segunda-feira, 7 de novembro de 2016

Mariana Ximenes compôs uma ótima Tancinha em "Haja Coração"

"Haja Coração" chega ao fim nesta terça (08/11), marcada por altos e baixos. Apesar do êxito nos números de audiência, a novela de Daniel Ortiz teve sérios problemas de condução e equívocos evidentes. Entre eles a falta de um enredo que fizesse jus ao protagonismo de Tancinha, personagem icônico de Cláudia Raia em "Sassaricando", que voltou ao ar 29 anos depois nas mãos de Mariana Ximenes. Mas, apesar da falta de história, o perfil foi defendido com brilhantismo pela intérprete, cujo desempenho arrancou merecidos elogios.


Na novela original de Silvio de Abreu, exibida em 1987, Tancinha era um perfil pequeno que foi crescendo até dominar a trama, ofuscando o enredo principal. Tudo graças ao talento de Cláudia Raia, que adotou um tom caricato da feirante que comia o plural, inseria o pronome 'me' em todas as frases e exagerava no sotaque paulistano. Visando esse sucesso, o autor optou em transformar a personagem em protagonista de "Haja Coração". Entretanto, se esqueceu de criar um enredo digno de perfil principal e que move a história. Inicialmente, até parecia que a trama dela renderia, pois a rivalidade com Fedora (Tatá Werneck) funcionou e a investigação sobre o desaparecimento do pai gerava interesse.

Mas ao longo dos meses nada se manteve. A rivalidade da feirante com a patricinha se diluiu quase por completo e a procura dela pelo pai acabou sem maiores explicações. A única função da personagem passou a ser a indecisão amorosa. Tancinha ficou 'divididinha' entre Beto (João Baldarreini) e Apolo (Malvino Salvador), protagonizando cansativas idas e vindas com ambos. Até mesmo o sonho da personagem (fazer balé) era fruto do desejo da mãe e não dela.
Somente perto do final da novela, o autor resolveu colocá-la para adotar os três irmãos órfãos de um dos núcleos mais avulsos da produção com o intuito de destacar um pouco mais o perfil. E apesar de todos esses problemas de desenvolvimento, a atriz conseguiu mostrar seu talento.

Ao contrário de Cláudia Raia, Mariana optou por um tom mais ameno, atenuando bastante a caricatura. A sensualidade da personagem também não foi tanto explorada, ao contrário da versão original. Também houve a preocupação em não copiar absolutamente nada do que foi feito na época, por mais datado que o perfil tenha sido. E isso não significa que a atual Tancinha foi melhor ou pior que a outra. Foi simplesmente diferente. As atrizes conseguiram criar tipos excelentes em distintas épocas, mesmo tendo interpretado a mesma mulher. Cada uma emprestou particularidades para o papel. A Tancinha de 1987 e a Tancinha de 2016 tiveram o mesmo carisma, mas composições que em nada se assemelharam.

Mariana mostrou domínio no papel logo no início, provando que era mesmo a profissional ideal para interpretar um tipo tão marcante. Suas cenas com Marisa Orth, intérprete da mãe Francesca, foram muito boas, assim como os momentos divertidos protagonizados ao lado de João Baldasserini. É uma pena que ao longo da novela a atriz tenha tido tão poucas oportunidades de brilhar, em virtude da falta de enredo que cercava Tancinha. Tanto que nas semanas finais ela pôde mostrar mais a sua capacidade quando a personagem reencontrou o pai Guido (Wenner Schumemann), se negando a perdoá-lo. Mariana brilhou e também emocionou durante os instantes em que a personagem lutou pela guarda de Bia (Melissa Nóbrega), Carol (Bruna Griphao) e Nicolas (Henry Fiuka). Ainda se destacou na hora da reconciliação da feirante com Aparício (Alexandre Borges), após tanto tempo o agredindo com palavras injustas.

A intérprete é uma das mais talentosas da sua geração, sendo necessário citar ainda o seu bom desempenho na série "Supermax" (exibida atualmente todas as terças, depois de "Nada Será Como Antes"), na pele da tenebrosa Bruna. Seu melhor momento na carreira foi em "Passione", quando deu vida a um dos perfis mais ricos da novela de Silvio de Abreu: a vilã Clara. A atuação em "Chocolate com Pimenta" também marcou a sua trajetória, fazendo da mocinha Aninha Francisca um de seus grandes papéis. Isso citando apenas as personagens mais marcantes, afinal, são várias ao longo de 18 anos de televisão.

"Haja Coração" teve defeitos nítidos, mas um deles não foi a composição da feirante ignorante e ingênua. Mariana Ximenes cumpriu o que se propôs a fazer e conseguiu construir a sua Tancinha com profissionalismo, evitando qualquer tipo de comparação negativa. Não chega a ser uma surpresa, levando em consideração os seus trabalhos anteriores. A atriz sempre convence quando está em cena, mesmo nas produções que não conseguem destacá-la como merece.

36 comentários:

Jessica Giambarba disse...

Sou suspeita pra falar, porque adoro a Mariana Ximenes e gostei da Tancinha. Tanto a atriz quanto o autor de "Haja Coração" optaram por criar uma Tancinha menos caricata(e até menos cômica) do que a de "Sassaricando", o que foi um acerto, embora isso não tenha sido suficiente pra destacá-la. Porém, se faltou trama para a personagem, não foi por culpa da atriz, que conseguiu brilhar nas poucas oportunidades que lhe foram dadas. A indecisão amorosa dela entre Apolo(Malvino Salvador) e Beto(João Baldarreini), mesmo tendo andado em círculos durante boa parte da história, dividiu a torcida do público, causando nas redes sociais uma "batalha de shipers" tão grande quanto aquela provocada pelo triângulo central de "Totalmente Demais". Não é á toa que o desfecho da Tancinha é um dos mais esperados. Falando nisso, eu torço por ela e Beto no final.

Anônimo disse...

Discordo, achei insossa e aquém do esperado. E não tinha que transformar essa personagem em principal sem um enredo forte. O resultado foi o crescimento de Shirlipe que ofuscaram essa trama chata principal.

Paula disse...

Ela é ótima, mas a personagem como vc bem disse não fez jus ao seu talento. A trama dela foi uma bobagem e uma mulher viver só em função de homem em pleno século 21 não dá. Isso na década de 80 podia ser legal, agora não mais.

Anônimo disse...

Essa novela só se salvou pelo casal Shirlei e Felipe. O resto o autor enfiou os pés pelas mãos, incluindo essa trama central repetitiva da Tancinha. Nem achei Mariana em seu melhor momento assim como nem acho ela bem em Supermax. Mas como Clara ela brilhou mesmo.

✿ chica disse...

Pelo pouco que assisti achei que ela se esmerou, mas pra mim, nada substitui a antiga TANCINHA, com seu jeito peculiar...abração, linda semana,chica

Ana disse...

Tancinha da Mariana foi sucesso, independente da trama ser fraca ou não. é nas últimas semanas seu par com o João só cresceu, assim como a personagem quando começou a namorar o Beto. Melhor atriz da geração.

Noveleiro disse...

Não é novidade, ela tira leite de pedra de qualquer personagem que faça. Sua Tancinha teve identidade própria. Acho que só o que atrapalhou foi o péssimo desempenho do Malvino; seu par com Baldasserini fez sucesso

Raquel disse...

Olá, Sérgio!

Realmente a Mariana tirou leite de pedra, pq a verdade é que a personagem que o Ortiz inventou não tinha nenhum carisma. A Tancinha de 2016 é chata e anacrônica, não apenas pelo modo de falar, mas pela história em que estava inserida... Qualquer simpatia pela Tancinha da Ximenes é mérito total da atriz que fez o que pode com o texto que colocavam na sua mão.

Me diz que mulher em 2016 tem como grande sonho na vida casar com o vizinho e morar perto da mãe? Tancinha não tinha nenhuma aspiração profissional, nenhuma trama só dela (já que até a busca pra saber o que aconteceu com o pai foi esquecida), não tinha vontade de fazer mais nada a não ser sonhar com o casamento e brigar com o Apolo. Até a cantina e o tal curso de ballet, o Beto teve que praticamente empurrá-la pra fazer. Como protagonista feminina, a Tancinha foi uma verdadeira negação.

Na minha opinião, a Mariana não encaixou na Tancinha durante toda a primeira parte da novela. Mariana e Malvino eram velhos demais pra viver aquele relacionamento de adolescente que Apolo e Tancinha viviam. Teria sido se uma atriz mais jovem tivesse interpretado a Tancinha se o Ortiz queria mesmo contar a história assim desde o começo. Ou se tivesse ajustado o enredo pra uma atriz um pouco mais madura como a Mariana. Juntos, Apolo e Tancinha só conseguiam ser irritantes.

Com o passar da novela, e a aproximação dela com o Beto, a personagem foi amadurecendo e Mariana ficou bem mais confortável encarnando a Tancinha. Essas últimas semanas serviram muito bem pra mostrar o grande talento da intérprete e as cenas do casamento com o Beto pra mim foram particularmente especiais. Até pq o João, mesmo “novato” bateu uma bola muito melhor com a Mari nessa reta final do que o Malvino na novela inteira... Enfim...

Na minha opinião, Haja Coração é uma releitura desnecessária e se mostrou uma novela totalmente esquecível. Assim como a Tancinha da Mari Ximenes (não por culpa dela). Daqui a alguns anos, todo mundo só vai lembrar de Shirlipe e do fato de que o casal protagonista mais uma vez foi ofuscado por um casal coadjuvante... Não dá pra ganhar todas.

Bell disse...

Não acompanhei muito, mas gostei.
Só acho que as novelas vão ficando iguais com o tempo.
As tramas são amores mal resolvidos, questões sociais e muitos conflitos.

bjokas e uma ótima semana pra vc =)

Anônimo disse...

Será que aquelas fãs idiotas da Mariana Ximenes no twitter agora entendem que vc achou péssima a trama da Tancinha e não a Mariana???

Anônimo disse...

Mariana viveu essa personagem, se entregou de corpo e alma. Não vomitou o texto decorado como alguns atores fizeram. Ela foi a Tancinha. E foi além, compôs sua própria Tancinha. Personagem difícil, que não ficaria bom nas mãos de qualquer uma. Merece todo o reconhecimento por esse sucesso. Calou a boca dos que acharam que ela não convenceria nesse papel. Parabéns, Mariana.
Trama fraca no começo, mas que cresceu com o relacionamento com o Beto, que se transformou por ela. Por isso minha torcida é dele. Cenas ótimas de Mariana e João.

Smareis disse...

Eu acho que ela trabalhou muito bem em seu papel. E foi crescendo a cada cena. Com certeza a Tancinha de antes era mais engraçada. Mais gostei do trabalho da Mariana nessa novela.
Ótima semana Sérgio!
Abraço grande!
Blog da Smareis

Ricardo disse...

Mariana Ximenes é uma das maiores e melhores atrizes brasileiras. Não havia dúvidas de que desempenharia brilhantemente o papel de Tancinha

Sincerão disse...

Ótimo texto, Raquel, resumiu tudo o que eu penso. Exatamente por isso que provavelmente a atriz não vai ganhar prêmio algum esse ano: não adianta tentar viajar pra São Paulo com um carro velho que ele dá problema e te deixa na mão! Sim, eu acabei de inventar esse ditado, gostaram?
Shirlipe roubou a cena desta vez e só resta aceitar. Em um provável remake de Sassaricando/Haja Coração, eles serão os protagonistas no lugar de Aparício e Tancinha. E quanto à Mariana Ximenes, espero que escolha melhor o próximo papel, porque esse foi uma negação.
E pra fechar com chave de lata, surgiram rumores de que Tancinha terminará com Apolo e Beto com Mariana Ximenes. Em Sassaricando (1987) até foi engraçado colocar Apolo pra ficar com Claudia Raia. Em Guerra dos Sexos (2012) foi ridículo colocar o Fábio para terminar com Mariana Ximenes. Agora, em 2016, a repetição desse desfecho só mostra mesmo a falta de criatividade do autor (e a minha certeza que ele acha o público um bando de idiotas). Por que a atriz se sujeita a essas coisas? Pelo salário? Medo do desemprego? Estou pensando seriamente em não ver o final dessa novela!

Jujuba disse...

Pra sorte da atriz, escolheram o "novato" João Baldasserini pra ser Beto. Ele salvou Tancinha da chatice completa, porque se fosse Caio Castro ou Maurício Destri, ela tava ferrada! Ia ter que carregar dois canastrões nas costas!
Repararam que Malvino anda ruim de química ultimamente? Em Amor à Vida ele não deu liga com Paola Oliveira (Pa-o-la O-li-vei-ra!) uma das atrizes mais sexies do país, todos os homens sonham em estar no lugar do Malvino, e ele...
Agora ele tá fazendo par com Mariana Ximenes. Francamente, a mulher não é de se jogar fora (apesar de parecer ser chata) e o Malvino mais uma vez decepciona. Não foi à toa que João Balda foi um dos indicados a Melhor Ator Coadjuvante (se eu não me engano) do Prêmio Extra, torcendo muito pra ele ganhar e fazer muitas outras novelas em papeis importantes.
Só mesmo o povo ignorante que acha que a PEC 241/55 é boa pra economia e que só o PT é corrupto pra torcer pra Apolo ficar com Tancinha. Ontem no Faustão até a atriz se surpreendeu com a plateia majoritariamente torcendo praquele maldito, e o pior é que tudo indica que o desfecho será esse mesmo... Fazer o quê? Já me acostumei com os 7 a 1 da vida

Anônimo disse...

Mariana Ximenes fez uma ótima Tancinha, mas a história dela ficou devendo. Malvino Salvador é um canastrão, a atriz merecia ao menos um par melhor, até João Baldasserini se saiu melhor que Malvino. Não preciso nem dizer com quem Tancinha terminará, é tão óbvio.

Sérgio Santos disse...

Eu tb adoro a Mariana, Jéssica, mas achei tudo em torno da Tancinha mt raso. Por isso me decepcionei mt, mas a Mari brilhou como sempre. Por mim tanto faz o desfecho pq não curti nenhum casal, mas o roteiro deixa claro que ela ficará com Apolo msm. bjsss

Sérgio Santos disse...

Sem problemas, anonimo.

Sérgio Santos disse...

Perfeito, Paula.

Sérgio Santos disse...

Shirlipe ofuscou o resto todo mesmo, anonimo.

Sérgio Santos disse...

Entendo, Chica, fica na memória afetiva. bjs

Sérgio Santos disse...

Ela é ótimaa sim, Ana.

Sérgio Santos disse...

Tirou leite de pedra mesmo, Noveleiro.

Sérgio Santos disse...

Raquel, seu comentário está perfeito. Eu endosso absolutamente cada vírgula e assino embaixo.

Sérgio Santos disse...

Entendo, Bell. ;) Bjão!

Sérgio Santos disse...

Essas aí nem desenhando, anonimo. Mas nem me importo. Bloqueei todas no Twitter.

Sérgio Santos disse...

A trama foi fraca a novela toda, anonimo.

Sérgio Santos disse...

Eu tb gostei mt do trabalho dela, Smareis. bjs e boa semana.

Sérgio Santos disse...

Concordo, Ricardo.

Sérgio Santos disse...

Gostei do ditado, Sincerão.

Sérgio Santos disse...

Jujuba, não sei o que PT e PEC têm a ver com isso...

Sérgio Santos disse...

Exato, anonimo!

Elvira Akchourin do Nascimento disse...

No começo, achei a composição da Mariana Ximenes um tanto exagerada, mas, depois, ela acertou e o trabalho ficou bonito de se ver.

Ramon Siqueira disse...

Mariana Ximenes mostrou que é uma das melhores atrizes do país pois se destacar vivendo uma protagonista tão rasa é difícil, mas mesmo assim brilhou como de praxe. Mesmo a Aninha sendo a maior e a mais apaixonante protagonista de sua carreira (sendo inclusive a protagonista de 2003), a Tancinha merece sim ser lembrada pela composição maravilhosa da Mari. Mas com certeza,vai ser difícil superar a suprema Clara como sua melhor personagem (melhor vilã de 2010, óbvio). Abração, Sérgio

Jujuba disse...

Nada. Só estou com raiva mesmo.

Sérgio Santos disse...

Clara foi a sua melhor personagem de longe, Ramon. Nem se compara. Depois vem a Ana Francisca fácil. Abração.