quinta-feira, 11 de maio de 2017

Nelson Xavier era um ator dedicado e um profissional respeitado

O ator Nelson Xavier faleceu, aos 75 anos, na madrugada desta quarta-feira (10/05), em Uberlândia, Minas Gerais. Em 2014, durante o Festival de Gramado, ele contou que fez tratamento contra o câncer de próstata em 2004 e que estava livre da doença. Foi lá também que recebeu o prêmio de Melhor Ator com o filme "A Despedida", um de seus últimos trabalhos. A causa de sua morte foi o agravamento de uma doença pulmonar, após ter sido internado na última terça-feira. 


Profissional admirado por todos, Nelson era um ator que se dedicava de corpo e alma aos seus papéis. A maior prova disso é o fato de dois dos seus melhores trabalhos serem interpretando pessoas que realmente existiram. O desafio de viver perfis que fizeram parte da cultura nacional é um risco para qualquer ator e a chance de não convencer é sempre alta. Mas não foi problema para ele. Afinal, como esquecer o icônico Virgulino Ferreira da Silva na minissérie "Lampião e Maria Bonita", exibida na Globo em 1982? 

O Rei do Cangaço foi um divisor de águas na carreira do ator, mesmo já tendo uma longa jornada no cinema (começou em 1959 e fez 55 filmes no total). Na tevê era apenas seu terceiro trabalho. E marcou para sempre. Sua parceria com Tânia Alves (Maria Bonita) foi irretocável, destacando o lado mais 'sereno' de uma figura marcada pela imponência. Sua interpretação foi tão convincente que ele chegou a ser confundido com Lampião, mesmo o cangaceiro tendo morrido em 1938. Dava gosto de vê-lo em cena e tão entregue. Um trabalho realmente memorável que o próprio reconhecia nas entrevistas que dava.

E outra figura que engrandeceu sua carreira foi Chico Xavier. Parecido fisicamente com o médium que arrebatava multidões, o ator emocionou no filme de mesmo nome exibido em 2010. Um sucesso de bilheteria. Sua composição ficou tão perfeita que até a voz lembrava a de Chico, comovendo em todas as cenas que aparecia. Não por acaso sua atuação foi aplaudida por crítica e público, mais uma vez reconhecendo o talento do intérprete. Nelson afirmou várias vezes que esse papel foi o melhor da sua vida, pois o modificou como pessoa. Não era raro ele se emocionar cada vez que falava do ícone da doutrina espírita que psicografava cartas, acalentando famílias. 

Mas o ator também brilhou em várias novelas, como "Pedra sobre Pedra" (1992), onde viveu o Delegado Queiroz, que fugia sempre da delegacia, colocando sua esposa (Francisquinha - Arlete Salles) no lugar. Atualmente, inclusive, pode ser visto na reprise de "Senhora do Destino" (2004), onde viveu com competência o íntegro Sebastião. O motorista que venerava a patroa falecida (Josefa - Marília Gabriela) era um perfil pequeno, mas foi crescendo na história graças ao talento de Nelson. Sua parceria com a saudosa Mara Manzan (Janice) também merece elogios. Outro folhetim que pôde contar com seu talento foi "Belíssima" (2005), quando interpretou Bento Pereira, um velhinho que parecia maluco, mas na verdade sabia muito bem tudo o que dizia. Mais um tipo sem grande importância que foi crescendo no enredo. 

"O Pagador de Promessas" (1988), "A História de Ana Raio e Zé Trovão" (1990), "Renascer" (1993), "Irmãos Coragem" (1995), "Anjo Mau" (1997), "O Cravo e a Rosa" (2000), "América" (2005), "A Favorita" (2008), "Gabriela" (2012) e "Joia Rara" (2013), onde interpretou um monge e raspou os cabelos, foram outras produções que tiveram o privilégio da sua presença. Sua última participação na televisão foi na fracassada "Babilônia", onde viveu o paraplégico Sebastião, assassinado por Beatriz |(Glória Pires). 

Nelson Xavier foi um grande profissional e um ator respeitado. É mais uma triste perda para as artes dramáticas que fará uma falta imensa. Mas seu legado servirá sempre para lembrar e enaltecer esse ser humano que se dedicava a tudo o que fazia.

14 comentários:

Denise disse...

Imaginava que você fosse fazer uma homenagem. Merecida.

Anônimo disse...

Descanse em paz.

Débora disse...

Justa homenagem. E lembro do papel dele em Belíssima. Amava.

✿ chica disse...

Linda homenagem ,merecida e triste perda! abração,chica

Debora disse...

Olá Sérgio tudo bem???


Linda e merecida homenagem!!!



Beijinhos;
Débora.
http://derbymotta.blogspot.com.br/

William O. disse...

Grande ator. Chico Xavier me emocionou no cinema e o Lampião é um marco. Já o Sebastião de Senhora do Destino foi maravilhoso.

Clau disse...

Oi Sérgio,
Gostei de ler essa retrospectiva/homenagem
sobre a carreira do brilhante
ator Nelson Xavier.
Ele era ótimo mesmo e com serenidade e talento,
sempre foi convincente em seus trabalhos.
Bjs!

Sérgio Santos disse...

Obrigado, Denise.

Sérgio Santos disse...

Sim, anonimo.

Sérgio Santos disse...

Tb gostava,Debora.

Sérgio Santos disse...

Obrigado, Chica.

Sérgio Santos disse...

Ele merece mesmo, Debora.

Sérgio Santos disse...

Concordo plenamente, William.

Sérgio Santos disse...

Mt obrigado, Clau. bjs