terça-feira, 7 de outubro de 2014

Renata Sorrah: um talento desperdiçado

Renata Leonardo Pereira Sochaczewski atua no teatro há mais de 40 anos e é uma das grandes atrizes contratadas da Globo. Conhecida como Renata Sorrah, esta grande profissional já interpretou várias personagens marcantes, engrandecendo sua respeitável e longeva carreira. Entretanto, ela não vem tendo sorte na televisão nos últimos anos, infelizmente.


Após papéis de destaque como a Heleninha Roitman, de "Vale Tudo", a Pilar, de "Pedra sobre Pedra", a Mariana, de "Rainha da Sucata", e a Zenilda, de "A Indomada", a atriz ganhou sua melhor personagem da carreira em 2004: a Nazaré Tedesco, de "Senhora do Destino", trama de Aguinaldo Silva. A vilã sarcástica, cruel e debochada é até hoje lembrada pelo telespectadores e entrou para a história da teledramaturgia. Mas depois deste papel parece que nada mais fez jus ao talento da atriz.

Claro que dificilmente haverá outra personagem tão marcante quanto Nazaré. Porém, Renata merecia papéis mais interessantes depois do show que deu em um dos maiores sucessos da Globo. Em 2006, ela ganhou uma juíza em "Páginas da Vida", que aparentava ser uma boa personagem.
Mas o papel foi ficando cada vez mais deslocado na trama e não teve nem a metade do destaque que merecia. Tanto que poucos se lembram do mesmo.

Já em 2007, Renata voltou a trabalhar com Aguinaldo em "Duas Caras". E como o autor sempre lhe deu bons tipos e tinha lhe presenteado com a Nazaré, achou-se que ela finalmente voltaria a viver um perfil bem escrito. Entretanto, a sofrida Célia não aconteceu na problemática novela do autor e a tentativa de reviver os embates com Susana Vieira (que em "Senhora do Destino" viveu a Maria do Carmo e nesta história interpretou a Branca) falhou.

Em 2011, Renata foi novamente escalada por Aguinaldo para a fraca "Fina Estampa". Seu núcleo era o único tratado com seriedade na história, repleta de deboches e situações absurdas. Ela interpretou a médica Danielle, que se envolveu em uma polêmica situação de manipulação de embriões ---- o doador escolhido por uma das pacientes era irmão da doutora, que sabia de tudo. A história superficialmente, lembrava a trama de "Barriga de Aluguel", mas acabou tendo pouco destaque, em meio aos escárnios envolvendo Crô (Marcelo Serrado), Tereza Cristina (Christiane Torloni) e Griselda (Lilia Cabral).

No remake de "Saramandaia", em 2013, a atriz viveu Leocádia, a mãe de João Gibão (Sérgio Guizé), o homem que nasceu com asas. E novamente não ganhou um papel à sua altura. A personagem teve poucas cenas relevantes e Renata apareceu bem menos do que deveria e nem pôde mostrar seu conhecido talento, lamentavelmente. Em 2014, com "Geração Brasil", esta 'sina' parecia que chegaria ao fim.

Gláucia Beatriz entrou na história de Filipe Miguez e Izabel de Oliveira roubando a cena e a picareta tinha tudo para ser um dos grandes destaques da novela. Mas nada nesta trama funcionou e todos os núcleos acabaram se perdendo, inclusive o dela. A mãe de Jonas Marra (Murilo Benício) perdeu a importância que tinha e ficou meses sem função alguma na história. Em uma cena relativamente recente, onde mãe e filho têm uma forte discussão, foi possível ver o quanto que Renata poderia ter sido valorizada nesta obra. Ela e Murilo fizeram uma grande sequência, onde os perfis tinham uma espécie de acerto de contas. Mas no saldo geral foi mais um papel que prometia e não cumpriu.

Renata Sorrah é uma das grandes atrizes do Brasil e está merecendo há tempos um papel à sua altura. A clássica frase "Não existe papel pequeno para ator bom." tem seu sentido, desde que o papel em questão dê chances para seu intérprete se destacar e ainda tenha uma boa história, o que não tem ocorrido com os tipos vividos pela atriz nos últimos anos. Resta torcer para que esta fase acabe logo e que venham bons personagens para Renata interpretar, mostrando todo o talento que todos sabem que ela tem.

48 comentários:

Milene Lima disse...

Pelo título já valia um comentário. De fato esses últimos personagens que você citou são sofríveis... essa juiza aí eu sequer lembrava mesmo.

Quem sabe ela trabalhe com outros autores que lhe dê o devido valor, né?

Beijos, Sérgio.

OX disse...

Parabéns pelo texto, Sérgio. Renata há anos não recebe um bom papel realmente e até parece que a Nazaré rogou uma praga na atriz. Eu nem vejo essa Geração Brasil porque acho horrível, mas é lamentável ela estar sendo desvalorizada em mais uma novela. Os autores deveriam ter vergonha de darem papéis tão ruins a ela. E eu discordo desse ditado de que não existe papel pequeno para ator bom. Claro que existe. Vide o caso da grande Ana Rosa com um papel ínfimo nessa novela das seis que também acho péssima. Abraço.

Anônimo disse...

CRÍTICA PERFEITA!!!!!!!!! É um absurdo o que estão fazendo com a Renata! Depois da Nazaré só veio personagem de quinta categoria e eu jurava que a Gláucia Beatriz faria a atriz voltar aos bons tempos mas não. A personagem se perdeu assim como toda a novela. Coitada, não merecia!!!!!!!

Anônimo disse...

Eu também concordo com o post e infelizmente a frase ´´não existe papel pequeno para ator bom´´ não se aplica a todas as situações, é algo bem relativo, basta lembrar nos do papel de José Wilker em Amor A Vida, mesmo sendo um ator consagrado Wilker estava praticamente invisível naquela novela.
Espero que Renata tenha mais sorte futuramente.

Paulo Ricardo disse...

Não acho que Nazaré seja o melhor papel dela, nada se compara a Heleninha Roitman. Como ela mesma disse no Damas da TV ate hoje as pessoas na rua a chamam pelo nome da emblemática filha alcoolatra da Odete em Vale Tudo. E lembrando dessa novela acho que bem faz a Lidia Brondi que parou de atuar, assim só lembramos dela com bons personagens. Essas novelas de agora foram feitas pra Caio Castro e cia.

A Viajante disse...

Eu penso que cada ator, ou atriz, tem liberdade para escolher este ou aquele personagem. Se há um encantamento no momento do convite, deveria ser feito uma construção de encantamento. Também tem a relação com a equipe, com os pares que contracena. Não deve ser fácil unir tudo isso e ser feliz nas escolhas. Mas ela, pelo histórico que tem, não deveria escolher papéis em novelas da 7, cujo principal atrativo é divertir. A comédia lhe cai bem, mas junto com um drama daqueles bem feito. Beijo, querido!

juliana s disse...

olá Sérgio, vc tem toda razão a Renata é uma grande atriz e não está sendo valorizada. No começo da novela pensei que ela seria um grande destaque mas, não foi isso que aconteceu, aliás essa novela foi uma decepção, poucos atores se destacaram e muitos ficaram de lado na trama. Parabéns por mais um texto maravilhoso bjos

Felisberto Junior disse...

Olá, bom dia, Sérgio
sim, as respostas são muitas, podem parecer simples de serem ditas, mas não são fáceis de entender ... outras com menos , aparecerem demais... difícil não lembrar de grandes momentos de Renata como a Nazaré Tedesco. A vilã sarcástica, cruel e debochada protagonizou alguns dos melhores momentos da teledramaturgia nacional, Renata é uma atriz mais do que consagrada e que, com certeza, ainda fará muitos papéis de sucesso na telinha.Sim, resta torcer para que esta fase acabe logo e que venham bons personagens para fazer jus ao grande talento da atriz...
Obrigado pelo carinho,bela semana,abraços!

Alexandra disse...

Realmente depois de Nazaré ela nunca mais fez nenhum papel que preste. Manoel Carlos que eu saiba iria dar o papel de Marta em Páginas da Vida para ela, mas a mesma recusou pois não queria emendar 2 novelas e fazendo vilãs. Então ela ficou com essa juíza que nem lembro direito. Em Duas Caras realmente nada funcionou, uma das piores novelas do Aguinaldo Silva. Fina Estampa foi o mesmo caso de Duas Caras, fez sucesso, mas foi sofrível. Saramandaia foi boa, mas a Renata realmente foi desvalorizada. E agora, Geração Brasil se perdeu inteira e a atriz não faz mais nada na novela. Uma pena, pois Renata é um grande dama da TV e fez papéis emblemáticos, Heleninha (Vale Tudo), Mariana (Rainha da Sucata), Pilar (Pedra Sobre Pedra) e claro, Nazaré (Senhora do Destino), uma das mais épicas vilãs da tv.

Anônimo disse...

Que vergonha esse LIXO que passa as 7. E olha que tem um ibope ate razoavel, ou seja, é na globo então tem muita gente que assiste. Se fosse em outra emissora dava traço.

Adriana Helena disse...

Oi querido Sérgio, como vai amigo?
Sou fã incondicional da Renata Sorrah, mas infelizmente ela não está tendo o papel que realmente destaque todo o talento que ela possui! Ela está linda, toda elegante, uma voz maravilhosa e poderia realmente arrasar em um trabalho que fosse à sua altura.
Ainda bem que não assisto à novela das 7,pois ficaria triste por ela!

Você disse tudo e mais um pouco amigo, é uma verdadeira biblioteca sobre todos os acontecimentos televisionados e as melhores obras que se passam na tv!!

Chegando aqui, conhecemos a história pregressa de vários personagens e a comparação com quem o interpreta! Isso é mesmo incrível amigo!
Obrigada!!

Tenha uma ótima semana!
Beijos!!! :)))))

Amanda Ventura disse...

Boa lembrança, Sérgio. Há muitos anos não vemos Renata Sorrah ganhar uma personagem digna de seu talento. Grande atriz, sempre lembrada por Heleninha Roitman e Nazaré Tedesco, seus papéis mais marcantes na tv.

Gustavo Nogueira disse...

Como a comentarista Alexandra disse, o Manoel Carlos queria a Renata Sorrah para interpretar a vilã Marta, porém ela recusou porque havia pouco tempo que interpretou a vilã Nazaré Tedesco em Senhora do Destino.Ela com toda a certeza iria brilhar da mesma forma que a Lilia Cabral brilhou.E achei uma burrice a Renata Sorrah ter recusado o papel, porque a Marta era uma vilã diferente da Nazaré Tedesco, era amarga, ressentida, voltada somente para o drama, enquanto que a Nazaré tinha um toque cômico.Resultado: acabou ficando com um papel de uma juíza que pouco repercutiu nessa novela e que eu pouco me lembro.Logo depois veio a Célia Mara de Duas Caras e concordo essa personagem não mostrou a que veio, ela e a Susana Vieira protagonizavam momentos constrangedores nessa novela(não chegava nem aos pés dos embates ótimos que as duas protagonizavam em Senhora do Destino).E a Danielle Fraser de Fina Estampa foi outra personagem descartável na carreira da Renata Sorrah, Sérgio, apesar do núcleo ser um dos poucos núcleos sérios daquela péssima novela, foi muito mal desenvolvido na minha opinião(foi ridículo a Beatriz querer a guarda da Vitória após assinar um contrato, ela nunca que iria ganhar pelo menos a Vitória da Esther foi a única coisa coerente dessa péssima novela).A sua Leocádia da regular Saramandaia pouco apareceu.Logo depois veio a Gláucia Beatriz da ruim Geração Brasil.Apesar dessa personagem ser muito pouco para o talento da Renata Sorrah, acho a menos pior comparada com essas personagens anteriores, pelo menos ela protagonizou algumas cenas emocionantes e pôde mostrar(ainda que muito pouco) o seu conhecido talento.

Vera Lúcia disse...


Olá Sérgio,

Concordo inteiramente com as suas considerações. Renata Sorrah é uma atriz por excelência e não tem tido sorte ultimamente com os personagens que interpreta. Sem dúvida, ela marcou como Nazaré Tedesco, em "Senhora do Destino". Espero que ela seja presenteada com papéis à altura de seu talento.

Abraço.

Lulu on the Sky disse...

Tb morro de pena. Quem a viu brilhando como Heleninha Roitmann e Nazaré Tedesco, não merece um papel tão chato como essa Glaucia Beatriz
Big beijos

Lulu on the Sky

Elvira Akchourin do Nascimento disse...

Sou fã da Renata Sorrah. As primeiras cenas da personagem em Geração Brasil foram boas, mas concordo que foram perdendo a importância e ela merecia algo bem melhor. Aliás, a novela está bem chatinha.

MARILENE disse...

Sergio, sua abordagem não merece qualquer reparo (rss). Disse tudo. Ela é uma atriz maravilhosa e merece papéis que a permitam mostrar seu talento. Essa última novela é chata e Renata não merecia essa Gláucia Beatriz. Bjs.

Letícia disse...

Boa noite meu caro Sérgio.

Como sempre belo texto. O que acontece com a Renata Sorrah é o mesmo que acontece com muitas atrizes, os autores, dificilmente, conseguem fazer personagens para mulheres acima dos cinquenta, com alguma relevância. Temos um segundo exemplo Regina Duarte, fez aquela novela sem pé nem cabeça intitulada Três Irmãs, até hoje eu não entendo o que a personagem dela estava fazendo ali. O grande problema é saber fazer personagens interessantes para estas atrizes. Não limitá-las ao papel de mãe que aconselha a mocinha da estória, ou avó boazinha. Na mesma novela temos o papel da Aracy Balabanian, a atriz ficou semanas fora do ar, e não fez falta, a culpa, obviamente não é dela já que ficou adoentada e precisou se internar, mas dos autores que não conseguem desenvolver melhor a personagem, agora a colocaram para ser palestrante, mas a novela já está nas suas últimas semanas. E temos várias atrizes nesta faixa etária, mas até que atores. É complicado. Mas pode ser revertido. Temos ótimas atrizes que merecem ter bons papeis, é isso pode até atrair público, é necessário ter a sensibilidade de saber criar personagens com mais de 50 anos que sejam interessantes, que as mulheres desta faixa etária se sinta representada na tela e isso, no atual momento, dificilmente, acontece.
A última novela, por exemplo, da Cristiane Torloni, foi Fina Estampa, faz três anos isso, com certeza, ela é contratada pela Globo e não apareceu nem nada relevante que eu tenha visto. Temos ainda a Nathalia do Vale que fez Em família, mas não acho que seu personagem tenha tido relevância e sua rival na estória, interpretada pela Ângela Vieira fez uma neurótica obcecada pelo ex-marido, vê isso durante uma novela inteira é muito chato.
Enfim, falta bons papeis para estas atrizes e elas tem talento o suficiente para fazer algo bem melhor do que são oferecidos a elas.

Um grande abraço meu caríssimo Sérgio

BIA disse...

Oi Sérgio!

Bem verdadeira sua análise! Renata Sorrah faz os papéis de megera tão convincentes, que deve até ser xingada nas ruas, pior que tem um monte de megeras assim na vida real, ainda bem que ela é só na dramaturgia! Esperamos que ela receba papéis a sua altura!
Boa semana! :)
Bjs

Amanda Ventura disse...

Concordo totalmente com o comentário da Letícia. Faltam bons papéis na tv para atrizes com mais de 50, 60 anos. Mesmo com várias restrições a Aguinaldo Silva, reconheço que ele é um dos poucos autores que criam papéis de destaque para atrizes mais maduras, a exemplo de Lilia Cabral, Susana Vieira, Christiane Torloni, entre outras.

Andressa Mattos M. disse...

Que boa crítica, Sérgio. É lamentável mesmo o que estão fazendo com a Renata. Nem me lembrava que ela tinha feito o remake de Saramandaia e olha que a novela é recente. Depois da Nazaré só veio personagem rui mesmo e essa de Geração Brasil se junta ao time. Preciso citar também a Aracy Balabanian que nessa novela péssima das sete é tratada como figurante e também Zezé Motta e Ana Rosa que são meras figurantes em Boogie Oogie. Como já comentamos aqui uma vez, Walcyr Carrasco e Silvio de Abreu são os poucos autores que valorizam os veteranos. Beijo.

Andressa Mattos M. disse...

Amanda, eu também concordo com a Letícia mas discordo de vc sobre o Aguinaldo. A prova é essa Império. A Drica Moraes está avulsa na trama e a grande vilã prometida não se cumpriu. Lilia Cabral até agora tb não disse a que veio pq como vilã essa Maria Marta é uma bela iniciante. Em Senhora do Destino sim houve valorização da Suzana Vieira e da Renata Sorrah.

Amanda Ventura disse...

Andressa, também acho que as vilãs de Império ficaram só na intenção. Cora principalmente. Mas o que eu quis dizer é que Aguinaldo valoriza atrizes mais velhas, colocando-as como protagonistas de suas novelas. Algumas personagens foram memoráveis, outras não, mas a mulher com mais de 50 é sempre central nas novelas dele, não uma mera coadjuvante.

Fina estampa foi muito ruim, mas as protagonistas eram a Lilia e a Christiane. Em Tieta, Betty Faria e Joana Fomm. Em A Indomada, Eva Wilma. Em Senhora do Destino, Suzana e Renata. Sem esquecer as séries Cinquentinha e Lara com Z. Em Império, Lilia e Drica também são protagonistas, embora ele tenha se perdido totalmente na composição das personagens, talvez querendo repetir o grande sucesso que foi Nazaré, em vão.

Sérgio Santos disse...

Pois é, Milene, um absurdo, né? A juíza tinha tudo pra ser uma boa personagem mas ficou avulsa. bjs

Sérgio Santos disse...

Obrigado, OX. Pois é, depois da Nazaré ela não conseguiu outro bom personagem na televisão. Uma lástima. E é exatamente isso, se o papel pequeno der possibilidades do ator se destacar ok, mas quando não dá não tem como. E concordo, Ana Rosa está subaproveitada em Boogie Oogie. abraços.

Sérgio Santos disse...

Uma pena, anônimo.

Sérgio Santos disse...

Pois é, anônimo, o Wilker depois de ter dado um show com o excelente personagem Coronel Jesuíno em Gabriela, um dos melhores personagens de sua careira, ganhou um perfil que não fez jus ao seu talento em AAV. Já Renata enfrenta isso há anos.

Sérgio Santos disse...

Paulo, a Heleninha tb foi um grande papel, tanto que mencionei, mas a Nazaré tinha muito mais importância, não há como negar.

Sérgio Santos disse...

Obrigado pelo comentário, Ju. bjs

Sérgio Santos disse...

Eu tb pensei, Juliana, mas infelizmente não aconteceu. Mt obrigado pelo elogio. bjs

Sérgio Santos disse...

Felis, a Nazaré Tedesco foi uma vilã maravilhosa e entrou pra história. abçssss

Sérgio Santos disse...

Eu li sobre isso, Alexandra. E a Renata se equivocou em ter recusado a Marta, pq ela nem era vilã, era uma dessas personagens bem controversas de Maneco. Mas com a recusa, bem que ele poderia ter dado a ela outra papel melhor. Em Saramandaia ela servia de escada pro Guizé e tinha poucas cenas relevantes. Agora é péssimo pq a personagem prometia, assim como a novela.

Sérgio Santos disse...

Anônimo, o ibope está péssimo. É pior que Além do Horizonte, que foi um fracasso, mas da metade pro final ficou otima.

Sérgio Santos disse...

Ah, Adriana, muito obrigado pelo seu carinho de sempre. =) Beijão!

Sérgio Santos disse...

Pois é, Amanda, lamentável isso. E Heleninha e Nazaré foram mesmo as melhores personagens dela fácil.

Olha, concordo com vc e Letícia, falta mesmo bons papeis para atores veteranos. Mas tb concordo com Andressa. O Silvio de Abreu e o Walcyr Carrasco sempre valorizam os mais velhos e são exceções. O Aguinaldo tb, é verdade, mas as duas personagens ele ele deu pra Sorrah depois da Nazaré foram péssimas. bjsss

Sérgio Santos disse...

Gustavo, assino embaixo do seu comentário. Tb achei burrice da Renata ter recusado a Marta e pena que todas as personagens dela não tenham feito jus ao seu talento. Concordo que embora fosse a única trama séria, o núcleo da Médica não foi desenvolvido direito em Fina Estampa, assim como a péssima trama de Duas Caras. Agora, em GB, ela continua subaproveitada. Pena. abçs

Sérgio Santos disse...

Tb espero, Vera. Obrigado. ;) bjsss

Sérgio Santos disse...

Pois é, Lulu. bjs

Sérgio Santos disse...

Elvira, chatinha é bondade sua. A novela está péssima há muito tempo. E é uma pena que mais uma vez a Renata esteja desvalorizada. bjssss

Sérgio Santos disse...

Não merecia mesmo, Marilene. E fico feliz que tenha gostado do post. bjs

Sérgio Santos disse...

Excelente comentário, Letícia. Pois é, muitos autores não valorizam os atores mais velhos. E o caso de Aracy é uma reincidência de Filipe Miguez e Izabel de Oliveira, que deram a ela um papel fraco em Cheias de Charme e agora conseguiram dar um ainda pior.

Mas como a Andressa disse, o Walcyr e o Silvio de Abreu são autores que valorizam. Citando exemplos recentes, em Guerra dos Sexos Irena Ravache e Tony Ramos protagonizaram, enquanto que em AAV, Fagundes, Susana Vieira, Ary Fontoura e Nathalia Timberg brilharam.

Só que vc tem razão. Sobre a Torloni, é vdd, mas ainda bem que ela volta em Alto Astral, próxima das sete. Beijão e ótima semana.

Sérgio Santos disse...

Vamos torcer, Bia. bjssss

Sérgio Santos disse...

Obrigado, Andressa. Pois é, o Walcyr e o Silvio sempre valorizam os veteranos, menos mal. Pena que nem todos sejam assim. E vc fez mt bem em citar tb a Aracy, que ganhou uma personagem péssima nessa novela. Boa menção tb a Zeze Motta e Ana Rosa em Boogie Oogie. Bjsss

Maxxi disse...

Sou apaixonado pelo talento da Renatinha Sorrah e espero mesmo que ela consiga reverter tal situação em seus papeis futuros... Nazaré Tedesco com certeza foi um marco em sua carreira, o mesmo não posso dizer de Heleninha pq não vi a novela nem sequer na sua reexibição no Viva.

Mas seu insucesso também concordo que seja pela dificuldade de encontrarmos bons papeis para o pessoal dessa faixa. Susana Vieira, após Maria do Carmo, também não teve a mesma sorte. Regina Duarte, após Páginas da Vida, também. Ainda tem atores em situação pior: Francisco Cuoco que nem parece um ator consagrado. Betty Faria (se bem que está legalem Boogie Oogie). Enfim, espero que me responda...

Sérgio Santos disse...

Maxxi, discordo de vc sobre Regina e Susana. Regina deu um show como Clô Haylla em O Astro e Susana se destacou como a Pilar em Amor à Vida. Considero o caso da Sorrah infinitamente pior por tudo o que mencionei no texto. A Betty Faria estava mesmo precisando de um bom papel há tempos. O Cuoco tb. Abraços.

Uma Interessante Vida disse...

Realmente ela é uma excelente atriz... pena não está sendo bem aproveitada. bjs

Sérgio Santos disse...

Pois é, Barbie, uma lástima. bjs

Sérgio Santos disse...
Este comentário foi removido pelo autor.