sexta-feira, 9 de outubro de 2015

Irene Ravache: o grande nome de "Além do Tempo"

O elenco de "Além do Tempo" é muito bem escalado. São vários nomes de talento e diversos destaques. Entretanto, o principal trunfo da novela das seis é a presença da grandiosa Irene Ravache, vivendo a temida Condessa Vitória, uma vilã e tanto. A personagem foi construída com competência pela autora Elizabeth Jhin e a escalação foi simplesmente perfeita. Desde que o folhetim estreou, tem sido um prazer acompanhar o desempenho de uma das melhores intérpretes do país.


A Condessa é uma mulher fria, arrogante e intolerável. A poderosa mulher do século XIX não perdoa quem a afronta e humilha todos que a cercam, principalmente os empregados, tratados feito lixo. É a típica vilã de um clássico dramalhão. A personagem também faz questão de mandar na vida do sobrinho-neto, o Conde Felipe (Rafael Cardoso), e, no passado, foi a responsável pelo desaparecimento do próprio filho. Isso porque o Conde Bernardo (Felipe Camargo) se envolveu com a saltimbanco Alegra (Ana Beatriz Nogueira), para o seu desgosto.

A víbora armou um plano para matar a 'futura nora' em um 'acidente' de carruagem, mas caiu na própria armadilha quando descobriu que o filho havia entrado no veículo, e não o seu alvo. Desde então, iniciou uma saga em busca de Bernardo e nunca mais 'perdoou' Emília, mesmo sendo ela a culpada pelo desaparecimento.
A Condessa ainda fez questão de armar um velório para o herdeiro com o único intuito de fazer Alegra sofrer. Para culminar, anos depois, a sogra e a nora se reencontraram em Campobello e a vilã mandou incendiar a casa da inimiga com ela dentro. Um conjunto de fatores que faz desse perfil um verdadeiro demônio.

E Irene vem conseguindo honrar a qualidade desse papel com louvor. A novela se engrandece com a presença dessa atriz e todas as suas cenas são merecedoras de aplausos. A Condessa nunca ri e quando abre um sorriso é apenas para debochar de alguém ou mostrar superioridade. O ar carrancudo é uma das principais características dessa personagem, que é extremamente pesada. Um tipo como este não poderia ser interpretado por uma profissional menos qualificada, pois o risco de cair no exagero era grande, o que comprometeria a densidade do perfil. A escolha da autora e da equipe foi meticulosa.

A atriz consegue expor todo o ódio daquela senhora com maestria, assim como também tem habilidade para exibir um lado mais frágil da dura mulher, principalmente nos momentos em que a mesma fala sobre o filho. São nuances muito bem captadas pela intérprete, que protagoniza excelentes sequências ao lado de Luis Carlos Vasconcelos (Bento), Paolla Oliveira (Melissa), Rafael Cardoso, Júlia Lemmertz (Dorotéia), Alinne Moraes (Lívia) e, principalmente, Nivea Maria, que vive a esnobe governanta Zilda, constantemente humilhada pela patroa.

A vilã ainda foi humanizada com maestria pela autora através da sua aproximação com Lívia. Mesmo sem imaginar que a mocinha é sua neta, a Condessa nutriu um afeto genuíno pela empregada e a transformou em sua dama de companhia. Irene e Alinne apresentam uma bela sintonia cênica e as cenas da dupla têm sido as melhores da trama, em plena reta final da primeira fase (que acaba no dia 20 de outubro). A toda poderosa se desarma diante da linda mulher que virou sua fiel escudeira. Fica evidente que ali, mesmo inconscientemente, há o carinho de uma avó pela sua neta, e vice-versa.

Vale destacar ainda a grandiosa cena protagonizada pela atriz, quando Vitória finalmente reencontrou o filho Bernardo, após tantos meses de incessante procura. Ela mostrou com riqueza toda a emoção daquela desesperada mãe, a dor da ausência, a felicidade do reencontro, a dificuldade em lidar com aquilo tudo, enfim, foi simplesmente perfeita. Conseguiu dominar até a sua respiração na sequência, expondo uma expressão de alívio ao ver o Conde na sua frente. Foi um momento esplêndido.

Com mais de cinquenta anos de carreira, Irene já viveu inúmeros tipos na televisão, no cinema e no teatro. Sua última novela até então havia sido o remake de "Guerra dos Sexos" (2012), onde viveu a Charlô, uma das protagonistas do folhetim de Silvio de Abreu, autor que sempre escala a atriz para suas tramas. Aliás, o escritor só deu a ela papéis que fizeram jus ao seu talento, vide a Lola; do remake de "Éramos Seis" (1994), a Katina; de "Belíssima", e a hilária Clô; de "Passione". Vale lembrar, também, que a primeira novela de Elizabeth Jhin ("Eterna Magia" - 2007) foi supervisionada por Silvio e, nesta trama, a grande Irene interpretou a rancorosa Loreta, papel que lhe rendeu uma indicação ao Emmy Internacional na categoria Melhor Atriz.

Agora, interpretando magistralmente a Condessa Vitória, em "Além do Tempo", Irene Ravache novamente se destaca e mostra mais uma vez o porquê de ser considerada uma das mais respeitadas atrizes brasileiras. Essa vilã fria, cruel e amargurada, mas que é um ser extremamente carente por dentro, não poderia ter caído em melhores mãos.

36 comentários:

Flávia disse...

Que texto sublime, Sérgio! Ela merece. Que show! Amando muito a Condessa!

Letícia disse...

Uma de nossas maiores atrizes realmente e ganhou uma grande personagem.Gostando muito da relação da Condessa com a Lívia e de toda essa ambiguidade da vilã.

Anônimo disse...

Irene merece prêmios por essa interpretação.

Elvira Akchourin do Nascimento disse...

Irene Ravache está mesmo soberba no papel, mas Ana Beatriz Nogueira também dá show.

Elisa disse...

Perfeito o seu texto. Ela estava merecendo mesmo e até ia perguntar se não ia escrever. Elvira, o Sérgio escreveu sobre a Ana Beatriz no mês passado, eu acho. Dá uma olhada.

Quércia disse...

Está fazendo um trabalho incrível. Fico abismada com seu talento. Seu texto só diz verdades!

Camila disse...

É uma grande atriz e não imagino a Condessa sendo vivida por outra pessoa.Estou encantada com essa primeira fase e não queria que acabasse porque acho que perderá o encanto. Mas concordo com o texto e a cena dela encontrando o filho ontem foi linda!

Ed Taborda Assunção disse...

É o grande nome da novela. E a Condessa nem tá mais tão má, a aproximação dela com a Lívia fez ela ficar mais humanizada. É uma personagem muito bem escrita e com uma grande intérprete. Lembro que ela já tinha se destacado em outra novela da Jhin, Eterna Magia, que eu gostei muito, nem sabia que ela tinha ganhado uma indicação pela Loreta. Espero que a segunda fase continue como a primeira e até entendo que seja preciso por que acho que o enredo não se sustenta mais no século passado. Torcendo muito pra continuar boa desse jeito e não começar a cafonice que tinha em Amor Flopado Amor...

Maria disse...

Taí uma atriz que merece estar na lista das melhores de 2015 no final do ano! Ao lado de Drica Moraes, pela Carolina de Verdades Secretas, e Débora Bloch, pela Lígia de Sete Vidas, é claro!

Ulisses disse...

Ela é uma baita atriz e a Condessa é uma personagem bem rica dramaticamente. Tinha que ser a Irene pra fazê-la e ia te pedir um post sobre ela depois de ter lido o da Ana Beatriz Nogueira e o da Alinne Moraes!

Edilene brandao da silva disse...

ótimo texto!
Parabéns!

A Viajante disse...

Adorando essa novela... morrendo de medo de não gostar da segunda fase. Irene Ravache é mesmo uma diva. Amo!!

Uma Interessante Vida disse...

Eu gostaria de assistir essa novela, tem uma bela história. Adoro novelas de época. Irene Ravache dá um show na interpretação. Sds de ti, Sérgio... bjs e bom feriado.

Filha do Rei disse...

Irene Ravache é daquelas atrizes que a gente pensa que não dá para ser melhor, e ela vem e nos surpreende com esta Condessa que nos leva ao ódio e ao mesmo tempo a pena e um certo respeito :)
A Condessa ficará na nossa lembrança e Irene R, continuará a ser aplaudida.
Tenha uma abençoada semana!!

Vera Lúcia disse...


Olá Sérgio,

Impossível ler você sem deixar um elogio. Seu texto e considerações estão perfeitos. Irene Ravache é mesmo uma grande atriz e está fantástica no papel da Condessa Vitória. Mesmo estando viajando, não perdi a novela, pois no horário dela cuidava de estar no apartamento do hotel para assisti-la. Ontem, porém, nosso horário de voo de volta bateu com o horário da novela. Logo que que me acomodei ao chegar em casa fui assistir o capítulo pela Globo.com, pois estava curiosa para ver a Lívia contando a verdade para o conde Felipe. A escalação de Irene Ravache para representar a Condessa foi muito feliz.

Ótimo domingo e feliz semana.

Abraço.

F Silva disse...

Algo a comentar...

Excelente texto sobre essa que é uma grande atriz. Todos os seus trabalhos na televisão foram feitos com muita competência, a competência de um grande talento. Fato.

Mas gostaria de discordar, só um pouquinho.

Não acho que o "principal trunfo" seja a presença de Irene Ravache. Pois nessa novela não há nenhum "principal trunfo" e sim um grande e harmonioso conjunto. Texto muito bem escrito, elenco maravilho com vários destaques dando um show de interpretação, uma direção competente, figurino da mais alta qualidade, uma brilhante novela de época.

Consigo vislumbrar outras maravilhosas atrizes no papel da condessa Vitória, que dariam igualmente um show de interpretação pois o texto exige isso. Muitas outras personagens desse folhetim poderiam ser interpretados por outros grandes talentos e cada um imprimiria seu toque pessoal, coisa que é absolutamente natural.

Estou acompanhando cada detalhe dessa novela e destaco os excelentes desempenhos de Alinne Moraes, que atriz fantástica! Nívea Maria está maravilhosa. Paolla Oliveira criou uma ótima caracterização para sua Melissa. Ana Beatriz Nogueira defende magistralmente sua rancorosa Emília. Felipe Camargo saindo-se muito bem como Bernardo. Luis Carlos Vasconcelos e Júlia Lemmenrtz estão ótimos em cena. Louise Cardoso emociona com sua Gema. Destaco ainda os grandes momentos de Letícia Persilles, Carol Kasting, Rômulo Estrela e Emílio Dantas.

Meus aplausos a todo o elenco de "Além do Tempo".

Abraços...

BIA disse...

Novelas de época são ótimas! Irene Ravache é sublime! Seus textos bem escritos e verdadeiros! Boa semana Sérgio! :)

Bjs

Bia Hain disse...

Olá, Sérgio, como vai? Como já lhe disse anteriormente Irene Ravache é das minha atrizes preferidas. O que acho mais interessante do desenrolar do papel da condessa é que alterna traços de uma vilã impiedosa com os momentos de doçura despertados pela neta (sem que ela saiba)... confesso que antes de reencontrar o filho achei que ela havia mudado seu ponto de vista em relação à isso! Atuação impecável! Abraços!

Sérgio Santos disse...

Mt obrigado, Flávia. Merece msm.

Sérgio Santos disse...

Perfeito, Letícia.

Sérgio Santos disse...

Merece msm, Anonimo.

Sérgio Santos disse...

Eu escrevi tb sobre a Ana antes, Elvira. bjs

Sérgio Santos disse...

Mt obrigado, Elisa.

Sérgio Santos disse...

Valeu, Quércia.

Sérgio Santos disse...

Tb não imagino outra atriz fazendo a Condessa, Camila!

Sérgio Santos disse...

Tb gostei mt de Eterna Magia, Ed. A novela foi mt criticada, mas foi boa. E ela ganhou indicação por essa Loreta. Tomara que isso se repita com a Condessa. E tb vamos torcer para que a nova fase seja tão boa quanto essa.

Sérgio Santos disse...

Exatamente, Maria! Isso!

Sérgio Santos disse...

Tinha que ser dela, Ulisses, e eu tinha que fazer um texto pra ela msm.

Sérgio Santos disse...

Mt obrigado, Edilene.

Sérgio Santos disse...

Vamos torcer pra ser boa, Ju. bjs

Sérgio Santos disse...

Tb com saudades de vc, Barbie. bjs

Sérgio Santos disse...

Perfeito comentário, Cléu. bjs

Sérgio Santos disse...

Que bom que vc está acompanhando essa novela, Vera. E Condessa é uma baita personagem. A Irene está fabulosa. Obrigado pelo carinho e elogio. bjs

Sérgio Santos disse...

Concordo com vc, F Silva, o elenco todo está incrível e merece elogios. Mas o grande nome é a Irene, nem tem como não ser. O que não desmerece os outros, claro. Concordo com todos os seus elogios a ela e aos demais.

Sérgio Santos disse...

Obrigado, Bia. Boa semana pra vc tb! bj

Sérgio Santos disse...

Atuação impecável msmo, Bia. E que show da Irene! A Condessa é um perfil mt complexo, proporcionando grandes cenas para a atriz. bjs