade. Grande abraço!

Cíntia Nogueira (cintiana2) disse...

Vou deixar uma opinião contrário, Eu achei o final simplesmente decepcionante, sabe aquela novela que segui desde o início com afinco, analisando tudo, me apaixonando, vendo cada detalhe? Essa foi lado a lado. No fim a minha personagem preferida, Laura, parece ter alcançado tão pouco ( enquanto por exemplo o personagem ze que no inicio era semi analfabeto e terminou com grande sucesso profissional e pessoal), era como se todo aquela parte do divorcio não passasse de enrolação, uma barriga para trama, por que qual foi a evolução solida por causa do divorcio? O que ela ganhou com isso? Não houve um reconhecimento direto por Edgar de seus erros, ele disse que errou mas que erros? Ele não se desculpou pelo te-la deixado sozinha no momento mais dificil de sua vida (seu aborto, o filho tão chorado por Laura, e por quem ela queria abraçar todas as crianças para se sentir abraçando o filho que perdeu), nao falou do fato daquela epoca tê-la feito se sentir uma intrusa na vida e família dele formada não mais por ela, mas por Melissa e Catarina. No campo profissional, ela mal se sustentava e vivia de favor na casa de isabel (levando ate algumas patadas de seu afonso para sair de lá), os poucos textos vistos de Paulo Lima lhe deu um premio que ela só tomou conhecimento por causa de Edgar, e provavelmente lhe dava pouco dinheiro (Guerra pagava mal), sua carreira de professora voltou a ser voluntaria ja que a escola do morro era uma iniciativa belissima, mas não lhe rendia dinheira. Entao me pergunto ela era mesmo independente? Teve mesmo reconhecimento profissional? Qual foi a sua recompensa?
E o final, isento de surpresas, quase tudo que aconteceu, eu ja tinha suposto, a unica exceção foi mesmo a morte da berenice. Mas o resto eu já tinha pensado linha por linha, ate o aparecimento de Judite no momento da premiação eu ja imaginava.
Mas sabe de uma coisa eu jogaria tudo debaixo do tapete, e fingiria esquecer e me contentaria, se visse Laura não precisando mais abraçar todas as crianças do mundo para abraçar um filho seu. Me contentaria se de fato a visse abraçando o seu filho com Edgar, era só isso que queria, podendo cometer todos os outros erros, que não eram poucos, mas so esse já me agradaria, Laura com uma recompensa, uma compensação pelo filho perdido. Mas não , ver todo mundo, Laura em uma situação não muito diferente do inicio sambando no morro.
Enfim, a novela foi muito boa, uma trajetoria com boas intenções, uma trama interessante, bem feita, com muitas qualidades é verdade, e com alguns defeitos, e foi um caminho brilhante para mim que fisgou e me fez sonhar, acontece que seu fim veio com o gosto amargo de frustação pelas coisas que me fizeram sonhar em sua trajetória, e pelo fato de que poderia ter sido bem mais.

paulo disse...

Não se preocupe com a baixa audiencia, Sérgio. Essa novela deve voltar algum dia no VAPVDN e ser anunciada como "um grande sucesso" pelo locutor, como toda novela nessa faixa é anunciada nas chamadas, mesmo os grandes fracassos. Coisas da globo...

Unknown disse...

Foi GENIAL! Gostei de TODOS os finais, TODOS! Foi dinâmico e foi inteligente! Na minha opinião o JXB e a CL se redimiram! Faltou um LaurEd Baby, mas a harmonia da Melissa com a Laura e o Edgar, e se olharmos a grandeza da Laura diante de tudo o que aconteceu, era de se esperar que a Laura aceitasse a Melissa como filha. Queria muito o bebê, mas muito mais para ter a oportunidade de ver o Edgar mimando a Laura do que por qualquer outro motivo, no entanto a falta do filho não comprometeu o final feliz do casal.

A sacada do Assunção foi ESPETACULAR! O cara foi feito de idiota a novela toda, foi genial justamente ele ser o algoz da Constância, mais foi genial ainda ele se vingar da Catarina pela filha, e usar uma contra a outra! SAGACIDADE é tudo!

O final da Berenice não poderia ser diferente, dificilmente ela perderia qualquer oportunidade de armar novamente contra a Isabel. Gostei muito do Fernando ter conseguido se vingar daquele que merecia e que foi o grande responsável por toda a rejeição da sua vida, o Bonifácio, foi JUSTO. E dele ter percebido quem a Catarina é, e ter abandonado ela presa, foi lindo!

A atuação dispensa comentários. PP não precisava de nenhuma afirmação, mas pra mim foi uma reafirmação de que ela se encontra em outro patamar, ela é uma GRANDE ATRIZ, e não deve nada pra ninguém. Ela foi a GRANDE estrela dessa novela. E as melhores cenas foram na acertada parceria estabelecida com a ME.

ME foi ESPETACULAR, é sem dúvida a MELHOR atriz da sua geração, e a sua consagração final virá quando ela fizer uma vilã, é a única coisa que falta pra ela. Essa menina é um monstro atuando, dá prazer de ver o quanto ela é versátil e ao mesmo tempo sensível! Que presente!

O par ME e TF foi indiscutivelmente o CASAL da novela, e depois deles, vai ser muito difícil engolir outro par. Eles formaram uma dupla perfeita, balanceada na medida, ambos brilharam separadamente, principalmente ME, mas JUNTOS eles se tornaram imbatíveis e irresistíveis.

Fazendo jus ao feminismo da novela, as mulheres foram as donas do último capítulo! Cada uma delas deu um colorido ao capítulo maravilhoso que assistimos ontem. Não foi perfeito, porque nada é, e se tratando de dois marinheiros de primeira viagem, conseguiram, com louvor exibir um produto com classe, inteligência, sensibilidade e arte. Não assisto novelas, não tenho paciência, normalmente muito previsíveis, mas Lado a Lado entrou no meu TOP 3 de novelas! Maravilhosa novela, maravilhoso elenco!!!

Lado a Lado representa mais do que uma novela pra mim, representou um novo olhar para a mulher, um novo olhar para o negro, um novo olhar para a sociedade e para a liberdade que tenho hoje de fazer coisas simples, como me expressar aqui. Me fez olhar com uma profunda gratidão para as muitas "Lauras" das gerações passadas, gratidão por tudo o que posso hoje, e sobretudo porque elas acreditaram que é possível, e porque elas não se desistiram! Sobretudo, sinto muita esperança! Esperança de que o mundo que eu conheço hoje, não será o mundo que meus filhos conhecerão, sinto coragem para lutar e fazer diferente, fazer o que acredito, não apenas por mim, mas por aqueles que virão.

Elvira Akchourin do Nascimento disse...

Também gostei de tudo, Sérgio. Especialmente das cenas da humilhação da Constância, tendo por trás Assunção, que mostrou não ter nada de bobo e ingênuo (aliás, imaginei que ele estaria por trás da chantagem da Catarina quando vi o encontro aparentemente casual, numa noite, entre ele, Catarina e Umberto, num capítulo anterior, após ironizar a "tia Ambrosina" como remetente das cartas). Gostei também das cenas da homenagem pública do Edgar ao talento jornalístico da mulher, das cenas da revogação do divórcio, da conversa das duas amigas, já bem-sucedidas após tantos sofrimentos. E da homenagem final ao elenco (se bem que faltaram legendas de identificação), autores e diretores. Novela nota dez e que deixará saudades.

Rafael Barbosa dos Santos disse...

Vi o último capítulo e gostei muito, Patrícia Pillar divou em todos os momentos, eu não me lembro de uma vilã que tenha se ferrado tanto assim em um último capítulo rs. Acho que Lado a Lado deixa um saldo positivo, porque embora eu não tenha acompanhado assiduamente, era sempre bom parar para ver, sem dúvida uma belíssima novela, muito bem produzida. Bom, claro que tenho as minhas ressalvas, alguns pontos fracos que eu percebi e que acho que se não os fosse, Lado a Lado teria rendido bem mais e teria tido uma audiência e reprcussão que fizesse jus a obra caprichada que foi, enfim não consigo ve-la como uma obra impecável em todos os sentidos. Bom, mas o importante é que não fez feio e quem acompanhou sentirá saudades. A vilã de patrícia será lembrada, com certeza. E que venha Flor do Caribe, o elenco é bem fraquinho (salvos a presença de Laura Cardoso, Ângela Vieira e Juca de Oliveira, mas eu gosto muito do estilo e texto do Negrão, gosto das historias que ele tem para contar, vamos ver no que dá rs.

Abraços

Diogo S. disse...

Irá deixar saudade...

Lulu disse...

Não acompanhei a novela toda. Só vi pedaços, mas a química entre Marjorie Estiano como Laura e Thiago Fragoso como Edgar, conquistou o público
Bom fds!
big beijos
Lulu
blog | twitter | face

A viajante disse...

Adorei sua análise, Sérgio. Não gostei muito do tom moralista de que "o mal com o mal se paga"... mas de resto, foi lindo o final com a conversa entre as duas amigas... eles resgataram o tal LADO A LADO.
Beijo!

Carlos disse...

Nem vi, mas parabéns aos autores que resolveram fazer uma novela DELES e não do PÚBLICO. Infelizmente alguns autores estão deixando os telespectadores mal acostumados e fazendo SÓ o que o público quer ver, o que faz a novela perder a surpresa e até a coerência. Nada contra a maré na TV hj em dia é bem raro.

Abraço

Danizita L. disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Danizita L. disse...

Essa questão de audiência cada dia que passa é menos relevante, ainda mais sendo os dados obtidos apenas da cidade de São Paulo, por que lá que é o alvo da maior parte dos interesses publicitários,o restante do país eles não contam. Mas em outras capitais a média de audiência chegou a mais de 30 pontos. Sem falar naqueles que acompanharam a novela pela internet.Essa trama arrancou elogios de toda a crítica especializada até o último capítulo e isso que é o verdadeiro sucesso.
Bjs!

Anônimo disse...

A minha sensação é a mesma de quando terminou Avenida Brasil e trocaram por Salve Jorge. Flor do Caribe não me empolga em nada! Foi-se os maravilhosos Thiago Fragoso e Marjorie Estiano, e deixaram a Grazi e Henry Castelli, muitoo triste.
Quanto ao fim da novela, sou do time que faltou um bebê para a Laura, foi tão horrivel ver ela perdendo o filho , e depois vê-la com as outras crianças, e a Catarina que zombou dela por ter tido a Melissa, ela sim merecia um bebê!!! doeu em mim isso, me deu um nó na garganta, não consegui me senti feliz com esse final, foi um lindo final sim, mas...
A minha raiva na verdade, é que segunda-feira não teremos mais Laura e Edgar, Celina, Sandra, Constancia, Isabel e outros, não teremos "sei", mas fico feliz que Zé Maria foi embora, porém não dúvido que com o tempo até dele eu não sinta falta.

Bruno Marques disse...

Lindo demais o último capítulo dessa obra maravilhosa chamada Lado a Lado.
Patrícia Pillar brilhou no final e mostrou novamente que é A ATRIZ!!!
Adorei o final da Berenice e curti também o final do Fernando!!!
Edgar e Laura formaram o casal com mais química da TV nos últimos tempos!!!
A cena entre Laura e Isabel relembrando o dia do "primeiro casamento" de ambas,quando elas se tornaram amigas,foi emocionante!!
E por fim aquele clipe com todos os personagens ao som de Liberdade,liberdade,abra as asas sobre nós foi de arrepiar!
Enfim,Lado a Lado fez bonito na TV e fará muita falta!!!

Anônimo disse...

Só um adendo: O Lázaro Ramos precisa de uma fonoaudióloga. Aquele sotaque de baiano interpretando personagens cariocas é de doer. Já foi assim em Duas Caras, quando seu personagem era cria de uma favela carioca.

Marcos Pereira disse...

Olá Sérgio!
Concordo! Vi alguns capítulos dessa novela e da outra, a Salve o Jorge...essa ultima, com certeza, tem mais ibope, porque é uma porcaria...A lado a lado conseguia ver, essa ultima não. Ela é uma novela política, com uma história a favor das minorias, com argumentos dentro da realidade, menos sensacionalistas, mais discretos e bem elaborados, como tem que ser uma boa novela. Muitos atores de qualidade, com um envolvimento equilibrado, ( sem super-atuações e caricaturas ) Porém uma novela com atores mal aproveitados, enredo esquisito ( nem o nome da novela tem nexo com a história ) um monte se papéis caricaturizados, situações absurdas ( a da bomba na azeitona..nem precisa comentários )
e ganchos fetos unica e exclusivamente pra puxar audiência, desestruturando a estória, ainda são a receita certa pra atrair telespectadores menos avisados
abração!

Gimena Márquez disse...

Esta vez si me lo permitís,voy a hacer mi comentario en español y será muy breve. Acabamos de ver una de las mejores, si no la mejor, novelas que ya hayas sido presentadas por la Red Globo. Y vaya que de eso tanto la emisora como los brasileños saben y mucho. Definitivamente una prueba más de que las producciones de Brasil están 100 escalones por encima de cualquier otra.Saludos desde Uruguay.

Felisberto Junior disse...

Olá!
Sérgio
...mostrou uma realidade vivida no seculo passado,mas tão real nos dias de hoje,o preconceito ,a discriminação ,uma sociedade machista,educação e saúde digna, os políticos continuam com as suas imunidades,realmente avançamos muito pouco infelizmente. Parabéns aos autores,um pouco de lucidez na tv, a preocupação com a trama e sem com a audiência. Trilha sonora muito boa.
Bom domingo
Abraços

Anônimo disse...

Só não entendi o logo dessa novela com letras ao estilo de "negocio da china". Aliás, o logo das novelas da globo vem deixando a desejar a um bom tempo, ou são simples demais(A vida da gente, por ex) ou toscos demais(morde assopra, Cheias de charme, etc). Sem contar o de Salve Jorge que é claramente "inspirado" no de "Caminho das Indias", eu hein...

Águeda Lemos disse...

Poderia ser mais educativo se as pessoas que levaram trambolhões pudessem mostrar que se corrigiram.

Anônimo disse...

Adorei essa novela, porém devia ter um capitulo onde o Edgar e a Laura tomariam providencias pra Salvar a Judite, a mulher q continuou presa no sanatório depois q a Laura saiu.

Anônimo disse...

Olá Sérgio....
Bem, li sua crítica, mas não comentei de tão p*t@ que tava com os autore..sabe aquele doce que vc coloca na boca e vai se deliciando, momento após momento, sente a doçura e maciez, e de repente, qdo chega quase no final, sente aquele gosto amargo como fel?
essa seria a minha descrição com LAL..não vou entrar em detalhes pq ngm é obrigado a concordar comigo..mas..só citarei o pior pra mim...Laura terminar sendo mãe apenas da filha bastarda do marido sendo esta indiretamente a causa de toda dor e sofrimento na vida dela, pelo erro do marido..isto porque, só e simplesmente somente pq os autores colocaram na boca e face de Laura, durante toda a segunda fase da novela o qto ela sofreu com a perda do filho e como isso a fazia infeliz..foram várias cenas..pra que isso, se no final ela não seria mãe...se isso não tivesse sido insistido tanto não teria problema nenhum ela não ter filhos na novela, afinal esse cliche as vezes fica chato..todo mundo com filho no final..mas aqui foi o contrário, a unica vez q sento que o personagem precisava tero o filho e ele não teve..mas...pra mim..teoria..a vingança se como em um prato frio..
as Laureds xingaram tanto o casal Zebel (favorito de JXB), e não aceitaram, nem de longe como Laura e Edgar (sem dúvida o melhor casal de novelas da TV)que ele não deu o que todas imploraram por meses em todas as redes sociais..um bebe alecrim...enfim..

Bem, os autores brincaram com a cara do público em muitos momentos..não concordo que eles tenham que mudar sua história pra agradar o público, mas ajustar sim..e isso eles não fizeram em momento nenhum, então ta ai a resposta, em forma de audiencia..resposta direta de quem foi desafiado por autores inexperiente...bem
apesar de tudo..pra mim, no final...valeu por ver Marjorie e Patricia atuando e por Laura e Edgar até a separação..no mais..esqueço ...

e espero nunca mais ver qqr coisa escrita por estes dois autores, que voltem a ser colaboradores a aprendam a ter mais coerencia com as historias que escrevem...

Clau disse...

Oi Sérgio,tudo bem?!
Pra quem aprecia uma novela de alto nível,essa vai deixar saudade.
Se for reprisada no Vale a pena ver de novo,muita gente vai gostar!!
Bjs \o/

MARILENE disse...

Você falou tudo que era pertinente, Sergio. A novela foi ótima do começo ao fim. Realmente, a revogação do divórcio foi momento cheio de magia. O casal apresentou uma harmonia encantadora, até no silêncio. Posso afirmar que gostei demais dessa novela. Bjs.

Sérgio Santos disse...

Thallys, foi um baita capítulo mesmo. Normalmente últimos capítulos apresentam erros ou situações que nos decepcionam, mas esse entrou para a lista dos impecáveis.

A novela foi linda e enfatizo tudo o que disse. Também não tenho boas perspectivas para Flor do Caribe. Vamos ver como será a estreia. Abração.

Sérgio Santos disse...

Cíntia, respeito mais discordo. Laura foi reconhecido perante toda a sociedade como a grande jornalista que era e voltou com seu grande amor. Por que ela não pode criar Melissa e ser feliz? Precisa de um filho pra isso? Esse comentário é típico da Constância. Os autores não a engravidaram para evitar o clichê, já que usaram e abusaram dele na punição dos vilões. E, se voltaram, é claro que terão filhos. Cabe a imaginação do público. Bjs!

Sérgio Santos disse...

Paulo, o que tem a ver uma coisa com a outra? O fato do pessoal do Vídeo Show, por exemplo sempre dizer que novela X fez sucesso não apaga o fracasso. Claro que a Globo não vai anunciar no Vale a pena ver de novo: "Vem aí um grande fracasso para vcs assistirem de novo!" Se vc fosse dono da empresa faria isso?

Lamento a baixa audiência pq um produto tão bem feito foi tão ignorado pelo público. Isso talvez tire as novelas de época de circulação por longos anos, como já aconteceu anteriormente. abçs

Sérgio Santos disse...

Unknown, assino embaixo do seu comentário. A novela foi linda em vários aspectos e os autores estrearam com o pé direito. Também gostaria que Laura engravidasse, mas isso não afetou em nada o final lindo do casal. Quiseram evitar um clichê e não vi problema em vê-la cuidando da Melissa, que sempre a amou.

Marjorie já fez uma vilã em Malhação, a inesquecível Natasha e foi extraordinária. Mas outras têm que vir mesmo.

Enfim, a novela também entrou para a minha lista de Tops! Abraços.

Sérgio Santos disse...

Elvira, não reparei nesse detalhe. Jurava que tinha sido a Carlota. Mas foi genial ter sido o Assunção. Achei uma sacada de mestre dos autores. Gostei de absolutamente todos os finais e isso é tão raro em últimos capítulos...

Também senti falta das legendas na hora do elenco, mas gostei da homenagem. Aliás, todas as novelas deveriam fazer isso. Já sinto falta da trama. Bjs!

Sérgio Santos disse...

Rafael, a Constância entrou pra lista das vilãs mais humilhadas no último capítulo. Não disse que a novela foi impecável, disse que o capítulo final foi impecável. Tanto que citei o que considerei errada na trama, mas os erros foram bem inferiores aos acertos.

Gostei de Como uma Onda e Desejo Proibido do Negrão. Tropicaliente mais ou menos. Fera Radical também foi boa. Mas Araguaia foi um horror e essa Flor do Caribe me lembra mt. O elenco é mt fraco. Na lista dos bons acrescento o Sérgio Mamberti que fazia falta na tv. Enfim, vamos ver... abraços.

Sérgio Santos disse...

Com certeza, Diogo.

Sérgio Santos disse...

Oi Lulu. Foi uma grande novela. Bjs!

Sérgio Santos disse...

Oi Ju. Mt obrigado. bjs

Sérgio Santos disse...

Carlos, eles foram ótimos na primeira novela. Vai deixar saudades e vc deveria ver AO MENOS uns trechos no site. Vale a pena. abraços.

Sérgio Santos disse...

Oi Danizita. Infelizmente o ibope em SP tem muita relevância. Seria bom se o nacional fosse o válido, mas só se importam pela cidade mais importante do país. E é verdade, LaL teve ótima audiência em outros estados. Bjs.

Sérgio Santos disse...

"Anônimo", obrigado pelo comentário. Seria bacana um filho pra Laura, mas isso não afetou em nada a beleza e a felicidade do casal. Acho que isso é radicalismo demais.

Também não me empolgo com Flor do Caribe. Vamos ver no que vai dar. Mas LaL não sairá tão fácil das nossas mentes. Abraços.

Sérgio Santos disse...

Bruno, o final foi maravilhoso mesmo. Concordo com absolutamente tudo.

Sobre o Lázaro, nunca o achei esse ator fantástico que muitos acham. Pelo contrário. Enfim.. abraços!

Sérgio Santos disse...

Marcos, seu comentário é ótimo. Infelizmente há essas injustiças. Mas Salve Jorge não tem tido uma boa audiência não. Nesse caso é merecido. abraço.

Sérgio Santos disse...

Gimnena, concordo plenamente. Foi mesmo uma novela que entrará para a lista das melhores da Globo. E, sem dúvida, que as produções da emissora são mesmo acima da média. Pena que nem sempre a história seja boa. Mas nesse caso foi um conjunto de acertos. Bjs!

Sérgio Santos disse...

Oi Felis. Fato, se preocuparam com a qualidade e o bom conteúdo. Pena que não valorizaram. Abraços.

Sérgio Santos disse...

"Anônimo", achei o logo de A Vida da Gente mt bonito e não vi nada de semelhante em Lado a Lado com Negócio da China. Mas respeito sua opinião. abraço.

Sérgio Santos disse...

Águeda, obrigado pelo comentário. bjs

Sérgio Santos disse...

"Anônimo", Edgar soltou Judith. A prova foi que ela apareceu na premiação da Laura e ainda sentou na mesa ao lado do Edgar. Abraços.

Sérgio Santos disse...

"Anônimo", respeito, mas discordo de tudo o que escreveu. Melissa não tinha culpa da canalhice de sua mãe e não vejo problema em criar um filho que não seja biológico. Claro que seria bacana se ela engravidasse, mas isso não afetou o lindo final do casal. E pressupõe que eles terão filhos, afinal, 'viveram felizes para sempre'. Os autores quiserem evitar mais um clichê. Enfim, achei as cenas da revogação do divórcio e da união do casal linda. Abraços.

Sérgio Santos disse...

Oi Clau. Não sei se será reprisada por causa da baixa audiência, mas merecia, sem dúvida. Beijos.

Sérgio Santos disse...

Oi Marilene, obrigado. A novela foi linda mesmo e a cena do abraço das amigas foi tocante. Um final digno de uma novela ótima. Bjs!

Vanessa disse...

Sérgio, querido,
Que capítulo lindo, não?

Curiosamente, tive muita dificuldade para assisti-lo. Na sexta, trabalhei. No sábado, qdo me preparei para me despedir da Laura e da Constância, caiu A chuva aqui em SP e ficamos sem luz até a madrugada. Aliás, muitos bairros ficaram às escuras. Não sei até que ponto isso vai interferir na medição da audiência. Enfim, só pude assistir ao episódio há pouco... E valeu todo o esforço!!!!

Amei todas as cenas da Barô. Pisou literalmente na lama. E foi lindo ver a Patrícia Pillar ocupar metade do capítulo! Só lamento que uma atriz deste quilate fique tanto tempo longe das telas.

Aliás, tdos os desfechos dos vilões foram especialmente bons. E o que foi a Berenice caindo, e fundo, do salto? rs. A bichinha nunca saberá o que é estar em Paris. rs

Até do casamento do Zé Maria com a Isabel eu curti. Foi bonita a cerimônia promovida pela tia Jurema. E a Camila Pitanga estava deslumbrante!

Impossível tb não citar as cenas da Laura. Os autores nos deram um presentão com uma cena final entre Laura e Constância. Me impressiona sempre a força da interpretação da Patrícia e da Marjorie Estiano. Não por acaso, foram os gdes nomes da trama! Ah, a sequência da revogação do divórcio foi linda e aposto que fez muita gente sorrir pra TV. rs. Me emocionei tb com a do prêmio, com o discurso da Laura. Talvez, por ser jornalista, esse episódio tenha me tocado. E o que foi a conversa das duas protagonistas? A cena foi muito parecida com a de quando se conheceram. Ambas estavam sentadas em um banco, nas mesmas posições. Foi impossível não voltar no tempo, assim como a dupla o fez. Camila e Marjorie emocionaram.

"LAL" se foi e já me deixou completamente saudosa. Não me lembro de ter assistido a uma novela que tanto me ensinou sem ser enfadonha. E que provocou tantas reflexões acerca do nosso passado e presente. Foi também uma trama que nos encheu de orgulho das nossas conquistas, do posicionamento da mulher na sociedade, da ascensão do negro, nos fez entender o Rio de hoje...

O saldo final foi dos mais positivos! Com certeza, está no meu TOP10 das preferidas. :)

Talvez, eu suma um pouco do seu blog, já que as novelas no ar não me despertam qquer interesse. "Flor do Caribe" então... Não dá pra trocar Patrícia Pillar, Marjorie Estiano e companhia por Grazi, Henri Castelli, Débora Nascimento... Para piorar, a história parece um amontoado de clichês.

Bom, volto, quem sabe, na nova do Walcyr. rs. Mas certamente na próxima do Maneco estarei por aqui! ;) Se tiver mesmo a Vivianne Pasmanter, vou bater cartão. rs

Beijos, querido.
Vanessa

obs.: Quero comentar ainda o post sobre a Laura no sanatório, mas agora estou caindo de sono. Vou ver se o faço amanhã! ;)

paulo disse...

Não precisa anunciar como um grande fracasso mas se realmente foi um é feio dizer que foi um grande sucesso, como a chamada de "força de um desejo" que foi um desastre no ibope em 1999 e anunciada como um grande sucesso, propaganda enganosa não dá. Simplesme fazer a chamada sem mencionar se foi sucesso ou não, antes era assim, ou vc não lembra?

Anônimo disse...

então Sérgio, os últimos momentos de Lado a lado me desiludira um pouco, mas o capitulo final realmente valeu a pena...
Me surpreendo totalmente com ofim de Berenice, imaginei que ela ia terminar na beira de rua, fazendo a vida, como ela tanto criticava Isabel, mas foi muito legal, cena mto bem feita..eu adorei...e o Assunção foi a grande surpresa do dim, mais uma vez pensei pq não começaram essa armação uma semana antes, foi fantástica, sacada genial....e a Patrícia arrasaou em cd cena...foi humilhada, despezada, renegada, isolada, mas não perdeu a pose..que atriz..sou fã dela...
Alguns desfechos eram bem previsíveis, mas nada comprometedor...e senti falta de um filho de Laura tbm, mas acho que não comprometeu a cena pq fugiu do cliche de todo mundo ter filho no final...
Pode-se dizer, como vc mesmo falou, foram mais acertos que erros, então a novela com certeza vai ficar na saudade. já estou pensando o que será das minhaas tardes sem Laura, Edgar e Constancia (meus favoritos)..é Soda isso, a gente se apega num grau,..parece que perdemos um ente querido..
Enfim, tenho minhas ressalvas qto aos rumos da história de alguns personagens e aos temas abordados, mas agora só vou ver o saldo positivo...CL e JXB acertaram em algumas coisas e há que se dar crédios...obriado por Laura e Edgar..pra mim, o melhor casal de novelas de todos os tempos (não sei se conta, pois não sou mto noveleira, 5 anos longe, e só volto qdo tiver Marjorie e Patricia)e Constancia, minha vilã preferida de todos os tempos tbm...
valeu pelos posts..adorei ler cd um, mas acho que agora vou dar uma sumida, pois não acompanho nada da rede globo..volto pra minhas séries, rs
e Qdo estas ATRIZES voltarem a cena, eu volto por aqui..abraço
Cat

Rafael Barbosa dos Santos disse...

Entendi Sérgio rs. Bom, eu acompanhei Araguaia bem menos do que gostaria, mas gostei muitíssimo da história e dos personagens, sem falar no capricho da produção e das belas imagens. Foi um gostoso água com açúcar, bem simplista, sem inovações do gênero, mas uma boa história regionalista, eu gostei bastante. Flor do Caribe, além de me parecer uma obra muito bem produzida, com cenários e paisagens de encher os olhos, também tem uma história simples, porém interessante. Eu gosto de trama regionalistas, e do estilo de Negrão, portanto minhas expectativas são as melhores. Só o que me preocupa é o elenco mesmo,ah e é muito bom mesmo ter o Sérgio Mamberti de volta as telinhas, me esqueci dele rs. Vamos ver como Negrão se sai desta vez rs.

Abraços

Kellen Bittencourt disse...

Olá amigo, eu gostei muito do fechamento da novela, os atores deram um baile, uma pena que não teve a audiência merecida, mas como vc disse os baixos índices não tiraram o Brilho! Abraçosss

Cíntia Nogueira (cintiana2) disse...

Sérgio que você não compreendeu o meu ponto, em relação a Laura não ter filho, o filho dela, era uma trama importante desde o inicio, ela sonhou, engravidou, perdeu, sofreu muito com isso por anos, e foi uma trama completamente sem fim o que me frustou completamente, amei a novela, mas detestei os seus dois ultimos capítulos, sobre o filho a questão não se refere ao fato da melissa, e nem é uma visão preconceitosa, é uma questão da Laura, o seu desejo, sofrimento pelo aborto, é que desde o inicio, com tantas cenas referentes essa trama de um filho, para mim a novela alimentou esse sonho desde o início, e por fim a impressão que fica é que nadou, nadou e morreu na praia, sobre a questão do filho, vou te deixar um video, acho que diz mais do que palavras: http://www.dailymotion.com/video/xy3sod_lado-a-lado-por-que-laura-nao-teve-um-bebe-laura-e-edgar_shortfilms

Cíntia Nogueira (cintiana2) disse...

Só para falar, a novela foi belissima é verdade, muito boa, mas para mim, valeu mesmo somente até quarta feira pois quinta e sexta as resoluções foram muito corridas. Só por isso não posso dizer que o final foi impecável. Quanto a questão do filho ser um clichê, eles tiraram só por isso? Então essa trama do filho de Laura(desde o início) não era importante, não era importante dar um fim compensador a ela. Se colocaram clichês demais, colocassem mais um, não ia fazer diferença, ou se quisessem tirassem um outro clichê que colocaram e colocassem esse. Mas de qualquer esse era um clichê que tinha de acontecer, para ao menos mostrar que valeu a pena o sofrimento dela pela filho. Por que tiram justamente o clichê que a maioria do publico queria desde o inicio da novela? E bem... como ficou na imaginação, vou imaginar... Laura demorou para engravidar, e teve até um aborto, então nesse caso ela tinha problemas de fertilidade, e nunca teve um filho, pode ter engravidado outras raras vezes, mas era daquelas mulheres que não conseguiam levar a gravidez até o fim. Bem essa é a minha imaginação e como não mostraram o filho deles, não pode dizer que estou errada.
E bem... não compartilho dessa visão de que devemos esquecer as coisas ruins e olhar só para as boas, que visão é essa, as coisas ruins tem que ser vista sim, senão nunca as consertarão em outras obras. Claro que a Novela foi belissa, muito bem escrita, a trama das mulheres, dos negros, as partes histórias de uma epoca importante e pouco conhecida, frases inspiradas, ótimos personagens dentre outras coisas ja citadas, mas não vou fechar os olhos e mentir e dizer que gostei do final e que ele foi perfeito, pois para mim não foi mesmo, mesmo com toda as qualidades da novela. Obrigada, falo isso na melhor intenção e sem querer ofender ninguém

Rita disse...

✫✫✫
Boa noite!!!

Amei a novela do começo ao fim
e gostei do final cada um com seu par, Constancia andando pobrinha foi um swouuuuuu, enfim o fina que eu queria, comecei a assistir a outra hj vamos ver se vai ser boa
Bjuss com carinho
Rita!!!!

Tainá disse...

Oi, Sérgio!
Gostei muito do último capítulo, mas não diria que foi impecável...
Fiquei um pouco decepcionada com o final da família Praxedes. Não gosto quando uma novela acaba com uma mentira sendo caracterizada como um ato necessário para manter todos felizes. Como assim, a Teresa e o Praxedes vão criar o Ângelo e ele vai chamar os filhos de Sandra e Teodoro de tios? Achei tão descabido como o final de Caminho das Índias, em que Maya não contou pro Raj que ele tinha um filho com a Duda...
Mas enfim, são escolhas que os autores fazem, talvez para fugir de clichês e finais moralistas, mas não sei se concordo (mesmo porque os autores de Lado a Lado acabaram optando pelo clichê de todos os vilões se darem mal).
Fora isso, se não me engano, esqueceram de mostrar a Eliete (Maria Eduarda) na homenagem final. Tudo bem que foi só uma participação, mas mostraram a Rogéria, então...
Mas de modo geral, gostei bastante do último capítulo, atuações excelentes e os desfechos dos personagens foram bem legais! Até um mistério conseguiram colocar no final (o chantagista da Constância)!
A última semana da novela foi super dinâmica! Talvez porque deixaram tudo pra acontecer só no final. Em contrapartida, durante vários momentos a novela caía num marasmo... Acho que talvez esse tenha sido o grande responsável pela baixa audiência, porque de resto, a novela foi perfeita!
E que elenco!
Nem vou colocar a Marjorie e a Patrícia Pillar entre os destaques, porque elas estão num nível muito acima dos demais... Foram grandiosas.
Pra mim, destacaram-se: Thiago Fragoso, Débora Duarte, Álamo Facó, Zezeh Barbosa e Sheron Menezes. A última, em particular, me supreendeu muito! Mostrou que pode fazer outros personagens que não apenas coadjuvantes sem sal e sem importância.
Bem, é isso. Lado a Lado vai deixar saudades... Não tanto como A Vida da Gente, é verdade, mas vai fazer falta.
E como alguns já comentaram acima, acho que vou dar uma sumida do blog por uns tempos, porque Grazi Massafera e Henri Castelli não dá, né... rsrs
(os dois individualmente já não empolgam; juntos como protagonistas então! Misericórdia!)

Anônimo disse...

Sérgio, gostaria de pedir licença a vc, a dar minha opinião relativa ao comentário de Cíntia Nogueira...

Cíntia, eu entendo perfeitamente o seu ponto de vista...mesmo hoje não pensando dessa forma, já pensei, e graças aos rumos que os autores deram a trama de Laura e Edgar...hoje vejo por outro prisma, que explico a seguir..mas te entendo perfeitamente, e sei que como vc, tem muitas e muitas fãs do casal que estão totalmente decepcionadas com o final do casal, que inclusive foi um fim bem morno, sem sal para um casal que era tão vivo, tão brilhante, tão empolgante...

Minha teoria é que...
existem 3 classes diferentes de fãs do casal Laured.
1) o grupo das Laureds e geral que ve apenas a história superficialmente, amavam o casal, e queriam ve-los juntos, apenas isso, independente de qqr coisa, quem está certo ou errado, se alguem errou ou não, se tem ou não um culpado para o término, o que importa seria eles ficarem juntos...talvez para esse grupo, o fim deles foi bom, mas acredito que não para 100 %.

2)e acho que aqui vc se encontra..
é o grupo de quem amava o casal, sabia de todas as questões que levou ao divórcio, entendia que Laura teve todos os motivos para se separar e continuar assim até o Edgar provar que reconheceu a culpa e se redimisse pedindo perdão...mas mesmo que isso não acontecesse, e eles ficassem juntos no final, com a família deles, felizes, estaria de bom tamanho, superaria a falta da DR que levou a separação inicial.. isso inclui sim um filho deles, o que seria o mais coerente da trama, já que concordo que isso foi levantado diversas vezes durante a novela, a vontade deles de ter o filho "deles", e foi ato falho isso não ter acontecido, pois mesmo Melissa ficando com eles, o que era totalmente previsível..Laura sofreu muito com a perda do filho, e não superou isso, ficou claro em muitas vezes, como qd disse que queria muito abraçar o filho que perdeu, enfim, para este grupo, o final de familia feliz completa abonaria a falta de reconhecimento de culpa e remissão do Edgar...o que nunca veio..nem mesmo a recompensa do filho perdido, acho que seja por isso essa frustração, e isso normalmente é visto por uma alma feminina..
contin....

Cat

Anônimo disse...


3)aqui me incluo, por isso disse que abandonei as falhas e só estou olhando pro saldo positivo da novela...
Este grupo inclui os fãs da casal que de igual forma amavam imensamente o casasl, mas se aprofundou demais na trama, sofreu mto junto com a Laura, e no decorrer da trama viu a Laura admitir que não poderia voltar com Edgar na mesma casa, pois tinha medo de que acontecesse tudo de novo..e daí, como aceitar que eles voltassem definitivamente, se diante da cena de Catarina ser desmascarda (pra mtas de nós, era a cena mais esperada e frustrou num grau, pois tanto a cena foi mal escrita, um texto fraco e mta coisa ficou sem ser dita..(eu teria escrito melhor), como a continuidade foi péssima..aguardamos meses pela cena em que o Edgar descobriria a verdadeira Catarina, que poderia não ser pai da Melissa, que cairia em si e veria o quanto foi injusto e cruel com Laura, reconheceria que foi errado com ela que trocou o certo, o filho dele que ela esperava, pelo duvidoso, uma incerteza que levaria para toda a vida e finalmente pediria o perdão..mas o que veio...simplesmente as cartas..como se isso fosse toda a razão para o divórcio..CL conseguiu fazer de sua heroína feminista uma menina mimada e egoísta que abandonou o marido perfeito (não foi essa palavra que ela coclocou na boca da Laura?)por mero capricho, pelas cartas, e no final teve que reconhecer que ele era o marido perfeito e que ela teve que sofrer e amadurecer para entender isso e aceita-lo seja do jeito que fosse...

e foi nesse dia que o encanto de Laured sobre mim e sobre muitas outras, acabou....sabe aquela coisa de reassistir as cenas deles N vezes, querer saber o que aconteceria,,..enfim..acabou ali, naquela quinta feira..os autores conseguiram acabar com o encanto do casal, e com isso, acabou as expectativas tbm..por isso, que não senti falta de bb no final feliz..pois pra mim,.. o fim já tinha acontecido e a frustração já tinha vindo tbm, pois aquela Laura não era nunca a mesma que se divorciou com tanta firmeza, pq em nenhum momento Edgar assumiu para ela que errou e que se sentia culpado, e ela perdeu aonde o medo de tudo acontecer de novo? Magica? quem garante que no primeiro acontecimento o príncipe dela não volte a virar sapo novamente?
Enfim, claro que o casal sempre será lembrado como "o casal", talvez com o tempo, essa frustração passe e eu volte a rever cenas deles novamente, mas por agora tá difícil, pois meu encanto se foi...

só escrevi isso pra vc saber que não está sozinha...muitas meninas ainda pensam como vc e esse final frustrante vao asssombrar muito tempo, mas depois espero que passe..os autores não souberam terminar a história tão linda que eles criaram.inicio perfeito demais, mas meio e fim frustrantes..
Cl optou por fazer de Edgar um príncipe, mas se esuqeceu que nós assistimos a fase sapo dele com a "mulher amada" e que não vimos uma única cena dele se arrependendo ou se sentindo culpado em relação a isso..e ainda ela não foi capaz de colocar uma frase na boca da Laura pra se explicar pelas razões do divórcio, na segunda fase, enquanto o Edgar teve várias cenas pra dizer que "Laura se separou pq quis", inclusive no pedido de casamento, o que acabou com o encanto da cena..pq não colocar "E nós ficamos assim por 6 anos", não mais uma vez ela coloca a culpa na Laura "Vc quis assim por 6 anos"..

enfim, a novela acabou, mas ficou marcada nessas incoerencias..e que não venham dizer que foi por causa daquela enquete do site da globo, pq se fosse isso Isabel tinha ficado com Albertinho como todo mundo queria, como deu nas 2 enquetes, e não com o chato do Zé...é isso..desulpe o texto longo..mas só entendo vc e sei que não está sozinha nisso, mesmo que as pessoas te contrariem..CL se perdeu na história Laured sim. não há como negar.

Cat

Anônimo disse...

Só mais uma coisa, não vim aqui "só pra criticar a novela", como muitos podem pensar..amei demais essa novela, mas tbm me frustrei demais, mas por gostar da novela não significa fechar os olhos para o que foi errado e torço para que esses autores em obras futuras, trabalhem mais esses pontos soltos de novela, pois essa deixou sim um monte de fio solto, que poderiam ter rendido bem mais..é isso

Cat

Bia Hain disse...

Espetacular! Gostei dessa novela do início ao fim, apesar de ser uma história clássica tinha elementos contemporâneos. Ótima semana!

Letícia disse...

Em primeiro lugar gostei muitíssimo da novela Lado a Lado. Lamento por ter terminado, gostei bastante dos finais e dizer tudo o que já foi dito seria redundante. Ao meu ver foi uma novela impecável, nada é perfeito, mas, com certeza, esta novela foi muito superior as outras que estão no ar, até mesmo a anteriores.

Vejo que muitos ficaram tristes por Laura e Edgar não terem tido um filho para celebrar a felicidade do casal. Particularmente não vejo problema nisso. Apesar de todo o sofrimento que levou a separação, a perda do filho, a falta de comunicação, a maneira com a Catarina espezinhava Laura, acho que houve uma "superação" (aceitação, talvez), por parte a Laura neste sentido. Concordo que faltou uma cena em que Edgar pedisse perdão, mas a forma como ele "aceita" a esposa no final é uma forma de pedir desculpas, percebe ela como alguém que pode assumir as rédeas de sua própria vida, o aceite de volta, apesar de todos os "erros" dele cometidos no passado. Então a iniciativa da volta é dela, e ela só volta a partir do momento que percebe que houve uma mudança da parte dele.
Quando a falta do filho deles, houve uma cena, no último capítulo, já no casamento, em que Laura fala para Edgar que finalmente Elias e Albertinho estão se acertando.. Edgar fala para ela que é bom mesmo porque, no futuro, vira o sobrinho do Albertinho... (as palavras foram mais ou mesmo essas), então se supõe que um filho já é planejado. Também gostei muito do fato de ela assumir a Melissa, acho uma ato de generosidade, afinal de contas como ficar com Edgar e negligenciar a menina, não seria justo. Mãe é quem cria e não quem faz, que contar que foi uma "vingança" e tanto contra a Catarina, que culpava a filha pela perda da carreira.

Quando a Flor do Caribe, confesso que ainda não assisti e nem pretendo. Depois de assisti algo tão bem acabado, tão bem feito, com atuações maravilhosas,com um visual primoroso em todos os sentidos, esta nova novela parece ser tão sem graça. Gostei demais de Lado a Lado e gostaria que a Globo a lançasse em DVD, mas não acho muito provável.

Letícia (de novo) disse...

A Redenção do Edgar é quando ele assume o pseudônimo de Antônio Ferreira, ali ele escreve tudo que
Laura gostaria de ouvi do próprio Edgar. Ali nasce a admiração por alguém que entende o que ela pensa e sente, é por isso que ele sente tanto ciúme dele mesmo (cenas hilárias). Acredito que ali era sua forma de pedir desculpas, de começar a entender sua ex-esposa, de começar a entender o ponto de vista dela e aceitá-lo. Ali, também, nasce a admiração do Edgar pelo Paulo Lima. No momento em que Laura descobre a verdadeira identidade do jornalista que tanto admira, ela finalmente aceita o Edgar de volta, porque compreende que ele finalmente a enxergou e a entendeu. Afinal de contas se dependesse dele, ela jamais teria saído do casa. No meu entender esta é a redenção do Edgar.

Sérgio Santos disse...

Oi Vanessa. Lindo capítulo mesmo. Due gosto de assistir. Concordo, os finais foram excelentes e também gostei do casamento do Zé com a Isabel. Foi diferente e bonito. Patrícia deu seu show costumeiro e Berenice caiu literalmente.

Essa novela entra para a minha lista de preferidas também e estou sentindo muita falta. Flor do Caribe não me animou em nada.

Que má sorte faltar luz justamente no último capítulo! Imagino sua dificuldade! Infelizmente o ibope registrou 21 pontos, muito baixo para um desfecho.

Pena que vc vai sumir, mas estou esperançoso com a novela do Walcyr e com a próxima das sete, embora adore Guerra dos Sexos. Beijão!

Sérgio Santos disse...

Sim, lembro, Paulo. Também acho isso desnecessário. Assim como os apresentadores do Vídeo Show falando que Salve Jorge é um sucesso...

Sérgio Santos disse...

Oi Cat! Pelo visto também é uma despedida de alguns leitores. Mas compreendo.

O último capítulo foi lindo demais e merecia ter alcançado uns 30 pontos. Cenas surpreendentes e, claro, os tradicionais clichês também. Um show de atuações.

É 'soda' mesmo. Também já sinto falta dos personagens.

Bem, então até a volta! Bjs!

Sérgio Santos disse...

Oi Rafael. Eu odiei Araguaia. Aquele papo de índio feiticeiro não dava pra mim. Fora o ritmo devagar quase parando. Mas as imagens eram lindas e isso se repete em Flor do Caribe. Aliás, se repete o resto também... Abraços.

Sérgio Santos disse...

Oi Kellen. Não tiraram mesmo. bjs

Sérgio Santos disse...

Oi Cíntia, eu entendi seu ponto de vista. E claro que sei que vc não quer ofender.

Não disse para esquecer os erros, tanto que os mencionei no texto: caso de Isabel e Zé Maria, heroísmo dele, demora para o desenvolvimento da trama da Sandra, enfim...

Só que Laura nunca sonhou em ter um filho. Isso nunca foi meta da vida dela. Claro, ficou feliz quando soube, afinal ,era filho de seu grande amor. Também sofreu quando perdeu, nada mais natural. Mas sua meta era justamente ser uma mulher independente e capaz de enfrentar preconceitos da sociedade.

Entendo a decepção pelo não-gravidez, mas na minha concepção não prejudicou a beleza do casal e nem o final deles. Beijos.

Sérgio Santos disse...

Oi Rita. Também adorei o final. Beijos!!!

Sérgio Santos disse...

Oi Tainá! Achei interessante o final da família Praxedes porque a sociedade jamais aceitaria aquilo e muito menos o Praxedes. Então seria um final infeliz se contassem. Achei coerente e como vc mesmo disse, fugiu do clichê.

Verdade, deveriam ter colocado a Maria Eduarda. Acrescento Beatriz Segall e Maria Fernanda Cândido que também participaram. Beijos e não suma não!

Sérgio Santos disse...

Ah, Cat, vc tem toda a licença do mundo. Aliás, todos podem e devem interagir se quiserem. =)

Sérgio Santos disse...

Oi Bia, obrigado. Pra vc também.

Sérgio Santos disse...

Letícia, concordo com cada palavra, cada vírgula e cada frase dita nos seus comentários. Assino embaixo mesmo. Não tenho mais nada a acrescentar. Beijos.

Filha do Rei disse...

Sérgio, foi o que eu pensei qnd a novela terminou e apareceu a foto de todos que tiveram relação com a novela, dizer: Obrigada!!
Hj como no Brasil o que vale é audiência, é vender muito( no caso da música), Lado a lado foi uma grata surpresa para mim. Fazia um tempinho que na hora de uma novela eu não parava para me deliciar com as atuações de cada ator, com uma história inteligente e agradável.
Aiiiii, já estou morrendo de saudades :)

Sérgio Santos disse...

Pois é, Cléo, temos que agradecer o belo trabalho que foi exibido. Já estou com saudades e o horário das 18h está mal servido agora. Pena. bjsss

Cíntia Nogueira (cintiana2) disse...

Sérgio, sei que já passou um bom tempo desse post, mas não resistir em escrever. Te digo uma coisa eu não concordo que Laura nunca sonhou em ser mãe. Houve muitas cenas dela sonhando com um filho (tanto na segunda fase quanto na primeira) e nem todas era atreladas a Edgar. Claro, esse nunca foi um sonho inicial de Laura, que queria independência e uma profissão. Mas lembre que ela também não queria se casar, então nesse caso, dizer que tá satisfeito por que ela mostrou ao que veio e se tornou independente. Seria também ficar satisfeito se Laura e Edgar terminassem separados, afinal ela também não queria se casar inicialmente. E eu penso que poucos gostariam do final se Laura e Edgar terminassem separados.

Sérgio Santos disse...

Cíntia, pode escrever quantas vezes quiser. Sem problemas.

Entendo seu ponto de vista, mas achei o final do casal tão bonito e criativo com a revogação do divórcio ao invés do tradicional casamento que nem liguei pra isso. Beijos!

NPR disse...

Oi.
Como já tive oportunidade de dizer, aqui em Portugal a novela estreou faz uns 50 capitulos.

A primeira impressão pela chamada é que é tudo cliché. Demasiado enfase às cenas de capoeira - uma forma de auto promoção que não aprecio. O cliché da mãe a dizer à filha que tem de se casar e os estudos foram só uma distração. Mas depois vi o primeiro capitulo e apesar de achar que exageraram no enfase à capoeira e no heroismo do mocinho zé, percebi que a edição da chamada é que foi muito triste.

Depois a primeira coisa que reparei foi na trilha sonora. E não gostei. Mais uma vez achei que o casamento entre novela de época e ritmos de samba com menção da sapucaí e com imagens de chuteiras de futebol não passavam de estratégias propagandistas ao tipo de imagem que o brasil gosta de "exportar" sobre si mesmo.

Mas mais uma vez depois gradualmente fui entendendo - pois introduziram o futebol ao invés do criket e percebi que talvez fossem usar o futebol na trama.

Contudo continuo a achar que o casamento musical podia ter sido melhor. Senti falta de uma melodia mais instrumental, como os acordes que só aparecem nos separadores de publicidade. Quase que me fazem suspeitar que fazem parte de uma melodia inicial posteriormente substituida pelo tema da Liberdade. Que por ser samba achei que casava mal. Era forçado demais meter as referencias pelas quais o brasil é conhecido cá fora "à força" numa novela de época de início do seculo XX. Mas depois gostei. Embora ainda ache que a melodia principal muitas vezes não "casa" com a cena, existiu contudo o momento ideal, onde esta brilhou: a conclusão da revolta da chibata.

E é isto que espero das melodias. Elas devem fazer parte da história e até narrar um pouco a mesma. E nem todas as alturas servem.

Acho que esse casal laura e edgar só funcionou por causa disso mesmo. Se tivessem ficado juntos sempre aos beijos e amassos seria um porre. O bom foi isso mesmo: casam logo, separam e só no final voltam a juntar. De resto como sempre é, mas desta feita a coisa foi apresentada de forma diferente. Se fizerem mais formulas assim, decerto vai resultar. No meu entender pelo menos até agora, a quimica entre os dois não me pareceu nada de especial. De inicio foi super forçada. Pelo que é mesmo a trama que a torna credivel.