quarta-feira, 7 de novembro de 2012

Silvio de Abreu erra ao não inserir novas histórias em Guerra dos Sexos

Com pouco mais de 30 capítulos no ar, o remake escrito por Silvio de Abreu não está agradando. As críticas são constantes e a audiência não tem correspondido --- embora todas as novelas estejam enfrentando dificuldades no ibope. Muitos responsabilizam a temática ultrapassada da trama para justificar a rejeição, mas a verdade é que esse nunca foi o problema.


O eterno embate entre homens e mulheres não ficará cansativo tão cedo, uma vez que ainda está presente em nossa sociedade. Basta perguntar aos homens o que eles acham das mulheres ao volante, ou o que as mulheres acham dos homens tentando fazer várias coisas ao mesmo tempo, por exemplo. O assunto ainda rende muito. Os erros do remake são outros e passam longe do tema central --- que aliás, é o único que mostra essa guerra entre homens e mulheres, tendo Otávio e Charlô como protagonistas.

Todos os telespectadores que viram a primeira versão de "Guerra dos Sexos" constatam que Silvio de Abreu está praticamente escrevendo os mesmos diálogos e as mesmas cenas, sem mudar nada. São poucas as alterações. E é justamente aí que está o erro. Histórias que fizeram sucesso anos atrás, muitas vezes não apresentam o mesmo fôlego para os dias de hoje e precisam ser
adaptadas, ou então misturadas com outros temas, sem precisar necessariamente perder a essência.

Talvez o remake de "Ti ti ti" (de Cassiano Gabus Mendes) não fosse tão bem-sucedido se Maria Adelaide Amaral tivesse levado ao ar uma obra fielmente baseada na versão original. Mas a autora foi sábia e mesclou a trama central de "Ti ti ti" com personagens presentes em "Plumas e Paetês" e "Elas por Elas", todas novelas de Cassiano. Acabou tanto um ar de renovação, sem desqualificar a adaptação, que agradou o público. Já Silvio de Abreu optou justamente pelo oposto.

"Guerra dos Sexos" não apresenta muitas histórias para o telespectador se envolver. As única tramas que apresentam algum conteúdo são: a da Roberta Leone (Glória Pires) --- que está sendo enganada pela secretária, ao mesmo tempo que se apaixona por um rapaz bem mais novo (Nando -Reynaldo Gianecchini) ---, a da Manoela (Guilhermina Guinle) que é uma mulher ciumenta e neurótica, e a da Carolina (Bianca Bin), uma menina que não mede esforços para subir na vida. Tirando essas situações, há apenas personagens jogando conversa fora, sofrendo por causa de namoricos ou comentando justamente sobre os núcleos já citados. Seria de vital importância que Silvio inserisse outras tramas para despertar o interesse do telespectador, ou ao menos alterasse alguns núcleos, os deixando com mais acontecimentos.

A direção de Jorge Fernando é vista como outro motivo para a rejeição do remake. Apesar do diretor ter errado ao deixar vários atores exagerarem nos trejeitos, caso de Edson Celulari, não se pode dizer que a direção esteja ruim. As tomadas de cenas estão ótimas e foi um acerto dar o tom de desenho animado para Tony Ramos (Otávio), Marilu Bueno (Olívia) e Irene Ravache (Charlô), por exemplo. As sequências protagonizadas pelo trio são sempre ótimas e nada mais natural que uma novela das sete tenha essa temática despretensiosa e até infantil.

O remake escrito por Silvio de Abreu está longe de ser uma novela ruim e as críticas mais pesadas são injustas. O elenco, em sua grande maioria, é composto por ótimos atores e o autor sabe escrever com competência tanto tramas cômicas quanto de suspense. O problema de "Guerra dos Sexos" é a falta de histórias que prendam o público, fazendo com que o telespectador sinta-se motivado a acompanhar a novela diariamente, o que não tem acontecido. Ainda dá tempo para mudanças. Basta querer.



42 comentários:

ReBonelli disse...

JÁ NÃO ASSISTI NA PRIMEIRA VERSÃO, MUITO MENOS AGORA.....DETESTO ESSAS COMÉDIAS PASTELÃO....

! Marcelo Cândido ! disse...

Acho que a aparição das "cinco" ex esposas do Edson Celulari foi uma boa sacada!

Milene Lima disse...

Mas, Sérgio... Se uma novela não consegue prender o telespectador, porque é injusto que ela receba tanta crítica?

Pra mim, não importa se estão lá os melhores atores,se o escritor é fera e o diretor idem. Nada que acontece ali me instiga um único riso. Otávio e Charlô, que chatos. Aquela Analu, onde arranjaram atriz tão ruim? Glória Pires, porque não se poupou pra uma novela do Gilberto Braga? Será que a Bianca Bin vai atrair tanta raiva quanto a Lucélia Santos com a outra Carolina? Duvido!

Novela que supostamente é pra arrancar riso, e não faz rir, algo tá muito errado.

Chame a Chayenne aí por favor!

Thallys Bruno Almeida disse...

Olha, Sérgio, respeito tua opinião, mas pra mim continua sendo uma novela fraca. E sendo assim, merece as críticas negativas que recebe.

Em alguns pontos eu até concordo contigo, como as piadinhas entre os sexos que existem até hoje e o fato de muitas mulheres "exigirem pensão" só pra manter o status de dondoca (como naquelas cenas das ex-mulheres do Felipe - o que não quer dizer que eu as tenha achado boas).

Só que no caso mencionado de atualização da trama em TiTiTi, além da mesclagem com Plumas e Paetês e personagens de outras tramas do Cassiano Gabus (Mário Fofoca e Divina Magda, p. ex), o tema de "guerra de egos entre estilistas" é infinitamente mais fácil de se atualizar, uma vez que a moda está sempre se renovando, além da boa sacada da MAA de colocar os blogs de moda sendo representados pela Mabi/Beatrice M (Clara Tiezzi).

No máximo a trama empresarial de Roberta (Glória Pires), só essa, ainda me atrai um pouco da atenção na trama - e olhe lá. Mas ainda assim, eu vejo os resumos dos capítulos e tenho a impressão de que nada acontece. A Bianca Bin, p. ex, sempre consegue deixar suas personagens muito mais irritantes do que já são (e isso não é um elogio). Daniel Boaventura, que considero bom ator, tá fraco. Reynaldo Gianecchini pode até ter diminuído a afetação, mas acho seu Nando um chato completo. E pra piorar, entrou Jesus Luz (aluno do Cigano Igor).

Apesar de admirar Sílvio de Abreu (especialmente suas novelas de suspense), não consigo gostar de jeito nenhum de Guerra dos Sexos. Só perde por bem pouco pra Salve Jorge em matéria de chatice. É mais fácil a Globo encurtar a trama do que ele mudar alguma coisa, já que ele anunciou que nada mudaria. Respeito tua visão, mas "Guerra" não conseguiu me cativar como eu achava que iria ser. Abçs!

Sérgio Santos disse...

Oi Re, obrigado pelo comentário. Beijos!

Sérgio Santos disse...

Oi Marcelo, também gostei muito da aparição do quinteto de peruas. Poderiam permanecer na novela, na minha opinião. Abraços.

Sérgio Santos disse...

Oi Milene, obrigado pelo comentário. Não disse que as críticas são injustas e sim que as críticas pesadas são. Por exemplo, não acho que a novela seja um horror, como leio em alguns comentários. A isso que me refiro, mas é só minha opinião.

Mas eu respeito sua concepção. Beijão!

Sérgio Santos disse...

Oi Thallys, também respeito sua opinião. Eu nem disse que a novela era ótima no texto, pelo contrário, citei tudo o que estão falando e ainda mencionei o que considero equivocado. E é justamente aí o meu ponto: você disse que tem a sensação que nada acontece; pois é isso mesmo. Tanto que eu escrevi que faltam histórias que prendam o público e outros acontecimentos. Talvez se Ti ti ti só fosse a trama do Valentim X Leclair, a novela também não atraísse, por isso há a necessidade de novas tramas.

Mas não acho que o motivo seja a temática central e nem a direção, como alguns acham.

Sei que você não gosta do Gianecchini e no início eu também não gostei, mas agora o acho ótimo no papel e sua melhora é visível. Mas enfim, respeito sua opinião.

Abraço!

MARILENE disse...

Novelas desse horário geralmente são assim. Nem é preciso acompanhar porque não existe aquele chamado especial, despertando curiosidade.
Não vi a primeira versão e não assisto a nova, razão pela qual me sinto incapacitada para fazer qualquer tipo de avaliação. Aliás, minha opinião é voltada para o que me desperta a novela, tão somente, mas aprecio ler sua análise, fundamentada e racional. Bjs.

Elvira Akchourin do Nascimento disse...

Respeito seu ponto de vista, Sérgio, mas nada prende a atenção em "Guerra dos Sexos". A trama da rivalidade entre homens e mulheres está desgastada, realmente não foi atualizada, faltam personagens envolvidos em bons conflitos. Edson Celulari está caricato, Bianca Bin, muito fraca. Continuo achando que os talentos de Tony Ramos e Irene Ravache estão sendo desperdiçados.
Gosto das atuações de Glória Pires e Drica Moraes.
A direção de Jorge Fernando é ágil, a fotografia de vários lugares de São Paulo é bonita, mas há abuso em alguns virtuosismos de imagens.

Felisberto Junior disse...

Olá!Bom dia!
Sérgio
...pelo que venho acompanhando pela mídia,e agora pelo seu "post" bem fundamentado e racional, penso que Guerra dos Sexos já teve tempo suficiente de mostrar a que veio e empolgar. Mas ainda assim algo está faltando , e creio q são falta de inserção de tramas paralelas, que possam prender o telespectador ou diálogos mais atualizados,sem "gostinho" de "vale a pena ver de novo" e sim de um "remake". A trama ainda tem muito pela frente, vamos aguardar.
Obrigado!
Ótima quinta feira!
Abraços

Rafael Barbosa dos Santos disse...

Não consigo gostar de Guerra dos sexos rs. O assunto homens x mulheres ainda rende, mas Sílvio está tratando do tema como tratou nos anos 80, sem trazer novidades, diferente de Maria Adelaide Amaral em tititi, ela sim atualizou a trama. A direção de Jorginho, também estou achando meio exagerada e equivocada. A maioria dos personagens são chatos, e suas tramas desinteressantes (até mesmo a central, essa briga por ações, controle de empresa, acho isso muito chato), as únicas atuações que gosto são de Glória Pires, Drica Moraes e Mariana Ximenes, os outros, até mesmo Tony e Irene estão caricatos e como Nilson Xavier disse em um texto seu sobre a novela, estão muito teatrais. Claro que pode melhorar, mas Sílvio já disse que não pretende mudar nada e não concordo quando ele disse que o público prefere ver classe c nas novelas, o público quer ver é coisa boa e infelizmente Guerra dos sexos não é. Acho que a trama merece as críticas que recebe, mas concordo que este tipo de crítica "pesada", que deprecia um trabalho em que se tem o esforço de uma equipe inteira por trás, sempre é injusta, em qualquer novela.
Mas entendo sua defesa, Sérgio.

Abraços

Anônimo disse...

Sérgio, me lembro que em 83 eu estudava a noite e acabei passando a estudar de dia, de tanto que eu enchia o saco da minha mãe porque estava perdendo minha novela favorita.Hoje quase 30 anos depois, obviamente que não sou mais a mesma pessoa, nem poderia, e talvez por isso eu me pego pensando o que eu vi nessa novela.A única coisa boa da atual Guerra dos Sexos é a Gloria Pires que eu amo de paixão.
É uma atriz completa e desde sempre sou sua fã. Concordo com o que você disse, a novela precisa de histórias que prendam o telespectador. beijos

Rita disse...

Ólá boa tarde Sergio, sabe de uma
coisa é bom a gente ver uma vez so, acho que fazer uma adapitação da mesma
novela não fica bem,...Acho uma flata de imaginação isso sim....não tem mais o que escrever, então começa tudo de novo ,com novos atores
Mas como não tenho outra opção assisto essa mesma rsrsrs
Abraços com carinho
‎(¯`v´¯)
`·. ¸.·´
☻/
/▌

Demian disse...

Sérgio, o erro pra mim está sim na abordagem do tema. A guerra entre os sexos pode até render nos dias de hoje, mas se isso fosse atualizado. Apenas "briguinhas" e "disputas" entre homens e mulheres não segura uma novela como segurou em 1983. A realidade de hoje é outra: as mulheres não estão mais precisando provar que são capazes de administrar uma empresa, por exemplo. Isso pra mim é retrocesso... Como ele poderia atualizar este tema tão ultrapassado??? Inserindo personagens que hoje participam dessa "guerra dos sexos", como os gays, por exemplo... Repare em todas as últimas novelas das 19 hs: em todas elas haviam personagens gays, e nessa, que poderia render algo ligado ao próprio tema da novela, não há um gay sequer... Além disso tudo, de não ter uma história condizente com a realidade, o elenco está absolutamente caricatural, todos agem sem naturalidade alguma (a única que eu percebo no tom é a Glória).

EDER RIBEIRO disse...

Sérgio, será q o remake está sendo escrito pelo mesmo autor não fa com q a renovação da história fica em segundo plano? Abçs

Marcos Mariano disse...

Eu entendo um pouco essas criticas afinal os tempos são outros e quando se fala de remake uma profunda atualização se faz necessário, claro sem perder a essência.

Abraços

Barbie Californiana disse...

É muito raro eu acompanhar uma novela das 7, salvo se for interessante, como foi a "Ti Ti Ti" que vi do começo ao fim, já "Guerra dos sexos", até o momento, só vi a abertura, que por sinal é muito boa. ;)
beijos e tudo de bom.

ELAINE disse...

Sérgio, meu amigo! Parabéns pelo post! Tua análise está perfeita! Não estou assistindo e penso o seguinte: considero um remake sempre muito arriscado, pois poucos deram certo... O trabalho tem que ser muito bem feito, em todos os aspectos para sobreviver a comparação com a obra que originou o remake, que é inevitável! Eu, por exemplo, sou fã dos atores do remake, mas o original ficou incomparável! E é isso! Não tenho conseguido visitar a todos como gostaria.....
Um abençoado e feliz fim de semana!
Abraço fraterno e carinhoso!
Elaine Averbuch Neves
http://elaine-dedentroprafora.blogspot.com.br/

Sérgio Santos disse...

Oi Marilene, muito obrigado pelo elogio. Beijos! =)

Sérgio Santos disse...

Oi Elvira, também respeito a sua. Concordo com os elogios à Glória e Drica e com as críticas ao Edson e à Bianca.

Mas discordo sobre Irene e Tony. Não acho que atores escalados para viverem protagonistas estejam sendo desperdiçados, muito pelo contrário, dificilmente eles terão outros protagonistas, a não ser nas novelas do Silvio, que sempre escala veteranos para protagonizarem suas histórias. Beijos!

Sérgio Santos disse...

Oi Felisberto, pois é, a novela ainda tá muito no início. Ainda pode reverter essa situação, basta querer. Abração e obrigado pelo comentário.

Sérgio Santos disse...

Oi Rafael, obrigado pelo comentário. Nem fiz uma defesa, tanto que critiquei o que considero equivocado na histórias, mas não acho a novela horrível.

Acho que Tony e Irene estão excelentes e acho apropriado esse tom mais exagerado neles numa novela das sete, onde isso é permitido. E adoro as brigas deles.

O Silvio disse isso porque a novela dele não foi feita com base na classe C, como as mais recentes fizeram, tanto que o núcleo central é da classe A. Acho válido variar.

Enfim, vamos ver no que vai dar. Abraço!

Sérgio Santos disse...

Oi "Anônimo", obrigado pelo comentário. Você gostava da primeira versão, mas era outra época. Agora se faz necessário outros núcleos para despertar um maior interesse, mesclando com os já criados. Beijos.

Sérgio Santos disse...

Oi Rita, obrigado pela sua opinião! Beijão! =)

Sérgio Santos disse...

Oi Demian, obrigado pelo comentário. Acho que no horário das sete o exagero é normal (Chayene que o diga, mas acho que a abordagem do tema não é ultrapassada.

No caso da mulher precisar provar que é capaz de comandar a empresa, também valeria se fosse um homem que os demais acionistas não aceitassem. Daria na mesma. Mas entendo o que você quis dizer.

Não acho que a ausência de um personagem gay seja uma das causas do erros. Poderiam colocar ou não, creio que não faria diferença. Cheias de Charme não tinha gay, por exemplo, a não ser o colunista vivido por Gustavo Mendes, mas era um figurante e entrou depois da metade.

Sobre a história não ser condizente com a realidade, não vejo demérito justamente porque o horário das sete há essas 'permissões'.

Mas enfim, não disse que acho a novela ótima e apontei o que acho errado ali, mas também não a acho ruim. Vamos ver se melhora. Abração!

Sérgio Santos disse...

Oi Eder, pode ser. Talvez Silvio tenha medo de mexer na história que ele mesmo escreveu. Faz sentido. Abraços.

Sérgio Santos disse...

Oi Marcos, obrigado pelo comentário! Abraços! =)

Sérgio Santos disse...

Oi Barbie, a abertura é realmente ótima. Também gosto muito. Beijos! =)

Sérgio Santos disse...

Oi Elaine, obrigado pelo carinho. Olha, você está enganada, foram muitos os remakes que deram certo. A grande maioria, inclusive. Beijos e bom fim de semana pra vc também.

LUIZ disse...

Pra quem gosta de BBB, Avenida Brasil, Cheias de Charme e afins realmente Guerra dos Sexos não é pra essa geração. O humor de GDS é tipico da decada de 80, e a trama da novela é muito bem amarrada, mas acho que é muito pra cabeça dessa geração. De qualquer forma eu preferia mil vezes assistir a versão original, engraçado, qdo eu era criança\adolescente na decada de 80 eu adorava assistir as novelas dos anos 70 pra apreciar os costumes, moda, roupas, linguajar da época. A geração de hoje é tão alienada que nem curiosidade de conhecer o passado eles tem, gostam só de empreguetes, Carminhas, amendoins, e kuduro. Tenho é pena!

Kellen Bittencourt disse...

Pois é amigo, qdo fizeram as primeiras chamadas p a novela eu fiz a maior propaganda aki em casa p minha filha de 12 anos, eu assisti a primeira versão na idade que ela está hj, e lembro que eu simplesmente amei a novela, pensei que ela fosse se interessar como eu na época ela mal assistiu alguns capitulos e falou essa novela foi boa no seu tempo mãe kkkkkk, fiquei com cara de tacho, mas realmente a novela não está empolgando particularmente acho que o Tony Ramos e a Irene apesar de serem atores consagrados não estão fisgando as pessoas como fizeram Paulo Autran e Fernanda Montenegro, uma pena! Abraçossss

A viajante disse...

Sérgio, mesmo não assistindo com a frequencia ideal, tive a mesma impressão... maçante a novela... beijo!

Patricia Galis disse...

Eu vi a primeira versão e estou tentando acompanhar esta, não tem como seguir a risca, nos anos 80 quando passou as mulheres estavam começando a entrar em muitas areas de trabalho que antes eram exclusivas de homens, hoje temos uma presidente mulher, se não fizerem alterações creio que a novela tende a cair mais ainda no ibope, uma pena o elenco é de primeira.

Vera Lúcia disse...


Olá Sérgio,

Passando para ler suas observações, embora não veja a novela e, portanto, não estou gabaritada para emitir qualquer opinião a respeito.

Desejo-lhe um excelente final de semana.

Beijo.

Sérgio Santos disse...

Oi Luiz, obrigado pelo comentário. Eu não acho a novela ruim, como disse no texto, mas acho que Silvio precisava inserir novos conflitos e alterar um pouco algumas tramas. Tirando a do tema central porque realmente eu gosto da guerra entre Charlô e Otávio. Abraços.

Sérgio Santos disse...

Oi Kellen, obrigado pelo comentário. Fernanda e Paulo foram inigualáveis, mas acho que Tony e Irene também não fazem por menos. Sua filha odiou, é? rsrs Beijos.

Sérgio Santos disse...

Oi Ju, obrigado pelo comentário. Beijão.

Sérgio Santos disse...

Oi Patrícia, também acho o elenco muito bom e lamento que não esteja com um ibope maior. Embora não ache que o remake esteja fazendo por merecer índices muito altos. Algumas alterações se fazem necessárias. Beijos e obrigado pelo comentário.

Sérgio Santos disse...

Oi Vera, também te desejo um ótimo fim de semana. Beijos.

Vanessa disse...

Sérgio, tudo bem?
Olha, estava bem animada para acompanhar "Guerra dos Sexos", por ser do Sílvio de Abreu, um dos meus autores favoritos, e por ter Glória Pires e Drica Moraes, duas atrizes que amo de paixão. Mas a primeira semana não me agradou, tampouco as seguintes. Como vc comentou, o maior problema nem é o fato do enredo ser datado, mas sim a falta de história. Nada te prende na trama. Aliás, a maior parte irrita. E aí nem o Sílvio, nem a Glória e muito menos a Drica me seguram em frente à TV.

Abraços,

Vanessa

Sérgio Santos disse...

Oi Vanessa, pois é, não acho que o problema seja o tema e sim a falta de histórias atraentes. Poucos são os acontecimentos da novela. Uma pena. Silvio também é um dos meus autores favoritos. Beijão.