quarta-feira, 25 de novembro de 2015

Os 20 anos de "Maria do Bairro", um dos maiores sucessos mexicanos

Produzida pela Televisa entre agosto de 1995 e maio de 1996, "Maria do Bairro" completou 20 anos em 2015, teve 185 capítulos e foi um estrondoso sucesso no México. Mas não só lá. Aqui, através do SBT, que a exibiu pela primeira vez em 1997, a novela se popularizou e virou um dos grandes fenômenos da emissora de Silvio Santos. Tanto que já foi reprisada diversas vezes e está no ar novamente, desde o dia 19 de outubro, nos estados que não tem programação local, como São Paulo e Rio de Janeiro, por exemplo.


A novela mexicana é a conclusão de uma 'trilogia' de Marias, iniciada em 1992 com "Maria Mercedez", protagonizada pela mesma atriz e cantora, a popular Thalía. Já em 1994 foi a vez da intérprete encabeçar o elenco de "Marimar", outro grande êxito que também fez sucesso no Brasil. Até chegar "Maria do Bairro", em 1995. As três produções apresentam muitas similaridades, além de terem a mesma pessoa fazendo a protagonista.

Os folhetins são remakes de tramas venezuelanas, produzidas entre a década de 70 e 80, e todos são protagonizados por uma mulher pobre e ignorante, que muda de vida quando conhece um homem rico.
Mas, apesar de bastante parecidas, as histórias apresentam naturais singularidades, tanto que "Maria do Bairro" foi a que mais fez sucesso entre as três, sendo seguida por "Marimar" em nível de repercussão. A novela já foi exibida sete vezes pelo SBT e sempre obtém um bom retorno quando é transmitida. Resultado parecido com o alcançado por "A Usurpadora", vale ressaltar.

A história é um dramalhão e recheado de todos os característicos exageros típicos de obras mexicanas. O contexto que cerca a protagonista ---- um homem rico que transforma uma moça pobre em uma mulher culta --- é inspirado na peça "Pigmalião", que também foi fonte de inspiração para várias produções, incluindo o famoso filme "My Fair Lady". Aliás, a atual novela das sete da Globo, a deliciosa "Totalmente Demais", de Rosane Svartman e Paulo Halm, também tem o DNA desse clássico espetáculo teatral.

A personagem título é uma jovem humilde e ignorante que trabalha como catadora de lixo em um imenso aterro sanitário. Ela vê sua vida mudar quando completa 15 anos, pois neste dia a sua madrinha falece e a mocinha acaba indo morar na mansão de uma das famílias mais influentes do país. Isso porque a madrinha Casilda pede para o padre Honório achar um lugar onde sua afilhada tenha um trabalho e seja acolhida. Ele consegue que o poderoso empresário Fernando Dela Vega (Ricardo Blume) fique com a menina e o mesmo se propõe a transformar Maria em uma mulher refinada. Seu intuito é fazê-la um membro da família.

Porém, a mocinha precisa enfrentar vários empecilhos, como a resistência da esposa do todo poderoso (a elegante Vitória Montenegro), que a despreza, juntamente com a grosseira empregada Carlota, que passa a perseguir a garota. Tudo piora depois que ela se apaixona pelo filho do seu 'anjo da guarda', o misógino Luís Fernando (Fernando Colunga) ---- que fica assim depois que é abandonado pela noiva. O rapaz, inclusive, começa a namorar a humilde menina com o intuito de brincar com seus sentimentos, mas acaba se apaixonando de verdade.

E essa paixão provoca a ira da diabólica Soraya Montenegro, sobrinha de Vitória, que sempre planejou conquistar o ricaço Luis Fernando. A vilã ainda faz questão de chamar Maria de 'marginal'. Essa personagem, aliás, é uma das mais icônicas da trama e destacou a atriz Itatí Cantoral, que ganhou vários prêmios na época. Vale citar, inclusive, uma das sequências mais exageradas da novela (e surreais): quando a víbora tem um acesso de fúria e derruba a enteada Alícia (Yulina Peniche) --- que é paraplégica --- no chão, enfia uma tesoura no braço no namorado da garota (que absurdamente desmaia), e ainda empurra a preceptora de Alícia, que bate com a cabeça e desmaia também. A cena é um 'hit' da internet.

A novela é dividida praticamente em quatro fases e abusa de todos os exageros do início ao fim. Os fãs da produção gostam justamente disso, que, como já mencionado, é a maior identidade dos folhetins mexicanos. E essa história realmente conquistou o público, assim como os personagens e várias cenas. Alguns atores, aliás, ficaram marcados pela produção, em virtude do tamanho do sucesso que a mesma fez em vários países.

"Maria do Bairro" é um dos marcos da teledramaturgia mexicana e o folhetim merece o reconhecimento, pois realmente desperta atenção e prende através da boa condução do enredo. Tanto que o SBT está exibindo a novela pela sétima vez e novamente a história se mostra viva e nada desgastada. São 20 anos de um sucesso que merecem ser comemorados. O fôlego da saga da humilde Maria, para a alegria dos telespectadores que amaram essa trama, parece não ter fim.

28 comentários:

Thamires disse...

Sucesso mesmo. Eu adorava. Sérgio, quero aproveitar esse espaço pra te dar parabéns, muitos anos de vida e saúde pra vc. Que vc faça ainda mais sucesso e continue sendo essa pessoa incrível que vc é. Beijo.

Ramon Siqueira disse...

Sérgiooooo, você atendeu meu pedido!!!!! Adorei amigão hehehe.
É a terceira vez que assisto Maria do Bairro e é incrível como ela prende. É tudo muito "rosa" e beira ao surreal, mas é encantadora.
Thalía protagonizou o maior sucesso da teledramaturgia mundial (em termos de exportação - 182 países) e ficou eternizada pela personagem, a qual fez um trabalho magistral , mesmo tendo dois grandes êxitos protagonizados, fazendo assim a eterna "Trilogia das Marias".
E como não falar de MDB e não mencionar o ícone (além da protagonista) da trama, Soraya Montenegro. Eu já mencionei aqui que ela fez um emblemático trabalho, e tamanha sua primorosa atuação... a botou como a peste mais odiosa da teledramaturgia mexicana e uma das maiores vilãs da dramaturgia mundial. Amo odiá-la.
Apesar do Fernando Colunga ter se destacado com méritos, Luis Fernando é um sujeito machista e pedante.
São 20 anos de um emblemático folhetim que se eternizou na TV mundial!!!
Y la mucha honra... María la del Barrio sooooy!!!

Anônimo disse...

Essa novela é mt tosca, mas faz sucesso... Vai entender.

Mesquita disse...

Nunca assisti Maria do Bairro toda. Já assisti a primeira fase e a última fase na reprise de 2004. Mas a novela completa, ainda não.
Gosto mais de Marimar, assisti em 2004, 2011-2012 e 2013.

Anônimo disse...

Soraya é sim, a vilã mais famosa que há.

Elisa disse...

Adorei o post da novela. Eu já vi duas vezes e nem sabia que tavam reprisando pela sétima vez. A cena da Soraya descontrolada que vc citou é surreal msmo, mas mt boa. rsrsrsrs

Andressa Mattos M. disse...

Sérgio, eu vi essa novela há muito tempo. Na época gostei, mas hoje não sei se teria a mesma opinião. Já te dei parabéns pelo Twitter e aproveito pra te dar aqui também. Muita saúde e paz pra você. Parabéns por ser tão dedicado com seus leitores.

Anônimo disse...

Eu prefiro Marimar por incrível que pareça. Mas essa é um clássico mexicano mesmo.

Vanessa Volpato disse...

Que bom relembrar. É um ícone como A Usurpadora.

MARILENE disse...

Sergio, seu novo ciclo está apenas começando e eu desejo que lhe ofereça muitos e muitos momentos de alegria e bem estar. Felicidades!!!!!
Não vi a novela mas ouvi inúmeros comentários sobre ela. Através de sua postagem, me inteirei de seu conteúdo. Lembro-me que foi muito elogiada. Bjs.

Ramon Siqueira disse...

Com certeza, são 182 países em que Soraya foi assistida, e consequentemente, a mais famosa. Expressei com "uma das maiores" pois existem grandes víboras mundialmente, incluindo muitas mexicanas, como Paola Bracho e Catalina Creel. Mas ela é a mais famosa sim.

Ramon Siqueira disse...

Pelo enredo que parece um conto de fadas e tal, tanto que atrai muitas crianças. Uma história fantasiosa num folhetim, por isso a grande aceitação.

Anônimo disse...

Pra completar o ciclo de homenagens mexicanas, Sérgio, esse mês o "Chapolin Colorado" faz exatos 45 anos de existência. Merecia um tópico sobre!

Vera Lúcia disse...



Ué, Sérgio, quando é que você aniversariou que não fiquei sabendo?
Não importa. Aproveito esta oportunidade para lhe desejar toda felicidade que a vida pode proporcionar a uma pessoa bacana como você. Continue brilhando por aqui e muito sucesso em seus empreendimentos e sonhos. Parabéns!

Não vi "Maria do Bairro", mas cheguei a ouvir comentários elogiosos sobre a trama. Só pode mesmo tratar-se de um excelente folhetim para permanecer em sucesso por 20 anos.

Abraço.

Sérgio Santos disse...

Mt obrigado pelo carinho, Thamires. =) bjssss

Sérgio Santos disse...

Pois é, Ramon. Gostei da sugestão e escrevi. Que bom que gostou. Eu vi duas vezes e foi mt boa mesmo.

Sérgio Santos disse...

Pro padrão mexicano foi boa até demais, anonimo.

Sérgio Santos disse...

Mesquita, tente ver toda. É mt boa. E eu tb gostei mt de Marimar.

Sérgio Santos disse...

Famosa msm, anonimo.

Sérgio Santos disse...

Surreal mesmo, Elisa. Mas marcante. rsrsrs bjsss

Sérgio Santos disse...

Mt obrigado pelo carinho, Andressa. =) bjsss

Sérgio Santos disse...

Não é incrível não, anonimo, é gosto msm. E Marimar foi igualmente boa tb.

Sérgio Santos disse...

Tb já escrevi sobre A Usurpadora, Vanessa. =) bjsss

Sérgio Santos disse...

Mt obrigado pelo carinho, Marilene!

Sérgio Santos disse...

É verdade, Ramon.

Sérgio Santos disse...

Anonimo, vou pensar na sua ideia. Obrigado. =)

Sérgio Santos disse...

Foi dia 25 de novembro, Vera. rs Mt obrigado pelo seu carinho de sempre! Bjão!

Sérgio Santos disse...
Este comentário foi removido pelo autor.