segunda-feira, 26 de dezembro de 2016

Retrospectiva 2016: os artistas que deixaram saudades

O ano de 2016 não foi nada fácil. Aliás, foi um dos anos mais complicados para o Brasil. Além dos inúmeros problemas voltados para o meio político e economia do país, teve ainda a partida de muitas figuras queridas que deixaram o meio artístico mais vazio. Atores, diretores, jornalistas, enfim, foram várias perdas dolorosas ao longo do ano e vale a pena lembrar (e homenagear) todos os que faleceram.





Domingos Montagner (1962 - 2016):
A morte mais chocante do ano. O ator mais talentoso da sua geração brilhava protagonizando "Velho Chico", quando se afogou nas águas do Rio São Francisco no dia 15 de setembro, durante o intervalo das gravações. A novela estava em plena reta final e o elenco acabou tendo que contracenar com uma câmera representando o querido Santo dos Anjos. Ele nos deixou cedo demais e essa tragédia jamais será esquecida. Ainda tinha uma legião de personagens para interpretar e emocionar o público. Tinha apenas 54 anos. O sentimento de inconformismo ainda permanece vivo.




Umberto Magnani (1941 - 2016):
O grande ator faleceu em abril, aos 75 anos, e também estava no elenco de "Velho Chico". Interpretando com competência o afetuoso padre Romão, Umberto participou de toda a linda primeira fase da novela e também participaria da segunda. Mas não deu tempo. Logo nos primeiros capítulos da nova fase, ele sofreu um Acidente Vascular Encefálico e não resistiu. Deixou um legado de ótimos personagens e muita saudade no coração do telespectador.





Tereza Rachel (1934 - 2016):
Uma das melhores atrizes do país. Faleceu em abril, vítima de complicações no intestino, aos 82 anos. Seu papel mais emblemático foi a Rainha Valentine, de "Que Rei Sou Eu?", além de ter interpretado outra personagem que marcou sua carreira: a Francesca Ferreto, de "A Próxima Vítima". Foi uma longa trajetória no teatro e na televisão, deixando o mundo das artes cênicas mais pobre com sua morte. Sua última participação em novelas foi em "Babilônia".




César Macedo (1935 - 2016):
O intérprete do inesquecível Seu Eugênio, da "Escolinha do Professor Raimundo", faleceu em abril de 2016, vítima de uma broncopneumonia. Tinha 81 anos e marcou gerações com o seu icônico personagem que era constantemente sacaneado pelos colegas no humorístico da Globo. Ele ainda se destacou na "Escolinha do Barulho", na Record, mas estava sem trabalho nos últimos anos e enfrentava dificuldades financeiras. Estava com o Mal de Alzheimer, diagnosticado em 2015. Sua morte levou parte da alegria do público com ele.



Chica Lopes (1925 - 2016):
Faleceu aos 90 anos, em setembro, e a causa de sua morte não foi divulgada. Fez uma pequena participação no primeiro capítulo de "Êta Mundo Bom!", na Globo, e esteve em várias novelas do SBT, como "Éramos Seis", "Os Ossos do Barão", "Pícara Sonhadora", "Marisol" e "Cristal". Também esteve na Record, onde participou do remake de "Escrava Isaura". Uma atriz que fez parte da história da tevê.





Ivan Cândido (1931 - 2016):
Faleceu aos 85 anos , em virtude de uma pneumonia. Sua carreira é recheada de personagens no cinema e na televisão. Sua última novela foi "Cobras & Lagartos", na Globo, onde viveu o padre Valeriano. Mas esteve em mais de 30 novelas, como "Pecado Capital", "O Casarão", "Fera Radical", "O Salvador da Pátria", "Rainha da Sucata", "Pátria Minha", "Suave Veneno", entre tantas outras.



Carl Schumacher (1963 - 2016):
Tinha apenas 53 anos e faleceu enquanto dormia. Ator, dramaturgo e diretor de teatro, fez várias participações em novelas e seu papel mais marcante foi o Carlão de "Eterna Magia", na Globo. Sua última aparição na tevê foi em "A Turma do Didi", onde interpretava vários personagens.




Antônio Pompêo (1953 - 2016):
Foi encontrado morto em janeiro e faleceu aos 63 anos. Fez várias participações no cinema e nas novelas. Suas últimas aparições na televisão foram na Record, onde esteve em "Provas de Amor", "Chamas da Vida", "Balacobaco" e "Rebelde". Mas tem vários folhetins da Globo em seu currículo, como "Sinhá Moça", "Pedra sobre Pedra", "Fera Ferida", "A Viagem", "O Rei do Gado", "Pecado Capital", entre outras.




Duda Ribeiro (1962 - 2016):
Ator, roteirista e diretor, faleceu em setembro, aos 54 anos, de câncer no fígado, após uma luta de 5 anos contra a doença. Sua última aparição na televisão foi na série "Procurando Casseta e Planeta", exibida pelo Multishow. A última novela foi "Salve Jorge", de Glória Perez, a sua ex-sogra e grande amiga (ele foi namorado da saudosa Daniela Perez).



Hector Babenco (1946 - 2016):
Morreu em julho, aos 70 anos, após uma parada cardiorrespiratória. Nascido na Argentina, o cineasta fez carreira no Brasil e emplacou filmes importantes no mercado nacional, como "Carandiru" e "O Beijo da Mulher Aranha". Seu último longa foi "Meu Amigo Hindu", protagonizado por Willem Dafoe. Era casado com a atrz Bárbara Paz.



Berto Filho (1940 - 2016):
Faleceu em março por causa de um câncer no cérebro e na garganta, aos 76 anos. Jornalista e locutor, trabalhou na Globo na década de 70 e 80, onde apresentou telejornais importantes, como o "Jornal Nacional", "Jornal Hoje" e "Fantástico". Teve passagens também pela TV Rio e Rede Manchete.





Eliakim Araújo (1941 - 2016):
Nos deixou em abril, aos 75 anos, em virtude de um câncer no pâncreas. Casado com a também jornalista Leila Cordeiro, apresentou o "Jornal da Globo" na década de 80 e depois foi para a Manchete, onde apresentou ao lado de sua esposa o "Jornal da Manchete". Os dois viraram um dos casais mais icônicos do jornalismo e Eliakim ainda teve uma passagem marcante pelo "Aqui Agora", no SBT. Era uma figura muito querida por todos.




Cauby Peixoto (1931 - 2016):
Um dos mais reconhecidos cantores brasileiros, cuja voz era única. Faleceu em maio, aos 85 anos, vitimado por uma pneumonia. Parceiro eterno de Angela Maria, o cantor emplacou vários sucessos e suas músicas são até hoje tocadas, como a clássica "Conceição". Deixou o meio musical de luto e mais triste.





Goulart de Andrade (1933 - 2016):
Um dos jornalistas mais respeitados do país e dono do bordão mais icônico das madrugadas: "Vem comigo". Faleceu em agosto, aos 83 anos, vítima de problemas respiratórios. Responsável por vários programas jornalísticos de qualidade, como o "Comando da Madrugada", também era ator e engrandeceu o elenco da primorosa série "Os Experientes", da Globo, em 2015, vivendo o protagonista de um dos quatro episódios.




Shaolin (1971 - 2016):
O humorista, marcado por participações impagáveis no "Domingão do Faustão", sofreu um acidente grave de carro e ficou cinco anos em coma. Faleceu em janeiro, aos 44 anos. Uma tragédia que deixou o humor nacional mais triste. Entretanto, seu filho, Lucas Veloso estreou nas novelas, tendo um ótimo desempenho em "Velho Chico". Ele com certeza se orgulharia.






Carlos Alberto Torres (1944 - 2016):
Capitão do Tri do Brasil, foi um jogador admirável e trabalhou também como treinador e comentarista esportivo. Sofreu um infarto fulminante, falecendo aos 72 anos, em outubro. Deixou o mundo dos esportes de luto e seu legado será lembrado para sempre. Querido por vários jogadores, técnicos e jornalistas, foi uma pessoa admirada pela conduta que tinha dentro e fora de campo.






Geneton Moraes Neto (1956 - 2016):
Um dos jornalistas mais competentes do país, sendo o responsável por várias entrevistas marcantes e memoráveis. Faleceu aos 60 anos, em virtude de um aneurisma na aorta. Também era um escritor talentoso, com mais de dez obras publicadas, além de ter sido editor do "Jornal da Globo" e "Jornal Nacional". Chegou a ser correspondente da Globo News na Inglaterra e teve um dos melhores programas do canal a cabo: o "Dossiê". Uma grande perda para o jornalismo.




Rubén Aguirre (1934 - 2016):
Intérprete do icônico Professor Girafales, um dos muitos tipos marcantes do seriado "Chaves", o ator era um ídolo no México e no Brasil. Morreu em junho, aos 82 anos, em virtude de uma pneumonia. Ele também apresentava problemas na coluna e cálculos na vesícula. Sua partida deixou milhares de fãs de luto, resultando em lindas homenagens, com direito a imagens de Dona Florinda segurando sua última xícara de café.




Guilherme Karam (1957 - 2016):
Sofria da síndrome de Machado Joseph, uma doença incurável e degenerativa. Sua última aparição foi em "América" (2005), da querida amiga Glória Perez. Com o avanço da enfermidade, o ator não teve mais condições de trabalhar e passou a viver recluso, sem aceitar visitas. Ficou dois anos internado e faleceu em julho, aos 58 anos. Seu trabalho de maior destaque foi no humorístico "TV Pirata", onde viveu inúmeros tipos geniais.



Elke Maravilha (1945 - 2016):
A jurada mais querida do Show de Calouros se foi em agosto, aos 71 anos. Sua alegria era contagiante e o termo "Criança" foi popularizado por ela, que chamava todos os amigos dessa forma. Faleceu em virtude de uma falência múltipla dos órgãos e sua última aparição na tevê foi no quadro "O Grande Plano", do "Fantástico", em 2015. Também trabalhou como atriz em vários filmes, séries e novelas.




Orival Pessini (1944 - 2016):
O criador de várias máscaras e personagens marcantes faleceu em outubro, aos 72 anos, em virtude de um câncer no baço. Intérprete de tipos até hoje lembrados e queridos, como o Fofão e o Patropi, o ator era um gênio, pois também criava as feições de seus papéis através de um minucioso trabalho plástico. Aliás, era o ator famoso mais desconhecido do país justamente por causa disso. A sua morte fez a família destruir todas as máscaras, atendendo a um pedido dele.



Ferrera Gullar (1930 - 2016):
Escritor, crítico de arte, biógrafo, poeta, memorialista, ensaísta, tradutor e membro da Academia Brasileira de Letras, Ferrera era uma das figuras mais emblemáticas do Brasil e deixou o país de luto. Faleceu em dezembro, em virtude de vários problemas respiratórios que implicaram em uma pneumonia. A cultura brasileira perdeu um de seus maiores e mais respeitados representantes.




Jogadores da Chapecoense, equipe técnica e jornalistas.
Uma tragédia abalou o Brasil com a queda do voo que levava o time da Chapecoense para jogar a final da Copa Sul-americana. Das 77 pessoas a bordo, apenas seis sobreviveram. Mortes que fizeram o país chorar junto com os familiares. O acidente aconteceu em novembro e abalou o mundo. Uma tristeza sem fim.



Carrie Fisher (1956 - 2016).
A icônica princesa Léia, da saga de sucesso Star Wars, faleceu no dia 27 de dezembro, aos 60 anos, após dias internada em virtude de um ataque cardíaco. A atriz ficou mundialmente conhecida após interpretar a princesa adorada pelos fãs de Star Wars no episódio IV ("Uma Nova Esperança"), com apenas 19 anos. Ela participou de mais três filmes da saga ("O Império Contra Ataca" em 1980, "O Retorno de Jedi" em 1983 e "O Despertar da Força" em 2015). Mais uma triste perda deste ano.





Que todos descansem em paz. Jamais serão esquecidos.


20 comentários:

Andressa Mattos M. disse...

Retrospectiva triste, mas excelente.

Anônimo disse...

Quanta gente maravilhosa se foi...

Heródoto disse...

Retrô triste e completa. Aguardando as próximas. As suas são as melhores.

Denise disse...

Chocada com a perda de George Michael...
Perfeita retrospectiva, só do Antônio Pompeu que não está correta a data.
Ele faleceu em 05/01/2016, não em dezembro como citaste. Abraços

porlapazyporlavida lc disse...

Que ano triste para a arte, para o mundo... Que eles possam descansar em paz.

Anônimo disse...

E agora ainda tem o George Michael. Que ano....

Bruna disse...

Quanta gente boa e talentosa se foi esse ano...

Lulu on the sky disse...

Foi triste demais. Sem contar os três cantores: David Bowie, Prince e agora o George Michael.
Big Beijos
Participe da nossa pesquisa de público 2017
Meu Canal You Tube

Elvira Akchourin do Nascimento disse...

Grandes perdas, saudades eternas. Ainda deu tempo de incluir Carrie Fischer na sua retrospectiva, amigo Sérgio, e eu acrescento Prince, David Bowie, Leonard Cohen e George Michael.

Gabriel Bonfim disse...

Foi realmente um ano cheio de perdas. Mas duas me marcaram mt esse ano.
A primeira foi a do ator Domingos Montagner, q foi uma morte realmente inesperada. Era um ator mt talentoso e passava ser uma ótima pessoa. O trabalho dele q mais gostei foi como Miguel em Sete Vidas. Ele ainda tinha uma carreira toda pela frente e foi de partir o coração ver as imagens dele feliz com os colegas de trabalho horas antes da tragedia.
Outra morte q me marcou mt foi a da atriz Carrie Fisher. Recentemente foi lançado mas um filme da franquia Star Wars, o Rogue One(cuja cena final agora ganha uma nova carga de emoção)q me fez querer rever a trilogia original,pouco tempo depois ler essa noticia foi realmente impactante.
Engraçado pensar q hj se fala tanto de personagens femininas fortes,mas naquela época a Princesa Leia já era td isso e mt mais. Nas primeiras cenas ela ja confronta Vader sem nenhum medo e quando vai ser "salva" pelo Luke é ela q pega no blaster e resolve a situação,esses são apenas alguns exemplos de como Leia é a melhor princesa q a Disney ja teve.
Uma coisa bem interessante e q pouca gente sabe sobre é q além de interpretar uma personagem icônica Carrie Fisher tbm era analista de roteiro, ou seja, arrumava diálogos de filmes, inclusive rodaram fotos bem legais das mexidas q ela deu no roteiro do "Império contra-ataca". O q só mostra o quanto ela foi importante para a cultura pop no geral.
Carrie Fisher teve uma vida bem conturbada e cheia de problemas mas nunca escondeu e sempre falou disso abertamente, sempre passava por cima disso com mt humor. Chato ver q logo no momento em q ela estava ajeitando a vida voltando as telas com o renascimento de Star Wars isso aconteceu. Mas pelo o q eu li ela ja tinha terminado de gravar a sua participação dela no episódio 8, então poderemos ver mais dela, só espero q deem um final digno a personagem.

Sérgio Santos disse...

Obrigado, Andressa.

Sérgio Santos disse...

Verdade, anonimo.

Sérgio Santos disse...

Espero que tenha gostado, Heródoto.

Sérgio Santos disse...

Corrigi, Denise. Ainda teve o George msm.

Sérgio Santos disse...

Amém, porlapazyporlavida lc !

Sérgio Santos disse...

Que ano, anonimo....

Sérgio Santos disse...

Mta gente, Bruna.

Sérgio Santos disse...

É verdade, Lulu.

Sérgio Santos disse...

Ótimos adendos, Elvira. Mt triste.

Sérgio Santos disse...

Excelente comentário, Gabriel!!!!