segunda-feira, 11 de fevereiro de 2019

Brilhante, Ricardo Boechat era um dos maiores jornalistas do país

O ano de 2019 não está começando nada bem. Após o descaso da mineradora Vale, provocando uma desgraça em Brumadinho (Minas Gerais), o acidente de carro que vitimou o ator Caio Junqueira, o temporal que implicou na morte de seis pessoas no Rio de Janeiro e o incêndio que matou dez jogadores juniores do Flamengo, o Brasil perdeu Ricardo Boechat em uma queda de helicóptero, hoje, em São Paulo.


Âncora da Band News FM, colunista da revista "Istoé" e apresentador do "Jornal da Band", Boechat era uma dos mais prestigiados jornalistas do país. Sua dupla com José Simão na rádio era genial, seus textos sempre repercutiam e sua firmeza no comando do principal jornalístico da Band era o retrato da credibilidade. Ganhou três vezes o Prêmio Esso, um dos mais importantes do jornalismo nacional. Já o Prêmio Comunique-se, dado pelo voto individual de jornalistas, o agraciou 18 vezes, o que comprova o imenso respeito e admiração de seus colegas.

Ao longo de uma carreira iniciada na década de 70, escreveu em jornais como "Diário de Notícias", onde começou, "O Globo", "Jornal do Brasil", "O Estado de S. Paulo" e "O Dia". Na década de 90, teve uma coluna diária no "Bom Dia Brasil", na Globo, e também trabalhou no "Jornal da Globo". Foi diretor de jornalismo da Band e ainda teve uma breve passagem pelo SBT.
Fez parte de todos os grandes veículos de imprensa do Brasil. Era um nome conhecido e respeitado por todos. Amigos, admiradores, colegas de profissão, políticos. Até pelos inimigos.

Filho de diplomata, Ricardo nasceu no dia 13 de julho de 1952, em Buenos Aires, na Argentina. Fato que poucos conheciam. Ao contrário de grande parte dos jornalistas de televisão, nunca se importou em dar opiniões pessoais sobre os mais diversos assuntos. Isso virou seu maior diferencial. A hora do seu comentário era sempre a mais esperada. Seus discursos a favor da ética e sempre cobrando autoridades representavam a indignação da população. Ironicamente, hoje, por volta das sete e meia da manhã, na Band News, fez vários comentários sobre as tragédias que marcavam o início de 2019. Mal sabia ele que, quase quatro horas depois, seria mais uma das vítimas desse ano aterrorizante.

Além de todos os seus feitos, Boechat também era um mediador impecável. O melhor deles. Os debates dos presidenciáveis na Band sempre contavam com sua elegância e capacidade de driblar as conhecidas artimanhas dos políticos que muitas vezes não respeitam o tempo de fala ou o adversário. Por sinal, era um exemplo do significado de apartidário. Esquerda, centro ou direita, tanto faz. Sempre sobravam cobranças e críticas para todos os lados. Não tinha medo de retaliações ou de pedradas do público, que agora se divide entre uma direita violenta e uma esquerda agressiva.

Ricardo Eugênio Boechat se foi aos 66 anos. É aquela morte que parece doer mais. A partida inesperada, chocante, traumática. O jornalismo perde um de seus maiores nomes e a Band fica sem o seu melhor âncora. O luto é de todos. A imensa tristeza inevitável. Que fique em paz!


15 comentários:

Anônimo disse...

Ainda nao acredito.

Rejane Tazza disse...

Uma triste perda!
Que ele descanse em paz e ficará sua lembrança! Força à família!
abraços,chica

Matheus Nogueira disse...

uma triste perda,Sérgio.eu não sei como é que a Paloma Tocci vai tirar forças de não sei de onde para estar no´´Jornal da Band´´e ver q o Boechat não estará mais lá

Chaconerrilla disse...

Meu Deus, Zamenza! Só soube dessa notícia agora. Que triste perda! Que início de ano pavoroso.

Matheus Nogueira disse...

só corrigindo,me parece q a Paloma deixou a Band

Balik Alistane disse...

"Temos que representar bem o nosso papel no palco da vida, pois ao final do espetáculo poderemos ser vaiados ou aplaudidos."
Com toda certeza Boechat representou bem seu papel... Descanse em paz, grande jornalista, pois sua cortina do palco foi fechada ao som de muitos e merecidos aplausos! 😢

Que triste, parece que um parente se foi... o público escutava ele na rádio e o via todo dia na televisão, além das redes sociais. Que Deus conforte a todos

Adriana Helena disse...

Sérgio, boa tarde, meu coração está entristecido...
Não é fácil lidar com as perdas, ainda mais de um jornalista impecável como Boechat que era encantador na vida profissional e na pessoal! Era casado com uma capixaba e adorava o Espírito Santo!! Uma perda gigantesca para nós! :(

Amigo, já faz uma semana que te enviei um e-mail para o seu endereço da Globo com o código de artigos e comentários para você testar em seu blog. O e-mail chegou? O código funcionou? Foi um que criei com fragmentos de outros códigos e quero saber se vai funcionar no seu template!!
Me avisa se chegou tá?
Abraços e ótima semana!!! :)))

BIA disse...

Que triste notícia Sérgio! :( O ano não começou nada bom mesmo... mas esperamos que as coisas melhorem! 📺 💻 🎬 🙄
Bjs

Sérgio Santos disse...

Nem eu, anonimo.

Sérgio Santos disse...

Que fique em paz, Rejane.

Sérgio Santos disse...

Uma tristeza, Matheus.

Sérgio Santos disse...

Mt triste, Chaconerrilla.

Sérgio Santos disse...

Ele ja está fazendo muita falta, Baliik.

Sérgio Santos disse...

Não recebi, Adriana. Bjssss

Sérgio Santos disse...

Triste mesmo, Bia...