quinta-feira, 29 de dezembro de 2016

Retrospectiva 2016: as melhores cenas do ano

Mais um ano se passou e foram muitas cenas merecedoras de elogios exibidas ao longo de 12 meses. Vários atores se destacaram, protagonizando sequências repletas de drama, tensão e comicidade. Teve momento para todos os gostos e uma retrospectiva dessas grandiosas interpretações (incluindo, claro, direção e texto) merece ser feita. Vamos, então, relembrar tudo o que aconteceu de mais marcante na teledramaturgia em 2016.





Cena final do penhasco em "Além do Tempo":
Elizabeth Jhin foi muito feliz nessa sua novela e o último capítulo foi em grande estilo, reproduzindo a sequência mais marcante do final da primeira fase, mas com um desfecho diferente. Pedro (Emílio Dantas) matou Melissa (Paolla Oliveira) e os mocinhos Lívia (Alinne Moraes) e Felipe (Rafael Cardoso) na vida passada, só que mais de cem anos depois foi ele quem pagou por tudo o que fez. Melissa matou o vilão com um tiro e se regenerou, salvando a vida dos até então inimigos, os retirando do precipício com a ajuda do anjo Ariel (Michel Melamed). A sequência ficou tão boa quanto a da primeira fase e os atores deram um show.




Mariana morre de tristeza em "Ligações Perigosas":
Após descobrir que Augusto (Selton Mello) era um galanteador e estava apenas a usando, Mariana começa a definhar. A religiosa que adorava a vida perdeu a alegria que tinha e mergulhou em uma profunda depressão, vivendo praticamente estática em uma cama. Apesar dos cuidados das freiras e de pessoas próximas, não conseguia mais comer e mal andava. Só tinha força para chorar. No final, se entregou para a morte. A interpretação visceral de Marjorie Estiano impressionou e a atriz mais uma vez mostrou a grande atriz que é. Foi impossível não ter se emocionado vendo a personagem naquele estado deplorável.





Emília, Lívia e Vitória se reconciliam em "Além do Tempo":
A cena mais aguardada da novela fez valer a espera. Após muitas brigas e mágoas, que permaneceram por duas vidas, a avó, a filha e a neta se reconciliaram em uma cena lindíssima, evidenciando o imenso talento de Alinne Moraes, Ana Beatriz Nogueira e Irene Ravache. O abraço aperta que as três personagens deram, depois de vários obstáculos vencidos, foi lindo de se ver.




Augusto é assassinado por Felipe em "Ligações Perigosas":
O inicialmente frio personagem se apaixonou perdidamente por Mariana e perdeu o rumo quando ela descobriu tudo sobre ele. A sua relação atípica com Isabel (Patrícia Pillar) também foi rompida e o galanteador desistiu de viver, pois ficou sem seu grande amor: a religiosa que no começo era apenas mais uma mulher a ser conquistada. Após marcar um duelo com Felipe (Jesuíta Barbosa), o personagem se entregou e deixou ser atingido pela bala do rival. A sequência foi excelente, destacando a competência de Selton Mello, que fazia muita falta diante das câmeras. Patrícia Pillar também brilhou e a dobradinha dos dois foi um dos muitos acertos da minissérie.



Brinde de todos os personagens no final de "Além do Tempo":
Foram mais de cem anos de muitos rancores, conflitos, mágoas e enfrentamentos. Entretanto, os amores não couberam em uma só vida e a reconciliação se fez presente. A autora conseguir concluir tudo isso de forma brilhante na última cena, quando todos se encontraram em uma bela confraternização. Enquanto se abraçavam e brindavam, o anjo Ariel (Michel Melamed) e o Mestre (Othon Bastos) proferiam um delicado texto sobre amor, perdão e fraternidade. Poderia ficar piegas, mas passou longe disso. Foi uma cena sensível, fechando muito bem o ciclo da novela das seis.



Cecília se desespera com a atitude de Felipe em "Ligações Perigosas":
Após sua relação com Augusto ter sido exposta, Cecília entra em pânico com o surto do noivo Felipe e tenta fazer de tudo para impedir que uma desgraça aconteça. Seus desespero é em vão e ele acaba matando Augusto, deixando a menina em estado de choque. Alice Wegmann ganhou uma ótima personagem na minissérie de Manuela Dias e soube aproveitar a oportunidade, mostrando que é uma das gratas revelações de "Malhação". Ela foi um dos destaques dessa ótima produção.




Romero, Atena e Ascânio se abraçam em "A Regra do Jogo":
Os três picaretas foram os grandes destaques da controversa trama de João Emanuel Carneiro. O trio era a melhor coisa da trama e os personagens emocionaram na reta final, quando, em uma casa isolada, escapando da polícia e da facção, se abraçaram em um raro gesto de amor, evidenciando a família torta que formaram. A verdade é que um só podia contar com o outro e mais ninguém. Alexandre Nero, Giovanna Antonelli e Tonico Pereira protagonizaram um momento delicado dos bandidos que no fundo tinham um bom coração e só queriam curtir a vida.





Ascânio celebra o 'casamento' de Romero e Atena em "A Regra do Jogo":
Como estavam praticamente isolados do mundo, Romero e Atena escolheram o 'velho' para ser o padre do casório deles e a cena ficou divertidíssima. Tonico Pereira foi o melhor ator coadjuvante da novela e essa cena foi uma das muitas provas disso. O personagem falou demasiadamente, irritou o casal de bandidos e depois permitiu o beijo dos noivos. Um momento impagável da trama das nove.




Candinho encontra sua mãe em "Êta Mundo Bom!":
O querido caipira finalmente encontrou sua mãe, graças ao professor Pancrácio (Marco Nanini), e a cena do encontro foi a mais emocionante do fenômeno de Walcyr Carrasco. Resultou ainda em uma das maiores audiências da novela. O momento primou pela sensibilidade e Sérgio Guizé e Eliane Giardini arrancaram lágrimas dos colegas em cena e do público, que se envolveu com aquele enredo tão cativante. Foi lindo.



Zé Maria não consegue matar o filho em "A Regra do Jogo":
O personagem de Tony Ramos se revelou o maior assassino da novela na reta final da história. Porém, apesar da sua extrema crueldade, não conseguiu matar Juliano (Cauã Reymond) e essa sua resistência expôs o brilhantismo do intérprete, que é um dos maiores atores do país. Tony passou tudo o que Zé estava sentindo pelo olhar, que mesclava ódio, arrependimento e frustração. Uma verdadeira aula de interpretação para muitos.




Embate final entre Zé Maria e Romero em "A Regra do Jogo":
O vilão vivido magistralmente por Tony Ramos apontou uma arma para Romero, obrigando o rival a matar Juliano (Cauã Reymond), enquanto Atena apontava uma arma para Zé Maria, tentando impedir a ameaça. Foi uma sequência de grande adrenalina, expondo o talento de João Emanuel Carneiro para criar momentos assim. Além de Tony, Giovanna Antonelli e Alexandre Nero também se destacaram, implicando em um dos instantes mais tensão da novela.




Romero não atira em Juliano e é morto por Zé Maria em "A Regra do Jogo":
O bandido que nunca tinha matado ninguém morreu cumprindo a sua palavra. Após negar a ameaça de Zé Maria, Romero é assassinado pelo chefe da facção, para o desespero de Atena. O personagem, porém, não morreu antes de dar sua última dançadinha ao som de Elvis Presley. Foi uma excelente cena, sendo necessário citar mais um show de Tony Ramos, além da emoção de Giovanna Antonelli, que soube mostrar toda a dor da sua personagem pela perda do único grande amor da sua vida.




Atena abraça seu filho com Romero na última cena de "A Regra do Jogo":
A 171 mais querida da novela terminou impune ao lado do parceiro Ascânio, praticando golpes com o seu 'velho'. Porém, a surpresa foi a presença de uma criança, o filho de Romero Rômulo. A personagem estava grávida do seu grande amor e todo o seu carinho pelo filho foi mostrado em uma delicada cena final, com direito a um forte abraço emocionado. Giovanna mais uma vez se destacou.



Sandra surta com o 'não' de Candinho em "Êta Mundo Bom!":
Após ter armado muitas vezes para ficar com a fortuna de sua 'titia', a grande vilã da novela das seis viu seu plano ruir em pleno altar, quando o caipira se recusou a se casar com ela. A sequência foi bem longa, resultando em um surto da víbora, que despejou seu ódio em cima de todos os presentes, tirando a máscara de boa moça. Flávia Alessandra convenceu do primeiro ao último minuto da ótima cena.



Sandra e Anastácia se enfrentam em "Êta Mundo Bom!":
A vilã aplicou um golpe na tia e conseguiu toda a fortuna dela, incluindo a mansão. Sandra se revelou para Anastácia, mostrando o quanto sempre foi invejosa e cruel, a expulsando de casa junto com toda a família. Anastácia enfrentou a sobrinha e ainda a estapeou. Flávia Alessandra e Eliane Giardini se destacaram e protagonizaram uma das melhores cenas da novela das seis, marcando a virada na vida da mãe de Candinho.





Casamento de Pancrácio e Anastácia em "Êta Mundo Bom!":
Walcyr Carrasco sempre destaca os atores veteranos em suas novelas e mais uma vez comprovou essa característica através do lindo casal formado por Pancrácio e Anastácia. O humilde professor, depois de muito relutar, finalmente aceitou se casar com a ricaça e a cena do casório foi muito delicada, destacando a química entre Marco Nanini e Eliane Giardini. Os dois formaram um dos melhores casais da trama.




Casamento de Celso e Maria em "Êta Mundo Bom!":
Mais um ótimo casal da novela das seis, cuja cena do casório primou pela delicadeza, expondo o amor que uniu um ex-canalha e a mulher mais íntegra da história. Rainer Cadete e Bianca Bin protagonizaram uma linda cena e o clichê do casamento na reta final do folhetim foi mais do que bem vindo, ainda mais com um par que cresceu além do esperado no enredo.




Batida de carro, resultando na morte de Ernesto em "Êta Mundo Bom!":
Após terem sequestrado a filha da Candinho, os vilões tentaram fugir, mas acabaram batendo com o carro em uma árvore. O acidente vitimou o canalha Ernesto, para o desespero de Sandra. Flávia Alessandra se destacou, mas o melhor da cena foi o capricho da direção e dos efeitos visuais. É ainda mais difícil promover uma perseguição e um acidente com carros de época, mas a equipe conseguiu um resultado muito bom.



Sandra é presa no final de "Êta Mundo Bom!":
A grande vilã da novela foi para a cadeia no último capítulo, onde passou por diversas humilhações, chegando até a comer comida do chão. Sandra surtou e chorou copiosamente em uma cena longa e que serviu para fechar com chave de ouro a grande participação de Flávia Alessandra na novela das seis, marcando a bem-sucedida volta da sua parceria com Walcyr Carrasco. O autor lhe deu sua melhor personagem na carreira (a vilã Cristina de "Alma Gêmea") e escreveu a segunda vilã para a atriz, que novamente se destacou.


Gerusa morre em "Êta Mundo Bom!":
Após dançar sua última valsa com o noivo Osório, Gerusa morre em seus braços, para o desespero dele e de Camélia, a avó da menina. Arthur Aguiar e Ana Lucia Torre emocionaram na triste cena.




Mensagem final de Candinho em "Êta Mundo Bom!":
"Tudo o que acontece de ruim na vida da gente é para melhorar". Repetido como um mantra ao longo da novela, a frase foi usada pelo protagonista para encerrar a ótima novela das seis. Mas desta vez Candinho falou com os telespectadores. Sérgio Guizé brilhou e encerrou a novela da melhor forma possível.



Nanda chora a morte de Filipe em "Malhação - seu lugar no mundo":
A morte de Filipe foi gratuita e bastante inverossímil, reforçando o quanto a temporada de Emanuel Jacobina foi equivocada. Entretanto, a cena em que Nanda chorou a morte do namorado foi emocionante. Amanda de Godoi aproveitou a oportunidade para mostrar o seu talento e deu um banho de emoção em um momento que exigia mesmo uma maior entrega dela. Foi a sua melhor cena na trama.




Incêndio na fazenda de Capitão Rosa na primeira fase de "Velho Chico":
A direção primorosa de Luiz Fernando Carvalho fez toda a diferença. O diretor conseguiu deixar uma cena de incêndio linda esteticamente, parecendo uma bela pintura, apesar do contexto trágico. Já a interpretação primorosa de Fabíula Nascimento complementou com brilhantismo a sequência, protagonizando um grande momento ao lado de Rodrigo Lombardi.




Iolanda tem uma briga séria com Afrânio e termina com ele na primeira fase de "Velho Chico":
Carol Castro e Rodrigo Santoro tiveram uma excelente parceria no início da trama das nove e uma das melhores cenas deles foi justamente a do término do casal, após a última transa. Os dois deram um banho de competência dramática, impressionando quem assistia.


Santo se desespera com a morte do pai na primeira fase de "Velho Chico":
Após ver o pai ser assassinado, Santo sai desnorteado e grita de dor. No mesmo instante, cai uma forte tempestade e mais uma vez o minucioso trabalho de Luiz Fernando Carvalho se faz presente, transformando uma sequência dramática em poesia pura. A chuva e o choro se complementaram, sendo necessário aplaudir o brilhante desempenho de Renato Góes.



Tereza e Luzia brigam em "Velho Chico":
A mocinha e a vilã da trama tiveram bons embates e a briga mais forte foi quando as duas partiram para as vias de fato, honrando todo bom clichê novelesco. A cena foi relativamente curta, mas Camila Pitanga e Lucy Alves se entregaram e protagonizaram uma ótima sequência, com direito a tapas, puxões de cabelo e muitos xingamentos de cutruvia.





Tereza conta para Santo que Miguel é seu filho em "Velho Chico":
Uma cena emocionante do primeiro ao último minuto, com uma entrega total dos intérpretes. O momento em que a mocinha conta para o mocinho da novela que eles tiveram um filho juntos foi um dos mais aguardados da trama e honrou a expectativa. Camila Pitanga e Domingos Montagner deram um banho de interpretação.




Família Dos Anjos enfrenta o coronel Saruê em "Velho Chico":
Indignado com a mudança de Miguel para a casa de Santo, Afrânio vai até o território inimigo tirar satisfações. A situação rendeu um embate de alto nível entre as famílias, onde a carga dramática esteve presente o tempo todo. Destaque para o momento em que Piedade tira a arma da mão do filho e coloca no chão, pegando um buquê de flores no lugar. Zezita Matos emocionou, assim como Domingos Montagner, Gabriel Leone, Irandhir Santos e Antônio Fagundes. Uma das melhores cenas da novela.




Luzia surta em "Velho Chico":
Desesperada com a possibilidade de perder Santo para Tereza, Luzia tem um acesso de fúria em sua casa. A cena impressionou pelo nível de entrega da intérprete e naquele instante ficou bem claro que Lucy Alves seria facilmente eleita a maior revelação de 2016 com méritos, o que de fato aconteceu.



Sofia morre em "Totalmente Demais":
Após ter forjado a própria morte, a vilã morreu de verdade quando seu plano para matar Eliza deu errado. Assassinada pelo próprio cúmplice, Jacaré, a psicopata faleceu nos braços da mãe, em uma cena forte e que contou com o imenso talento dramático de Vivianne Pasmanter. Foi impossível não ter chorado junto com aquela mãe que vivenciava a dor da perda de um filho pela segunda vez.




Sequestro de Eliza em "Totalmente Demais:
A mocinha sofreu na mão de todos os vilões da novela, mas a cena em que Jacaré a sequestrou logo depois de ter matado a cúmplice Sofia (Priscila Steinman) foi excelente. Todos os instantes de tensão em uma pedreira abandonada empolgaram o público, destacando Sérgio Malheiros, Marina Ruy Barbosa, Humberto Martins e Felipe Simas.



Arthur e Carolina brigam em "Totalmente Demais":
Foram anos de um relacionamento atípico, onde as apostas ditavam as regras. Porém, a ruptura da relação se deu quando Carolina armou para Arthur flagrar Eliza na cama com Rafael (Daniel Rocha). O empresário não perdoou, tendo uma séria discussão com a parceira, onde várias mágoas guardadas por anos foram vomitadas. Juliana Paes e Fábio Assunção brilharam.



Lili e Carolina se enfrentam em "Totalmente Demais":
Após várias trocas de farpas, as até então sócias de um empreendimento tiveram uma briga séria por conta de Germano (Humberto Martins). O embate contou com o ótimo texto dos autores Rosane Svartman e Paulo Halm, além das grandiosas interpretações de Vivianne Pasmanter e Juliana Paes. As duas, por sinal, engrandeceram o elenco da novela do primeiro ao último capítulo.




Jonatas e Eliza passeiam em "Totalmente Demais":
Uma cena simples e sem texto que resultou em um momento de extrema delicadeza no fenômeno das sete. Correndo atrás do tempo perdido, o ex-vendedor de balas e a ex-florista namoraram e se divertiram no parque como se estivessem recomeçando, só que dessa vez com condições de vida bem melhores. Felipe Simas e Marina Ruy Barbosa apenas confirmaram a ótima química que os perseguiu durante toda a trama.



Dino esfaqueia Jonatas em "Totalmente Demais":
O padrasto da mocinha consegue invadir o apartamento onde Eliza está e acaba surpreendido por Jonatas, que a defende. O vilão e o mocinho têm uma briga ferrenha, até que Dino enfia uma faca no rapaz, que grita de dor para o desespero de Eliza. A sequência foi repleta de adrenalina, destacando Marina Ruy Barbosa, Paulo Rocha e Felipe Simas.



Eliza doa parte do fígado para salvar Jonatas em "Totalmente Demais":
Vendo o amor da sua vida entre a vida e a morte, a mocinha decide doar parte de seu fígado para salvá-lo. O drama tipicamente novelesco serviu para evidenciar mais uma vez a grande sintonia entre os atores e o acerto do par criado por Rosane e Paulo. Toda a sequência foi delicada e emocionante. Marina e Felipe novamente convenceram, sendo necessário também citar Malu Galli (Rosângela).



Carolina consegue adotar Gabriel em "Totalmente Demais":
A sequência mais linda da novela, sem dúvidas. Enquanto o juiz aceitava o pedido de adoção da personagem mais complexa da trama e falava da importância da adoção, imagens do menino correndo em direção à mãe eram exibidas ao som de "Rise Up" (Andra Day), tema de Carolina. Uma cena delicadíssima e profundamente tocante, com direito a um show de Juliana Paes.



Arthur desiste de viajar com Eliza e manda Jonatas no seu lugar em "Totalmente Demais:
Após constatar que Eliza e Jonatas sempre se amaram, Arthur deixa de ser egoísta pela primeira vez e junta o casal no último capítulo da novela. A cena foi muito bem interpretada pelos atores, sendo necessário citar a troca de olhares entre os mocinhos ao som de "Home" (Gabrielle Aplin). Felipe Simas e Marina Ruy Barbosa brilharam mais uma vez, assim como Fábio Assunção, que ainda protagonizou ótimos momentos com Juliana Paes no final feliz de Arthur e Carolina.





Dionísia empareda o marido vivo em "Liberdade, Liberdade":
Maitê Proença e Jackson Antunes brilharam na forte briga protagonizada por uma mulher em pânico e um ex-marido descontrolado. Dionísia enfiou um punhal em Terenciano e, achando que ele estava morto, começou a emparedá-lo com a ajuda dos escravos. Mas o homem estava vivo e mesmo assim Dionísio seguiu o que estava fazendo. Ótima cena.



André e Tolentino transam em "Liberdade, Liberdade":
A primeira cena de sexo gay da teledramaturgia foi muito bem dirigida por Vinícius Coimbra, onde a delicadeza e a brutalidade estiveram presentes. Caio Blat e Ribardo Pereira viveram a melhor cena deles na novela escrita por Mário Teixeira e souberam passar toda a veracidade daqueles personagens em uma época onde o preconceito era ainda maior.



Rubião estupra Joaquina em "Liberdade, Liberdade":
A cena foi fortíssima, expondo mais uma das inúmeras monstruosidades do grande vilão da trama. Depois da descoberta de que Rosa é na verdade a filha de Tiradentes, o canalha violentou a esposa em uma sequência de provocar repulsa. Mateus Solano e Andreia Horta deram um banho de interpretação.



Branca morre envenenada em "Liberdade, Liberdade":
A novela das 23h contou com um dos maiores clichês folhetinescos: a vilã tenta envenenar a mocinha, mas acaba morta pelo próprio veneno. Foi o que aconteceu com Branca, que tentou matar Joaquina, mas bebeu na taça errada. Nathalia Dill se despediu da novela muito bem e foi um dos acertos da produção, brilhando do início ao fim com a sua vilã sarcástica e com bons toques de comicidade.




Virgínia descobre que Rubião mandou matá-la em "Liberdade, Liberdade":
Depois de ter sido sequestrada por Tolentino, a cafetina descobre através dele que seu próprio filho mandou assassiná-la. Em choque, a personagem chora e desiste de viver, forçando o capitão a matá-la. Lília Cabral mostrou o porquê é considerada uma das melhores atrizes do país.





Joaquina inicia a revolução em "Liberdade, Liberdade":
A heroína organizou um motim contra dos desmando da Coroa Portuguesa e Rubião, terminando o que seu pai havia começado anos atrás. As cenas de luta ficaram muito bem realizadas e todo o elenco envolvido brilhou, com destaque para Andreia Horta.






André é condenado à forca, sendo observado por Tolentino em "Liberdade, Liberdade":
Condenado por sodomia, André foi enforcado e antes de morrer fez questão de dizer que seu único pecado foi ter amado, olhando imediatamente para Tolentino. O capitão nada fez para impedir a morte e se remoeu de culpa pela covardia. Caio Blat e Ricardo Pereira mostraram nos olhares o sentimento dos personagens.



Joaquina chora a morte de André em "Liberdade, Liberdade":
Ao ver o irmão enforcado, Joaquina se desespera e chora copiosamente. A cena foi muito triste, destacando todo o talento dramático de Andreia Horta, que honrou o protagonismo da novela do primeiro ao último capítulo. Há tempos merecia uma protagonista e quando finalmente ganhou soube aproveitar a oportunidade.





Joaquina discursa no final da "Liberdade, Liberdade":
Prestes a ser enforcada, Joaquina discursa diante do povo falando da importância da liberdade. Pouco depois acabou sendo libertada por Xavier (Bruno Ferrari), conseguindo escapar. O texto foi excelente a a interpretação de Andreia Horta imprimiu tudo o que aquelas palavras queriam dizer. Foi uma cena arrepiante, fazendo jus ao título do folhetim.





Santo e Afrânio se acertam em "Velho Chico":
Foram muitos anos de brigas, mágoas e uma eterna rivalidade familiar. Porém, Santo e o coronel Saruê finalmente tiveram uma derradeira conversa, com direito até a uma arma apontada. No final, os dois resolveram suas questões e declararam um respeito mútuo. Foi uma das últimas cenas do grande Domingos Montagner e o saudoso ator deu um show ao lado do também excelente Antônio Fagundes.






A última cena de Domingos Montagner em "Velho Chico":
A morte do ator foi uma das maiores tragédias do ano e seu último momento na novela foi lindo. Santo, Miguel e Tereza analisaram a qualidade da terra deixada por Encarnação e esbanjaram esperança de um bom futuro pela frente. Domingos, Gabriel Leone e Camila Pitanga transbordaram sintonia e emocionaram.



Encarnação tenta se matar nas águas do Rio São Francisco em "Velho Chico":
A cena foi ao ar no mesmo dia da trágica morte de Domingos, afogado justamente nessas águas. Ou seja, a carga dramática da cena acabou sendo quadruplicada. Selma Egrei emocionou na sequência de extrema beleza estética e profunda agonia.



Encarnação morre e padre Benício se desespera em "Velho Chico":
Após ter dançado sozinha sua última valsa, Encarnação morre sentada em sua cadeira de balanço e o padre se desespera porque se negou a perdoar os pecados da matriarca. Carlos Vereza se destacou na sua melhor cena da trama.



Elenco contracenando com a câmera em "Velho Chico":
Difícil selecionar uma cena. Todos os momentos do elenco olhando para a câmera como se ela fosse o Santo foram delicados e emocionantes. Camila Pitanga, Irandhir Santos, Giullia Buscacio, Lucy Alves, Zezita Matos e Antônio Fagundes brilharam. Além, claro, da direção que teve uma sacada de mestre.



Afrânio tira a sua peruca em "Velho Chico":
O Saruê se livrou da famigerada peruca, representando a sua liberdade diante das águas do rio São Francisco. Toda a sequência destacou o show de Antônio Fagundes, que ainda protagonizou um momento claramente inspirado no Dom Quixote enfrentando os moinhos de vento, clássico de Miguel de Servantes.


Chuva na igreja em "Velho Chico":
Mais um momento de poesia, engrandecendo o último capítulo da trama das nove. Após se casar com Santo, Tereza e todos os presentes são banhados pela água da chuva, lavando a alma do sertão. Todos os atores emocionaram, especialmente Antônio Fagundes, Irandhir Santos, Camila Pitanga e Christiane Torloni, e a sequência ficou belíssima.



Afrânio faz as pazes com Martim em "Velho Chico":
O filho do Saruê foi assassinado, mas pai e filho puderam se reconciliar espiritualmente. O momento em que Afrânio e Martim se abraçam foi emocionante e lindamente interpretado por Antônio Fagundes e Lee Taylor.




Vicente mata Isabela em "Justiça":
A cena mais chocante e impactante do ano. Foi impressionante ver Vicente matando a namorada com vários tiros, após flagrá-la transando com outro no chuveiro. A cena foi brilhantemente dirigida por José Luiz Villamarim e o desespero de Elisa, mãe da menina, vendo a filha ser assassinada sem poder fazer nada foi dilacerante. A imagem da mãe abraçada ao corpo ensanguentado da filha impactou. Débora Bloch transmitiu aquela dor de mãe com maestria e Jesuíta Barbosa estava em estado de graça. Uma das melhores cenas da minissérie de sucesso de Manuela Dias.



Atropelamento de Beatriz em "Justiça":
A cena que entrelaçou as quatro histórias da excelente minissérie na primeira semana impactou pelo grau de realismo. O momento em que Beatriz (Marjorie Estiano) atravessa a rua, enquanto se declara para o noivo, e é atropelada por Antenor (Antônio Calloni) foi primorosa e mais uma vez é extremamente necessário aplaudir o trabalho da direção. Não é exagero dizer que pareceu real. Até mesmo o barulho do impacto do carro primou pela perfeição. Deu até para constatar a 'preguiça' de algumas equipes de novelas que preferem realizar atropelamentos de forma bem mais artificial.



Os quatro protagonistas são presos em "Justiça":
Apesar da grave falha de cronologia (era impossível todos terem sido presos no mesmo dia), as quatro prisões marcaram a minissérie. A imagem deles lado a lado, esperando a sentença por seus crimes (uns justos e outros injustos) virou a principal marca de "Justiça". E a música Hallelujah foi a principal identidade dessa excepcional produção, que fez um merecido sucesso.



Fátima ameaça Douglas em "Justiça":
Após ser presa injustamente por sete anos, a personagem mais íntegra da minissérie sai da cadeia e volta para o seu casebre, agora tomado pelo mato. Lá encontra Douglas, um dos responsáveis pela sua prisão, e o ameça com um facão. A agressividade de Fátima foi passada com extremo brilhantismo por Adriana Esteves e já era claro que ela seria um dos grandes destaques da produção.



Beatriz pede para o noivo matá-la em "Justiça":
A personagem era uma bailarina de sucesso e se viu tetraplégica após o atropelamento criminoso. Sem querer dialogar e estender o sofrimento, Beatriz implora para Maurício fazer a eutanásia. Ele reluta, mas ela fica irredutível. Por amor, o rapaz acaba atendendo o pedido e a despedida deles foi emocionante. Marjorie Estiano mais uma vez mostrou ser a melhor revelação de "Malhação", expondo o seu incontestável talento. Já Cauã Reymond protagonizou a sua melhor cena da minissérie.


Fátima é roubada pelo próprio filho em "Justiça":
A personagem foi a mais sofrida da minissérie, sem dúvidas. O choque de Fátima, ao constatar que o trombadinha que furtou seu dinheiro é o filho Jesus (Tobias Carrieres) foi de cortar o coração. Ela perdeu o contato com os filhos quando foi presa e o rencontro com o caçula foi o mais traumático possível. Adriana Esteves, para variar, brilhou absoluta. Que cena!



Jesus vai atrás de Fátima em "Justiça":
Assim que percebeu que roubou sua própria mãe, Jesus volta para casa e devolve o dinheiro para Fátima. O segundo encontro, desta vez, foi repleto de emoção e carinho. Mãe e filho choraram e se abraçaram forte, celebrando o reencontro, apesar de todas as inúmeras diversidades que os cercavam. Adriana Esteves e Tobias Carrieres arrancaram muitas lágrimas do público.



Vânia e Antenor brigam seriamente em "Justiça":
A melhor cena protagonizada por Drica Moraes e Antônio Calloni foi justamente o momento do acerto de contas entre marido e esposa. A briga violenta --- resultando no desequilíbrio de Vânia, que caiu da janela, morrendo na hora --- expôs o conhecido talento dos grandes atores, que deram um show. Os dois, inclusive, ofuscaram Cauã na história de sexta-feira. E que privilégio o telespectador teve vendo Drica e Calloni juntos em cena.




Elisa nega socorro a Vicente em "Justiça":
A mãe de Isabela tentou se vingar do assassino da filha, mas não conseguiu e ainda se envolveu amorosamente com ele. Sua dor e sua culpa só aumentaram. Entretanto, os dois sofreram um grave acidente de carro, atingido em cheio por um caminhão. Vicente agonizava e Elisa chegou a pegar o telefone para pedir uma ambulância, mas desistiu. Ela lançou um olhar de desprezo para o algoz da filha e depois chorou copiosamente assim que ele morreu. Sua ligação de nada adiantaria para salvá-lo, porém, o gesto foi extremamente significativo e Débora Bloch foi um dos grandes trunfos da minissérie. Que atriz!


Débora mata o estuprador a pauladas em "Justiça":
A personagem ofuscou a protagonista Rose (Jéssica Ellen) em virtude do seu drama ter sido bem mais atrativo e toda a saga da menina em busca da vingança contra o cara que a estuprou teve um desfecho impactante. Ela contratou dois capangas, o amarrou e depois o matou a pauladas assim que o mesmo disse que não duraria na cadeia e voltaria para violentá-la novamente. A cena foi forte e Luisa Arraes se destacou pela total entrega.



Maurício encara Antenor em "Justiça":
Após ver sua vingança concluída, Maurício vai até a cadeia 'visitar' o político corrupto, preso em flagrante por ter assassinado a mulher. A troca de ironias da cena foi maravilhosa, incluindo o deboche do rapaz ao dizer que Antenor praticou inúmeros crimes, mas acabou preso justamente pelo que ele não cometeu. Cauã Reymond e Antônio Calloni foram muito bem.


Final feliz de Fátima em "Justiça":
Após um festival de lágrimas e muito sofrimento, Fátima teve o seu merecido final feliz na minissérie que conquistou o público. A última cena da história de terça-feira foi linda, com Firmino dedicando uma música ("Amor Perfeito") especialmente para o seu grande amor e pedindo Fátima em casamento. A sequência primou pela sensibilidade, destacando mais uma vez Adriana Esteves, além de Júlia Dalavia, Tobias Carrieres e Júlio Andrade.





Maria Isabel mata o próprio pai em "Escrava Mãe":
A grande vilã da novela foi muito bem interpretada por Thais Fersoza e a atriz se destacou ao lado de Antônio Petrin, quando Maria Isabel assassina Coronel Custódio, sem se importar com o fato de ser seu próprio pai. A frieza da víbora assustou e os atores convenceram.



Urraca dá vexame na festa da Condessa em "Escrava Mãe":
Jussara Freire é um dos grandes nomes da novela da Record e a sua personagem é o maior acerto da trama. A defensora da moral e dos bons costumes tentou embebedar a Condessa (Adriana Lessa) com um drinque batizado, mas acabou tomando a bebida. O resultado foi um vexame hilário, proporcionando cenas impagáveis para a atriz, que deu um show.




Felipe e Shirlei transam em "Haja Coração":
O casal mais amado da novela das sete teve uma primeira vez digna de protagonistas. Aliás, até mais que protagonistas, uma vez que o casal dito principal nem teve cena da primeira vez. O momento em que o 'príncipe encantado' ficou com a sua 'Cinderela' primou pela delicadeza, evidenciando a incontestável química entre Marcos Pitombo e Sabrina Petraglia, que souberam imprimir todo o clima romântico daquela cena. Não por acaso foi uma das cenas mais vistas no site da trama.




Carmela assume que foi a responsável pelo acidente de Shirlei em "Haja Coração":
A revelação de que Carmela causou o acidente que deixou Shirlei manca foi uma das melhores da novela de Daniel Ortiz. Chandelly Braz e Sabrina Petraglia se entregaram por completo, sendo necessário também citar o show de Marisa Orth. Foi uma sequência longa e repleta de drama. As três atrizes deram um banho de atuação em cena e emocionaram o público. Aliás, foi o melhor momento de Chandelly na trama, conseguindo mostrar toda a complexidade da até então vilã.




Helô enfrenta Fausto e Magnólia na primeira fase de "A Lei do Amor":
Indignada com a prisão de seu pai (que culminou na sua morte), Helô foi até a mansão do pai e da madrasta de Pedro (Chay Suede) enfrentá-los. Cercada de ódio, a mocinha prometeu vingança e disse tudo o que estava guardado. Isabelle Drummond deu um banho de interpretação e contracenou de igual para igual com nomes como Tarcísio Meira e Vera Holtz.



Cândida morre na primeira fase de "A Lei do Amor":
A morte da mãe da Helô foi tocante e brilhantemente interpretada por Denise Fraga, que emocionou ao lado de Chay Suede, no momento em que Cândia pede para Pedro cuidar da Helô para ela. Uma sequência delicada e muito triste.




Pedro e Helô se reencontram em "A Lei do Amor":
Após 20 anos separados, os mocinhos se reencontraram logo no início da segunda fase de "A Lei do Amor". A sequência foi primorosa, onde a delicadeza se fez presente através de breves imagens de flashback com Chay Suede e Isabelle Drummond. Já Gianecchini e Cláudia Abreu mostraram todo o sentimento dos personagens somente pela troca de olhares.




Atentado a Fausto e Suzana em "A Lei do Amor":
A melhor cena da atual novela das nove até então. O realismo impressionou, principalmente depois que foi revelado que tudo foi feito por computação gráfica, não existindo estrada e muito menos perseguição. A cena em que o motoqueiro dá um tiro em Suzana (Regina Duarte), provocando imediatamente a perda do controle do carro, que capota, foi excepcional. Um trabalho primoroso da equipe de Denise Saraceni.



Helô morde Tião, que a enforca em "A Lei do Amor":
Cláudia Abreu e José Mayer vêm protagonizando várias cenas de briga excelentes na trama de Maria Adelaide Amaral e Vincent Villari. Mas a mais forte delas foi a que o vilão tentou beijar a ex à força, sendo mordido por ela. O canalha ainda tentou enforcá-la, mas a mocinha se desvencilhou dando um golpe com uma estátua na cabeça do ex-marido. Uma cena muito bem interpretada por dois grandes atores.



Pedro enforca Tião em "A Lei do Amor":
O mocinho da atual trama das nove já é o melhor do horário nobre em muitos anos. Ativo, inteligente e sarcástico, o personagem está sendo muito bem interpretado por Reynaldo Gianecchini e o ator se destacou ao lado do grande José Mayer, quando Pedro intimidou Tião e fingiu que ia matá-lo. O vilão até chorou depois que ficou sozinho. Uma ótima cena de embate entre bem X mal, fazendo jus a todo bom folhetim.





A lista foi bem longa (77 cenas), como é possível notar. Mas isso é ótimo, pois é sinal que tivemos várias grandes sequências em 2016. Quem ganhou com isso foi o público, que teve o privilégio de assistir a várias delas ao longo deste ano. Que em 2017 tenhamos outras tão boas quanto. Ou até melhores.

30 comentários:

Fernanda disse...

Estou embasbacada com essa retrô. Primeiro pela sua memória, segundo pelo seu detalhismo, terceiro pela sua dedicação em fazer isso para nós leitores. Me sinto prestigiada. Muito obrigada!

Anônimo disse...

Nooooooooooooooooooooooooooooooooooooooossa!!!!!!!!!!!!!!!! Que lista é essa!!!!!!!!!!!!!!! CHOCADA! Você é o melhor mesmo, sério.

Ricardo disse...

Gostei de várias cenas citadas, entre elas o final da Fátima em Justiça. A briga da Tancinha com a Fedora no início de HC poderia ter sido citada. Amei a cena do Pedro que você escolheu, teria incluído a cena do reencontro dele e da Helô, que foi super delicada e linda.

Ricardo disse...

Na verdade, no lugar de Tancinha e Fedora, colocaria a Tancinha descobrindo a farsa do Beto.

Anônimo disse...

Parabéns pela retrô, você é o melhor, adoro seus posts. Gostei de todas as cenas listadas, mas as mais imapactantes pra mim, que me emocionou bastante foram as de Justiça, ainda mais quando tocava Hallelujah.

Joana Limaverde disse...

Os colunistas ditos especializados em teve deveriam sentir vergonha das retrospectivas que fazem diante dessa sua.

Anônimo disse...

Faltou a cena de Shirley e Carmela!Onde o segredo é revelado

Anônimo disse...

Senti falta do embate entre Shirlei, Carmela e Francesca em HC, ou da cena na casa da Jessica, onde a vilã arma para Shirlei ser incriminada, eu fiquei até nervoso vendo essa cena kkkk. Gostei da retrospectiva.

Heitor disse...

Olha, a única coisa que eu posso te falar é parabéns. Que lista impecável e que trabalho deve ter dado!

Anônimo disse...

Além Do Tempo e A Regra Do Jogo são novelas que puxaram mais para o ano de 2015, Não sei o que elas estão fazendo aí na lista, e por que a cena da Shirley e Carmela não está aí?

Melina disse...

Sérgio, querido, estava sumida mas voltei. Que lista maravilhosa. 77 cenas deve ter dado um trabalhão e a sua memória é espetacular. E aos comentaristas acima, o Sérgio colocou a cena da Carmela com a Shirlei. Pelo menos eu acabei de ver aqui. E anônimo acima, todas essas cenas de Além do Tempo e A Regra do Jogo foram exibidas em 2016. Queria que ele ignorasse????? Sérgio, um beijo, querido.

Nathalia Queiroz disse...

Eu amo a cena do reencontro do Pedro e da Helo com os flashbacks acho linda. Concordo com todas as cenas que você falou, mas na minha opinião pessoal adicionaria na minha lista o diálogo entre a Luciane e o Pedro onde ele elogia ela e ela diz que ninguém nunca tratou ela daquela forma, acho essa cena muito delicada e também a cena entre Bruna e Camila no Galpão, aquela sequência foi um show da Fernanda Vasconcelos. Mas como disse são duas cenas de escolhas bem pessoais, mas todas as que você escolheu são maravilhosas.

Thaliny Valério disse...

amo suas retrospectivas, impecáveis em detalhes!

Anônimo disse...

Otimo texto, parabéns. Cenas muito boas e bem escolhidas, mas a lista ficou muito grande. Algumas cenas nem foram tão marcantes assim.

Eu retiraria.

Morte de Augusto e desespero de Cecília em ligações perigosas.
Casamentos de Anastacia e Celso respectivamente.
Casamento de Atena e Romero e abraço de Atena no filho em A Regra do jogo.
Helô morde Tião em A Lei do Amor.
Lili e Carolina e Carolina e Arthur brigam em Totalmente Demais.
Briga de Yolanda e Afranio em Velho Chico.
Mauricio enfrente Antenor em Justiça.

E algumas poderiam ter sido resumidas 2 em 1.

Mas, gostei dessa retrospectiva.

porlapazyporlavida lc disse...

Ótimas cenas, Zamenzito. O final de Além do tempo foi maravilhoso demais. Lívia e Felipe sendo salvos por Melissa, as três gerações se reconciliando, a mensagem final do anjo Ariel e do mestre com o brinde sendo mostrado atrás... Foi emocionante. Vez ou outra me pego reassistindo os momentos finais dessa novela maravilhosa. Outro destaque foram as cenas finais de Totalmente demais. A cena da facada, a doação do fígada e a troca de olhares no aeroporto estão na minha lista desse ano. Me emocionei muito com esse casal lindo. Felipe Simas perfeito junto a Marina Ruy Barbosa e todo o elenco. Por fim, A Lei do Amor. A primeira fase foi impecável. Chay Suede e Isabelle Drummond fizeram um trabalho tão lindo que emociona reassistindo as cenas dos dois. A morte da mãe de Helô foi tão triste, tão visceral. Denise Fraga e Chay ótimos. O reencontro de Pedro e Helô já na segunda fase com aquele flashback entra também na minha lista. Giane e Cláudia maravilhosos demais. Como já disse, Peloíse teve um quarteto de ouro, talentosíssimo!

Sérgio Santos disse...

Deu um trabalhão, mas essa é a recompensa, Fernanda! Beijão!

Sérgio Santos disse...

Obrigado, anonimo.

Sérgio Santos disse...

Inclui a cena do reencontro do Pedro e da HelÔ, Ricardo. Já as outras não vi necessidade.

Sérgio Santos disse...

Mt obrigado, anonimo. As de Justiça foram mt impactantes mesmo!

Sérgio Santos disse...

Fico feliz que tenha gostado, Joana.

Sérgio Santos disse...

Tinha me esquecido msm, anonimo. Mas já inclui logo depois.

Sérgio Santos disse...

Incluí a cena da Carmela X Shirlei, anonimo. Foi mt boa mesmo!

Sérgio Santos disse...

Deu um trabalhão mesmo, Heitor. Obrigado.

Sérgio Santos disse...

Desculpe, anonimo, mas todas as cenas citadas de Além do Tempo e A Regra do Jogo foram exibidas esse ano, portanto, deveriam estar aqui sim. Como poderia tê-la citado ano passado se nem tinham sido exibidas ainda? E essa que vc citou já foi incluída no mesmo dia.

Sérgio Santos disse...

Senti sua falta, Melina. Bom te ver de volta. E deu mt trabalho msm. bj]ao e ótimo 2017!

Sérgio Santos disse...

Mt obrigado, Nathalia. Essa cena do Pedro com a Luciane foi mt bonita mesmo, mas discordo da Bruna com a Camila. A direção foi péssima e quebrou todo o clima da cena. Foi frustrante. Bjão! =)

Sérgio Santos disse...

Mt obrigado, Thaliny. Venha mais vezes. =) bjsss

Sérgio Santos disse...

Ok, anonimo.

Sérgio Santos disse...

Ótimas considerações, porlapazyporlavida lc! Mais um excelente comentário. E concordo com vc. bjão!!!!!!

Sérgio Santos disse...
Este comentário foi removido pelo autor.