quinta-feira, 9 de fevereiro de 2017

"Pesadelo na Cozinha": mais um acerto gastronômico da Band

Ainda ancorada no sucesso do "MasterChef", a Band, além de emendar temporadas e ainda criar a versão "Júnior" (já extinta) e "Profissionais", resolveu aproveitar os carismáticos jurados do reality culinário em outras atrações. O primeiro contemplado foi Erick Jacquin, que ganhou um programa para chamar de seu: o "Pesadelo na Cozinha", que estreou na última quinta-feira de janeiro (dia 26).


Adaptação de "Kitchen Nightmares", formato comandado por Gordon Ramsay nos Estados Unidos, o programa consiste na salvação de restaurantes em sérias dificuldades financeiras. O chef se transforma em uma espécie de consultor, verificando primeiramente o que não está funcionando (incluindo cardápio, método de trabalho e higiene) e depois atuando junto da equipe, orientando e virando quase o dono temporário do estabelecimento.

Vale lembrar que o "Caldeirão do Huck", na Globo, já teve um quadro parecido chamado "Negócio Fechado", exibido em 2008. Luciano Huck recebia cartas de donos de restaurantes quase falidos e fazia uma grande reforma nos estabelecimentos, tendo a ajuda de um chef de cozinha, que orientava no funcionamento do local.
Porém, a versão da Band é bem mais longa e o formato é igual ao estrangeiro, com direito a muitas broncas do dono do programa.

A escolha de Erick Jacquin foi precisa. Ele se mostrou seguro logo no primeiro episódio e seu estilo ácido, conhecido pelo público ao longo de várias temporadas de "MasterChef", segue firme, fazendo toda a diferença. É inegável que a sua simples presença já faz a atração ser convidativa. O chef é grosseiro, debochado e afetuoso na medida certa, sabendo explorar cada faceta sua da melhor forma para um bom andamento do formato.

Os embates que Jacquin tem com os donos dos restaurantes não são forçados e fica nítido o quanto que é complicado o grupo receber uma avalanche de críticas, se vendo obrigado a aceitar e obedecer as novas ordens do chef. Isso porque ele interfere diretamente na conduta dos funcionários, cozinheiros, estagiários, garçons, enfim. E o clima fica muitas vezes mais tenso do que durante as provas de eliminação do famigerado "MasterChef". Afinal, não é um troféu que está em jogo e sim o sucesso de um empreendimento.

O programa é muito bom e a duração em torno de 90 minutos consegue deixar a atração dinâmica, evitando uma correria desnecessária e também não extrapolando a paciência do telespectador com um tempo exagerado. Há uma mescla de tensão, emoção e adrenalina ao longo do formato, prendendo a atenção de quem assiste. E o melhor de tudo é ver Jacquin totalmente à vontade, sem imitar Gordon  ---- há ainda as famosas legendas durante as falas do chef francês, sendo complementadas também com um narrador que só surge quando necessário.

"Pesadelo na Cozinha" é um acerto da Band e a emissora fez bem em estrear o programa logo no início do ano, enquanto o "MasterChef" ainda não está no ar, evitando uma possível superexposição de Erick Jacquin. O formato é atrativo e a adaptação da emissora ficou na medida. Mais um êxito gastronômico da emissora.

10 comentários:

Gabriella disse...

Eu nunca vi a versão original e amei essa da Band. Tenho acompanhado. Concordo com a ótima crítica.

Anônimo disse...

Adoro o Jacquin. Não sabia desse programa, mas agora me interessei em ver.

Nina disse...

Também curti bastante esse programa. Achei até melhor que o original.

Anônimo disse...

Nunca vi, mas verei pq gostei do que li.

Gustavo Nogueira disse...

Não assisto esse programa Sérgio, mas vejo o Masterchef(estou ansioso pela próxima temporada dos amadores) e adoro o Erik Jacquin, ele é ótimo.

Sérgio Santos disse...

Obrigado, Gabriella.

Sérgio Santos disse...

Veja sim, anonimo.

Sérgio Santos disse...

Eu estou adorando, Nina.

Sérgio Santos disse...

Veja, anonimo.

Sérgio Santos disse...

Jacquin é ótimo mesmo, Gustavo. abçssss