sábado, 16 de março de 2013

Manoel Carlos: 80 anos de vida, fechamento de um ciclo e uma novela cercada de expectativas

Na última quarta-feira (14/03), Manoel Carlos completou 80 anos de vida. O consagrado novelista comemorou a nova idade sem festa --- devido à perda de seu filho primogênito ano passado --- e com muito trabalho. Em recente entrevista ao Jornal O Globo, o autor contou que planeja escrever um romance, estrear uma peça e colocar no ar uma minissérie --- "Madame", baseada no livro "Vale Abraão". Mas além desses projetos, Maneco terá como principal missão fechar seu ciclo no horário nobre. Se considerando cansado demais para se dedicar por tanto tempo a um trabalho tão estressante, o autor quer deixar as novelas de lado. Assim sendo, já começou a escrever os primeiros capítulos de sua última novela que estreará em 2014: "Em Família".


Apesar de ir ao ar apenas ano que vem, a última trama do autor já desperta muita curiosidade, tanto da imprensa quanto do público. Após ter emplacado duas grandiosas minisséries --- "Presença de Anita" (2001) e "Maysa - quando fala o coração" (2009) --- e tantas novelas de sucesso como "A Sucessora" (1978), "Baila Comigo" (1981), "Felicidade" (1991), "História de Amor" (1995), "Por Amor" (1997), "Laços de Família" (2000) e "Mulheres Apaixonadas" (2003) --- embora não tenha sido feliz em "Páginas da Vida" (2006)  e "Viver a Vida" (2009) ---, é perfeitamente normal que sua última novela gere boas expectativas. Afinal, o novelista faz parte da história da teledramaturgia.

Maneco procura apresentar ao público ricas situações envolvendo conflitos familiares e relações amorosas, mergulhadas no universo do mais puro cotidiano. Não é por acaso que suas obras --- sempre retratadas no Leblon, tradicional bairro do Rio de Janeiro --- costumam exibir personagens entrando e saindo de elevadores, discutindo no
trânsito, comprando na feira, enfim, vivendo uma vida parecida com a do próprio telespectador. Em sua última novela essa regra irá continuar e nem poderia ser quebrada. O autor conta que a história partirá de um menino de 13 anos que encontrará um medalhão com a imagem da Fênix. A partir daí, o garoto ficará maravilhado com o significado --- o renascimento através das próprias cinzas --- e dará o objeto de presente para sua namoradinha de 12 anos como símbolo do amor que nunca morre. Obviamente que haverá uma passagem de tempo. Já o título "Em Família" remete ao enredo que consiste na trama de duas irmãs casadas com dois irmãos e o amor entre primos, filhos dos respectivos casais. Ou seja, tudo o que o escritor mais gosta: relações familiares.

E para fechar o ciclo das Helenas --- suas controversas e fortes protagonistas ---, Manoel Carlos convidou Júlia Lemmertz. Nada mais justo do que escalar uma grande atriz e que é filha de Lilian Lemmertz, a primeira Helena do autor, de "Baila Comigo". Por enquanto é o único nome do elenco. Entretanto, a trama está tão aguardada que já começaram a surgir especulações a respeito de nomes. Segundo a jornalista Patrícia Kogut, o mercado de atores está agitado por causa da última novela de Maneco.

Ao despertar tanta curiosidade em cima de sua última novela, Manoel Carlos comprova que é e sempre será um dos principais nomes da teledramaturgia. Após ter sido jornalista, ator, produtor e diretor, ele se encontrou como autor e escritor, beneficiando diretamente o telespectador noveleiro, que desde então se delicia com suas histórias.

Com 80 anos recém completados e tendo um currículo admirável, Maneco tem tudo para encerrar sua história nas novelas em grande estilo. Só resta parabenizá-lo por tudo o que já fez e por tudo que ainda irá fazer. Que sua última história no horário nobre seja um lindo presente para ele, e claro, para o público. Parabéns, Manoel Carlos! E o telespectador tem um encontro marcado com você em 2014! Até lá.

57 comentários:

✿ chica disse...

80 anos já? Puxa!! E ele é sempre sucesso, certamente será ainda! abração,tudo de bom,chica

paulo disse...

Adoro as novelas dele: simples, despretenciosas... E ao contrario de outros autores clássicos, como Gilberto Braga cujo estilo não se adapta aos dias de hoje, o MC conseguiu criar um estilo que se adequa ao que temos hoje na teledramaturgia. Mulheres Apaixonadas foi muito boa mesmo. Voce acompanha Felicidade no viva Sérgio?

Rafael Barbosa dos Santos disse...

Maneco é um de meus autores favoritos, gostei até de seus fracassos, digamos assim, rs. Amo o estilo dele, a forma com que ele escreve, como ele mergulha na dor e nos sentimentos dos personagens, toda e poeticidade do seu texto. Enfim, é uma pena que seja sua última novela, Maneco fará falta no horário nobre com sua Helenas e historias passadas no Leblon. Expectativa para sua ultima novela, são as melhores, espero que ele encerre esse ciclo com chave de ouro. Parabéns Maneco!!

Elvira Akchourin do Nascimento disse...

Gosto do estilo do Manoel Carlos, mas suas tramas são repetitivas desde "Mulheres Apaixonadas", uma das melhores novelas dele, ao lado de "Por Amor" e "Laços de Família". O pontapé inicial de "Em Família" lembra tantos outros - inclusive "A Moreninha" -, mas achei ótima a ideia de homenagear a grande Lílian Lemmertz, convidando a filha, Júlia, para protagonista.
Quanto às minisséries, gostei de "Presença de Anita" e "Maysa".
Desejo saúde e sucesso para o veterano autor.

Vera Lúcia disse...


Olá Sérgio,

Gosto das novelas de Manoel Carlos, que realmente é um monstro da teledramaturgia e espero que ele possa encerrar este ciclo com muito sucesso.
Parabéns a ele pelos 80 anos e pela bela trajetória!

Beijo.

Felisberto Junior disse...

Olá!
Sérgio
Parabéns ao Manoel Carlos pelos 80 anos. E teve a sensibilidade de escolher a Julia (filha da primeira Helena do autor ). Ele que se destacou pelas Helenas em suas tramas.
Gosto dele.
Bom finde
Abraços

MARILENE disse...

Não sabia a idade dele. Admiro seu trabalho e essa disposição de continuar ativo, planejando e realizando obras, sem demonstrar cansaço. Suas Helenas são inesquecíveis e a escolha da atriz Julia Lemmertz é primorosa, não só por sua origem, mas pelo inegável talento. Bjs.

Clau disse...

Oi Sérgio :)
Que legal ele ter escolhido Júlia Lemmertz,para protagonizar Helena.
Manoel Carlos é um dos melhores e mais talentosos autores.
Tomara que sua última novela seja um brilhante sucesso.
Bjs \o/

EDER RIBEIRO disse...

Sérgio, isso prova que pra se criar a idade pouco importa. Só fã do Maneco, adora as suas histórias e com certeza, essa, eu vou acompanhar. Abçs.

FABIO DIAS disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
FABIO DIAS disse...

Otimo texto. Super ansioso pelo retorno do Maneco. Amo suas novelas. Pena q Walcyr veio antes.

Abraços
Fabio

www.ocabidefala.com

Mila C disse...

Adoro as novelas do Manoel Carlos, mas Viver a Vida não deu para engolir, que tenha mais sorte em 2014.

Thallys Bruno Almeida disse...

Perfeito texto, Sérgio.

Comecei a prestar atenção em Manoel Carlos em Por Amor, onde a Helena de Regina Duarte marcou demais, Gabriela Duarte cortou um dobrado pra mostrar que era boa atriz em meio à rejeição de Maria Eduarda, e Suzana Vieira viveu uma de suas atuações áureas. Como não se apaixonar pela Helena e odiar Branca Letícia? A trilha sonora, então, sensacional, especialmente Palpite (único sucesso da Vanessa Rangel). Uma novela linda, que foi marcada pela morte do Paulo Ubiratan e a consolidação da parceria Maneco-Ricardo Waddington.

Laços de Família, então, foi demais. Giovanna Antonelli, Tony Ramos, Deborah Secco, José Mayer, muita gente boa mesmo. Além, é claro, da famosa cena marcante da Carolina Dieckmann raspando a cabeça ao som de Love by Grace, marcada até hoje. Foi sensacional.

Mulheres Apaixonadas foi uma verdadeira obra-prima. Toda uma profusão de temas completos e muito bem abordados: o alcoolismo de Santana; o amor lésbico de Clara e Rafaela; a violência contra o idoso (saudosos Louzada e Carmem Silva); a violência contra a mulher; a paixão de Estela pelo padre; tudo foi tão bem equilibrado e dosado de forma que todas essas tramas foram "protagonistas" junto com a Helena da vez. A minha preferida entre as atuais de Maneco, seguida por Laços. As cenas marcantes da vez: Raquel sendo arrastada pela cama e agredida / Fernanda levando um tiro no Rio.

Páginas da Vida foi quando ele começou a se perder, e a direção do Monjardim começou a contribuir com isso, embora trouxesse mais grandes temas como a síndrome de Down e a anorexia.

Viver a Vida: pior novela de Maneco. Toda a expectativa estava centrada na Taís Araújo, por ser a primeira negra protagonista das 21h global, mas foi Alinne Moraes e sua Luciana quem saiu consagrada pelo público. Só a trama de Luciana tinha atrativos e, se por um lado era criticada por que a personagem era rica e tinha acesso a recursos de reabilitação pouco acessíveis, por outro, a superação e a força de vontade da personagem eram reconhecidos. Além da imensa química entre Alinne e Mateus Solano, este vindo de um ótimo trabalho em Maysa. Ainda assim, os outros núcleos praticamente nada tinham de interesse, histórias que prometiam mas foram mal-desenvolvidas, parte do elenco mal-aproveitada (foi imperdoável ver Lolita Rodrigues sendo desrespeitada daquele jeito). Aquele núcleo Betina-Malu? Se foi pra tentar fazer comédia, foi um desastre.

E das minisséries, Presença de Anita foi sensacional, ainda mais porque foi em um tempo em que o politicamente correto e a "classificação censurativa" ainda não nos enchiam o saco. E "Maysa" foi um trabalho belíssimo, Larissa Maciel coube perfeitamente na personagem de tal forma que dava até pra ver a verdadeira Maysa ali. Eduardo Semerjian (André Matarazzo) e o já citado M. Solano foram outros destaques.

Enfim, Maneco, mesmo tendo estes fracassos que citei, merece os aplausos. Consagrou um estilo próprio reconhecível de longe; influenciou jovens autores (vide Lícia Manzo e sua belíssima A Vida da Gente); e até hoje tem sua legião de fãs. Mesmo com a direção do Monjardim, tô bem ansioso por essa nova novela. Adorei a escolha da Júlia, ela merecia depois daquele papel ridículo em FE; e também o anúncio de alguns nomes, como o Tony Ramos, a já citada Alinne Moraes (ela própria confirmou) e a Viviane Pasmanter (torço pelo retorno dela). Essa promete. Abçs!

GustavoGM disse...

Tenho muito receio dessa última trama do maneco, pois as ultimas duas novelas dele foram uma decepção só: arrastadas,com elenco inchado, sem trama para desenvolver até o fim e previsíveis. Espero que nessa ele não cometa os mesmos erros.

A Globo tb podia ajudar e deixar que essa novela seja mais curta, com no máximo 120 capítulos, para não haver enrolação e Manoel Carlos fechar um ciclo em grande estilo.

Outra medida seria indicar um autor para escrever a novela com ele, assim dividiriam o trabalho e não haveria sobrecarregamento em cima do Maneco que poderia concentrar esforços na trama principal. Acho que ele não gosta de escrever a novela com outro autor, mas como ele já tem uma idade avançada e pelo histórico de suas 2 últimas novelas, a emissora poderia impor essa medida.

Por gostar das tramas dele espero que a novela seja um sucesso. Poderia até ter a participação das outras Helenas na novela. Seria muito interessante rever todas essas personagens icônicas.

Carlos disse...

Pra mim um dos maiores autores da Globo. Só tem um defeito, e que hoje é o mal de TODOS os autores: os personagens masculinos são uma droga, sem personalidade. Fora isso, as personagens femininas tem uma sensibilidade, que é possível ver em cada palavra dita pelas atrizes, e isso é perceptível, tanto que a pior atriz fica mediana em suas novelas, eu pelo menos não lembro uma atriz que tenha sido péssima.

Pra mim o único desastre na carreira dele foi Viver a Vida, as demais sempre aconteciam alguma coisa. Páginas da Vida, que adorei, teve uma barriguinha mas em uma fase perdoável: quando o Tarcísio adoeceu, e como ele era o "centro"... Fora isso, todas as novelas, com excessao, de VAV, tiveram um apelo com o público, emocionaram e aconteceram de verdade com a maioria dos personagens.

Pena não estar empolgado com a próxima trama, por não estar acompanhando novela, mas que ele faça um ótimo trabalho. Merece.

Abraços

Sérgio Santos disse...

Pois é, chica. Oitentinha. bjss

Sérgio Santos disse...

Também gosto muito das novelas dele, Paulo. Só não gostei das duas últimas. Tinham situações interessantes mas no geral foram fracas.

Não tenho acompanhado mas adorei a Helena da Maitê Proença e gostava muito da Bia da Tatiane Goulart. Além do Olavo do Tony Ramos e da vilã interpretada brilhantemente pela Viviane Pasmanter. Abraços.

Sérgio Santos disse...

Rafael, também tenho boas perspectivas de uma grande novela. Ele vai se dedicar muito pra encerrar em grande estilo. As duas últimas tramas dele eu só gostei de alguns núcleos, mas no geral achei decepcionantes. Mas acredito que tenham sido meras exceções. Abraço.

Sérgio Santos disse...

Pois é, Elvira, depois da excelente Mulheres Apaixonadas o Maneco errou a mão em suas novelas. Se repetiu e se perdeu em vários momentos. Mas tenho esperança que seu último trabalho será tão bom quanto os que fizeram sucesso. Beijos.

Sérgio Santos disse...

Oi Vera. Parabéns a ele mesmo. Bjs!

Sérgio Santos disse...

Oi Felis. Foi uma acertada escolha mesmo. Júlia merece isso. Abraços.

Sérgio Santos disse...

Marilene, ao escolher a Júlia o autor não poderia ter sido mais feliz para encerrar seu ciclo de Helenas. Bjs

Sérgio Santos disse...

Oi Clau. Tomara mesmo. Ele e nós merecemos. bjs

Sérgio Santos disse...

Eder, exato. Também sou fã dele. Abraços.

Sérgio Santos disse...

Obrigado, Fábio. Também estou ansioso, mas não lamento ter a do Walcyr antes porque estou com ótimas perspectivas pela estreia dele no horário nobre. Abraços.

Sérgio Santos disse...

Oi Milca, concordo. Viver a Vida só se salvou pela trama da Luciana e seus conflitos com a mãe e a irmã. Tirando isso foram muitos equívocos. Mas tenho esperança nesse último trabalho. Bjs!

Sérgio Santos disse...

Thallys, endosso tudo o que vc escreveu. Páginas da Vida e Viver a Vida foram seus grandes equívocos mas as anteriores se superaram na riqueza das histórias e na intensidade dos diálogos.

Alinne e Tony merecem fazer parte desse time e aguardo a escalação de mais talentos. Só espero que o autor não escale gente demais e depois ignore a existência de vários atores como fez em suas duas últimas novelas.

A direção do Jayme me desanima porque foi justamente ele que dirigiu PdV e VaV, mas vamos torcer para acertar dessa vez. Ricardo Waddington formava uma dupla boa com Maneco, mas enfim... Abraços!

Sérgio Santos disse...

Gustavo, concordo. As duas últimas novelas dele foram fracas mesmo. Mas ainda assim acredito que essa será ótima. Torço por isso.

Não acho que Maneco aceitaria isso e acho justo que ele encerre seu ciclo escrevendo sozinho como sempre fez. Vamos ver como vai ser. Abraços!

Sérgio Santos disse...

Carlos, também o acho um grande autor. Olha, cito Taís Araújo como um exemplo de quem foi péssima. Juntou uma personagem ruim com uma interpretação equivocada.

E realmente os personagens masculinos dele são sempre uns bananas. Mas como vc disse, é verdade, vários autores têm feito isso. Uma pena.

Olha, Página da Vida foi muito feliz na abordagem da síndrome de Down e no núcleo da Regina Duarte-Fernanda Vasconcello-Lilia Cabral-Marcos Caruso. Mas tirando isso a novela foi fraca. Uma quantidade absurda de atores onde a maioria mal aparecia (fato semelhante ocorrido em Salve Jorge). Tanto que Antonio Calloni reclamou do seu personagem e acabou morrendo na novela sendo que a morte não acrescentava em nada na história. Enfim...

Torço para que essa sua última novela acerte tanto quanto Laços de Família, Por Amor e Mulheres Apaixonadas. Abraços.

Lulu disse...

Adoro as novelas do Maneco, ele fala exatamente o que a gente pensa. Como não amar?
Big Beijos

Barbie Californiana disse...

80 anos!? Ele está muito bem, Sérgio! Adoro as tramas dele, são sempre envolventes, por isso, fazem sucesso.
beijos e lindo domingo.

VERINHA TIBURSKI disse...

Que peninha que ele vá se afastar, porem o descanso é preciso.As mini séries e novelas mencionadas no seu texto marcaram minha vida, quando mais nova era uma verdadeira noveleira.Amei a novela Por Amor, bem emocionante, adorava a Gabriela no papel e a Regina nem se fala sempre fui sua fã. Laços de família emocionou, apesar de nunca ter gostado da atriz Vera Fischer, sei ela é minha chara, mas mesmo assim não me fez acreditar em sua atuação. Cada um com sua opinião, não é?
Enfim felicidades a este grande autor, que realmente merece nossos parabéns, fez uma belíssima carreira, vou esperar pela novela que com certeza irei assistir.
Uma bela semana. Beijinhos.

A viajante disse...

Ai, que legal... tomara que seja uma novela envolvente! Gosto muito desse autor... ou será que gosto do Rio de Janeiro, tão retratado em suas novelas?? Ai, isso nem importa... um beijo, querido!

Sissym disse...

Querido amigo Sergio,

Eu adoro quando encontro as deliciosas cronicas dele na Veja Rio. Escreve com tanta naturalidade que penso que o conheço pessoalmente.

Beijos

Paty Michele disse...

Eu gosto muitíssimo das novelas dele e claro que não perco mais uma Helena.
adoro o trabalho da Julia Lemertz, acho que vai ser sucesso!

Um bjo, Sérgio.

Carlos disse...

Mas Carlos, a Helena de Taís Araujo foi muito mal escrita, nem a melhor atriz faria milagre com uma personagem tão ruim. Ela não tinha uma história, uma base que desse pra dar dó no telespectador e ficou trocentos capítulos se sentindo culpada por um "crime" que não havia cometido. Ainda fizeram uma personagem meio arrogante pra ela... Não tinha como tirar leite daquela pedra. Por isso nem culpo a atriz, mas o autor. A atriz fez o que pode.

Quanto a páginas, vários outros tiveram destaque: Viviane Pasmante e Caco Ciocler (o casal mais carismático), o drama de Natália do Vale com Eduardo Lago e Marjorie Estiano (que emocionou ao lutar pelo pai, que foi o personagem que deu destaque ao ator), a personagem chata da Debora Evelyn que irritava a novata Pérola Faria, tratando o assunto da bulimia), resumindo, oo núcleo da família do Tárcisio Meira, já dava um show, pq era cheia de conflitos consistentes, por isso considero a novela boa, e por isso acho que a barriga deu na fase em que o ator teve que se ausentar, a queda inclusive deu nesse período. A novela era cheia? Sim, mas até que tocava em vários assuntos, várias polemicas e não como as atuais em que os autores focam no "sucesso", como o próprio Maneco fez com VAV e focou só na Alinne Moraes.

No mais, torço pelo autor fazer um sucesso e apagar o erro dele, que foi Viver a Vida.

Abraço

Sérgio Santos disse...

Verdade, Lulu. bjsss

Sérgio Santos disse...

Oi Barbie. Sim, oitentinha. Beijos!

Sérgio Santos disse...

Oi Verinha. Pois é, mas será um descanso só das novelas. Ele fará minisséries depois.

Adorei Laços de Família e considero a atuação da Vera Fisher excelente. Ali ela se entregou ao papel e o fez lindamente. Depois não sei o que houve com ela. Parece que desaprendeu.

Bjs!!!

Sérgio Santos disse...

Talvez dos dois, Ju! Bjs!!!!

Sérgio Santos disse...

Ele é um grande escritor, Sissym. Sou fã. bjs

Sérgio Santos disse...

Também acho, Paty! Vamos esperar. bjssss

Sérgio Santos disse...

Carlos, vc tá falando com vc mesmo? rs

Concordo que a Helena foi muito mal escrita, mas achei Taís fraca também.
Viviane Pasmanter e Caco Ciocler formaram um excelente casal mas a trama deles andou em círculos o tempo todo.

Sobre a bulimia e o alcoolismo, concordo que também tiveram seus momentos de destaque.

Em VaV realmente ele focou só no que deu certo e ignorou os demais núcleos.

Torço para que o próximo e último trabalho seja um conjunto de acertos. Abraços.

Carlos disse...

Não to dizendo que não estou bem? kkkkkk

É alto com U, te chamei de xará meu kkkkk. Vou dormir que é melhor. Sim, estou com insônia e vou trabalhar hoje. Vai ser longo meu dia.

Abraços, SÉRGIO haha

Carolina Lima disse...

Eu adoooro as novelas do Manoel Carlos.

Uma semana bem feliz para você! :)

Abraços,
Carol
Um blog simples
Facebook

Kellen Bittencourt disse...

Olá amigo, eu adoro o Maneco e acho que ele vai fechar sua carreira de autor de novelas com chave de ouro com sua ultima Helena, estou ansiosa p ver! Sua obra é maravilhosa! Abraçosss

Rita disse...

80 anos de vida e fechando com
chave de ouro cada novela que escreve
Parabéns a esse talento que deixa saudade sempre que termina alguma coisa boa
Abraços com carinho
Rita!!!

Milene Lima disse...

Gosto do Maneco, embora gostasse mais em outros tempos, outras novelas. As últimas não foram lá grandes coisas, é verdade.

Tomara que ele encerre seu ciclo em grande estilo, tomara.

Boa semana,Sérgio.
Beijo!

Rosa Branca disse...

Parabens ao Manoel Carlos, talento indicustível.
Um abraço carinhoso

Paty Alves
Ágape Amor Verdadeiro
Patyiva
Vou Conseguir

Filha do Rei disse...

O Maneco sempre me surpreendeu com suas histórias:são cheias de nós,escrita com tanta humanidade que se não se torna piegas.Não sei como ele consegue,mas ele é um mestre.
Aplausos para a maestria do Maneco.

Sérgio,tenha uma semana cheia de genialidade.Bjs

Sérgio Santos disse...

Te entendo, Carlos. rs abraços.

Sérgio Santos disse...

Pra vc também, Carolina. bjs

Sérgio Santos disse...

Oi Kellen. Também estou ansioso. Bjs

Sérgio Santos disse...

Parabéns mesmo, Rita. Bjssss

Sérgio Santos disse...

Pois é, Milene. As duas últimas não foram boas novelas. Espero que ele se inspire nas anteriores. bjs

Sérgio Santos disse...

Rosa, obrigado pelo comentário. bj

Sérgio Santos disse...

Oi Cléu, ele é um mestre mesmo. Bjs