quinta-feira, 3 de novembro de 2016

Marisa Orth pôde explorar uma faceta dramática pouco conhecida em "Haja Coração"

Todo ator foge do estigma. Nenhum intérprete gosta de ser conhecido apenas por um determinado tipo de papel. O sonho de um profissional das artes cênicas é justamente ter a possibilidade de exercer versatilidade, mostrando que é capaz de viver qualquer tipo. Nem todos conseguem. Alguns por falta de oportunidade e outros por falta de talento mesmo. Marisa Orth, por exemplo, ficou conhecida por muito tempo pelos seus papéis cômicos, especialmente a inesquecível Magda, de "Sai de Baixo". Mas, em "Haja Coração", pôde mostrar que também tem talento de sobra no drama.


A batalhadora Francesca se viu abandonada pelo marido ---- o sumiço de Guido (Wernner Schunemann) foi um dos 'mistérios' da novela, só sendo revelado no último mês ---- e criou os quatro filhos sozinha, trabalhando como feirante. Tem uma relação de cumplicidade com o filho Giovanni (Jayme Matarazzo), enquanto demonstra um grande afeto por Tancinha (Mariana Ximenes) e uma superproteção com Shirlei (Sabrina Petraglia). O seu relacionamento com Carmela (Chandelly Braz) é bastante problemático e ainda demorou muito para se abrir a um novo amor. Ou seja, é um perfil que não tem absolutamente nada de cômico.

Daniel Ortiz confiou no talento da atriz para o papel e valeu a pena. Inicialmente, a personagem seria interpretada por Christiane Torloni, com quem o autor trabalhou em "Alto Astral", mas a intérprete foi deslocada para "Velho Chico", havendo assim a troca. Sorte da Marisa, que pôde exercer uma faceta não muito conhecida do grande público.
Ela soube demonstrar toda a firmeza daquela forte mulher, protagonizando bons momentos de emoção, principalmente quando a amorosa mãe fazia questão de estar presente ao lado dos filhos, os defendendo de tudo e todos.

A personagem não era uma das principais e quase sempre serviu de escada para os demais. Entretanto, isso em nada afetou o desempenho de Marisa, que soube aproveitar as oportunidades. Aliás, a relação de Francesca com Shirlei e Carmela foi a principal riqueza do perfil. A mãe nunca contou para ninguém que a sua filha com desvios de caráter tinha sido a responsável pela deficiência da caçula. O trauma foi guardado a sete chaves, provocando constantes embates entre as duas, onde a mágoa se sobressaía. O passado obscuro, que só foi revelado na antepenúltima semana de novela, implicou em uma das melhores cenas do folhetim, resultando na total entrega das intérpretes. Marisa emocionou durante todo o relato sofrido de uma mulher que tentou proteger as duas filhas, mas acabou prejudicando psicologicamente ambas.

E a vida amorosa de Francesca também merece menção, pois proporcionou para Marisa cenas mais leves com Paulo Tiefenthaler, intérprete do metódico Rodrigo. O novo amor da matriarca sofre de TOC (Transtorno Obsessivo Compulsivo) e a construção da aproximação deles foi interessante, com direito a uns instantes mais cômicos, área que a atriz domina. Ainda em torno das situações amorosas, vale elogiar o momento em que a personagem flagra Guido vivo e o estapeia, exibido nesta quinta (03/11). Já a sua rivalidade com a família Abdala poderia ter sido muito mais explorada, pois não faltaria cena ótima protagonizada por ela, Cláudia Jimenez (Lucrécia) ---- sua colega de "Sai de Baixo" ---- e Grace Gianoukas (Teodora). Mas a situação acabou prejudicada pelo equívoco do autor em retirar Teodora da novela somente porque o mesmo havia ocorrido em "Sassaricando", obra que baseia a atual versão.

A atriz estreou na televisão em "Rainha da Sucata" (1990), onde viveu a tímida e desengonçada Nicinha, e em 1992 participou da icônica "TV Pirata". Ela ainda esteve em "Deus Nos Acuda" (1992), além de ter marcado presença no especial "A Comédia da Vida Privada" e em alguns episódios do "Você Decide" (1995). Entre 1996 e 2002 viveu o auge da sua carreira na pele da burra Magda em "Sai de Baixo", seu papel mais marcante. Com o fim do sitcom, integrou o elenco de várias séries cômicas, como "Os Aspones" (2004), "Minha Nada Mole Vida" (2006), "S.O.S - Emergência" (2010), "Macho Man" (2011) e "Odeio Segundas" (2015), além de ter feito parte de outra sitcom: o "Toma Lá Dá Cá" (2007/2009). "Agora é que são elas" (2003), "Bang Bang" (2005) e "Sangue Bom" (2013) ---- onde deu show como Damáris --- foram outras novelas que contaram com seu talento. Mas sempre fazendo perfis voltados para o humor. Uma das raras exceções foi a série "Dupla Identidade" (2014), onde interpretou a amargurada Silvia, esposa de um político corrupto.

Agora, em "Haja Coração", Marisa Orth tem conseguido exercitar uma faceta pouco explorada, provando que é tão talentosa no drama quando sempre foi na comédia. Francesca foi uma personagem defendida com competência pela atriz, que foi um dos destaques positivos de uma novela que apresentou vários problemas de percurso.

15 comentários:

Lina disse...

Sérgio, saiba que espero sempre ansiosa por seus post. Quase sempre concordo com as corretíssimas opiniões do mestre. Marisa é talentosíssima. Não me surpreende que ela esteja tão bem nessa pegada mais dramática. Teve uma cena na deliciosa Sangue Bom, que a doidivanas Damaris estava melancólica e amei a Marisa dramática. Só faltava Marisa Orth set bela pra ser musa.

Anônimo disse...

Adorei o texto mais do que merecido!

Lina disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Sabrina disse...

Ela me surpreendeu.Pena que a novela é um horror.

Anônimo disse...

Tomara que ela leia! Muito boa crítica!

✿ chica disse...

Sempre ótimas tuas críticas! Lindo fds! abração,chica

Felisberto N. Junior disse...

Olá, Sérgio...isto é a pura verdade,tentam fugir do estigma. Até um certo tempo,quando se referiam à Marisa Orth, só me lembrava da Magda, de "Sai de Baixo. Muito bom vê-la interpretando "drama" com tal desenvoltura, talento e competência. Bela análise/crítica,como sempre!
Agradeço pelo carinho de sempre, Bom finde,Belos dias,abraços!

Elvira Akchourin do Nascimento disse...

Também gostei de ver o desempenho da Marisa Orth. Um(a) ator (atriz( deve procurar variar os (as) personagens.

Sérgio Santos disse...

Fico honrado, Lina! Escrevo pra vcs mesmo! bjão!

Sérgio Santos disse...

Obrigado, anonimo.

Sérgio Santos disse...

Vdd, Sabrina.

Sérgio Santos disse...

Quem sabe, anonimo.

Sérgio Santos disse...

Mt obrigado, Chica.

Sérgio Santos disse...

Fico feliz que tenha gostado, Felis. abçs

Sérgio Santos disse...

Sem dúvida, Elvira!