quinta-feira, 5 de novembro de 2015

A nova fase de "Além do Tempo"

A impecável primeira fase de "Além do Tempo" chegou ao fim no dia 21 de outubro, depois de dois adiamentos ---- um no começo da trama, com uma extensão de mais 20 capítulos (acabaria por volta do 65 e foi até o 87), e outro perto do desfecho, tendo o encerramento prolongado em um dia. Portanto, após uma longa e elogiada jornada, o século XIX saiu de cena, cedendo lugar ao ano de 2015, em pleno século XXI. E o que se vê, como já era de se esperar, é uma nova novela.


Elizabeth Jhin ousou ao produzir dois folhetins em um e a atitude corajosa da autora fica clara no começo da segunda fase, iniciada após um final trágico da primeira, onde Lívia (Alinne Moraes) e Felipe (Rafael Cardoso) morreram juntos e Melissa (Paolla Oliveira) acabou assassinada por Pedro (Emílio Dantas). A primeira imagem já despertou curiosidade pela nova saga, uma vez que mostrou os mocinhos se olhando em uma estação de metrô, como costuma ocorrer em filmes românticos, simbolizando ainda o amor além da vida.

E a estratégia de ir apresentando as demais tramas aos poucos, priorizando neste início as explicações para os novos arranjos familiares, foi inteligente. Até porque realmente a mudança brusca foi sentida e era inevitável. Difícil não sentir falta do requinte da trama de época, dos linguajares, dos figurinos, enfim...
Entretanto, a fase contemporânea também vem se mostrando bem atrativa e a principal qualidade é justamente a presença de todo o elenco, vivendo os mesmos personagens, incluindo os mesmos nomes. Isso cria uma forte aproximação, uma vez que o público já conhece a história de vida de todas aquelas pessoas, ainda que muitas delas estejam se conhecendo agora.

Algumas ligações seguem as mesmas, já outras sofreram maiores alterações. Melissa segue sendo filha de Dorotéia (Júlia Lemmertz), por exemplo, mas agora não é mais irmã de Roberto (Rômulo Estrela) ---- agora um atencioso médico ----, pois sua mãe só engravidou dela. E as duas seguem com uma condição financeira bem abaixo das expectativas da dupla, uma vez que Felipe opta por levar uma vida mais simples. Ele, aliás, está casado com a vilã da primeira fase agora. O mocinho continua sendo pai de Alex (Kadu Schons) --- ao menos aparentemente, uma vez que a esposa esconde um segredo (um caso que teve com Roberto, que deve ser o verdadeiro pai) ---, mas o menino não é mais filho de Berenice (Elisa Brittes), e, sim, de Melissa ---- cujo maior carma é lidar com a rejeição da criança.

Vitória (Irene Ravache) e Emília (Ana Beatriz Nogueira) agora são mãe e filha e inverteram as posições. A Condessa da vida passada virou uma ricaça falida e devedora de favores, enquanto a saltimbancos do século XIX se transformou em uma poderosa empresária e tão arrogante quanto a rival anos atrás. Emília (filha de Alberto, vivido por Juca de Oliveira) inicia a segunda fase planejando uma vingança contra a mãe ---- que a abandonou quando tinha 7 anos para viver um amor ----, da mesma forma como Vitória começou a primeira fase, se vingando de Alegra.

O forte laço entre Vitória e Lívia, que foi um dos pilares da fase anterior, segue o mesmo, uma vez que a mocinha continua sendo filha de Emília. Ou seja, tudo leva a crer que avó e neta novamente se aproximarão nesta vida. A protagonista, aliás, de novo tem como melhor amiga a Anita (Letícia Persiles), só que desta vez a parceira dela não é filha de Gema (Louise Cardoso) e nem irmã de Pedro. Anita virou uma mulher independente e que não quer saber de homem, após tantos traumas do passado ---- todos causados por sua extrema ingenuidade. Mas a personagem novamente provoca uma disputa entre Roberto e Afonso (Caio Paduan), que segue sendo filho de Zilda (Nívea Maria).

A governanta da Condessa do passado, por sua vez, deixou de ser arrogante e amarga. Ela agora é uma senhora simpática e amorosa. Além de Afonso, é mãe também de Felipe e Severa (Dani Barros). Zilda ainda é cunhada de Vitória ---- a perua falida foi casada com o seu falecido irmão ---- e a relação entre as duas é repleta de alfinetadas, mas com uma mudança de posição, obviamente. Já Severa não faz questão de esconder o ódio que sente por Melissa, fruto do que sofreu nas mãos dela na vida passada e também por ter sido humilhada pela rival na época de escola ---- elas ainda disputaram Roberto anos atrás.

Gema trabalha com turismo e está casada com Queiroz (Zécarlos Machado, ótimo), um homem arrogante e elitista, que maltrata Chico (João Gabriel D`Aleluia), filho da empregada falecida, que foi adotado pela esposa ---- ela ainda é mãe de Mateus (Cadu Libonati). É neste núcleo, aliás, que há dois personagens não pertencentes ao primeiro período da novela. Além deles, há também Michele (Maria Joana), namorada interesseira de Roberto, e Alice (Klara Castalho), filha rebelde de Rosa (Carolina Kasting) ---- a agora chef de cozinha é ex-mulher de Bento (Luis Carlos Vasconcelos), com quem teve essa menina. E o capataz da Condessa no passado virou enteado de Vitória. Continua sendo canalha e virou um alcoólatra ---- foi ele, inclusive, o responsável pela falência da 'mãe'.

Bernardo (Felipe Camargo) é um enófilo respeitado e um escritor de sucesso, que tem como braço direito o melhor amigo Raul (Val Perré), fotógrafo. E se a Condessa Vitória teve seu coração amolecido pelo afeto que sentiu por Lívia, nesta segunda fase a prepotente Emília terá o seu modificado em virtude do amor pelo escritor, oriundo de outra vida. Já Gema, claro, encontrará uma luz no fim do túnel assim que se aproximar de Raul, revivendo aquele sentimento que não pôde ser concluído no século XIX.

Além de todas as novas relações mencionadas, vale citar ainda o padre Luís (Carlos Vereza) do passado, que agora é o prefeito da fictícia Belarrosa e foi apaixonado por Vitória. Botelho (Marcelo Torreão) é gerente do hotel da cidade e irmão de Neném (Nica Bonfim), que o trata como filho. Já Mássimo (Luis Melo) é um solteirão convicto, em virtude do 'traumático' casamento com Salomé (Inez Peixoto) na vida passada, e vive encantado pela Rosa, além de ser patrão de Pérsio (Wagner Santisteban). Ele ainda é tio de Bianca (Flora Diegues) e Felícia (Mel Maia), que virão morar com o solitário homem. Salomé, aliás, é faxineira das casas da cidade e tem um amor platônico por Mássimo.

Ariel (Michel Melamed), Mestre (Othon Bastos) e Cícero (Saulo Arcoverde) continuam como 'enviados' de Deus. Mas, o anjo que tanto fez para promover os finais felizes da primeira fase (sem êxito) virou um desiludido com a humanidade e agora faz de tudo para atrapalhar as relações, tentando impedir reencontros com o intuito de evitar novas decepções.

E voltando ao quarteto central, fica claro que Pedro continua sendo um ciumento doentio, enquanto Melissa ainda mantém a máscara de boa moça. Entretanto, os seus maiores carmas serão a rejeição do filho e o término de seu casamento, em virtude da chegada de Lívia. Depois de ter conseguido destruir o casamento de Felipe com Berenice no passado, agora será ela a vítima da vez, mas do destino. E vale mencionar a linda cena do primeiro beijo dos mocinhos, em uma sequência delicada, onde os dois pisavam em uvas, relembrando os momentos a primeira fase, com direito a flashbacks belíssimos.

"Além do Tempo" ainda está no começo da segunda fase, mas essa nova saga dos personagens está bastante promissora. Porém, fica claro que houve uma brusca queda de ritmo. A trama está sendo apresentada vagarosamente e ainda não tem apresentado empolgantes conflitos. Só que essa inicial lentidão ainda não afetou o bom conjunto exibido. Ao menos por enquanto. E se será a história ambientada nos dias atuais será tão boa quanto a do século XIX é cedo para afirmar; entretanto, os capítulos da trama de 2015 vem sendo muito bem desenvolvidos por Elizabeth Jhin. E a sensação de já conhecer todos e saber de detalhes da vida de cada um é uma grande motivação para acompanhar os próximos desdobramentos.

55 comentários:

Andressa Mattos M. disse...

Muito bom esse post porque é elucidativo para os que ainda estão confusos com os novos rumos da trama. A novela continua boa, mas teve uma queda de qualidade, tá claro. T´se arrastando demais e temo que os leitores que vieram falar aqui que a autora não sabe fazer tramas atuais estejam com a razão.Eu acho isso também. Vamos aguardar.

Anônimo disse...

Não sabia ainda a questão do Mássimo com as agora sobrinhas e nem esse caso da Melissa com o Roberto... Gostei do post e concordo que houve uma queda e ritmo.Mas ainda tá boa e interessante justamente por isso que vc falou sobre já conhecermos toda a vida dos personagens.

William O. disse...

Ainda está sendo prazerosa de assistir, mas perdeu parte do encanto. Só que ela não tinha condições de permanecer no século XIX indo até fevereiro, então acabou sendo bom começar tudo de novo.

Quércia disse...

Adorei a transição e esse post ajudou a esclarecer algumas coisas que ainda estavam meio confusas.Claro que a novela de época é muito mais fascinante e ainda não me acostumei em ver a Vitória sem ser de condessa.A trama tá bem devagar mesmo e também era assim no começo da primeira fase, depois é que engrenou.

Fernanda disse...

Preciso como sempre, Sérgio. A queda do ritmo é visível, mas ainda não afetou a qualidade da novela e nem mostrou que a ousadia da autora foi equivocada. Pelo menos ainda. E tenho gostado de ver esses novos arranjos familiares e esses reencontros que tanto falam pelos olhares. O principal atrativo é mesmo o conhecimento de todas as vidas passadas de toda aquela gente. A situação em si é absurda, mas a licença poética vale. Beijos!

jlgiam disse...

Essa segunda fase de Além do Tempo teve realmente uma queda de ritmo, mas muito pela reedição que fizeram dos capítulos. Como se sabe, Alinne Moraes, que vive a mocinha da trama, teve uma crise renal e teve que ficar um tempo afastada das gravações(felizmente já voltou ao trabalho) e acho que reeditaram tudo(transformando, por exemplo, um capítulo em três) para que a protagonista não precisasse ficar um dia sequer fora do ar. Independente disso, a novela segue sendo a melhor novela no ar, pois a das sete é péssima(ainda bem que acaba depois de amanhã!) e a das nove é boa, mas parece que o João Emanuel Carneiro está economizando história pra depois que acabar Os Dez Mandamentos, afinal está impossível fazer frente ao fenômeno da Record em termos de audiência.

Voltando a Além do Tempo, já há telespectadores preocupados com o esticamento que a novela sofreu(agora irá até fevereiro) e questionando se a história tem fôlego até lá. Mas esse esticamento não foi só devido ao sucesso, foi também uma estratégia da Globo em não lançar uma novela de época em pleno horário de verão. Se Eta Mundo Bom, que se passará nos anos 40, estreasse já em janeiro, fatalmente derrubaria os índices do horário. Já essa fase contemporânea de Além do Tempo, atravessando o verão, tem mais chances de manter a audiência estável. A novela do Walcyr Carrasco vai estrear, portanto, num período mais convidativo.

Veja os casos de Lado a Lado, Jóia Rara e Boogie Oogie, que eram de época, suas exibições atravessaram o verão, e foram três fracassos de audiência(sendo que a última, que se passava nos anos 70, até passou a exibir algumas cenas de praia e surfe pra "combinar" mais com o período em que foi ao ar, sem sucesso). Já Flor do Caribe e Sete Vidas, que eram contemporâneas e ensolaradas, foram exibidas no inverno e registraram bons índices. E Walther Negrão deve vir no segundo semestre de 2016 com mais uma novela praiana, substituindo a trama de época do Walcyr. Alguém na Globo parece ter se dado conta de que o horário de verão não é um bom período para exibição de novelas de época.

Bell disse...

Não estou acompanhando muito, por isso as vezes fica confuso rs...
bjokas =)

Larissa disse...

Gostei da análise misturada com uma explicação mais detalhada de tudo o que vem acontecendo e dos novos arranjos familiares. A novela continua boa, mas deu uma decaída. Tomara que volte a ficar tão empolgante quanto nos momentos finais da primeira fase.

Felipe disse...

A novela continua boa mas como já foi falado aqui fica evidente que Elizabeth Jhin tem mais facilidade para escrever novelas de época do que atuais. Quem tinha alguma dúvida ainda já pôde fazer a comprovação nessa transição de Além do Tempo. Muito bom seu post.

Anônimo disse...

Oi Sérgio, ótimo post, como sempre. No entanto, seu texto precisa de uma pequena correção. Você escreveu sobre Vitória e Zilda: "Zilda ainda é cunhada de Vitória ---- foi casada com o falecido irmão da perua falida". Na verdade, é ao contrário. A Vitória é que foi casada com o irmão de Zilda, Guilhermo. Zilda mesmo já mencionou na mesa que é "a parte pobre da família, nunca seguindo o estilo de vida do irmão Guilhermo". Essa informação está de acordo o site oficial da novela, quando apresenta a relação entre os personagens em 2015. No mais, há muito tempo que não me sinto tão empolgada com um novelão como esse. A fase nova, apesar de ser uma idéia incrível, me preocupa um pouco da forma que está sendo conduzida. Na minha opinião, faltarão conflitos que sustentem um ritmo mais dinâmico da trama como na primeira fase. O uso de flashbacks, "fulano pensa em ciclano" e as tomadas prolongadas está excessivo. Eu entendo que estejam com problema de frente de capítulos, mas a situação teve como consequência clara a queda na qualidade do produto - aquele erro grotesco no texto da Emília dizendo ao Felipe que queria comprar a vinícola "Belarrosa" ao invés de "Campobello" me faz pensar como um erro de cena desse tamanho passa por atores, diretores e edição sem que ninguém perceba - ou foi percebido - mas por impossibilidade de refazer soltaram assim mesmo. Somente acompanhar o Twitter no momento, onde inúmeras pessoas comentaram o dito erro. Isso demonstra que a situação por lá não deve estar nada boa. :(

Adriana Helena disse...

Olá querido Sérgio, como vai?
Nossa, como mudou a segunda fase!
Apesar de parecer simples na sua narração, a mim que não acompanho a novela, tornou-se complicado...rsrs
Mas o mais engraçado é que meu pai que acompanhava a primeira fase ativamente agora não quer mais ver, pois disse que apreciava os casarões e o figurino da remota época, inexistentes na segunda etapa.. pena né?

beijos amigo e obrigada por oferecer conteúdo prá gente!!
Linda semana!

Gabriel disse...

Vdd o grande atrativo dessa nova fase tem sido ver essas relações sendo reconstruídas com suas devidas mudanças mt bem apontadas por vc. É realmente uma sensação legal ver esses personagens tendo seus caminhos cruzados novamente e ja saber quais laços os ligam antes mesmo dos próprios.Mas interessante ainda é ver como a vida passada dos personagens repercutiu no modo em q eles reencarnaram, achei td bem montado e planejado.

Mas não da para negar a quebra no ritmo ainda mais comparando com os acontecimentos finais da fase de época .Por enquanto redescobrir os personagens em suas novas facetas continua despertando minha atenção, mas com o plano de vingança de Emilia sendo posto em prática as coisas estão ficando mais animadas.

Lulu on the sky disse...

Sérgio,
Não acompanho a novela.
Big Beijos
Lulu on the Sky

Maria Lúcia Gromann disse...

Não sei se cheguei a comentar com vc aqui Sergio mas sempre adorei essa novela. A segunda fase chegou e a queda no ritmo poderia ser preocupante, mas sinceramente, não acho. A novela atual permanece leve e agradável, sem muita agitação ou grandes sequências. É ótimo ver uma trama contemporânea primar pela agradabilidade, já que as outras duas, I Love Paraisópolis e A Regra do Jogo, são contemporâneas mas repletas de violência, mortes e falta de leveza.

Rafaella disse...

Muito bom o texto. Explicativo e analítico. A fase teve uma queda de ritmo realmente, mas como vc disse ainda não compromete a qualidade.Continua sendo muito prazeroso assistir.

Anônimo disse...

Olá, qual o nome da atriz que faz a vitória quando abandona a família ?
Aguardo
Abraço

porlapazyporlavida lc disse...

Oieee! Estou amando a novela. A nova fase para mim está incrível. É tão bom saber da vida passada e ver o que os personagens trouxeram dela consigo. Me enche os olhos. Acho que estou apaixonada pela novela. hehe. Que texto incrível! Você trouxe bem todas as relações, as ironias do destina. Achei muuuuito bom! PArabéns. hehe. Acho normal ter uma queda de ritmo, apesar de não ter notada hehe, pois a autora está começando de novo... E como alguém comentou, Emília deu início ao plano de vingança... O primeiro gatilho foi ativado para dar essa acelarada e nos deixar sem fôlego. Um ponto muito bonito que tem me deixado encantada é o reencontro dos personagens. Sempre há uma desacelerada da cena, aquela música de fundo incrível e uma mescla do passado com o presente. Lindo demais. Acho que os últimos personagesn estão chegando também a Belarrosa. Só faltam Felícia e Bianca agora... Mais outro gatilho para que os próximos capítulos sejam surpreendentes e cheios de carga emocional. Continue postando sobre Além do Tempo que tá lindoooo! hahahaha. Beijos, Sérgio!!! Até a próxima. Que venha Totalmente demais para eu comentar também. hehe

Elvira Akchourin do Nascimento disse...

Estou gostando da nova fase de Além do Tempo, embora alguns internautas reclamem da morosidade de algumas tramas. Acho que, desta vez, o amor de Lívia e Felipe tem de dar certo. Ana Beatriz Nogueira e Irene Ravache têm protagonizado cenas inesquecíveis e emocionantes, como já acontecera na primeira fase. Luiz Carlos Vasconcellos é outro que está bem no papel.

Vera Lúcia disse...


Olá Sérgio,

Creio que a morosidade inicial é até justificável para que os telespectadores da novela tenham possibilidade de se familiarizarem com os personagens, o que não é difícil, pelos motivos que você menciona.
Estou gostando desta segunda fase e espero que ela fique tão envolvente quanto foi na primeira. 'Além do Tempo' tem sido a minha novela do momento.

Perfeito, como sempre.

Abraço.

MARILENE disse...

Sérgio, a primeira fase atendeu todas as minhas expectativas. A segunda, embora no início, mantém a qualidade e espero que caminhe da mesma forma, bem interessante. Bjs.

Ed Taborda Assunção disse...

Assisti poucas cenas dessa nova fase, mas do pouco que eu vi, destaco a excelente atuação da Ana Beatriz Nogueira, que pelo visto está com todo destaque no momento.
Abraços

Lilly Silva disse...

Olá Sérgio, mesmo eu não sendo muito de assisti TV, não pude ficar indiferente a essa novela, e ao imenso sucesso que ela está fazendo. Aqui em casa todo mundo ama, e mesmo eu não acompanhando muito, vi essa mudança de fase e achei muito interessante, pois acredito muito nessa visão espiritual da vida e adorei ver isso em uma novela. Beijos e um bom domingo

http://simplesmentelilly.blogspot.com.br/

Sérgio Santos disse...

Mt obrigado, Andressa. Mas eu nem acho que esteja se arrastando demais. Houve uma diminuição de ritmo, mas ela continua mt bem desenvolvida. bjs

Sérgio Santos disse...

Exatamente, anonimo.

Sérgio Santos disse...

Foi interessante começar tudo de novo msm, William.

Sérgio Santos disse...

É verdade, Quércia.

Sérgio Santos disse...

Mt obrigado, Fernanda. bjs

Sérgio Santos disse...

Mt bom o seu comentário, Jlgiam. Sim, sem dúvida o afastamento da Alinne contribuiu, mas nem acho que tenha afetado a qualidade. Como disse no texto, a nova fase tá ótima e a diminuição do ritmo não comprometeu em nada por enquanto. E a Globo fez uma boa estratégia msm com esse esticamento, até porque assim terá praticamente a mesma duração da primeira fase e ainda evita uma estreia complicada para Eta Mundo Bom.

Sérgio Santos disse...

Aí fica msm, Bell. bjss

Sérgio Santos disse...

Mt obrigado, Larissa.

Sérgio Santos disse...

Valeu, Felipe!

Sérgio Santos disse...

Anonimo, mt obrigado pela correção. Assim que li seu comentário já corrigi. E eu nem acho que o uso de flashbacks tá excessivo porque os da primeira fase temperam mt bem as novas cenas. Só que concordo quanto aos flashbacks da própria nova fase, aí acho que extrapolam. Eu reparei nessa falha citada por vc, mas passou rápido.

Sérgio Santos disse...

Td indo, Adriana. Poxa, que pena ue seu pai parou de ver. Mta gente preferia a fase de época msm. bjssss

Sérgio Santos disse...

Concordo com vc, Gabriel!

Sérgio Santos disse...

Ok, Lulu. bj

Sérgio Santos disse...

Acho que chgou a comentar sim, Maria. E eu tb acho que a queda de ritmo, ainda, não comprometeu em nada a novela. Continua mt agradável e bem conduzida. A Regra do Jogo é regular e a que acabou era péssima.

Sérgio Santos disse...

Obrigado, Rafaella.

Sérgio Santos disse...

Anonimo, me desculpe a demora em responder. Só tive tempo agora. O nome dela é Paula Possani. É mt talentosa e já fez uma vilã em Tempos Modernos e esteve na terceira temporada de Sessão de Terapia. Abraços.

Sérgio Santos disse...

Obrigado pelo carinho de sempre, porlapazyporlavida lc. É verdade, tem sido mt prazeroso acompanhar a nova fase e todos esses reencontros. O ritmo mais lento não afetou a qualidade e a trama segue mt boa. Totalmente Demais tem tudo pra ser ótima tb. bjssss

Sérgio Santos disse...

Eu tb estou gostando mt, Elvira! E agora com certeza Livia e Felipe ficaram felizes. Mas só em fevereiro... bj

Sérgio Santos disse...

É verdade, Vera. Como tudo está sendo contado de novo, essa morosidade é até necessária em algumas situações.É a melhor novela no ar. bjsss

Sérgio Santos disse...

Tb espero, Marilene! bj

Sérgio Santos disse...

Ana é fantástica mesmo, Ed. Ela e a Irene fazem uma dupla e tanto! Abçs

Sérgio Santos disse...

Que bom que vc está acompanhando, Lilly. Tá sendo mt interessante mesmo. Bjsss

npr disse...

Ah.. acho que esta novela já estreou por cá. Mas nunca vi nem sequer um «comercial» dela. Falta de sorte e falta de divulgação, creio eu.

Sérgio Santos disse...

Uma pena, npr. É mt boa.

Anônimo disse...

A primeira fase foi realmente impecável, mas a segunda, confesso que não estou tendo.paciência.

Sérgio Santos disse...

Entendo, anonimo. Teve uma queda de ritmo msm.

Mariana Nascimento disse...

Oi Sérgio, acho que não comento aqui desde lado a lado mas sempre acompanhado suas analises que são excelentes.
Adoro a novela mas confesso que só comecei a assistir depois que lívia foi para o casarão e depois fui rever os vídeos.
Entendo os quem sentem falta da fase de época, eu tbm achava ótima mas já não tinha história para contar e foi bem interessante essa virada. Acredito que logo a novela pegue ritmo de novo.
Amo o casal principal, impressionante como Alinne fazia falta na TV, que presença ela tem em cena.
Impressionante tbm como ela conseguiu uma mocinha quase adolescente, mesmo nao sendo tao jovem assim e agora uma outra lívia mais.mulher, uma triz de verdade.
Ela é Rafael, que tbm está bem na trama e ganhou um grande papel depois do chatinho Vicente, estão em total sintonia.
Torço muito pelo casal, só gostaria que a autora deixasse eles ter um romance nem que seja de uma semana já que na outra fase eles não tiveram de fato um relacionamento.
Todo o elenco está de parabéns com destaques para Irene, Nível, Ana Beatriz e gostaria de fazer um destaque especial tbm para Louise que sempre pega papel pouco explorado pelos autores e agora está tendo destaque.
Bjs

Mariana Nascimento disse...

Uma correção.
Nívea e não Nível
(Escrever no celular é um saco rs)

Sérgio Santos disse...

Nossa, Mariana, é mesmo. Vc desapareceu. Bom te ver de volta e obrigado pelo carinho. A primeira fase faz muita falta mesmo, mas eu concordo: não tinha como ser estendida até janeiro. Precisava mudar de fase e começar de novo. Alinne fazia muita falta e é um prazer vê-la de volta e tão bem. Tb torço para o casal ter momentos bonitos juntos antes do final.

Sérgio Santos disse...

Ah, e não se preocupe com isso. rs bjao!

Sissym Mascarenhas disse...



Sergio,

Eu amo esta novelinha. Pode acreditar que me inscrevi no Globo.com só para poder acompanhar?!

Eu acho (uma sugestão se os anjos ouvirem... rsss) que eles poderiam mostrar um pouco do que aconteceu pós morte de Livia, Felipe e, claro, Melissa, na vida passada. Como ficaram os que ficaram. É uma enorme curiosidade. Isto é, esta novela poderia ter uma continuação! ;)

Bjs

Sérgio Santos disse...

Puxa, Sissym, que bacana. Não sabia. A novela é bem boa mesmo e tb acho que poderiam mostrar o que houve depois desses acontecimentos na primeira fase. bjs

Sérgio Santos disse...
Este comentário foi removido pelo autor.