quarta-feira, 28 de dezembro de 2016

Retrospectiva 2016: os melhores casais do ano

Os romances foram e sempre serão fundamentais em qualquer obra ficcional. Ter um ou mais casais para torcer é vital para o desenvolvimento de uma novela ou série. E em 2016 tivemos vários pares ótimos, implicando em muitos nomes de "shippers" (combinações de nomes de casal). Aliás, o termo "shippar" já entrou no vocabulário do brasileiro, o que só comprova a importância dos romances na ficção. Vamos, então, aos melhores pares do ano.





Romero e Atena ("A Regra do Jogo"):
O único casal atrativo da novela de João Emanuel Carneiro. Os bandidos que tinham um lado humano protagonizaram as melhores cenas da novela ao lado do divertido Ascânio (Tonico Pereira). Alexandre Nero e Giovanna Antonelli transbordaram química em "Salve Jorge", quando viveram Stênio e Helô, e repetiram a boa sintonia com Romero Rômulo e Francineide. O nome "Romena" se proliferou nas redes sociais e os personagens caíram no gosto do público, apesar dos vários problemas que a trama apresentou ao longo de sua exibição.




Mariana e Augusto ("Ligações Perigosas"):
A minissérie exibida em janeiro, escrita por Manuela Dias e baseada no romance de Choderlos de Laclos, foi primorosa e um dos acertos foi a relação intensa desse casal. O frio Augusto seduziu a religiosa Mariana com o intuito de vencer uma aposta, mas acabou se apaixonando perdidamente por ela, caindo na própria armadilha. Marjorie Estiano e Selton Mello protagonizaram grandes cenas, onde o drama e a química se fizeram presentes até o fim. A morte trágica dos personagens também merece menção, fechando o ciclo desse romance de uma forma sombria e muito triste.





Jonatas e Eliza ("Totalmente Demais"):
A novela das sete foi um fenômeno de audiência e repercussão por vários motivos e um deles foi o acerto na formação dos casais. O romance do menino pobre com a florista que virava modelo foi encaminhado com maestria por Rosane Svartman e Paulo Halm, que conseguiram conquistar o público com uma relação que priorizava a delicadeza do primeiro amor. Baseado claramente no filme "Luzes da Cidade", a trama protagonizada por Felipe Simas e Marina Ruy Barbosa encantou e expôs a perfeita sintonia dos dois em cena. O par "Joliza" foi um sucesso.



Carolina e Arthur ("Totalmente Demais"):
Outro casal que protagonizou a novela das sete de Rosane e Paulo foi a antítese de Jonatas e Eliza. O par tinha uma malícia sempre presente e a base da relação era o esquema de 'apostas' que faziam, evitando qualquer vínculo mais forte. Porém, os dois tinham uma ligação muito intenso que prevaleceu no final, transformando o par em uma família feliz, com direito até a um filho adotivo. Juliana Paes e Fábio Assunção brilharam com papéis que fizeram jus ao talento deles e a química entre os dois era incontestável.




Germano e Lili ("Totalmente Demais"):
Mais um par acertado da trama das sete. A relação desse casal era a mais complexa da novela, sem dúvida. Os personagens tinham um relacionamento feliz, até a falsa morte da filha e da descoberta da traição dele. Foram muitos obstáculos enfrentados ao longo da história, destacando o talento dramático de Vivianne Pasmanter. Ela, aliás, repetiu a ótima parceria com Humberto Martins, já vista no remake de "Mulheres de Areia" e em "Uga Uga". Os dois esbanjaram química.



Maria e Celso ("Êta Mundo Bom!"):
Bianca Bin virou a mocinha do fenômeno das seis e Walcyr Carrasco investiu cada vez mais em sua personagem, fazendo da destemida Maria um dos muitos atrativos da trama. A personagem teve um lindo romance com Celso, que inicialmente era um mau-caráter (cúmplice da irmã Sandra), mas acabou se regenerando por amor. Um enredo clássico e bem conduzido pelo autor. Bianca e Rainer Cadete tiveram uma linda sintonia cênica, protagonizando sequências sensíveis e que encantaram o telespectador.




Pancrácio e Anastácia ("Êta Mundo Bom!"):
Walcyr Carrasco é um autor que sabe valorizar os atores veteranos em suas novelas. E com sua última trama não foi diferente. Marco Nanini e Eliane Giardini ganharam excelentes personagens e aproveitaram a oportunidade, mostrando os grandes intérpretes que sempre foram. O professor pobre e a madame rica viveram um lindo romance, surgido graças ao protagonista Candinho (Sérgio Guizé), que uniu sua mãe com o seu pai de criação.



Gerusa e Osório ("Êta Mundo Bom!"):
O romance dos personagens mais puros da novela tinha um toque de delicadeza constante. O relacionamento era bem inocente e nem relação sexual teve. O final foi triste, resultando na morte da menina que sofria de câncer (doença quase incurável na década de 40, época da novela). A última cena dos dois, com uma última dança, foi poética, destacando o bom entrosamento de Arthur Aguiar e Giovanna Grigio.



Cunegundes e Quinzinho ("Êta Mundo Bom!"):
Elizabeth Savalla e Ary Fontoura repetiram a ótima parceria já vista em "Chocolate com Pimenta" e "Morde & Assopra", também de Walcyr Carrasco, e se destacaram no núcleo da fazenda da trama das seis. O casal era ótimo e o mau humor constante da Boca de Fogo contrastava com a passividade do marido medroso. Dois grandes atores.




Nanda e Filipe ("Malhação - seu lugar no mundo"):
A temporada foi uma das mais fracas do seriado adolescente e o autor se perdeu por completo. Entretanto, esse casal era o melhor da trama, evidenciando a ótima sintonia entre Amanda de Godoi e Francisco Vitti. Infelizmente, Emanuel Jacobina não soube conduzir a história dos personagens, que ficaram avulsos por parte do tempo, e ainda matou Filipe em um desfecho forçado e inverossímil. Um bom par que foi jogado fora por quem o criou.



Maurice e Stelinha ("Totalmente Demais"):
Juntar dois grandes atores dificilmente dá errado e os autores foram muito felizes quando criaram o casal de trapaceiros interpretados por Reginaldo Faria e Glória Menezes. Os dois protagonizaram cenas impagáveis, divertindo o telespectador e engrandecendo o enredo. E os perfis foram se revezando, pois Stelinha primeiramente apareceu sozinha e depois saiu brevemente da trama, sendo 'substituída' pelo marido. Só na reta final que eles apareceram juntos, deixando o conjunto ainda melhor.



Xavier e Joaquina ("Liberdade, Liberdade"):
Os revolucionários da novela das onze formaram o melhor casal da trama e eram justamente os mocinhos. Bruno Ferrari e Andreia Horta tiveram química logo na primeira troca de olhares, protagonizando cenas quentes e repletas de delicadeza. Os dois despertaram torcida por um final feliz em meio a tantas desgraças que permearam a trama escrita por Mário Teixeira. E conseguiram a merecida paz no final, após guerrearem contra a Coroa Portuguesa, a invejosa Branca (Nathalia Dill) e o vilão Rubião (Mateus Solano).



André e Tolentino ("Liberdade, Liberdade"):
Outro casal que se destacou na novela das 23h foi o formado pelo delicado André e pelo agressivo Tolentino. O romance homossexual foi bem desenvolvido pelo autor, sendo necessário destacar a cena da primeira transa do par, que primou pela sensibilidade e bom gosto. Caio Blat e Ricardo Pereira se destacaram merecidamente. O capitão não aceitava a sua condição sexual e muitas vezes depositava a raiva de si mesmo nas mulheres que agredia. O desfecho do par foi trágico, o que já era esperado. André foi enforcado sob a acusação de sodomia e Tolentino ficou corroído pela culpa, sendo assassinado pouco tempo depois por Joaquina.



Raposo e Virgínia ("Liberdade, Liberdade"):
Apesar das poucas cenas juntos, outro par acertado da trama foi o formado pelo pai adotivo de Joaquina e pela cafetina da cidade. Os dois sempre se amaram e a química entre Dalton Vigh e Lília Cabral era visível. O casal merecia um final feliz, que só não ocorreu por causa da decisão estúpida do autor de matar Raposo sem a menor necessidade, deixando seu enredo bem mais frágil, inclusive.



Santo e Tereza (primeira fase de "Velho Chico"):
Júlia Dalavia e Renato Góes foram bons destaques da primeira fase da novela de Benedito Ruy Barbosa e Bruno Luperi, protagonizando cenas sensíveis e despertando a torcida do público. Os dois ganharam papéis de destaque e corresponderam bem. Após algumas participações de menor importância em outros folhetins, os atores conseguiram mostrar do que eram capazes e honraram as boas cenas que tiveram nos primeiros capítulos de uma fase que primou pelo capricho.




Afrânio e Iolanda (primeira fase de "Velho Chico"):
Após 13 anos afastados das novelas, Rodrigo Santoro voltou e deu um verdadeiro show na pele do complexo protagonista da trama das nove. Foram muitas cenas difíceis, onde o drama era o foco principal. E as cenas de Rodrigo ao lado de Carol Castro evidenciaram o talento dos intérpretes e como combinaram juntos. A sequências do casal mesclavam sensualidade e poesia com maestria.



Cassandra e Fabinho ("Totalmente Demais"):
A menina atirada e burra com o menino inteligente e tímido. A combinação que sempre funciona na ficção. A personagem que ganhou um spin-off foi a principal responsável pela comicidade na novela das sete e formou um ótimo casal com o filho de Germano e Lili. Juliana Paiva e Daniel Blanco formaram uma boa dupla e protagonizaram cenas divertidas assim que se aproximaram, perto da reta final da trama. Mais um casal acertado do sucesso das sete, escrito por Rosane Svartman e Paulo Halm.




Charles e Débora ("Totalmente Demais"):
Raphael Sander e Olívia Torres formaram o casal mais improvável da novela, pois inicialmente parecia que a menina tímida ficaria com Fabinho. Mas uma boa reviravolta fez com que ela se aproximasse do Barman que sempre a cortejou. O relacionamento deles foi se desenvolvendo aos poucos e a primeira vez do par foi linda, destacando os atores que protagonizaram bons momentos na trama, apesar do destaque ter sido menor.





Juliana e Miguel ("Escrava Mãe"):
A trama da Record, escrita por Gustavo Reis, é a melhor novela da emissora em 2016 e uma grata surpresa. O enredo é bem desenvolvido, os personagens convidativos e os conflitos prendem a atenção. Um dos êxitos foi o casal protagonista, formado pela escrava Juliana e pelo português Miguel. Os mocinhos enfrentam um calvário até o final feliz e as cenas protagonizadas por Gabriela Moreyra e Pedro Carvalho são bonitas.



Tereza e Santo (segunda fase de "Velho Chico"):
Apesar do início equivocado da segunda fase, Camila Pitanga e Domingos Montagner tiveram química, protagonizando uma sucessão de sequências extremamente dramáticas bem complicadas. O casal demorou muito para se reencontrar (um erro grave dos autores), mas assim que ficaram juntos esbanjaram cumplicidade. As cenas finais de Domingos (morto tragicamente por afogamento das águas do Rio São Francisco) com Camila foram emocionantes, provocando muita tristeza e saudades no público.




Olívia e Miguel ("Velho Chico"):
Giullia Buscacio e Gabriel Leone transbordaram química e ganharam a torcida do público, que não queria de forma alguma que seus personagens fossem irmãos. A relação deles (dos irmãos que se apaixonam sem saber do laço sanguíneo) lembrou a de Júlia (Isabelle Drummond) e Pedro (Jayme Matarazzo) em "Sete Vidas", assim como o desfecho, quando os dois descobrem que não são irmãos. A química do casal foi incontestável e as cenas protagonizadas pelo atores eram muito bonitas, onde a poesia se fazia presente o tempo todo.



Firmino e Fátima ("Justiça"):
A personagem mais íntegra da excelente minissérie ganhou um amor no final da história, conseguindo o seu final feliz após anos de sofrimento extremo. Adriana Esteves teve uma interpretação visceral e vem ganhando merecidos prêmios por sua atuação comovente. Na reta final da trama, ela e Júlio Andrade protagonizaram momentos de pura cumplicidade, onde o amor surgiu quando não havia mais esperança em torno do universo da sofrida mulher que foi presa injustamente por sete anos. Os dois brilharam, emocionando na cena final, quando Fátima e Firmino ficam juntos como uma família em paz.



Kellen e Douglas ("Justiça"):
Dois ordinários que se amam. A picareta e o policial com falhas de conduta foram os responsáveis pela injusta prisão de Fátima, mas tiveram um final feliz e o público nem conseguiu sentir raiva, pois o par funcionou. Leandra Leal se destacou vivendo a periguete interesseira e Enrique Diaz brilhou na pele do policial que no fundo era um banana carente. As cenas dos dois tinham um toque de comicidade delicioso em uma produção onde a tragédia era o foco.


Maurício e Beatriz ("Justiça"):
O romance durou apenas o primeiro episódio da trama de Maurício, a de sexta-feira. Mas, ainda assim, expôs o amor que os dois sentiam e como era intensa a relação. Cauã Reymond e Marjorie Estiano tiveram uma boa química, protagonizando cenas quentes e delicadas. A cena trágica do atropelamento dela, com ele gritando seu nome em desespero, foi impactante e uma das mais fortes da minissérie. Vale citar ainda o emocionante momento em que Maurício mata Beatriz no leito de hospital a pedido dela.




Shirlei e Felipe ("Haja Coração"):
O casal virou o protagonista da novela de Daniel Ortiz. Sabrina Petraglia e Marcos Pitombo caíram nas graças do público logo na primeira cena juntos e não demorou para o casal "Shirlipe" virar o principal atrativo da novela. O resultado desse sucesso foi o crescimento da importância deles, que antes eram meros coadjuvantes. O irônico que é na versão original da novela ("Sassaricando") o triângulo formado por Tancinha, Apolo e Beto roubou a cena dos protagonistas e no remake o trio (colocado no núcleo principal) foi ofuscado por outra trama e de uma personagem que nem pertencia a esse enredo e sim a "Torre de Babel". O conto de fadas da menina manca que se apaixonava pelo príncipe encantado tomou conta do folhetim.



Giovani e Camila ("Haja Coração"):
Um casal que tinha tudo para ter sido tão atrativo quando Shirlei e Felipe, mas só não foi pelo desenvolvimento equivocado do autor. Jayme Matarazzo e Agatha Moreira tiveram química de sobra e protagonizaram algumas cenas lindas no início da novela. Entretanto, Daniel Ortiz se perdeu na condução do par, provocando repetições exaustivas em cima da perda de memória de Camila e exagerando na cegueira de Giovanni em relação a Bruna (Fernanda Vasconcellos). Apesar dos erros, os atores mostraram talento e tiveram boa sintonia.



Leozinho e Fedora ("Haja Coração"):
O casal também teve sérios problemas de desenvolvimento, em virtude da falta de história e dos repetitivos conflitos criados pelo autor. Porém, Gabriel Godoy e Tatá Werneck tiveram uma parceria muito boa e formaram uma divertida dupla. O picareta que tentou matar a patricinha para ficar com a herança se regenerou e os dois terminaram pobres, vendendo frutas na feira.




Romeu e Mafalda ("Êta Mundo Bom!"):
Mais um ótimo casal que sofreu com o equivocado desenvolvimento do autor. Walcyr Carrasco escreveu uma novela excelente, mas pecou nessa trama. O mauricinho golpista se apaixonou verdadeiramente pela caipira ingênua e a relação deles era divertidíssima, sendo necessário citar o terceiro elemento da relação: o famigerado "cegonho", que virou um dos personagens da história. A obsessão da menina em conhecer o órgão sexual do rapaz proporcionava cenas impagáveis. Pena que Walcyr resolveu jogar todo o enredo fora, criando uma paixão forçada de Mafalda por Zé dos Porcos (Anderson Di Rizzi). Ficou claro, inclusive, que o autor mudou de ideia no meio do caminho.



Iolanda e Afrânio (segunda fase de "Velho Chico"):
Os autores poderiam ter explorado esse ótimo casal ao longo da novela, mas preferiram fazer isso apenas na última semana. O grande prejudicado foi o público, que só pôde aproveitar a excelente química entre Christiane Torloni e Antônio Fagundes (já vista no lembrado remake de "A Viagem") nos últimos momentos da história. Os dois protagonizaram algumas das cenas mais bonitas do final da trama das nove.


Lenita e Vitório ("Sol Nascente"):
O único bom casal da insípida, inodora e incolor novela das seis. Letícia Spiller e Marcello Novaes estão repetindo a ótima parceria vista em "Quatro por Quatro" (onde viveram o inesquecível e cheio de química casal Babalu e Raí), protagonizando cenas de muita cumplicidade na história de Walther Negrão, Suzana Pires e Júlio Fisher. Um dos poucos pontos positivos de uma trama sem qualquer atrativo.




Saulo e Verônica ("Nada Será Como Antes"):
Murilo Benício e Débora Falabella honraram o protagonismo da série escrita por Guel Arraes, João Falcão e Jorge Furtado, além de terem comprovado que a química da vida real também existe na ficção. Namorando desde "Avenida Brasil" (quando viveram Tufão e Nina), os dois se destacaram na trama e dominaram o último episódio, emocionando com a reconciliação do dono da TV Guanabara com a atriz mais prestigiada da época.



Pedro e Helô (primeira fase de "A Lei do Amor"):
O romance dos mocinhos da trama de Maria Adelaide Amaral e Vincent Villari encantou logo no primeiro capítulo, graças ao entrosamento de Chay Suede e Isabelle Drummond. Os dois protagonizaram cenas dramáticas muito difíceis e os momentos de romantismo do casal expôs a química dos atores, que formaram um belo par. O êxito foi tanto que ambos serão os mocinhos da próxima novela das seis, chamada de "Novo Mundo".


Ruty Raquel e Antônio ("A Lei do Amor"):
O casal mais divertido da atual trama das nove. Titina Medeiros e Pierre Baitelli estão sensacionais vivendo esse par um tanto quanto improvável. Aliás, os autores tiveram uma ótima sacada com os nomes. Afinal, Ruty Raquel é uma clara referência a "Mulheres de Areia", assim como Antônio (vide Tonho da Lua). Os atores merecem todos os elogios e estão em plena sintonia.




Pedro e Helô (segunda fase de "A Lei do Amor"):
A missão de manter a química e a sintonia vistas entre Chay e Isabelle não era nada fácil, mas Reynaldo Gianecchini e Cláudia Abreu passaram no teste com louvor. Os dois estão ótimos protagonizando a atual novela das nove e os autores merecem elogios pela construção dos mocinhos, que são ativos, espertos e nada apáticos. A química está presente em todas as cenas deles.



Foram muitos casais atrativos ao longo deste ano. Alguns sofreram pelo equivocado desenvolvimento dos autores, mas outros fizeram parte de um conjunto harmonioso. Opção para "shippar" é o que não faltou.

74 comentários:

Anônimo disse...

As retrôs do shipp e das cenas são as que eu mais gosto! rsrsrsrsrs

Décio Lucas Pereira Rodrigues disse...

Como sempre, mais uma Retrospectiva excelente. Todos esses casais foram marcantes neste 2016. Feliz Ano Novo, Sérgio! Que em 2017 tenhamos mais e mais casais para "shippar".

Denise disse...

Excelente retrospectiva!Parabéns! Meu preferido é o casal Romena! Só assisti "A regra do jogo" por eles...

Ricardo disse...

Adorei a retro. Mas vou fazer minhas considerações: Não gosto de Romena, Maricel peca pela má atuação do Cadete. Vários casais eu não acompanhei.
O meu preferido é Pedro e Heloísa da segunda fase de A lei do amor. Eles são tão maduros e naturais, leves e como você disse são muito bem construídos. Adoro a parceria do Giane e da Cláudia.

Samara disse...

Adorei a retrô dos casais!!!!!!!! Os meus preferidos foram Joliza, Carthur, Maricel, Shirlipe e Peloísa.

Anônimo disse...

De A Lei do Amor, você esqueceu de citar mais dois belos casais: Analu & Élio e Ruty Rachel & Antônio. Eu poderia citar também Camila & Robnson, se os dois não tivessem perdido espaço e virado praticamente figurantes.

Juan Agostinho disse...

Gostei, mas pra mim ficou faltando Gui e Julia de Rock Story

Anônimo disse...

Ah, e eu também tiraria Lenita e Vitório de Sol Nascente dessa lista. Era um casal promissor, mas essa novela é tão ruim que até a trama dos dois foi enfraquecendo devido á falta de conflitos atraentes(eles só tem pra resolver a questão da filha que ela abandonou e a intromissão da ex-mulher dele, e olhe lá).

Izabel Ramos disse...

Totalmente Demais já tem um grande triunfo: conseguiu fazer com que os telespectadores se dividissem entre torcer para a mocinha Eliza terminar com Jonatas ou com Artur. Aí passei a ser Arliza e Por isso, listo aqui cinco motivos que me fizeram trocar de fã-clube e provam que é Artur quem tem que terminar com Eliza. Saca só:

É muito mais gato
Fábio Assunção não tá batendo mais aquele bolão todo como nos anos 90, mas ainda é um tipão. Com esses olhos azuis lindos, então, que mulher não quer pegar?!

O amor por Eliza o fez amadurecer

Totalmente Demais mostrou com muito sucesso a mudança na vida do trio principal. De florista pobre, romântica e sonhadora a uma top model de sucesso, Eliza amadureceu, ficou menos insegura e bobinha, virou mulher aos olhos do público e de seus dois pretendentes.

Arthur, por sua vez, sempre teve um comportamento um tanto irresponsável, mulherengo e imaturo; em parte, por influência de seu pai Maurice e isto se refletiu na péssima educação dada a Jojô, sua filha rebelde. Porém, sua convivência com Eliza trouxe novas formas de ver a vida e a proximidade, devido ao concurso, despertou-lhe um novo sentimento. Assim como Pigmalião, que se apaixonou pela sua criação (a mulher perfeita), Arthur se apaixonou pela nova Eliza que ajudou a transformar. Com ela, descobriu o amor verdadeiro (sem pieguice) e, de quebra, ainda ganhou uma nova relação com a filha. Todas as mudanças, no entanto, foram naturais e graduais.

Sua família é bem mais legal que a do Jonatas
O dono da agência Excalibur sempre foi um personagem interessante com bons conflitos no seu núcleo. Já ri em muitas cenas de Arthur com a filha Jojô, a empregada Cida, os pais Stelinha e Maurice e o assistente Max. Sua relação com a ex-esposa Natasha também rendeu excelentes diálogos e sequências, assim como o relacionamento estilo fogo e gasolina com Carolina. Mas foi com a entrada de Eliza na rotina de Arthur que o personagem mais ganhou. Divertidíssimos, por vezes, foi a família de Arthur o grande destaque do capítulo. Agora alguém tem paciência para aquele núcleo de Curicica da família de Jonatas mais o Montanha e a Maristela? Eu não!

Izabel Ramos disse...

Não, Arthur NUNCA amou Carolina

"Se o Arthur ficar com a Eliza no final, com quem a Carol vai terminar?". E DAÍ!!! Ela tem mais é que terminar sozinha mesmo, pois, apesar de ter se regenerado no final, foi por causa de uma armação dela que Arthur e Eliza se separaram. Nunca ninguém vai me convencer que Arthur ama ou já amou um dia a Carolina. Aquilo nunca foi uma relação de amor. E, verdade seja dita, Carolina é uma das mulheres mais sem amor próprio que já vi em toda a teledramaturgia.

Veja bem: o relacionamento deles sempre teve a adrenalina como protagonista, onde as apostas feitas por ambos serviam para apimentar o relacionamento, repleto de malícia e provocações. Carolina sofreu calada por muitos anos vendo Arthur se relacionando com inúmeras mulheres, simulando uma "tranquilidade" que não tinha. Ela fingia que não sentia ciúmes e ele em nenhum momento chegou a desconfiar dos reais sentimentos da parceira de vida porque para ele tudo aquilo era apenas curtição, sexo. Não amor (o que só veio descobrir quando conheceu Eliza).

A relação dos personagens ruiu de vez quando ambos apostaram suas carreiras na transformação de Eliza, onde a empresária perdeu a aposta com a vitória da ruivinha. Desde então, os dois declararam guerra e Carolina nunca se conformou com o fato de Arthur ter se apaixonado pela menina, vivendo com Eliza tudo aquilo que ela sonhava viver com ele, chegando ao ponto de armar para separá-los. Não passa(va) de segunda opção do Arthur.

Eliza nunca pensou nos sentimentos do Jonatas
Ok, foi uma atitude nobre e muito bonita, mas o fato de Eliza ter doado parte do fígado para salvar a vida de Jonatas não quer dizer que ela fez isso porque ele é o grande amor da vida dela. Ela até gosta dele, mas foi mais por um sentimento de culpa, afinal, Jonatas só ficou entre a vida e a morte para salvá-la. Verdade seja dita, Eliza sempre foi bem egoísta sim, nunca pensou nos sentimentos do Jonatas, dando sempre prioridade ao que é bom para ela, para a carreira dela. Não que isso seja ruim por completo, afinal, ela só queria vencer o concurso para poder dar uma vida melhor para a mãe e os irmãos pequenos. Porém, a ruivinha sempre tratou o ex-empresário das ruas como a última das prioridades. Prova disso é que, mesmo após todo esse melodrama do transplante, lá foi Eliza embarcar para Paris para trilhar a carreira de modelo internacional dela. E Jonatas que passe um ano inteiro lhe esperando voltar. Ué, se ela ama tanto o Jonatas assim, porque não continuou no Brasil então ao lado do seu "grande amor", né?

Anônimo disse...

Né por nada não, mas fazer uma retrospectiva de casais do ano e botar Gerusa/Osório, Romeu/Mafalda, Fedora/Leozinho é um pouco demais... Até Betancinha que não foi lá grande coisa merecia mais que esses três. Se Betancinha fosse de novela de Walcyr com certeza não faltaria em sua lista.
Se bem que vindo de quem vem já acha Juliana Paiva e Isabella Santoni na lista de melhores atrizes do ano não é de se estranhar... Pior que ´´haters´´ só os ´´lovers´´ mesmo.

Felipe disse...

Sérgio, esse imbecil do anônimo acima é o cagão do Thallys. HAHAHAHAHA É tão covarde que não tem colhão pra botar o nominho dele aqui pq sabe que vc vai esculachar. Mas é tão burro que se entrega no Twitter já que falou a mesma coisa lá. E mesmo vc tendo bloqueado ele continua lendo tudinho que escreve. Criou outra conta só pra isso. É muito amor mesmo.

Gisela disse...

Adorei a retrô. Tem casal pra todo gosto. Tb achei péssimo o desenvolvimento do Walcyr com Romeu e Mafalda. O casal era maravilhoso e ele jogou fora. Mas amei muito Joliza, Carthur, Romena, Maricel, Gesório e Shirlipe. Fora Fátima e Firmino, que lindos! E os hater mor da Juliana Paiva apareceu de novo? Ele não se cansa não???? Que moral ele tem pra falar se lambe a péssima Bruna Marquezine???? rsrs


Sérgio ,aguardo agora a de melhore cenas e destaques. Vai ter, não é? Cobrando aqui!

Anônimo disse...

ROMENAAAAAAAAAAAAAAAAA!!!! NÓS FÃS DO CASAL SEREMOS ETERNAMENTE GRATAS POR VC TER VOTADO NO NOSSO CASAL NA SELEÇÃO DO GSHOW. TU TÁ PRESTIGIADO MERMO, HEIN????

Anônimo disse...

Olha, sinceramente não sei quem me dá mais preguiça lá no twitter, se é o Zamenza, o Thallys ou o Dan Souza, as opiniões deles são as mais precisas e interessante de se ler mas possuem um ego e um fanatismo por certas coisas que vou te contar, e ainda são mal educados com quem pensa diferente. O que mais me impressionar é que eles se parecem muito fisicamente, além das idade aproximadas. Me pergunto se serão parentes ou primos?

Maíra disse...

Ainda bem que tu não colocou Betancinha. Como colocar um casal que mal ficou junto e no final a outra chamou Beto pro cafundós só pra dar um fora e se declarar pro insuportável do Apolo????? Não teria o menor sentido. Da lista adorei Romena, Shirlipe, Joliza, Carthur, Cassinho, Maricel, Anascrácio, Gesório, e Jovier. LINDOS!!!!!!!!

Bia Hain disse...

Oi, Sérgio, como vai? Que legal sua retrospectiva!!! Alguns casais conheci, outros não, outros ouvi falar... no fundo, todos queremos ter alguém e os casais da tv mostram bem isso.
Passei para agradecer sua amizade e seu carinho o ano todo, desejo que seu 2017 seja maravilhoso, que alegrias durem muito e as tristezas sejam pequenas e passageiras. Amor, saúde, paz... tudo de bom!

Andressa Mattos M. disse...

Mais uma retrô completíssima. Por isso amo vir aqui. E pelo visto até os seus haters amam vir aqui, não é? Tem casal pra todos os gostos e nem dá pra concondar com a lista inteira mesmo pq isso é mt particular. Mas desmerecer você só mostra a infantilidade de certas pessoas que não sabem discordar.

Anna Laura Mendes disse...

Esses dias eu vi que a Amanda namora com o Francisco e a Camila com o Kleber. Fiquei tão feliz pq apesar dos finais eu shippava eles tantoooo ❤❤❤❤❤

Anônimo disse...

Amo todos, mas fico com Shirlipe. A química dos atores"obrigava" o telespectador a torcer por eles. Sabrina Petraglia e Marcos Pitombo tiveram uma sintonia tão boa que acho, inclusive, que não devem mais fazer por romântico, porque o casal deu muito certo e salvou o final da novela de um desastre total.

Sergio, abraços!

Maria disse...

Eu sei que Rock Story só tem dois meses no ar, mas eu esperava ver Gui e Júlia na lista. Adoro a história deles. É muito bem construída, cheia de cumplicidade e atores excelentes com muita química. Quem sabe no próximo ano?

Roberta disse...

Shirlipe foi o melhor casal de 2016! Marcos e Sabrina tem tanta química, que os fãs do casal shippam eles até na vida real

Anônimo disse...

Amo todos, mas meu favorito é Shirlipe. Lindos de mais.

Bjs!

Anônimo disse...

Shirlipe e Romena. Shipparia os dois casais na vida real fácil fácil haha !

Ana disse...

E Gui e Júlia?

Anônimo disse...

Shirlipe

Anônimo disse...

Essas pessoas pedindo Gui e Júlia não percebem que a novela não tem nem dois meses no ar e que a retrô é de 2016 re não de 2017?????

porlapazyporlavida lc disse...

Zamenzito, que retrospectiva maravilhosa! Esse ano foram muitos os pares lindosss! Joliza, Maricel, Gerusório, Cassinho, Chárbora, Gimila, Mafeu (pena que não ficaram juntos) e Peloísa (das duas fases, diga-se de passagem). De todos, o que mais gostei foi, sem sombra de dúvidas, Peloísa. Que casal maravilhoso. Que quarteto talentoso. A história deles é linda nas duas fases, é de encher os olhos. Só fico triste que a novel tenha sido tão alterada. S/2

Anônimo disse...

É pra dar risada de ver Joliza aí, pra mim o casal do ano foi Arliza, ninguém mais lembra daquele carrapato piolhento, ele pode ter terminado com Joliza mas para a maioria Arliza será sempre o melhor casal da novela, e graças a deus que esse carrapato nao ganhou o melhores do ano, concorrer com o mateus solano chega a ser uma piada

Anônimo disse...

Casais maravilhosos. Todos lindos. Shirlipe foi tão lindo, há tempos não me encantava com um casal assim. Antes de Shirlipe eu gostava de casais com pegada, agora eu gosto mesmo é de casal com química.

Anônimo disse...

Adoro só Romena. O casal que conquistou meu coração. Antonelli e Nero têm química incrível. Eles são o casal do século.

Anônimo disse...

Romena e Shirlipe são os melhores!

Bjs

Anônimo disse...

Não estou criticando e nem exigindo nada longe de mim fazer isso eu amo seus textos e posts mas queria fazer só uma pergunta msm pq vc não colocou Ludrigo tipo nanlipe tbm não foi essas coisas por causa do péssimo desenvolvimento e vc colocou pelo q eu entendi pq os atores tiveram química então pq vc não colocou Ludrigo o casal foi pessimamente desenvolvido mais os atores tbm tiveram química mereciam ta na lista já q vc colocou nanlipe mas claro q isso é sua escolha eu só queris entender o q faz nanlipe ser melhor q Ludrigo sendo q os atores desses casais tiveram química do msm jeito e lembrando q não estou criticando e nem nada é só uma pergunta msm espero de vdd que vc me entenda amo seu blog beijinhos :)

Sérgio Santos disse...

Que bom, anonimo. =)

Sérgio Santos disse...

Mt obrigado, Décio. Feliz 2017 pra vc tb!

Sérgio Santos disse...

Obrigado, Denise. Adorei Romena tb!

Sérgio Santos disse...

Sem problemas, Ricardo.

Sérgio Santos disse...

Que bom, Samara! =)

Sérgio Santos disse...

Inclui Ruty Raquel e Antonio pq realmente esqueci, anonimo.

Sérgio Santos disse...

Esses dois ano que vem, Juan. A novela não tem nem dois meses no ar. Não tem casal do ano ainda.

Sérgio Santos disse...

Concordo, anonimo, a trama de Lenita e Vitório ficou tão entediante quanto a novela toda. Só incluí pq a química deles segue viva e formam um único par que presta na novela.

Sérgio Santos disse...

Obrigado pelos comentários, Izabel, embora discorde. Acho que torcer pra um casal só pq o cara é mais bonito que o outro não dá pra mim. Isso pouco importa. E o roteiro sempre deixou claro que Carol e Arthur ficariam ligados pra sempre, assim como Eliza e Jonatas sempre se amaram. bjs.

Sérgio Santos disse...

Thallys, que vc é um covarde é óbvio e nem precisaria o anônimo abaixo me avisar que era vc comentando. Fica perceptível pelos argumentos limitados e o disco que nunca muda há anos. Aliás, vc deveria tratar essa sua fixação pelo Walcyr. É doença isso. Por sinal, sua fixação por mim tb cabe um estudo sério. E partindo desse seu brilhante argumento, eu deveria ter incluído na lista Candinho e Filó, afinal, é novela do Walcyr. Mas não incluí e isso, pra variar, já enterra seus argumentinhos bestas novamente. E acho msm Isabella Santoni e Ju Paiva talentosas, mas vc não tem mta moral pra falar de mim, né. Vc tb tem as queridinhas suas. Mas é aquela velha história, segue falando do rabo dos outros sem ver que o seu tá sujo. E Betancinha não merecia não, mt menos Aponcinha. Já os casais que eu citei, vc goste ou não, fizeram sucesso. E hater é deplorável msm, vc deve saber bem o que é isso. E de lovers vc tb deve entender pq tem as atrizes que tu fica lambendo. Ou ficava, pouco me interessa.

Sérgio Santos disse...

Eu sei, Felipe. Nem precisava ter me avisado. E criou outra conta mesmo só pra me ler. É mt amor, né.

Sérgio Santos disse...

Não se cansa, Gisela. hahaha E as outras eu já postei e espero que tenha gostado. Bjão!

Sérgio Santos disse...

Eu que agradeço, anonimo!!!

Sérgio Santos disse...

Não tinha como colocar msm, Maíra, depois daquele final ridículo.

Sérgio Santos disse...

Eu que agradeço a sua amizade e o seu carinho, Bia. Vc é uma querida e que em 2017 continuemos juntos! bjão

Sérgio Santos disse...

Até os haters amam vir aqui, Andressa. hahahaha Mas agradeço o prestígio e que bom que são leitores assíduos.

Sérgio Santos disse...

Namoram sim, Anna. rs

Sérgio Santos disse...

É verdade, anônimo, Shirlipe foi um sucesso e ofuscou o resto. Casal lindo. bjs

Sérgio Santos disse...

Maria, vc msma respondeu o questionamento. Só em 2017. A novela vai até junho e não tem nem dois meses no ar. Não dava pra colocar o casal como destaque de 2016. Nem teve tempo pra isso.

Sérgio Santos disse...

Shirlipe foi bom demais, Roberta. bjs

Sérgio Santos disse...

Foram lindos msm, anonimo. bjs

Sérgio Santos disse...

Mts shippam, anonimo, mas todos são comprometidos. rs

Sérgio Santos disse...

Só ano que vem, Ana, a novela não tem nem dois meses e não teria lógica incluí-los como melhor casal do ano.

Sérgio Santos disse...

Exato, anonimo. Só em 2017.

Sérgio Santos disse...

É verdade, porlapazyporlavida lc! Peloísa segue lindo, mesmo com a novela sendo tão mutilada. E foram mts casais lindos msm ao longo doano.

Sérgio Santos disse...

Joliza teve seu merecido final feliz, anonimo. Aceita que dói menos.

Sérgio Santos disse...

Shirlipe encantou o público msm, anonimo.

Sérgio Santos disse...

Sem problemas, anonimo.

Sérgio Santos disse...

Ótimos casais, anonimo.

Sérgio Santos disse...

Não coloquei Ludrigo, anonimo, pq o casal era ótimo no começo, mas depois ficou uma chatice sem precedentes e até a química deles ficou diluída em virtude de tantos erros. Nanlipe, ao menos, continuou bonito até o final, msm com os problemas de desenvolvimento.

Angelica disse...

Adorei sergio sua retro. Romena tinha que aparecer mesmo la em cima pra todo mundo vê o casal no topo. A quimica dos atores é perfeita e podia repetir mais. Asim como santere podia aparecer mais a cima se essa seleção foi por ordem de shippe, rs. Esse casal teve tanta entrega q muita gente confundiu as coisas.

Anônimo disse...

Tem gente que jura que se acha importante e livre de críticas. Ai o ego.

Sérgio Santos disse...

Obrigado, Angelica. Mas a seleção não está em ordem de importância não... rs

Sérgio Santos disse...

Não, Thallys (sim, mesmo covarde, vc se entrega), críticas são sempre bem vindas se forem construtivas. Mas críticas rasas como essas suas só são dignas de pena mesmo. E ainda por cima o mesmo disco arranhado, ignorando o telhado de vidro. E obrigado pelo prestígio de sempre vir aqui ler os textos e ainda ter criado outra conta no Twitter só pra me ler.

Ana disse...

Você disse que não escolheu o casal guilia porque a novela não tem nem 2 meses no ar, mas eu dei uma olhada na lista do ano passado e vi que você colocou casais de "Totalmente Demais" mesmo a novela com apenas 2 meses no ar também. Desculpa a cobrança, eu só quero saber a sua opinião. Acho que na verdade você não gostou do casal, porque já está bem claro que eles são o casal da novela.

Sérgio Santos disse...

Se eu não tivesse gostado do casal eu falaria sem o menor problema. E como eu disse não botei pq a novela não tem nem dois meses e no ano passado eu inseri pq Joliza já tinha protagonizado uma cena lindíssima e poética da primeira vez, que foi uma das melhores da novela. Já Guilia ainda não protagonizou uma cena assim para ser inserido, mas no ano que vem será pq eu amo o casal. Só que Zac e Yamin tb entrarão, assim como Nelson e Edith, etc... E, quem sabe Gui e Diana também caso venham a ter cenas românticas. E é claro que Guilia são o casal da novela, são os mocinhos. Só acho que esse tipo de cobrança gera antipatia, até pq tenho visto umas brigas bem desnecessárias por causa de shipper. Já bastou Arliza e Joliza ano passado... Dessa vez eu tô é fora!

Ana disse...

Obrigada pela atenção em responder. Você entende muito de novelas por isso estava curiosa para saber a sua opinião sobre esse casal que eu amo tanto.

Sérgio Santos disse...

Obrigado pelo prestígio. Bjs

Ana disse...

Gostei da lista até ver Leozinho e Fedora, casal péssimo. Ainda deixou de fora Beto e Tancinha que foi um dos casais mais amados de 2016

Ana disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Sérgio Santos disse...

Ok, Ana. Agora, Betancinha ter sido um dos mais amados há muitas controvérsias. Tanto eles quanto Aponcinha foram ofuscados por Shirlipe. É um fato. Mas respeito sua opinião. E desgostar da lista só pq não citei um casal e mencionei outro é estranho...