quinta-feira, 23 de junho de 2016

"Êta Mundo Bom!" tem todos os ótimos ingredientes de uma novela das seis de Walcyr Carrasco

A atual novela das seis estreou em janeiro e emplacou logo na estreia. O público estava sentindo saudades de ver Walcyr Carrasco no horário das seis, após três tramas de imenso sucesso ("O Cravo e a Rosa", "Chocolate com Pimenta" e "Alma Gêmea"). E "Êta Mundo Bom!" agradou imediatamente. A partir de então, os números do Ibope foram só aumentando até a produção se transformar em um fenômeno de audiência, repetindo o feito dos outros três êxitos do autor na faixa. E não é difícil perceber as razões para o sucesso do folhetim.


A trama reúne absolutamente tudo o que Walcyr já apresentou no horário das seis, cujos resultados foram os melhores possíveis: um núcleo de caipiras, muita guerra de comida, várias quedas no chiqueiro, animais que se destacam, dramas que se misturam com comédia pastelão e vilões que são simplesmente maus, sem maiores dubiedades. Há anos que a faixa não apresentava esse conjunto. Aliás, curiosamente, desde "Alma Gêmea", do mesmo autor. O folhetim ainda marca o retorno da parceria bem-sucedida do escritor com o diretor Jorge Fernando, que dirigiu quatro novelas suas.

Porém, apesar de reunir todos os ótimos ingredientes o que o escritor já apresentou na faixa ---- e o objetivo do Walcyr ter voltado ao horário das seis foi realmente esse ----, a novela tem suas particularidades, pois se baseia na obra de Voltaire ("Cândido ou o otimismo") e tem um protagonista muito cativante: o Candinho, vivido pelo ótimo Sérgio Guizé, cujo papel parece ter sido criado especialmente para ele.
A vida do personagem (que virou filme em 1954, protagonizado pelo saudoso Mazzaropi) é de fácil envolvimento e a saga do caipira vem sendo muito bem desenvolvida, sem maiores enrolações ----- afinal, o rapaz encontrou a sua mãe (um dos momentos mais aguardados) antes mesmo da metade da trama.

Já os demais personagens também despertam interesse e apresentam conflitos tão atrativos quanto o principal. Há muitos perfis bem construídos e núcleos que conseguem sustentar a história quando o enredo central entra em estado de 'espera'. O núcleo da fazenda, por exemplo, é o melhor da novela, remetendo a outros núcleos parecidos do mesmo autor ---- vide as fazendas de "Chocolate com Pimenta", "Alma Gêmea" e "Morde & Assopra". A família de Cunegundes (Elizabeth Savalla) funciona praticamente sozinha, mas, curiosamente, não provoca a sensação de estar avulsa no enredo. Isso porque todos fazem parte da vida de Candinho e a história deles desperta tanto interesse quanto a do protagonista, mesmo que algumas vezes seja repetitiva. Os atores que fazem parte do núcleo, inclusive, estão em perfeita harmonia e esbanjam talento.

Elizabeth Savalla faz uma vilã cômica xucra com maestria, repetindo a boa parceria com Ary Fontoura (o marido passivo Quinzinho), já vista em "Chocolate com Pimenta" e "Morde & Assopra". Camila Queiroz está perfeita como a inocente Mafalda e sua curiosidade a respeito do 'cegonho' diverte sempre. Dhu Moraes faz da empregada Manuela uma ótima caricatura, enquanto Jeniffer Nascimento e Miguel Rômulo demonstram sintonia com o casal Dita e Quincas. Ainda há a luxuosa presença dos grandes Flávio Migliaccio, vivendo o veterinário Josias, e Mauro Mendonça, dando vida ao banqueiro Inácio. Já Rosi Campos é o maior destaque do núcleo, sendo valorizada como merece com a sua virginal Eponina. Anderson Di Rizzi (Zé dos Porcos) e Klebber Toledo (Romeu) ainda têm química com Camila, reforçando o time, que agora conta também com Juliane Araújo, a atrevida Sarita.

O romance de Gerusa (Giovanna Grigio) e Osório (Arthur Aguiar) é outro acerto da trama. Baseada em uma história real (uma vizinha do autor passou pela mesma situação), o drama da menina que é superprotegida pela avó (Camélia - grande Ana Lucia Torre) envolve e emociona. Ela só descobriu que sofre de leucemia recentemente, após apresentar uma certa piora, graças ao namorado, que ignorou os apelos da responsável pela garota e contou para a amada sobre a doença. A partir de então, as cenas protagonizadas pelo par ficaram ainda mais sensíveis, destacando os atores. E entre os personagens que fazem parte do núcleo da pensão ---- que funciona positivamente ---- é necessário mencionar Cláudio Tovar e Rosane Gofman, que interpretam os atores de rádio-novela Evandro e Olímpia (com capítulos exibidos semanalmente no site da novela). Maria Carol também é um nome que se destaca na pele da dançarina Olga.

Araújo (Flávio Tolezani), Ilde (Guilhermina Guinle) e Cláudio (Xande Valois) compõem outra trama interessante, além de clássica. O menino paraplégico sofre nas mãos da madrasta má, em uma clara alusão aos mais comuns dramas folhetinescos. O garotinho tem como única amiga a doce Alice (Nathalia Costa), irmã da destemida Maria (Bianca Bin), um dos perfis mais cativantes do enredo ---- que ainda forma um lindo casal com Celso (Rainer Cadete), sendo um dos melhores pares da trama. Essa história foi a que mais demorou a engrenar, mas recentemente apresentou uma das melhores viradas do enredo, quando Sandra (Flávia Alessandra) manipula Araújo e provoca um flagrante, implicando em uma intensa briga com Ilde ---- ela ainda é desmascarada pelo enteado, que finalmente conta o quanto foi maltratado ao longo dos anos. A cruel mulher acaba expulsa de casa e tudo se deu porque Sandra seduziu o marido da suposta amiga, conseguindo que ele ficasse do seu lado, até mesmo passando os bens de Anastácia (Eliane Giardini) para o seu nome.

Ou seja, a vilã defendida muito bem por Flávia Alessandra serviu como elo de ligação desse núcleo com o principal, que sofreu mais uma reviravolta após três acontecimentos marcantes: o desmascaramento de Ernesto (Eriberto Leão), o encontro de Anastácia com Candinho e o cancelamento do casamento do caipira com Sandra. Agora, a mulher mais poderosa da trama ficou sem seus bens e foi expulsa da mansão com seu filho, Pirulito (JP Rufino) e Maria. Ainda dentro do núcleo central, é preciso destacar o show de Marco Nanini, que brilha todas as vezes que aparece com seu carismático Pancrácio, cujo maior talento é se disfarçar de vários personagens, pedindo dinheiro nas ruas. A entrada do irmão gêmeo Pandolfo serviu para evidenciar mais o talento do intérprete, que consegue diferenciar todos os perfis com maestria.

Além de todos os bons conflitos mencionados, vale citar a trama em torno do médico Lauro (Marcelo Argenta), que vive sendo mimado pela mãe venenosa (Narcisa - Marilu Bueno ótima) e ensaia um relacionamento de fachada com a estilista Emma (Maria Zilda Bethlem), enquanto tenta esconder sua relação homossexual com Tobias (Cleiton Morais). Outra situação que desperta interesse é a envolvendo o frio autoritário Severo (Tarcísio Filho), alvo da vingança que o filho Braz planeja juntamente com a sonsa Diana (Priscila Fantin). O único ponto negativo desse triângulo é a fraca atuação de Romulo Neto, sempre inexpressivo. O quase romance de Paulina (Suely Franco), dona do clube de dança (onde Táxi-Girls trabalham), com Josias é outro atrativo. Portanto, o conjunto da história se mostra bem harmônico, com exceção da trajetória da sofrida Filó (Débora Nascimento), que não atraiu.

"Êta Mundo Bom!" é uma ótima novela das seis e Walcyr Carrasco tem conseguido honrar o seu bem-sucedido passado na faixa. Inclusive, o folhetim assumiu o posto de maior audiência da Globo logo após o final de "Totalmente Demais", outro fenômeno, provocando uma inevitável lembrança de 2005, quando "Alma Gêmea" conseguiu índices impressionantes, chegando até  a ultrapassar a novela de horário nobre ("Belíssima") no dia da exibição de seu último capítulo (ultrapassou os 50 pontos). A sua trama atual elevou a média do horário em quatro pontos e vem conseguindo se manter entre os 26 e 32 pontos com certa facilidade, fazendo jus ao que vem sendo apresentado para o público.

48 comentários:

Heródoto disse...

Merece o estrondoso sucesso.E quando ela acabar a Globo vai lamentar muito porque já ficou sem o sucesso das sete e agora o das seis. Acho que voltará a marcar índices medianos pra baixo novamente.

Anônimo disse...

Até que enfim escreveu um texto falando somente da novela das seis, sem citar só uma cena ou uma atriz. Gostei!

Michele disse...

Sete Vidas, Além do Tempo e Eta Mundo Bom formam uma trica perfeita das seis. Uma substituiu a outra á altura.

Elias disse...

Tirando a Filó que é uma das mocinhas mais insuportáveis já vistas(o Walcyr não sabe construir mocinhas só acertou com a Catarina e Ana Francisca) a novela é ótima mesmo e merece o sucesso que tem feito

Giovany Gdss disse...

Amei o texto! Sérgio Guizé ganhou o seu melhor papel como Candinho, e Eliane Giardini está ótima como Anastácia. Bianca Bin representa muito bem a forte Maria, e como eu amo Gesório, casal mais fofo da novela. Walcyr é um dos melhores autores da atualidade, com 2 novelas recentes estrondosas no sucesso (Verdades Secretas e Eta Mundo Bom) que reforçam ainda mais seu talento. Concordo que Rômulo Neto não é tão bom, mas de resto... Eta Novela Boa

Felisberto N. Junior disse...

Olá, Sérgio , bela novela do Walcyr, parceria com o J.Fernando . Ao contrário de outras, muito enroladas, essa cativa pela fluidez e conjunto harmônico. E com atores e atrizes excelentes, Sérgio Guizé, Ary Fontoura, Bianca Bin , Rosi Campos, F.Migliaccio ,M. Nanini esbajando talento etc. e claro,para destoar, o Romulo Neto, Parabéns pela análise,belos dias, abraços!

Anônimo disse...

Excelente novela e que assumiu o posto de maior Ibope da Globo. Uma novela das seis.Só Walcyr mesmo pra conseguir tal feito.Os haters se desesperam.

Maria Sophia Schutz disse...

Sérgio, que texto mais lindo, parabéns!
É certo que o Brasil INTEIRO acompanha EMB, mas quem, por ventura, nunca tenha acompanhado a trama a fundo, com certeza, depois de um texto desses, vai fazer isso de imediato! Hahahahahaha
Eta Mundo Bom é uma jóia, um presente pra nós, telespectadores apaixonados, que podemos desfrutar desse tesouro televisivo, depois de dias duros e cansativos. Amo demais, gratidaõ eterna ao Walcyr Carrasco, nosso mestre!

Um beijo carinhoso, Sérgio!

Victor disse...

Onde eu assino???????

Anônimo disse...

Eta Mundo Bom é ótima, uma trama deliciosa de assistir.
As atuações de todos estão em um nível bem nivelado.Os destaques na Minha opinião são: As ótimas Rosi Campos e Bianca Bin,os excelentes Marco Nanini e Eliane Giardini e as surpresas Sergio Guizé e Camila Queiroz.
Porém nem tudo são flores e o elenco masculino da novela deixa muito a desejar.O péssimo Rômulo Neto, o caricato Rainer Cadete,além de Tarcísio Filho,Marcelo Argenta e Flavio Tolezani.

Pâmela disse...

Bela crítica, Sérgio! Concordo com tudo, mais uma vez. Sou suspeita porque sou apaixonada pelas novelas do Walcyr. Acho que exceto "Sete Pecados" (que convenhamos foi pavorosa) gostei de todas as novelas dele. Ele se repete? sim! e bastante até. Mas quem nunca? Se formos pesar por esse lado teremos que julgar o Maneco e suas Helenas, Gilberto Braga com "quem matou" e até Aguinaldo Silva sempre insistindo em recriar a Nazaré em alguma vilã. Walcyr tem seus vícios sim como qualquer outro escritor mas isso em nada diminui os sucessos de sua trama.
Quanto ao elenco: repito meus elogios ao Eriberto e a Bianca. Além de todos já citados no seu texto, destaco tb o sensivel trabalho de Arthur Aguiar e Giovana Grígio, shippo "Gesório" com muito orgulho.

porlapazyporlavida lc disse...

Boa noite, Zamenzito! Ótimo texto. Sérgio Guizé tá bem demais como Candinho. Mas sou suspeita pra falar. Sou apaixonada por ele. hahahaha. A relação do personagem com Pancrácio e Pirulito é uma das minhas preferidas. Gosto também da trama envolvendo a Maria, uma linda, rainha da novela. O romance dela com Celso é um dos mais bonitos da novela. Comparado aos dois, outro casal que me chama atença e é bastante cativante, é Gerusa e Osório. Os dois tão conseguindo expressar toda dor, sofrimento, amor e esperança necessários. Também sou apaixonada pelo Arthur. hahahahaha. Quem me conquistou aos poucos foi Romeu. Você pode ver todo o brilho nos olhos do ex-trambiqueiro apaixonado. Torço muito para ele ficar com a Mafalda. São lindinhos juntos. Amei a introdução da Sarita no núcleo da fazendo, se ela fizer par com Zé dos Porcos vai ser hilário. Por fim, outro ponto alto da novela é a amizade de Alice e Claudinho. Remete a infância, né? Onde tudo era tão mais simples e prático. Enfim, é uma novela com personagens cativantes mesmo. Beijos e até a próxima!

Lulu on the sky disse...

Não acompanho a novela. Só vejo uns pedaços
big beijos

vcartei disse...

Eta Mundo Bom é uma grata surpresa. Comédia leve, elenco afiado. Savala se recria sempre, que a soprada no cabelo é hilariante e o "uia" é tudo de bom. Mas, realmente as mocinhas do Carrasco é um fisco, salvo Catarina e Ana Francisca.

vcartei disse...

Eta Mundo Bom é uma grata surpresa. Comédia leve, elenco afiado. Savala se recria sempre, que a soprada no cabelo é hilariante e o "uia" é tudo de bom. Mas, realmente as mocinhas do Carrasco é um fisco, salvo Catarina e Ana Francisca.

Anônimo disse...

Novela simplesmente ridícula! Não curto o autor por motivos de: sotaque caipira forçado de alguns personagens, a total falta de sutileza no texto, humor pastelão (exagerado) enfim, O estilo não me agrada. A única dele que gostei foi "Verdades Secretas" mais por causa dos atores mesmo pq o texto dele é Uó e a direção ajudou também.

Rita Sperchi disse...

Bela madrugada Serginho querido, essa é
uma novela que amo e não perco um capitulo
mas torço pela felicidades de todos menos
da bruxa da Sandra kkk ...eita ruindade né
Mas tomara que no final ela acabe com os porcos
Bjuss de bom final de semana
Rita

Cleanskin disse...

Infelizmente, tem alguns pontos que não são do meu agrado. O texto do Walcyr Carrasco é uma faca de dois gumes. Milimetricamente dito e marcado, empostado, quase um jogral, e teatral demais, alguns conseguem pronunciá-lo sem perder a naturalidade. São os casos de Elizabeth Savalla, Priscilla Fantin, Camila Queiroz, Rosi Campos, Sergio Guizé, Marcos Nanini, Eliane Giardini e Bianca Bin. Outros, no entanto, acabam ficando robóticos em cena. Servem como exemplos: Eriberto Leão, Débora Nascimento, Klebber Toledo, Flavio Tolezani, Rômulo Neto, Tarcísio Filho e, principalmente, Rainer Cadete (extremamente caricato, precisa se arriscar mais, se expressar com mais vontade).

Eta Mundo Bom! é uma novela muito lenta e sem grandes histórias. Nem mesmo o núcleo principal consegue me cativar. Para Anastácia (Eliane Giardini), achar o filho será uma grande alegria, mas se não achar também, que seja. Até Maria do Bairro nos passava mais emoção quando estava a procura do seu filho. A mocinha Filomena é uma chata nível hard e não desperta torcida alguma. O romance entre Gerusa (Giovanna Grigio) e Osório (Arthur Aguiar) é uma salada de chuchu sem tempero. Ainda não consegui entender o contexto de todo esse ódio exagerado e gratuito da Ilde (Guilhermina Guinle) com o enteado, Claudinho (Xande Valois). Por tudo isso, o clã caipira liderado por Cunegundes acaba destoando dos demais núcleos da novela, onde as histórias ainda engatinham e a maioria dos personagens não se mostrou totalmente ou não disse a que veio. Sandra (Flavia Alessandra) como vilã é uma delas. Cadê a Cristina 2 que a gente está esperando?!
Eta Mundo Bom! ainda não me pegou. É bonitinha, divertidinha, fofinha... É tudo muito "inha" demais. Nada acontece e as situações se repetem demais. Falta ação, falta gancho, falta motivo para assistir no dia seguinte. Nessa mesma altura da novela, que já está há mais de um mês no ar, Além do Tempo já estava super movimentada e nos enchendo de emoção. Com a atual, se você perde um capítulo, nem parece que perdeu. A trama tem um looooongo caminho pela frente. Estima-se mais de 200 capítulos. Conhecendo o histórico de Walcyr Carrasco, "barriga" é o que não vai faltar!

Se A Regra do Jogo deveria ser só o núcleo central, Eta Mundo Bom! deveria ser só o da fazenda.

Anônimo disse...

Queria pontuar que Eta Mundo Bom parece ter sido uma novela mais do mesmo que o Walcyr tirou da cabeça sem pensar muito só pra criar uma quarta novela no estilo da sua trilogia que tanto deu audiência as 18h e ao Vale a Pena Ver de Novo nos anos 2000. Fazia parte do projeto saudosista da Globo de recuperar a audiência em 2016 com produtos que deram certo anteriormente.

Entretanto, o que me incomoda em Eta Mundo Bom, além do texto teatral e didático do Walcyr (mas que aqui parece mais aceitável grande parte do tempo por ser uma novela de época), é como ele consegue repetir situações clichês exaustivamente. Celso e Maria é o típico casal em que a moça pobre e de coração bão se apaixona pelo crápula que só a maltrata e que obviamente mudará de postura por amor e os dois terminarão juntinhos com ele assumindo o filho dela. Uma situação não muito diferente acomete Romeu e Mafalda, mas esses dois têm uma leveza maior, por Romeu, apesar de golpista, ser uma boa pessoa e Mafalda ser a reencarnação da Mirna. Camila Queiroz, aliás, prova sua versatilidade como atriz. Apagou em poucos meses a imagem da demoníaca lolita Angel (mais uma vez a Globo esquecendo de dar férias maiores para atores que fizeram papéis fortes recentemente Alexandre Nero). Mas por Mafalda não ser uma das protagonistas de Eta Mundo Bom e sua personagem ser 100% diferente da Angel (ingênua, caipira, cômica, romântica, fofinha), ninguém se importa com a repetição (só achei um exagero ao dizer que a Mafalda exige da Camila Queiroz tanto quanto a Angel... é uma caipira que quer casar contra uma mulher que trai a mãe, mata o amante e casa com a cara mais sórdida e fica impune,... menos né?).

Anônimo disse...

Fato é que o núcleo da fazenda está ali mais pra cumprir a cota núcleo da fazenda mesmo e já se distoa totalmente da história central. É apenas a trama de alívio cômico que diverte pelo entrosamento de figuras carimbadas do Walcyr - como Ary Fontoura e Savalla (acho ela maravilhosa, mas me desculpem, como a Cunegundes é insuportável) - com outros bons tipos. Rosi Campos é, realmente, um dos grandes acertos da novela. Mas tenho que discordar de que a novela é morna, fraca e desinteressante. É uma trama leve, simples, mas cheia de ganchos, com bastante agilidade em pequenas ações (estilo seriado, como o Walcyr fazia em Caras & Bocas) para não contar a história central de uma vez e depois ter mais 100 capítulos sem nada pra contar e ter que enfiar a Morena Bandida como água no feijão. A trama da Filó realmente é um porre e ela é uma mocinha detestável, burra e chorona. Prefiro mil vezes a Maria, a verdadeira heroína dessa novela e de longe já é o melhor papel da carreira de Bianca Bin por enquanto.

O romance entre a Gerusa e o Osório é uma delícia e com certeza ganhará bons contornos quando ela for diagnosticada com a doença de Chagas. A Grigio é uma boa atriz, vai segurar a marimba bem. A Flávia Alessandra, a meu ver, está IDÊNTICA à Cristina (o que prova que ela não é tão boa atriz assim, apenas soube dar o tom de uma vilã nefasta em 2005 e agora está repetindo os mesmos artifícios dramatúrgicos que usara na composição de sua primeira vilã - coisa que algumas atrizes nunca fizeram, como Patrícia Pillar, Cássia Kiss e Giulia Gam). Acho besteira tachar a Sandra como uma vilã fraca no segundo mês de novela, temos mais uns 5 pela frente no mínimo e a Cristina era bem de boa no começo, ela surtou depois de dezembro de 2005, quando incendiou o casarão do Rafael. Não duvido que a Sandra vire uma doida de pedra depois de maio/junho. Gosto bastante da trama envolvendo Tarcísio Filho, Rômulo Neto e Priscila Fantin. Esse triângulo pode render bons momentos, o Tarcísio está sendo um vilão repugnante e detestável, Fantin está deliciosa com sua sirigaita dúbia (interesseira, mas romântica). A trama da Guilhermina Guinle maltratando o enteado cadeirante sem nenhum propósito está realmente jogada ali sem nenhuma explicação cabível e parece não sair do lugar. Também queria que o Marco Nanini fosse melhor aproveitado. Ele diverte muito com seus disfarces, mas já está ficando repetitivo e um ator do timbre dele, após 15 anos preso no Lineuzinho, merecia uma volta à dramaturgia a sua altura. Confiei no Walcyr porque ele entregou a Marieta Severo um grandioso papel como primeiro trabalho da atriz pós-Dona Nenê. Mas o professor Pancrácio não tem história própria e parece servir só de orelha pro Candinho. Por fim, esse machismo exagerado no texto do Walcyr é irritante. Tudo bem, sabemos que nos anos 20/30/40/50 as mulheres eram subjulgadas, se passassem dos 20 anos solteiras eram encalhadas, ser mãe solteira ou separada era uma vergonha, que homem podia trair e mulher não, que "não ficava bem" moça solteira ficar sozinha com rapaz no quarto dela, etc etc etc. Mas parece que o Walcyr faz questão de repetir exaustivamente esse discurso com todas as personagens femininas de suas novelas de época em TODOS os capítulos. Nenhum outro autor de novela de época faz isso. São diálogos desnecessários, como a avó da Gerusa dando um chilique porque o Osório queria conversar com a menina recém-desmaiada a sós e a insistência da Cunegundes em rebaixar a Eponina ou a Mafalda por estarem encalhadas todo santo dia. Cansa, incomoda, irritada.

E tá com saudade de Além do Tempo? Só ir no globo play matar a saudade da Melissa invadindo o restaurante em que a Anita tava cantando mpb na eletrizante reta final da novela. zzzzz opa que soninho que me deu só de lembrar

Lucas disse...

Verdade, essa novela é bem parecida com outra novelas que o WC já escreveu, a Caracterização e a atuação da Flávia Alessandra está igual a de Alma Gemia, os mesmos caipiras estereotipados, os mesmos tipos, Mas como é um autor queridinho desse blog dai não é repetição, ninguém critica por ele não "inovar".... dois pesos e duas medidas....

Anônimo disse...

Realmente a novela é muito boa,apesar do texto fraco do Walcyr e suas repetições na novela ( Romeu indo e voltando pra Fazenda e 4 Casamentos desfeitos no altar,por exemplo).
A trama é ágil na medida certa e conta com personagens cativantes.
Em termo de atuações temos grandes atores em cena,mas sem querer falar dos principais darei exemplos de quem vem desempenhando bem na trama.
No time masculino pode-se citar Arthur Aguiar, Kleber Toledo( até que enfim um atuação descente) e Claudio Tocar(apesar da pouca aparição)
No time feminino temos : Giovana Grígio,Mariana Armelini e Marilu Bueno.
Porém há os ruins como Rainer Cadete,Rômulo Neto,Eriberto Leão (chatissimo por sinal) e Tarcísio Filho.

Bia Hain disse...

Sem dúvida esse tipo de enredo é o que mais me agrada no estilo do Walcyr. Abraços!

Sérgio Santos disse...

Tb desconfio disso, Herodoto.

Sérgio Santos disse...

Que bom que gostou, anonimo.

Sérgio Santos disse...

É verdade, Michele.

Sérgio Santos disse...

Merece msm, Elias. A Filó é um porre msm. Mas além dessas que vc citou, eu gostei da Serena da metade pro final, da Gio Antonelli em Sete Pecados, da Julia em Morde e Assopra e da Paloma. Além da Carolina.

Sérgio Santos disse...

Que bom, Giovany. A novela é boa demais e merece o estrondoso sucesso. Mais um pra lista do Walcyr. abçs

Sérgio Santos disse...

Eu que agradeço, Felis. abçs

Sérgio Santos disse...

Se desesperam msm, anonimo.

Sérgio Santos disse...

Mt obrigado, Maria. Fico feliz que tenha gostado! =) bjão!!!!

Sérgio Santos disse...

Embaixo, Victor. rs abçs

Sérgio Santos disse...

Concordo com vc, anonimo. Só discordo do Rainer, que acho mt bem, do Marcelo e do Flavio que acho regulares.

Sérgio Santos disse...

Mt obrigado, Pâmela. E eu tb gostei de todas as novelas dele, com exceção de A Padroeira que foi equivocada e esquecível, e Sete Pecado que foi mt mal conduzida msm. E todo autor tem seus vícios e repetições, é normal. Só precisa fazer isso de forma atrativa. E no caso do Walcyr, já tinha mt tempo que ele não se repetia, pois Morde e Assopra, Amor à Vida, Gabriela e Verdades Secretas foram feitas quase em sequência e nada tinham a ver uma com a outra. Em absolutamente nada msm. E a atual ele fez justamente com o intuito de se repetir msm, retornando para a faixa das seis. bjão!!!

Sérgio Santos disse...

Boa noite, porlapazyporlavida lc! Que comentário ótimo, eu endosso tudo. E vc citou três ótimos pares da novela. Quatro até. E o Guizé está perfeito msm. Arthur também. A novela é mt boa e merece o sucesso. bjsssss

Sérgio Santos disse...

Ok, Lulu. bjs

Sérgio Santos disse...

Vcartei, é mt boa msm e endosso o elogio a Savalla, sempre brilhante. bjão!

Sérgio Santos disse...

Ok, anonimo.

Sérgio Santos disse...

Ela deve morrer no final, Rita. E a novela é a melhor atualmente na Globo. Amo tb .bjssss

Sérgio Santos disse...

Respeito sua opinião, mas discordo de tudo, Cleanskin. E Além do Tempo teve uma longa barriga em sua segunda fase, vale lembrar. E eu amei a novela, diga-se. Já a atual não tem nada de lenta, pelo contrário, tem sempre algo acontecendo em algum núcleo, promovendo boas viradas. E pra uma novela com mais de 200 caps, Eta Mundo Bom é mais movimentada que o normal.

Sérgio Santos disse...

A novela é um mais do msm, sim, anonimo, e como vc disse no comentário, proposital. Ele só voltou pra faixa que o consagrou pra isso: repetir o que deu certo. E tá dando de novo. Eu não vejo semelhança alguma na Mirna e na Mafalda além do fato de serem caipiras. E a persongem exige mt dela sim pq tem fortes traços de caricatura e poderia soar ridículo se não fosse o talento dela. Mas respeito sua opinião.

Sérgio Santos disse...

Anonimo, concordo com uns pontos e discordo de outros. Ótimo comentário.

Sérgio Santos disse...

Lucas, vc estáa falando bobagens. Não, não são dois pesos e duas medidas simplesmente pq se repetir depois de Sete Pecados, Caras e Bocas, Morde e Assopra, Gabriela, Amor à Vida e Verdades Secretas é um saldo beeeeeeeeeeeeeeeemm positivo, não???? Ao contrário do Benedito que SÓ FEZ a mesma coisa desde que se entende por novelista. E, como já disse, o intuito dessa é justamente repetir tudo o que deu certo na faixa. E deu certo de novo.

Sérgio Santos disse...

Obrigado pelo comentário, anonimo.

Sérgio Santos disse...

Verdade, Bia. bjs

Anônimo disse...

não vejo nada de mais nessa novela, isso tudo é só uma repetição de tudo que o walcyr ja fez, as vezes vc parece um fanatico por esse autor, e caso vc não saiba audiencia não é sinonimo de qualidade, só mesmo fanaticos para gostar dessa novela

Sérgio Santos disse...

É repetição msm, anonimo, e o intuito sempre foi esse. Pior que gente fanática é hater. E vc fracassa na tentativa de me desqualificar me chamando de fanático. E aceita que dói menos.

Sérgio Santos disse...
Este comentário foi removido pelo autor.