terça-feira, 4 de outubro de 2016

"A Lei do Amor" aposta no clássico e tem tudo para ser um novelão

"A lei do amor é simples, é indestrutível, incontrolável, indivisível, inevitável... Porque se não for tudo isso a lei não é do amor". Essa foi a mensagem dos teasers da nova novela das nove, cujo primeiro capítulo foi ao ar nesta segunda-feira (03/10), apresentando uma sucessão de acontecimentos e vários clichês do gênero. Maria Adelaide Amaral e Vincent Villari estreiam no horário nobre da Globo com a responsabilidade de elevar os números de audiência da faixa, que apresentou um crescimento de apenas alguns décimos entre "A Regra do Jogo" e "Velho Chico" --- folhetins medianos, que vieram depois do retumbante fracasso de "Babilônia" e enfrentaram problemas no desenvolvimento.


O enredo deixa claro que os autores preferiram apostar no certo, deixando o duvidoso de lado. A história principal reúne as situações mais clássicas da telenovela: o mocinho rico e a mocinha pobre que se apaixonam, culminando em uma vingança da menina, que vê a sua vida arruinada por causa da família do amado. Mas são situações facilmente convidativas, quando bem desenvolvidas. E parece ser o caso da atual produção. A estreia desenhou todo o conflito central com competência, apresentando um ritmo ágil e várias cenas bem realizadas, provocando bastante interesse pela trama, que mescla amor, interesse, ética, política e a hipocrisia em torno dos valores familiares ---- o título inicial da obra, inclusive, seria "Sagrada Família".

A trama tem duas fases. A primeira é ambientada em 1995 e dura cinco capítulos, já a segunda é ambientada em 2016 e entra no ar a partir de sábado (08/10). O primeiro capítulo foi praticamente voltado para o calvário da destemida Helô, interpretada com brilhantismo por Isabelle Drummond ---- Cláudia Abreu interpreta a personagem na segunda fase.
O público pôde acompanhar toda a vida difícil da mocinha e o início de sua relação com Pedro (Chay Suede) ---- Reynaldo Gianecchini vive o íntegro rapaz na segunda fase ----, totalmente inspirada nos contos de fadas, onde ela é uma espécie de gata borralheira e ele o príncipe milionário. O primeiro encontro, por sinal, teve direito ao tradicional amor à primeira vista.

Derrubada de sua canoa enquanto procurava peixes para alimentar a família, Helô é ajudada por Pedro e da situação nasce o encantamento. Os primeiros momentos da novela foram dedicados ao flerte do casal, que protagonizou sensíveis cenas em um parque e mergulhando no dia seguinte. Isabelle Drummond e Chay Suede tiveram química de sobra, honrando protagonismo da primeira fase. Outro bom destaque foi Denise Fraga em uma luxuosa participação, interpretando Cândida, a mãe da mocinha. Ela é uma grande atriz e está muito bem vivendo uma mulher humilde e que sofre de câncer terminal. Vera Holtz e Tarcísio Meira também se sobressaíram, o que nem chega a ser uma surpresa.

Fausto é um empresário poderoso que planeja se aventurar na política e logo nesse início já é possível perceber o caráter político do enredo. Magnólia é a esposa dele e usa o nome de Deus para praticar a sua falsidade, sempre bancando a santa diante dos outros. Ela não se dá com o enteado Pedro e o casal virou inimigo de Helô, pois o pai da mocinha, em um ato de desespero, tentou assaltar a fábrica do poderoso homem (que o havia demitido meses antes) e foi preso em flagrante. A filha de Cândida chegou a implorar para que os pais do amado libertassem o pai, mas não teve sucesso. Jorge (Daniel Ribeiro) acabou espancado e morto na cadeia, gerando a ira da protagonista. O gancho da estreia foi muito bom e tipicamente folhetinesco: Helô invadiu o jantar dos ricaços e declarou guerra a eles, exigindo justiça.

O enredo ainda apresentou outras situações interessantes, como o romance de Vitória (Sophia Abrahão) --- filha de Magnólia --- e Augusto (Hugo Bonemer), além da frieza de Ciro (Maurício Destri), que atrapalha o romance do casal com o apoio da vilã. Ana Rosa é mais um nome que se destaca nesse começo e a íntegra Zuza promete bons momentos para a atriz, que está merecendo um bom papel há anos (desde a série "A Cura", em 2010, ela é subaproveitada). Aliás, Ana, Tarcísio, Vera e Otávio Augusto ---- que vive o político corrupto César Venturini (sobrenome em homenagem ao Lázaro Venturini, de "Meu Bem Meu Mal") ---- são os únicos atores que participam das duas fases do folhetim para a sorte do telespectador.

A novela nem teria essa primeira fase, mas ganhou o prólogo em virtude do adiamento sofrido no início do ano, cedendo lugar para "Velho Chico". Ou seja, a situação acabou sendo benéfica, pois a exploração do romance do casal protagonista desde a adolescência ajuda bastante no envolvimento do público, aumentando a torcida e criando um bom ponto de partida da segunda fase, evitando um possível estranhamento com a paixão tão arrebatadora que eles sentem. Ainda proporcionou boas cenas para Isabelle Drummond, Chay Suede e Denise Fraga, por exemplo. Vale mencionar também a bela abertura, ao som de "Trenzinho do Caipira", na voz de Ney Matogrosso. O efeito de congelamento no final do capítulo é outro detalhe que costuma fazer diferença. E a direção de Denise Saraceni se mostra correta, sabendo aproveitar clichês da melhor forma possível, extraindo um bom desempenho do elenco.

"A Lei do Amor" teve uma ótima estreia, obtendo 31 pontos de média ---- um índice animador, levando em consideração os 29 pontos de média geral de "Velho Chico". Maria Adelaide Amaral e Vincent Villari prometeram um novelão bem escrito para o público e o primeiro capítulo mostrou exatamente isso. Um típico folhetim clássico. Se a qualidade irá se manter, só o tempo dirá. Mas a dupla tem competência de sobra para cumprir a promessa.

40 comentários:

Hector disse...

Foi uma ótima estreia. É um novelão clássico. Adorei tudo e Isabelle deu um show.

Anônimo disse...

O elenco é ótimo e a Isabelle dominou a estreia. Vera e Tarcísio também e amei ver Denise Fraga de volta mesmo tão rapidinho.

Paula disse...

Odiei Velho Chico e não tava nada animada com essa, mas me surpreendi positivamente. Parece novela dos anos 90 e não porque a fase é em 95.Curti.

Juliana disse...

A novela promete!

✿ chica disse...

Gostei do início da novela, tomara assim continue. Enredo bem legal! abração,chica

Daiane S disse...

Sinceramente, achei pouco empolgante para primeiro capítulo, esperava mais. Porém isso não quer dizer que a novela será ruim. Por exemplo, A Regra do Jogo, Babilônia e Salve Jorge tiveram um excelente primeiro capítulo e foram um fiasco.

Cleanskin disse...

A bela moca da classe baixa que se apaixona pelo moco classe alta, o belo casal que se apaixona à 1a vista, ambos são de famílias rivais, a vilã de cabelo platinada é maquiavélica que decide separa a dupla de protagonistas, o método batido "boa noite, Cinderela", quem matou quem... A REGRA DO CLICHÊ!!! tem rosto de que vai ser um outro grande drama mexicano...

Anônimo disse...

NOVELÃO! Adelaide disse tudo. Ótima apresentação a de ontem. Isabelle Drummond já escreve seu nome entre as maiores atrizes do país, a relação com Chay foi o ponto alto de um capítulo introdutório, doce, mas intenso na medida certa. Quem perder, só tem a perder!

Melina disse...

Sérgio, querido, adorei a estreia. Sem correria e nem lentidão. Tudo na medida. Os personagens são muitos bons e adorei Isabelle, Vera e Tarcisão. Isabelle é uma atriz que se destaca pelo trabalho, não pelos namoros e exposição na mídia como a canastra e sonsa Bruna Marquezine. Helô é uma mocinha adorável e já torço por ela. Adorei seu texto e concordo com tudo. Um beijo.

Marcia Pimentel disse...

Oi,
Eu vi o começo ontem e já gostei.
Tem realmente tudo para ser um novelão.
Abrçs

✿Blog: Autora Marcia Pimentel✿ ✿Instagram✿ ✿Twitter✿

Anônimo disse...

Assisti ao primeiro capítulo de A lei do amor, por causa dos vários comentários que teve na internet (trabalho à noite), inclusive com relação à fotografia. Os atores foram bons, a fotografia não foi ruim para o padrão dos folhetins da Globo (mas nem se compara a Velho Chico), mas tudo muito basicão, muito estilo Tititi e Sangue Bom. Saudades da Maria Adelaide Amaral de outrora, daquela que fez obras ótimas como A casa das 7 mulheres, Os Maias, Dalva e Herivelto, A muralha, Anjo mau, só para citar alguns. Mas ela tem que se garantir no rol da Globo de autores que dão retorno, não? Então, quem perde é o público com relação à qualidade. Mas vamos esperar para ver.

Anônimo disse...

Ah, uma coisa que esqueci de comentar, AMEI terem colocado na ceninha lá da quermesse, logo no comecinho dela - mesmo que só instrumental, mas a batidinha é clássica, não dá para esquecer -, a música El Condor Pasa (If I Could). Ouvidos atentos iriam reconhecer. Amo de paixão esta música e não me lembro dela ter entrado na trilha de alguma novela. Merecia e muito. Principalmente após a "ajuda" que o filme Wild deu a ela.

Gabriel disse...

Eu gostei bastante!
O casal protagonista teve uma ótima química e para mim Isabelle Drummond roubou esse primeiro capitulo com ótimas atuações. Outra q não deve demorar mt para roubar a cena é Vera Holtz como a vilã Magnólia, apesar de um começo um pouco tímido eu adorei a personagem ja de cara, como sendo aquela q na frente dos outros é uma santa e por trás apronta várias. Adorei o tom da personagem com um certo deboche.
Tbm gostei da participação da Denise Fraga q atua mt bem, e tava bastante sumida, tomara q volte em breve em um papel mais duradouro.
Já nesse primeiro capitulo da para perceber q a trama política vai estar bem presente dentro da novela o q para mim foi uma surpresa ja q achei q esse tema só ia entrar na segunda fase.
Enfim capitulo de estreia mt bom e tomara q só melhore, faz tempo q eu não acompanho uma novela das 21h e atualmente os outros horário de novela da globo estão bem ruins.

Raylan Soares disse...

Olá, Sérgio!

Confesso que estava um pouco receoso, por causa do excesso de clichês nas chamadas, mas adorei a estreia. Foi tudo na medida. E o que é Isabelle Drummond? Que atriz magnífica! Pena que só ficará 5 capítulos, já estou com saudades, rs.
Acho que finalmente voltarei a ver novela das nove (a última foi Av Br).

P.S.: Impossível ver Isabelle Drummond num parque de diversões e não lembrar DAQUELA CENA de Sete Vidas, não é mesmo?

porlapazyporlavida lc disse...

Capítulo maravilhoso. Amei ver o Chay e a Isabelle de protagonistas dessa primeira fase. Eles são muito bons. Não lembram em nada qualquer outro personagem que fizeram. Tarcísio e Denise não preciso nem comentar. São ATORES com tudo o que a palavra traz. Confesso que também amei ver o Hugo e o Maurício. Gosto bastante dos dois. S2

Pâmela disse...

Oi Sérgio
Eu tinha certeza que não ia me decepcionar com a Maria Adelaide e o Vicent. Que estreia maravilhosa e o segundo capítulo foi melhor ainda ��
Que cenas lindas entre a Isabelle e o Chay e que show que eles estão dando na primeira fase. Com certeza serão substituídos a altura pela Claudia Abreu e Gianecchini.
PS: na próxima novela das 18hrs Chay e Isabelle vão viver novo par romântico pra gente shippar, então que venha!!!

Anônimo disse...

Essa novela é para ser exibida às 18h ou 19h, e não no horário das 21h que tem o público mais exigente e sedento por novidade. A baixa audiência vem mostrando que a novela não fisgou o público, e o motivo? O público não que ver mais "a mesma história de sempre". Quem elogia hoje, daqui a pouco estará cansado de tanto clichê, de tanta previsibilidade. "Avenida Brasil", última novela que fisgou o público de verdade tinha tudo que a "Lei do Amor" não tem, era imprevisível e dinâmica. Essa novela terá audiência pior do que "Velho Chico" podem anotar. Ninguém aguentará 08 meses de clichês

Anônimo disse...

Torço pelo sucesso de Maria Adelaide. Gosto muito do trabalho dela.

Clau disse...

Oi Sérgio!
O folhetim pode até ser clássico, mas mesmo assim,
pode trazer ótimas cenas para os admiradores de
uma boa novela. O elenco tem belos e talentosos atores.
Tenha uma excelente semana. Beijos \o/

Sérgio Santos disse...

Verdade, Hector!

Sérgio Santos disse...

Idem, anonimo.

Sérgio Santos disse...

Tb curti, Paula!

Sérgio Santos disse...

Tomara, Chica. bj

Sérgio Santos disse...

Promete, Juliana!

Sérgio Santos disse...

Eu gostei, Daiane, mas vc fez uma comparação interessante.

Sérgio Santos disse...

A novela aposta em todos os clichês mesmo, Cleanskin, e isso não é um demérito.

Sérgio Santos disse...

Novelão msm, anonimo.

Sérgio Santos disse...

Mt obrigado, Melina. Tb adorei. E tomara que com a volta da Maria Adelaide vc volte mais aqui. bj

Sérgio Santos disse...

Concordo, Márcia.

Sérgio Santos disse...

Aguardemos, anonimo.

Sérgio Santos disse...

Pois é, Gabriel, tomara que essa novela traga de volta o fom folhetim ao horário nobre. E tb me animei bastante. A Isabelle foi o grande destaque da primeira fase.

Sérgio Santos disse...

Verdade, Raylan. Isabelle é maravilhosa e foi o grande destaque. Já a cena dela no parque, claro, fez lembrar imediatamente ao impecável trabalho de Sete Vidas, numa cena antológica.

Sérgio Santos disse...

Do Maurício não gosto, porlapazyporlavida lc; Acho mt ruim. Mas dos outros de pleno acordo. Que primeira fase gostosa. bjs

Sérgio Santos disse...

Eu tb, Pãmela. E com certeza a química de Isabelle e Chay beneficiará mt a próxima novela das seis. bjssssss

Sérgio Santos disse...

Discordo veementemente, anonimo. E o público não quer tanta novidade assim pq os devaneios poéticos de Velho Chico foram bem rejeitados. E fui fã de Av Brasil, mas a novela não era nada imprevisível. Pelo contrário até. E tá mt cedo pra falar de audiência. Era lógico que a novela nova ia começar em baixa, até pq Velho Chico entregou mt mal.

Sérgio Santos disse...

Tb gosto mt dela, anonimo.

Sérgio Santos disse...

Sem dúvida alguma, Clau. bjs

Sérgio Santos disse...

Ah, anonimo, esqueci: boa menção da música na cena da quermesse.

Elvira Akchourin do Nascimento disse...

Eu esperava bem mais de A Lei do Amor, levando em conta os autores e o elenco.

Sérgio Santos disse...

Entendo, Elvira.