segunda-feira, 16 de outubro de 2017

Zezé Polessa cresceu merecidamente em "A Força do Querer"

"A Força do Querer" foi uma novela de sucesso e de perfis marcantes também. Glória Perez se mostrou bastante feliz na criação de muitos tipos variados, uns dramáticos e outros cômicos. Apesar de alguns atores terem sido subaproveitados (infelizmente), mesmo com o elenco bastante enxuto, vários ganharam um bom espaço no enredo. E um deles foi a hilária Edinalva, vivida por uma inspirada Zezé Polessa.


A personagem teve destaque logo no começo da novela, pois o enredo de Ritinha (Isis Valverde) era o foco inicial, desencadeando os primeiros conflitos da obra. A mãe da irresponsável e egoísta sereia se destacou nos momentos em que tentava dar um corretivo na filha, que sempre conseguia escapar pelas áreas da fictícia Parazinho. Também crescia quando rivalizava com o ranzinza Seu Abel (Tonico Pereira), protagonizando situações engraçadíssimas. Portanto, era um perfil que parecia promissor.

E realmente foi. O receio de que o papel ficasse perdido na história, deixando Zezé como figurante de luxo, logo foi deixado de lado. À medida que os meses passavam, Edinalva ganhava mais cenas e contextos hilários, destacando a conhecida veia cômica da intérprete.
O curioso é que até Ritinha, uma das protagonistas, perdeu a função durante uma parte da trama ---- enquanto Bibi (Juliana Paes) e Jeiza (Paolla Oliveira) só cresciam ----, mas a sua mãe não. A veterana soube aproveitar cada chance, virando um dos acertos de "A Força do Querer".

A forma destrambelhada como dava bronca na filha rendeu uma cena melhor que a outra, implicando em mudanças na direção da equipe de Rogério Gomes. Isso porque o diretor, inteligentemente, aproveitou os gritos e as afetações da paraense para inserir efeitos sonoros geniais, deixando o conjunto ainda melhor. O barulho de um gato miando, por exemplo, ou um berro de "Aaaaaaaaiiii" em momentos específicos, fez com que Edinalva se tornasse mais engraçada do que já era. A sonoplastia virou uma parte da personagem, quase um complemento. Tanto que também surgia em situações impagáveis com Abel, Nazaré (Luci Pereira) e Cândida (Gisele Fróes).

Aliás, além dos seus talentosos parceiros de núcleo, Zezé ainda teve sequências de rolar de rir com Maria Fernanda Cândido (Joyce) e Humberto Martins (Eurico). A forma como aquela histriônica mulher agia diante de tipos tão sisudos, como os citados, deixava as situações naturalmente desconcertantes, resultando em momentos leves na novela. Vale destacar, inclusive, os 'conselhos' que ela deu a Joyce para reconquistar o marido e quando imaginou Eurico incorporando o sedutor 'Boto' ---- a quem atribui a paternidade de Ritinha.

O jogo de gato e rato protagonizado por Edinalva e Abel foi outro êxito de Glória, que soube aproveitar bem a química dos atores. A mãe de Ritinha e o pai de Zeca (Marco Pigossi) sempre se 'odiaram', mas nunca conseguiram viver um sem o outro. Eles claramente se amam e as brigas são ótimas, destacando o talento desses veteranos tão queridos. Impossível não torcer para que o casal 'Edibel' termine junto no final, o que vai acontecer, obviamente.

É importante ressaltar que Zezé vem de um trabalho totalmente oposto na televisão. Ela foi a curandeira Ascenção, de "Liberdade, Liberdade" (2015), um perfil sombrio, contido e sem qualquer traço de caricatura. Brilhou em mais um perfil secundário. Agora, na pele de um tipo 100% diferente, onde o exagero é justamente a principal característica, expõe com mais nitidez a sua versatilidade. E vale mencionar ainda a parceria bem-sucedida com Isis Valverde, já vista em 2008, em "Beleza Pura", quando também foram mãe e filha.

Zezé Polessa é uma atriz maravilhosa e todo o destaque que Edinalva teve em "A Força do Querer" foi merecido, valorizando a competência dessa atriz, que protagonizou e ainda protagoniza cenas que divertem o telespectador sempre que ela aparece.

14 comentários:

Anônimo disse...

Que grata surpresa esse texto! ADOREI!!! ZEZÉ DEU SHOW!

Johnny disse...

Zezé fez da sua Edinalva uma personagem apaixonante! Sem dúvida alguma foi um dos grandes acertos da trama. Já sentindo saudades dela e de todo o núcleo de Parazinho... s2

Anônimo disse...

Edinalva foi uma figura. Adorei ela. Já Ritinha eu odiei!

✿ chica disse...

Ela está muito bem e torço por ela e Abel juntos,rs..abraços, chica

Luli Ap disse...

Olá Sérgio
Que presentão esse texto!
Siiiiim a atriz é maravilhosa e a personagem é muito amorzinhooooo, no começo fiquei com medo de que fosse ficar exagerado o perfil, mas a direção soube conduzir muito bem e a Zezé deu um show de interpretação.
Aaahhhhh sem falar que até arara ela imitou naquela apresentação na Estudantina hihihi
Mas confesso que o mais bacanudo mesmo foi essa diferença gritante do último papel dela em Liberdade, Liberdade.
Prova de que um boa atriz/ator passeia com maestria por papéis tão diferentes e dão grande destaque para papéis secundários.
O que nos leva a refletir: será que existem papéis pequenos ou desinteressantes?
Ou será que existem atores apaixonados pela arte de interpretar e mesclam na medida exata técnica com diversão?
Na torcida para o final dela com Abel!
Bjsss Luli
https://cafecomleituranarede.blogspot.com.br

Bell disse...

Adoro a atriz, e a personagem engraçada cheia de expressões faciais.

bjokas =)

Sérgio Santos disse...

Que bom, anonimo!

Sérgio Santos disse...

Idem, Johnny!

Sérgio Santos disse...

Edinalva foi genial, anonimo.

Sérgio Santos disse...

Olha, Luli, existem personagens pequenos e desinteressantes, sim. Tem casos que não há milagre... rs Não foi o caso da Edinalva, claro. bjsss Ótimo comentario.

Sérgio Santos disse...

Verdade, Bell. bj

Sérgio Santos disse...

Tb torço, Chica. bjssss

Germana Araújo disse...

Olá Sérgio!!
Excelente texto. A Edinalva foi mesmo uma das personagens mais engraçadas de A Força Do Querer. No início eu confesso que até a achava meio exagerada mesmo, mas com o tempo eu passei a me divertir muito com ela. Quase rolei de rir na cena em que ela descobre que o Ruyzinho é filho do Zeca e corre atrás da Ritinha. E também shippei demais ela e o Abel.
No mais, é isso. Abraços!!

Sérgio Santos disse...

Morri de rir com ela, Germana! bjs