quarta-feira, 29 de março de 2017

"Novo Mundo" mal começou e já exibiu uma ótima sequência de batalha

A nova novela das seis mal estreou e já vem esbanjando capricho, exibindo cenas de grande qualidade, onde o trabalho da direção de arte, figurino e do diretor Vinícius Coimbra ficam em evidência. A sequência que mais impressionou até então foi exibida nesta segunda-feira (27/03), focando em ótimos embates entre piratas e a guarda Real que protegia a princesa Leopoldina (Letícia Colin) em sua viagem para o Brasil. Foi tudo realizado em um navio construído especialmente para essa novela e não ficou devendo em nada aos filmes do gênero, tendo a saga "Piratas do Caribe", da Disney Pictures, como principal referência.


O ataque da gangue liderada pelo pirata Fred Sem Ama (Leopoldo Pacheco excelente) teve um quê de aventura infantil e isso não foi um demérito, muito pelo contrário. Deu um toque de fantasia mais do que bem-vindo, ao mesmo tempo que apresentou um perfil que representa parte da história do Brasil como vítima de um sequestro. Ainda funcionou plenamente para enfatizar a valentia do casal de mocinhos formado por Joaquim (Chay Suede) e Anna (Isabelle Drummond), além de ter mostrado a faceta corajosa e cômica da princesa Leopoldina e a vilania de Thomas (Gabriel Braga Nunes). Ou seja, desenhou melhor alguns dos principais personagens para o público.

Não é exagero comparar os momentos com filmes da Disney, pois, mesmo sem os efeitos especiais de primeiro mundo (até porque não há criaturas sobrenaturais, monstros ou algo do tipo), todas as cenas de luta impressionaram. Tanto pela coreografia dos atores e figurantes, quanto pelos diálogos inspirados, vide o divertido momento em que Joaquim pediu Anna em casamento enquanto os dois batalhavam com os piratas, com direito a socos, chutes e espadadas.
Não foi algo direcionado a uma comédia explícita, mas divertiu justamente pelo inusitado da situação, ressaltando mais uma vez a imensa sintonia dos protagonistas. Quase um humor involuntário em meio instantes de tensão.

A invasão de Fred Sem Alma expôs as verdadeiras intenções de Thomas na família Real (é na verdade um infiltrado) através de uma conversa do pirata com o capitão, deixando claro um vínculo dos dois. A valentia do carismático Joaquim também foi um dos principais focos em torno do sequestro de Leopoldina, uma vez que o destemido rapaz a salvou de vários piratas e ainda conseguiu libertar sua amada, que não se intimidou e partiu para cima de todos que vieram atacá-la. Vale citar a ajuda de Piatã (Rodrigo Simas), irmão de criação da mocinha, que lutou ao lado dela ----- com direito ao consentimento da mão da menina ao mocinho em meio aos enfrentamentos, divertindo quem assistia. O capítulo todo foi voltado para isso, tirando o fôlego do público.

Já a cena final destacou o talento dos intérpretes, provocando uma grande virada na história. Joaquim e Anna trocaram olhares apaixonados em meio aos embates no navio, mas Thomas atirou no rapaz propositalmente enquanto lutava com Fred Sem Alma. O mocinho acabou caindo no mar, para o desespero da professora de Leopoldina. Isabelle Drummond passou toda a dor da menina com extrema perfeição e foi quase impossível não ter chorado com ela. A escolha dos autores foi mais do que acertada e não poderiam ter selecionado uma intérprete melhor para o papel. É um talento. Chay também merece elogios por todos os momentos no navio, além, claro, de Letícia Colin, emprestando toda sua graciosidade para a princesa.

A 'morte' de Joaquim marca uma nova fase da novela, pois o rapaz acaba em uma aldeia indígena enquanto todos acham que ele morreu nas profundezas do oceano. Anna entra na fase de luto, virando alvo fácil para Thomas, e os mocinhos ficarão separados por quatro anos ----- haverá uma passagem de tempo. Ou seja, a solução para a separação do casal central não poderia ter sido mais interessante para o roteiro, pois implicou em uma sucessão de cenas bem realizadas e momentos que fizeram o telespectador voltar à infância, mergulhando de cabeça em uma deliciosa fantasia.

Os autores Alessandro Marson e Thereza Falcão --- além de Vinícius Coimbra, que contou com a ajuda do diretor inglês Andy Armstrong (com anos de experiência em Hollywood)  --- foram muito felizes na elaboração de toda essa trabalhosa sequência de luta, provocando uma reviravolta arrepiante com apenas seis capítulos exibido até agora. Um ato de ousadia, mostrando que a dupla ainda deve ter muitas cartas na manga ao longo de "Novo Mundo". Pelo menos é o que se espera.

18 comentários:

Vivian disse...

Foi uma cena maravilhosa mesmo. Adorei!!

Anônimo disse...

Estou amando essa novela!

Gisela disse...

Eu fiquei sem fôlego e a Isabelle me fez chorar muito com a Anna!

Gustavo Nogueira disse...

Que novela boa é essa Sérgio, estou amando!As personagens que eu mais gosto são a Anna e a princesa Leopoldina, e as atrizes estão ótimas e fazendo uma grande parceria, que já foi vista na ótima Sete Vidas.Isabelle Drummond está emocionando a cada capítulo e o par dela com o Chay Suede(que também é talentoso)?Eles têm muita química e os mocinhos deles não são chatos, ao menos por enquanto.Gabriel Braga Nunes enfim ganhou um ótimo personagem, após fracas atuações em Em Família e Babilônia.Não gosto do Caio Castro como Dom Pedro, o acho um ator muito fraco, mas ele ontem fez uma boa cena com o Léo Jaime em que eles falavam sobre a infelicidade do casamento sem amor.Essa e a das 7 são as melhores tramas atualmente.

Debora disse...

Olá Sérgio tudo bem???


Essa cena eu assisti e fiquei impressionada com a realidade dela!!! Tô achando essa novela linda, tomara que continue assim!!!


Beijinhos;
Débora.
http://derbymotta.blogspot.com.br/

William O. disse...

A Kogut deu dez hoje para esse capítulo e vc escreveu esse texto ótimos. Adorei.

porlapazyporlavida lc disse...

Zamenzito, to amandoooo a novela. Destaco Chay, Isabelle, Letícia e Leopoldo Pacheco. Eles estão maravilhosos demais. Amando muitoooo. Muito empolgante essa novela. E esse quê de fantasia é muuuuuito bem-vindo. Vixe, já usei muito "muitooo". Hahahaha. É pra vc sentir minha empolgação. hahahahaha. Beijos e até a próxima!

Raquel disse...

Fala Sérgio!

Gostei muito das cenas de todo mundo nesse capítulo, menos o pedido de casamento do Joaquim pra Anna. Achei forçado. Ainda mais os dois se beijando com todo mundo brigando em volta.

Mas a novela está mesmo ótima! Não é à toa que esse capítulo bateu os 30 pontos do Rio... Que venham mais!

F Silva disse...

Algo a comentar...

É Sérgio, concordo plenamente com o post. A novela é puro capricho...

Porém...

...estou com uma pequena cisma, pequena mesmo, com Tereza Falcão e Alessandro Marson. Eles estão construindo os romances de uma forma muito acelerada, com situações um tanto quanto forçadas.

Nós sabemos, que um, dos muitos aspectos para uma trama fazer sucesso junto ao público, é a construção de lindas e românticas histórias de amor.

É clarividente a química entre Chay Suede e Isabelle Drummond, mas a paixão deles aconteceu de forma rápida ao extremo, e com muita pouca história.

A cena do pedido de casamento, com direito a "momentos de intimidade" como bem observou o Piatã, em meio ao tilintar de espadas na luta contra os corsários, soou pouco crível, jocosa e muito esquisita. O que salvou foi a cena final do capítulo com direito a um show de interpretação de Isabelle Drummond. Uma cena épica!

E me parece que é assim que os autores vão conduzir os casais românticos da trama. Talvez pra seguir o evidente ritmo ágil da trama, os casais se conhecem, se apaixonam perdidamente, se separam, e sofrem pelo amor perdido em muitíssimos poucos capítulos. Isso requer um cuidado, uma cautela pra não se tornar um samba do crioulo doido.

Já se sabe que o Joaquim não dará prioridade ao seu amor por Anna, ele irá sacrificar esse amor em prol da causa indígena e do processo de independência junto a Dom Pedro. Será que Anna será aquela mocinha sofredora, por uma rápida e meteórica paixão?

A Jacira de Giulia Buscácio, irá se encantar, primeiramente por Joaquim, depois por Ferdinando de Ricardo Pereira, depois por Piatã de Rodrigo Simas. Nada animador assim paixões tão frágeis, superficiais e com pequena carga de emoção.

Como será a construção do romance da Domitila de Agatha Moreia com o Dom Pedro. Já que será também amante de Chalaça de Rômulo Estrela que será completamente apaixonado por ela?

Personagens que se apaixonam e se desapaixonam tão rapidamente assim soa muito estranho e corre sério risco de não pegar. Os triângulos amorosos existem né, porém, em meio a uma trinca mal construída não dá pra engolir.

A não ser que a tônica de Marson e Falcão não seja o romance. Mas sim, numa aventura cheia de reviravoltas. Só que eu acho que uma grande aventura permeada por romances bem construídos é melhor ainda.

Como eu disse no começo do comentário, é apenas uma pequena cisma minha... vamos acompanhar e se divertir.

beijos Sérgio...

Sérgio Santos disse...

Idem, Vivian!

Sérgio Santos disse...

Eu tb, anonimo.

Sérgio Santos disse...

Tb fiquei, Gisella.

Sérgio Santos disse...

Tb to adorando a novela, Gustavo. Mas acho o Gabriel mais do mesmo.

Sérgio Santos disse...

Verdade, Debora.

Sérgio Santos disse...

Eu vi, William!

Sérgio Santos disse...

A novela merece sua empolgação, porlapazyporlavida lc ! haha bjssss

Sérgio Santos disse...

Eu achei divertidíssimo, Raquel.

Sérgio Santos disse...

Aguardemos, F Silva. bjsss