terça-feira, 19 de janeiro de 2016

"Êta Mundo Bom!" tem estreia promissora e traz de volta o humor rasgado ao horário das seis

Após a mediana "Sete Pecados",  a popular "Caras & Bocas" e o universo de dinossauros e robôs em "Morde & Assopra" no horário das sete; a estreia bem-sucedida no horário nobre com a eternizada "Amor à Vida"; o ótimo remake de "Gabriela" e o fenômeno "Verdades Secretas" na faixa das onze, Walcyr Carrasco voltou para o horário das seis, que o consagrou na Globo com os sucessos "O Cravo e a Rosa", "Chocolate com Pimenta" e "Alma Gêmea". "Êta Mundo Bom!", sua nova produção, estreou nesta segunda-feira (18/01), substituindo a excelente "Além do Tempo", de Elizabeth Jhin.


A missão do autor não é nada simples, afinal, ele precisa manter a qualidade da faixa, após a impecável "Sete Vidas" e a elogiada trama recém terminada, que ousou com uma passagem de tempo de 120 anos. Porém, Walcyr tem boas chances de manter o nível, principalmente depois do ótimo e envolvente primeiro capítulo apresentado. Com a direção de Jorge Fernando e um elenco repleto de bons nomes, a nova novela teve um início movimentado e seu enredo está repleto de situações clássicas de um bom folhetim.

Ambientada na capital e no interior de São Paulo, em 1940, a história é inspirada no conhecido conto "Cândido ou o otimismo", de Voltaire, e na versão do clássico para o cinema brasileiro, cujo título foi "Candinho", protagonizado pelo grande e saudoso Mazzaropi, em 1954. O tom caipira da trama vem justamente dessa homenagem do autor.
Aliás, o título inicial da novela era até "Candinho", mas optaram pela mudança para que o conjunto não ficasse voltado apenas para o protagonista. Afinal, há muitos personagens e vários deles responsáveis por conflitos tão importantes quanto o central.

A principal mensagem da novela será a discussão em torno do otimismo, sempre em voga por causa do excesso de perspectivas positivas do mocinho e seu melhor amigo. Candinho (Sérgio Guizé) e Pancrácio (Marco Nanini) sempre dirão que tudo de ruim que acontece é para 'meiorá' ---- afinal, para eles o mundo é bom. Mas não faltarão problemas, decepções e dificuldades para colocar esse tipo de pensamento em cheque. A própria vida do principal personagem é cercada de tristezas e logo na estreia isso ficou bem claro.

Candinho foi tirado de sua mãe assim que nasceu e foi adotado ainda bebê pelo casal Cunegundes (Elizabeth Savalla) e Quinzinho (Ary Fontoura). O primeiro capítulo foi voltado para toda essa trajetória e as cenas primaram pelo capricho, além de ótimas atuações. A primeira fase, passada em 1920, foi curta, mas intensa. Foi exibida a cena de Anastácia (Nathalia Dill) parindo e tendo o seu filho arrancado dos seus braços pelo pai, o poderoso Barão (Celso Frateschi), que ignorou os apelos da filha e da esposa, a Baronesa de Goytacases (Natália do Vale). Os atores foram muito bem e vale elogiar ainda a talentosa Léa Garcia, que interpretou a parteira que salvou a vida do bebê, o colocando no rio.

O recém-nascido acabou achado por Manuela (Dhu Moraes), empregada da família de Cunegundes. Os donos da fazenda, que fica no interior do interior, ficam com a criança. Porém, Candinho logo é deixado de lado quando o casal engravida ---- eles logo depois têm três filhos. O menininho acaba caindo nas graças do professor Pancrácio (Marco Nanini), que praticamente passa a se comportar como um pai, ainda que não tão presente. Há uma passagem de tempo, muito bem feita ---- ao som de "Tico Tico no Fubá", fruto de uma boa adaptação do grupo Cluster Sisters, que esteve no "SuperStar" ano passado ----, e a história passa a ser contada nos anos 40, com o protagonista já adulto.

O primeiro capítulo foi todo voltado para a vida de Candinho, desde o seu nascimento até a hora em que ele é expulso da fazenda, depois que beija Filomena (Débora Nascimento), a primogênita de Cunegundes e Quinzinho. O ingênuo rapaz é aconselhado pela tia Eponina a procurar sua mãe, que está na medalhinha que o caipira carrega. Rosi Campos e Sérgio Guizé, aliás, emocionaram durante a sequência. O protagonista, então, vai embora (juntamente com o burro Policarpo, seu melhor amigo) e ainda é orientado por Pancrácio a ir para São Paulo. É preciso ainda mencionar a abertura, repleta de colagens (um pouco semelhante com a de "Totalmente Demais"), embalada pela deliciosa "O sanfoneiro só tocava isso", adaptada pelo grupo Suricato, outra banda que esteve no "SuperStar" --- a trilha, por sinal, é toda caipira, sendo condizente com o universo retratado.

A estreia foi bem promissora e fica evidente que o folhetim traz de volta ao horário das seis o humor rasgado, implementado pelo Walcyr na época das suas tramas de sucesso da faixa, inaugurada com "O Cravo e a Rosa". O folhetim, aliás, tem um quê dessa novela e de "Chocolate com Pimenta". Tem chiqueiro (onde muita gente vai cair, obviamente) e já teve uma cena onde Candinho derruba comida em Pancrácio; ou seja, terá também as clássicas guerras de comida que o autor usou em várias produções suas das seis e das sete. Os destaques, até agora, foram Sérgio Guizé, Elizabeth Savalla, Ary Fontoura, Dhu Moraes, Rosi Campos, Débora Nascimento e, principalmente, Marco Nanini, de volta às novelas após quase 14 anos em "A Grande Família".

Ainda é muito cedo para qualquer afirmação, o que é lógico, afinal, foi só o primeiro capítulo. Entretanto, "Êta Mundo Bom!" apresentou um cativante início e a trama de Walcyr Carrasco, dirigida competentemente por Jorge Fernando, tem todos os elementos conhecidos do autor na faixa, que tanto conquistaram o público. A estreia obteve 26 pontos de média (índice impressionante, não alcançado desde 2010), mostrando que o telespectador estava com saudades do escritor no horário das seis. Após a naturalista "Sete Vidas" e a romântica "Além do Tempo", há um folhetim tipicamente cômico chegando, onde a ótica do otimismo é um dos principais focos.

57 comentários:

Karina disse...

Eu amei, Sérgio. Estou de luto pelo fim de Além do Tempo mas também tava de luto pelo fim de Sete Vidas quando Além do Tempo começou e isso não é nada. hehehe Tive as mesmas impressões que tu e o público tava com saudades desse tipo de novela no horário mesmo.A prova foi a audiência impressionante que deu. Depois de Verdades Secretas parece que vem outro fenômeno dele aí.

Anônimo disse...

Daqui a pouco vem aquele Thallys falsiane comentar aqui. NOJO. O blog tava tão bom sem ele... Adorei a estreia, Sérgio. PROMETE!

Italo disse...

Eu adorei e olha que só aparece eu o núcleo da Savalla. Ainda tem todos os outros que nem deram o ar da graça ainda. Acho que Além do Tempo foi muito bem substituída.

Anônimo disse...

EU AMEI VERDADES SECRETAS, MAS POR MIM O WALCYR FICAVA SÓ NESSE HORÁRIO. QUE DELÍCIA DE NOVELA!

Joana Limaverde disse...

É uma novela de humor rasgado mesmo, mas pelo que li terá muito drama também. É que os outros núcleos não apareceram ainda, mas do que foi mostrado até agora eu gostei bastante e nem morro de amores pelo autor. Ele até conseguiu dar um perfil diferente pra Savalla com essa caipira malvada e reclamona. Fiquei surpresa quando vi o Flavio Migliaccio no elenco. Coisa boa. E Marco Nanini de volta é um prêmio. Pancrácio é uma delícia de personagem. Só não gostei mt daquele Miguel Rômulo fazendo cara de besta de novo. Acho que ele só sabe fazer isso. A música da Carmen Miranda tá sendo cantada por essa Cluster Sisters? Não sabia.Vou pesquisar sobre esse grupo.

Décio Lucas Pereira Rodrigues disse...

Sérgio,

Impressionante o ritmo do capítulo. Em um único capítulo, muitas cenas importantes foram levadas ao ar, como a que Anastácia (Nathália Dill) tem seu filho tirado de seus braços e a em que Candinho é expulso da casa pela Cunegundes (Elizabeth Savalla). A abertura ficou ótima e teve um ótimo gancho.

Além disso, é importante destacar a audiência conquistada pelo primeiro capítulo --- 25.2 pontos de média e 26.9 de pico ---, que foi a melhor estreia no horário desde a fraca "Araguaia" (2010).

Essa novela promete. Parabéns pela excelente análise!

Galdino disse...

Gostei muito da estreia, principalmente por ser de um estilo completamente diferente da anterior. É isso que a Globo precisa fazer. Se viesse outra trama parecida com temática espírita ou o naturalismo da Licia ia cansar. Por isso o horário nobre da emissora tropeçou tanto. Foram várias iguais indo ao ar uma seguida da outra. Não dá. Depois da emoção, agora vem a comicidade dessa pra dar uma aliviada. Parabéns ao Walcyr que é versátil mesmo. Ninguém diz que escreveu Verdades Secretas e agora mergulhou em Eta Mundo bom.

Pedro disse...

Nem tava animado mas tive uma sensação tão grande de nostalgia nesse estreia que gostei. Tava com saudades desse tipo de novela.

F Silva disse...

Algo a comentar...

Uma boa estreia e uma boa opção pra se divertir as seis da tarde.

Porém, não prevejo uma trama que venha me fazer ficar assídua em frente a tv como aconteceu com as duas tramas clássicas que a antecederam. As razões já apresentei no comentário do post anterior sobre a novela, e observei ser esses pontos comuns, ressaltados pela maioria dos críticos de novelas.

A primeira vista, "Eta Mundo Bom" não apresenta nada de novo e nem creio que essa tenha sido a pretensão do experiente Walcir Carrasco. Tem premissa de ser uma novela simples, leve, divertida e com dramas que prometem emocionar. foi uma estreia sem enrolação e ritmo ágil.

Concordo que realmente é cedo para fazer afirmações, pois novela é um produto de longa duração. Vamos aguardar um pouco.

Discordando aqui do comentário do Galdino, o horário das seis é o único que não apresenta novelas parecidas. Pois não vejo semelhança alguma nas sequencias de "Além do Tempo", "Sete Vidas", "Boogie Oogie", "Meu pedacinho de Chão", "Joia Rara", "Flor do Caribe" e "Lado a Lado"

Concordo com os destaques do elenco, mas faço uma ressalva em relação a Elizabeth Savalla. É uma grande atriz e com muitos recursos, porém tem sido estereotipada como uma atriz cômica diante dos tipos frequentemente entregues a ela. Está na hora da direção artística da emissora observar isso e explorar o grande talento dramático da atriz, ela é fera.

Que grata surpresa a participação especial de uma das minhas atrizes preferidas: Natália do Valle.

Aplausos a Walcir Carrasco e a equipe de produção...

...Aliás todos os produtos da teledramaturgia da Globo estão tendo um tratamento cuidadoso em termos de estética.

beijos...

F Silva disse...

Sérgio, gostaria de me desculpar com o Galdino, pois relendo o seu comentário, observei que ele se referia aos repetitivos temas do horário nobre. É verdade Galdino.

Porém fica a observação sobre os diferentes tipos de novelas que o horário das seis tem nos apresentado.

Maria disse...

Fiquei BEM surpresa com a audiência da estréia: 25 pontos! Um índice raríssimo de ser ás 18h ultimamente! Ainda mais em pleno verão.

Ao contrário do que alguns podem afirmar, Walcyr Carrasco não está se repetindo com sua nova novela, pelo contrário, está retomando um estilo que o consagrou e que fazia falta. E aos que dizem que ele não possui bom relacionamento com a imprensa e que não sabe lidar com críticas a seu trabalho, isso não é verdade. Walcyr é um autor que já deve estar até acostumado a não ter a unanimidade da crítica especializada, que sempre classifica seu estilo de "cafona", "didático", "circense", "teatral", etc. Não é algo tão longe da verdade, mas trata-se de uma análise muito rasa de suas histórias. Walcyr é um dos autores mais versáteis da Globo, já que se mostra capaz de ir, por exemplo, das polêmicas e do erotismo exacerbado de "Verdades Secretas" ao universo ingênuo e totalmente despretensioso da trama recém-iniciada, "Êta Mundo Bom".

Vale ressaltar ainda uma outra característica de Walcyr mantém, mas que os autores com mais tempo de carreira parecem ter perdido: a capacidade de criar bons protagonistas. Afinal, dá pra contar nos dedos quantas novelas tiveram personagens centrais realmente interessantes nos últimos anos. Ótimas novelas recentes sempre existem, mas muitas vezes os momentos mais marcantes passam longe do que seria a trama central. "Êta Mundo Bom", a julgar pelo primeiro capítulo, se sustentará basicamente no caipira Candinho, que tem tudo pra formar com Filó um casal principal tão atrativo como foram Catarina & Petrucchio("O Cravo e a Rosa"), Ana Francisca & Danilo("Chocolate com Pimenta"), Serena & Rafael("Alma Gêmea"), Dafne & Gabriel("Caras & Bocas"), Júlia & Abner("Morde & Assopra"), Jerusa & Mundinho Falcão("Gabriela") e Paloma & Bruno("Amor á Vida"). Carrasco sabe como ninguém criar histórias de amor eficientes e que quase nunca caem no marasmo.

A estréia de "Êta Mundo Bom" foi bastante promissora e, ao que tudo indica, já é sucesso. Só estou em dúvida quando á sua duração. Acho que o plano do Walcyr era levar a trama até o início de agosto, quando seria substituída pelas Olimpíadas(cujas transmissões devem adentrar o horário da novela) e só depois de encerrada a competição, a Globo lançaria a novela do Walther Negrão. Só que no segundo semestre tem o Horário Eleitoral Gratuito e a emissora pode não querer lançar uma novela nova nesse período, o que faria "Êta Mundo Bom" ficar cerca de dez meses no ar. Mas de qualquer forma a novela terá sua exibição interrompida durante as Olímpíadas. Como será que vão fazer? Tudo bem que na Copa de 2014, "Geração Brasil" também ficou fora do ar durante a primeira fase da competição porque alguns jogos eram no horário da novela, mas a história entrou no ar a um mês do início do Mundial, ou seja os autores já sabiam desde o início que haveria essa pausa. Além disso, a novela amargava baixa audiência e a Globo pôde aproveitar essa interrupção pra fazer uma espécie de relançamento(o que não adiantou porque a trama era ruim que só). O cenário de agora é um pouco diferente. Se o sucesso da nova novela das 6 se confirmar, pode ser a Globo fique insegura de fazer essa pausa durante as Olimpíadas e trazer a trama de volta depois de 15 dias pra mais três meses no ar depois que já terão sido exibidos 170 capítulos. Afinal, pode ser um risco tirar uma novela de sucesso do ar mesmo que temporariamente, o que pode ser determinante para a Globo decidir encerrá-la com um número "normal" de capítulos. Sinuca de bico da grandes.

Bell disse...

Vi um trecho gostei. Novelas assim não tem tanta sensualidade e as palhaçadas das atuais.
Tudo fica meio que oculto, são mais divertidas (adoroo).

bjokas =)

NÃO!!! EU NUNCA DIREI, POSSO NÃO CONVENCER...... disse...

Sérgio.
E essa novela promete.Ontem vi o primeiro capitulo e já fiquei entusiasmada esperando ver o segundo.
Eu gosto da vida simples nas novelas e coisas banais.
Espero não me decepcionar.
Abraços sempre.
Luandabela.

Kellen Bittencourt ( Trilhamarupiara) disse...

Olá amigo, eu gostei, apesar da tristeza de ter acabado Além do Tempo eu me propus assistir e gostei, achei o sotaque um pouco forçado, sou de Minas e moro no interior de SP, puxa-se muito o R aqui no interior, e em Minas o minerez impera, mas achei muito forçado o sotaque, pode acabar cansando se continuar assim, mas para primeiro capitulo foi ótimo! Abraçooo

Anônimo disse...

Ai Sérgio aquele Daniel(demlocesar) do Twitter fica desmerecendo a trama do autor. Ñ é possível q seja só implicância. Ele fala q é por causa do texto, mas pra mim é inveja mesmo, já q ele quer ser autor de novelas. Eu fico P da vida com isso. Se não gosta pra que ficar depreciando o autor dessa maneira? Mds, é simples o controle ajuda né? E tbm tem aquela praga do Egito (Thallys) aquele que vem comentar no seu blog e paro de te seguir injustamente. Injusto isso com vc. Fico feliz por ter alguém como vc q sempre defende o mestre dos haters. E tbm tem aquela Alexandra q tem o perfil da Suzana vieira na rede social q fica falando q o autor só produz lixo. Vc sim é fã de verdade do autor. Curte o estilo dele as seis. Curte o texto. Fã mesmo assim como eu. Adorei a estreia!!

Vinícius disse...

Adorei a estreia, Sérgio. Por isso a Globo ama tanto o Walcyr. Mudando de assunto, vc viu que VERGONHA a Record comprando 22 mil ingressos e dando de graça pros fiéis doentes só pra falar que o filme é sucesso de bilheteria???? HAHAHA ESSA EMISSORA É UM LIXO.

Gabriel disse...

Acho q as pessoas estavam com saudades de tramas como essa alto astral de humor inocente. A estreia foi ótima, trama carismática.A trilha sonora é mt bom faz a gente entrar no clima da novela mesmo, suricato mt bem na abertura. Mas a estreia foi apenas focada rural ainda tem todo o nucleo da cidade,ou seja mt coisa para conferir ainda.

Anônimo disse...

Como as pessoas se preocupam com a Record, se a novelinha sertaneja da Globo deu ibope então comemorem, fiquem felizes, esqueçam a Record. E se for verdade que ganharam os ingressos, ótimo, se os fiéis tivessem comprado iam dizer que é exploração, de qualquer jeito criticam.
Sobre a novelinha sertaneja acho que o sucesso é compatível com o século dos jecas que estamos vivendo, a musica sertaneja tá no auge, a moda sertaneja idem, então tudo desse universo faz sucesso na era dos JECAS. Parabéns a Globo.

Ana Carolina disse...

Também achei a estreia muito gostosa e o segunda capítulo ótimo também. E o mais impressionante foi que a novela alavancou toda a grade da Globo. Com o estouro de 26 pontos, fez Totalmente Demais marcar 29 e A Regra do Jogo 33 com picos de 37. Depois não sabem pq a Globo faz o Walcyr emendar uma novela na outra. Ta aí a resposta.

Anônimo disse...

E o segundo capítulo deu 24, índice que não marou nem o último capítulo da anterior. Walcyr é o rei das seis mesmo. Mais um fenômeno pra sua carreira.

Mariana Nascimento disse...

Oi Sérgio olha eu aqui outra vez rs
Ainda estou tentando me desapegar de Alem do Tempo, confesso que não está sendo fácil, ainda estou com saudades de Livipe e companhia, talvez mais uma semana eu esteja melhor, preciso ter uma sessão com o Mestre para aprender o desapego rsrs.
Bom, mas esse apego todo não me impediu de assistir a trama maravilhosa de Eta Mundo Bom.
Fico feliz ADT que tenha sido substituída, ao que me parece, a altura.
Muito bom ter as histórias do Walcyr de volta as 18:00. Não que eu não goste das tramas dele em outro horário, pelo contrário, mas eu também adoro esse estilo mais leve que ele gosta de escrever, amava O Cravo e a Rosa, Alma Gêmea e Chocolate com Pimenta.Nada melhor, depois de uma trama tão clássica, romântica, pegando a emoção a flor da pele, agora mudar o rumo e rir um pouco apesar de saber que logo logo, iremos nos emocionar na trama dele também.
A princípio a trama está bem amarrada e com personagens cativantes, Sérgio Guizé está excelente, um prazer ver Marco Nanini de volta as novelas além de Rosi Campos com destaque.
Estou ansiosa aguardando as maldades de Sandra, que tenho certeza que vou amar tanto ou mais que Cristina de Alma Gêmea, só acho que Debora Nascimento vai ter um grande desafio como protagonista, de enfrentar a vilã, mas espero que ela faça um bom trabalho, mostrou que tem muito talento em Alto Astral.
A minha única critica é sobre a Elizabeth Savalla que amo de paixão mas, no meu ponto de vista, está exagerada, grita demais e particularmente, não gosto disso. Mas nada que não possa ser ajustado com o tempo.
Dos demais personagens ainda vou esperar um pouco para falar mais fiquei feliz tbm que Eliane Giardini parece ter ganho um grande papel, achei que em Amor a Vida a personagem não estava a altura de seu talento.
Uma coisa que me incomoda são os que criticam essa esse humos rasgado do Walcyr escrever, todos os autores tem sua maneira e se ele gosta assim, qual o problema? Isso quer dizer que Licia não pode mais fazer uma trama naturalista e Jhin não pode mais escrever trama espiritualista? Pelo amor de Deus né, se a história é bem contada, qual o problema? Vamos respeitar!
Realmente a globo não tem do que reclamar nessa faixa de horário após as lindas Sete vidas e Além do tempo, Eta mundo bom tem tudo para manter o sucesso nesse horário e fora que, para o telespectador, é muito bom ter tramas tão distintas para apreciar.
Bjs

Thallys Bruno Almeida disse...

Pelo que eu vi dos dois primeiros capítulos, gostei bastante do Marco Nanini. O Pancrácio foi o personagem que mais me agradou e tem tudo pra ser o grande nome da trama. Do segundo capítulo, gostei também da Flávia Alessandra - outra que tem tudo pra se destacar, ainda bem que Walcyr a escalou - Rosi Campos (que tá merecendo muito ser valorizada) e Eliane Giardini. Eriberto Leão tb tem tudo pra se sair bem de vilão - pelo menos escapou de um possível papel de
peão destemido com o Benedito de novo. Gostei também de ver o Flávio Migliaccio de volta às tramas. A trilha sonora é ótima, com destaque pra Paula Fernandes, Suricato, Cluster Sisters, Os Gonzagas, Zé Ramalho (de novo, já que também tinha em Além do Tempo), Chitãozinho e Xororó, Elba Ramalho, Dalva de Oliveira, Emilinha, uma trilha bem mesclada entre o sertanejo raiz, a MPB e a boemia/era do rádio.

Porém, não gostei dos protagonistas, em especial da Débora Nascimento, que tá linda, mas pra mim não tá bem no papel - e olha que eu gostei dela de vilã em Alto Astral. O Guizé tava me incomodando no clipe, mas na novela em si acho que não tá comprometendo. Elizabeth Savalla e Ary Fontoura são grandes atores, mas acho que Fontoura merecia mais que ser marido dominado pela mulher de novo (vide Morde e Assopra) e a personagem da Savalla me parece uma mistura de Jezebel, Márcia, Socorro e Minerva. Sei que é proposital pro estilo da trama, mas queria algo diferente pra eles - ainda mais que Walcyr em Verdades Secretas acertou justamente com papeis diferentes pra Drica, pra Marieta Severo e pra Grazi.

Sobre as críticas ao estilo do autor, existe mesmo um grupinho chato de pessoas que "persegue" o Walcyr, se acham os experts ultra-intelectuais porque não gostam do estilo dele, vivem vomitando que "isso não é cultura, é retrocesso pra dramaturgia, quem ri disso é idiota" mas morrem de elogios pra coisas bizarras como Paraisópolis e os núcleos "cômicos" de A Regra do Jogo. Mas tb tem o outro lado, gente que endeusa. Acho chatos esses dois extremos. Há quem goste, há quem não goste, eu gostei de algumas coisas dele e não gostei de outras... enfim. Isso não desmerece as qualidades dele.

Independente de gosto, o sucesso de ibope reflete o que eu considero a maior qualidade do Walcyr, que é um autor que dialoga com o público como poucos, a forma como ele cria o envolvimento a cada capítulo, então isso explica porque ele costuma fazer sucesso e obter boa audiência e, consequentemente, estar praticamente todo ano no ar.

No fim das contas, achei a novela simpática, me diverti com algumas situações, mas não me conquistou pra ver todo dia. Mas tem seus méritos, é uma trama leve, bem-vinda e, como eu apostei, já deu mostras que pegou e será outro sucesso.

rodrigo lima disse...

NOTA ZERO pra rede Globo: ia ao ar neste sábado o filme com temática gay "hoje quero voltar sozinho", delicado romance que conta a historia de um garoto cego que se apaixona por outro rapaz, mas a Globo simplesmente tirou o filme da grade sem maiores explicações e colocou no lugar o filme "casa da mãe joana 2", uma comedia grotesca e de mau gosto, com cenas de sexo e piadas HOMOFOBICAS. Será a pegadinha do projac? Você liga a TV pra ver um filme com uma temática e dá de cara com algo totalmente ao contrario? Realmente quem defende a Globo tá ficando difícil...

rodrigo lima disse...

*PIADAS DE SEXO.

rodrigo lima disse...

e o "reality"(que de real nada tem) caça-níqueis big bos**? Esperando o post cheio de empolgação desse blog. Vai entender...

Anônimo disse...

olha lá o falsiane do Thallys outra vez comentando aqui, ele e o tal do daniel são loucos para serem diretores ou escritores de novela visto que passam o dia inteirinho só nisso. Fora que vivem se achando só por que são seguidos pelo perfil da Marina Ruy Barbosa no twitter, como se a atriz tivesse tempo para perder com esses moleques, no máximo deve ser uma assessora dela quem faz todo o trabalho. Falta de namorada dá nisso.

Anônimo disse...

Esse cara desse blog não faz outra coisa na vida a não ser ver televisão e ficar na internet o dia inteiro? Gente do céu, como a pessoa fica enfurnada dentro de casa assistindo esse monte de novela chata, uma atrás da outra, e digitando no twiter feito um louco? Fico imaginando a cena que coisa patética. Admito que tenho ate curiosidade de ver uma foto desse Sergio Santos mas ele parece ter algum tipo de complexo pois não posta foto em lugar nenhum.

Anônimo disse...

Seu anônimo, o dono deste blog é uma pessoa seria já formada, ele comenta os programas de acordo com os horários dele, o que não é o caso desses moleques do Twitter que só vivem mesmo para perseguir o zamenza e dar chiliques quando alguma coisa não agrada a eles, entendeu a diferença?

Ed Taborda Assunção disse...

Como eu já esperava, estou amando a novela. A história é aquele clichezão, mas muito bem contado. Aquela típica história carrasquiana das 6. Únicas coisas que não gostei, como já imaginavam, foram os protagonistas. Não gostei da Débora Nascimento no papel e o Sérgio Guizé não tá parecendo uma pessoa ingênua não, tá parecendo um deficiente mental. Me irrita. E o Rainer Cadete ainda tá interpretando o Visky. Mesmo assim, as qualidades da trama ultrapassam isso. Venho gostando especialmente da Savalla, ótima como sempre,e da Bianca Bin, que promete roubar a cena. Flávia Alessandra também tem tudo pra se destacar. Ansioso também pela Camila Queiroz. Enfim, estou encantado por essa trama.
Abraços

Renata disse...

Sérgio, estou assistindo a novela e gostando muito. O personagem do Candinho é adorável e os outros também são interessantes.
Minha única reclamação é sobre o sotaque da Elizabeth Savalla, que está exagerado. Ela puxa os erres demais. Fala 'cantarrrr', 'casarrrr', 'comerrrr'. Eu sou do interior de São Paulo e, pelo que sei, as pessoas falam 'cantá, casá, comê'. Elas puxam o erre no final de substantivos (por exemplo: amorr, cantorr) mas não no final de verbos.
Não sei de onde a Elizabeth Savalla tirou esse sotaque. Tem hora que ela fala meio italianizado, às vezes parece quase sotaque gaucho. Está uma salada... Espero que ela corrija este problema, pois é uma grande atriz e merece reconhecimento, mas esse sotaque atrapalha.

Reinaldo SP disse...

Olá Sergio, conferi a primeira semana de Eta Mundo Bom, confesso que gostei bastante da trama e das personagens - apesar que eu já esperava por isso. Nota-se facilmente o sucesso da novela com apenas uma semana de exibição, e não é para menos, a história é bastante envolvente assim como as personagens desse grande universo. Sergio Guizé e Débora Nascimento estão bem afiados em seus novos personagens, e o que dizer de Nanini? O regresso desse grande ator às novelas foi, com toda certeza, um grande presente ao público. Outros que também se destacaram nessa primeira semana foram Eliane Giardini, Flávia Alessandra, Eriberto Leão, Elizabeth Savalla, Rosi Campos, Ary Fontoura, Bianca Bin, Tarcísio Filho, Dhu Moraes, JP Rufino, Flávio Migliaccio, Suely Franco, Rainer Cadete, dentre outros.
Gosto muito do trabalho de Walcyr Carrasco, suas tramas marcaram bastante minha infância, e é exatamente por isso que não poderia deixar de acompanhar sua nova obra das seis.
Assim como Além Do Tempo, Eta Mundo Bom também terá bastantes mensagens, dificilmente esqueceremos a frase ´´Tudo que acontece de ruim na vida da gente é para melhorar´´, a qual ficou bem gravada em minha cabeça. Para quem tem uma mente mais aberta, as mensagens são de fácil identificação, achei muito legal esse tipo de abordagem na novela.
A trilha sonora da trama está fantástica, as músicas que a compõem são de fácil assimilação com o público e combinam perfeitamente com o universo da história e das personagens.
Notei alguns comentários à respeito dos sotaques das personagens, achei isso um tanto estranho já que a novela em si permite alguns exageros e de forma alguma isso me incomoda. Sotaque é algo tão complexo e relativo - em todas as novelas existe alguma reclamação relacionada ao sotaque de algum personagem -, prefiro mesmo assistir a trama e me divertir com seus personagens em lugar de me prender a detalhes tão técnicos.
Se a primeira semana de Eta Mundo Bom já foi ótima, imagine, então, como serão os próximos meses. Candinho e os demais personagens ainda terão muita história para nos contar.
Até mais.

Renata disse...

Reinaldo, você não se incomoda porque não é o seu sotaque que está sendo (mal) imitado. Quando é o sotaque da gente, incomoda sim. Sempre que há novela com personagens nordestinos, o pessoal do Nordeste reclama se o sotaque estiver mal feito. E eles têm todo direito de reclamar, afinal a gente vive em uma democracia, não é?

A Globo tem excelentes profissionais, não custa nada contratar uma pessoa para treinar melhor o sotaque dos atores. É uma questão de profissionalismo.

Raquel disse...

Sérgio,

Concordo que estava muito animada com a volta de Walcyr Carrasco às 18 horas, horário para o qual na minha opinião escreveu suas melhores novelas. E depois dessa primeira semana de Eta Mundo Bom, posso dizer que minhas expectativas foram muito bem recompensadas com a realidade.  Acredito que a leveza e fantasia do horário caem como uma luva no estilo de texto e tipo de trama que Walcyr gosta de criar. O que em outros horários parece muitas vezes forçado e meio rocambolesco acaba trazendo todo um charme a mais pras suas tramas das 6. Sei que vc gosta muito do autor e curtiu suas últimas novelas, mas por mim ele não mudava de horário nunca mais! :P

Gostaria de aproveitar o post também para lembrar do Sílvio de Abreu, agora Diretor de Novelas que foi o responsável pela mudança da grade que trouxe EMB para 2016, e que já mostra sinais de ser um sucesso pela ótima audiência. Estava claro que depois de duas novelas com alta carga dramática, o horário estava precisando mesmo de uma comédia mais leve. Nesse sentido, aposto que Velho Chico também terá ótimos números já que vai quebrar a sequencia de novelas urbanas pesadas às 21. Acho que foi outra decisão muito acertada.

EBM tem tudo pra ser outro fenômeno de audiência do Walcyr. Espero que não se perca lá pra frente se começarem a esticar demais.

Elvira Akchourin do Nascimento disse...

Sérgio, apesar da minha boa vontade em tentar assistir a Eta Mundo Bom!, não consigo passar dos primeiros 10 minutos. Reconheço traços dos filmes do Mazzaroppi nas figuras do enredo, até que eu gostava do falecido ator. Mas acho Elizabeth Savalla exagerada no papel da Cunegundes, chegando à caricatura. Em suma: acho que vou desistir de ver a novela, não é o meu estilo. Prefiro tramas policiais, misteriosas, intrigantes.

Sérgio Santos disse...

Idem, Karina!

Sérgio Santos disse...

Promete sim, anonimo.

Sérgio Santos disse...

Verdade, Italo.

Sérgio Santos disse...

Delicia msm, anonimo.

Sérgio Santos disse...

Pesquisa sim, Joana!

Sérgio Santos disse...

Concordo, Decio.

Sérgio Santos disse...

Perfeito, Galdino.

Sérgio Santos disse...

Tb tava, Pedro.

Sérgio Santos disse...

F Silva, desculpe a demora em responder. A vc e a todos, aliás.

Sérgio Santos disse...

Onde eu assino, Maria?

Sérgio Santos disse...

Bjs, Bell.

Sérgio Santos disse...

Concordo, Luandanbela.

Sérgio Santos disse...

Obrigado, anonimo.

Sérgio Santos disse...

Vi sim, Vinicius.

Sérgio Santos disse...

Bjs, Kellen.

Sérgio Santos disse...

Tá aí mesmo, Ana.

Sérgio Santos disse...

Que saudades, Mariana!!!!!!!!!!!!!!!

Sérgio Santos disse...

Obrigado, anonimo.

Sérgio Santos disse...

Compartilho da sua opinião, Ed.

Sérgio Santos disse...

Entendo perfeitamente, Renata.

Sérgio Santos disse...

Perfeito, Reinaldo.

Sérgio Santos disse...

Tomara, Raquel.

Sérgio Santos disse...

Entendo, Elvira. Estilo é estilo mesmo. bjs