terça-feira, 27 de janeiro de 2015

Com grande elenco e texto perspicaz, "Felizes para sempre?" estreia mesclando relacionamentos, sexo e poder

E se a paixão morre? E se a convivência é interrompida? E quando o prazer é poder? E se na família corre veneno? E se a cumplicidade é corrompida? E se o casamento vira uma mentira? Todos estes questionamentos estão presentes em "Felizes para sempre?", produção escrita por Euclydes Marinho e dirigida pelo cineasta Fernando Meirelles, que estreou nesta segunda-feira (26/01), na Globo. Sexo, corrupção, poder e traição são alguns dos pontos centrais desta microssérie, cuja estreia agradou e muito.


Baseada em "Quem ama não mata" (de 20 capítulos), escrita em 1982 pelo mesmo autor, a trama ---- ambientada em Brasília ---- conta a história de cinco casais interligados, com problemas distintos que abalam suas respectivas vidas, que se envolvem em um crime passional. O enredo é voltado para as rupturas das relações familiares, sexuais e afetivas; onde a dinâmica destes relacionamentos se coloca como estrutura central da série.

Maria Fernanda Cândido e Enrique Diaz interpretam Marília e Cláudio, um casal em crise que resolve chamar uma garota de programa para apimentar a relação. Ela (vivida por Paolla Oliveira) é apelidada de Danny Bond, mas na realidade se chama Denise e tem um relacionamento homossexual com Daniela (Martha Nowill), que não desconfia da vida dupla da namorada ---- estas personagens, inclusive, não existiam da produção de 1982.
A situações começam a se entrelaçar quando Cláudio sugere que seu irmão adotivo Joel (João Baldasserini) também recorra aos serviços da sensual prostituta, afinal, o rapaz está prestes a se separar de Susana (Caroline Abras), mulher que conheceu em uma clínica de reabilitação.

O certinho Hugo (João Miguel) é irmão do meio de Cláudio e Joel, e enfrenta um problema no seu casamento com Tânia (Adriana Esteves). Ele acha que é pai de Junior (Matheus Fagundes) ---- garoto de 16 anos que se apaixona por uma mulher de 35 (Mayra - Silvia Lourenço), após conhecê-la em uma manifestação ----- e quer ter outro filho, mas sua esposa não deseja e toma pílula anticoncepcional escondida.

Os três irmãos mencionados são filhos de Norma (Selma Egrei) e Dionísio (Perfeito Fortuna), casal que está junto há 46 anos, mas que também enfrenta um período turbulento ----- ele, delegado aposentado, se reencontra com a fotógrafa Olga (Cassia Kis Magro), um antigo amor do passado; e ela, professora de sociologia, se envolve com um colega de trabalho mais jovem (Guilherme - Antonio Saboia).

A estreia apresentou uma fotografia caprichada e com direito a belas imagens de Brasília, muitas feitas através de drones (pequenas aeronaves controladas por controle-remoto). Logo na primeira cena, foi possível ver os problemas internos da família protagonista, principalmente quando Joel comunica, durante um jantar de comemoração do longevo casamento de seus pais, que ele e a esposa se separariam porque 'se amavam muito'. Uma sacada irônica excelente, que expôs logo de imediato a qualidade do texto.

Os problemas conjugais de Cláudio e Marília ---- que iniciaram depois que o filho deles morreu afogado na piscina (uma cena forte e muito bem realizada, onde nada precisou ser mostrado em detalhes) ----- começaram a ser expostos, assim como o caráter deste homem poderoso, que está envolvido em esquemas de corrupção (ele tem acordos com empreiteiras, tema bastante atual, inclusive). Também ficou claro que a série não terá um ritmo ágil, uma vez que focará nos detalhes dos relacionamentos e nos desdobramentos que todos os conflitos resultarão.

Paolla Oliveira ganhou uma grande personagem e tem tudo para se destacar com sua Danny Bond. Até porque é a garota de programa que abala a vida de todos os os casais da história. Vale destacar ainda os ótimos Enrique Diaz, Maria Fernanda Cândido, João Miguel, Adriana Esteves, Caroline Abras, Bel Kowarik, João Baldasserini, Cássia Kiss e Perfeito Fortuna, além da grandiosa Selma Egrei, que abrilhanta o elenco de qualquer produção.

A trama de "Felizes para sempre?" é muito atrativa e a estreia da microssérie, escrita por Euclydes Marinho e dirigida por Fernando Meirelles (coprodução da O2 Filmes), correspondeu ao que já havia sido mostrado nas chamadas. Todos os personagens têm bons dramas pessoais e conflitos semelhantes. Mesclar problemas conjugais com questões morais (e ainda inserir um crime passional no meio) é sempre um bom conjunto para render interessantes cenas, destacando o talento dos atores e prendendo o público. Promete.

50 comentários:

Tiago disse...

Série primorosa! Mais uma pro currículo da Globo.

Anônimo disse...

Adorei o primeiro capítulo. O elenco é bom e a Paolla Oliveira tem tudo pra se destacar mesmo, pois a personagem dela é quem vai abalar a vida dos casais, espero que ela se destaque mesmo pra esquecer de vez as duas péssimas protagonistas que ela interpretou esses últimos anos.

Abrçss
Ed

Martha disse...

Mais uma grande série que a Globo está produzindo no horário. Ano passado foi Amores Roubados e agora essa que promete ser muito densa. Concordo com todas as boas impressões dessa sua crítica, pra variar, tão bem escrita.

Fernanda disse...

Oi Sérgio. Tava meio sumida, mas voltei. Adorei a estreia e estou vendo agora o segundo capítulo enquanto comento. O elenco é mt bem escalado e essa trama está bem entrelaçada. Tô gostando de tudo até agora e amei sua crítica. Tava aguardando porque vc sempre escreve melhor e mais uma vez confirmei isso. Beijo.

Anônimo disse...

A Globo virou uma expert nesse tipo de formato. O Canto da Sereia, Amores Roubados, O Rebu e agora Felizes para sempre? comprovam isso. Concordo com toda a crítica. Essa série é ótima. Qualidade e arte.

Pedro Vinicius disse...

Ei, Sérgio! Desde antes das chamadas, já apostava nessa série e estou realmente impressionado com a qualidade. Um elenco primoroso, com destaque a Paolla Oliveira, que eu gosto demais. Penso que será ela a vítima nos próximos episódios, e você?
Abraço!

Yasmin disse...

Selma Egrei é uma atriz maravilhosa e vê-la em cena é um presente. O resto do elenco também é maravilhoso, mas acho Paola fraca comparada aos demais. E acho o Enrique Diaz inexpressivo. Mas de resto nada tenho a reclamar da microssérie que é muito interessante e mescla bem mesmo todos esses elementos que vc citou. Que continue assim e siga até o final.

Kauê disse...

A série mostrou nesses capítulos iniciais o que já estava explícito nas suas chamadas, tem tudo pra ser um sucesso! Rede Globo esta investindo mesmo nas séries de janeiro e tem acertado em cheio vide as produções anteriores. A fotografia esta mesmo linda e tudo o que foi apresentado até agora é digno de elogios. Texto brilhante, com ótimas sacadas. Gosto do elenco escalado, Enrique Diaz tá mt bem como o canalha Cláudio e é bom ver Paolla Oliveira vivendo um papel diferente e desafiador, tem tudo pra se destacar! Aguardemos o desdobramento da série, sigo acompanhando.

Karen disse...

O horário é que é um horror. Vir depois desse BBB é um absurdo. E já tem crítico dizendo que o ibope tá baixo em comparação com Amores Roubados. Mas é lógico. Em 2014 a série foi exibida depois de Amor à Vida que estava dando mais de 40 no ibope. Agora essa vem depois desse reality, não tem nem como comparar. E o Euclydes deveria voltar a escrever novelas.

Ana Carolina disse...

Gostei da microssérie e tive as mesmas primeiras impressões que vc. Mas não será um sucesso pq não tem nada de popular nela. Vai ser tipo O Rebu e O Brado Retumbante, que foram produções refinadas, mas sem o retorno merecido no Ibope. Até agora destaco João Miguel, Enrique Diaz, Maria Fernanda e Paola Oliveira. Espero que mais pra frente a Adriana Esteves e a Selma Egrei consigam um destaque. Cássia Kiss apareceu hoje e já brilhou. Me deu saudade da Gilda de O Rebu. E suas críticas iniciais e as finais sobre determinada novela ou série são sempre as melhores.

Anônimo disse...

Achei chata e apelativa. O elenco é ótimo, mas ficam horas com cenas demoradas e nada produtivas. Além desse excesso de sensualidade que não acrescentam ao enredo.

Andressa Mattos M. disse...

Sérgio, gostei muito da série. Não vi a série original em 82, mas pelo que li o autor aproveitou só os casais centrais, mas os desenvolvimentos são todos diferentes. E gostei de inserir a corrupção com empreiteiras como tema, que é muito atual como vc colocou. E a sensualidade dos relacionamentos amorosos dá todo um clima. Gostei da Paola vivendo essa prostituta e ela tem tudo pra se destacar. Muitos reclamam da Paloma, mas considerei um bom momento dela e pra mim ela viveu sua melhor cena na carreira com a revelação do Félix. A cena da Paola com o Solano foi antológica e ela se mostrou inteira. Acho difícil ela ter outra cena assim tão cedo. E Selma Egrei, Perfeito Fortuna, Maria Fernanda Candido, João Miguel e Adriana Esteves são incríveis. Creio que nos próximos capítulos os personagens paralelos terão mais destaque. Ótimo seu texto, como de costume. Beijo.

Lulu on the sky disse...

Olá, Sérgio!
Não a minissérie de 82 e essa é a oportunidade de atores esquecidos pela emissora mostrarem seu talento como é o caso do Enrique Diaz por exemplo. A Paola tem a chance de mostrar que é boa atriz.
Ótimo dia!
Big Beijos
Lulu on the Sky

Felisberto Junior disse...

Olá, Bom dia,Sérgio
eu gosto de releituras,e Felizes para Sempre? está me agradando. Eu tinha estranhado a trama "estar" em Brasília,mas depois li sobre!Com certeza,promete! E tem ainda a bela Paolla Oliveira , começou arrasando !
Obrigado pelo carinho,belos dias,abraços!

Karina disse...

Paolla Oliveira está lindíssima e como é bom poder vê la em um papel totalmente diferente já roubou a minissérie pra ela!

Melina disse...

Sérgio, querido, vi os dois capítulos e gostei. Vou acompanhar até o final porque me vi envolvida com a história. Sua crítica está ótima e concordo com todo o texto. O texto da série tá bem ferino e o elenco é ótimo. Pena que vá ao ar tão tarde. Deveria ser depois da novela como foi com Amores Roubados. Vamos acompanhar. Um beijo.

Amanda Ventura disse...

Mais uma excelente produção entre as tantas que a Globo tem apresentado no horário. Suas séries e minisséries estão muito melhores que as novelas.

Gosto muito de obras que tenham como tema as relações familiares, insatisfações no casamento e questões morais, que são universais. A microssérie tem o ritmo adequado ao tipo de obra que é: nem acelerado como em séries policiais, nem lento como em filme francês. E tem ainda o crime passional, para tornar a trama ainda mais atrativa.

Ótimas atuações de todo o elenco, destacando Paolla Oliveira, que saiu do papel de mocinha e está bem segura como Danny Bond, e Enrique Diaz, que nunca teve um papel de destaque na tv e agora está excelente como o empresário mau caráter.

A Viajante disse...

Sérgio, tudo bem? Nunca mais assisti televisão!! Aqui não passa os canais do Brasil e sinto falta do nosso sotaque... risos... daí a tv fica desligada!!! risos... beijo!!

Gustavo Nogueira disse...

Sérgio, eu assisti somente ao primeiro capítulo, o segundo eu acabei perdendo.E gostei do que vi, o enredo é muito interessante e a minissérie tem tudo para ser uma das melhores da Globo.Gostei das atuações de Enrique Diaz, Maria Fernanda Cândido, João Miguel, Adriana Esteves, Selma Egrei, Perfeito Fortuna e Carol Abras.Quanto a Paolla Oliveira, eu não posso opinar já que ela apareceu pouco no primeiro capítulo, mas acho que ela pode se destacar porque é uma personagem muito diferente das mocinhas insossas que ela interpretou, só gostei dela e a achei bem mesmo em O Profeta e Cama de Gato, achei ela fraquíssima em Insensato Coração, em Amor à Vida ela alternou altos e baixos na minha opinião e em Belíssima eu não me lembro dela.

William O. disse...

A série tem um capricho evidente e também estou gostando. Só acho que pecam no ritmo. Os capítulos tem pouca duração, não precisa encher linguiça. Mas o elenco é muito bom e Paola está divina. Verei até o final porque é curtinha. Torço para que o assassinato ocorra antes do último capítulo pra dar uma movimentada.

Letícia disse...

Bom dia meu caríssimo Sérgio, tudo bem?

Em primeiríssimo lugar e muito atrasada... Feliz Ano Novo... Este final e início de ano foi correria e parentada visitando aqui em casa e não tinha tempo para os seus textos... Estou voltando...
Em segundo, adorei a Globo fazer uma série ambientada em Brasília, minha cidade amada, pois nasci e vivo aqui até hoje... Pena não ter mais produções televisivas aqui, mas ainda bem que vez ou outra há uma produção cinematográfica... Como a cidade conseguiu ficar mais linda ainda com as imagens do Fernando Meirelles, quando eu vi as cenas, até que quis conhecer a minha própria cidade... kkkk... Há lugares lindos que já mostrou na série, como a Torre Digital, em cena Cássia Kis e Perfeito Fortuna, mas quem vive na cidade sabe o que lugar está fechado a visitação pública sem previsão de abertura... Adriana Esteve correndo pelo belíssimo jardim projetado por Burle Max, mas que fica no Setor Militar Urbano, é lindo, mas um tanto deserto, não sei que alguém correria por lá ao amanhecer... São detalhes e licença poética do autor. Termos linguísticos mais característico daqui... Não falamos muito prédio, ou edifício, mas "bloco" para os edifícios residenciais... Até o Minhocão da UnB ficou mais bonito com a fotografia do Meireles...
Voltando a série, gostei muito da série, dos atores, das intrigas de poder e o título ficou perfeito, indo contra ao final feliz que normalmente ouvimos a vida inteira... Os conflitos, as dores, os abusos e os excessos, tudo misturado... Aparentemente bem sucedidos, mas a que preço... Não há o bonzinho e a mocinha clássica, são personagens dúbios e que seguem os instintos de sobrevivência... A cena final de ontem, onde o médico que acabará de fazer amor com a personagem da Adriana Esteves atropela um passante e até tenta acudir, mas ela, com medo de ter que explicar o que fazia ali com seu quase sócio, o convence a fugir, e ambos são médicos, e deveriam prestar socorro a vítima, mas não o fazem por causa da repercussão.
Gostei da Paolla Oliveira, mais sensual e mulherão que é, longe das personagens românticas, ou mocinhas, como sua anterior, Paloma... Parece ter mais atitude e será interessante quando se relacionar mais com a personagem da Maria Fernanda Cândido... Henrique Dias está perfeito como o marido canalha e que não tem pudores de se envolver com outras mulheres, tendo uma vida sexual mais apimentada com as outras que com a própria esposa... Eu sei que deve a série "Quem ama não mata"... Sei que foi protagonizada pela Marília Pêra e o Claudio Marzo, e as personagens principais desta adaptação têm o mesmo nome dos atores que fizeram a primeira versão, suponho que seja uma bela homenagem aos atores, ou foi pura coincidência?
Enfim, gostei muito do que vi até agora e vamos vê até onde vai... E será que terá o mesmo desfecho da anterior, ou o autor, que é o mesmo, vai nos brindar com novidades, já que tudo vai girar em torno de um assassinato passional...

Um imenso abraço meu caríssimo Sérgio e vou tentar não sumir... Bjs

Italo disse...

Série muito bem acabada e com um elenco de peso. Gostei também da história, embora até agora o roteiro não tenha sido tão atrativo assim. Espero que com o assassinato a trama ganha a dose de suspense que está precisando. Abraço!

Elvira Akchourin do Nascimento disse...

Sérgio, só assisti ao primeiro e segundo episódios e gostei dessa mescla de tramas que você mencionou, e também das atuações. O horário tardio me impede de ver, mas, quando puder, eu assistirei pela internet.

Владимир disse...

Hola, Sergio.
Meu nome e Vladimir. Eu vivo na Ucrania mas adoro novelas e minisseries brasileiras. Me desculpa por me portugues que ta muito longe de estar bem.
Eu tem uma pergunta pra voce.
Voce conhece alguem quem esta gravando ou pode gravar episodios de "Felizes Para Sempre?" legendados? Eu sei que existe essa opcao, que Globo transmite legendas so que nao cada televisor pode mostrar-os.
Ficaria muito grato se voce me responder.
Abracos de Ucrania,
Vladimir

Sérgio Santos disse...

Verdade, Tiago.

Sérgio Santos disse...

Oi Ed. A série tá mt boa msm e a Paolla está ótima. Já está roubando a cena, ainda que sua personagem seja a principal. Mas eu adorei a Paloma de Amor à Vida. Achei a Marina de Insensato Coração péssima e ela foi mt mal, mas em AAV ela foi mt bem. Abçsss

Sérgio Santos disse...

Mt obrigado, Martha!

Sérgio Santos disse...

Fernanda, tava sumida mesmo. E que bom que gostou do texto, fico feliz. A microssérie tá ótima mesmo e tem sido interessante acompanhar os desdobramentos. bjssss

Sérgio Santos disse...

Tb achei essas 3 produções citadas por vc excelentes, anônimo. E essa tem tudo pra fazer parte desse time.

Sérgio Santos disse...

Pedro, tb já apostava. E tb acho que a Danny Bond será a assassinada. Tudo se encaminha pra isso.

Sérgio Santos disse...

Yasmin, a Selma é maravilhosa mesmo e ainda lembro dela em Sessão de Terapia vivendo a Dora. Fascinante. E ela estará em Sete Vidas, nova novela das seis. Sorte a nossa. Respeito sua opinião, mas acho o Enrique ótimo e Paolla está mt bem. bjsss

Sérgio Santos disse...

Kauê, infelizmente sucesso não será pq não é uma produção popular. Mas merece mts elogios até agora pela condução da trama que tem um elenco primoroso. Tb tenho gostado bastante e Paolla está incrível. abçsss

Sérgio Santos disse...

Oi Karen. Realmente comparar não tem como pq a primeira semana de Amores Roubados pegou a reta final de Amor à Vida que estava com um baita sucesso. Se privilegiou, claro. Fora que por mais que se negue, a questão do Cauã com Isis foi um chamariz. Mas a série era maravilhosa, vale ressaltar.

Sérgio Santos disse...

Oi Ana. Pois é, com certeza não será sucesso (nem está sendo) porque não é um produto popular. Mas a microssérie está excelente até agora e tá valendo a pena ver. O Rebu ainda foi melhor pq a audiência foi a mesma da Saramandaia, ou seja, não teve isso de "pior ibope". Mas foi uma produção para poucos e bons privilegiados. O msm vale pra O Brado Retumbante que foi impecável. E tb sinto falta da Gilda, de O Rebu. Aliás, da novela toda. Bjs e fico feliz que goste dos textos.

Sérgio Santos disse...

Ok, anônimo.

Sérgio Santos disse...

Adorei seu comentário, Andressa. Tb não vi a série original, mas ele mudou mt coisa. E Paola está perfeita, mas tb concordo com vc. Não achei Paloma uma personagem ruim e como vc bem disse proporcionou pra ela a melhor cena de sua carreira até agora. Tb acho que outra cena com aquela carga dramática não virá tão cedo. São coisas únicas. E tb destaco esses atores que vc citou. bjssss

Sérgio Santos disse...

Verdade, Lulu, o Enrique tava merecendo um papel desse há tempos. E Paolla ganhou um papel incrível. bj

Sérgio Santos disse...

Foi uma ótima sacada colocar a trama em Brasília, Felis. Além de ter tudo a ver com a corrupção das empreiteiras, ainda mostra os belos cenários do lugar. abçsss

Sérgio Santos disse...

Já roubou mesmo, Karina!

Sérgio Santos disse...

Tb estou gostando mt, Melina. A trama envolve e o elenco é maravilhoso, assim como o texto do Euclydes que é bem mordaz. O horário é tardio msm, mas devido algumas cenas, acho até necessário. Bjsss

Sérgio Santos disse...

Verdade, Amanda. A microssérie tá repetindo as qualidades vistas nas anteriores e tem valido a pena acompanhar. Paola está perfeito e Enrique merecia essa chance. O ritmo é mais lento, porém, não entedia pq a história prende. Beijos!

Sérgio Santos disse...

Oi Ju, espero que esteja aproveitando bem a viagem. bjs

Sérgio Santos disse...

Gustavo, em Belíssima ela era filha da Cláudia Raia. Foi sua estreia na televisão. A achei mt bem. Só detestei seu desempenho em Insensato Coração msm, nos outros gostei mt. Agora ela está bem demais. Pena que vc não viu. E a série está mt atrativa. O elenco é mt bom e os personagens bem ambíguos. Tá valendo a pena ver. Abraços.

Sérgio Santos disse...

William, entendo, mas não acho que encha linguiça não. Realmente o ritmo é mais lento e isso ficou até mais visível nessa quinta, mas a trama tá sendo bem desenvolvida. Acho que a vítima morrerá no começo da semana que vem, pra revelação do assassino ser no último capítulo. Veremos.

Sérgio Santos disse...

Minha cara Letícia, há quanto tempo!!! Feliz 2015! Tava com saudades. E seu comentário foi ótimo pq não sabia dessas expressões que vc citou de Brasília e mt menos as curiosidades sobre alguns locais exibidos na microssérie. Nem sabia desse local interditado e mt menos que o outro é deserto.

Tb acho a série bem atrativa e os personagens ambíguos deixam tudo ainda melhor. Não tem santo ali. Paolla está ótima, Enrique idem, assim como todo o elenco. Essa cena do atropelamento deu um suto em que estava vendo pq não era esperado. E a ironia foi essa mesma: dois médicos não prestando socorro a uma vítima.

Foi bacana msm colocar Brasília como cenário da trama. E ainda bem que vc disse que não ia sumir pq já ia falr isso msm. bjão!

Sérgio Santos disse...

Entendo, Italo. Vi algumas pessoas criticando o enredo sonolento, mas tenho gostado mt. E vamos ver como esse assassinato será mostrado. abçs

Sérgio Santos disse...

Elvira, o terceiro e o quarto capítulos foram tão bons quanto os dois primeiros. Tente ver algumas cenas na internet pq vale a pena. bjsss

Sérgio Santos disse...

Oi Vladimir! Puxa, vc é da Ucrânia? Meu blog tá mt internacional. rs Teu português está muito bom, não se preocupe, deu pra entender tudo. Sua presença aqui é uma honra pra mim. E infelizmente eu não sei. Nem sabia que tinha gente que fazia isso. Pena que não posso te ajudar, me perdoe. Grande abraço!

Elvira Akchourin do Nascimento disse...

Sérgio, segui seu conselho e assisti aos três episódios restantes da primeira semana. Ótimos Enrique Díaz, Perfeito Fortuna, Adriana Esteves, João Miguel, Carolina Abras, Paolla Oliveira, Maria Fernanda Cândido, Selma Egrei. Cassia Kis Magro tem aparecido pouco. Gostei de alguns recursos utilizados: as mensagens dos celulares dos personagens na tela, os dizeres que definem o conteúdo dos episódios, o fato de, a cada capítulo, um dos atores ter maior destaque. A mescla da vida particular com a política é bem feita.

Sérgio Santos disse...

Elvira, que bom que vc seguiu meu conselho. Siga assim até o final pq essa série vale a pena. Tb acho que a Cássia aparece mt pouco. Tomara que mude até o fim, caso contrário ela terá sido figurante de luxo. Mas os clipes no final de cada episódio, a mescla de politica com relacionamento, o elenco, personagens, enfim, tá tudo muito bom!