quarta-feira, 15 de outubro de 2014

"Alma Gêmea": um fenômeno do horário das seis

Escrita por Walcyr Carrasco, "Alma Gêmea" foi uma das melhores novelas do autor e um dos maiores fenômenos de audiência do horário das seis. A trama chegou a marcar impressionantes 52 pontos, índice inimaginável na época, e impossível de ser alcançado hoje em dia até mesmo em uma novela de horário nobre. A história de época que tinha a reencarnação como tema central conquistou o público e foi um grande sucesso.


Logo no primeiro capítulo (exibido no dia 20 de junho de 2005), Luna (Liliana Castro), grande amor da vida do floricultor Rafael (Eduardo Moscovis) ---- que criou uma espécie de rosa branca especialmente para a amada ----, leva um tiro durante um assalto (planejado pela invejosa Cristina para ficar com as joias da prima) e morre, para o desespero do florista e da mãe (Agnes - Elizabeth Savalla) da pianista. Mas o sentimento que unia o casal era tão intenso, que a mulher voltou na pele de uma índia (Serena - Priscila Fantin), para reencontrar o amor de sua vida.

Vinte anos se passam, e aquela criança, que nasceu em uma aldeia indígena, vira uma bela mulher. Já Rafael segue amargurado com a vida e infeliz sem Luna ----- apesar de ser constantemente cortejado por Cristina (Flávia Alessandra) ----- e se fecha em seu mundo de sofrimento e solidão, mesmo tendo um filho (Felipe - Sidney Sampaio) com sua falecida mulher.
O mocinho só volta a ter brilho nos olhos quando encontra Serena, que chega a São Paulo em busca de explicações para as visões que tem de uma rosa branca.

A bela história conduziu a novela, que tinha uma das melhores duplas de vilãs da teledramaturgia: Cristina e Débora. Flávia Alessandra e Ana Lucia Torre brilharam absolutas interpretando mãe e filha diabólicas, que faziam de tudo para afastar Serena de Rafael e colocar o mocinho nos braços da prima de Luna, para ficar com a fortuna do floricultor. A dupla, provavelmente, em meio ao trágico período do politicamente correto que reina na televisão, não realizaria nem metade de suas maldades caso a novela fosse exibida atualmente. Foram muitas cenas fortes e todas brilhantemente interpretadas.

Pode-se dizer, sem exagero, que Cristina e Débora foram os melhores papéis de Flávia Alessandra e Ana Lucia Torre em suas respectivas carreiras. Mas além delas, muitos outros atores se destacaram. Aliás, o elenco era grandioso. Eduardo Moscovis, por exemplo, fez um grande protagonista e emocionou com seu Rafael. Pena que esta tenha sido a última novela do ator ----  que protagonizou a série "Questão de Família", no GNT, recentemente ----, que preferiu investir mais em projetos curtos.

Elizabeth Savalla, em mais uma parceria com Walcyr Carrasco, interpretou com maestria a elegante, cética e amargurada Agnes, que demorou meses para acreditar que Serena era a reencarnação de sua filha Luna. Walderez de Barros emocionou com sua Adelaide e fez um belo par com Umberto Magnani (Elias, seu amor do passado). Drica Moraes e Malvino Salvador fizeram um dos melhores casais da trama e divertiram interpretando os impulsivos Olívia, uma perua falida, e Vitório, um cozinheiro de pavio curto.

O núcleo cômico dos caipiras foi um show à parte. Fernanda Souza virou um dos grandes destaques com sua encalhada Mirna, enquanto que Emilio Orciollo Neto divertiu com seu ciumento Crispim, cujo bordão "Ô MIIIIIIIIIIIRNAAAAAA!" caiu na boca do povo. O veterano Emiliano Queiroz (Tio Bernardo) completava o trio e engrandecia a história. Outra peculiaridade desta trama era a atitude tomada por Crispim para defender sua irmã que vivia atrás de um marido: jogar todos os pretendentes em um chiqueiro. O número de vítimas enlameadas foi incalculável. Ainda tinha a pata Doralice, companheira da solteirona, honrando a 'cota animal' presente em toda novela do autor.

A Pensão da Divina (Neusa Maria Faro, em seu melhor papel da carreira) era mais uma qualidade da novela. Também responsável pela comicidade da história, a casa abrigava um bando de gente, onde um falava em cima do outro o tempo todo (muito antes da ótima Família Tufão, de "Avenida Brasil"), cujo principal 'conflito' era a tradicional guerra entre genro e sogra. Fúlvio Stefanini (Osvaldo), Nicette Bruno (Ofélia) e Neusa formaram uma trinca perfeita e o bordão de Divina foi outro sucesso da trama: "Osvaaaaaldo, não fale assim com a mamãe!". Além deles, vale destacar também Fernanda Machado (Dalila, filha de Osvaldo e Divina, irmã de Vitório), Andrea Avancini (Terezinha), Lady Francisco (Generosa), Mariah da Penha (Clarice) e Ronnie Marruda (Abílio), que também faziam parte do núcleo.

A trama envolvendo Alexandra (Nivea Stelmann) também foi atrativa. A personagem era tratada como louca, mas na verdade via espíritos e não sabia lidar com isso. Rosane Gofman interpretava muito bem a enfermeira Nair, que cuidava da mulher, cujos surtos assustavam. Citando mais alguns atores e personagens que se destacaram, estão o marginal Guto (Alexandre Barillari), o mordomo Eurico (Ernesto Piccolo), a empregada Zulmira (Carla Daniel), o motorista Ciro (Michel Bercovitch), a sedutora Kátia (Rita Guedes), o Dr. Julian (Felipe Camargo), o sapeca Carlito (Renan Ribeiro), o menino de rua Terê (David Lucas) e a irmã de Rafael, Vera (Bia Seidl).

A reta final da trama foi repleta de cenas marcantes, incluindo a morte de Débora, que se intoxicou com o próprio veneno, cujo objetivo era matar Rafael, antes de ter os copos trocados pelo mordomo. A morte de Cristina, sendo levada pelo diabo para dentro do espelho, enquanto a mansão pegava fogo, foi outro grande momento. E, claro, o final do casal protagonista, que faleceu, indo curtir a paz e a felicidade em outro plano, longe de toda a cobiça que os cercava, fechou a história com chave de ouro, que após uma passagem de tempo de 15 anos, reuniu os personagens que continuaram vivos para o lançamento de um livro (escrito por Terê) contando esta bela história de amor de um menino chamado Rafael com uma menina chamada Serena.

Com 227 capítulos (a trama foi esticada devido ao êxito na audiência), "Alma Gêmea" foi um imenso sucesso de Walcyr Carrasco ----- repetindo o êxito quando foi reprisada no "Vale a Pena Ver de Novo" ----- e até hoje é lembrada pelo público, que foi arrebatado por esta história de época que mesclou drama, comédia, reencarnação e espiritismo com muita competência.

66 comentários:

✿ chica disse...

Foi mesmo muito legal essa novelinha ,.leve e tranquila...Lembro bem a música que é daquelas que cola!!rs abraços,chica

Anônimo disse...

Adorando cada vez mais estas suas retrospectivas! Essa novela foi um sucesso estrondoso e foi a melhor do Walcyr na minha opinião. Débora e Cristina eram mais diabólicas que vilãs do horário nobre. Vilãs que hoje em dia nada fazem....

Ana Carolina disse...

Sérgio, até hoje me lembro dessa novela e foi um estouro mesmo. Parou o país e teve mais repercussão que a novela do horário nobre. Cristina e Débora eram adoravelmente demoníacas, a história da reencarnação era linda e a pensão da Divina uma diversão assim como a fazenda da Mirna e do Crispim. Saudade boa.

Felisberto Junior disse...

Olá,Boa noite, Sérgio
...são tantas telenovelas, que pouco me lembrava de Alma Gêmea,que foi, realmente, um grande sucesso de Walcyr Carrasco . Nessa época, 2005, namo uma "telenoveleira" e tinha que assistir junto,\lol/...Mas, me lembrei dos bordões "Ô MIIIIIIIIIIIRNAAAAAA e Osvaaaaaldo, não fale assim com a mamãe!".Creio que foi a única vez que me rendi à atuação do Eduardo Moscovis,que esteve muito bem , tal como a Elizabeth Savalla...
Bela análise-retrospectiva, obrigado pelo carinho,bela continuação da semana,abraços!

Vitor disse...

Sérgio, amei essa novela. 2005 valeu demais. Sdds daquela época. Eu tinha 11 anos e não perdia um dia

pedro disse...

Realmente uma ótima novela. Apenas um adendo: Du Moscovis fez Duas Caras, novela que veio depois de Alma Gêmea. Parabéns pelo site e pelas críticas, gosto muito delas e concordo com suas opiniões!

Alexandra disse...

Olá Sérgio. Amo Alma Gêmea mesmo, a melhor novela do autor, em seguida vem O Cravo e a Rosa e Chocolate com Pimenta. Flávia Alessandra esteve impecável e sem dúvidas a Cristina foi o melhor papel de sua carreira, assim como Ana Lúcia Torre que arrasou como a ótima Débora. A cena de sua respectivas mortes foram antológicas e as melhores sequências. Alma Gêmea foi esticada e ficou muito grande, mas em nenhum momento sofreu de marasmo ou falta de acontecimentos. O elenco esteve muito bom com grandes destaques para, além de Flavia e Ana Lucia, a Eduardo Moscovis, Elizabeth Savalla, David Lucas, Nivea Stelmann, Drica Moraes, entre outros. Uma grande novela mesmo e aguardo a re-reprise, rs.

Letícia disse...

Boa noite meu caro Sérgio,

Tudo bem? Estava viajando e não deu para ler os posts anteriores, depois faço isso, onde estava a internet não ajudava muito. Meu caro lá se vão nove anos desta a estreia de Alma Gêmea, como o tempo passa rápido. Lembro-me que minha mãe adorava assistir esta novela, eu assistia, mas não era tão assídua com ela. Foi uma novela bonita mesmo e o Walcyr estava inspirado, vinda de outro grande trabalho, Chocolate com Pimenta (Não me lembro se teve outro trabalho neste meio tempo), enfim, uma história muito bonita, que falava de um amor além da vida. A premissa foi interessante, usada em A viagem com sucesso uma década antes. Definitivamente o autor gosta do tema e sempre que pode o usa em seus trabalho, seu último Amor à vida tinha a personagem Nicole que morrida e viva a "assombrar" o personagem do Thales. Eu li um livro dele que também trata deste assunto: Juntos para sempre.
Esta foi a última novela do Eduardo Moscovis que praticamente emendou com Senhora do Destino, fez bem o papel de solitário apaixonado. Não sou fã da Priscila Fantin, acredito que foi escolhida pela beleza mesmo, achei sua personagem artificial, colocar logo a moça para fazer um índia, talvez se tivessem escolhido uma atriz que tivesse o biotipo mais parecido ao indígena, talvez fosse um pouco mais convincente. Já a personagem Cristina da Flávia Alessandra foi um bela vilã e ainda tendo a aprovação da mãe, Ana Lúcia Torres perfeita, para as maldades que praticava, no início a personagem abusava do vermelho e depois do roxo no seu figurino que era o contraponto para os figurinos simples e de tons pasteis de Serena e o branco de Luna.
A parte cômica era uma delícia e a Fernanda de Sousa brilhou como Mirna, como escreveu tão bem o núcleo foi ótimo e soube manter o humor e criando situações engraçadas.
A paixão doentia de Cristina pelo floricultor e pelo sua fortuna rendeu momentos excelentes ao ponto de vender a sua alma e ser carregada no final pelo diabo. O final com a morte da Serena e o Rafael me surpreendeu na época, afinal de contas, os protagonistas morriam quase no mesmo momento e se reencontram, nos dias atuais e crianças, não foi um final que tenha gostado, mas foi diferente, por exemplo, em A viagem, os protagonistas também morrem, porém foi durante a estória e em momentos distintos.
No geral foi um belo trabalho do Walcyr, nove anos, definitivamente estou ficando velha, ou será que o tempo passa muito rápido? kkkk.
Eu não sabia desta audiência que chegou a 52 é muito mesmo e quase inalcançável nos dias atuais para qualquer produção.

Pois é meu caríssimo Sérgio, estava com saudades.. Um abraço e até a próxima.

Gustavo Nogueira disse...

Sérgio, eu simplesmente amei essa novela.Considero a melhor novela do Walcyr Carrasco, de tão ótima e marcante que foi.Priscila Fantin esteve muito bem como Serena, apesar da sua mocinha ter sido irritante ao extremo, vomitando frases de autoajuda o tempo todo(igual a Pérola de Joia Rara rs).Eduardo Moscovis também esteve muito bem como o sofrido Rafael e ele e a Priscila tinham uma boa química e história.Concordo em relação a Flávia Alessandra e Ana Lúcia Torre.Flávia Alessandra esteve ótima como Cristina e foi a sua melhor personagem da sua carreira de longe e também seu melhor desempenho nas novelas.Sua vilã Cristina era má, perversa, obcessiva, ou seja uma vilã muito bem construída.Também foi a melhor personagem da Ana Lúcia Torre, sua Débora era praticamente uma professora da Cristina no quesito ambição e maldades.Flávia e Ana formaram uma ótima dupla de vilãs.Também gostava muito do núcleo da pensão da Divina, todos os atores desse núcleo estiveram muito bem, tanto a Nicette Bruno, Neusa Maria Faro, Fúlvio Stefanini, Fernanda Machado, Tammy Calafiori, incluindo o péssimo Erik Marmo, foi a única novela em que ele não comprometeu na atuação.Drica Moraes e Malvino Salvador formaram um ótimo e divertido casal e estiveram muito bem, principalmente a Drica.O núcleo da roça era outro acerto, com bons desempenhos de Fernanda Souza, Emilio Orciollo Netto e Emiliano Queiroz.Elizabeth Savalla(ótima tanto na comédia quanto no drama), Walderez de Barros, Liliana Castro, David Lucas, Carla Daniel e Nívea Stelman também merecem elogios por suas atuações.Foi ótimo relembrar a essa ótima novela, Sérgio.

Anônimo disse...

Nunca assisti essa novela, nem sei do que se trata. Mas com Priscila Fantim, Flavia Alessandra, texto de Walcyr Carrasco imagino a bela merda que foi.

Smareis disse...

Olá Sérgio!

Estive ausente por alguns meses por isso a demora em aparecer por aqui.
Eu assisti alguns capítulos de alma Gêmea, achei a novela bem legal.
O Crispim era muito comédia risoss, os pretendente ser jogado no chiqueiro era demais. Foi uma novela que deve ter abocanhado alguns pontos no ibope. Realmente vc relatou muito bem essa novela. Parabéns.


Beijos!

MARILENE disse...

Sergio, é muito bom recordar novelas que nos marcaram Alguns detalhes a memória esconde (rss) e quando você faz uma postagem sobre elas vou me lembrando de tudo, enquanto a leio.
Essa mereceu o sucesso que teve, em todos os sentidos, pois até o lado cômico agradou. Interpretações, de fato, inesqueciveis. Bjs.

Anônimo disse...

Essa foi ruinzinha mas pelo menos teve bom ibope mas aquela tal de beijo do vampiro foi flop mesmo, kkkkkk.

juliana s disse...

Sérgio, não sou muito fã desses temas de reencarnação, mas essa novela foi muito boa, eu gostei desde o primeiro capítulo. História bem contada, tinha drama, romance,humor etc. A Cristina e a mãe dela eram perversas, mas isso que é bom em uma trama.
Como vc disse, hoje em dia período do politicamente correto é uma droga, parece que cada dia que passa quer proibir tudo? As novelas que são reprisadas dá raiva assistir, eles cortam as melhores cenas.
E eu adoro novela de época, e as novelas de Walcyr Carrasco são ótimas. como esquecer de O cravo e a rosa e chocolate com pimenta. bjos

BIA disse...

Bela retrospectiva Sérgio! Sempre bom ler sua inteligente avaliação!
Bom dia! :)

Bjs

Anônimo disse...

Como disse a Juliana, também não sou fã de tema de reencarnação (como as novelas de Elizabeth Jhin), mas gostei demais de Alma Gêmea. Junto com O Cravo e a Rosa, Chocolate com Pimenta e A Padroeira (embora esta não tenha feito sucesso), para mim são as melhores novelas de Walcyr Carrasco na Globo. Caras e Bocas não acompanhei, mas só ouvi elogios. Fora da Globo destaco, entre as novelas de Walcyr, Xica da Silva, da extinta tv Manchete.

Amanda Ventura disse...

Como disse a Juliana, também não sou fã de novelas com tema de reencarnação (como as de Elizabeth Jhin), mas gostei demais de Alma Gêmea. Junto com O Cravo e a Rosa, Chocolate com Pimenta e A Padroeira (embora esta não tenha feito tanto sucesso), para mim são as melhores novelas de Walcyr Carrasco na Globo. Caras e Bocas não acompanhei, mas só ouvi elogios. Fora da Globo destaco, entre as novelas de Walcyr, Xica da Silva, da extinta tv Manchete

Melina disse...

Sérgio, querido, adorei recordar. Muitos dizem que a melhor novela do Walcyr foi O Cravo e a Rosa e concordo que era ótima, mas Alma Gêmea foi a melhor dele pra mim. Débora e Cristina foram as melhores vilãs das 18h junto com a Raquel de Mulheres de Areia. A Miiiiiiiiiiiiirna era hilária e a pensão da Divina também. Boa lembrança a sua, lá um falava em cima do outro muito antes de Avenida Brasil que não inventou a roda.

Só odiava a Serena, mocinha chata e pedante. Mas de resto amava tudo. Muito boa sua postagem. E falando em Walcyr, que saudade de Amor à Vida. A última novela do horário nobre que fez sucesso e era boa de verdade. Um beijo.

Vitor disse...

Fico rindo dessas pessoas que nunca viram Alma Gêmea e falando que é ruim só por que é dos anos 2000. Gente medíocre mesmo! Deve até votar no Marco Feliciano, já que é ''saudosista'' né. Uma pena para a sociedade

Vera Lúcia disse...


Bela retrospectiva, Sérgio.
Gostei demais dessa novela e foi bom relembrá-la através de seu excelente artigo crítico. Já havia me esquecido de alguns detalhes, que nunca lhe passam despercebidos.

Beijo.

Anônimo disse...

Nada a ver dizer que quem não gosta dessa novela é porque é saudosista. Eu gostei de novelas que foram produzidas recentemente mas o Walcyr Carrasco não dá mesmo. Suas novelas são pobres, seu texto é ruim demais e aquelas situações de pastelão mexicano que ele enfia nas cenas não descem mesmo. A única coisa boa dessa novela era a musica da abertura, que alias é antiga, kkk.

Lulu on the Sky disse...

Olá, Sérgio
Essa novela era muito gostosa de ver.

Big beijos

Lulu on the Sky

Cristóvão disse...

essa novela foi uma das piores exibidas no horário das 6. Texto cafona e exagerado do walcir carrasco e atuaçoes exageradas de todo o elenco. Flávia Alessandra esteve vários tons acima como cristina e nao convenceu em nenhum momento dessa novelinha mequetrefe,priscila fantin a mesma canastrona de sempre,du moscovis exagerou na cara de sofrimento do rafael e ana lucia torre com a mesma atuacao de sempre ninguem convenceu.

Adamastor disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Elvira Akchourin do Nascimento disse...

Sergio, achei Alma Gêmea uma das melhores novelas do Walcyr Carrasco: trama, produção, elenco, trilha sonora. Deixou saudades.

Anônimo disse...

Os haters do Walcyr são mais chatos que petistas puxa-saco de Dilma.

Vitor disse...

Ana Lúcia Torre com a mesma atuação de sempre? Kkkkkkkkkkkkk. Você deve gostar dos atores da Record né

Vitor disse...

Foi tão ruim que deu 39, né Cristóvão. Desde História de Amor não tinha uma audiência de mais de 50 pontos no último capítulo. Mas pra vocês, saudosistas rancorosos e reacionários, sucesso são as novelas da Record que dão 10 né rsrsrsrs

Sérgio Santos disse...

Foi mt boa, Chica. bjssss

Sérgio Santos disse...

Tb acho que foi a melhor do Walcyr, anônimo. E que bom que está gostando das retrospectivas. Pois é, Cristina e Débora foram vilãs épicas e muito mais atuantes do que muita de horário nobre hj em dia...

Sérgio Santos disse...

Saudade boa, Ana! bj

Sérgio Santos disse...

Sua namorava te obrigava a ver, Felis? Então ela fez um boa atitude pq essa novela foi excelente. rs Os bordões caíram na boca do povo! abração!

Sérgio Santos disse...

Vitor, foi uma novela sensacional! Boa mesmo! Novelão!

Sérgio Santos disse...

Pedro, acho que vc se equivocou. O Moscovis fez Senhora do Destino que veio antes de Alma Gêmea. Ele nao fez Duas Caras. abçsss

Sérgio Santos disse...

Olá minha cara Letícia. Saudade de vc. Pois é, estamos ficando velhos. rs E onde eu assino? Concordo com tudo e eu era assíduo que nem sua mãe. O Walcyr não fez nenhum outro trabalho nesse intervalo não, emendo Chocolate com Pimenta com Alma Gêmea mesmo. Dois novelões.

Toda a trama foi mt bem amarrada, tinha drama, comédia, vilania, enfim tudo. Tb não gostei da Serena e era uma mocinha insuportável, que pregava a bondade ezzzzzzzzzz. Priscila não é uma grande atriz, mas melhorou ao longo da novela. Começou mal mas terminou melhor. A morte do casal foi surpreendente mesmo e diferente. Enfim, foi mt boa. bjs e bom fim de semana.

Sérgio Santos disse...

Alexandra, tb achei esse trio de novelas do Walcyr excelente com uma vantagem pra Alma Gêmea. Não tinha enrolação mesmo e foi impecável. Se reprisar novamente não acharei ruim não.

Sérgio Santos disse...

Idem, Gustavo. E concordo com todo o seu comentário. E a Pérola devia ser a filha perdida da Serena, duas malas dos infernos. rs Mas Priscila e Eduardo tiveram química mesmo e a dupla de víboras foi fantástica. Enfim, todos os núcleos foram muito bons, assim como o elenco, que era primoroso. Tb achei o Erik Marmo bem, embora seja um ator mt ruim. Abração!

Sérgio Santos disse...

Smareis, estava com saudades de vc. Bem vinda de volta. bjs

Sérgio Santos disse...

Foi mt boa, né, Marilene? Que bom que gostou de relembrar. bjsssss

Sérgio Santos disse...

Juliana, hoje em dia metade das cenas de Alma Gemea seriam cortadas facilmente. Tinha cenas sensuais da Cristina com o motorista, assassinatos, vilanias pesadas, enfim, atualmente não deixariam. E foi um novelão mesmo. Bjsssss

Sérgio Santos disse...

Obrigado, Bia. bjs

Sérgio Santos disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Sérgio Santos disse...

Melina, apesar de ter amado O Cravo e a Rosa, tb acho Alma Gemea a melhor. Como foi boa aquela novela! E é verdade, como faz falta Amor à Vida. Foi a última novela que fez sucesso e foi ótima. bjssss

Sérgio Santos disse...

Amanda, tb não sou mt fã desse estilo com a Elizabeth Jhin pq acho que ela peca pela cafonice. Mas fui fã de Alma Gemea e de todas essas citadas por vc. Xica da Silva vi algumas cenas, mas não acompanhei A Padroeira então não posso opinar. Caras e Bocas foi excelente tb.Bjssss

Sérgio Santos disse...

Mt obrigado, Vera. bjão!!!!!!!

Sérgio Santos disse...

Mas todas fazem sucesso, anônimo, fazer o que... Pelo menos da audiência vc não tem como falar mal.

Sérgio Santos disse...

Era mesmo, Lulu. bj

Sérgio Santos disse...

Cristóvão, discordo de absolutamente tudo o que vc falou, principalmente da atuação da Ana Lucia Torre, que é maravilhosa.

Sérgio Santos disse...

Eu tb, Elvira. Deixou muitas saudades. bjsssss

Sérgio Santos disse...

hahahaha, eu ri, anônimo.

Sérgio Santos disse...

Vitor, a Ana Lucia Torre é espetacular! E Débora foi sua melhor personagem e quando ela teve mais destaque. Merecidamente. abçs

Maíra disse...

Nossa Sérgio que boa lembrança eu adoro essa novela. É minha favorita. Cristina foi espetacular e Flávia Alessandra viveu sem dúvida o melhor momento de sua carreira. E como você citou sobre a classificação indicativa, aproveito pra compartilhar dessa visão, me impressiona como com o passar dos anos ao invés de haver uma evolução ocorre o contrario, hoje acredito, as pessoas estão mais evoluídas, mas na TV acorre o inverso. Antes a novelas tinham mais liberdade, hoje qualquer coisinha vista como pesada já sofre duros cortes, não pode nem citar uma arma na faixa das 19h que o MP já fica de cabelo em pé. Eu não sou a favor do liberar geral, mas sou do bom senso.

Lucas disse...

Na boa, me impressiono com quanta porcaria tem na tv, esse programinha é mais uma. De amor não tem nada e sexo já temos o bastante em toda a tv pow! Ainda se fosse uma abordagem séria e com um propósito além futilidades e superficialidade. E quanto a grande apresentadora alardeada pelo autor, na minha opinião é só mais um rostinho bonito, que faz o que a é mandada, não questiona, não traz nada de novo ou que agregue. Poxa, precisamos de programação de qualidade, entrevistas sérias, documentários, programas educativos e entretenimento sem apelação, mas se tratando de tv aberta é impossível, e enquanto tiver gente classificando esse tipo de programinha como ótimos, não teremos nada melhor...

Sérgio Santos disse...

Que involução, né Maíra? Hoje em dia novelas como Alma Gêmea, Anjo Mau, Mulheres de Areia e afins seriam facilmente cortadas. Não dá pra entender esse absurdo. E Alma Gêmea foi um novelão mesmo e tb fui fã. Flávia e Ana brilharam mt e a dupla de vilãs foi épica. Saudades. bjs

Sérgio Santos disse...

Lucas, vc comentou no post errado, mas ok. Eu acho que o A&S não tem o intuito de ser didático e sim de divertir. E pra mim funciona. Não acho apelativo, acho mt bom e a Fernanda é uma excelente apresentadora. Mas se vc não gosta, ok.

Thallys Bruno Almeida disse...

A Serena, aí sim, era realmente uma mocinha chata, assim como a outra da Malhação passada. Ela sim era intolerável, passiva, idiota, tonta, ao contrário das outras duas que vc fala (mas vc mesmo reconhece que uma cresceu ao decorrer da trama, a outra também terá uma reviravolta). De resto a novela foi perfeita mesmo

Ah, saudades deste Walcyr Carrasco. O Walcyr que se preocupava em fazer tramas atraentes, que durou até o fim de Caras e Bocas.

Thallys Bruno Almeida disse...

Errata: o primeiro parágrafo é só até "idiota, passiva, tonta". Não quero mais discutir por isso.

Thallys Bruno Almeida disse...

Mas tem uma coisa que eu quero tratar sim, em definitivo.

Essa sua obsessão por "ah, mas quem elogia isso não tem moral pra criticar o Walcyr" "depois falam do Walcyr", olha, sei que vc o tem como um de seus favoritos mas isso me cansa demais. Profundamente. Vc fala como se ele não pudesse ser um autor suscetível a críticas, como se todos nós tivéssemos sempre que elogiá-lo pela audiência que traz e colocá-lo em um pedestal como você faz. E se eu vou criticá-lo em qualquer coisa que seja, sou chamado de "contradição em pessoa". Só porque não concordo. Ora, se eu for seguir essa sua linha de coerência, ou eu gosto de tudo, ou eu não gosto de nada. E nenhuma das duas coisas é possível. Vc tem gosto pessoal, claro, mas eu também tenho! E não quero nem vou modificá-lo só porque "é coerente" aos olhos dos outros não!

O que eu critico no Walcyr é a falta de humildade que ele tomou em sua estreia no horário nobre. Ele fez as MESMAS coisas que a Glória Perez fez com Salve Jorge: retuitou bajuladores, não soube lidar com críticas, bloqueou pessoas que nem sequer o tivessem sequer mencionado só por criticarem a trama... E vc só criticou a Glória, o Walcyr fez as mesmas coisas e vc não falou nada! Ela pelo menos teve a hombridade de se arrepender e desbloquear alguns (eu tb tomei block da Glória e depois tb fui desbloqueado), ele eu já não sei. Isso não anula o currículo de sucessos que ele teve, como AG, Cravo, Caras, Chocolate, mas ele perdeu pontos comigo por causa desse tipo de atitude. Se vc acha isso "compreensível" só porque ele traz boa audiência, lamento. Eu não valorizo isso. E ñ é pq outros autores sejam "simpáticos" não, vide o Aguinaldo que sempre dá um jeito de se valorizar (vide a última pérola dele de que a novela fracassa pq "é boa demais").

E quanto a "texto do Walcyr", até onde eu sei, não critiquei o texto de Gabriela, adaptada pelo mesmo autor. Nem o de M&A, que era bobinha. O de AAV sim porque pra mim se tornou uma desgraça. Eu não tenho como aplaudir aquilo. Se o Walcyr acertar em cheio na próxima novela dele às 23h e se preocupar em fazer uma novela realmente boa, terá novamente o meu aplauso. Só não concordo que ele seja colocado como um deus da teledramaturgia brasileira só pq traz boa audiência. Pq não é. Ninguém é.

Anônimo disse...

Fala serio galera! Brigar por causa de novela???? Fãs de Walcyr versus haters de Walcyr... Quanta bobagem! Quanta falta do que fazer!

Anônimo disse...

AHHH NÃO, ESSE THALYS VOLTOU!!!!!!!!!!! QUE MERDA!

Anônimo disse...

Sérgio rei. <3

Sérgio Santos disse...

Desculpa, Thalllys, mas quando eu falo "depois criticam o Walcyr" é pra mostrar a clara perseguição que alguns têm por ele. Não por ele não poder ser criticado. Mas se acontece uma situação X na novela do Walcyr e criticam pq não fazem o msm qd surge exatamente a mesma situação X em outra novela? Isso pra mim é hipocrisia e falo com gosto.

Falo de contradição da sua parte simplesmente pq vc msm se contradiz. Criticou Amor à Vida várfias vezes usando o argumento do autor ser arrogante. O que isso tem a ver? Vc mesmo me fez essa pergunta qd falei do Gilberto Braga. Não tem nada a ver. E vc tb usava como base pro seu argumento a crítica que detestava a novela. Primeiro, que não eram todos os críticos, segundo que agora a novela criticada da vez é Boogie Oogie. E aí? Isso significa que ela seja ruim? Cabe a cada um concordar com o que é dito ou não.

E o Walcyr se estressou várias vezes msm e eu não falei nada pq paciência tem limite. Ele antes ficava quieto mas tem horas que enche. Até pq muitas das críticas eram por mera implicância.

Agora, Vc falar que não tolera arrogância etc etc etc e colocar Gilberto Braga num pedestal te deixa em contradição. Afinal, só pazra citar alguns exemplos, ele já foi extremamente grosseiro com seus colegas de trabalho e ainda foi estúpido com o seu próprio elenco. Onde já se viu criticar publicamente Sonia Braga, Cláudia Abreu e Alessandra Negrini. Mas isso afeta a qualidade de seu trabalho? Claro que não, afinal, o fato dele calado ser um poeta, em nada interfere nas suas novelas.

E vc nunca criticou o texto do Walcyr. Vc passou a criticar depois que entrou pro Twitter e viu os haters do autor em ação.

Sérgio Santos disse...

É uma bobagem msm brigar por causa de novela, anônimo.

Sérgio Santos disse...

Obrigado, anônimo.

Oathkeeper disse...

Embora flerte com o misticismo, a novela não esqueceu a comédia, o campo e os conflitos familiares, tão característicos das novelas com estilo caipira. Além de ser de maneira bem interativa com a vida real, nada fantasiosa como água e açúcar.

Worm Tail disse...

Alma Gemea foi um novelao e um dos melhores do Walcyr mesmo. Eu sou um que estou na espera que a Globo Marcas um dia lance o box de dvd oficial dela, junto com os box de Cravo e a Rosa e Chocolate com Pimenta.