quinta-feira, 27 de março de 2014

Manfred de "Joia Rara": um vilão cansativo em uma novela repetitiva

"Joia Rara" está em plena reta final e todos os equívocos na condução do Manfred (Carmo Dalla Vechia) ficaram ainda mais evidentes nas últimas semanas de novela. O vilão é o único responsável pela aparente movimentação da história, que na verdade tem andado em círculos há meses. E essa sensação de que a trama não sai do lugar é reforçada pela repetição de fórmulas já usadas pelas autoras em "Cordel Encantado".


Manfred inicialmente era um sujeito frio, que tinha inveja de Franz (Bruno Gagliasso), e acatava todas as ordens de Ernest Hauser (José de Abreu), o até então grande vilão da história. Mas com o passar do tempo, Thelma Guedes e Duca Rachid resolveram transformá-lo em um lunático obcecado pela Amélia (Bianca Bin) e pelo suposto pai que o renegava. A partir dessa mudança, o personagem virou um novo Timóteo (Bruno Gagliasso), o grande vilão de "Cordel Encantado" que também havia ficado louco.

E para culminar, os demais núcleos foram perdendo a importância e a obra acabou voltada exclusivamente para as grandes maldades de Manfred, que eram quase todas sequestros. Outra similaridade com a história de sucesso das autoras exibida em 2011 ----- Timóteo sequestrou Açucena várias vezes e
conseguia escapar com certa frequência. Agora, na reta final ---- após já ter sequestrado Franz, algumas vezes Amélia, Ernest e a empregada ----, o vilão (que sempre consegue fugir da polícia) sequestrou Décio (Miguel Rômulo) e planeja pegar Pérola (Mel Maia).

Todas essas repetitivas situações cansam e subestimam o telespectador, evidenciando a falta de criatividade das autoras, que pecaram quando resolveram copiar todas as fórmulas usadas em "Cordel Encantado"; e, inclusive, também sofreram críticas na época, apesar do sucesso e da aceitação da novela que mesclava sertão com realeza. O jogo de gato e rato engana o público inicialmente, que sente uma sensação de agilidade na trama; porém, com o tempo, a repetição se esgota e a novela se perde em seus próprios desdobramentos.

A onipresença de Manfred deixou "Joia Rara" monotemática e ainda cansou a imagem de um vilão que parecia promissor. O personagem ficou irritante, tanto por causa de seus ataques histéricos quanto pelas suas constantes fugas milagrosas. Ele sempre consegue escapar da polícia e também raptar suas vítimas sem maiores contratempos. É quase um ciclo que não acaba nunca.

Porém, é preciso ressaltar que, apesar de todas essas repetições, Carmo Dalla Vechia está ótimo e convence no papel. O ator se entregou e sempre se destaca nas cenas. Ainda que ele esteja vivendo um tipo parecido com seu último personagem em "Amor Eterno Amor" (2012) ---- na trama de Elizabeth Jhin, Fernando era um vilão obcecado pela mocinha (Letícia Persiles) e também ficou louco durante a história. Entretanto, semelhanças à parte, Carmo tem se saído muito bem na atual trama das seis.

Lamentavelmente, Duca Rachid e Thelma Guedes se perderam na condução de "Joia Rara" e os constantes sequestros e fugas de Manfred deixaram a reta final da novela repetitiva. O vilão, que já havia perdido sua identidade ao ser transformado em um novo Timóteo, foi ficando cada vez mais cansativo e sua 'maldade', ao invés de movimentar o fim da trama, acabou prejudicando o desenvolvimento da história, que parece não sair do lugar.

50 comentários:

Felipe disse...

PERFEITO! Traduziu tudo o que eu queria ter dito! A novela se perdeu e esse vilão virou um pé no saco! O telespectador é feito de idiota com essas fugas e sequestros dele.

Fernanda disse...

Estava esperando algum posicionamento seu sobre isso, Sérgio! Gostei. Foi preciso e apontou as falhas que estão sendo cuspidas na cara do telespectador. Eu fico triste porque tinha tanta esperança nessa novela. Mas ela ficou insuportável de se assistir.

Thallys Bruno Almeida disse...

Analisando friamente, há pontos desse artigo que eu concordo, mas todos relativos apenas a Joia Rara.

De fato cansou esse excesso de fugas de Manfred e sua facilidade pra fugir, proporcionando a sensação de incompetência da polícia. Não agrega à reta final, cujo melhor momento até agora foi o julgamento de Ernest e ele assumindo sua culpa e, mesmo sendo redimido, seus crimes não foram esquecidos.

Em Joia Rara há esse problema sim, mas daí a dizer que a mesma coisa aconteceu em Cordel Encantado, então assistimos a tramas diferentes. Aliás, de Cordel eu lembro de uma cena onde Timóteo finalmente perdeu o poder (antes de cair na loucura de vez) graças a uma ação dos cangaceiros, que vc considerou como sem impacto, e na qual eu gostei porque em vez de usarem as mãos eles usaram a cabeça.

Joia Rara de fato foi a trama mais fraca das autoras e deixou a desejar em certos aspectos. Porém, esse fato não desmerece definitivamente a credibilidade das autoras, como já vi alguns talifãs de Walcyr Carrasco colocarem. A novela passou bem longe de qualquer extremo (se não foi um novelão, também não foi nem de longe uma Fina Estampa da vida).

Até porque se for falar em "subestimar o telespectador", Amor à Vida também teve situações que me subestimaram - como o caso da Paloma sempre tentando abrir os olhos do César e sempre sendo recusada, as milhares de facadas da Aline no Ninho e ele sobrevivendo - e aqui pouco ou quase nada foi dito sobre esses erros. Pelo contrário, não dava pra concordar com aqueles elogios que vc fazia.

Pode parecer que não, mas eu sei sim admitir o que tem de errado numa novela que gosto.

Raquel disse...

Kkkkkk! Pra ser justa concordo com o Sérgio e o Thallys. ;)

JR prometeu e não cumpriu, começando até bem, mas terminando arrastada e andando em círculos. AAV foi uma sucessão de cenas impactantes costurada com uma série de mal-entendidos. Continuo esperando uma novela das 21 horas que valha à pena.

Sérgio Santos disse...

Obrigado, Felipe! abç

Sérgio Santos disse...

Fernanda, eu era fã dessa novela. No início tinha certeza que seria a melhor da dupla. Adorava cada capítulo. Mas depois tudo foi se perdendo, infelizmente.

Kaká disse...

Olá, Sérgio. Olha eu aqui de novo. Bem, falou em Joia Rara, eu me interesso, já que é a única novela que assisto atualmente. Desde o início, me apeguei à novela, mas isso não me impediu de enxergar suas falhas. Realmente, as autoras cometeram um erro gravíssimo na condução da história. Principalmente no que diz respeito ao Manfred e suas loucuras sem fim. Acho que o problema foi com a redenção do Ernest e da Sílvia praticamente ao mesmo tempo. Apesar de ter sido bem feita e desenvolvida, a redenção do poderoso Hauser acabou prejudicando outras tramas, já que o Ernest vilão movimentava vários núcleos (Franz e Amélia, Mundo e Iolanda, Viktor e Sílvia, Toni e Hilda). Com a sua redenção, o Manfred foi promovido a grande vilão. Só que o mesmo se fixou apenas no núcleo principal: Franz, Amélia, Pérola e o próprio Ernest. Suas ações acabaram tornando-se repetitivas e monótonas, sem contar com a sua onipresença, sua obsessão pelo pai e pela Amélia. Por causa dessa obsessão, acabou virando uma cópia mal feita do Timotinho, sequestrando eternamente a Amelinha. Enquanto isso, as demais tramas se esvaziaram e alguns personagens simplesmente sumiram. Faltou às autoras criatividade suficiente para criar alternativas para esses núcleos. Sobre o Carmo, você está certo. Ele está muito bem, apesar de aparecer tanto que irrita a gente. Espero vê-lo em outro papel diferente do louco invejoso. Bem, Sérgio, apesar de todos esses erros apontados, continuei acompanhando a novela por causa de outros núcleos, além de alimentar a expectativa de que o final compensasse os erros, mas pelo que andei lendo... Bem, mas vou deixar para falar sobre isso no próximo post, quando você publicar no final da novela. Até lá. Abraços.

Sérgio Santos disse...

Thallys, em que momento eu disse que a novela era uma Fina Estampa? E em que momento eu disse que a novela era horrível? Eu disse apenas que ela se perdeu e o início dessa 'perda' foi na alteração do vilão. Depois foi quase um jogo de cartas ruindo.

E eu disse que aconteceu a mesma coisa com Cordel em relação ao vilão. Não em relação ao contexto todo. Tanto que eu elogiei mt a novela, embora tenha feito críticas em cima justamente desse mesmo joguinho de gato e rato cansativo.

No caso de Joia, elas repetiram essa fórmula e ainda não souberam conduzir o resto. O que fizeram com Silvia? E com as vedetes, principalmente Aurora? Com o budismo? Com o Mundo? Enfim, não vou ficar citando tudo pq o texto é só da situação do Manfred e da reta final da novela.

Agora, de novo AAV, Thallys? O caso das facadas é licença poética, assim como o César não querer ver a Aline. Quantos tiros levam o mocinhos dos filmes de ação e continuam, vivos? A licença poética de JR, por exemplo, é o Franz acreditar mais na palavra do Manfred do que na própria Amélia só pra ficarem separados. Isso é comum em toda obra. O que eu disse é bem diferente disso.

Sérgio Santos disse...

Raquel, eu amava JR. De verdade. Mas depois ela se perdeu. O que achei uma pena pq eu queria mt que essa novela desse um banho na arrastada Flor do Caribe. Respeito vc não ter gostado de AAV, sem problemas. bjs

Sérgio Santos disse...

Kaká, gostei do seu comentário. Vc continua vendo e gostando da novela mas reconhece e aponta os erros da trama. E eu assino embaixo de tudo o que vc falou. Redimir dois personagens ao mesmo tempo foi um erro e eu espero que a notícia que eu li sobre a morte do Ernest seja mentira. Pq tanto trabalho pra redimir um vilão pra ele morrer no fim? Seria lamentável.

Manfred virou Timóteo mesmo e tudo passou a girar em torno dele. Com isso, tudo ficou repetitivo e vários personagens desapareceram. Uma pena. Então até meu último texto sobre o saldo geral. Abraços!

Thallys Bruno Almeida disse...

Eu não disse nada disso agora. Eu não disse que vc falou nada. Enfim.

Bell disse...

Eu não consigo assistir essa novela, acho esse personagem um doido varrido, a mãe mais doida que mima.
Cansativo, chato um homem enorme e bobão é assim que o vejo rs...
Preferia Cordel Encantado, essa me surpreendeu.
A novela novela das 18:00 aparentemente promete vamos aguardar =)

Sérgio Santos disse...

Por isso que não entendi vc ter falado que a novela não é uma Fina Estampa. É lógico que não é. Nunca disse que era.

Sérgio Santos disse...

Bell, Cordel acertou em cheio ao mesclar sertão com realeza. Esse foi o grande trunfo dela. Essa próxima eu não estou animado pq a trama é a mesma que o Benedito sempre conta, mas pelo menos o diretor resolveu imprimir algo lúdico.

Anônimo disse...

É tão fácil criticar pra quem está de fora. "Joia Rara prometeu e não cumpriu". Presta atenção! As autoras sofreram uma baita pressão do começo ao afim! Sérgio, queria ver tu, Nilson, Kogut e mais uma porrada de 'críticos frustrados' como vcs escrevendo uma novela! Concordo com o comentário do Thallys e já que você falou das repetições das autoras, pois bem, pare de repetir o termo "subestimam o telespectador" que já está o uó do clichê! Aff!

Vinícius disse...

Parabéns, Sérgio! Nem terei o que colocar depois do que você escreveu. Também estava entusiasmado com essa novela mas foi uma decepção. Continuo vendo porque não tenho nada melhor pra assistir mas esse Manfred virou um personagem irritante e os sequestros e fugas lembram mesmo o Timotinho Cabral. Ainda acrescento o Clóvis de O Profeta que sequestrou várias vezes a Sônia.

Anônimo disse...

Ótimo texto! Vilão insuportável e situações ridículas! Mas o que eu quero saber mesmo é o que aconteceu com a Silvia!!!!!! Morreu???? O Viktor a engoliu e depois sumiu? E a vingança?????

Anônimo disse...

Entre flor do caribe e joia rara prefiro flor do caribe essa pelo menos chegou de mansinho e fez um enorme sucesso ja joia rara comecou bem e se tornou essa novela cliche que andou em ciclos durante sete meses flor do caribe foi UM MILHAO DE VEZES MELHOR do que essa novela cliche.e que venha logo meu pedacinho de chao pra salvar o horario das seis com uma bela historia que so o benedito sabe contar.

Felisberto Junior disse...

Olá,Bom dia,Sérgio
tal como sempre,com uma análise ponderada e sensata...é o caminho que muitos,não só autores de telenovelas, mas na vida real, também, o comodismo de procurar repetir fórmulas que já deram certo, se esquecendo que na vida tudo muda, as pessoas mudam etc etc ...e em telenovelas, pior porque, realmente, repetitivas cansam e subestimam o telespectador.
Obrigado, belo dia,abraços!

Melina disse...

Sérgio, abandonei essa novela justamente por isso. Já estava notando em a trama andava em círculos e que o vilão tinha virado uma cópia do de Cordel Encantado. Pelo visto tudo só piorou. E eu honestamente não acho o Carmo um grande ator. Nunca achei. Um beijo.

Flávia disse...

Serginho, concordo e vou até mostrar esse texto pra minha vó porque ela comentou exatamente isso dias atrás! Ela vai se sentir orgulhosa de ter feito a análise! kkkkk A novela se perdeu e o vilão virou uma cópia da novela delas anterior.

A Melina já tinha te falado isso mas eu vou copiá-la: parabéns pela sua paciência! Tu é um querido! bj bj

Lulu on the Sky disse...

Parabéns pelo post Sérgio. Vi poucos capítulos e encontrei várias similaridades com Cordel Encantado, a começar com a abertura com Gilberto Gil, além do elenco quase o mesmo o enredo em si não me agradou.
big beijos

MARILENE disse...

Sergio, você está certíssimo. A novela empacou (rss) faz tempo. E nossa paciência esgotou. Bjs.

Pedro Bertoldi disse...

Olá Sérgio.
Pouco me interessei por Joia Rara. Na verdade, antes da estreia eu tinha certa curiosidade de já que admiro o trabalho das autoras desde Cama de Gato (a melhor da dupla na minha opinião). Acredito que a "fórmula" delas é sempre uma trama ousada que mistura dois mundos diferentes (sertão X realeza, e budismo X comunismo). Funcionou em Cordel Encantado, mas em Joia Rara, os dois fios condutores foram esquecidos. O budismo e o comunismo (inicialmente bem representados) forma se perdendo gradativamente a medida que a história evoluía. As vedetes que prometiam boas cenas forma perdendo seu espaço e o Cabaré que seria um excelente espaço e que traria um charme a novela foi deixado de lado.
Sílvia se perdeu totalmente. Era muito complexa, mas se tornou uma mocinha enganada por todos. Amélia e Franz não me empolgam. Já Pérola, cujo todos esperavam com expectativa se tornou uma vidente ambulante ( qualquer semelhança com O Profeta é mera coincidência?).
O triangulo Gaia-Toni-Hilda perdeu a função, como já aconteceu antes em Cordel Encantado.
E Manfred, como não falar dele, se tornou um personagem perdido em meio a desdobramentos cíclicos e que cuja a repetição tirou sua complexidade, se tornando uma segunda versão de Timótio. Uma pena. Carmo merecia mais.
Lembrando que o venho aqui comentar, não é referente a atuações , mas sim a ganchos e desdobramentos da história.
Duca e Thelma são muito boas. Há boatos de que iriam para o horário nobre, mas eu preferia vê-las nas 7, como um teste.
P.S= Me metendo onde não fui chamado, mas concordo com o Thallis,AàV, também teve muitas licenças poéticas, como as facadas em Ninho que nem foram citadas aqui, mas SJ também teve várias situações parecidas que foram enxovalhadas. Por que? Por que era moda?

Gustavo Nogueira disse...

Assino embaixo no seu texto, Sérgio.O que tornou Joia Rara cansativa foi o Manfred ter virado o grande vilão e praticamente ter dominado a novela.Vários personagens sumiram e perderam a função, como a Sílvia, a Aurora, enfim, só para dar destaque ao Manfred.O Carmo não faz feio em cena, mas as caras e bocas dele irritam bastante, pelo menos a mim.Enfim, gostava bastante de Joia Rara, mas do meio para o final a novela se perdeu.Mesmo assim, não considero a novela ruim ou péssima.

Elvira Akchourin do Nascimento disse...

Concordo totalmente, Sérgio. As constantes tramoias e fugas do Manfred estão repetitivas e cansativas. Embora não se negue o talento de Carmo Dalla Vecchia, também acho o personagem parecido com o Fernando, de Amor Eterno Amor. Enquanto isso, outros personagens estão relegados a segundo ou terceiro planos. Essa reta final da novela perdeu o interesse, porque anda em círculos.

Alexandra Amaral disse...

Sérgio, eu continuo assistindo a novela e acho que ela tem alguns pontos positivos. O que eu não gostei mesmo foi o sumiço da Sílvia, ela simplesmente desapareceu da trama! E olha que ela parecia ser a vilã principal. E a história de vingança dela? Lembra? Engoliram? O mesmo para a Aurora, que prometia ser uma grande personagem mas acabou enfraquecida no desenrolar da história. Confesso que as vezes o Manfred me irrita com aquelas histórias e os gritos exagerados dele. os personagens da pensão da Conceição, é o que mais me anima nessa novela.

Ingrid Monreal disse...

A novela se perdeu mesmo infelizmente principalmente em exagerar no destaque manfred e em suas vilanias a começar por essa obsessao pela amelia e a repetitiva trama nao so no sequestro como nas fugas do manfred na reta final da novela.Alem do que isso fez com que os outros personagens perdessem espaço e sumissem como iolanda,aurora,mundo,budismo e desperdiçarem grandes atores mas para mim o pior foi a silvia que passou capitulos desaparecidos por causa do acidente para causar mais uma separacao entre amelia e franz e dar destaque a redençao de ernest e depois quando voltou foi uma semana de destaque para depois virar figurante quando poderia ter criado uma historia melhor construida para sua redençao,algumas coisas que ela fez nao vao ser nem faladas e o acertos de contas com ernest nao existiu,eu aguardava quando o ernest soubesse a verdade sobre ela ser zampari mas foi uma cena sem qualquer importancia eles nunca tiveram uma grande embate,sem contar que antes da redençao dela poderia colocar ela fazendo mais maldades mas nao aconteceu so se salvou pq apesar de tudo nathalia foi bem e teve quimica com rafael.Impressao que as autoras foram mudando a historia que acabaram se perdendo,deram destaque exagerado ao manfred

Thallys Bruno Almeida disse...

Em Joia Rara é subestimar o telespectador, mas em Amor à Vida é licença poética? Nossa, bela coerência...

Letícia disse...

Boa noite meu caro Sérgio, tudo bem?

Joia Rara é uma promessa que não se cumpriu... Ouvia falar na novela mais de um ano antes da sua estreia e havia muito expectativa em relação a ela, principalmente quando Mel Maia foi confirmada no elenco... Eu tive o prazer de assistir Cordel Encantado, e ao ver as chamadas para a estreia da novela eu fiquei até entusiasmada, porém, com o tempo e vendo que a novela começa a perder seu rumo por causa da exigência da audiência me desinteressar pela novela... Apesar do belo visual e da boa direção... É uma pena, tinha tudo para ser uma novela inesquecível se as autoras não tivessem se perdido na própria estória... As repetições de sequestros cansam com o tempo de demonstra falta de criatividade... Pena, quem sabe a próxima estória, as autoras tem mais sorte e acertam a mão...

Um grande abraço Sérgio e até a próxima...

Barbie Californiana disse...

Posso ser sincera? hahaa Estou ansiosa pela estreia da próxima novela, talvez eu assista, digo assim, pois vai depender de meu tempo, mas a atual nem estou vendo. beijinhos

Sérgio Santos disse...

Anônimo, elas sofreram pressão mesmo mas não souberam lidar com ela e se perderam na novela. Apenas isso. Vc gosta? Que bom, então aproveite a reta final.

Sérgio Santos disse...

Obrigado, Vinícius. Achei O Profeta ótima e nem me lembrava que o Clóvis tinha sequestrado a Sônia várias vezes. Lembrava só dele a prendendo no porão, mas então esse vício delas é antigo.

Sérgio Santos disse...

Anônimo, tb não sei. Essa foi mais uma personagem que se perdeu por completo. E ainda sobrou pro Viktor.

Sérgio Santos disse...

Anônimo, eu não gostei de Flor do Caribe e ela não fez um imenso sucesso, mas respeito sua opinião. Não sei se esse remake do Benedito será bom, vamos ver.

Sérgio Santos disse...

É verdade, Felis. Obrigado.

Sérgio Santos disse...

Melina, eu tb deixei a novela de lado há tempos. Mas não tão cedo quanto vc. Já sobre o Carmo, eu o acho mt bom, mas respeito não gostar. bjssss

Sérgio Santos disse...

Flávia, então me diga o que sua avó achou. rs E mt obrigado pelo carinho. bj

Sérgio Santos disse...

A abertura e o elenco tb lembram Cordel mesmo, Lulu. Bjsss

Sérgio Santos disse...

Isso, Marilene, se esgotou. Encheu. bjssss

Sérgio Santos disse...

Oi Pedro! Concordo praticamente com todo o seu comentário. E tb acho Cama de Gato a melhor novela delas. Essa sim foi ótima do início ao fim e com personagens valorizados.

Nem acrescentarei nada ao que vc falou de Joia, pq concordo. Sobre Amor à Vida, nem pode ser comparada com Salve Jorge que foi um festival de absurdos e ainda teve uma trama perdida, atores desvalorizados, enfim. E as licenças poéticas que citei em AAV, acontece em toda obra, inclusive Av Br, vide a Carminha não matar a Nina quando a enterrou viva. O que eu achei absurdo em AAV e critiquei, foi Paloma ser internada pq Félix bateu um papo com o juiz antes. Isso foi ridículo. Mas no saldo geral, não teve nada de absurdo na novela em comparação com qlq outra obra bem-sucedida. Abraços!

Sérgio Santos disse...

Pois é, Gustavo, se perdeu por completo. Não acho a novela péssima, mas mt longe de classificá-la como boa. No fundo foi uma decepção.

Sérgio Santos disse...

Obrigado, Elvira. Tá tudo andando em círculos e não há nada que desperte interesse. Cansou. E o personagem lembra mesmo o Fernando pq as situações são quase iguais. Isso sem falar do Timóteo, que aí é cópia mesmo. Bjssss

Sérgio Santos disse...

Alexandra, claro que a novela tem pontos positivos. Aliás, escrevi sobre todos durante sua exibição. Falei do Joel, do Ernest, da Aurora, de Silvia e Viktor, da Nathalia Dill, enfim... Mas eu tb citei tudo o que achei equivocado, que é o que mais aconteceu depois que a trama se perdeu. Bjsssss

Sérgio Santos disse...

Pois é, Ingrid. Obrigado pelo comentário.

Sérgio Santos disse...

Thallys, eu citei exemplo de licença poética em JR, vc leu? E vc não percebe que ao me criticvar usando esse argumento, vc está se criticando tb já que acha isso de AAV e não acha de JR. Sendo que eu deixei claro que o que subestima é o caso do Manfred e não a novela toda. Mas se vc acha plausível um cara sequestrar quem quiser toda hora,escapar quando bem entender e ainda aparecer em todos os lugares aceitável e nada cansativo, ok.

Sérgio Santos disse...

Olá minha cara Letícia, saudades! Eu era um dos mais empolgados com a novela. E no início acompanhava animado com os acontecimentos. Mas depois tudo se perdeu. E achei uma pena que a Mel não tenha feito a filha do Edgar em Lado a Lado pra fazer essa novela. A outra teria sido bem melhor pra ela. bjs

Sérgio Santos disse...

Barbie, eu acho que vc vai gostar daquele estilo lúdico. bjs

Anônimo disse...

ESSA RETA FINAL FOI UM FIASCO! TUDO ANDANDO EM CÍRCULO E UM VILÃO CHATA PRA CACETE! O FESTIVAL DE CRÍTICAS FOI MERECIDO!!!!!

Sérgio Santos disse...

Obrigado pelo comentário, anônimo.