quinta-feira, 21 de junho de 2012

Cadinho e suas mulheres: uma trama repetitiva sendo bem desenvolvida

Uma situação mais do que batida: um homem que se envolve com três mulheres e as engana por muito tempo. Essa é a trama de Cadinho (Alexandre Borges), cujo personagem e seu núcleo ficam bem deslocados das restantes histórias de "Avenida Brasil". Se antes havia muita resistência por parte dos telespectadores, hoje, pode-se dizer, que a rejeição do público teve uma queda bem significativa. E isto só aconteceu devido à estratégia de João Emanuel Carneiro, que conseguiu desenvolver esse núcleo de uma maneira bem criativa.


Um dos fatores que contribuiu para um bom desenvolvimento foi o fato de cada uma das 'esposas' do galinha terem filhos dele. Alexia (Carolina Ferraz) tem Paloma (Bruna Griphao), uma produção que seria independente caso Cadinho não tivesse descoberto as intenções da amante, após saber da gravidez. Verônica (Débora Bloch) tem Débora (Nathalia Dill) e Noêmia tem Tomás (Ronny Kriwat). Não há dúvidas que assim, a história não fica tão limitada a uma mesma situação, como o envolvimento do quarteto.

Outro acerto, e isto engloba toda a novela, foi a rapidez dos acontecimentos. Em uma trama tradicional, digamos assim, o autor (a) seguraria a descoberta da trigamia de Cadinho e revelaria somente nas últimas semanas. Mas João Emanuel Carneiro não
segura muito tempo seus trunfos e comprovou, mais uma vez, essa sua característica ao escrever cenas em que Noêmia e Verônica descobrem juntas a traição, antes mesmo da trama chegar na metade. Foi bem interessante, também, observar uma situação que fugia um pouco do comum nestas histórias de bigamia ou trigamia: Alexia sabia da existência das outras duas e era cúmplice do Cadinho.

Débora Bloch sempre foi a atriz que mais se destacou e continua dando show em cena. Já Camila Morgado começou fraca e repetitiva (lembrava muito a Malu, sua personagem em "Viver a Vida"); mas tem melhorado significativamente e agora diverte bastante nas cenas em que Verônica e Noêmia trocaram a condição de 'melhores amigas' para 'inimigas que se toleram através de muitas ironias e veneno'. Nathalia Dill, Bruna Griphao e Ronny Kriwat estão bem em seus papéis e não têm deixado a desejar. Já Carolina Ferraz e Alexandre Borges continuam repetindo atuações anteriores e não convencem.

O autor conseguiu reverter, ou pelo menos amenizar, uma rejeição inicial a este núcleo graças a sua criatividade e a forma ágil com que conduziu a história. Nos próximos capítulos, Paloma irá descobrir que Cadinho é seu verdadeiro pai e se revoltará. Se antes ela torcia para que sua mãe casasse com ele, agora irá fazer questão de destruir esse acontecimento. Ainda haverá a entrada da mãe de Alexia (interpretada pela grande Betty Faria), que infernizará o 'quase genro'. Isto sem contar que Verônica e Noêmia não vão parar de se meter em toda esta história. Ou seja, pelo que se nota, ainda teremos vários entraves no núcleo rico de "Avenida Brasil".

53 comentários:

Augusto César Vale disse...

Oi Sérgio! Realmente, o núcleo não tinha nenhum carisma no início, mas acabou surpreendendo pela agilidade com que os acontecimentos foram desenrolados.

Discordo quanto à Camila Morgado, que está hilária desde sempre. Carolina Ferraz, por sua vez, só agora parece mais à vontade no papel de Alexia. Por fim, adoro a Verônica chamando todo mundo de "amor", hehehehe...

Sérgio Santos disse...

Oi Augusto! Obrigado pelo comentário! No início o núcleo era muito rejeitado, mas aos poucos, o autor foi conseguindo diminuir isso. No início não gostava muito da Camila, ainda acho a Carolina repetitiva, mas nada de péssimo também. Verônica é a melhor personagem desse núcleo. Abração!

Elvira Akchourin do Nascimento disse...

Respeito sua opinião, Sérgio, mas continuo achando este núcleo o mais fraco da novela. A ação deu uma guinada quando Verônica e Noêmia descobriram a traição e se vingaram do Cadinho, mas acabou voltando à estaca zero.
Concordo com os elogios aos desempenhos de Débora Bloch e, agora, de Camila Morgado, e com as críticas aos mesmos trejeitos de sempre de Alexandra Borges e Carolina Ferraz.

Rita disse...

Bom dia !
Passando para deixar um alô sei
que vc merece todo meu carinho por
estar sempre me prestigiando.
Eu faço o mesmo te parabenizo por
tudo que vc faz de bonito nesse seu
espaço..Abraços
Rita!

Esse Cadinho sapeca eu não queria não
ms o ator é maravilhoso faz bem o papel eu adoro ! belo post

Froide disse...

Oiee,
Bom não assisto muita TV, mas ri muito no dia que vi uma cena deles, acho que o humor também faz as pessoas aceitarem melhor essas situações. É trágico e imoral, mas engraçado daí ter melhor recepção do público.

Att.

Clau disse...

Oi Sérgio,boa tarde :)
Esses dias vi uma cena da Carolina Ferraz com o Alexandre Borges,a até gostei,pois foi muito engraçado.
Mas como não tenho o hábito de assistir a novela,não imaginei que ambos não estivessem convencendo.
Ainda bem que vc me informa sobre esses acontecimentos!
Bjs!

Junior Suzuki disse...

Acho que a TV aberta piorou demais. Não consigo mais assistir. As novelas em si eram bem mais interessantes. Uma pena...

Paty Michele disse...

acho que o núcleo caiu no gosto do público pq é cômico. Mas nenhuma mulher em sã consciência apoiaria isso, né?
De vez em qdo acho chato, repetitivo, mas ainda espero que o Carlos Eduardo tenha o seu castigo!

bjo, Sérgio.

Vanda disse...

São muitas gargalhadas, adoro essa trama =)

Bia Hain disse...

hahaha, O Cadinho é danado e o papel está sendo tão bem interpretado que a gente não fica nem com raiva dele, hahaha. Confesso que embora não concorde com suas atitudes é uma das tramas da novela de que mais gosto. Um abraço!

Claudia Santos disse...

Olá Sérgio, eu particularmente não gosto da Camila Morgado, e acho também que o Alexandre Borges tem deixado a desejar e muito.
é uma pena, pois eu o acho um ótimo ator..Espero que este quarteto não caia no estilo pastelão.
Porque só mesmo em novela pra alguém conseguir por tantos anos sustentar uma mentira como esta.
Me admira a forma como você traduz a trama, o seu olhar é muito observador, e deixa a gente com vontade de assistir só pra poder trocar opinião com você depois,rsrsr muito bom ,parabéns.
Um beijo em ti.

Jeanne Geyer disse...

também gostei desta virada que o autor fez ao revelar antes do final a trama, e a reação dele surpreendeu pq afinal está dando a volta por cima e parece que vai continuar "enrolando" as esposas,rsrsrs
bjs

Kellen Bittencourt disse...

Olá amigo, de fato é repetitivo, mas hj em dia são tantas situações iguais em novelas, porém como vc disse tudo depende de como é escrito e interpretado, mesmo sendo repetitivo esta nos divertindo muito! Abraçoosss

Vera Lúcia disse...

Oi Sérgio,

Sem entrar no mérito da atuação de cada um, divirto-me bastante com este núcleo da novela. É claro que não há nada de proveitoso nele, em termos de conteúdo. Pelo contrário, é uma situação que seria repulsiva na vida real. Mas novela é novela e este núcleo representa a parte cômica da trama.

Abraço.

Thallys Bruno Almeida disse...

Ótimo artigo, Sérgio. O núcleo, quando começou, parecia igual a todos os outros, mas os elementos extras, como Paloma, Débora, Tomás e Otorrino Rui, deram uma boa vida ao mesmo. Carolina Ferraz está repetitiva e só convenceu quando Alexia revelou às duas que o marido delas era o mesmo. No caso de Alexandre Borges, definitivamente, a praia dele não é a comédia. Curiosamente, Camila Morgado de início estava repetindo a Malu de Viver a Vida, mas surpreendeu nos últimos. Débora Bloch é de longe a melhor de todo o núcleo, que ainda ganhará o reforço extra da grandiosa Betty Faria. Grande abraço!

Mary Miranda disse...

Sérgio, amigo meu!

Sei do esforço enorme de João Emanuel e da destreza que tem para escrever boas tramas, mas não dá, não engulo aquele quarteto amoroso de jeito nenhum!
Acho chato, descartável, imoral e sem graça, apesar das boníssimas interpretações dos atores! Com tanta coisa legal na novela, quando dá essas cenas, saio de perto, vou fazer outras coisas, esperando cenas de Carminha, Leleco, Nina/Rita e Tufão!
Aquela "ariranha" também me chateia, mas ainda consigo curtir um bocadinho mais que o quarteto...
Ainda bem que a novela é muuuuuito rica em personagens atraentes; até os que menos aparecem, como Olenka e talz...
Mas gostei de seu artigo porque tive que refletir num ponto: como grande autor de novelas, João mostrou que é mesmo habilidoso, injetando elementos novos (como filhos) para dar um diferencial.
Enfim, sempre acho um desperdício colocar atores grandiosos como Débora Bloch, Alexandre Borges e nossa maravilhosa eterna Olga Benário, Camila Morgado, para papéis de riso fácil. Acho que mereciam coisa melhor em suas carreiras...

Um abração daqueles, cumprimentando-o por mais um grande artigo!

Mary:)

Zilani Célia disse...

OI SÉRGIO!
ACHO QUE A ACEITAÇÃO DESTA NOVELA SÓ TEM A VER COM A RUINDADE DA ANTERIOR, QUE FOI DECEPCIONANTE,NA QUAL SE VIU ATORES E ATRIZES,CONSIDERADOS DE PRIMEIRA EM PAPÉIS RIDÍCULOS.ABRÇS

zilanicelia.blogspot.com.br/
Click AQUI

Carolina disse...

eu acho esse núcleo o mais chato e inútil da novela,sem contar que esse Alexandre Borges faz sempre o mesmo personagem, o sujeito não muda as caras e bocas que ele faz sempre.

Sérgio Santos disse...

Oi Elvira, obrigado pelo comentário. Também respeito sua opinião. Agora com a entrada de Betty Faria creio que a situação ficará ainda melhor. Vamos ver no que vai dar. Beijos!

Sérgio Santos disse...

Oi Rita, obrigado pela mensagem bonita de sempre e pelo comentário. Cadinho não vale nada mesmo. Beijos!

Sérgio Santos disse...

Oi Froide, a situação em si não tem a menor graça mesmo, pois trata de uma traição, ou melhor, várias traições. Mas as ironias de Verônica e Noêmia acabam sendo divertidas. Abraços e obrigado pelo comentário.

Sérgio Santos disse...

Oi Clau, boa noite! Na verdade expus uma opinião que muitos têm tido a respeito da atuação de Alexandre Borges e Carolina Ferraz, mas nada impede que você goste dos desempenhos. O núcleo era bem chato, mas melhorou muito. Obrigado pelo comentário. Beijos.

Sérgio Santos disse...

Oi Junior, obrigado pelo comentário. Olha, discordo de você. A tv aberta tem muitos programas de qualidade, incluindo novelas; embora, claro, também tenha muita coisa de gosto duvidoso. Abração!

Sérgio Santos disse...

Oi Paty! Você tem razão, qualquer mulher com um pingo de amor-próprio jamais apoiaria uma situação dessas. Mas o tom de comicidade facilita a aceitação do público mesmo. Beijos!

Sérgio Santos disse...

Oi Vanda. A novela tem agrada bastante mesmo e até esse núcleo acabou melhorando a aceitação. Beijos!

Sérgio Santos disse...

Oi Bia! Imaginei que você gostasse mesmo mais dessa trama por causa da sua preferência por coisas leves. O Cadinho não vale o que come. Beijos!

Sérgio Santos disse...

Oi Claudia, você que é gentil. Muito obrigado. Achei a Camila bem fraca no início da novela, mas agora tenho gostado do seu desempenho. Mas o Alexandre continua repetitivo, uma pena. Vamos ver como as situações serão desenvolvidas daqui pra frente. Beijos e obrigado pelo comentário!

Sérgio Santos disse...

Oi Jeanne, pois é, o Cadinho está conseguindo colocar Noêmia e Verônica como inimigas e já está começando a fazê-las de bobas novamente. Beijos!

Sérgio Santos disse...

Oi Kellen, obrigado pelo comentário. Tentei traduzir um pouco como o núcleo é batido, embora esteja sendo desenvolvido de uma forma mais atrativa. Na minha opinião, o autor tem acertado. Beijos!

Sérgio Santos disse...

Oi Vera, exato. Fora da ficção isso não tem a menor graça, muito pelo contrário. Mas da forma como está sendo tratada e da maneira criativa que o autor tem desenvolvido o tema, há bons resultados em cena. Beijos!

Sérgio Santos disse...

Obrigado, Thallys! No início estava muito chato acompanhar esse núcleo, mas com o tempo as coisas parecem que foram se acertando. Debora é a melhor e se destaca merecidamente. Camila melhorou muito, ao contrário de Carolina e Alexandre. O Otorrino Rui foi outro atrativo mesmo. E agora a entrada da Betty Faria tem tudo para deixar a trama ainda melhor. Abração.

Sérgio Santos disse...

Oi amiga Mary, obrigado pelo comentário! Ainda há uma parte do publico que continua detestando o núcleo e você faz parte desse índice. Realmente a Camila Morgado é muito melhor no drama do que na comédia. A situação vivida pelo quarteto fica meio deslocada na história e a única ligação com a trama central é o fato de Débora ser namorada do Jorginho. Acho que daqui pra frente você gostará um pouco mais da Suelen porque ela fará uma boa parceria com o Roni. Beijos e obrigado pelo carinho de sempre!

Sérgio Santos disse...

Oi Zilani, olha concordo com você em partes. Fina Estampa foi uma novela péssima e merecedora de todas as críticas que recebeu, porém, Avenida Brasil é uma grande trama e cheia de qualidades. Merece a aceitação e o sucesso que vem fazendo. Beijos e obrigado pelo comentário.

Sérgio Santos disse...

Oi Carolina, obrigado pelo comentário. No início da novela tinha a mesma opinião que você. Mas com o desenvolvimento interessante que a história foi tendo, passei a gostar. Mas concordo a respeito da atuação do Alexandre Borges. Não convence. Beijos!

Sissym disse...

Sergio, querido amigo, estou em falta com todos, mas prometo para reorganizar a participar mais.

Tenha uma ótima semana,
carinhosamente,
Sissym

VERINHA disse...

Oi amigo Sérgio,
Gosto muito do trabalho da atriz Camila morgado, adorei a mini serie em que ela atuou como Manuela de Paula Ferreira em a casa da sete mulheres e tantos outros papeis em que ela participou, como também quando interpretou uma jornalista lésbica em JK. Papeis muito fortes, então penso que ela esta muito bem em uma trama cômica como uma das mulheres de Cadinho. Não olhando pelo olho critico o qual não possuo, olhando pela diversão que é este quarteto de grandes atores.
UM grande abraço amigo e um fim de semana maravilhoso.

Milene Lima disse...

Eu cheguei toda cheia de receio em meter o malho na Carolina Ferraz, que, entra novela, sai novela, interpreta a si mesma. Mas li que alguns tem sobre ela a mesma opinião. Tenho saudades da Camila Morgado de "A Casa das Sete Mulheres", depois disso, não gosto de nada que ela tenha feito. Débora Bloch é uma mestra! E olhe que o personagem nem exige tanto assim, mas o "amor" dela é impagável. A trama em si, não curto muito não também. É capaz que ele fique com as três e ainda arrume outras de reserva.

Bom vir aqui e "novelar" contigo, Sérgio.

Beijo!

ELAINE disse...

Amigo Sérgio! Pelas tuas considerações, até dá vontade de dar mais uma chance a dramaturgia televisiva, contudo ainda me sinto meio reticente, devido as últimas e fracassadas tentativas... Talvez futuramente, meu marido já embarcou na "Gabriela", eu meio que ou uma espiadinha, rsrsrs! Segunda-feira, dia 25 de junho, terei postagem nova, na qual explico sobre a alternância de postagens e os respectivos dias!
Um final de semana iluminado!
Abraço fraterno e carinhoso!
Elaine Averbuch Neves
http://elaine-dedentroprafora.blogspot.com.br/

Sérgio Santos disse...

Oi Sissym, tenha uma ótima semana você também! Obrigado pelo carinho de sempre. Beijos!

Sérgio Santos disse...

Oi Verinha! Camila é uma atriz dramática de imenso talento. As personagens citadas por você foram muito bem defendidas por ela e agora, com a Noêmia, temos cenas recheadas de ironias e sarcasmo. Beijos e obrigado pelo comentário.

Sérgio Santos disse...

Oi Milena, gostei do termo 'novelar'. Não duvido que no final Cadinho fique com todas mesmo, fato que ocorreu em "Passione" com o Berillo (Bruno Gagliasso), só pra citar a trama mais recente. Camila teve um ótimo desempenho em "A Casa das Sete Mulheres" e agora, após um início fraco, também a tenho acho bem como a Noêmia. Deborah Bloch é maravilhosa. Beijos e obrigado pelo comentário.

Sérgio Santos disse...

Oi Elaine, seu marido tem bom gosto porque "Gabriela" está muito bacana de se ver. Ainda vou te convencer em voltar às novelas, me aguarde. Ah sim, ficarei atento, pode deixar. Beijos.

Fabio Silms disse...

Bom, temos que admitir que esses atores estão arrebentando nessa novela! Ah, e Parabéns pelo blog!

Rafael Barbosa dos Santos disse...

Sempre fui fã do núcleo desde o primeiro capítulo, e nunca entendi a implicância do publico kkk. Concordo que Carolina a principio não estava muito a vontade no papel e Alexandre muitas vezes pareceu viver novamente Jackes Leclair (acho que é assim que se escreve hehe), quanto a Camila Morgado, sempre gostei de Noêmia, e Verônica sempre arrasa, é a melhor. O núcleo está ótimo, agora é ver o que vem pela frente. òtimo post, Sérgio.

http://brincdeescrever.blogspot.com.br/

Carol disse...

concordo com o comentário que a Camila Morgado esta sendo mal aproveitada com personagens ruins, acho que o mesmo acontece com a andreia horta( embora ela esteja só começando.

Carol disse...

A trama em si, não curto muito não também. É capaz que ele fique com as três e ainda arrume outras de reserva. [2]

exatamente, como disse anteriormente é a parte mais chata e inutil da novela,e provavelmente não dará em nada, eles ficam rodiando e no fim ele vai acabar com 3 4 5..
não dá para engolir mulheres inteligentes sendo enganadas desse jeito,acho que o mesmo se aplica ao tufão (como ele não descobre nada?)

Sérgio Santos disse...

Oi Fabio, obrigado pelo elogio e comentário. Abração!

Sérgio Santos disse...

OI Rafael, obrigado pelo comentário e elogio. No início não suportava esse núcleo e tinha quase certeza que seria aquela mesma baboseira de sempre; não que não seja, no entanto, o autor está desenvolvendo de uma maneira criativa e não enrola o público. Deborah Bloch está bem desde o primeiro capítulo. Abração!

Sérgio Santos disse...

Oi Carol, obrigado pelo comentário. Quero ver darem para a Camila um papel mais denso e dramático, pois ela domina esse gênero como poucas. Porém, ao contrário da Malu de "Viver a Vida", agora a acho bem nesse perfil cômico e está sendo valorizada em "Avenida Brasil".

Sobre a Andreia Horta, publiquei um texto falando dela e concordo com você. Ela já mostrou que é capaz de interpretar uma protagonista, vilã, ou um personagem de maior importância. A Valéria de "Amor Eterno Amor" é mais interessante do que seu papel em "Cordel Encantado", mas ainda assim deixa a desejar. Beijos.

Nanda Botelho disse...

Boa análise! Sou noveleira desde que me entendo por gente e uso os temas abordados em novelas, para refletir nosso próprio comportamento e crenças no meu trabalho de psicoterapeuta.

Gostei muito do seu blog!!!

Laura Roratto Foletto disse...

Olá pessoal,

Gostei muito da análise feita, mas fico me questionando quanto a alguns pontos desse núcleo da novela, por exemplo, a bigamia ou as relações que Cadinho matem com as três mulheres é aceitável nos dias de hoje? ou é algo em que é considerado inadmissível esse tipo de atitudes, uma vez que isso possa ocorrer na vida real?
E também o fato de Alexia saber das outras esposas dele e mesmo assim, no início se sujeito a ter um relacionamento com ele.
Será que o fato de ter várias mulheres é algo permitido na nossa sociedade ainda, visto que isso é considerado viril aos homens? E no caso da Alexia me parece que há um consentimento desse dito machismo do Cadinho, sendo conivente com a atitude dele.


pessoal,quero comunícá-los também que estou fazendo uma pesquisa sobre a novela nos blogs, estou analisando os posts e os comentários. E gostaria de convidá-los para participarem de uma entrevista pela internet.
Caso haja interesse de algum de vocês em me ajudar no meu trabalho de TCC, envio o meu e-mail laura.roratto@hotmail.com, coloquem no assunto: TCC que eu saberei daí.

Muito obrigada pela ajuda, envio também o meu currículo lattes: http://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4450468H8

Sérgio Santos disse...

Oi Nanda, muito obrigado pelo comentário. Que legal esse seu trabalho, gostei bastante e nem sabia que se tinha algo assim. Beijos!

Sérgio Santos disse...

Oi Laura, obrigado pelo comentário. Creio que depende de cada pessoa, porque, infelizmente, há mulheres que toleram isso. Mas ali é uma ficção e acho que vale pelo entretenimento. Beijos.