terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

Isabel e Zé Maria: um casal que não deu certo em Lado a Lado

Embora não pareça, nada é mais natural do que ter um par romântico fracassado em uma novela. Às vezes a rejeição do público ocorre com o casal protagonista e outras com duplas coadjuvantes. Porém, com os coadjuvantes dificilmente há alguma alteração. Apenas a redução da participação mesmo. Mas quando o equívoco acomete uma dupla de grande importância na história a situação fica mais complicada. E é esse o caso de Isabel e Zé Maria em "Lado a Lado".


A novela das seis tem dois casais protagonistas. Entretanto, o que Laura (Marjorie Estiano) e Edgar (Thiago Fragoso) tiveram de aprovação, Isabel (Camila Pitanga) e Zé Maria (Lázaro Ramos) receberam de rejeição. O casal nunca empolgou e quem viu "Insensato Coração" entende melhor a razão da falta de 'química'. Na trama das nove escrita por Gilberto Braga e Ricardo Linhares, Camila e Lázaro formaram um par que não deu certo. Carol e André deveriam ser um dos principais pares da obra, mas devido às críticas recebidas o desfecho da dupla teve outros contornos. A personagem da Camila acabou casando com Raul (Antônio Fagundes) e o conquistador vivido por Lázaro seguiu sua vida.

Após esse fato nada agradável deveriam ter aprendido com o erro. Entretanto não foi isso que aconteceu. Coincidentemente "Lado a Lado" é supervisionada por Gilberto Braga e João Ximenes Braga (um dos autores) trabalhou como colaborador em "Insensato Coração". Ou seja, ambos resolveram arriscar e
insistir em um casal que já havia sido rejeitado pelo telespectador. É normal que autores insistam em repetir casais que fizeram sucesso escalando os mesmos atores, entretanto repetir uma dupla que foi rejeitada não deixa de ser estranho.

Camila Pitanga está ótima na novela e sempre protagonizou grandes cenas. Já Lázaro Ramos teve um início fraco, mas acertou o tom e não tem comprometido. Porém, o casal nunca funcionou e muito menos despertou torcida. O vazio que era sentido na relação de Carol com André foi novamente repetido com Isabel e Zé. Como Zé Maria foi transformado em um grande herói, acabou virando um tipo cansativo e irreal; enquanto que Isabel perdeu o rumo na reta final ao ficar obcecada pelo filho. Se antes o casal já não empolgava, agora então fica difícil despertar qualquer tipo de atenção do público.

E os autores pecam ao criar fatos irrelevantes para o par romântico. A trama terminará no dia 8 de março e recentemente o casal se separou por um motivo totalmente bobo --- a resistência de Zé Navalha em aceitar a interferência de Albertinho (Rafael Cardoso) na vida de Elias. Se ainda fosse para juntá-la com o filho de Constância (Patrícia Pillar) seria válido, no entanto, segundo as declarações de João Ximenes Braga e Cláudia Lage, Zé é o grande amor e Isabel e vice-versa. Ou seja, esse envolvimento do personagem com uma médica (Juliana Knust) será exclusivamente para enrolar o telespectador. E não deixa de ser um fato lamentável uma vez que há outros núcleos para serem desenvolvidos até o último capítulo.

A história de Isabel teria ficado bem mais atraente caso a personagem tivesse se apaixonado por Albertinho. Conflitos sociais e raciais aflorariam e os embates entre vilã e mocinha seriam bem mais intensos. Ao invés de brigar com Isabel somente por causa do neto, Constância também a enfrentaria por causa do filho. Mas infelizmente não foram esses contornos os escolhidos.

"Lado a Lado" é repleta de casais que funcionaram perfeitamente. Laura e Edgar; Celinha (Isabela Garcia) e Guerra (Emílio de Mello); Quequé (Álamo Facó) e Neusinha (Maria Clara Gueiros); Jonas (George Sauma) e Alice (Juliane Araújo); e Sandra (Priscila Sol) e Teodoro (Daniel Dalcin) são exemplos disso. Entretanto, Isabel e Zé Maria não conseguiram o mesmo êxito e o par não deixará saudades. Resta torcer para que Gilberto Braga e João Ximenes Braga não queiram repetir esse equívoco pela terceira vez.

62 comentários:

Bruno Marques disse...

Realmente o casal não funcionou.Eles ficam até melhores quando estão separados.
Adoro o Gilberto Braga,na minha humilde opinião o maior autor vivo da TV,mas detesto seu "heróis".Seus vilões são bem mais atraentes.
Como esquecer da Bebel e do Olavo roubando a cena do Daniel e da Paula em Paraíso Tropical!
Voltando a falar de Lado a Lado,o bom é que ela nos presenteia com um dos melhores casais da história da Tv,Laura e Edgar!
Enfim,Isabel e Zé Maria vão ficar juntos,mas são tão chatos que tanto faz...

Thairys Moreno disse...

Tenho que concordar Sérgio, Isabel e Zé Maria não tem nada a ver juntos, não há química, uma chatice só... Na verdade eu torcia pra que Isabel ficasse com Albertinho, pois também acredito que o enredo seria bem mais interessante, além do que gostei de vê-los juntos no início da novela, quando Albertinho tentava seduzi-la, funcionaram bem, é uma pena que a novela não tenha tomado esse desfecho, de repente os dois se apaixonarem, no início até acreditei que poderia ser esse o rumo que a história iria tomar, torcia pelo casal.
Beijo e ótima semana!

Felisberto Junior disse...

Olá!Bom dia
Sérgio
há quem diga que é essencial, que se não há quimica arrebatadora entre um casal formado numa telenovela e o público é melhor nem ir adiante. Mas, como houve a insistência, o risco era previsível. Uma pena, pois gosto muito de Camila e Lázaro atuando...separados!
Boa semana
Abraços

luís rodrigues coelho Coelho disse...

Ainda não sei onde é que vão buscar coragem para beijos assim apaixonados
Faz-me muita confusão estas vidas duplas onde parece que a vida é um mar de rosas...

EDER RIBEIRO disse...

Sérgio, se na novela anterior (q assisti) não rolou a química necessária para q o publico empolgasse com as personangens, foi um erro repetir. E olha q os dois são gdes atores, é inegável o talento de ambos, além de serem simpáticos. Abçs.

Thallys Bruno Almeida disse...

Bem, Sérgio, vamos lá.

Sobre o Zé Maria: ele até que estava indo bem enquanto tratava só da capoeira, não era exatamente irritante. O problema de fato foi quando começaram a enfiá-lo nas mais diversas situações envolvendo conflitos no Rio de Janeiro da época, inclusive colocando-o como líder das Revoltas da Vacina e da Chibata (enquanto que João Cândido, o líder real desta última, foi pouco mencionado), salvou o jornal da crise duma hora pra outra, se intrometeu até no incêndio como salvador da Laura... Tava feito o estrago e rapidamente Zé Maria se tornou um tipo insuportável. Sobre o Lázaro em si, pra mim ele tá muito bem desde o início mesmo. Mas nenhum de seus personagens televisivos pós-Foguinho conseguiu a mesma popularidade do tipo malandro criado pelo JEC em 2006 (nem mesmo na série Ó Paí Ó, criada a partir do filme). Acredito que no cinema ele convence mais.

Sobre Isabel: essa fase irritante que a personagem passa é um verdadeiro tapa na cara de quem dizia que a atriz precisava de favorecimentos/apadrinhamentos do autor JXB/GB pra ter o espaço que ganhou na trama. Sua obsessão pelo filho e as tentativas de afastá-lo de Albertinho podem ser classificadas como uma espécie de síndrome de alienação parental, assim como o caso de Salve Jorge entre Celso-Antônia e a menina Raíssa (isso guardando-se as devidas proporções de época). Na época, um pai como Afonso exigiria que Albertinho se casasse com Isabel, em tantas novelas de época a gente viu isso. Mas agora ele querer afastá-lo tbm ficou incrível. Porém, a experiência/talento/simpatia/carisma de Camila Pitanga (já comprovadíssimos) contribuíram pra que Isabel também tivesse grande importância à trama, como na época das apresentações de samba, chocando a sociedade; e na época em que ela humilhou Zenaide, Berenice, Catarina e Constância de uma vez só no mesmo capítulo. Uma forma de independência que é tão válida quanto as investidas de Laura como professora e jornalista.

O curioso é que o Gilberto Braga, em IC, se tocou a tempo e investiu em Raul (Antônio Fagundes), e deu certo, provando que diferença de idade não é empecilho pra nada. Pra mim, o erro é de João Ximenes, que insistiu em Zé Maria. O que está provado é que, ao contrário do que já vi ser dito aqui, não é Isabel que está sendo valorizada em detrimento de Laura. É Zé Maria que está sendo bajulado em detrimento de Albertinho. Nessas horas, dá saudade do grande sucesso de público que Camila conquistou junto a Wagner Moura em Paraíso Tropical. Isabel merecia mais que isso. Deu contribuições valiosas à trama, trouxe uma linda amizade com Laura, não merecia terminar sendo essa pessoa chata obcecada pelo filho e sim sendo a linda que formou com Laura uma das melhores duplas femininas protagonistas dos últimos tempos. Abçs!

Thallys Bruno Almeida disse...

OBS: Retiro a parte do tapa na cara e reformulo: "a fase irritante da Isabel prova que ela nem sempre a atriz/personagem é 'favorecida' pelos autores". E onde há "ficou incrível" leia-se "ficou surreal"

Anônimo disse...

Olá Sérgio, mais uma vez, tenho que concordar com vc...
O que pra mim é uma pena, foi ver que a grande parte do publico torcia muito pela relação Isabel e Albertinho, mesmo que no fim ela ficasse com Isabel, teria rendido muito pra trama, mas...
Com certeza nem lembrarei que esse casal existiu em LAL, já Laura e Edgar, já tenho todos o svídeos no PC.rs..pra matar a saudade depois, não sei qdo surgirá outro casal assim..e qto aos outros casais da novela, tbm adoro Celia e Guerra, Jonas e ALice, Teodoro e Sandra muito fofo..mas, espera-se que se aprendam com os erros né...já disse uma vez..amo muito essa novela, vai me deixar muitas saudades, mas tbm vou ter sempre aquela sebnsação que poderia ter sido bem melhor, bem é curtir o que tem e sublimar o que poderia ter sido.
Cat

Anônimo disse...

Desculpe, quis dizer que mesmo que no final Isabel ficasse com o Zé, o que o autor descartou nas primeiras semanas de novela.

RDO disse...

REALMENTE, FALTA QUÍMICA ENTRE OS DOIS ATORES, E ISSO PASSA AUTOMATICAMENTE PARA OS PERSONAGENS. O BEIJO DE CAMILA COM LÁZARO NOTA-SE QUE É PURAMENTE TÉCNICO, O QUE NÃO SE OBSERVA COM OUTROS ATORES.

Elvira Akchourin do Nascimento disse...

Tenho de concordar com você, Sérgio. O excesso de situações heroicas em torno do Zé Maria acabou por tornar a trama irreal e cansativa. Isabel empolgava mais no início e até a metade da trama. Depois, tornou-se obsessiva em relação ao filho e revoltada contra tudo e contra todos. Até entendo seus motivos, mas a situação também está se tornando repetitiva.
O pretexto de separar o casal e unir o capoeirista à médica Fátima não se sustenta e cheira a enrolação. Concordo que a torcida bem maior é pelo casal Laura e Edgar, que tinham razões de sobra para suas desavenças e reconciliações, além de uma trama mais consistente.
Enquanto Isabel e Laura se aliaram imediatamente, Edgar e Zé Maria só o fizeram recentemente e um tanto forçadamente.
Quanto aos desempenhos, acho o quarteto central muito bom.

Carlos disse...

Olha, fora a química entre os atores, acho que falta tbm boa vontade dos autores em colocar personagens carismáticos e não certinhos em cena. Acho que faz muito tempo que não existe um casal interessante em novelas (Laura e Edgar são interessantes mas não tiveram aquele "boom"). Ultimamente, só os vilões tem sido interessantes, como personagens sozinhos ou em casal, e por isso torcemos por eles.

Mas não vou opinar muito, porque não vejo TV faz tempo (sério!!!) e não faço a mínima ideia de como estão as novelas. Nem jornal tenho visto. Notícias só na internet. Por isso estou sumido rsrs. Bom de não ver TV é que economizo na conta rsrsrs.

Abraço.

A viajante disse...

Excelente a sua crítica, Sérgio. Acho até que já havia comentado que não gostei do casal, como não gosto do casal Morena e Téo, em Salve Jorge, pelos mesmos motivos.
Uma pena, mesmo... ela e Albertinho tiveram cenas belas no início da trama e os olhares dos dois revelavam paixão, o que nunca foi visto entre Zé Maria e Isabel.

Um beijo, querido!

Clau disse...

Oi Sérgio!
Um casal morno que não empolgou.
Uma pena!
Ótimo post,vc é muito observador.
Bjs!

Anônimo disse...

Lado a Lado reflete 2 coisas : infantilidade e vaidade de autores! Vaidade com um casal que não deu certo antes e não vai dar depois e infantilidade por ter dito em menos de um mês que o casal era esse e não mudaria. O resultado foi esse ...uma novela que poderia ser um sucesso com fraca audiência , sem história entre Isabel e Zé, sem enredo atrativo,..um enrolação! Laura e Edgar é outro casal que não tem muito a oferecer , porém..só tem tu vai tu mesmo! Como os autores disseram no início da novela que não trocaria o casal , Isabel e Zé, agora não tem como voltar atrás! Tristeza

Vanessa Barbosa. disse...

Será que é uma coisa dos atores? Estranho..
É uma pena que a novela esteja acabando :/ Maaaas, tem que ser né, rsrs.
Beijos querido

Paty Michele disse...

concordo muuuuito!!! E arrisco dizer que a culpa é da Camila Pitanga. Ela não consegue convencer o público de sua paixão.
E como vc disse, se os autores investissem na relação da Isabel com o Albertinho certamente daria mais pano pra manga.
Isabel e Zé Maria são insossos.

Um bjo,Sérgio.

Anônimo disse...

Concorrrdo como diria a Laura! rsrsr. Esse casal Zé Maria e Isabel, é tão chato que nas cenas romanticas deles dá muitooooo sono! e sem contar com o fato do Zé ter virado o "heroi" da trama, ai é brincadeira né?!. Mas, amoo demais essa novela, principalmente pelo casal Laura e Edgar, eles sim tem a "quimica perfeita"

Milene Lima disse...

Eu também não me apaixonei pelo casal. Por que os autores insistiram, tendo uma opção que renderia bem melhor, como teria sido ela com Albertinho?
O Zé Maria fica bem contracenando com o Bonifácio. A cena dos dois hoje foi hilária... Rsrs.a

Bom, agora é só esperar acabar a novela e lamentar porque o desfecho para esses dois personagens não foi como o público esperou.

Beijo, Sérgio.

Thallys Bruno Almeida disse...

PS: Pra completar meu comentário, sou mais um que reforça o time dos que lamentam que Isabel não tenha ficado com Albertinho. Raças e classes sociais diferentes, que dariam muito mais pano pra manga, e fariam desse casal uma história de amor que poderia dar certo. Sim, Isabel e Albertinho poderiam ter, juntos, tanta popularidade quanto a que têm Laura e Edgar. E todos ficariam felizes. Mas infelizmente resolveram enfiar o ZZZZZZZZZé Maria de herói da história... Vide hoje a cena do Albertinho se aproximando do filho. Não dá pra entender porque Isabel quer a todo custo afastá-lo, uma vez que, mesmo o janota tendo errado, aos poucos percebe-se que ele quer mesmo assumir o filho. A melhor cena do Rafael Cardoso em toda a novela.

É isso. Grande abç!

Vanessa disse...

Sérgio, querido,
Vim aqui para comentar o post da Giovanna Antonelli, e acabei vendo este daqui. rs. Volto e comento o dela depois, ok?

Bom, vou listar em tópicos o que penso sobre o casal... Acho que fica mais fácil. rs.

1) REPETECO DO QUE NÃO DEU CERTO
O casal Isabel e Zé Maria já começou errado na escalação. Havia sim uma predisposição com a Camila Pitanga e o Lázaro Ramos juntos novamente, ainda mais porque "Insensato" estava fresca na memória de todos. A impressão que deu foi que quiseram nos provar que, sim, eles funcionam juntos.

2) RELAÇÃO MAL CONSTRUÍDA
Para piorar, a construção do casal Isabel e Zé Maria foi muito rápida. Não deu tempo de o público se apaixonar pela história deles. Já no fim do primeiro capítulo houve o beijo. Depois, o pedido de casamento.

3) OUTRO CASAL GANHA O PÚBLICO
A situação para eles ficou ainda mais difícil em razão da popularidade de Laura e Edgar, em uma maré completamente oposta a eles. Se não bastasse, Laura e Edgar tiveram uma história melhor construída, vimos o nascer da paixão, depois do amor.. Não houve atropelos. E a Marjorie Estiano e o Thiago Fragoso têm aquela "megaquímica" que fica impossível não se apaixonar pelo casal.

4) CENAS CANSATIVAS
São muitos flashbacks, muito mimimi, etc, em torno deles. Tudo isso torna o casal ainda mais cansativo. Eles passam semanas se lamentando por não estarem juntos, alugam o ouvido de todos os personagens. A história não anda.

5) PERSONAGENS CHATOS
Com seu heroísmo exagerado, Zé Maria não ganhou a simpatia do público, o que dificulta ainda mais a torcida pelo casal. E, desde que descobriu o Elias, a Isabel também ficou um tiquinho chata. Gostava tanto da personagem, mas olha... Está puxado curtir a Isabel nesse momento "dona do Elias". E a relação deles é sempre carregada, extremamente dramática. Há pouco alívio, como acontece com Laura e Edgar, que flertam muitas vezes com o cômico, o duplo sentido...

6) EXPLORAR O QUE NÃO DEU CERTO
A lógica nas novelas é o autor mudar o rumo do casal quando percebe que a audiência não comprou a história. Em "LAL", acontece justamente o contrário: há um destaque excessivo para a história dos dois. E aí, se já não há empatia e química entre os atores, fica mais difícil ainda de se comover com a história deles.

7) FALTA DE HISTÓRIA
Não houve história suficiente para contar a história deles. Agora, colocaram a Juliana Knust para o Zé Maria, só para prolongar uma trama que já não agrada. Esse vai e volta torra a paciência.

A princípio, Sérgio, é isso o que eu me lembro. rs.
Lamento pelo autores terem sido "turrões" e não ajustarem esse casal ao longo da trama. Preferia que, a essa altura, chegasse um francês para a Isabel. Ou mesmo que ela terminasse sozinha. A coitada não merecia o Zé Maria, muito menos o Albertinho. E o Zé Maria, fosse eu a autora, faria ele morrer em alguma causa nobre. Assim, viraria logo o mártir e nos deixaria ver a novela em paz. rs.

Beijos, querido.

Vanessa disse...

Aliás,
Falei aqui da falta de história para o casal, mas prolongo a crítica à trajetória da Isabel.

Sou do clube que tem achado a personagem da Camila Pitanga bem chatinha desde a descoberta do Elias.

Defendo, porém, que faltou mais história para a Isabel nesta reta final. Há apenas esse conflito com o Zé Maria e a guarda do Elias.

Aliás, assuntos estes que estão há semanas em debate em "LAL". Tivesse a Isabel outra problemática, talvez a personagem não estivesse tão cansativa.

Veja que a Laura recentemente reatou com o Edgar, abriu a escola, está na batalha para se tornar uma jornalista respeitada... E, nos próximos capítulos, vai descobrir as armações de sua maior rival.

A Isabel, ao contrário, já está com a trajetória praticamente encaminhada. Essa falta de mais história prejudicou a personagem!

Beijos, querido.

Vanessa disse...

Sorry, lembrei de mais um comentário. rs.

Já falei aqui e volto a repetir: achei uma pena os autores não terem dado mais espaço à Patrícia Pillar e à Alessandra Negrini.

Não sei se estava acordado com elas que Constância e Catarina seriam vilãs menos atuantes, mas a verdade é que poderiam ter sido personagens mais participativas.

Se eu já reclamei aqui, outras vezes, sobre a fase coadjuvante da Laura, tenho outras mais a fazer sobre as duas principais vilãs da trama.

Em muitos capítulos, sequer vimos a cara da Negrini na nossa TV. A Pillar apareceu mais, mas tb não foi tão mais.

Se formos pensar nas gdes tramas, digo nestas que têm vilões declarados, lembraremos que em todas elas as vilãs tiveram o mesmo espaço que os protagonistas.

Em "LAL", infelizmente, isso esteve longe de acontecer. Não se poderia ter deixado de lado uma Pillar e uma Negrini. Muito menos uma personagem riquíssima como a Baronesa, que pra mim divide com a Laura o posto de melhor da trama.

Beijos, querido.

Kellen Bittencourt disse...

Concordo plenamente com vc amigo, se eles tivessem investido em uma paixão pelo Albertinho, teria dado mais certo, o Albertinho poderia ter criado tipo, lutado por ela de verdade, etc, eu torceria muito mais! Tbém acho que ela e o Lazaro não emplacaram mais uma vez enquanto casal, porém são brilhantes na interpretação! Abraçosss

MARILENE disse...

Eu também estou lamentando o caminho que deram à novela na reta final. Uma separação esquisita que nem nos afeta. Dois grandes atores que, como par romântico, não angariaram a simpatia esperada. Bjs.

Carlos disse...

Olha Vanessa, terei que discordar de vc SÓ nessa frase:
"Se formos pensar nas gdes tramas, digo nestas que têm vilões declarados, lembraremos que em todas elas as vilãs tiveram o mesmo espaço que os protagonistas." Isso não é verdade. Na maioria das novelas com vilões declarados, quem tem mais espaço são os vilões, os demais personagens, os bonzinhos, passam a ser os insossos.

O problema de vilões declarados é quando os autores insistem em colocá-los maiores do que são, com a capacidade até de SEMPRE "ler" os seus rivais. Normalmente, os mocinhos passam a ser os trouxas e os vilões só vacilam (começam a fazer bobagens, passando por uma descaracterização) no final. Não sei como está Lado a Lado, mas um craque em mocinhos e vilões é o Maneco. Em suas novelas chegamos a torcer pelos "vilões" por serem de carne e osso, e assim conseguirmos enxergar o lado dos mesmo. No entanto, não deixamos de dar razão aos mocinhos. Ficamos no muro.

Não sou contra vilões declarados, desde que os mesmos tenham atitudes críveis e que não sejam onipresentes, como se estivessem lendo o resumo da semana rsrs.

Abraço

Patricia Galis disse...

Mesmo assim espero que fiquem juntos, concordo com tudo que disse mas agora aparecer outro para para Isabel como estão tentando empurrar a médica para o Zé Maria é chato sei la rs

Patricia Galis disse...

PS:
Gostaria de agradecer a gentileza pelos votos de felicidade no dia do meu aniversário, Deus te abençoe.

Rita disse...

✫¸.•°*”˜˜”*°•.✫
Boa noite!!

Agradecer aos amigos quando
precisamos é uma benção
Além de elogiar pelo belo post
estou aqui para desejar sempre
muita alegria na sua vida
deixo um abraço com carinho
Rita!!!
✫¸.•°*”˜˜”*°•.✫

Rita disse...

Como disse a Patricia estou aqui
torcendo para dar tudo certo.....são
atores de alto gabarito
Tomara que termine em grande estilo!!!

Rita..

Vera Lúcia disse...


Olá Sérgio,

Esta questão da falta de sintonia ou de química entre os protagonistas é bem complicada. Já tive oportunidade de observar vários casos em que acabamos torcendo para que o casal não termine juntos.

Não posso comentar sobre a novela porque não a assisto, embora reconheça o talento individual de Camila Pitanga e Lázaro Ramos.

Beijo.

Barbie Californiana disse...

Poxa que pena, nem sempre rola uma química boa entre os casais, né Sérgio? Mas tomar que o autor consiga acertar em algo bom para eles até o final. beijos

Sérgio Santos disse...

Oi Bruno! Também sou fã do Gilberto Braga e o acho um gênio, mas assim como vc, acho seus heróis cansativos. Pena que resolveu insistir num erro já visto em sua trama anterior. Abraços.

Sérgio Santos disse...

Oi Thairyz, também queria Albertinho com ela. Seria muito mais interessante por vários motivos. Pena que não perceberam isso. Bjs!

Sérgio Santos disse...

Pois é, Felis. Insistiram num erro, como pode? Não vi coerência nisso e foi um erro anunciado. Abraços!

Sérgio Santos disse...

Luís, obrigado pelo comentário. Abraços.

Sérgio Santos disse...

Pois é, Eder, se vc viu Insensato Coração sabe do que estou falando. Repetiram o equívoco. Abraços.

Sérgio Santos disse...

Thallys, vc sabe que sempre achei o Zé irritante e no início achei a interpretação do Lázaro péssima. Ainda não acho ótima mas não compromete. Da Camila eu sempre gostei, mas sua Isabel virou um porre. O casal nunca funcionou e acho que há, sim, uma atenção maior pra eles. Principalmente com essa enrolação desnecessária na reta final. Preenche um espaço na história sem necessidade.

Justamente como em Insensato Coração o autor mudou o par, creio que agora ele juntaram pra não separar como fizeram anos atrás. Tipo uma 'vingança', se é que me entende.

Mas não deu certo de novo, o que era previsível. Abração.

Vanessa disse...

Oi, Carlos, tudo bem?

Obrigada pelo comentário. ;)

Olha, nem sempre temos mocinhas insossas. Rs. Veja que a Nina, de “AVBR”, era uma mocinha bem espertinha. Tanto ela quanto a Carminha tiveram o mesmo espaço. Em “Cheias de Charme”, por ex, a Penha tb fugia dos padrões de mocinha chata, chorona e burra. Agora, em “Lado a Lado”, temos uma dupla de mocinhas tb de personalidade forte. Nem a Isabel e muito menos a Laura abaixam a cabeça para suas rivais. E desde sempre elas seguiram essa linha. Não houve uma descaracterização para enaltecer as vilãs. Alias, diga-se de passagem, as vilãs se dão mal tb em “Lado a Lado”. E não é apenas no último capítulo! Rs.

Tb não curto os vilões que “leem o resumo da semana”, como vc comentou. Ou, ainda, que agem sem um grande motivo, matam por matar. Rs. Por isso mesmo, considero a Constância uma das melhores que já tivemos. Acho incrível uma vilã que tem a capacidade de roubar o neto e amá-lo ao mesmo tempo. Vilãs “humanas” me conquistam e, sim, ganham minha torcida. Ainda mais quando são defendidas por uma atrizaça como a Patrícia Pillar. Por isso, a minha queixa por não terem explorado mais a Barô. Rs. Era uma personagem para ter o mesmo peso da Laura e da Isabel.

Beijos. ;)

Sérgio Santos disse...

Cat, sem dúvida. Também acho que o casal que ficará guardado na memória será Laura e Edgar, não tem jeito. Sobre Sandra e Teodoro, só lamento a demora dele descobrir a verdade sobre a criança. A novela já vai acabar e nem vai dar tempo que gerar os conflitos necessários. Pena. bjsssss

Sérgio Santos disse...

RDO, obrigado pelo comentário. Abraços.

Sérgio Santos disse...

Oi Elvira. Exato, a relação de Zé com a médica é totalmente inverossímil e meramente para enrolar o público. Isso numa reta final não deixa de ser lamentável. A trama da Laura e Edgar era bem mais consistente msm, assim como a intensidade do relacionamento. Bjs

Sérgio Santos disse...

Carlos, acho que Zé e Isabel além de não combinarem ficaram cada vez mais chatos ao longo do tempo, o que só piorou. Sobre Laura e Edgar eu discordo. Foi o melhor casal da novela, os atores ótimos e uma história muito bem construída. Fora que Laura não é uma mocinha chorona e chata.

Veja se, pelo menos, a reta final da novela vc vê. Já tá acabando mesmo... Abraços!!!

Sérgio Santos disse...

Oi Ju, verdade. Lembro de vc dizendo isso. Albertinho e Isabel renderia mais conflitos e teríamos um bom casal no ar. Não deu. Bjs

Sérgio Santos disse...

Oi Clau, mt obrigado. Bjs!

Sérgio Santos disse...

"Anônimo", obrigado pelo comentário. Não acho que isso seja a razão pra baixa audi~encia da novela, as respeito sua opinião. Abraço.

Sérgio Santos disse...

Vanessa, infelizmente tá acabando... :( Bjs

Sérgio Santos disse...

Oi Paty. Eu gosto da Camila, mas ela não combina com Lázaro e a Isabel ficou insuportável. Bjs!!!

Sérgio Santos disse...

"Anônimo", as cenas românticas e ultimamente as individuais têm sido muito chatas. Abraços.

Sérgio Santos disse...

Oi Milene, eu tb gostei da cena do Zé com o Bonifácio. rsrs Realmente Albertinho e Isabel seria outra coisa. Pena. E pena que a novela tá acabando... Bjs

Sérgio Santos disse...

Oi Vanessa. Concordo com seus tópicos. Mas eu acho que Isabel com Albertinho renderia muito.

Também percebi uma tentativa dos autores de nos provar que Lázaro e Camila dão certos e que fomos injustos em Insensato Coração. Mas o efeito foi justamente o inverso, vimos que estávamos certos.

Acho que Patrícia tem um ótimo destaque na novela, mas a Negrini poderia ter rendido mais mesmo, fato. Lamento a figuração do Wernner Schunemann, esse sim apareceu menos do que deveria.

A história da Laura e do Edgar sempre foi melhor construída e agora isso fica mais claro. Enquanto a situação deles continua rendendo, a do outro empacou. PS: João Ximenes e Claudia merecem os parabéns por terem reconciliado o casal duas semanas antes do fim da trama. Foi bacana. Bjs!!!!!!!

Sérgio Santos disse...

Oi Kellen, obrigado pelo comentário. O casal não funcionou de novo. Bjssss

Sérgio Santos disse...

Exato, Marilene. Nos afeta em quê? Em nada. rs Bjssss

Sérgio Santos disse...

Oi Patrícia, obrigado pelo comentário. E não tem de que! Bjs

Sérgio Santos disse...

Oi Rita, obrigado pelo carinho. Bjs

Sérgio Santos disse...

Oi Vera, é verdade. Isso acaba sendo mais comum do que se imagina. Bjs!

Sérgio Santos disse...

Oi Barbie. Pois é, pior é quando insistem num erro. Bjs

Vanessa disse...

Sérgio, querido,

Tb acho que a Isabel renderia mais com o Albertinho pela diferença de classe, mas, como já comentei aqui, não consigo gostar de jeito nenhum do trabalho do Rafael Cardoso nesta novela. Me incomoda um ator com tão pouco tempo de carreira já se repetir na atuação. Ainda mais em duas novelas na sequência. Fora que dá pena quando ele contracena com a Patrícia Pillar, Camila Pitanga e Marjorie Estiano, como nas últimas cenas. A diferença é gritante.

Talvez o papel do Werner Schunemann não fosse maior do que isso mesmo. O próprio Caio Blat, por ex, comentou que só aceitou fazer "LAL" porque o Fernando tinha uma história menor, o que lhe possibilitaria se dedicar mais ao cinema.

Muito bacana mesmo da parte dos autores terem juntado o Edgar e a Laura antes do último capítulo. Aliás, eles já haviam "ousado" ao deixar o casal tanto tempo junto no início. Só não dá pra entender a aposta no Zé Maria com a Isabel, mas deixa pra lá. rs.

Aliás, vc acha que o JXB e a CL conseguirão assinar outra novela solo? Ou voltarão a ser colaboradores após os problemas de ibope?

Beijos, Vanessa

Tainá disse...

Oi, Sérgio!

Que legal que vc escreveu sobre o casal! Queria muito saber sua opinião e concordo com praticamente tudo em sua análise.
Gostei muito também do comentário da Vanessa. Ela resumiu tudo o que eu pensava em dizer! rs
Também acho que falta ao casal um alívio cômico (que Laura e Edgar têm), mas além da inexistência de química e da história mal construída, acho que os personagens individualmente também são chatos...
O Zé Maria com aquela perfeição e heroísmo irreais, e a Isabel com sua TPM permanente. Ela só reclama da vida o tempo inteiro, fala mal de tudo e de todos, como se o mundo conspirasse contra ela. Eu até gostava dela antes da viagem pra França, mas depois que ela voltou, ficou insuportável! Não sei se de repente isso é porque os autores em geral não sabem criar personagens femininas caracterizadas como fortes e decididas que angariem simpatia do público. Acho que essas personagens muitas vezes ficam parecendo arrogantes, esnobes, se achando senhoras da verdade. E digo isso não só no caso de Lado a Lado. A última Helena do Manoel Carlos (Thaís Arújo) foi outra que não funcionou bem... Então talvez nem seja culpa da interpretação da Camila Pitanga, mas do texto da personagem mesmo...
Enfim, acho que terminando junto ou separado, o casal não deixará saudade.
(Preferia até que o Zé Maria terminasse com a Fátima)

Sérgio Santos disse...

Vanessa, tenho gostado mt da atuação do Rafael Cardoso. Mas respeito sua opinião sobre ele.

Muito legal mesmo os autores terem reconciliado o casal duas semanas antes do fim. Ponto pra eles.

Olha, eu li uma entrevista onde João Ximenes Braga disse que irá fazer dupla com outro autor em breve. Já Cláudia tentará algo sozinha. Mas não descartaram voltar com a parceria. Mas pelo visto vai demorar. Beijão.

Sérgio Santos disse...

Oi Tainá. Pois é, gostei da sua sugestão. rs

Isabel era uma ótima personagem mas foi ficando cada vez mais chata até chegar num ponto intolerável. Zé sempre foi um mala. E o casal junto só piorou tudo. Olha, achei essa médica tão chata quanto a Isabel. Deve ser o Zé Maria que contagia todos ao seu redor com sua chatice. Bjs!

NPR disse...

Puxa, ainda bem que leio isso. Eu acho o mesmo. Tenho a mesma opinião. Mas como a novela ainda ia um bocadinho no início e sei que os atores são um casal na vida real (ou já nao são) não quis ser mazinha e estava a espera a ver se mudava de opinião com o avançar da trama.

Mas a verdade é que Camila Pitanga, que dá mais show que o "Zé", no ecra tem muito mais química com Albertinho. Os dois quando ele a cortejou davam certo. Já ela e o Zé, ou o Zé e outra qualquer, aquilo não convence. Mas não queria ser mazinha. A verdade é que nem com Berenice o Zé combina. Não se entende a obsessão das duas por ele e acho que isso se deve ao excesso de heroismo da personagem e a forma como sai no ecra. Outro talvez metesse no Zé algo negativo, para não parecer tão chatinho. Se bem que entendo a composição da personagem, acho que ainda assim não funciona. Alguém acredita naquele zé como o lider da revolta da chibata? O heroi aclamado do morro? Pensei que o juntaram à Camila Pitanga porque são casal. E fica mal não gostar de casal real, mas é verdade. É um grande erro dramaturgo juntar casal real. Os falsos ficam melhores na TV.

Não vi Insensato coração pelo que desconhecia que já tinham feito parelha e falhado. Um mau erro de casting devido a escolhas por nepotismo? Quase sempre é uma má opção.