quinta-feira, 15 de outubro de 2020

"Que História É Essa Porchat?" merecia a TV aberta desde sua estreia no GNT

A saída de Fábio Porchat da Record foi muito bem planejada pelo apresentador. O "Programa do Porchat" durou apenas dois anos, entre 2016 e 2018, e Fábio se sentiu limitado pela emissora. Também não conseguia bons convidados pelas proibições impostas pela Globo. Em 2019, conseguiu criar um então promissor projeto na GNT assim que se desligou do canal dos bispos. Não pediu demissão sem um plano B. O canal a cabo da líder também já era um passaporte para a sua migração no futuro, que veio a acontecer agora com a estreia do "Que História É Essa, Porchat?" na TV aberta. 


A primeira temporada estreou em agosto do ano passado e foi um sucesso. Não só de crítica, mas de repercussão e interesse dos artistas pelo programa. O êxito se deu pela simplicidade do formato. Não é mais um talk-show ou outra atração típica de entrevistas. Porchat optou pela intimidade filmada. Mas não invadindo a privacidade dos convidados e, sim, os chamando para ouvir histórias curiosas que tinham para contar. A escolha é da pessoa. Basta lembrar de algum acontecimento marcante que já viveu e ainda não expôs na televisão ou pouca gente sabe. Parece bobagem, mas funcionou.

São sempre três convidados por programa contando fatos curiosos. E o palco é organizado em um quase quadrado com Fábio e seus entrevistados, um de frente para o outro. A plateia fica em volta e também participa porque o apresentador sempre consegue deliciosas declarações de anônimos, como a menina que foi parar em uma festa promovida por Luciano Huck.
O formato funciona como um grande bate papo entre amigos. É como se uma câmera fosse colocada clandestinamente em alguma reunião de famosos. As conversas fluem tão bem que o tempo passa rápido. Cláudia Raia, Tony Ramos, Glória Maria, Welder Rodrigues, Regina Casé, Ivete Sangalo, Ney Latorraca e Fernanda Torres foram alguns dos ilustres participantes da primeira temporada.

A segunda temporada teve um ótimo início em março deste ano, mas as gravações foram interrompidas por conta da pandemia do novo coronavírus. Enquanto não havia ainda uma data para o retorno do programa, Fábio fez o "Que Quarentena É Essa, Porchat?" com episódios temáticos das reprises dos melhores momentos das duas temporadas. Posteriormente, emplacou o "Que História É Essa, Vovó?", com ótimas e breves entrevistas com veteranos como Gilberto Gil, Ary Fontoura, Rita Lee e Aracy Balabanian; mas somente em exibição na internet. E após longos meses de incertezas, o formato voltou ao ar no GNT na primeira terça-feira de agosto, dia 04.

O receio sobre a perda de rumo da atração era inevitável. Afinal, como manter o interesse sem plateia e com os três convidados em vídeo-chamadas que correm o risco de queda de sinal e problemas do gênero? Mas tudo se dissipou com o programa no ar. Fábio e sua produção conseguiram driblar todas as armadilhas impostas pela pandemia e mantiveram a qualidade do produto. Em um lindo cenário high-tech, o apresentador fica sozinho no estúdio e de frente para um imenso painel com a imagem dos três entrevistados do dia em destaque e pequenos círculos com pessoas que representam a plateia --- e também interagem e escutam as histórias. Por incrível que pareça, não houve mudança significativa no conjunto do formato. A conexão é excelente e a fala de ninguém é afetada por travamentos ou perdas de áudio, o que não prejudica o "timing" dos casos contados. Fafá de Belém, Rodrigo Hilbert e Leandro Hassum estiveram neste recomeço e brilharam. 

O "Que História É Essa, Porchat?" chegou para ficar e a prova do sucesso é a reexibição da primeira temporada na Globo a partir desta quinta-feira, 15 de outubro ---- o primeiro programa reprisado foi com Ney Latorraca, Cláudia Raia e Marcos Veras. A trajetória é parecida com o elogiado "Lady Night", de Tatá Werneck --- o formato também migrou para a Globo com reprises, em virtude do sucesso no Multishow. Fábio Porchat conseguiu criar um produto simples e delicioso. Certeza que muitas outras temporadas já estão garantidas.

6 comentários:

Anônimo disse...

Esse programa é muito bom|!

Pedrita disse...

merecia mesmo faz tempo. ótimo programa. muito bem produzido. escolhem muito bem os que vão ficar na "plateia". muito bem coordenado qd a pessoa é chamada a falar. ágil, sem enrolação, inteligente. ótima matéria. beijos, pedrita

William O. disse...

Tinha certeza que aconteceria a mesma coisa do Lady Night.

Anônimo disse...

A melhor coisa que ele fez foi se livrar da Record.

FABIOTV disse...

Olá, tudo bem? Porchat sofrerá com a concorrência da Fazenda. Não conquistará a liderança no IBOPE com facilidade. Abs, Fabio www.blogfabiotv.blogspot.com.br

Anônimo disse...

E ele foi bem mesmo enfrentando A Fazenda no auge.