domingo, 27 de março de 2016

Grata surpresa de 2016, "The Voice Kids" engrandeceu as tardes de domingo

Foram praticamente três meses de competição. O "The Voice Kids" estreou no primeiro domingo de janeiro (03/01) e chegou ao fim no último domingo de março (27/03), tendo a final composta por Rafa Gomes, Wagner Barreto e Pérola Crepaldi. A primeira temporada do formato infantil foi um grande acerto da Globo e uma das gratas surpresas deste início de ano. Repleta de talentos mirins e com rodadas emocionantes, a disputal musical engrandeceu as tardes de domingo e fez um merecido sucesso desde o primeiro dia.


Após duas temporadas fracas do "The Voice Brasil" (a terceira e a quarta), a estreia da 'versão mirim' começou cercada de desconfianças. Afinal, o formato dava sinais de desgaste, principalmente por conta da mesmice dos jurados e da falta de grandes candidatos. Mas o "The Voice Kids" dissipou qualquer dúvida logo na estreia, apresentando um juri bem entrosado e crianças talentosíssimas. A permanência de Tiago Leifert no comando da atração também foi uma boa decisão, pois o apresentador tem um bom domínio de palco e sabe lidar com os participantes.

O acerto na escolha de Ivete Sangalo e da dupla Victor e Leo pôde ser observado com certa facilidade, deixando até mesmo o cansativo Carlinhos Brown mais leve e espontâneo ao lado dos novos colegas de juri. Ele ---- que estava a cada temporada mais repetitivo e 'over' ao lado de Cláudia Leitte, Lulu Santos e Daniel/Michel Teló ---- conseguiu se renovar na versão Kids, tendo um entrosamento até maior com os 'novos' companheiros, além de ter um jeito especial de lidar com as crianças.
Aliás, os quatro jurados conseguiram deixar os candidatos mirins bastante à vontade ao longo da competição e não tiveram medo de tecer críticas quando necessário.

A atração deixou as tardes de domingo bem mais agradáveis em meio a programações apelativas e assistencialistas da concorrência. A emissora fez muito bem em colocar a versão infantil nesse horário. O programa, aliás, fez uma ótima dobradinha com a "Escolinha do Professor Raimundo - Nova Geração", que ia ao ar antes, durante sete semanas. O único porém foi a antecipação do reality musical depois do término do humorístico. Colocar o formato para ir ao ar quase uma da tarde foi um erro. Tanto que a audiência apresentou uma queda. O ideal seria apresentá-lo após a "Temperatura Máxima", pois aumentaria os índices da faixa de filmes e entregaria em alta para o futebol.

Entretanto, questão de horário à parte, o "The Voice Kids" se mostrou um êxito incontestável da programação. A primeira fase (audições às cegas) foi repleta de gratas surpresas e revelação de talentos. Já a segunda (a das batalhas) primou pelo alto nível das crianças, que deram aula de afinação e desenvoltura para muitos adultos que já estão no mercado musical. Enquanto a última etapa (eliminatórias de cada time), se mostrou a mais 'triste' em virtude das eliminações (necessárias, obviamente) de muitos talentos mirins. E os jurados ainda demonstraram um ótimo jogo de cintura na hora de escolher apenas um para seguir na competição, expondo justificativas bastante embasadas.

Entre as crianças que mais se destacaram estão os três finalistas, que fizeram por merecer todas as vitórias ao longo da competição. Especialmente a Rafa Gomes, que tem um carisma arrebatador, uma linda voz, e foi a única que cantou músicas de criança em praticamente todas as rodadas. Além dos mencionados, é necessário também citar Íris Pereira (integrante do time Brown que brilhou na semifinal ao lado dos três integrantes da mesma equipe), Júlia Gomes (que ainda atua, vide seus trabalhos em "A Vida da Gente" e "Chiquititas"), Luna Bandeira, Ana Beatriz Torres, Mari Cardoso, Isadora Porto, Felipe Adetokunbo, Ryandro Campos, Enzo e Eder, Laura Schadek e a roqueira Carol Passos. Vale mencionar, ainda, a escolha do repertório das crianças, que foi de extrema qualidade.

A grande final teve uma longa duração (mais de duas horas) e foi ótima. Destaque especial para o dueto de Rafa Gomes e Carlinhos Brown cantando "É tão lindo", do Balão Mágico. Ivete Sangalo e Victor e Leo também fizeram apresentações com seus candidatos e foi um desfecho em grande estilo. Ainda houve uma espécie de retrospectiva dos melhores momentos, evidenciando o quanto que o programa foi bom ao longo desses três meses. Wagner Barreto foi eleito pelo público o grande campeão da temporada e mereceu. Porém, Rafa Gomes era muito mais merecedora. Carismática, desenvolta e com uma linda voz, a menina foi a representação do universo infantil e só cantou música de criança. A vitória dela seria a ideal.

O "The Voice Kids" chegou ao fim com um saldo altamente positivo e já tem a sua segunda temporada garantida para 2017. Nada mais justo do que manter algo que deu tão certo na grade e que ainda deixou a programação vespertina de domingo bem mais atrativa. A versão infantil do reality musical não foi só uma competição de vozes, foi também uma disputa de 'fofura', onde as crianças conquistaram os jurados e o público através da simpatia, carisma, afinação, espontaneidade e principalmente talento.

30 comentários:

Anônimo disse...

ABSURDO RAFA GOMES TER PERDIDO!!!!!! NÃO ACEITO. POVO SÓ VOTA EM LIXO!!!!!!!!!!!!!

Vinícius disse...

Deram pro Wagner pq ele é o mais miserável e o pai tem cara de coitado. Foi por causa disso que o César venceu o BBB passado: quando mostraram a cara de sofredor do pai dele no paredão com a Mariza. Povão não sabe votar mesmo.

Mateus Sousa disse...

O programa premia a melhor voz e premiaram o mais pobre. Deveria se chamar The Criança Esperança Brasil. Palhaçada.Povo só vota em quem não merece por MÉRITO.

Heitor disse...

O programa deu uma levantada nas tardes de domingo mesmo e também concordo que na segunda temporada a Globo que tem colocar depois dos filmes e não antes, quase uma da tarde. Isso não é hora, tanto que o Ibope caiu mesmo e merecidamente.Eu torci pra Rafa Gomes e Iris Pereira e lamento que mais uma vez o maldito gênero sertanejo reine vitorioso em todos esses programas.

Ana disse...

Todas as crianças que chegaram à final eram merecedoras do prêmio. Todas são talentosas e carismáticas. Acho muito feio algumas pessoas ficarem diminuindo o Wagner Barreto porque a candidata deles não venceu. O Wagner tem muito talento e sempre foi bastante elogiado pelos técnicos. Aliás, nem preciso dizer que os jurados tem muito mais bagagem e experiência musical do que essas pessoas que tentam desqualificar o menino. As quatro cadeiras viraram para o Wagner nas audições às cegas e, hoje, o Brasil também "virou" para o rapaz, afinal, ele recebeu 66% dos votos populares.

Kika disse...

Como um garoto de 15 anos pode competir em nível vocal com uma menina de 11 e outra de dez/ Essa disputa foi uma vergonha e o público mais vergonhoso ainda que premiou isso.

Guilherme disse...

Achei super justa a vitória do Wagner, o candidato da final que melhor uniu talento, carisma e capacidade de emocionar o público. É um absurdo falar que ele ganhou por causa de status social até porque ninguém ali é rico, vamos parar de palhaçada e de ficar limitando o talento das pessoas para questão de dinheiro. Ele venceu porque ele foi claramente o melhor. Discordo de que a Rafa deveria ter ganho por ser o ideal, por ela representar o universo infantil, por ter cantado só músicas para criança. Deve ser mais valorizado a voz acima de tudo como diz o nome do programa e não o fato dela ser criança. Ela é criança hoje, mas tem um futuro musical todo pela frente.

Bell disse...

Ontem foi o primeiro dia que assisti rs...

bjokas =)

Nina disse...

O programa foi uma delícia mesmo e engrandeceu as tardes, mas a final foi decepcionante pelo resultado. Ganhou um garoto que será rapidamente esquecido enquanto a protagonista da edição perdeu injustamente.Venceu o assistencialismo, não a voz. Porque o Wagner é estridente demais e tem gente que acha que berrar é cantar e não é. E mais uma vez a proliferação de sertanejos impregna a votação. Parece que só existe isso no Brasil.

Bárbara Almeida disse...

Eu confesso que não assisti nenhum episódio haha, não sou muito fã desse programa, mas até queria ter visto a final. Mas como foi páscoa acabei perdendo ):

Beijos, Love is Colorful

Bia Hain disse...

Olá, Sérgio, como vai? Apesar de não ter assistido os capítulos finais, me surpreendi com o talento da criançada, uma seleção muito bem feita! do seu texto destaco a participação de Carlinhos Brown... até comentei um dia com minha filha como ele estava mais agradável no Kids. E como não sou chegada a Cláudia Leite adorei a participação da Ivete! Abraços!

Gabriel disse...

Adorei a competição mirim q foi infinitamente superior a versão adulta tanto na questão de tecnicos como no nível dos participantes.

Apesar de ter achado no geral td mt bom acho q o programa tem algumas falhas q na verdade ja carregam do "thevoição".

Uma delas para mim e quando entra em jogo a participação do publico por meio dos votos, sendo q as votações do grupo de cada técnico abrem para todos os participantes na mesma hora sem ninguém ter se apresentado ainda e termina assim q o último canta ou seja é impossível votar com base na apresentação do dia, no máximo vc vota naquele q vc ja gosta de outras apresentações. Essa forma de votação transforma o programa quase q num big brother onde vc vota no q vc mais gosta, e não deveria ser assim, afinal o programa se chama a VOZ do Brasil.Nos Estados Unidos o reality tem dois dias de exibição na semana,ou seja em um eles se apresentam para ai a votação ser aberta e no outro dia são divulgados os resultados.Mas fazer td no mesmo dia como a Globo faz realmente fica difícil, acho isso desleal com os candidatos. Não q se fosse desse jeito todos os resultados seriam justos mas do jeito q é a probabilidade é menor ainda.
Alem disso os candidatos ficam presos aos técnicos mt alem do necessário, sendo assim é obrigatório na final ter um participante de cada jurado, o q não acho o melhor para a qualidade do programa pq as vezes alguns candidatos mt bons, q mereciam ir para final mas do q outros acabam saindo por conta disso. Se não me engano no the voice americano a partir do top 12 é cada um por si e a cada programa os dois menos votados independente do time vão saindo.Ou seja a final pode ter 2 candidatos de um mesmo jurado, ou ate mesmo os três. No caso das crianças acho ate melhor fazer da forma como foi pq desse jeito o peso de ser o menos votado ficaria maior mas no caso da versão adulta eu realmente não entendo.

Apesar disso eu adorei, é q as qualidades ja são evidente e vc ja falou a maioria delas mt bem no texto, mas acho q essas duas coisas q falei melhorariam ainda mais o programa e no caso da versão adulta precisa melhora e muito para chegar aos pés dessa temporada kids.

Vera Lúcia disse...


Não acompanhei, Sérgio, mas cheguei a ver os finalistas em algumas de suas apresentações e os três mostraram grande desenvoltura e talento musical.
Quanto a Tiago Leifert , ele é mesmo perfeito para o comando da atração.

Abraço.

MARILENE disse...

Sérgio, tudo que sei sobre o programa li na internet (rss). Não sou chegada ao "The Voice" e me pareceu que as pessoas não gostaram do resultado. Bjs.

Elvira Akchourin do Nascimento disse...

Não só eu, como meus filhos e meus amigos não perdiam uma só edição do The Voice Kids: perfeito, do começo ao fim. Espero pela segunda temporada.

Sérgio Santos disse...

Tb torcia por ela, anonimo.

Sérgio Santos disse...

Os 3 mereciam, Vinícius, mas eu tb preferia a Rafa.

Sérgio Santos disse...

Entendo, Mateus.

Sérgio Santos disse...

Exato, Heitor. Tinha que ser depois dos filmes e não antes, uma da tare. Não dá.

Sérgio Santos disse...

Concordo que todos mereciam, Ana.

Sérgio Santos disse...

Essa questão tb é pertinente, Kika. Mts falaram isso.

Sérgio Santos disse...

Respeito sua opinião, Guilherme, e tb concordo.

Sérgio Santos disse...

Poxa, Bell. :( rs bjs

Sérgio Santos disse...

Foi uma delícia, Nina!

Sérgio Santos disse...

Sem problemas, Bárbara.

Sérgio Santos disse...

O Carlinhos tava infinitamente mais agradável no Kids, Bia. Parecia outra pessoa. rs bjs

Sérgio Santos disse...

Gabriel, seu comentário ficou tão completo que nada tenho a acrescentar. E concordo com cada palavra. Mt bem apontados os problemas, que vêm do adulto tb. E o Kids foi infinitamente melhor msmo, apesar dos erros terem permanecido. abçs

Sérgio Santos disse...

Obrigado pelo comentário, Vera. bjs

Sérgio Santos disse...

Entendo, Marilene. bjs

Sérgio Santos disse...

Tb espero, Elvira. bjs